SEE deseduca ao descumprir decisão judicial

20/01/2012 at 14:24 110 comentários

A resolução SE 8, de 2012, publicada no Diário Oficial do Estado em 20/01, desrespeita a um só tempo os professores, a lei federal 11.738/2008 (lei do piso salarial profissional nacional), o Tribunal de Justiça de São Paulo e também os estudantes da rede estadual de ensino.

A decisão do secretário da Educação, Herman Voorwald, de não cumprir uma decisão judicial é uma atitude autoritária que deseduca, pois remonta à triste época da ditadura militar, que a sociedade brasileira já superou.  Um exemplo deste autoritarismo é sua postura na reunião que manteve com as entidades do magistério em 19/01, na qual disse que apenas comunicaria sua decisão, sem nenhum tipo de debate ou diálogo.

Em declaração à imprensa o secretário diz que a rede compreenderá a proposta e os sindicatos não. Ora, descumprindo a liminar conquistada pela APEOESP, ao reduzir apenas uma aula na jornada semanal do professor e, ainda por cima, aumentar a carga horária da jornada integral para 48 horas semanais, o secretário demonstra que é ele que não conhece e não compreende as necessidades da rede de ensino de São Paulo. Mais: o nosso sindicato, a APEOESP, é formado pelos professores da rede. Portanto não existe essa contradição entre a rede e o sindicato.

Queira ou não o secretário, quem representa os professores da rede estadual de ensino é o sindicato. Pretender excluir o sindicato de qualquer debate sobre decisões cruciais para a nossa categoria e para a escola pública é um postura autoritária já presente em secretários anteriores. Nós, da APEOESP, temos know-how em lidar com este tipo de postura. A rede estadual de ensino não precisa de um secretário igual aos outros, mas de alguém que ouça os professores em sintonia com suas organizações e não à sua revelia, que dialogue, que negocie, que busque soluções que atendam aos problemas reais da comunidade escolar.

O fato é que o secretário da Educação parece não possuir experiência administrativa para estar à frente de uma secretaria das dimensões e complexidade da SEE e não ter disposição para a negociação e para o diálogo.

Nas declarações à imprensa o secretário destaca o custo da implementação de sua resolução, assim com havia destacado em outros momentos o custo da implementação da lei da forma correta como entendemos. Parece ser esta a principal motivação do governo para descumprir a liminar, Vamos ver se a rede vai realmente gostar da sua proposta.

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

APEOESP ajuizará ações individuais pela aplicação da jornada da lei do piso JUIZ DETERMINA QUE A SEE CUMPRA A LIMINAR DA LEI DO PISO EM 48 HORAS

110 Comentários Add your own

  • 1. andre  |  20/01/2012 às 14:43

    O que nos resta, devemos fazer greve!
    lutar para mudar a sigla que nos governa, gente sem preparo, que favorece apenas a burguesia.

    Responder
  • 2. Prof. Pedro (Diadema)  |  20/01/2012 às 14:45

    Professora Maria Izabel Noronha!
    Hoje e sempre, devemos ter em nossas intervençoes nos debates a forma autoritaria do governo tratar os professores e a sosciedade como um todo. Num comentario anterior, afirmei que a resolução 89 era autoritaria e cheia de armadilhas. Você respondeu que alguns pontos eram bandeiras de luta e conquistas, eu não entendia assim, mas como mero associado e lutador não pude fazer muito pelos os meus argumentos…
    Agora você deve entender que eu estava com a razão!
    Aquela proposta de não iniciar o ano letivo feita por você vai decolar?
    A greve é e sempre será o instrumento para conquistar direitos e fazer valer as bandeiras de lutas.
    O juridico é importante mas não o primeiro instrumento de luta.
    Você não acha que a proposta de uma greve para a segunda semana de fevereiro, após um debate com a comunidade escolar, professores, alunos e as demais entidades envolvidas taria um peso
    importante? Lógico, votado nas assembleias de 2011.
    Acredito que este seria o caminho para desmoralizar o governo.
    Grato
    Prof. Pedro (Diadema)

    Responder
    • 3. apeoesp  |  21/01/2012 às 17:20

      Prezado professor Pedro,
      O juiz determinou prazo final de 48 horas para que liminar seja cumprida. Não tenho dúvidas de que este governo é autoritário, mas estamos lutando contra todas as suas medidas e, se necessário e houver condições objetivas para isto, vamos, sim, à greve.
      Bebel

      Responder
  • 4. kellysouzap  |  20/01/2012 às 14:45

    Sra Maria Izabel:

    Diante de todos esses absurdos, há tempo ainda para se tentar fazer algo, no sentido de “obrigar” a SEE obedecer corretamente a liminar?

    Obrigada.

    Responder
    • 5. apeoesp  |  21/01/2012 às 18:26

      Prezada professora Kelly,
      O juiz fez isto.
      Bebel

      Responder
  • 6. Clara  |  20/01/2012 às 14:45

    Minha atribuição é agora às 15h. Não tenho como não participar dela… Além do risco de não conseguir nada com mandado (assim como o sindicato nunca consegue) e me ferrar, estou no probatório…
    Há dias as nuvens negras do que estava para acontecer, estavam evidentes, eu mesma enviei neste blog, meus medos referentes a isso e recebi uma resposta atravessada como se a errada fosse eu…! E MAIS UMA VEZ, o sindicato, ficou cantando vitória antes da hora em vez de se precaver…!
    Agora, o que nos resta é nos conformar em sermos os PALHAÇOS da nação! Palhaços ou escravos??? Escravos podem reclamar? Não! Então acho que devo calar a minha boca… Estou saindo para a minha atribuição…
    Obrigada por mais uma DERROTA DA CATEGORIA!

    Responder
    • 7. apeoesp  |  21/01/2012 às 18:31

      Prezada professora Clara,
      Há vários enganos no seu comentário.
      Em primeiro lugar, você não seria obrigada a participar de nenhuma atribuição antes do dia 23/01, que é a data de início da atribuição de aulas. Antes desta data a atribuição não tem nenhum valor.
      Em segundo lugar, nunca cantamos vitória nenhuma. O sindicato luta e informa que está lutando.
      Em terceiro lugar, não há derrota alguma, pois, mais uma vez, a justiça determinou que a SEE cumpra a liminar e não aceitou a resolução 8 da SEE.
      Acho que você precisa interpretar melhor os acontecimentos antes de atacar o sindicato que defende a categoria contra as medidas do governo.
      Bebel

      Responder
  • 8. Flávio  |  20/01/2012 às 14:56

    O pior é que eu e mais outros professores já sabíamos que a lei seria descumprida, tanto é que já sabíamos que usariam a desculpa das “hora-aula”… As providências deveriam ser tomadas antes, a estratégia de soltar a resolução às vésperas da atribuição praticamente impossibilita uma ação… A APEOESP deveria ter agido antes… Todos nas comunidades do ORKUT e FACE já destacavam essa estratégia para bular a lei, tenho certeza que o sindicado tbém sabia disso.

    Responder
    • 9. apeoesp  |  21/01/2012 às 18:39

      Prezado professor Flávio,
      O que o sindicatom sempre soube é que não ficaríamos passivos diante das ações da SEE. O último despacho do juiz determinando que, pela última vez, a liminar seja cumprida. Acredito que os professores também sabiam que o sindicato lutaria e continuaria lutando. Pelo jeito, você não sabia.
      Bebel

      Responder
  • 10. Giomário Nunes Torres  |  20/01/2012 às 14:57

    AÇÃO JÁ DOS PROFESSORES! EU NÃO ACEITO ESSA JORNADA IMPOSTA SEM DIÁLOGO! NÃO ACEITO!

    Responder
  • 11. Renata  |  20/01/2012 às 15:03

    Pois é, e tudo não passou de marolinha de novo!!!!
    Duplo baque…férias reduzidas (inclusive recebendo menos) e jornada permanecendo como era.
    Era de se esperar a ditadura do PSDB diante da nossa fraqueza….

    Responder
    • 12. apeoesp  |  21/01/2012 às 18:41

      Prezada professora Renata,
      Pela ação do sindicato (que não é nada fraco) a justiça deu um último prazo de 48 horas para que a liminar da APEOESP seja cumprida.
      Bebel

      Responder
  • 13. Marcos César Falsoni  |  20/01/2012 às 15:06

    Quero parabenizar a atuação do Sindicato da Apeoesp em todas as ações a favor do magistério. Sem o compromisso e seriedade de todos que compõem o Sindicato, hoje, não seria possível realizar todas as ações para o cumprimento da Lei a favor da cidadania de todos. Os professores estão, sim cansados, porém ativos e confiantes na organização sindical. Parabenizo em especial a atuação da nossa presidenta Bebel que não tem medido esforços para que o professorado paulista seja amparado pela Justiça. Nenhuma luta é em vão, ao contrário, toda luta é um constante ir e vir de opiniões, mas acima de tudo é um constante ir adiante acreditando sempre que unidos, venceremos. O que seria da categoria se não houvesse o empenho e dedicação da força sindical? O governo insiste com a truculência e desrespeito aos professores com o descumprimento da lei e eu, professor de Filosofia e Sociologia o que direi na sala de aula aos meus alunos da importância do exercício da cidadania. Ah, direi aos meus alunos que o Governo cria material e pede aos professores que o utilize para falar de direito do cidadão, justiça, cumprir a lei, ser um autêntico cidadão disciplinado, cumpridor de seus deveres enquanto que o governo do estado não faz o mesmo? É o pai ensinado ao filho, “Faça o que eu mando, mas não faça o que eu faço”, é isso? Senhor Governador, Senhor Secretário da Educação, vamos dar importância à Educação pelo princípio número um, Educação. Digo a todos os políticos deste país, sou professor formador de opiniões e acima de tudo está a importância do respeito que devo ter pelas opiniões e pensamentos. Atitudes que contrariam princípios de fazer cumprir direitos devem ser abolidos. É dever de todo homem público que exerce um cargo público que lhe foi dado pelo povo respeitar o que determina a lei, a justiça.
    Professor Marcos César Falsoni (subsede de Jaboticabal)

    Responder
  • 14. Guilherme  |  20/01/2012 às 15:09

    Seria o momento de mobilizar os professores da rede? é preciso esclarecer todo o quadro docente sobre a manobra que fez surgir um terço da jornada como atividade extra-classe… Façam valer a representatividade deste sindicato sem deixar se envolver pela política de um ano eleitoral.

    Responder
    • 15. apeoesp  |  21/01/2012 às 18:45

      Prezado professor Guilherme,
      Estamos lutando. O juiz rejeitou a resolução 8 e determinou que a SEE cumpra a liminar no prazo máximo de 48 horas.
      Bebel

      Responder
  • 16. Sebastião Miguel  |  20/01/2012 às 15:12

    Já está publicado no D.O a nova resolução da Lei do Piso. Acredito que será anulada, uma vez que fere o texto da Liminar cocedida pelo Juiz da vara da Fazenda Pública.
    O governo, Bebel “tá” querendo briga, visto ter poerdido muitas questões.
    Bebel, a liminar concedida para que não fosse estornado valores pagos em dezembro aos professores categoria L, não descreve os direitos as férias que não recebemos e que, portanto deveria estar na ordem.
    Teremos direito?

    Abraços.

    Responder
    • 17. apeoesp  |  21/01/2012 às 18:48

      Przeado professor Sebastião,
      Como você previu, a justiça não aceitou a resolução e mendou mais uma vez cumprir a liminar.
      Bebel

      Responder
  • 18. Professor Claudionor  |  20/01/2012 às 15:53

    Bebel, o Padula tá sarcasticamente fazendo a maior divulgação no Twitter da jornada! Por outro lado estou acreditando que o Herman não manda nada por ali e que esse distintop cidadão comanda a SEE, ou fala como se fosse! parece que o Secetário de Educação está fazendo estágio com o capitão do Corcórdia!

    Responder
  • 19. Danilo  |  20/01/2012 às 15:59

    Se o sindicato não mobilizar uma greve vai ser impossível inibir essa injustiça.

    Responder
    • 20. apeoesp  |  21/01/2012 às 14:07

      Prezado professor Danilo,
      Se encessário, vamos à greve.
      bebel

      Responder
  • 21. Alexandre Juliani  |  20/01/2012 às 16:03

    Se o sindicato aceitar mais esta manobra ditadora da SEE, isto significará uma postura de peleguismo. A categoria tem sofrido mais perdas do que “vitórias”. Ultimamente, estamos lutando apenas para não perdermos os poucos direitos que nos sobram. Espero uma postura mais enérgica dos companheiros, de modo que haja uma verdadeira mobilização da categoria contra a usurpação e os abusos de que somos vítimas.

    Responder
    • 22. apeoesp  |  21/01/2012 às 13:34

      Prezado professor Alexandra,
      Você tem uma ideia errada do nosso sindicato. Fomos à justiça de novo e o juiz deu prazo de 48 horas para que o governo cumpra a liminar. Pense melhor antes de insinuar peleguismo sobre pessoas que lutam pela categoria.
      Bebel

      Responder
  • 23. Fabiana  |  20/01/2012 às 16:19

    Isso é só um desabafo…estou me sentindo triste nesse momento, professora, tenho ainda muitos dias de magistério para concluir , noto que nossa justiça brasileira é extremamente falha, e quando eu falo em justiça é justiça mesmo pq a lei do piso não foi a SEE quem não cumpriu e sim se este país fosse digno e com uma justiça que desse punição pra quem não cumprisse suas leis tudo seria diferente, a secretaria não agiria deste jeito , pois ela sabe que aqui nada será feito, nós sabemos que ficará do jeito que está e que o matemático que criou essas continhas foi escolhido a dedo( aliás eu acho que é esse tipo de professor de matemática que eles querem na rede, aquele que faz milagres e acerta a conta certinho) e fico triste que nos enganaram na nossa cara como nos noticiários que vemos que políticos aumentaram o próprio salário em 100% e não podemos fazer NADA…acontece isso agora…galera…to chorando nesse momento e meu peito tá meio que apertado…sei lá…bom…( respiro fundo) e vamos trabalhar…eu ainda tenho muito que aprender não sei fazer contas de matemática tão bem ainda, mas eu aprendo pq aliás, na SEE vejo que há muita gente boa nisso…valeu !!!

    Responder
    • 24. apeoesp  |  21/01/2012 às 13:31

      Prezada professora fabiana,
      A justiça está precalecendo. O juiz deu 48 horas de prazo para a SEE cumprir a liminar.
      Bebel

      Responder
  • 25. Sebastião Miguel  |  20/01/2012 às 16:23

    Cristovam Buarque, senador pelo PDT e autor da Lei do Piso (nº 11.738/2008)

    Pessoal, veja o que o Estadão Publicou hoje

    SP vai contar intervalo de aula como ‘atividade extraclasse’ de professor
    Secretaria Estadual da Educação também vai tirar uma aula da carga horária dos profissionais
    20 de janeiro de 2012 | 0h 11
    Mariana Mandelli, de O Estado de S. Paulo
    SÃO PAULO –
    Para cumprir a Lei do Piso Nacional do Professor, o governo de São Paulo vai contar como período para atividades extraclasse um tempo que já faz parte do cotidiano docente e, na prática, é utilizado como intervalo entre aulas. Além disso, para atingir o mínimo exigido de um terço do tempo fora da sala de aula, a Secretaria Estadual de Educação vai diminuir uma aula dos professores.
    A Lei do Piso, de 2008, garante que 33% da jornada sejam utilizados para correção de provas, preparação de aulas e formação profissional, entre outras atividades.
    A secretaria paulista não cumpria a exigência. Na tarde de quarta-feira, 18, a Justiça determinou que o governo cumprisse em 72 horas uma liminar concedida em novembro ao Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado (Apeoesp), que exigia a aplicação da jornada da lei.
    Hoje, de acordo com a pasta, um professor que tem uma jornada de 40 horas semanais diurnas passa 27,5 delas (68,7%) em classe – um total de 33 aulas. O restante (31,3%) é dividido em 4 horas para atividades extraclasse livres, como preparação de aulas e avaliação de trabalhos, e 3 horas para atividades extraclasse coletivas na escola, como reuniões.
    As 5,5 horas faltantes estão em uma resolução de 2006, que determina que o professor do diurno permaneça 10 minutos a mais para cada aula e o do noturno, 15 minutos. Esse tempo extra, pela resolução, é uma complementação da carga horária e deveria ser dedicado a atividades ligadas à docência, como preenchimento do diário de classe – o que, de acordo com os sindicatos de professores, não ocorre na prática. A regra também considera que a duração da hora de trabalho é de 60 minutos, dos quais 50 são para ministrar aula.
    Mudança. A nova proposta revoga essa resolução, inserindo essas 5,5 horas que, de acordo com a pasta, estavam num “limbo”, como tempo livre. Assim, uma jornada de 40 horas passa a ter 32 aulas – ou seja, 26,6 horas em classe.
    Herman Voorwald, secretário da gestão Geraldo Alckmin (PSDB), afirma que a proposta atende à Lei do Piso e não prejudica os alunos, já que não diminui a duração das aulas. “Creio que a rede entenderá a proposta, mas os sindicatos talvez não entendam. Há confusão entre hora de trabalho e tempo de aula.”
    Segundo Voorwald, com a mudança, o tempo extra que a resolução de 2006 determina será oficializado. “Existe um certo número de horas que não se contabilizam ao longo da jornada do docente fora da escola, e isso deve ser computado como atividade extraclasse.” Ele afirma que reduzir uma aula – tempo que será dado como livre – implica num custo anual de R$ 330 milhões e que a tendência é de que, para suprir essas aulas, os professores atuais ampliem a jornada.
    Para o Centro do Professorado Paulista (CPP) e a Apeoesp, a proposta, que deve ser publicada hoje no Diário Oficial para valer antes da atribuição de aulas, que começa na segunda-feira, é “engenharia numérica”. “Eles estão criando uma jornada de 48 horas e não vão pagar 20% a mais”, afirma a presidente da Apeoesp, Maria Izabel Noronha.
    Ela critica a oficialização das 5,5 horas ao tempo extraclasse. “Esse tempo surgiu quando incluíram mais uma aula na grade. Não serve para nada. O professor tem de se deslocar de uma sala para outra.” Segundo ela, a Apeoesp vai mostrar a proposta hoje à Justiça. “Nossa liminar está ganha e deve ser obedecida como está.” O sindicato pede 26 horas com alunos para uma jornada de 40 horas – proposta que o governo afirma ser inviável, pois não há docentes suficientes.

    3 perguntas para… Cristovam Buarque, senador pelo PDT e autor da Lei do Piso (nº 11.738/2008)

    1.Faz sentido a proposta do governo paulista de calcular como atividade extraclasse o tempo do intervalo para argumentar que cumpre a lei?

    Não foi o que pensamos na nossa discussão para criarmos a lei. Não dá para contabilizar cafezinho como uma atividade extra-aula, como uma reunião de preparação. Isso está dentro do cotidiano. Não é possível que o governador possa cronometrar os instantes do dia do professor. O importante é que o professor fique dentro da sala de aula dois terços do tempo.

    2.Por que é importante que se cumpra esse porcentual de jornada?
    A minha proposta é de 50% em sala, como em qualquer país decente do mundo. Nas próprias universidades é incomparavelmente menos.

    3.É possível que as secretarias cumpram o que manda a lei?

    Se não há condições agora, faz-se um acordo, um pacto para que em determinado prazo se alcance essa condição. De fato, se a lei for cumprida corretamente, faltarão professores e não se contrata professor de um dia para outro, para não termos docentes deficientes. Esse processo leva um tempo. Mas tem ainda um risco de se pensar no professor e de se esquecer dos alunos. Temo que algumas secretarias pelo Brasil, para cumprir a lei, reduzam em 33% o tempo de aula dos alunos.

    Responder
  • 26. Patricia  |  20/01/2012 às 16:28

    Ações individuais????
    Isso é um absurdo????

    Individualmente o problema é só meu!

    Responder
    • 27. apeoesp  |  21/01/2012 às 13:28

      Prezasda professora Patrícia,
      A ação individual, feita em larga escala, deixa de ser um problema individual. Mas a questão está superada pela decisão do juiz de fazer cumprir a liminar em 48 horas.
      Bebel

      Responder
  • 28. Silvio Canovas Martinez Junior  |  20/01/2012 às 16:51

    A questão é simples, o Estado está fazendo uma manobra, utilizando-se de um recurso sórdido, um truque matemático para implementar a jornada. Entretanto, e isso qualquer pessoa com um mínimo de bom senso pode perceber, não há nenhuma alteração na jornada. Cabe, agora, aos professores e aos nossos representantes sindicais, derrubarem a manobra ou forçar um aumento de salário. Inclusive, com a possibilidade de observação de pagamento retroativo, já que essa jornada de 48 horas/aula, na prática, vem sendo praticada há tempos. É possível essa interpretação? Abraço

    Responder
    • 29. apeoesp  |  21/01/2012 às 13:04

      Prezado professor Silvio.
      A justiça não aceitou a manobra. Deu 48 horas de prazo para a SEE cumprir a liminar.
      Bebel

      Responder
  • 30. CARLA  |  20/01/2012 às 16:58

    Bebel
    assim cm vcs nós estamos indignados,que governo é esse que não cumpre ordens judiciais,meu Deus em que mundo estamos vivendo?E agora oque pode ser feito?ou nada mais sera feito?

    Responder
    • 31. apeoesp  |  21/01/2012 às 13:03

      Prezada professora Carla,
      A justiça deu 48 horas de prazo para a SEE cumprir a liminar.
      Bebel

      Responder
  • 32. Fabiano  |  20/01/2012 às 16:58

    Porque será que isto não me surpreende: aquilo que supostamente ganhamos, logo em seguida perdemos, e aquilo que precisamos de fato nunca ganhamos!

    E continuamos na mesma…

    Responder
    • 33. apeoesp  |  21/01/2012 às 13:02

      Przeado professor Fabiano,
      Parece que sua análise está errada. A justiça deu 48 horas de prazo para a SEE cumprir a liminar. Estamos lutando e não continuamos na mesma.
      Bebel

      Responder
  • 34. Paulo  |  20/01/2012 às 17:02

    Hino para a APEOESP “Inútil, a gente somos inútil”

    Responder
    • 35. apeoesp  |  21/01/2012 às 13:01

      Prezado professor Paulo,
      O juiz deu 48 horas de prazo para a SEE cumprir a liminar. Quem é inútil mesmo?
      Bebel

      Responder
  • 36. LUIZ CANDIDO DE OLIVEIRA  |  20/01/2012 às 17:09

    É lamentável que mais uma vez sejamos tratados como massa de manobra, fazendo prevalecer o ego do governador e o constante desrespeito com o profissional. Entendo que a Apeoesp deva entrar com ação para que a atribuição não ocorra nos atuais moldes apresentados pela secretaria de educação, ou seja, procurar forma legal para impedir a atribuição na atual data e nos moldes apresentados pela secretaria.

    Responder
    • 37. apeoesp  |  21/01/2012 às 12:58

      Prezado professor Luiz,
      A justiça determinou que a SEE cumpra a liminar em 48 horas.
      Bebel

      Responder
  • 38. Paulo  |  20/01/2012 às 17:12

    Constituição Federal de 1988, Art. 7º inciso XIII – “duração do trabalho normal não superior a oito horas diárias e quarenta e quatro semanais, facultada a compensação de horários e a redução da jornada, mediante acordo ou convenção coletiva de trabalho”.

    Responder
  • 39. Gustavo  |  20/01/2012 às 17:50

    Nos ajude a junto a mobilização nas redes sociais.

    #professoresindignados

    Responder
  • 40. Kelly Matta  |  20/01/2012 às 18:04

    Olá…
    Gostaria de saber quais foram as providências “efetivas” que a Apeoesp tomou após a publicação de hoje no diário oficial desrespeitando o que a liminar havia determinado?
    Grata!

    Responder
    • 41. apeoesp  |  21/01/2012 às 12:50

      Prezada professora Kelly,
      Os procedimentos “efetivos” estão na decisão do juiz que determinou que a SEE cumpra a liminar em 48 horas.
      Bebel

      Responder
  • 42. Erica  |  20/01/2012 às 18:12

    É tao importante para vocês lutarem pela jornada de piso, mas eu não vejo importância nenhuma da parte de vocês em lutar para acabar com essas malditas categorias e essa droga dessa prova, esquece isso de jornada, deixa as 32 e ta ótimo, tem é que começa a lutar fazer mobilização para acabar com essas bosta dessas categorias para ficar apenas EFETIVO e OFA seja estudante, bacharel, habilitado é professor da mesma forma, portanto chega dessas droga de lei de piso, e bola pra frente para acabar com as categorias e a prova, pois parece que a APEOESP ta em pros apenas dos efetivos, pois essas quantidade de aulas é boa para os efetivos agora para OFA não acrescenta em nada, pois para nos o importante é o fim da prova e das categorias!

    Responder
    • 43. apeoesp  |  21/01/2012 às 12:49

      Prezada professora Erica,
      Acho que você está muito mal informada. Não lutamos apenas para acabar com essas categorias. Nós lutamos para que elas nem existissem. Lutamos para que a lei 1093 não fosse aprovada e continuamos lutando para que ela seja revogada. Questionamos a lei na justiça, mas aí não fomos vitoriosos. Para que isso ocorra, os professores têm que participar também, pois é a nossa pressão que muda as coisas.
      Bebel

      Responder
  • 44. Vanderson Fernando  |  20/01/2012 às 18:22

    Prezada Bebel creio que o governo fez os cálculos errados pois se ele revogou a resolução de 2006 que igualava a hora-aula a hora-relógio e fez uma jornada de 40horas relógio transformada em 48horas aulas já que recebemos por aula – hora ele terá lógicamente que pagar a diferença das horas aulas trabalhadas a mais.Contudo como o governo só pensa nele e em números penso que a hora de dar a ele um número alto de professores indignados e dispostos a ir a greve para conseguir seus direitos.

    Professor Vanderson

    Responder
    • 45. apeoesp  |  21/01/2012 às 12:44

      Prezado professor Vanderson,
      A resolução 8 estava cheia de falhas e a justiça não aceitou. O governo tem 48 horas para cumprir a liminar.
      Bebel

      Responder
  • 46. Leandro  |  20/01/2012 às 18:30

    Isso é uma vergonha!!!

    Responder
  • 47. Leandro  |  20/01/2012 às 18:31

    Temos que parar tudo!

    Responder
  • 48. jussara  |  20/01/2012 às 18:50

    Essa resolução é lamentável, representa o despreparo daqueles que a formularam, não sabem nada da realidade dos professores e alunos!
    Será que eles tem ideia de como é cansativo ministrar 32 aulas?
    Não percebem quanto se perde em qualidade de ensino?
    Ou percebem?
    E os alunos e professores do noturno, sairão mais tarde para atender a ordem das aulas terem duração de 50 minutos?
    Estou indignada, já quase exonerei este cargo, fica difícil de continuar lutando, mas ainda tenho forças e quero lutar por melhoras.

    Responder
  • 49. Sérgio  |  20/01/2012 às 18:52

    Prezada Presidenta Bebel:

    As afirmativas do governo do PSDB de SP, enfatize-se esse fato, de que cumpriria a Lei do Piso, finalmente, tornaram-se claras para toda a sociedade. O cumprimento de que falavam é esse: sem agregar nenhum tipo de benefício aos trabalhadores da educação paulista, os quais já:

    1º) trabalham exaustivamente em condições precárias;
    2º) recebem salários e reajustes ridículos (conquistados com muito esforço);
    3º) precisam se submeter a provinhas classificatórias;
    4º) recebem vale alimentação de valor baixíssimo;
    5º) têm direito a número limitadíssimo de faltas médicas durante o ano;
    6º) lutam o ano todo para defender direitos já adquiridos (30 dias de férias ininterruptos)
    7º) recebem um adicional de transporte de valor igualmente baixo.

    Eu poderia elencar muitos outros fatos que são suportados pelos professores que trabalham nessa rede de ensino guiada pela lógica neoliberal, mas todos nós já sabemos.
    Os professores de SP estão cansados, exaustos de serem enganados pelos governos do PSDB e seus secretários de educação.

    Sugiro à APEOESP que prepare um material para ser entregue aos pais de nossos alunos. Os eleitores precisam saber que seus filhos recebem muito menos do que deveriam em termos educacionais, com os impostos e pedágios caríssimos arrecadados por esse governo, principalmente porque o profissional responsável pela educação de seu filho está na sala de aula completamente desmotivado, sem esperança alguma de conquistar valorização na carreira que escolheu para dar sentido a sua vida.

    De que adianta doar mochilas com material escolar, kit de livros e apostilas para os alunos se o professor, responsável por promover a construção do conhecimento em sala de aula está exausto de sua rotina diária: 2 ou mais escolas, 2 redes de ensino, três períodos, fim de semana corrigindo trabalhos, preparando aulas…

    É absurdo que o governo acredite que vá melhorar a qualidade de ensino com essa farsa!

    Parabéns mais uma vez ao Sindicato pela lucidez de seus dirigentes frente a tanta cegueira de nossos governantes.

    Responder
    • 50. apeoesp  |  21/01/2012 às 12:39

      Prezado professor Sérgio.
      Obrigada.
      A justiça não aceitou a farsa. A SEE tem 48 horas para cumprir a liminar.
      Bebel

      Responder
  • 51. Samuel Zanatta  |  20/01/2012 às 19:24

    Já parou pra pensar que o que ele fez não é nenhum bicho de sete cabeças?
    Se estamos preocupados em melhorar a educação no Brasil, o que é mais adequado: reduzir o quadro de aulas pra 26 e ter uma falta de professor fora do comum, ou manter como está, agora com 32 aulas e adicionando 13 aulas livres pra você fazer aonde quizer.
    Tudo precisa de tempo pra ser testado e colocado em prática, e quando começar a existir grande mão de obra, professores que queriam dar aula e ensinar alunos ao inves de reclamar e reclamar da educação, das decisões tomadas, quem sabe ai sim é cabivel uma redução na jornada.
    Quem ama a profissão que escolhe não tem muito porque reclamar. Se ama ser educador, então abrace suas 32 aulas durante todo o ano e faça a diferença.
    Abraços.

    Responder
    • 52. apeoesp  |  21/01/2012 às 12:32

      Prezado professor Samuel,
      A SEE não tomou nenhuma iniciativa para conversar estas coisas conosco. Agora a justiça rejeitou as contas e a resolução do secretário e determinou o cumprimento da liminar em 48 horas. Cumpra-se.
      Bebel

      Responder
  • 53. João Paulo Seabra dos Santos  |  20/01/2012 às 19:25

    Bebel sugiro que a Apeoesp organize um ato ja na semana que vem na frente da secretaria pra mostrarmos ao secretário a nossa compreensão já passou da hora de pararmos de nos curvamos aos desmandos desses Tucanos arrogantes que parece-me que tem como unico prazer no Mundo espezinhar o professorado paulista – GREVE JÁ!!!!! SEM RESPEITAR A LEI O ANO LETIVO NÃO PODE COMEÇAR MESMO!!!!! Vamos colocar esse discurso em pratica e não ficar apenas na ameaça

    Responder
  • 54. Fernando  |  20/01/2012 às 19:54

    UMA BOA NOTÍCIA PARA OS PROFESSORES CATEGORIA ‘O’, NÓS SEREMOS RECONDUZIDOS.

    Artigo 6º – Poderão ser reconduzidos para o ano letivo subsequente os docentes que se encontravam no exercício dessas atribuições no ano anterior, desde que, na avaliação de seu desempenho, este seja considerado satisfatório, observada a carga horária prevista no artigo 1º desta resolução.
    § 1º – A avaliação de desempenho de que trata o caput deste artigo será realizada por Comissão composta pelo Diretor de Escola, pelo Supervisor de Ensino da unidade escolar e pelo Supervisor de Ensino responsável pela Gestão Regional do Sistema de Proteção Escolar.
    § 2º – Caso a Comissão não recomende a recondução do docente, em decorrência de incompatibilidade com o plano de trabalho elaborado pela escola, o Supervisor de Ensino responsável pela Gestão Regional do Sistema de Proteção Escolar poderá, se for o caso, propor a atribuição do Professor Mediador Escolar e Comunitário em outra unidade escolar da mesma Diretoria de Ensino, ouvida a equipe gestora da escola de destino.
    § 3º – Em caráter excepcional, poderá ser reconduzido no projeto candidato à contratação temporária que tenha atuado, com desempenho satisfatório, como Professor Mediador Escolar e Comunitário, na condição de docente ocupante de função atividade a que se refere o parágrafo único do artigo 25 da Lei Complementar nº 1.093/2009.

    Responder
    • 55. Maria de Fatima Taffarel de laifert  |  20/01/2012 às 20:57

      Isso so diz respeito ao professor mediador ou a todos os professores categoria O qye tinham aulas atribuidas em 2011???

      Responder
  • 56. Heitor  |  20/01/2012 às 20:03

    Cara Bebel,
    A sra Paula Louzano (pedagoga, aonde ela trabalha? pra quem trabalha?ninguém sabe) se apresentou ontem no Jornal da Record (Heródoto Barbeiro) para justificar o não cumprimento da lei do Piso, quem quiser conferir acesse o link abaixo:
    http://noticias.r7.com/jornal-da-record-news/2012/01/19/justica-determina-que-governo-de-sp-cumpra-a-lei-do-piso-dos-professores/

    Responder
    • 57. apeoesp  |  20/01/2012 às 20:27

      Prezado professor Heitor,
      Pois é, muitas vezes abrem espaços para quem está contra os professores, mas não para o sindicato, que luta pela categoria e pela escola pública.
      Bebel

      Responder
  • 58. Heitor  |  20/01/2012 às 20:09

    Cara Bebel,
    …continuando o comentário anterior postei o seguinte comentário no site do R7:

    Caro Heródoto,
    A respeito da entrevista da Sra. Dra. Paula Louzano sugiro que convide a professora Maria Izabel presidente da Apeoesp para que o telespectador do seu conceituado telejornal possa conhecer o outro lado. A Lei do Piso é de 2008 e durante todo esse tempo muitos estados ao invés de se sentarem com a categoria para encontrar uma saída se valeu de manobras protelatórias. Há estados que reservam até 50% dotempo para atividades sem alunos, como um estado tão rico como o nosso não teve a capacidade de gerenciar o ensino e cumprir a lei?. Como a sra Louzano pode dizer que esse tempo extra – classe não trará benefícios à qualidade de ensino? Talvez não em Harvard, mas aqui em São Paulo sim! A sra Louzano com suas opiniões presta um desserviço à educação paulista e melhor faria em apontar sugestões e não justificar o descumprimento da lei.

    Responder
    • 59. apeoesp  |  20/01/2012 às 20:27

      Prezado professor Heitor,
      Muito obrigada. Também vamos solicitar espaço ao jornal da Record.
      Bebel

      Responder
  • 60. Janete Rodrigues  |  20/01/2012 às 20:12

    Esse assunto da aula de 50 minutos há muito vem nos assombrando, mas não devemos deixar que isso seja manipulado contra o nosso trabalho, se a hora aula for de 60 min terei 3 salas a menos, isso totaliza em no mínimo 100 provas, trabalhos e afins a menos para corrigir, menos aulas para preparar, essa adaptação é mais que um desrespeito ao professor é uma afronta da SEE, temos que mobilizar nossos professoras contra isso. Parabéns ao sindicato pelo trabalho que tem desempenhado!!!

    Responder
    • 61. apeoesp  |  20/01/2012 às 20:24

      Prezada professora Janete,
      Muito obrigada.
      Bebel

      Responder
    • 62. Ubiratam  |  20/01/2012 às 23:18

      Boa noite Janete, não é só um desrespeito ao professor, mas um desrespeito a justiça e ao estado democrático. Isto é um absurdo.

      Responder
  • 63. Prof. Pedro (Diadema)  |  20/01/2012 às 20:34

    Professora Bebel!
    Por que voce não publicou a nova jornada que o governo impôs aos professores?
    Por favor esclarecer se ele esta considerado o intervalo de uma aula para outra como composição de jornada!
    Na resolução não está bem claro este fato.
    É horrivel ter que aceitar tal imposição e truculencia.
    Só a greve resolve, e as interminaveis mesas de negociação só nos leva a perdas e sobrecarga de trabalho.
    Convocar uma assembleia na primeira semana de aula para decidir os rumos do movimento e fundamental neste momente.
    Faço uma convocação no TV, radio, jornais e subsedes para alavancar o movimento e rumo a greve.
    É hora de mostrar para este governo a nossa força nas ruas, em greve, denuciando a prioridade com a educação do o Sr. Governador Tucano.

    Responder
    • 64. apeoesp  |  21/01/2012 às 12:21

      Prezado professor Pedro,
      Esta questão está superada no momento pela decisão do juiz de determinar o cumprimento da liminar, de acordo com o nosso entendimento, em 48 horas. Publicamos textos e análise da resolução do governo neste blog e no site http://www.apeoesp.org.br.
      Bebel

      Responder
  • 65. Sandra Toledo  |  20/01/2012 às 20:57

    Olá Bebel,

    Como sempre esse desgoverno do PSDB aprontando. Gostaria que a Apeoesp publicasse em tabela o q a SEE apresenta como jornada e o q a Apeoesp ( de acordo com a Lei) reivindica. Eu sei as reivindicações mas assim fica mais fácil para mostrarmos aos professores, na segunda dia 23/01 na atribuição, onde estão as diferenças. Pq tem diretor dizendo q a Lei Vagner cumprida com essas “mudanças” apresentadas hoje 20/01.

    Obrigada
    Vamos à luta!

    Prof. Sandra Toledo

    Responder
    • 66. apeoesp  |  21/01/2012 às 12:14

      Prezada professora Sandra,
      A discussão entra em outro patamar agora, pois o juiz deu decisão final para que a SEE cumpra a liminar em 48 horas.
      Bebel

      Responder
  • 67. professorfabio  |  20/01/2012 às 21:08

    Boa tarde! Hoje na escola, recebemos a informação que amanhã será publicada nova resolução da SEE-SP para atribuição de aulas, existe realmente essa possibilidade? Prof. Fabio.

    Responder
    • 68. apeoesp  |  21/01/2012 às 12:09

      Prezado professor Fábio,
      Não localizei esta publicação.
      Bebel

      Responder
  • 69. andre  |  20/01/2012 às 21:15

    a conta é simples, a jornada não é de 48 horas e sim de 48 sendo cada qual de 50 minutos. se multiplicar 48 por 50, depois dividir o total por 60 minutos temos uma jornada de 40 horas. Bela maracutaia, o que tudo indica que vamos aceitar e ficar quietos?

    Responder
    • 70. apeoesp  |  21/01/2012 às 12:05

      Prezado professor André,
      Não íamos e não ficamos quietos. Veja decisão do juiz determinando o cumprimento da liminar em 48 horas.
      Bebel

      Responder
  • 71. Fabiana  |  20/01/2012 às 21:20

    Padula_ Fernando Padula
    26 AULAS É IGUAL A 54% DA JORNADA. IMPOSSIVEL, NÃO TEM DINHEIRO E NEM PROFESSOR PARA TUDO ISSO.

    Padula_ Fernando Padula
    e continuam falando nas tais 26 aulas. vamos lá 26×50`=1.300 minutos.40h =2.400minutos.2/3=1.600min=32 aulas 50`.26 AULAS É MUITO QUASE 50%

    Padula_ Fernando Padula
    resolução publicada, a maior parte das duvidas sanadas. O restante é política! ficaram falando em 26 aulas (que dá54% e não 66% 2/3)

    e outras pérolas mais que ele está destroçando em seu twitter.

    Responder
    • 72. apeoesp  |  21/01/2012 às 12:04

      Prezada professora Fabiana,
      Os argumentos do sr. Padula nada têm a ver com a qualidade do ensino, como de resto tem sido a postura deste governo.
      Bebel

      Responder
  • 73. Vagner  |  20/01/2012 às 21:26

    Bebel gostaria de saber o porque da ação individual e não a coletiva já que a mesma teria mais impacto para ser favorável.
    Novamente estariam dando vitória aos nossa SEE e mais uma vez prejudicando a nossa categoria?

    Responder
    • 74. apeoesp  |  21/01/2012 às 11:58

      Prezado professor Vagner,
      Seria mais uma forma de pressão, pois já há ação coletivsa. Mas esta questão está superada pela decisão do juiz determinando o cumprimento da liminar em 48 horas.
      Bebel

      Responder
  • 75. waldemar  |  20/01/2012 às 21:40

    Bebel, vamos convocar os professores para manifestações no palácio, no fórum, na SEE.
    E é bom que o governo fez a conta de quanto ele nos deve desde 1998, por ter aumentado nossa hora-aula e não nos ter pago, tem que fazer esse ALI BABÁ pagar porque pela tabela que ele divulgou faz tempo que estou trabalhando numa jornada superior e não estou ganhando nada mais por isso, governo filho da puta, secretário da Gestapo, isso é bem coisa de nazista, agora fala para os professores que votaram no Alkmin para governador, que são muitos, votarem nele pra presidente…

    Responder
  • 76. Marli  |  20/01/2012 às 22:20

    Boa Noite….
    Gostaria de saber quando estará disponivel no GDAE a classificação dos professores que não atingiram a nota minima na Prova.
    Aguardo retorno
    Grata
    Marli

    Responder
    • 77. apeoesp  |  21/01/2012 às 04:37

      Prezada professora Marli,
      Ainda não há data definida.Possivelmente após a atribuição inicial.
      Bebel

      Responder
  • 78. Fanley  |  20/01/2012 às 22:52

    Não vamos aceitar isso… Vamos nos mobilizar. Dessa vez o governo não deu um tiro no pé, foi na testa mesmo! Estamos todos indignados com o golpe. Mas não estamos desanimados, sabemos que a justiça vai prevalecer sobre a injustiça e que se preciso for iremos à GREVE. Abraços e força!

    Responder
  • 79. Nevie  |  21/01/2012 às 00:57

    Boa noite Bebel.
    Por favor me tire uma dúvida. Tem algum estado no Brasil, onde se cumpre a hora aula com 60 minutos? Porque se nós formos cumprir em sala de aula realmente 1 hora/aula em 6 aulas por período, os dois turnos diurnos deverão terminar depois da 8 hs da noite, aí eu gostaria de saber como ficaria o período noturno. Aí sim, com certeza o caos estaria instalado na educação no estado de São Paulo. Realmente esse nosso governo é um sem noção, querendo cobrar uma coisa dos professores a qual ele não tem noção das consequências.

    Responder
    • 80. apeoesp  |  21/01/2012 às 04:02

      Prezada professora Nevie,
      Você tem toda a razão.
      Bebel

      Responder
  • 81. Emerson  |  21/01/2012 às 03:06

    Boa noite pessoal!

    Estou postando a 2ª parte do vídeo

    Primeira parte postado pelo nosso colega Heitor.

    http://noticias.r7.com/jornal-da-record-news/videos/?idmedia=4f18ae59b51a4c793f330a2e

    Responder
  • 82. luciano  |  21/01/2012 às 05:15

    Penso que nosso dignissimo governador do Estado e seu Secretário de Educação estão muito bem acessorados. Conseguiu numericamente “cumprir” a lei do piso sem colocar a mão no bolso.
    O estranho é que gastam milhoes de reais com bolsas que os alunos nao usam, caderninhos que muitas vezes não tem aplicabilidade em sala de aula e se recusam a investir no professor.
    Professor na escola cumprindo horario é o ideal, fazendo cursos, etudando, preparando aula, etc…. mas enfim… essa luta é de todos nós professores e ate mesmo da sociedade.

    Responder
    • 83. apeoesp  |  21/01/2012 às 11:42

      Prezado professor Luciano,
      Leia texto neste blog sobre a decisão judicial que obriga o governo a cumprir em 48 horas a jornada prevista na lei do piso, de acordo com o nosso entendimento. Leia também texto com orientações para a atribuição de aulas.
      Bebel

      Responder
  • 84. luciano  |  21/01/2012 às 05:24

    acho que vamos continuar nos matando de trabalhar
    *salas super lotadas
    *jornada de trabalho extensa
    *baixos salários

    Única solução GREVE JÁ!!!

    Responder
    • 85. apeoesp  |  21/01/2012 às 11:43

      Prezado professor Luciano,
      Por favor, leia texto neste blog sobre a decisão judicial que obriga o governo a cumprir em 48 horas a jornada prevista na lei do piso, de acordo com o nosso entendimento. Leia também texto com orientações para a atribuição de aulas.
      Bebel

      Responder
  • 86. SILMARA PAULA DOS SANTOS  |  21/01/2012 às 22:05

    cara MARIA izabel; caso a SEE VOLTE A ENTRAR EM ESFERAS COMO A PROCURADORIA GERAL? E se por um acaso eles comprem algum juiz, o que vamos fazer?

    Responder
    • 87. apeoesp  |  22/01/2012 às 11:54

      Prezada professora Silmara,
      A SEE não pode recorrer a qualquer juiz. Há o juiz certo, da 3ª Vara, para despachar. E este já reafirmou a liminar duas vezes.
      Bebel

      Responder
  • 88. Paulo Cezar dos Santos  |  21/01/2012 às 22:36

    Bebel, quero aqui deixar meus parabéns pelas ações coordenadas da APEOESP, em relação a luta contra os desmandos desse governador e desse secretino da educação, que penso nunca entrou em uma sala de aula de escola publica para lecionar, mas , também quero dizer que agora é o momento de nós professores nos unirmos de fato como uma categoria sólida e fazer prevalecer nossos direitos, vamos nos mobilizar , e tornar as ações do nosso sindicato mais efetiva, pois , muitas vezes criticamos a APEOESP mas esquecemos que quem faz o sindicato somos nós, e infelizmente há professores que ainda não entenderam isso mesmo sendo prejudicados, ainda aplaudem as atitudes do governo pensando apenas em suas necessidades materiais individuais e esquecem que no futuro , podem estar desempregado se continuarmos deixando o governo fazer o que bem quer com a nossa carreira. Somos Professores formadores de opiniões , não podemos permitir que acabem com a nossa profissão, nos desvalorizando. Vamos a luta !!!! vamos mudar a nossa perspectiva profissional fazendo valer nosso reconhecimeto pela sociedade, afinal somos a base das demais profissões existentes , pois desde o engenheiro ao médico todos passaram pelas mãos dos professores, então porque não lutarmos para essa valorização,
    Aos colegas vale lembrar a a fala do ilustre Paulo Freire, que diz , que o professor só pode ser professor se ele lutar pelos seus próprios direitos, se ele não o fizer como ele poderá ensinar aos seus alunos a lutar pelos direitos de cidadão…….Mais uma vez
    Parabéns a APEOESP e a você Bebel que tem gerido nosso sindicato com competencia …e Aos Colegas vamos descruzar os braços e ir a luta pela nossa profissão e reconheceimento

    Responder
  • 89. Ricardo Fernandes  |  22/01/2012 às 03:30

    Tenho 15 anos de profissão e, nesse décimo quinto ano, adoeci, fiquei dois meses de licença com diagnóstico de depressão, ainda estou fazendo uso de medicamentos.
    Sou um dos milhares de professores que trabalham mais de sessenta horas semanais na busca de um salário digno, que para mim, ainda não temos.
    Será que o Sr. Secretário da Educação, quando lecionava, tinha uma jornada como a nossa?
    Estou acompanhando a batalha que nossos representantes da APEOESP estão encarando e, que muitos “colegas” professores não reconhecem.
    Parabéns Bebel, pelo excelente empenho! É isso ai ! Vamos exigir os nossos direitos.

    Prof. Ricardo Fernandes

    Responder
  • 90. Yaracristhi  |  22/01/2012 às 15:01

    Bebel
    A SEE afirmou que vai recorrer à Procuradoria Geral do Estado… Esse orgão pode interferir na decisão do juiz? Há o risco de eles aceitarem o subterfúgio aritmético da SEE?

    Responder
    • 91. apeoesp  |  22/01/2012 às 17:14

      Prezada professora Yaracristhi,
      A PGE já recorreu uma vez contra a liminar e perdeu. Que milagre fará agora?
      Bebel

      Responder
  • 92. Marcio  |  22/01/2012 às 17:25

    Bebel creio ser de extrema importância a convocação URGENTE de uma ASSEMBLEIA com indicativo de profissão, a melhor demonstração de amor para a nossa profissão é lutar por melhores condições de trabalho, ao invés de ficarmos pelegamente de braços cruzados, sindicato somos todos nós. Vamos parar com essa concepção pseudo-religiosa de que alguém tem que fazer por nós. Em que pese alguns equívocos cometidos pelo sindicato, todas as vezes que teve Assembléia eu estava lá. Se todos que externam corretamente a sua indignação pelas redes sociais estiverem presentes na luta, em Assembléias, atos, passeatas etc, a situação seria bem diferente. Quando da sanção da Lei 1093, que fragmentou os ofas numa verdadeira “sopa de letrinhas” quem estava presente na luta? O sindicato chamou e avisou aos quatro cantos e que atendeu ao chamado? Sou professor que milito na Oposição, mas temos que ter bom senso. Agora professores e professoras Vamos à luta? Vamos seguir o maravilhoso exemplo de cidadania dos trabalhadores árabes e europeus que estão lutando para não perder os seus direitos que foram conquistados com sangue e suor ao longo de séculos.
    Vamos à luta.

    Responder
    • 93. Informação divulgue  |  24/01/2012 às 01:13

      marcio

      Em q país vc vive??
      Todos pacificamente acataram e tiveram aulas atribuidas pela res 8… nem sequer se preocuparam em preencher o modelinho do sindicato… acorda….ninguem tá afim de luta alguma…. olhe mais ao seu redor e seja menos utópico

      Responder
  • 94. Marcio  |  22/01/2012 às 17:27

    Vai aqui um texto do célebre pensador Bertolt Brecht para nós professores e professoras que ainda não se deram conta da função social e política da nossa profissão. Notoriamente a escola é maior aparelho ideológico do Estado e o professor(a) que não gosta ou não compreende o papel transformador da política deve mudar de profissão. O sindicato é um dos mais importante instrumentos de luta da classe trabalhadora, alguém conhece outro? então vamos fortalecer o sindicato e lutar?. Do aluguel, do sapato e do remédio
    O Analfabeto Político
    Bertolt Brecht
    O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.
    O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.

    Responder
  • 95. SILMARA PAULA DOS SANTOS  |  22/01/2012 às 20:40

    prezada MARIA IZABEL. Tenho uma sugestão vamos chamar os dois senadores de são pAULO O EDUARDO SUPLICY E A senadora MARTA PARA DEFENDERMOS nossos direitos na MÍDIA E TAMBÉM NO senado FEDERAL. FORÇA POLITICA ajuda bastante diante da SOCIEDADE.

    Responder
    • 96. apeoesp  |  22/01/2012 às 22:41

      Prezada professora Silmara,
      É uma ótima ideia. Porém o Senado está em recesso neste momento.
      Bebel

      Responder
  • 97. Cláudia  |  23/01/2012 às 00:32

    Isso é um absurdoooooooooooooo.Engraçado,quando eram 33 aulas e mais 7 com htpc e htpl eles diziam ser 40 HORAS semanais,então eles(SEE) consideravam as 33 aulas como 1 HORA certo?? Ou não sabemos fazer conta??KKKK.Agora para burlar a lei contam cada aula como 50 minutos.Acham que somos idiotas.Não é possível que não cumpram uma ORDEM JUDICIAL.Que país é esse meu Deus.Eu ainda acredito que vai dar certo.Valeu apeoesp.

    Responder
  • 98. ENIO ROMEU DOS SANTOS  |  23/01/2012 às 13:11

    a atribuiçao já encerrou em minha escola EE. Leoncio Pimentel em Itabérá. ACABEI DE CRER que a ordem judicial do juiz lUIZ Manoel não tem valor algum. DÁ VONTADE DE CHORAR DE DESGOSTO SABER QUE A SEE ESTÁ RINDO DE NÓS E DO juiz.

    Responder
    • 99. apeoesp  |  23/01/2012 às 13:22

      Prezado professor Enio,
      O jogo ainda não acabou. Não é a SEE que determina se a liminar vale ou não. Ela está em vigor e findo o prazo de 48 horas (que o TJSP esclareceu que conta a partir da 8h de hoje) o secretário da Educação poderá ser punido e terá que refazer a atribuição de acordo com a lei.
      Bebel

      Responder
  • 100. SILMARA PAULA DOS SANTOS  |  23/01/2012 às 20:41

    PREZADA mARIA IZABEL; esta na BIBLIA, AMAI TEU PROXIMO COMO A TI MESMO, como amar o SR Herman e o SR Padula com aquele sorriso diante de nós professores via google.????

    Responder
  • 101. Vagner  |  23/01/2012 às 21:36

    Bebel, o jogo não acabou mesmo, mas por enquanto o placar marca 1 x 0 para SEE estou aguardando o final do jogo tomara que o juiz não enceera o jogo nesse placar, pois se isso acontecer será o fim do judiciário e da democracia no Brasil.

    Responder
    • 102. apeoesp  |  24/01/2012 às 14:48

      Prezado professor Vagner,
      O gol foi de mão, cometendo falta na área. Não vai valer.
      Bebel

      Responder
  • 103. vagner  |  23/01/2012 às 23:02

    Bebel, o jogo não acabou porém o placar marca 1x 0 para SEE
    vamos aguardar o final da partida, espero que o juiz não encerre o jogo com esse placar, pois eu e milhares de professores esperamos com anciedade por um final plausível, fazendo valer nossos direitos e que justiça seja feita, pois desacatar uma ordem judicial é um absurdo, seria o fim da democracia e do judiciáio.

    Responder
    • 104. apeoesp  |  24/01/2012 às 14:28

      Prezado professor Vagner,
      Não, professor, o placar não está favorável à SEE porque neste jogo gol de mão, cometendo falta na pequena área, não vale. Temos convicção de que a justiça continuará do nosso lado e vai nos dar a vitória.
      Bebel

      Responder
  • 105. gisele  |  26/01/2012 às 14:17

    Olá! Por favor me esclareçam algumas dúvidas:
    1) Se esta jornada proposta pela SEE for mantida receberemos por 40 ou 48 aulas?
    2) Nós professores que acabamos de efetivar já podemos pedir remoção no meio do ano?
    3) Como faço para me filiar ao sindicato?
    obrigada!

    Responder
    • 106. apeoesp  |  27/01/2012 às 14:27

      Prezada professora Gisele,
      A SEE com sua pirotecnica aritmética, tem criado realmente esta dúvida entre os professores, mas afirma que já paga por 40 horas e que isto não mudará. Vamos discutir o assunto na hipótese, que não consideramos que aconteça, de perdermos a ação.
      Somente participam da remoção professores já em estágio probatório.
      Para filiar-se, dirija-se à subsede da sua região (veja contato em http://www.apeoesp.org.br).
      Bebel

      Responder
      • 107. gisele  |  27/01/2012 às 20:12

        Ah, então pelo que entendi, já poderei peir remoção no meio do ano… Obrigada!

  • 108. Eduardo  |  27/01/2012 às 13:45

    Bebel,
    Tenho convicção de que sairemos vencedores dessa batalha, porém, se por algum motivo que desconheçamos a sentença for favorável a SEE, que seria um enorme absurdo e daí sim mostraria na “lata” a injustiça desse país, o que fazer para mostrar aos governantes para valer os nossos direitos? Seria a greve a melhor opção? Abraço!!!

    Responder
  • 109. lucia  |  27/01/2012 às 13:54

    Bebel,
    Esse governo não tem interesse realmente na educação de nossos alunos e nem que os professores trabalhem com interesse, com gosto, com alegria e vendo essa bagunça que se instalou no seio do professorado paulista, percebe-se que o início do ano letivo já está comprometido com tantos desapontamentos com o não cumprimento da lei. Pergunto: Qual a chance desse quadro ser revertido a nosso favor? Obrigado e abraços!!!

    Responder
    • 110. apeoesp  |  27/01/2012 às 14:56

      Prezada professora Lúcia,
      A chance de reversão é tanto maior quanto maior for a nossa resistência e perseverança. É difícil, mas nada é impossível. Nosso compromisso com a educação tem que ser o nosso combustível.
      Bebel

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,860,811 hits

Comentários

apeoesp em
apeoesp em Temer, inimigo da educação, ve…

%d blogueiros gostam disto: