Secretaria Escolar Digital e descontos de faltas de professores doentes

Não aceitamos autoritarismo e sobrecarga de trabalho. Se o governo quer a digitalização dos registros escolares devem oferecer condições para esta tarefa. APEOESP ingressará com ação judicial contra esta imposição.informa urgente 300616informa urgente 3006161Informa urgente 3006162Informa urgente 3006163

01/07/2016 at 13:48 Deixe um comentário

Perseguição política: Governo de SP corta consignação da APEOESP

apeoesp23417De forma arbitrária, alegando supostas razões técnicas, o Governo do Estado de São Paulo, por meio da São Paulo Previdência e Secretaria da Fazenda, suspendeu o desconto em folha das mensalidades dos aposentados associados à APEOESP e ameaça no prazo de 30 dias suspender também os descontos das mensalidades dos associados da ativa, além de multar nossa entidade em R$ 270.000,00.

Por isso, apelamos neste momento aos nossos associados que são aposentados para que paguem a mensalidade por meio de boletos bancários que estão sendo enviados para suas residências.

Denunciamos de forma veemente este ataque do Governo do PSDB ao nosso sindicato, uma tentativa de inviabilizar o funcionamento de uma entidade que luta cotidianamente em defesa dos professores e das professoras e por uma escola pública de qualidade, confrontando medidas e projetos deste Governo que prejudicam os profissionais da educação, as comunidades escolares e a população. Estamos recorrendo dessas medidas do Governo do Estado e iremos às últimas instâncias judiciais para defender nossos direitos.

A APEOESP é o maior sindicato do país e um dos maiores do mundo, construído pelos professores para representar a categoria, defender seus interesses e lutar por educação pública de qualidade para todos e todas.
Nosso sindicato não depende do imposto sindical. Ele é sustentado pela contribuição voluntária de cada professor e de cada professora, da ativa e aposentados(as). Por isso, mantemos independência em relação ao Estado, aos partidos políticos, às igrejas e toda e qualquer organização alheia ao nosso movimento. Assim, organizamos as lutas da nossa categoria buscando a participação de todos e todas, nas escolas, nas atividades organizadas pelas subsedes, nas assembleias, conferências, congressos e todas as demais instâncias que deliberam sobre nossas lutas e campanhas.

Na luta para defender os direitos e reivindicações da nossa categoria, a APEOESP negocia, mobiliza, utiliza os recursos judiciais disponíveis, mas não hesita em liderar greves e paralisações sempre que necessário. Isto incomoda governos autoritários, que não prezam a democracia e não cumprem com sua obrigação de dialogar com os professores e professoras e com as comunidades escolares.

Alckmin age como na ditadura militar
Pensávamos que não veríamos novamente um recurso tão baixo como este ser utilizado contra o nosso sindicato, como fez o ex-Governador biônico Paulo Maluf, escolhido de forma indireta pela ditadura militar. Em 1979, Maluf cortou o repasse das mensalidades da APEOESP, exatamente como está fazendo agora o Governo Alckmin. Apostou no enfraquecimento da entidade com a redução do número de associados. Ele queria o fim do nosso sindicato. Não conseguiu. Foi um processo difícil, mas os professores continuaram pagando suas mensalidades e a entidade cresceu e se fortaleceu ainda mais.

Não vão nos calar!
Com assédio moral, repressão e intransigência sucessivos governos tentam calar a APEOESP. Mas nossa entidade não se enverga, não se intimida, não se ajoelha. Assim ocorreu na histórica greve de 92 dias que realizamos em 2015 por melhores salários e condições de trabalho, quando o Governo Estadual cortou o pagamento dos salários para asfixiar o movimento. Fomos ao Supremo Tribunal Federal e obrigamos o Estado a pagar os dias parados. O Governo utilizou-se também de processos judiciais e ameaças de multas no valor de R$ 100.000,00 diários para impedir que utilizássemos formas de pressão como ocupação de rodovias e avenidas. Proibiu judicialmente até mesmo que entrássemos nas escolas durante a greve.

Na luta contra a “reorganização” da rede estadual de ensino, em 2015, o Governo Estadual ingressou com dezenas de ações judiciais em todo o estado de São Paulo para forçar a desocupação de mais de 200 escolas nas quais o movimento unitário de professores, estudantes, pais e movimentos sociais resistia ao projeto do Governo. Para tanto, ameaçava a APEOESP novamente com multas diárias de R$ 100.000,00 por escola ocupada. Não cedemos. Recorremos das multas, mantivemos nossa participação no movimento e, juntamente com os demais segmentos, derrotamos o Governo. Em 12/12/2015 a justiça suspendeu a reorganização.

Em defesa da liberdade de organização sindical
Convocamos nossa categoria, o movimento sindical e a sociedade civil organizada a se manifestarem contra esse ataque ao direito de organização sindical, que hoje atinge a APEOESP, mas poderá amanhã atingir outras entidades. Por isso, vamos criar alternativas para que todos os professores associados que o queiram fazer possam realizar seus pagamentos de mensalidades diretamente ao sindicato.

De nossa parte, denunciaremos esta agressão em todos os fóruns e organizações a que tivermos acesso, nacionais e internacionais, bem como a todos os meios de comunicação possíveis. Ameaças, truculência e tentativas de inviabilizar financeiramente nossa entidade não vão nos calar. A APEOESP continuará sua luta, sempre. Juntos, unidos, solidários, organizados nós, professores e sociedade, somos muito fortes.

Maria Izabel Azevedo Noronha
Presidenta da APEOESP

01/07/2016 at 00:20 Deixe um comentário

Polícia Civil do DF invadiu o MEC. Um professor de SP encontra-se desaparecido.

DENÚNCIA!
A Polícia Civil do Distrito Federal invadiu o prédio do MEC, onde professores e professoras de todo o país permanecem ocupando. A ação é irregular, pois o prédio é de jurisdição federal. Um professor de Poá que estava no prédio encontra-se desaparecido. A truculência do governo golpista e ilegítimo de Michel Temer e seus aliados só aumenta a cada dia.

29/06/2016 at 14:25 Deixe um comentário

Professores ocupam o MEC em Brasília

Convocados pela CNTE professores de todo o Brasil ocupam o Ministério da Educação em Brasília no Dia Nacional de Mobilização contra os cortes de verbas, em defesa da democracia, pela qualidade da Educação, valorização profissional e demais reivindicações. Desde que assumiu, o Governo ilegítimo de Michel Temer ataca sistematicamente as conquistas sociais, destacadamente na educação e na saúde.
A APEOESP também está presente.
mec 1mec 2mec 3mec 5mec 4

29/06/2016 at 13:51 Deixe um comentário

Editorial do “Estadão” sobre a CPI da Merenda

Até a mídia conservadora sabe que o Governo do Estado montou essa CPI para sair do foco das investigações.

[SP_A - 1]  ESTADO/PRIMEIRA/PAGINAS ... 29/06/16

29/06/2016 at 13:50 Deixe um comentário

Temer ataca a democracia e anula nomeações de Dilma ao Conselho Nacional de Educação

Fruto do golpe que afastou a Presidenta Dilma Rousseff, legitimamente eleita pelo povo brasileiro, o governo do senhor Michel Temer comete seguidos ataques à democracia e impõe inaceitáveis retrocessos ao país.

Hoje, 28 de junho de 2016, foi publicado no Diário Oficial da União decreto assinado por Michel Temer e José Mendonça Bezerra Filho anulando as nomeações para o Conselho Nacional de Educação realizadas pela Presidenta Dilma Rousseff em 10 de maio de 2016, em pleno exercício de seu mandato constitucional. Um absurdo que não pode ser tolerado pela sociedade brasileira.

O povo brasileiro lutou e luta para construir um sistema democrático que assegure a todos o pleno exercício da cidadania. O decreto hoje publicado é ilegal, tendo em vista que as nomeações seguiram todos os trâmites exigidos pela legislação, tendo sido meu nome indicado, no prazo legal, por pelo menos quatro entidades nacionais para compor o CNE.

A atitude tomada pelo Presidente em exercício configura perseguição política. No meu caso, certamente pesa o fato de que me conduzo sempre de acordo com o compromisso intransigente com a defesa de uma escola pública, gratuita, inclusiva, de qualidade para todos, algo intolerável para um governo que pretende reduzir investimentos e promover a privatização da educação pública no Brasil.

Fui membro do Conselho Nacional de Educação durante oito anos, de 2006 a 2014, chegando a ocupar a Vice-Presidência da Câmara de Educação Básica. Durante todo este período, tive a oportunidade de contribuir para o aperfeiçoamento da educação nacional, participando de comissões e elaborando indicações, pareceres e resoluções, tendo sempre como referência o acesso de todos à educação pública de qualidade. Neste período, tive três Pareceres e resoluções homologados pelos Ministros da Educação então em exercício.

Denuncio, portanto, este ato autoritário deste governo ilegítimo. E reafirmo: não se trata de uma medida isolada; trata-se, sim, de mais um componente de um ataque sistemático à democracia brasileira.

Maria Izabel Azevedo Noronha
Presidenta da APEOESP

28/06/2016 at 13:52 Deixe um comentário

SEE suspende alterações na sala de leitura

 

Sala de leitura e biblioteca da EMEF, Escola Municipal de Ensino Lourdes de Oliveira Colnaghi. 13-06-2014

Nos últimos dias a APEOESP recebeu muitas reclamações de professores em razão do anúncio da SEE de que faria novas atribuições para as salas de leitura exclusivamente para professores readaptados, retirando deste projeto os demais professores, entre eles os da categoria F. A APEOESP comunicou-se com a SEE e incluiu o assunto entre os que deveriam ser tratados em reunião que estamos buscando agendar com o Secretário.

Hoje, 24/6, a SEE emitiu comunicado suspendendo as atribuições. Leia a íntegra do comunicado:

Prezados Srs. Dirigentes Regionais de Ensino,
A Coordenadoria de Gestão de Recursos Humanos, em complementação aos Boletins Informativo CGRH – Edições 13 de 13/06/2016 e 14, de 20/06/2016 – comunica que, até nova orientação, está suspensa a aplicação dos procedimentos para atribuição das Salas de Leitura aos docentes readaptados, constante dos referidos Boletins.
Informamos que, em decorrência das sugestões apresentadas pelas Diretorias de Ensino, daremos início às discussões sobre o tema para estabelecer os procedimentos quanto à atribuição de 2017, em conjunto com a Coordenadoria de Gestão da Educação Básica e a participação da Equipe de Supervisão das Diretorias de Ensino.
CEMOV/DEAPE
CELEP e CEQV/DEPLAN SEE

25/06/2016 at 02:22 5 comentários

Posts antigos


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,300,308 hits

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 564 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: