Diretoria da APEOESP analisa resolução da SEE sobre matriz curricular

20/12/2011 at 18:48 93 comentários

A Secretaria Estadual da Educação publicou no Diário Oficial do Estado, no dia 16/12 e a Resolução SE nº 81 de 2011, que estabelece diretrizes para a organização curricular do ensino fundamental e do ensino médio nas escolas estaduais. Esta Resolução altera a Resolução nº 98, de 2008, até então em vigor, e será analisada em detalhes pela Diretoria da APEOESP

No ensino fundamental as disciplinas de Educação Física e Arte, nos anos iniciais, serão ministradas no horário regular de funcionamento da classe por professor especialista, com acompanhamento obrigatório do professor regente de classe e do Aluno/Pesquisador da Bolsa Alfabetização, programa recém criado pelo governo, quando for o caso. Ou pelo professor da classe, quando comprovada a inexistência ou ausência de professor especialista.

No caso do ensino médio, continuam asseguradas as 30 aulas semanais, organizadas em 6 aulas diárias de 50 minutos cada, enquanto que no noturno, se mantém as 27 aulas semanais, organizadas em de 45 minutos. No diurno, portanto, fica mantido o total de 1.200 horas de curso, enquanto no noturno, igualmente, mantém-se as 1060 horas.

About these ads

Entry filed under: Artigos. Tags: .

Secretaria da Educação ainda tenta descumprir decisão judicial Não ACEITAMOS manipulação na implantação da JORNADA DO PISO

93 Comentários Add your own

  • 1. Roberta Drozniak  |  20/12/2011 às 20:00

    Boa tarde!
    Sou coordenadora do EM.
    Há boatos que haverá mudanças para o próximo ano,quais serão???

    Resposta
    • 2. apeoesp  |  21/12/2011 às 16:38

      Prezada professora Roberta,
      Há várias mudanças. Uma nova resolução será publicada amanhã, 22/12.
      Bebel

      Resposta
  • 3. Mario  |  21/12/2011 às 00:57

    Não é possível que Educação Física e Arte estejam fora da grade do 1º ano do Ensino Fundamental. Isso é um retrocesso que envergonha a Educação do Estado de São Paulo.

    Resposta
    • 4. apeoesp  |  21/12/2011 às 16:57

      Prezado professor Mario,
      Será publicada nova resolução amanhã, 22/12.
      Bebel

      Resposta
  • 5. Benedito  |  21/12/2011 às 10:56

    Prezada presidenta, como fica a aplicação de1/3 na nova grade curricular? Parece que o governo não está nem aí para a liminar que ele perdeu.Afinal, será ou não aplicada? E por que dessa mudança na grade agora justamente quando estamos em férias? Isso está cheirando a mais um golpe em cima do professor.

    Resposta
    • 6. apeoesp  |  21/12/2011 às 17:11

      Prezado professor Benedito,
      O governo não estar nem aí é relativo, pois há uma decisão judicial que terá que ser cumprida. Não bastam palavras, pois o descumprimento poderá levar a multa diária e responsabilização dos autores.
      Bebel

      Resposta
  • 7. Silvana  |  21/12/2011 às 12:41

    Muitos professores que cursaram com exito a escola de formação não fizeram jus a bolsa (ultima parcela de dezembro), tambem não existe mecanismo para reclamações, as DEs tem se furtado a responder?

    Aguardo orientações a todos os associados, na mesma situação.

    Resposta
    • 8. apeoesp  |  21/12/2011 às 17:13

      Prezada professora Silvana,
      Os professores devem recorrer ao departamento jurídico da APEOESP sempre que se sentirem prejudicados em seus direitos.
      Bebel

      Resposta
      • 9. Roxa  |  26/12/2011 às 15:15

        E os professores que estão entrando agora e que ainda não são associados da Apeoesp, também poderão recorrer ao dep. jurídico para reclamar seus direitos quanto à bolsa durante a escola de formação?

      • 10. apeoesp  |  26/12/2011 às 18:07

        Prezada professora Roxa,
        É preciso ser professor de alguma das redes oficiais de ensino para poder associar-se, de acordo com o estatuto.
        Bebel

  • 11. Pedro Simões  |  21/12/2011 às 14:14

    Olá Bebel,

    Sempre leio as notícias do seu blog, pois me auxiliam a comprender melhor a legislação referente a educação. Sou professor da rede pública estadual, mas também leciono na rede municipal. Sendo assim, tenho uma dúvida: as 6 horas/aulas diárias também valem para o ensino fundamental da rede municipal? A rede municipal tem algum prazo para implantar as 6 horas/aulas diárias para o ensino fundamental, pois aqui em meu município os alunos têm apenas 25 horas/ aula semanais.

    Parabéns pelo seu trabalho e

    Muito obrigado,

    Pedro Simões

    Resposta
    • 12. apeoesp  |  26/12/2011 às 18:38

      Prezado professor Pedro,
      Não há obrigatoriedade das seis aulas diárias. Cada sistema se organiza para cumprir a LDB e as diretrizes curriculares nacionais para o ensino fundamental de nove anos.
      Bebel

      Resposta
  • 13. rita de cassia domingues silva  |  21/12/2011 às 15:04

    Ao contrário do anunciado, no Ciclo II (6º a 9º), houve redução da carga para Lingua Portuguesa, pois foram retiradas as aulas de Leitura e Produção de Texto (eram 5 de LP e 02 de LPT).
    O “aumento” para 06 aulas, obrigará o professor a passar de 20 para 24 aulas, de 25 para 30, de 10 para 12. Alguém tem ideia do impacto dessas desmedidas para os professores?

    Resposta
    • 14. apeoesp  |  24/12/2011 às 12:29

      Prezada professora Rita,
      Leitura e produção de texto foi incorporada à disciplina.
      Bebel

      Resposta
  • 15. Sebastião Miguel  |  21/12/2011 às 19:20

    Bebel, boa tarde.

    Imagine você, o caos que será no início do ano letivo.
    Nova grade, novo problema e assim vai…

    Como você bem disse, presidenta, o governo trata a educação como um joguinho de xadrez.
    Até quando a educação terá que sofrer esses absurdos? Acredito que muitos professores estão partindo para outra e em curto prazo não teremos mais especialistas.
    Abraços.

    Resposta
  • 16. ROSANA  |  21/12/2011 às 22:32

    OLÁ BEBEL!

    NO CASO DO PROFESSOR INTERLOCUTOR(LIBRAS) QUE INICIOU EM AGOSTO DE 2011 PODERÁ SER RECONDUZIDO SENDO CATEGORIA O, APROVADO NO PROCESSO SELETIVO E QUE NUNCA TEVE SEU CONTRATO PRORROGADO?
    E QUANDO ESTÁ PREVISTA A RESOLUÇÃO DE ATRIBUIÇÃO DE 2012? DIGO A PUBLICAÇÃO…
    GRATA!

    Resposta
    • 17. apeoesp  |  24/12/2011 às 12:42

      Prezada professora Rosana,
      Estamos aguardando a publicação da resolução para esclarecer dúvidas como esta. A publicação está atrasada.
      Bebel

      Resposta
  • 18. Leandro  |  22/12/2011 às 12:56

    BEbel:

    Qual é a data certa para a dispensa dos L?
    E quem aula livres perde no primeiro dia letivo ou no fim da categoria?

    Resposta
    • 19. apeoesp  |  24/12/2011 às 13:00

      Prezado professor Leandro,
      31 de dezembro. Para todos os efeitos.
      Bebel

      Resposta
  • 20. angeline  |  22/12/2011 às 17:07

    Ocorrerá alguma alteração nas aulas de ciências e biologia? O número de aulas será reduzido ou permanecerá o mesmo?

    Resposta
    • 21. apeoesp  |  24/12/2011 às 13:14

      Prezada professora Angeline,
      Sim. Permanece o mesmo.
      Bebel

      Resposta
  • 22. Edna Martins  |  22/12/2011 às 17:08

    A Secretaria informa que houve um problema no pagamento de 30% dos cursistas e que tal problema será resolvido até 31/12 isso é um abuso já que havia um prazo estipulado até o dia 20/12 o que pode ser feito, o sindicato pode buscar alguma resposta

    Resposta
    • 23. apeoesp  |  24/12/2011 às 13:15

      Prezada professora Edna,
      O governo já deu sua explicação. Resta, eventualmente, o caminho da ação judicial individual, mas não vale a pena porque o judiciário está em recesso.
      Bebel

      Resposta
  • 24. Mary  |  22/12/2011 às 17:09

    Olá Bebel!!! Primeiramente quero agradecer por haver este BLOG!
    Sem ele não teríamos NENHUMA informação CONCRETA tanto da SEE, DRHU, da nossa D.E e muito menos da nossa U.E….obrigada por nos ajudar com tantos esclarecimentos e debates!!!
    Hj é dia 22!!! Será q realmente hj sairá a nova resolução para a atribuição 2012? E aliás….esta resolução que sairá é para o regimento de atribuição…..jornada….ou novamente para os componentes curriculares?? Obrigada!! Professora Mary!!

    Resposta
    • 25. apeoesp  |  24/12/2011 às 13:17

      Prezada professora Mary,
      Obrigada.
      Estamos aguardando a publicação da resolução de atribuição de aulas. A resolução corrigindo as matrizes curriculares já saiu.
      Bebel

      Resposta
  • 26. alex  |  22/12/2011 às 17:39

    Ola presidenta .
    Nós da categoria L teremos direito a salario no mes de fevereiro referente a janeiro ou simplemente perderems as aulas agora em dezembro ?

    Resposta
    • 27. apeoesp  |  24/12/2011 às 13:19

      Prezado professor Alex,
      A categoria L será extinta em 31/12.
      Bebel

      Resposta
  • 28. andre  |  22/12/2011 às 17:41

    algo de novo sobre a nova grade curricular ou sobre a aplicação da lei do piso em nossa educação?

    Resposta
    • 29. apeoesp  |  24/12/2011 às 13:20

      Prezado professor André,
      Ainda não foi publicada a resolução de atribuição. Houve recuo na redução de matemática e português na matriz curricular do ensino médio. Sem novidades sobre a lei do piso.
      Bebel

      Resposta
  • 30. Pedro Simões  |  22/12/2011 às 21:31

    Olá Bebel,

    Sempre leio as notícias do seu blog, pois me auxiliam a comprender melhor a legislação referente a educação.

    POR FAVOR, ESCLAREÇA UMA DÚVIDA:

    Sou professor da rede pública estadual, mas também leciono na rede municipal. Sendo assim, tenho uma dúvida: as 6 horas/aulas diárias também valem para o ensino fundamental da rede municipal? A rede municipal tem algum prazo para implantar as 6 horas/aulas diárias para o ensino fundamental, pois aqui em meu município os alunos têm apenas 25 horas/ aula semanais.

    Parabéns pelo seu trabalho e

    Muito obrigado,

    Pedro Simões

    Resposta
  • 31. Celso  |  22/12/2011 às 22:41

    NUNCA VI GOVERNO TER ÓDIO DE PROFESSORES IGUAL A ESSE DO PSDB!!!!!!!!!!!!!! FORA PSDB!!!!!!!!!!! O PIOR É CONTAR COM SUPERVISORES E DIRETORES PUXA PUXA…….AINDA BEM QUE NÃO SÃO TODOS….ESQUECERAM QUE TAMBÉM SÃO PROFESSORES?????????

    Resposta
  • 32. Prof. Pedro (Diadema)  |  23/12/2011 às 02:53

    Bebel.
    Fazendo uma leitura da resolução 81, entendi que o governo não vai aplicar a jornada de 16, 20 e 26 aulas para 2012. Você também tem o mesmo entendimento?
    Na resolução, a matriz do EF a aumento do numero de aulas/dia para 30, levando a entender que vamos permanecer com a mesma carga de trabalho, mesmo aplicando a lei do piso/jornada. pois não sobra espaço para HTPC para quem acumula dentro e fora da rede.
    Você tem este entendimento também?

    Resposta
    • 33. apeoesp  |  24/12/2011 às 13:29

      Prezado professor Pedro,
      Essa matriz se refere às aulas que devem ser ministradas aos alunos. Cabe ao Estado, cumprindo a lei do piso, disponibilizar professores para essas aulas, assegurando 33% da jornada para atividades extraclasses. Assim, um professor com jornada integral, que hoje ministra 33 aulas, passará a ministrar 26.
      Bebel

      Resposta
  • 34. Prof. Pedro (Diadema)  |  23/12/2011 às 02:55

    Bebel.
    Fazendo uma leitura da resolução 98, entendi que o governo não vai aplicar a jornada de 16, 20 e 26 aulas para 2012. Você também tem o mesmo entendimento?
    Na resolução, a matriz do EF a aumento do numero de aulas/dia para 30, levando a entender que vamos permanecer com a mesma carga de trabalho, mesmo aplicando a lei do piso/jornada. pois não sobra espaço para HTPC para quem acumula dentro e fora da rede.
    Você tem este entendimento também?

    Resposta
    • 35. apeoesp  |  24/12/2011 às 13:30

      Prezado professor Pedro,
      Já respondida.
      Bebel

      Resposta
  • 36. Abele vanessa da silva  |  23/12/2011 às 05:00

    Ola, Bebel. Gostaria de sabers e as prefeituras, que não existem ARTE de 1° a 5° anos, sera obrigada a implantar ?

    Resposta
    • 37. apeoesp  |  26/12/2011 às 15:10

      Prezada professora Abele,
      Educação Física e Arte são parte constitutiva da parte obrigatória do currículo do ensino fundamental, de acordo com as diretrizes curriculares nacionais para o ensino fundamental de nove anos.
      Bebel

      Resposta
  • 38. Prof. Pedro (Diadema)  |  23/12/2011 às 11:56

    Bebel!
    Este informação está estampada no fax urgente.
    “Não aceitamos manipulação na implantação da Jornada do Piso”
    O conteudo politico da frase é ruim para a categoria, pois dá a entender que o governo não vaia aplicara a jornada do piso.
    Já fiz um comentario anterior, hoje lendo atantamente o fax, fiquei indignado com a frase de abertura. Para quem convive com os desmando do governo a anos, o sentimento é de impotencia e perde de dignidade para a categoria e a falta de respeito com este trabalho que não tem reconhecimento na esfera politica e social ” ser professor”.
    Do ponto de vista politico, qual é a chance do governo adotar e aplicar a jornada do piso para 2012?

    Resposta
    • 39. apeoesp  |  24/12/2011 às 13:33

      Prezado professor Pedro,
      Lidamos com a realidade e o governo vem buscando burlar a lei do piso, mesmo após a liminar. Cabe a todos nós lutar para que isto não aconteça.Não há nenhhuma impotência. Lutamos e vencemos o governo na justiça. O descumprimento da lei e da liminar afronta também o juiz. Se o governo insiste em nos enrolar, vamos à e se preciso, vamos à greve.
      Bebel

      Resposta
  • 40. regina  |  23/12/2011 às 12:55

    Gostaria de saber como ficou a grade do ensino fundamental.
    Não terão as aulas de arte e educaçao fisica os alunos do 1º ano do ensinoa fundamental ? Qual a justificativa para retirarem essas aulas?
    Obrigado
    Regina

    Resposta
    • 41. apeoesp  |  24/12/2011 às 13:36

      Prezada professora Regina,
      Sim, haverá. Leia novo texto publicado hoje.
      Bebel

      Resposta
  • 42. Pedro Simões  |  23/12/2011 às 13:28

    Olá Bebel,

    Sempre leio as notícias do seu blog, pois me auxiliam a comprender melhor a legislação referente a educação.

    POR FAVOR, ESCLAREÇA UMA DÚVIDA:

    Sou professor da rede pública estadual, mas também leciono na rede municipal. Sendo assim, tenho uma dúvida: as 6 horas/aulas diárias também valem para o ensino fundamental da rede municipal? A rede municipal tem algum prazo para implantar as 6 horas/aulas diárias para o ensino fundamental, pois aqui em meu município os alunos têm apenas 25 horas/ aula semanais.

    Parabéns pelo seu trabalho e

    Muito obrigado,

    Pedro Simões

    Resposta
    • 43. apeoesp  |  24/12/2011 às 13:45

      Prezado professor Pedro,
      Seu município pratica o que a LDB exige: o mínimo de 25 horas/aul semanais.
      Bebel

      Resposta
  • 44. Junior  |  23/12/2011 às 18:25

    Se o governo não implementar a jornada do piso em 2012, mesmo com as decisões judiciais, vamos à GREVE (eu apoio!) e vamos fazer uma grande manifestação para aplicação imediata dos nossos DIREITOS!

    Resposta
  • 45. FÁTIMA  |  24/12/2011 às 02:04

    BOA NOITE BEBEL,

    NECESSITO QUE VOCÊ ME AJUDE, ESTOU SEM SABER QUE ATITUDE TOMAR .
    DEVIDO A GREVE BANCÁRIA EM OUTUBRO (MÊS DE MEU ANIVERSÁRIO ) NÃO CONSEGUI FAZER O RECADASTRAMENTO,ACABEI TENDO PROBLEMAS DE SAÚDE E SOMENTE DIA 30/11 REALIZEI O RECADASTRAMENTO. FIQUEI SEM PAGAMENTO EM DEZEMBRO E SEM A SEGUNDA PARCELA DO DÉCIMO TERCEIRO.
    HOJE VENDO NO SITE DA SP PREV MEU HOLERITH QUASE INFARTEI ,ALÉM DE NÃO PAGAREM MEUS ATRASADOS ,TUDO ESTA ERRADO SO PAGARAM A CARGA SUPLEMENTAR.
    POR FAVOR O QUE FAÇO ,ESTOU ME SENTIDO HUMILHADA,SEM DINHEIRO E COM DIVIDAS .

    ME ORIENTE POR FAVOR

    OBRIGADA

    FÁTIMA

    Resposta
    • 46. apeoesp  |  24/12/2011 às 14:03

      Prezada professora Fátima,
      Você deve procurar o departamento jurídico da APEOESP para que estudem a possibilidade de ação judicial.
      Bebel

      Resposta
  • 47. Cristiane Pereira de Souza  |  25/12/2011 às 14:43

    Boa tarde.
    Prezada Bebel,
    Gostaria de saber assim como a professora Regina como ficam as aulas de Educação Física e Arte no 1º ano do ensino fundamental na grade curricular de 2012. Afinal haverá aula ou não? Pois não encontrei nenhum texto sobre o assunto como foi sugerido anteriormente por você, apenas as publicações do diário oficial do dia 17 e 22/12. Agradeceria pelo esclarecimento. Desde já obrigada pela atenção.

    Cristiane

    Resposta
    • 48. apeoesp  |  25/12/2011 às 22:21

      Prezada professora Cristiane,
      Transcrevo trecho da Resolução SE 81, 2011:
      Artigo 3º – no segmento de ensino correspondente aos anos iniciais do ensino fundamental, de que trata o Anexo I desta resolução, deverá ser assegurada a seguinte carga horária:
      I – em unidades escolares com até dois turnos diurnos: carga horária de 25 (vinte e cinco) aulas semanais, com duração de 50 (cinquenta) minutos cada, totalizando 1.000 (mil) aulas anuais;
      II – em unidades escolares com três turnos diurnos e calendário específico de semana de 6 (seis) dias letivos: carga horária de 24 (vinte e quatro) aulas semanais, com duração de 50 (cinquenta) minutos cada, totalizando 960 (novecentas e sessenta) aulas anuais.
      Parágrafo único – As aulas das disciplinas de Educação Física e de Arte, previstas nas matrizes curriculares dos anos iniciais, deverão ser desenvolvidas:
      1 – com duas aulas semanais, por professor especialista na conformidade do contido no Anexo I, que integra esta resolução;
      2 – com acompanhamento obrigatório do professor regente da classe e do Aluno/Pesquisador da Bolsa Alfabetização, quando for o caso;
      3 – em horário regular de funcionamento da classe;
      4 – pelo professor da classe, quando comprovada a inexistência ou ausência do professor especialista.
      Assim, como diz o próprio secretário da Educação, vale o que está na resolução e o erro está na matriz curricular.
      Bebel

      Resposta
  • 49. Juliana  |  25/12/2011 às 20:13

    Cara Bebel
    Gostaria de manifestar a minha indignação frente a posição do sindicato contra a diminuição das aulas de matemática e português…se estivéssemos falando de um corte significativo, eu poderia entender, mas a redução de uma ou duas aulas seria mesmo tão prejudicial?
    Ora, nós sabemos bem que a qualidade do ensino não é determinada pelo número de aulas, mas sim pelas condições de trabalho dos professores.
    O número de aulas incide na qualidade quando se tem apenas uma, como é o caso de sociologia e filosofia até este ano.Nunca houve por parte do sindicato qualquer indignação com este fato (se houve por favor mostre quando e como), mas quando apareceu uma grade com menos uma aula para as ditas “disciplinas importantes” a Apeoesp se manifestou…baseado em que se acredita ser absurda a diminuição de tais disciplinas em prol de uma grade mais equilibrada e de melhores condições de trabalho para professores de outras disciplinas?Matemática e português sempre tiveram mais aulas, nem por isso temos bons resultados nessas áreas, o próprio saresp mostra isso…

    Resposta
    • 50. apeoesp  |  25/12/2011 às 22:09

      Prezada professora Juliana,
      Creio que você está mal informada sobre as lutas da APEOESP e sobre as posições do sindicato.
      Como membro do Conselho Nacional de Educação, fui eu quem pediu o parecer que tornou obrigatório o ensino de filosofia e sociologia no ensino médio. Essas disciplinas ganharam aulas, mas não achamos correto que seja às custas da redução das aulas de matemática e português, até que façamos uma discussão mais profunda sobre concepção de escola, o currículo que queremos, a identidade do ensino médio, a organização dos tempos e espaços escolares. Sem isso, tudo se resume a uma perde-ganha entre disciplinas, que não contribui para a qualidade do ensino.
      Bebel

      Resposta
      • 51. Juliana  |  26/12/2011 às 20:38

        Cara Bebel.

        Não disse que o sindicato é contra as disciplinas de sociologia e filosofia, mas que o sindicato não manifestou indignação com a situação vivida por professores de tais disciplinas enquanto as mesmas sobreviveram com apenas uma aula semanal…estou errada? De novo, se eu estiver por favor mostre-me como e quando o sindicato apresentou a ampliação da carga horária de tais disciplinas no currículo do ensino médio como pauta de luta.

        Agora não entendi…parece contraditório…você diz ser a favor das disciplinas de sociologia e filosofia, mas somente desde que sua inclusão (em com condições dignas) no currículo não se dê “as custas da redução de matemática e português”. Oras, se estas são as disciplinas com maior carga horária, de onde mais se poderia tirar espaço para as disciplinas historicamente renegadas?

        Se a discussão mais aprofundada não foi feita (como você bem lembrou na postagem acima), baseado em que o sindicato se colocou contra uma grade mais equilibrada?
        A minha pergunta não foi ainda respondida…insisto, baseado em quais pesquisas ou argumentos este sindicato crê que seja prejudicial uma pequena diminuição das aulas semanais de matemática e português?

      • 52. apeoesp  |  27/12/2011 às 15:06

        Prezada professora Juliana,
        Você tocou no ponto. Não se pode ampliar disciplinas reduzindo outras que são igualmente importantes. A autoridade para promover uma discussão que tenha coragem de também debater a organização dos tempos escolares (como a duração de cada aula, por exemplo) é a Secretaria da Educação. Se não o fizer, vamos continuar nesse jogo de perde-ganha entre disciplinas, o que não contribui para melhorar a qualidade do ensino.
        Bebel

  • 53. Marcos  |  26/12/2011 às 01:28

    Prof: Marcos
    Sou professor de Matemática e penso que foi correto a diminuição, e uma equilibração das disciplinas. Eu sei muito como é isso, pois dou muitas aulas em uma sala, e percebo que fica desgastada o professor e aluno, muitos colegas acharam ruim a diminuição pelo próprio corporativismo, sem levar em quanta o beneficio de disciplinas tão ou até mais importante.

    Resposta
    • 54. Glaucia  |  02/01/2012 às 14:41

      Ótimo professor também sinto a mesmo. O grande problema do ensino no Estado de São Paulo é o corporativismo, em todos os setores principalmente naqueles que deveriam nos defender.

      Resposta
      • 55. apeoesp  |  03/01/2012 às 13:07

        Prezada professora Gláucia,
        Não vejo que “o grande problema” seja o corporativismo. O sindicato é, por definição, corporativo; nasceu para defender a corporação que representa. Mas, no caso da APEOESP, temos profundo compromisso com a qualidade do ensino. Desta forma, defendemos os interesses dos professores sempre tendo em perspectiva quanto e como nossa atuação pode contribuir para a melhoria da escola pública. Exemplo: melhores condições de trabalho nos beneficiam, mas repercutem na melhoria do ensino. Melhores salários também, pois no permitem permanecer numa só escola, o que beneficia o aluno.
        Para nós, “o grande problema” da educação são políticas educacionais desconexas com a realidade das nossas escolas e o descompromisso dos governos, que pouco nos ouvem e pouco consideram as necessidades reais de professores, pais e alunos.
        No caso da questão curricular, se o governo tivesse aberto um debate verdadeiro, não apenas de uma matriz já pronta, os resultados poderiam ser muito melhores. Ainda há tempo de fazê-lo.
        Bebel

  • 56. ENIO ROMEU DOS SANTOS  |  26/12/2011 às 12:45

    quero saber bebel como vão ficar as aulas de historia no ensino fundamental? serão 3 por semana? esclareça está duvida. e no ENSINO MÈDIO como ficarão historia?

    Resposta
    • 57. apeoesp  |  26/12/2011 às 14:02

      Prezado professor Enio,
      No ensino fundamental serão 4 aulas de história por semana e, no ensino médio, 2.
      Bebel

      Resposta
  • 58. Roseli  |  26/12/2011 às 18:16

    Será que Geografia será também 4 para o fundamental e 2 para o médio. Isso é geral ou depende da diretoria de ensino

    Obrigada

    Resposta
    • 59. apeoesp  |  27/12/2011 às 15:03

      Prezada professora Roseli,
      No ensino fundamental diurno, são 4 aulas em todos os anos. No noturno, 2 na 6ª e 3 nas demais. No ensino médio, são 2 no diurno em todas as séries e noturno 2 nas duas primeiras séries e 1 na 3ª série.
      Isto não varia de acordo com a DRE.
      Bebel

      Resposta
  • 60. prof Silva  |  27/12/2011 às 18:34

    O texto está equivocado, a Resolução nº 81 é de 2011 e publicada em 16/12/2011.

    Resposta
    • 61. apeoesp  |  27/12/2011 às 19:38

      Prezado professor Silva,
      Você tem razão. O texto foi corrigido. Obrigada.
      Bebel

      Resposta
  • 62. Juliana  |  27/12/2011 às 20:46

    Olá Bebel, ainda sobre a nova grade curricular…vejo que minha pergunta não foi respondida: afinal com base em quais estudos e argumentos o sindicato se coloca contra a redução do número de aulas de matemática e português em prol de um currículo mais equilibrado?
    Considerando que matemática e português estão presentes desde as primeiras séries, sempre em maior número, e que mesmo assim, os níveis de proficiência vêm decepcionando e revelando a total ausência de um projeto que objetive o fortalecimento e o crescimento qualitativo do ensino público, penso ser realmente infundada e absurda essa insistência em manter intocáveis o número de aulas de tais matérias. Aliás, conheço vários professores dessas matérias que são a favor da redução do número de suas aulas.
    Será que além de dominar o currículo, os interesses dos professores de matemática e português estão também dominando a pautada Apeoesp? Afinal, se são maioria na rede, devem ser também parte significativa dos sindicalizados/representados pela instituição.
    Espero que este espaço com tantos acessos comemorados venha a se constituir de fato como instrumento de troca, de debate, de esclarecimento, enfim, um ambiente que fortaleça as lutas do professorado.

    Resposta
    • 63. apeoesp  |  27/12/2011 às 21:54

      Prezada professora Juliana,
      Sua pergunta foi, sim, respondida. A diretoria da APEOESP não pretende manter intocadas disciplinas, mas também é contrária a reduzir disciplinas sem que faça uma discussão sobre concepção de escola, currículo e, também, a própria organização dos tempos e espaços escolares.
      Bebel

      Resposta
      • 64. Juliana  |  28/12/2011 às 01:28

        Vocês responderam, mas não vi uma explicação coerente e objetiva para a questão que coloquei. Continuo sem conhecer o que de fato se pensa sobre o assunto.

        Que tipo de ajuste está sendo proposto pelo sindicato?
        Qual é a alternativa para construção de um currículo mais equilibrado, diverso, que esteja em consonância com a proposta de construção de cidadãos críticos e de valorização do ensino/escola/professor?

        Se estes pontos ainda não foram discutidos, não faz sentido opor-se a redução na carga de port. e mat. (a opção a curto prazo).

      • 65. apeoesp  |  28/12/2011 às 11:53

        Prezada professora Juliana,
        A resposta que você procura não pode ser dada no pequeno espaço de comentários deste blog. Recomendo que leia no site do Conselho Nacional de Educação o •Parecer CNE/CEB nº 5/2011, aprovado em 5 de maio de 2011 (novas diretrizes curriculares nacionais para o ensino médio), que contém boa parte do que pensamos sobre o assunto, exceto no que tange á possibilidade de ensino à distância, do qual discordamos neste contexto. Acredito que seja exatamente o inverso do que você diz: se não discutirmos as questões de fundo, conceituais, como concordar que se reduza a carga horária de disciplinas importantes?
        Bebel

  • 66. ENIO ROMEU DOS SANTOS  |  27/12/2011 às 23:12

    PREZADA SENHORITA BEBEL. Na sala dos professores de vez em quando perguntamos qual a quantidade de professores que se APOSENTAM ATÉ O DIA 31 DE DEZEMBRO DOS ANOS. GOSTARIA DE SABER SE EXISTE ALGUM SITE que mostrasse as estasticas de HISTORIA , GEOGRAFIA POR EXEMPLO. DESDE JA AGRADEÇO.

    Resposta
    • 67. apeoesp  |  28/12/2011 às 12:07

      Prezado professor Enio,
      Não temos conhecimento de um site com essas informações, mas tentaremos consegui-las junto à SPPREV ou à CGRH (ex-DRHU), da Secretaria da Educação.

      Resposta
  • 68. Paulo Cezar dos Santos  |  29/12/2011 às 10:12

    Bom dia !! Bebel, estou indignado com essa nova grade curricular , que mais uma vez prejudica os professores de geografia, filosofia, e sociologia, reduzindo o numero de aulas do noturno e complicando a nossa vida , pois ja não basta termos pessimas condições de trabalho , temos ainda que lecionar em duas ou tres escolas para completar uma carga minima de aulas, agora a impressão que eu tenho como associado da APEOESP , é que se defende alguns e outros ficam prejudicados, mais uma vez sinto que sindicato nada está fazendo em prol dos professores dessas disciplinas, pois não entendo o porque das aulas de matemática e L. P. serem aumentadas no curriculo noturno sendo que quantidade n ão garante qualidade, pois se fosse assim, não teriamos alunos saindo do ensino médio sem saber matematica ou ler e escrever , sempre fui participante das atividades da apeoesp, mas percebo que luto pra ser prejudicado como professor de geografia que sou, e sinto na pele o pouco caso que estão fazendo com minha area de atuação e as demais , por isso estou desapontado e estou me desfiliando deste sindicato que no meu ponto de vista infelizmente não tem valorizado essas disiciplinas e os professores associados destas disiciplinas de humanas, já que Matematica e Lingua portuguesa são as principais e merecem mais espaço na grade penso que nós professores de humanas que estamos perdendo sempre deveriamos nos desfiliar da APEOESP já que não temos importacia alguma para Estado e para o Sindicato

    Resposta
    • 69. apeoesp  |  29/12/2011 às 14:48

      Prezado professor Paulo Cezar,
      Respeito a opinião de todos os que aqui se manifestam, mas não posso concordar com suas conclusões sobre a APEOESP, pois não correspondem à verdade. Seguindo seu raciocínio, para defender que houvesse mais aulas para algumas disciplinas a partir de agora teríamos que concordar com a redução de outras, como foi a proposta anterior da SEE. Estaríamos sempre, segundo seu raciocínio, “defendendo uns contra os outros”, porém, eventualmente, estaríamos beneficiando a sua disciplina. Nesse caso, você não estaria tão indignado, não é? Isto ocorre porque a questão não é essa. Não podemos concordar que a matriz curricular se torne uma guerra entre disciplinas. Precisamos fazer uma discussão sobre concepção de escola, currículo, organização dos tempos e espaços escolares. O governo precisa assumir esta discussão para que, como seu resultado, tenhamos um currículo equilibrado sem prejudicar a qualidade de ensino e os alunos.
      Bebel

      Resposta
  • 70. Paulo Cezar dos Santos  |  29/12/2011 às 10:27

    lendo alguns comentarios acima, percebi que a posição do sindicato é a mesma da secretaria da Educação, em desvalorizar os professores de humanas, não se importando nenhum um pouco se haverá colegas que ficarão sem aulas, quando vc Bebel fala do perde e ganha com a redução aulas , você não esclarece quem perde , pois Geografia , Filosofia e Sociologia , são disciplinas que ajudam os alunos a terem um formação moral, civica e conceitual, coisa que em outras disciplinas não ocorre, creio que equivoco maior está sendo seu, pois a muitos anos Matemática e Lingua Portuguesa compõem a maior parte da grade curricular , e nem por isso os alunos têm se saido bem nas avaliações externas estaduais e federais, fracamente não da confiar realmente na APEOESP ,.

    Resposta
    • 71. apeoesp  |  29/12/2011 às 14:44

      Prezado professor Paulo Cezar,
      Lamento e acho injusto que você compare nossa posição com a da Secretaria da Educação. Há anos vimos lutando para que seja feita uma discussão curricular séria e profunda sobre currículo e matriz curricular no Estado de São Paulo, o que o governo nunca encaminhou. Nossa posição é muito clara: sem essa discussão profunda, que reorganize o curriculo e a estrutura dos tempos escolares (eventualmente até mesmo reduzindo a duração de cada aula), não há como fazer caber todas as disciplinas importantes. Do contrário, é apenas tirar aulas para colocar outras, prejudicando de uma forma ou de outra oa alunos, os professores e a qualidade de ensino.
      Bebel

      Resposta
      • 72. Juliana  |  29/12/2011 às 19:36

        Prejudicando alunos? Por que? Quem está diariamente em contato com os alunos sabe bem qual é a posição da garotada sobre essa imensa quantidade de aulas de port. e mat. … não é hora de considerar também a fala e os pontos de vista deles?

        Não é hora de fazer uma avaliação não corporativista de anos e anos de um currículo de prioriza o ensino técnico e utilitarista efetivado primeiramente por uma grade fundamentada na suposta “maior complexidade e importância” de tais disciplinas (mat/port)?

        Prejudicar os professores? Que professores?Não entendi, prof. de port. e mat. seriam prejudicados por terem que completar carga em mais de uma escola? É isso?

        Prejudicar a qualidade do ensino? Por que prejudicaria? Se até hoje, com uma quantidade enorme de port.e mat. o ensino não vem apresentando níveis minimamente aceitáveis de qualidade?

        Aliás…a qualidade do ensino depende mesmo tanto assim da quantidade de aulas de português e matemática, uma vez que as competências e habilidades essencialmente desenvolvidas por estas são também trabalhadas no restante das disciplinas?

        Espero ansiosa as respostas.

      • 73. apeoesp  |  31/12/2011 às 15:16

        Prezada professora Juliana,
        Creio já ter exposto o posicionamento da APEOESP. Não aceitamos mudanças curriculares que retirem carga horária de disciplinas fundamentais sem a promoção de um debate amplo, conceitual e profundo sobre ensino, escola, currículo, matriz curricular, organização dos tempos e espaços escolares. É questão de método e justiça para com professores e alunos.
        Já existem parâmetros e novas diretrizes curriculares que permitem esse debate.
        Bebel

  • 74. Juliana  |  29/12/2011 às 19:26

    “Acredito que seja exatamente o inverso do que você diz: se não discutirmos as questões de fundo, conceituais, como concordar que se reduza a carga horária de disciplinas importantes?
    Bebe”

    Bebel, veja que enorme contradição na fala do sindicato!

    Se o debate não foi feito, como se posicionar contra a redução do “latifúndio” curricular representado pela gigantesca disparidade entre número de aulas de mat./port. e das outras disciplinas?

    Há na postura do sindicato e em suas colocações sobre o tema a crença numa suposta hierarquia entre as disciplinas…afinal, se não há debate suficientemente aprofundado sobre a reorganização curricular, então por que se colocar imediatamente contra uma pequena redução de mat./port. que significaria um salto importante ruma a um currículo mais rico e equilibrado?

    Não entendi ainda por que o sindicato insiste em subjugar a inteligência dos professores e expor argumentos tão ruins para suas ações, aqui especialmente sobre a alteração na grade.

    Estou ansiosa por um resposta que demonstre que eu estou equivocada, mas até o momento o que vi foram tentativas frustradas de abafar a discussão e de convencer o professorado de que este sindicato não representa uma parcela específica da categoria, tarefa complicada frente as ações concretas da instituição.

    Resposta
    • 75. apeoesp  |  31/12/2011 às 15:12

      Prezada professora juliana,
      Não há mais o que acrescentar nesse debate neste momento. Você defende maior espaço para a sua disciplina, o que é legítimo. Professores de outras disciplinas lutam para que não haja redução, o que é igualmente legítimo. Vamos ficar nesse disputa? Ou vamos fazer uma discussão maior, que permita contemplar todas as disciplinas importantes, inclusive estabelecendo a interdisciplinaridade? Sua indignação devia se voltar contra as autoridades educacionais, que não ousam, não promovem o debate e criam essa “guerra” entre disciplinas e não contra o sindicato.
      Bebel

      Resposta
  • 76. Antonio  |  30/12/2011 às 16:11

    Sou pai de aluno do ensino médio e concordo com o governador em não diminuir as aulas de português e matemática. Essas disciplinas são importantes para o bom desempenho no vestibular. Geografia, história, entre outras o bom aluno aprende com ou sem professor. Basta ler e ter dedicação.

    Resposta
    • 77. andre  |  31/12/2011 às 15:10

      Senhor Antonio, discordo de seu pensamento, Primeiro que no vestibular o conteúdo não abrange somente matemática ou português, mas uma gama muito mair de disciplinas. Em segundo lugar sua visão sobre a didática do estudo de geografia e história é completamente absurda, seu comentário não se baseá a nenhuma teoria, pelo contrario é arraigado de uma extrema ignorância, da qual padece outros tantos que desconhecem sua história e continuam a servir de cabresteamento político por ser facilmente manipulado pelos meios de comunicação vinculados a defender o Estado, no qual os sustenta para tal finalidade. Diria a senhor ainda que todas as ciências merecem ter um mestre, pois o despertar da leitura e do conhecimento nasce do incentivo, provem do apaixonado pela sua profissão, que atua com o sentimento de criar a curiosidade, de levar e enaltecer o vinculo com a investigação, refletir, analisar e concluir que não exite verdade absoluta, fruto da dialética, que no exercício da mesma reconstruir a história dos fatos, dos acontecimentos para entender sua magnitude além do discursos dos heróis, mas sobre tudo enxergar o que o povo tem a dizer, para trazer a tona sobre todas as coisas a luz da razão. Mas além disso, queria sugerir ao senho a seguinte reflexão, Será que sem a presença de um estudioso, de um mestre, uma criança na 8º série capaz de distinguir a teoria nazifascista, ou seria capaz de concordar com a mesma, mesmo sendo descendeste de judeu? Qual interpretação um adolescente pode fazer ao ler em sue livro, a frase: ” Getúlio Vargas o pai do pobres”? Por ultimo, se sua teoria é infalível, porque o exercício da cidadania, baseado no direito e na democracia, relevando ao interesse politico e da nação se acostumou a corrupção nos poderes legislativo e executivo de nosso país? Você sabe me dizer porque os adolescentes maiores de 16 não procuram participar das eleições do país? De mais fica a dica, quando quiser estou a disposição para o senhor por em pratica sua teoria na escola que trabalho se houver eficiência, quem sabe não trocamos de emprego!

      Resposta
    • 78. Glaucia  |  02/01/2012 às 14:34

      Qual sua profissão e grau de estudo?
      Gostaria de conhecer seu filho no futuro, ler e ter dedicação é ber fundamental para tudo na vida, inclusive para saber escrever ‘HISTÓRIA” em maiúsculo, seu professor de português é péssimo mesmo, com tanta dedicação, mas uma Professora de Geografia esta lhe lhe explicando isto.

      Resposta
  • 79. sandra  |  02/01/2012 às 11:59

    Sou mae de aluno do ensino medio e nao concordo com o governo atual nem com o anterior, so fizeram estragos na educaçao, a progressão da maneira como e empregada serve para produzir analfabetos funcionais, as disciplinas devem ser distribuidas igualmente, leia a historia da educaçao e sabera o reflexo da nossa atual situaçao. Acredito que nao basta ler e ter dedicaçao pai, penso que deveriamos cobrar desse governo espaços fisicos adequados, salas ambientes com tecnologia e professores com bons salarios e cursos continuos para levar nossos filhos a serem mais criticos e conscientes da nossa realidade.

    Resposta
    • 80. apeoesp  |  02/01/2012 às 13:48

      Prezada professora Sandra,
      Concordo com a senhora. É justamente essa discussão e essa mobilização pela qualidade do ensino que deve unir pais, professores, alunos e toda a comunidade.
      Bebel

      Resposta
    • 81. Glaucia  |  02/01/2012 às 14:39

      Isto mesmo mãe, não devemos desmerecer umas disciplinas em função de outras, os valores mudaram o mundo mudou apenas nosso ensino continua o mesmo, em vários países comprometidos verdadeiramente com a educação já fizeram adequação de sua grade este país governado por analfabetos funcionais e intencionais ainda patina neste assunto.

      Resposta
  • 82. Luis Henrique de Souza  |  03/01/2012 às 06:33

    É incrível. Os professores de matemática e de português que com tantas aulas não conseguem fazer com que as crianças saibam ler, escrever nem fazer contas muito simples ganharam mais aulas ainda! Dessa forma os alunos irão sair da escola analfabetos! Ou eles já saem?

    Resposta
    • 83. apeoesp  |  03/01/2012 às 14:31

      Prezado professor Luiz Henrique,
      Acredito que você escreva sob o calor de um debate que não está sendo feito corretamente pela Secretaria da Educação. É incrível que, sendo professor, você generalize uma avaliação sem nenhum critério sobre o trabalho de seus colegas de profissão. Será que é realmente culpa dos professores de matemática e português os maus resultados dos alunos. Não haverá inadequação das políticas educacionais, dos conteúdos curriculares, das condições de trabalho, da jornada de trabalho? E se houvesses avaliações externas quanto às demais disciplinas, na mesma escala, os resultados seriam melhores?
      Acredito que é preciso fazer a discussão de uma maneira coletiva e construtiva, na qual professores das diversas disciplinas não disputem entre si desta maneira.
      Bebel

      Resposta
  • 84. Celso  |  03/01/2012 às 22:24

    Pelo visto o governo conseguiu o que queria!!!!!!! É melhor cada um respeitar o trabalho do outro. Não são com ofensas que conseguiremos nos aprofundar nessa discussão. As mudanças com certeza ocorrerão aos poucos. Afinal, todas as disciplinas são importantes. A única diferença é que uma requer mais tempo que outra. FORA PSDB!!!!!!!!

    Resposta
    • 85. apeoesp  |  04/01/2012 às 17:30

      Prezado professor Celso,
      Se o que o governo quer é não cumprir a liminar, ainda não conseguiu. Ela continua em vigor e essa questão não faz parte, mesmo, da resolução de atribuição de aulas. O assunto tem que ser tratado em resolução específica.
      Bebel

      Resposta
      • 86. Celso  |  05/01/2012 às 01:00

        comentei em relação as intrigas entre colegas devido a grade curricular…..

      • 87. apeoesp  |  06/01/2012 às 12:22

        Prezado professor Celso,
        Pelo que temos registrado, seu comentário foi publicado.
        Bebel

  • 88. Jairo  |  08/01/2012 às 20:14

    Gostaria de saber se o professor (categoria F) que não conseguiu atingir a nota minima exigida, poderá participar da atribuição de aula normal.

    Resposta
    • 89. apeoesp  |  08/01/2012 às 22:21

      Prezado professor Jairo,
      Apenas ao longo do ano, após os professores que atingiram a nota.
      Bebel

      Resposta
  • 90. Suze  |  15/01/2012 às 13:55

    Olá, gostaria de uma informação, de acordo com a nova grade curricular do ensino fundamental a disciplina de ciências passa a ter 4 aulas semanais por classe, tendo em vista que para efetivação escolhi 25 aulas,pois as opções eram 12 reduzida, 20, 25, e carga completa.
    No dia 23 da atribuição vou ter que pegar obrigatóriamente 28 aulas ? ou posso ficar com 24 pois acumulo e estou preocupada
    Desde já Obrigada
    Prof Suze

    Resposta
    • 91. apeoesp  |  15/01/2012 às 19:25

      Prezada professora Suze,
      Sim, se houver aulas disponíveis.
      Bebel

      Resposta
  • 92. Jairo  |  17/01/2012 às 21:40

    Gostaria de saber se a redução de jornada e aumento de HTPCs entrará em vigor na próxima atribuição.

    Resposta
    • 93. apeoesp  |  17/01/2012 às 22:05

      Prezado professor Jairo,
      Isto é o que determina a liminar da justiça. O Estado é obrigado a cumpri-la.
      Bebel

      Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 3,234,695 hits

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 422 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: