O governo pode escolher que decisões judiciais vai cumprir?

02/02/2012 at 13:21 232 comentários

Na edição de 01/02 do jornal Folha de S. Paulo traz um artigo do senador Aloysio Nunes Ferreira, do PSDB/SP, para tentar justificar a violência da Polícia Militar contra os moradores do bairro Pinheirinho, em São José dos Campos, para desocupar uma área que pertence ao mega-especulador Naji Nahas. O senador foi secretário da Casa Civil durante o governo de José Serra no Estado de São Paulo, governo este que reprimiu duramente movimentos sociais, inclusive de professores, utilizando os mesmos métodos violentos usados na reintegração de posse de Pinheirinho. Acredito que por isso se sinta tão à vontade para tratar do assunto.

Um dos argumentos que o senador utiliza no seu artigo é o de que uma ordem judicial deve ser respeitada e cumprida para que se preserve o Estado de Direito. Ele diz que este princípio deve ser defendido pelas mais altas autoridades. Então, seria de muito bom alvitre que o senador pudesse conversar com o governador Geraldo Alckmin, que é do seu partido, bem como com o secretário estadual da Educação, para dizer a eles que ordem judicial deve ser cumprida e que a democracia e o Estado de Direito devem ser preservados. E deve dizer a eles que o exemplo deve partir das mais altas autoridades.

 O que ocorre neste momento com relação à implementação da jornada de trabalho prevista na lei do piso salarial profissional nacional (lei federal 11.738/08) é uma demonstração de que o partido do senador, o PSDB, não faz o que prega. Ele age discricionariamente e não respeita a justiça nem o Estado de Direito, pois escolhe que decisão judicial vai cumprir ou não.

 A APEOESP obteve na justiça uma liminar no mês de novembro no Mandado de Segurança Coletivo que ajuizou pelo cumprimento da lei do piso. Pois bem, o governo simplesmente ignorou a liminar, apesar de declarações do governador e do secretário da Educação de que a cumpririam. Recorreram em dezembro, apesar de dizer que não o fariam, e perderam. Porém, continuaram ignorando a ordem judicial. Intimados a cumprir a liminar em 72 horas, editaram a resolução 8, feita às pressas, fugindo do que determina a lei.

Conseguiram obter decisão favorável em um recurso protelatório no TJSP, mas, finalmente, foi proferida pelo juiz da causa a sentença do Mandado de Segurança da APEOESP. Ela é construída com um texto brilhante e é clara: cumpra-se a lei do piso em sua correta concepção. A sentença rejeita liminarmente a resolução SE 8, entendendo que o governo procura utilizar cálculos aritméticos para burlar a lei. Ainda assim a Secretaria da Educação está determinada a não cumprir a decisão da justiça.

Para além de utilizar os recursos que a lei lhe faculta, o que é legítimo, extrapola de seu poder deixando simplesmente de executar decisões que lhe desagradam ou que divergem de seus projetos. Não podemos e não vamos aceitar isto. Estamos denunciando permanentemente ao poder judiciário as atitudes da Secretaria da Educação que configuram, ao nosso ver, verdadeira insubordinação contra a justiça e desrespeito ao Estado de Direito. Exatamente o contrário do que prega o ilustre senador do PSDB.

Maria Izabel Azevedo Noronha
Professora de Língua Portuguesa da rede estadual de ensino
Presidenta da APEOESP – Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo
Membro do Conselho Nacional da Educação
Membro do Fórum Nacional de Educação

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

Estado apela, mas não consegue efeito suspensivo Pagamento de férias dos professores da categoria “O”

232 Comentários Add your own

  • 1. VILMA  |  02/02/2012 às 13:37

    Prezada Bebel,

    Minha DE é a leste-Campinas.
    Conversei com a diretora. Ela não quer agir sem o consentimento da diretoria, pois teme um processo administrativo, além de não ser efetiva.
    Na diretoria, por sua vez, não querem agir por medo também…é a hierarquia!
    Qual a solução?
    Até faríamos uma atribuição no sábado, domingo, de madrugada…
    Agradeço, abraços

    Responder
    • 2. apeoesp  |  02/02/2012 às 17:41

      Prezada professora Vilma,
      Estamos comunicando o juiz do descumprimento da sentença, para que ele determine as providências a tomar.
      Bebel

      Responder
    • 3. mvmmenezesrcos  |  02/02/2012 às 19:05

      Prezada Bebel.

      Você sabe dizer quem é o juiz que está analisando a apelação? É o mesmo que julgou a 1a instância ou outro? Obrigado

      Responder
      • 4. apeoesp  |  02/02/2012 às 19:26

        Prezado professor,
        É uma grupo de juizes, mas o juiz da causa é parte do processo.
        Bebel

  • 5. Cleber  |  02/02/2012 às 13:38

    “Que pais é esse??? Quanta impunidade e nada acontece!!!!! estão querendo ser acima da lei, e nós (professores) o que fazer???

    Responder
  • 6. Hugo Antonio da Silva  |  02/02/2012 às 13:49

    A democracia burguesa uma grande falácia. veja o que os fariseus, os doutores da lei, disseram no caso do Pinheirinho: “Uma ordem judicial deve ser respeitada e cumprida para que se preserve o Estado de Direito”. E assim colocaram as tropas armadas até os dentes para executar o mandado de segurança vendido e infame sobre os aqueles moradores. Mas, quando o governo descumpre uma decisão judicial quem vai invocar a tropa contra ele???
    Infames!!

    Responder
  • 7. VILMA  |  02/02/2012 às 13:53

    …complementando,
    a Apeoesp não pode denunciar ao juiz o descumprimento da lei?

    Responder
    • 8. apeoesp  |  02/02/2012 às 17:24

      Prezada professora Vilma,
      Já o estamos fazendo.
      Bebel

      Responder
  • 9. Sidnei Ribeiro de Moraes  |  02/02/2012 às 13:57

    A pergunta é: como ficamos agora? A SEE se omite e não dá informações ou orientações sobre uma nova atribuição. Se nem os horários estão prontos e poucos alunos estão comparecendo à escola, o momento de refazer as jornadas não seria este? Como obrigá-los a cumprir a lei? Quanto tempo para julgar o novo recurso e quem irá fazê-lo?
    Sidnei R. Moraes
    prof. Física, Santos-SP

    Responder
    • 10. apeoesp  |  02/02/2012 às 17:21

      Prezado professor Sidnei,
      O juiz está sendo comunicado do descumprimento da sentença. O recurso será julgado pela câmara do TJSP, mas o juiz da causa é parte do processo.
      Bebel

      Responder
  • 11. fabio nobre  |  02/02/2012 às 15:11

    Presidenta entre com mandato de prisão.

    Se não vamos perder essa de novo.

    Eles querem tempo para “mudar” a decisão do judiciário.

    Não existe dialogo com eles, não espere ate segunda e nem depois da assembleia geral.

    Ate.

    Responder
    • 12. apeoesp  |  02/02/2012 às 17:06

      Prezado professor Fábio Nobre,
      O juiz está sendo notificado do descumprimento da sentença. Ele é que pode definir as punições.
      Bebel

      Responder
  • 13. Reinaldo  |  02/02/2012 às 15:44

    Olá Bebel!!! Esse governo está agindo como um ditador. Como um governo que fala para imprensa que quer uma educação de qualidade quando ao mesmo tempo rejeita uma LEI que favorece uma possivel educação de qualidade? Imagine você se na época da referida lei, em 2008, o Brasil fosse governado pelo PSDB, estaríamos fritados rs e essa lei não existiria. Mas, afinal, o que acontece se o governo não respeitar uma decisão judicial? Pois, no twiter do site da educação há uma informação de que ” as aulas continuam até um novo parecer da justiça, quanto ao recurso enviado ontem por eles”

    Responder
  • 14. Paulo Henrique  |  02/02/2012 às 16:01

    Olá Bebel, parabéns pela sua luta e persistencia. vitória merecida.
    Não seria o momento de levar a imprensa televisiva estas informações, o desrespeito do Governo e sua truculência e imediatismo no caso “Pinheirinho”. Como o governo diz – decisão judicial não se contesta, se cumpre.”

    Responder
    • 15. apeoesp  |  02/02/2012 às 16:42

      Prezado professor Paulo Henrique,
      Muito obrigada.
      Esta matéria foi distribuida a todos os meios de comunicação.
      Bebel

      Responder
  • 16. Cristina Kika  |  02/02/2012 às 16:04

    Pode escolher?
    Nós pobres mortais podemos escolher?

    Responder
  • 17. Professor da rede que prefere anonimato  |  02/02/2012 às 16:06

    Olá Bebel,

    É o seguinte, tem um twitter no site da educação em que a SEE diz que eles recorreram e as aulas, neste processo devem seguir normalmente. Se já está julgado que o recurso não foi acatado desta forma, como fica a situação?

    Outra coisa, a matéria acima está “legal”, mas acredito que neste momento não deveríamos ficar fazendo referências partidárias e sim a causa em si, ao que vejo, tudo isto só está acontecendo por picuinhas políticas de situação e oposição, seja no federal ou estadual, uma disputa de forças em que quem sofre são nossos alunos e colegas professores. Sei e sofro represálias, mas infelizmente hoje em dia, independente de partido, quem está no executivo quer mandar a seu bel prazer, seja em que instância (municipal, estadual e federal) e partido for.

    Responder
    • 18. apeoesp  |  02/02/2012 às 16:35

      Prezado professor,
      Trata-se de um senador de um determinado partido, cujo governador não cumpre o que ele mesmo diz. O partido foi citado por esta razão.
      Bebel

      Responder
      • 19. zicamemo  |  03/02/2012 às 23:30

        Caro professor e professora Isabel. Esse seu artigo foi muito bem colocado, pois eu mesmo estava analisando por essa ótica a situação do PSDB. Essa fala do senador foi a mesma que ouvi de Alckmin em algum programa de tv muito rapidamente e, na mesma, hora pensei nesse caso do pinheirinho e da cracolândia. Naquela situação ele se remetia a ação policial do centro de sp e se baseava no argumento da necessidade de se manter o cumprimento de uma decisão judicial para que se mantivesse o “Estado democrático de Direito” fortalecido. É de uma arbitrariedade e uma falta de respeito com o verdadeiro senso de justiça imensos.

      • 20. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:36

        Prezada professora Zica,
        Muito obrigada. Obrigada pela sua análise.
        Bebel

  • 21. maria coimbra  |  02/02/2012 às 16:10

    É dessa forma que SEE busca uma educação de qualidade e professores valorizados, neste últimos dias tenho feito uma profunda reflexão da minha escolha profissional e constatei que eu poderia ser muito mais feliz se tivesse investido os quase dez anos que tenho no magisterio paulista em outro ramo. Fui na universidade uma aluna exemplar, no inicio da carreira dei aulas no extinto telecurso e na FEBEM, no primeiro concurso passei e assim se vâo quase uma década. Para que, se com o salário que ganho mal dá para prover o sustento da minha família .Sou obrigada a acumular com a prefeitura de SP para assim tentar ter uma vida digna.

    Responder
  • 22. flavio eduardo mazetto  |  02/02/2012 às 16:15

    Não se faz necessário algum tipo de documento, requerimento, algo parecido, para que possamos, nas escolas, exigir o cumprimento do mandado de segurança? Tal documento não deveria ser a comprovação para o juiz de que o governo continua descumprindo a decisão?
    Só avisar resolve?
    Por favor, nos envie esta informação para que tenhamos clareza do procedimento a ser tomado. na escola em que trabalho continuamos com as aulas da resolução 08.
    no aguardo. Obrigado.

    Responder
    • 23. apeoesp  |  02/02/2012 às 16:30

      Prezado professor Flávio,
      Na realidade, que deve zelar agora pelo cumprimento da sentença é o próprio juiz e estamos levando a ele a denúncia de que a SEE a está descumprindo.
      Bebel

      Responder
  • 24. Josias Fernandes de Aguiar Ribeiro  |  02/02/2012 às 16:25

    Eu tenho nojo dessa gente do partido do senador e do governador, em todas as esferas das administração pública.

    Estou cansado de ver na televisão (e já vi umas quatros) reportagens do governador do nosso estado dizendo também: “Decisão judicial tem que ser cumprida”, mas é referente a reintegração(extermínio) de posse lá do Bairro Pinheirinhos. O pessoal que gosta de editar vídeos deveria pegar essa fala do governador e colocar logo apos isso a sentença do juiz nesta questão da lei do piso, iria ficar bem legal e tenho certeza que teria muitos acessos. Fica a ideia.

    Responder
    • 25. Sidnei Ribeiro de Moraes  |  02/02/2012 às 16:47

      Não tenho partido e acho que estes que estão aí, há 16 anos são uns crápulas e acabaram com a educação em nosso estado. Mas um colega gaúcho, que é representante da APEOESP em minha escola, disse que no Rio Grande do Sul nem o salário da lei do piso é cumprido pelo sr. Tarso Genro…por isso mantenho a minha tese: NÃO EXISTEM PARTIDOS POLÍTICOS NESSE PAÍS, APENAS GRUPOS DE INTERESSES QUE LUTAM PELO PODER E SÓ TEM PROJETOS DE PODER, NÃO DE NAÇÃO.
      Paz e Bem,
      Sidnei Ribeiro de Moraes, de Santos-SP

      Responder
  • 26. Val  |  02/02/2012 às 16:40

    Bebel, todos nós, em nossa escola, estamos querendo entrar com o requerimento. Seria boa essa atitude?

    Obrigada, temos de fazer valer nossos direitos.

    Responder
    • 27. apeoesp  |  02/02/2012 às 17:26

      Prezada professora Val,
      Tudo o que puder contribuir é bem vindo, mas a decisão tem que partir da direção da SEE, cumprindo determinação do juiz.
      Bebel

      Responder
  • 28. solange maria pardo  |  02/02/2012 às 17:18

    Gostaria de saber se até segunda-feira esta questão estará definida pois quarta-feira terá nova atribuição de aulas e então terei que mudar de Sede pois estou cumprindo horas de permanência…isso dificulta quem quer fazer a prova de mérito…Gostaria de uma resposta.
    Profa. Solange

    Responder
    • 29. apeoesp  |  02/02/2012 às 17:37

      Prezada professora Solange,
      Estamos levando a denúncia de descumprimento da sentença ao juiz para que ele determine a imediata aplicação da mesma.
      Bebel

      Responder
  • 30. Adriana  |  02/02/2012 às 17:32

    Espero que nossos direitos sejam respeitados!Que sejam feitas novas atribuições o mais rápido possível,pois estamos sendo prejudicados!Justiça seja feita!

    Responder
  • 31. jose robertoPiracicabaSP  |  02/02/2012 às 17:33

    A foto do blog está uma obra de arte. Parabéns. Linda e com classe.Como sempre, evidentemente.

    Responder
    • 32. apeoesp  |  03/02/2012 às 17:03

      Prezado professor José Roberto,
      Muito obrigada.
      Bebel

      Responder
  • 33. claudia noronha  |  02/02/2012 às 17:35

    Bebel
    Na minha escola continua tudo na mesma, e por incrível que pareça, a diretora e alguns funcionários, simplesmente agem como se nada disso estivesse acontecendo, eles dizem : ” Está no diário oficial? Então não tem valor”. Você disse que encaminhou a denuncia, quanto tempo você acha que pode demorar para se cumprir a lei?

    Obrigada.

    Responder
    • 34. apeoesp  |  03/02/2012 às 17:02

      Prezada professora Cláudia,
      A SEE está usando recursos para adiar o cumprimento da sentença.
      Bebel

      Responder
  • 35. fabio  |  02/02/2012 às 17:52

    Gostaria de saber se é verdade das cartinhas que os professores da antiga categoria l estão recebendo com estorno dp mes de dezembro, para serem pagas no dia 29 de fevereiro ?? obrigado

    Responder
    • 36. apeoesp  |  03/02/2012 às 17:00

      Prezado professor Fábio,
      A APEOESP ganhou liminar para que este estorno não seja feito. Procure o departamento jurídico.
      Bebel

      Responder
  • 37. Carol  |  02/02/2012 às 18:41

    Bebel aqui continua como determinou a SEE.
    E agora como vai ficar?

    Responder
    • 38. apeoesp  |  03/02/2012 às 18:00

      Prezada professora Carol,
      Estamos em uma batalha jurídica. O Estado tem usado todos os recursos protelatórios. O juiz está sendo comunicado de todos os fatos. Cabe à justiça fazer cumprir a sentença.
      Bebel

      Responder
  • 39. lucas  |  02/02/2012 às 18:56

    Bebel o governo estava certo ao pagar apenas um sexto das férias em janeiro?as férias de janeiro de 2012 não são referentes a 2011, não era para ser pago um terço do salário de férias????Sobre a lei do piso: assembleia geral na quarta-feira, dia 8 URGENTE!!!

    Responder
    • 40. apeoesp  |  03/02/2012 às 16:59

      Prezado professor Lucas,
      Infelizmente, sim. Os professores adquiraram direito a férias em 2011, mas elas são gozadas em 2012, portanto, o pagamento é de 2012, com as férias divididas em dois períodos de 15 dias.
      Bebel

      Responder
  • 41. ROSANA  |  02/02/2012 às 19:04

    OLÁ! BEBEL

    NO CASO DO INTERLOCUTOR DE LIBRAS A LEI DO PISO TAMBÉM SERÁ APLICADA, JÁ QUE NÃO CONFIGURA “PROJETO”?
    OBRIGADA!
    ROSANA

    Responder
    • 42. apeoesp  |  02/02/2012 às 19:29

      Prezada professora Rosana,
      Sim, se aplica a todos os professores.
      Bebel

      Responder
  • 43. Benedito  |  02/02/2012 às 19:58

    “A reitoria da USP é uma organização criminosa”, diz Paulo Arantes
    Posted on 30/01/2012 publicado originalmente no portal Spresso SP
    Filósofo afirma que esquema de arapongagem é “coerente” com ações da direção da universidade
    Por Mario Henrique de Oliveira
    A classe docente da USP parece não se surpreender mesmo com o esquema de espionagem de alunos e funcionários que a edição de janeiro da revista Fórum revelou, agora foi a vez do professor aposentado do Departamento de Filosofia, Paulo Arantes, fazer sua avaliação sobre o caso. “É curioso, mas totalmente coerente com as medidas até agora implantadas pelo reitor João Grandino Rodas. A reitoria da universidade hoje, toda ela, não só o Rodas, é uma organização criminosa. Tem muito mais coisa a se averiguar”, revela o filósofo.
    “Pouco importa a violência, o que importa é que nenhuma vidraça tenha sido quebrada”, diz Paulo Arantes
    Mesmo dizendo que o esquema de arapongagem surpreende pela ousadia de usar um tipo de estratégia da época da ditadura, Arantes indica por onde uma investigação deveria passar. “O grande problema hoje é saber o que acontece com o orçamento da USP, o que a reitoria faz com ele. A maior universidade do país nada em dinheiro, mas não contrata, não faz nada a não ser serviços de zeladoria dentro do campus. Por que isso?”, questiona. “O esquema da arapongagem é mais um elemento na luta contra a reitoria, pois evidencia mais uma de suas ferramentas, mas gostaria de ver uma investigação sobre o dinheiro”, completa ele.
    Arantes até levanta a suspeita de que Rodas pudesse ter facilitado o acesso aos documentos que provam as espionagens. “Não sei como vocês (da Fórum) conseguiram esses documentos, mas não duvidaria que ele, de alguma maneira, tivesse facilitado que isso fosse encontrado. É mais uma provocação dele e o Rodas vive de provocar”, fala.
    Para o filósofo não é novidade alguma que alunos e funcionários são constantemente fotografados durante assembleias, até porque, pelo número de pessoas presentes, fica difícil o controle. No entanto, ele alerta para quando as reuniões são menores. “Há grampos, e com isso tem que se tomar cuidado.”
    Arantes diz que a sociedade hoje vive em uma “paranoia de segurança”, o que contribui e facilita ações, não só como as de Rodas, mas também outras como a operação na Cracolândia e no Pinheirinho. “Hoje, quem está no poder tem que dar uma satisfação sobre a segurança, mostrar serviço e que ele está zelando pelo bem comum. A questão é que, ao contrário dos tempos da ditadura, hoje não existe mais a chamada subversão, apenas propriedade privada. Quando dizem que estão perturbando a ordem, se referem apenas a ordem patrimonial”, afirma o professor. “Quem me dera fazer parte de um partido que realmente ameaçasse o capitalismo como alegam. Quanto a isso, nós estamos comendo poeira ainda”, fala ele, sobre as justificavas das ações policiais.
    O filósofo continua dizendo que a polícia nada mais faz do que o seu papel na sociedade atual, que é o de vigiar, controlar e reprimir e que todos movimentos hoje, seja de quilombolas, sem teto, de camponeses ou indígenas, todos constantemente monitorados. “Desde quando a polícia foi criada, já era dito que ela atuaria à margem da lei e que toda ação policial seria um ato de exceção. Estão apenas continuando isso”, finaliza Arantes.
    O que a USP diz
    A reportagem do SPressoSP procurou a reitoria da Universidade de São Paulo para que pudesse responder às acusações do professor Paulo Arantes. Por meio de sua assessoria de imprensa, a reitoria nos enviou a seguinte nota:
    “Anualmente, a Comissão de Orçamento e Patrimônio submete ao Conselho Uníversitário, órgão máximo da Instituição, a proposta de diretrizes para aplicação dos recursos da USP no exercício seguinte. Essa proposta é baseada na análise da execução do orçamento vigente, nas informações e sugestões obtidas junto às Unidades de despesa da USP sobre suas necessidades específicas e nas contribuições dos membros do Conselho Universitário e dos órgãos da Administração da Universidade. As diretrizes orçamentárias tem como objetivo a destinação de recursos a atividades consideradas prioritárias para a realização dos objetivos da Univesidade, a modernização institucional, o desenvolvimento de novas atividades e o fortalecimento de sua inserção na sociedade. As diretrizes orçamentárias 2012, bem como a destinação do orçamento por áreas, estão disponíveis para o acesso público no site da Coordenadoria de Administração Geral (Codage), no endereço http://www.usp.br/codage

    Responder
  • 44. dirceu  |  02/02/2012 às 20:05

    a greve se aproxima… a cada momento mais perto… é o único modo de enfrentar o governo… perdido por um perdido por dez…. ou oito ou oitenta….professores levantem a cabeça…olhem para o cenário… vamos à batalha todos unidos até nocautear estes safados. eles estão rindo de nós e ganham milhões nada de diálogo a lei do piso é federal e constitucional.

    Responder
  • 45. fabio nobre  |  02/02/2012 às 20:50

    Bebel, conseguiu comunicar o juiz hoje sobre do descumprimento da jornada ? 02/02/2012

    ou vai comunica-lo amanha?

    Grato.

    Responder
    • 46. apeoesp  |  03/02/2012 às 14:37

      Prezado professor Fábio,
      O juiz está sendo informado dos fatos. Mas o Estado está ingressando com recursos.
      Bebel

      Responder
  • 47. Sonia  |  02/02/2012 às 20:55

    Bebel, parabéns por sua colocação! Perfeita!
    Perante a Constituição todos temos os mesmos direitos.Assim, eu também posso, de acordo com minhas necessidades e interesses, escolher as leis que irei cumprir?
    Nem todas as decisões que nos são impostas, são de cumprimento fácil e com total concordância, mas DEVEMOS cumprí-las, como o próprio governador declarou verbalmente à Rede Globo, por ocasião da invasão do Pinheirinho: “Decisão judicial deve ser cumprida e não discutida.”
    Diante desse desrespeito ao Estado de Direito, quais parâmetros usarei para formar cidadãos cumpridores de seus deveres, os meus que herdei dos meus pais e aprendi com meus mestres ou esses novos que a SEE está adotando?
    Que VERGONHA!!!!!!!!! Amo meu país, mas estou sentindo vergonha de ser brasileira!

    Responder
  • 48. anonimo  |  02/02/2012 às 20:56

    ….decisão judicial não se contesta, se cumpre.”

    Responder
  • 49. Denise  |  02/02/2012 às 21:16

    olá Bebel.

    Sou categoria O (aprovada no processo seletivo) e o contrato foi extinto em Dezembro, não terei pagamento, nem férias prevista e não posso nem eventuar porque o contrato não está ativo e outra não tem data prevista para nova atribuição e segunda-feira vão fazer atribuição nas escolas para quem já tem aulas atribuídas, não consigo compreender e estou indignado com o descaso que a SEE tem com um profissional que ama o que faz e precisa ser remunerado, ser respeitado, afinal tem família para sustentar.
    o que acontece com esse povo!!!!!

    gracias.

    Responder
    • 50. apeoesp  |  03/02/2012 às 14:34

      Prezada professora Denise,
      Você deveria ter participado do processo inicial de atribuição de aulas. Você participou e não conseguiu aulas ou não participou? Entre em contato com sua DRE.
      Bebel

      Responder
      • 51. Denise  |  03/02/2012 às 20:32

        Não houve saldos para Letras, logo no começo da atribuição do dia 31/01/2012 ás 8:30 os trabalhos foram abertos com aulas de Português e Inglês zeradas.(muito estranho!!!)
        Tenho outra dúvida se eu começar eventuando sendo categoria “O ” vou ter algum problema!
        agradecida Denise.

      • 52. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:13

        Prezada professora Denise,
        Você pode procurar sua subsede para que verifiquem o que ocorre.
        Não haverá problemas se começar com aulas eventuais.
        Bebel

  • 53. Matheus  |  02/02/2012 às 21:22

    Bebel, no gdae esta disponivel para cadastro em outras diretorias, podemos adicionar diretorias diferentes sem nos prejudicar na DE que ja estamos?

    Responder
    • 54. apeoesp  |  03/02/2012 às 14:30

      Prezado professor Matheus,
      Podem se cadastrar livremente.
      Bebel

      Responder
  • 55. Regina  |  02/02/2012 às 21:31

    Olá,Bebel? Não seria o caso de anular a atribuição feita e voltarmos ao zero? poderíamos suspender as aulas por dois ou três dias agora e repor no mês de julho.Esse negócio de redistribuir as aulas vai ser a maior confusão. Na minha escola, professores ficaram adidos por conta das 32 aulas, o que não aconteceria com as 26. Como fica?

    Responder
    • 56. apeoesp  |  03/02/2012 às 14:29

      Prezada professora Regina,
      Cabe ao Estado estabelecer a forma pela qual a sentença será cumprida, devendo submetê-la ao juiz. Nós acreditamos que é possível o processo mais justo possível sem turbulências e sem necessidade de suspensão de aulas. Situações como a que você relata também devem ser corrigidas.
      Bebel

      Responder
  • 57. Jacob  |  02/02/2012 às 21:42

    Profª Maria Izabel,
    Aqui na DSul 3, não estão cumprindo a sentença judicial.
    O governador Geraldo Alckmin acha que está acima da lei? O Juiz tem que saber que esse Sr. não cumpre uma ordem judicial e trata com escárnio a decisão !

    Responder
  • 58. Antonio  |  02/02/2012 às 21:46

    Bebel, gostaria de saber como vai ficar a tabela da nova jornada completa (aulas+HTPC+HTPL). Por exemplo se o professor ter 25 aulas atribuídas, ela vai ganhar por quantas aulas.
    Prof.Antonio

    Responder
    • 59. apeoesp  |  03/02/2012 às 14:21

      Prezado professor Antonio,
      Ele continuará a receber pelas 30 horas.
      Bebel

      Responder
  • 60. Fonseca  |  02/02/2012 às 21:52

    Bebel, caso mude a nossa carga por acaso pode se por exemplo eu que tenho 30 aulas sendo 24 básica e suplementei com mais 4, deverei abaixar para 20 e suplementar com mais 6 para poder ganhar a integral?

    Responder
    • 61. apeoesp  |  03/02/2012 às 13:56

      Prezado professor Fonseca,
      Quando a sentença for executada, o que já deveria estar acontecendo, o Estado deverá normatizar todas as situações.
      Bebel

      Responder
  • 62. Ana Kuhn  |  02/02/2012 às 22:00

    Olá Bebel,
    Somos da região de Presidente Prudente, estamos protocolando documentos nas escolas e DEs requerendo esclarecimento a respeito do não cumprimento do contido na Lei Federal nº 11.738/08, visto que foi proferida sentença pelo Juiz da 3ª Vara da Fazenda e esclarecendo que a SEE já apresentou recurso, sendo este recebido apenas no efeito devolutivo o que determina o cumprimento imediato da r. sentença, sob pena de, não o fazendo, caracterizar desobediência à ordem judicial. Algumas escolas já responderam. Estaremos em contato. Essa luta é de todos! Obrigado pelo carinho.

    Responder
  • 63. Benedito  |  02/02/2012 às 22:02

    Essa mensagem do Sindicato dos funcionários da USP foi postada por mim , para mostrar como estão agindo a tucanada , o reitor Rodas da USP, foi o terceiro de uma lista triplice e escolhido a dedos pelo senhor José Serra, tucano -mor, a polícia que prendeu 73 e desocupou a reitoria , é a mesma que sob as odens do senhor Alkmin fez a desocupação do Pinheirinho em São José dos Campos. Pelo relato acima o senhor Rodas homem do Alkmim na USP, espionou O Sindicato, colocou escuta , e gente infiltrado dentro do Sindicato , não se admirem se o mesmo está acontecendo conosco agora. è só lembrar dos policiais P2 em nossa assembléia em 2010.
    Benedito.

    Responder
  • 64. victor  |  02/02/2012 às 22:22

    E ai vai ficar pra semana que vem??? E com isso vai angustiando mais os professores. Vamos la sindicato cade que o Juiz pressionou o governo para cumprir a liminar??? Nos vamos da as 32 aulas mesmo???? Quer dizer o que o Juiz determinou nao vale nada???? A palavra do Juiz nao vale nada???

    Responder
    • 65. apeoesp  |  03/02/2012 às 12:55

      Prezado professor Victor,
      O Estado vem usando suas possibilidades de recursos. E retardando o cumprimento da sentença. O juiz está sendo informado dos acontecimentos e cabe à justiça determinadas as medidas para o cumprimento da sentença.
      Bebel

      Responder
  • 66. Edmilson  |  02/02/2012 às 23:09

    Tudo o que está acontecendo na recusa do governo do Estado de São Paulo em cumprir a uma ordem judicial é uma afronta inadmissível ao estado de direito que coloca em risco a própria democracia. Podemos comparar tal fato como um golpe a igualdade de direitos assegurado pela própria Constituição Federal. Espero que a justiça tanto estadual quanto federal tomem as devidas providencias cabíveis independente da pessoa ou do cargo que a mesma ocupe, pois do contrário começo a ter uma séria preocupação com o futuro do nosso pais, porque suprimento de direitos é um doa atos corriqueiro em governos ditatoriais.

    Responder
  • 67. Cris  |  02/02/2012 às 23:11

    Bebel, parabéns… e muito obrigada…
    Estamos confiantes e aguardando, confiamos em vcs… bjs

    Responder
    • 68. apeoesp  |  03/02/2012 às 12:39

      Prezada professora Cris,
      Obrigada.
      Bebel

      Responder
  • 69. Andy  |  02/02/2012 às 23:16

    Pelos comentários em minha escola a Apeoesp está fazendo tudo para perder a ação e o pouco de confiança que resta aos professores!!! Uma paralisação seria um aviso a mídia iria repercutir, mas não sei o que teme !!!!

    Responder
    • 70. apeoesp  |  03/02/2012 às 12:38

      Przeado professor Andy,
      Uma paralisação, para acontecer, terá que ser preparada com profundidade e eficiência para que tenha o resultado que esperamos. A melhor maneira de colocar uma luta a perder é a precipitação e o mau preparo. Quanto aos comentários da sua escola, acho que são desleais e acredito que partam de pessoas que se oponham à direção da APEOESP e ao próprio sindicato. Verão que estão errados. Estamos lutando, muito, e confiamos na vitória.
      Bebel

      Responder
    • 71. suraya caram  |  03/02/2012 às 14:03

      Andy,

      A pesca está difícil !!! Com barulho , então …aí é que os peixes se vão!!! Radicalismo não leva a nada !!!
      abraço,

      Responder
  • 72. Vitor Borges  |  02/02/2012 às 23:51

    Bebel , cabe algum novo recurso o governo ja perdeu???? o que ira acontecer com quem ja pegou aulas ???? o que vc acha que deve acontecer de forma clara para que possamos enteder .

    Beijo

    Responder
    • 73. apeoesp  |  03/02/2012 às 12:19

      Prezado professor Vitor,
      O momento é de algumas indefinições, porque o governo está usando os recursos disponíveis. Estamos mantendo o juiz informado de tudo e cabe a ele definir as medidas a serem tomadas.
      Bebel

      Responder
  • 74. Adri  |  03/02/2012 às 00:21

    o que é mais absurdo em tudo isso são as mídias não falarem absolutamente nada sobre esse caso… num país onde um “estupro” num reality show vira notícia o que se pode esperar?

    Responder
  • 75. Prof. Pedro (Diadema)  |  03/02/2012 às 00:22

    Bebel!
    Aqui em Diadema não existe um debate nas escolas por parte da diretoria da regional para esclarecer os professores da atual situação.
    Também não tenho conhecimento de que a diretoria regional se encontrou com DE-Diadema para debater a implantação da jornada segundo a determinação judicial.
    Eu trabalho em duas Escola e tenho debatido com os professores este momento ímpar que estamos vivendo, mas existe muitas dúvidas por parte dos professores destas UEs.
    Espero que até segunda feira esta situação seja resolvido, pois aqui em Diadema a DE não esta seguindo a ordem judicial e os Diretores se negam a discutir o assunto.
    Há diretores de escola, conselheiro da APEOESP que não acatou a decisão e orientação da APEOESP.
    Grato
    Prof. Pedro (Diadema).

    Responder
  • 76. Luiz Sousa  |  03/02/2012 às 01:01

    Prezada Bebel
    É lamentável a atitude da Secretaria da Educação, devemos sim ter essa nova jornada. Só teremos tempo de preparar as aulas,atividades, correção de provas em casa. Tenho sempre que trabalhar em casa no horário do meu descanso até tarde da noite preparando aulas e fazendo o possível para ministrar aulas com qualidade. Diante do exposto acho um absurdo ter que ficar em casa trabalhando para a escola, quando o correto seria na unidade escolar. Precisamos nos dedicar a família em casa , estou ficando doente, estressado, e cansado, precisei tirar licença saúde em virtude do estresse , e me foi negada.

    Responder
  • 77. Gustavo Barcelar  |  03/02/2012 às 01:11

    Professora Bebel,
    Levei os documentos todos que me foram pedidos pelo secretario de escola, para realização do meu contrato. Perguntei se já receberia em março, já que em fevereiro não teria mais salário. E fui informado que seria digitado minhas aulas em março para pagamento somente em abril. Está correto isto? Vou ficar sem salário durante dois meses inteiros. Desta maneira prefiro largar de vez o estado, pegar meu diploma e guarda-lo pra sempre dentro da gaveta e ir trabalhar atras do balcão de uma padaria, pelo menos sei que receberei no final do mês trabalhado. `Por favor, me esclareça sobre isto..

    Grato…

    Prof. Gustavo Barcelar

    Responder
    • 78. apeoesp  |  03/02/2012 às 11:45

      Prezado professor Gustavo,
      Sim. Tem sido sempre assim. É necessário um tempo para que sejam implantadas as informações no sistema. Pode haver uma folha suplementar.
      Bebel

      Responder
  • 79. Silvio  |  03/02/2012 às 02:23

    No Twitter da SEE-SP há a seguinte informação:

    educacaosp Secretaria Educacao
    A @educacaosp recorreu contra a sentença nesta quarta-feira. Até nova decisão da Justiça, prosseguem as aulas.

    Isso significa que o Governo não cumprirá o que determina a sentença.

    Responder
    • 80. apeoesp  |  03/02/2012 às 11:34

      Prezado professor Silvio,
      O juiz está acompanhando todos os acontecimentos. Cabe a ele definir as providências a serem tomadas frente às atitudes da SEE. Por outro lado a SEE está utilizando os recursos que a lei lhe faculta.
      Bebel

      Responder
  • 81. Gilberto  |  03/02/2012 às 03:47

    É chegada a hora de todos se unirem e dar um basta em tanto desrespeito à população,chega de PSDB,mesmo que outro partido não seja o ideal,pelo menos mandaremos o recado.Infelizmente não acredito na justiça,nos juízes e seus interesses ocultos,quero ser continuar professor,mas …como com tantas incertezas e arbitrariedades,que Deus nos ajude!!

    Responder
  • 82. mariaaparecida  |  03/02/2012 às 10:10

    OI Isabel. Vc concorda que uma das alternativas para não faltar professor, seria o governo urgentemente mudar a resolução de atribuição e atribuir mais aulas para nós efetivos, ofa f ofa O etc. Conheço um monte de professor que só trabalha para o estado de SP,como é o meu caso.

    Responder
    • 83. apeoesp  |  03/02/2012 às 11:03

      Prezada professora Maria Aparecida,
      Sim, é uma alternativa a ser discutida.
      Bebel

      Responder
      • 84. suraya caram  |  03/02/2012 às 14:08

        Bebel,

        Talvez, uma outra forma de coibir a falta de professores seria permitir que mesmo quem não optou por ampliação de jornada pudesse , excepcionalmente , neste período de transição , fazê-lo agora !

      • 85. apeoesp  |  03/02/2012 às 16:33

        Prezada professora Suraya,
        Sim, esta é uma possibilidade.
        Bebel

  • 86. mariaaparecida  |  03/02/2012 às 10:15

    Seria muito produtivo para o estado ter profesores com dedicaçaõ exclusiva. isso com certeza melhoraria a qualidade de ensino.
    Gostaria de saber se alternativas desse tipo fazem parte da defesa da apeoesp p justicficar que não vai faltar 40 mil profesores como ele alega. já que ele demonstra que 10 mil professores existem p contrato.?

    Responder
    • 87. apeoesp  |  03/02/2012 às 11:01

      Prezada professora Maria Aparecida,
      Sim, este ponto está presente nas discussões sobre a carreira. Já temos também estudos de que o número de professores a contratar é bem menor do que o que o governo vem falando.
      Bebel

      Responder
  • 88. tais  |  03/02/2012 às 10:32

    Sei que minha pergunta não tem nada a ver com a notícia,mas o desespero é tanto…quando assinamos a recisão do contrato saiu a lei complementar 1132(me não me engano) dizendo”farão jus a salário acrescido de 1/3 de férias em caráter indenizatório”…a ser pago em data não definida em folha suplementar…até agora NADA mais uma vez esse governo brinca com a vida de famílias,pois temos contas a pagar…por favor vejam o que vocês podem fazer para que essa indenização seja paga este mês…desde já agradeço…

    Responder
    • 89. apeoesp  |  03/02/2012 às 11:00

      Prezada professora Tais,
      Você tem razão. Protocole um requerimento na escola cobrando este pagamento. A depender da resposta, ingresse com mandado de segurança individual por meio do departamento jurídico da APEOESP.
      Bebel

      Responder
  • 90. Regina  |  03/02/2012 às 11:56

    Bebel, até quando teremos que ficar nesta enrolação? Se ganhamos, então devemos fazer prevalecer a lei. O juiz deu causa ganha para a Apeoesp, O estado apelou e perdeu. E nós continuamos na mesma. Por quê?

    Responder
  • 91. vanda  |  03/02/2012 às 12:18

    Bebel antes de mais nada meus parabéns por todas as conquistas da apeoesp, Evamos ganhar nossa causa por uma educção de qualidade, que horror o q estao fazendo SEE,,Alkmin Herman e cya!! tudo fascistas,,,alias tudo tucanazistas e nós da educação( toda a categoria) estamos amerce desse bando de psdbs do inferno,,estamos prisioneiros em campo de concentraçao e nossos aliados são vcs Bebel do sindicato e deputados e juízes q respitam e lutam por nossa causa e nós professores q deveriamos entrar em greve!,,entretanto com este salario de esmola como vamos sobreviver???enfim!! a luta continu. Cara bebel a pergunta é Prof Readaptado tbem seguira hora aula de 50 m ,ou so trabalhara em cima de suas aulas( rol de atividades)?? bjos,,e força Bebel! e lute sempre por nós estamos a deriva com este governador truculento,,vingativo,,ditador,,coitados de todos da categoria,,nem poderemos respirar,,trabalho,,trablaho trablaho!!! e a educação diante da tv( globo) vai bem esta linda!!!e psdbs deitando e rolando com este governo desgraçado q arrebentou com a vida das pessoas do Pinheirinho,,com fome,,sem teto,,este é Alckmin governando por SP. E fazendo o msm conosco professores! BASTA! CGEGA DE NAZISTAS AQUI NO PODER,ATE QDO??? NAO SEI ATÉ POVO DE SP ACORDAR NAO ME REFIRO AOS FUNCIONARIOS PUBLICOS E SIM AS PESSOAS Q SOCAM VOTOS NESTA CORJA NO PODER HA QSE 20 ANOS.

    Responder
  • 92. Francisco  |  03/02/2012 às 12:20

    Oi bebel, bom e o juiz ja emitiu o efeito punitivo ao estado??? chegou sexta feira e tudo vai se esfriar novamente como o estado queria, pois alem disso, a see ja entrou com outro recurso, agora esse novo rercurso pode suspender o a aplicaçao da lei do piso??

    Responder
  • 93. CRISTINA  |  03/02/2012 às 12:38

    Então o juiz ja foi notificado a respeito do estado não estar cumprindo a lei!!! e agora qto tempo esperaremos ? será o tempo suficiente para o estado ? os tais 15 dias? espero que o juiz hoje mesmo tome providencias, pois os professores estão angustiados !!!! QUE INICIO DE ANO TENSO!!!
    GRATA

    Responder
  • 94. ROSANA  |  03/02/2012 às 12:56

    OLÁ! BEBEL

    NO CASO DO INTERLOCUTOR DE LIBRAS, A LEI DO PISO TAMBÉM SERÁ APLICADA, JÁ QUE NÃO É “PROJETO”?

    OBRIGADA!
    ROSANA

    Responder
    • 95. apeoesp  |  03/02/2012 às 13:14

      Prezada professora Rosana,
      Sim, será aplicada.
      Bebel

      Responder
  • 96. CRISTINA  |  03/02/2012 às 12:56

    E AGORA , O JUIZ JÁ FOI NOTIFICADO DO NÃO CUMPRIMENTO DO GOVERNO!!! SERÁ QUE TEREMOS QUE ESPERAR OS TAIS 15 DIAS? E O JUIZ NÃO TOMARÁ COM URGENCIAS AS PROVIDENCIAS PARA O NOSSO FAVOR?

    Responder
    • 97. apeoesp  |  03/02/2012 às 13:12

      Prezada professora Cristina,
      O Estado está usando suas possibilidades de recursos e retardando o cumprimento da sentença. O juiz está sendo informado e cabe a ele tomar as decisões para que a sentença seja cumprida.
      Bebel

      Responder
  • 98. Elis  |  03/02/2012 às 13:09

    Bebel por favor, minhas dúvidas não tem muito a ver com o post, mas preciso de orientação.
    Eu não assinei a recisão, mas não passei na prova, sou cat O. Tenho direito em receber as férias? Meu contrato iniciou em 03/2010. Já tem data prevista para atribuições de aulas para os não aprovados? Os duzentos dias sem trabalhar são vigentes para os não aprovados?
    Bebel estou muito preocupada, sem dinheiro, e sem trabalho, me sinto um fracasso por não passado não prova..

    Responder
    • 99. apeoesp  |  03/02/2012 às 13:31

      Prezada professora Elis,
      Você tem direito a receber as férias como indenização. Mas você precisa ingressar com requerimento na escola, pois o Estado está dificultando o pagamento.
      A quarentena não é mais de 200 dias e sim de 40 dias.
      Quanto à atribuição, serão realizadas ao longo do ano, após os que obtiveram a nota mínima. Fique atenta e em contato com sua escola/DRE.
      Bebel

      Responder
  • 100. Mauro Sala  |  03/02/2012 às 13:25

    Infelizmente parece que o governo do tucano-fascista Geraldo Alkimin pode e “despode” tudo nesse estado: nesse verdadeiro estado de exceção! Para quem tem dúvidas ainda veja o depoimento gravado durante a audiência pública sobre a desocupação do Pinheirinho. Segue o link:

    http://www.viomundo.com.br/denuncias/defensoria-publica-desmonta-toda-a-historia-oficial-sobre-o-pinheirinho.html

    A secretaria de educação do tucanato paulista já disse que “as aulas seguem” até que seja julgado o recurso. E como provavelmente caiba um “recurso do recurso”, parece-me claro que ela não pretende cumprir nenhuma decisão judicial ao menos que esta lhe seja favorável.

    Não podemos aceitar essa afronta! Isso não em nome da “legalidade” apenas, mas em nome da construção democrática de uma educação que atenda aos interesses da classe trabalhadora.

    A grande mídia, sempre seletiva, não noticia nada! O Estado de São Paulo publica uma fala de um funcionário da própria SEE-SP dizendo que não vai cumprir a ordem e nem ao menos problematiza-a.

    A publicação do mandato foi dia 31/01, a negação do “efeito suspensivo” interposto pelo governo paulista foi dia 01/02, já estamos no dia 03/02 e não temos nem ao menos uma declaração de intenção por parte do governo.

    Temos que ter claro que a lei do piso do magistério era para ser aplicada já em 2009, portanto não se trata de apenas um ou dois dias de atraso! Trata-se já de anos de negligência!

    Vamos para a luta encurralar esse governo que oprime a classe pobre e trabalhadora.

    Não às desocupações dos que lutam por moradia!
    Não à repressão no centro e nas periferias das cidades!
    Não à precarização da educação pública!

    Não podemos aceitar nem mais um dia de desrespeito desse governo. Não apenas o desrespeito à lei ou ao mandato desse ou daquele juiz, mas também o desrespeito aos mais de 200.000 professores e professoras e aos mais de 4.500.000 de alunos.

    A luta será nossa magnífica escola!!!

    Responder
    • 101. apeoesp  |  03/02/2012 às 13:41

      Prezado professor Mauro,
      A questão está sub-judice no momento, há uma sentença em vigor e cabe ao juiz as definições e medidas para que seja cumprida.
      Bebel

      Responder
      • 102. Mauro Sala  |  03/02/2012 às 14:42

        Mesmo entendendo apenas vagamente o “as questões jub-judice”, tenho a percepção clara de que na maioria das vezes elas não se põe no mesmo pé de urgência das questões que tratam. Quantos anos demorou para a “justiça” se pronunciar pela constitucionalidade da lei do piso do magistério mesmo? acho que uns três anos, certo?!
        Não tenho dúvida de que as ações impetradas no judiciário são instrumentos de luta também. Elas devem ser feitas e devemos insistir nelas.
        Outra coisa porém é ficarmos eternamente reféns delas.
        Não penso que cabe apenas ao juiz “as definições e medidas para que seja cumprida” a aplicação da lei do piso do magistério. Cabe também à APEOESP, respeitando as decisões da base, determinar medidas para lutar para que nossos direitos sejam respeitados, e também ações para criar novos direitos que participem da construção democrática de uma escola pública que atenda aos interesses da classe trabalhadora.
        Penso que a APEOESP tem força para mobilizar os professores e professoras para a luta. Sei que faremos de tudo para mobilizarmos os estudantes e seus familiares para essa luta também.
        ATENDEREMOS O CHAMADO PARA A LUTA QUANDO ELE VIER!!!
        MAS QUE VENHA ANTES DE MAIS UMA LONGA SEMANA DE 32 AULAS!!!

      • 103. apeoesp  |  03/02/2012 às 16:23

        Prezado professor Mauro,
        As instâncias da APEOESP, diretoria e CER, estão se reunindo para tomar as decisões, de acordo com vontade da base. Também as questões jurídicas não acontecem sem a participação da APEOESP, que tem levado ao conhecimento do juiz o descumprimento da sentença por parte da SEE. Quanto à lentidão da justiça, nos a conhecemos, mas neste caso o processo tem se desenvolvido com rapidez.
        Bebel

      • 104. Vanessa  |  04/02/2012 às 10:06

        RAPIDEZ? Então é uma boa hora para a APEOESP utilizar o dinheiro que sai de nosso salário pagando para a Rede Globo, em horário nobre, divulgar o fato inédito no Brasil.

      • 105. apeoesp  |  05/02/2012 às 11:05

        Prezada professora Vanessa,
        O sindicato publicou dois anúncios em horário nobre na TV Bandeirantes nos últimos 20 dias. A Globo não estava aceitando anúncios. Vamos publicar um novo anúncio, na Globo, em dia e hórário a serem definidos.
        Bebel

      • 106. Vanessa  |  05/02/2012 às 16:47

        Desculpe minha falta de clareza ao me manifestar, mas disse sobre propaganda e não sobre declaração. Acredito que declarações podem ser negadas pela Rede Globo, porém, propagandas, pagas, não sei se são negadas.
        Quanto a Bandeirantes pelo pouco que sei, não tem audiência maior que a Globo, principalmente durante a novela das 8.

      • 107. apeoesp  |  07/02/2012 às 14:02

        Prezada professora Vanessa,
        O papel do sindicato é lutar por todos os meios. É o que estamos fazendo.
        Bebel

  • 108. flavio eduardo mazetto  |  03/02/2012 às 13:29

    Cara Bebel. Pelo que você tem nos informado o governo do Estado vai tentar protelar ao máximo um possível cumprimento da decisão judicial favorável aos professores e à qualidade da educação. Vejo muitos professores ansiosos por uma decisão, sempre perguntado o que devemos fazer o que podemos fazer.
    isto considerado, entendo que temos condições objetivas para uma organização bastante interessante e sólida junto à nossa classe. muitos querem fazer alguma coisa e temos um motivo extremamente justo, que é o abuso de autoridade de um governador, que além de tudo é cúmplice de uma barbárie contra moradores indefesos ( o caso pinheirinho).
    desta forma, não sendo cumprida a decisão até segunda, não seria o caso de organizar uma grande manifestação para esclarecimento da população e denuncia da irresponsabilidade de um governo que não cumpre a lei, que não respeita a ordem social, sendo portanto, criminoso neste sentido?
    Penso que poderíamos motivar os professores/as num dia de paralisação, em cada cidade do Estado, desenvolvendo formas criativas para denunciar esta situação e colocar a população de nosso lado (pois estamos a favor de uma melhor educação) e explicitando quem verdadeiramente é o governador do Estado, quem verdadeiramente é o PSDB (penso que apenas uma manifestação que trabalhe com a possibilidade de perda de voto vai ser entendida). Neste mesmo dia, poderíamos programar uma aula sobre justiça e cidadania em praça publica, convidar os alunos e fazer uma aula publica sobre dignidade. o que acha? o que acham amigos lutadores da educação?
    um abraço, Flavio

    Responder
    • 109. apeoesp  |  03/02/2012 às 13:39

      Prezado professor Flávio,
      Obrigada pelas sugestões. De posse de todos os dados e informações, a Diretoria e o Conselho Estadual de Representantes decidirão os melhores caminhos a seguir.
      Bebel

      Responder
  • 110. Felipe  |  03/02/2012 às 13:30

    Sinceramente eu já não aguento mais esta novela. Começou com a espera de 48 hs, depois determinado juiz prorrogou por mais 48 hs e agora 15 dias!? Se fosse qualquer um de nós que descumprisse uma decisão judicial já estaríamos na cadeia.
    Basta! Chegou o momento de lutarmos por nossos direitos, cadê os convites para paralisações??? Sei que haverá reuniões esta semana, mas para a semana que vem não da mais para esperar.
    Antes nada podia ser feito pq não havíamos adentrado unidades de ensino, esta semana já adentramos, então, cadê e quando faremos mobilizações reais? Na mídia não se fala nada, como bem citado acima, estupro de BBB, Luiza no Canadá e Pedrada em Pelanza, tomou a mídia numa repercussão desmedida; já a baixaria que este governo está fazendo conosco, em momento algum é citado.
    Francamente eu estou farto, necessito fazer alguma coisa, os ânimos em minha unidade de ensino estão a ponto de estourar; não aguentamos mais ficar no aguardo, queremos reunião, ouvir diretamente propostas. Queira ou não, este ano é eleitoral, podemos muito bem participarmos de manifestações. Chega! Não aguento mais!
    Francamente eu acho que o sindicato demorou para divulgar manifestação e pelo calor e frustração da maioria de nossa classe a greve vinga.
    Até o momento ouvimos especulações, numa assembleia podemos saber realmente o que está acontecendo. Basta! Basta! Basta!
    Estamos lecionando, nem sabemos o que nos espera, passou da hora, vamos paralisar, cehgou a hora. Semana que vem o mais cedo possível.
    Chega, não aguento mais ler “a ação está em julgamento”, se a ação está em julgamento, estamos de braços cruzados. Vamos parar de criar expectativas e vamos encarar a realidade…
    Gostaria muito de ler quando haverá uma manisfestação e não apenas ler que o juiz deu mais tantas hs ou tantos dias.
    Desculpe o desabafo, mas francamente passou da hora de ir a luta, fazermos nossa parte. A Bebel está lutando com unhas e dentes e nós??? Parados e no aguardo. Não, sinceramente eu imploro por uma manisfestação geral.

    Responder
    • 111. apeoesp  |  03/02/2012 às 13:37

      Prezado professor Felipe,
      De posse de todos os dados e informações, o Conselho Estadual de Representantes e a Diretoria decidirão os melhores caminhos a seguir.
      Bebel

      Responder
  • 112. MÁRCIA SCHWETER, DENISE APOLINÁRIO, MÁRCIA CAMPOS, CRISTINA CANASSA  |  03/02/2012 às 13:30

    QUERIDA BEBEL, GOSTARIA DE SABER SE REALMENTE SE CUMPRIRÁ SENTENÇA OU NÃO??? ESTAMOS INDIGNADO COM ESSA ATITUDE

    Responder
    • 113. apeoesp  |  03/02/2012 às 13:35

      Prezadas professoras Márcia, Denise, Márcia Campos e Cristina,
      Também estamos. O Estado está utilizando seu direito a recursos para retardar a execução da sentença. Temos informado ao juiz e cabe a ele determinar as providêncas cabíveis.
      Bebel

      Responder
  • 114. Heitor  |  03/02/2012 às 13:50

    O professorado não aguenta mais, entre todos paira uma insatisfação e um descrédito com alei o q é muito ruim: a Apeoesp fez o seu papel, o judiciário tbem #canseidoalckimim

    Responder
    • 115. apeoesp  |  03/02/2012 às 14:10

      Prezado professor Heitor,
      Creio que você não está se referindo à lei do piso, que é muito boa, não? Acredito que você se refira à forma como o Estado se comporta diante da lei, não é?
      Sim, nós estamos fazendo nosso papel, e estamos confiantes que vamos sair desta luta vitoriosos.
      Bebel

      Responder
  • 116. silvana  |  03/02/2012 às 14:34

    Belel item 3 esta na lei? vou ter ficar até julho sem trabalhar?

    Comunicado da Comissão de Atribuição de Aulas
    CAA – DERJAC – 02/2012

    Caros Professores,

    A primeira atribuição durante o ano está marcada pela Diretoria de Ensino.
    Por favor, fiquem atentos para o seguinte cronograma:

    1. 06/02/11 (segunda-feira), às 9h – atribuição nas Unidades Escolares – O saldo será disponibilizado no site da D.E. (www.deregiaodejacarei.com.br) no link atribuição, no dia 03/02/12.

    Neste dia poderão participar todos os docentes seguindo-se a seguinte ordem de classificação:

    a. Titular de Cargo (constituição de jornada e carga suplementar)
    b. Estável e Celetista – Aprovado
    c. Categoria F – Aprovado
    d. Categoria O – Aprovado
    e. Candidato Habilitado – Aprovado
    f. Cadastrado de outra Diretoria – Habilitado – Aprovado
    g. Aluno de último ano LP – Aprovado
    h. Bacharel Habilitado – Aprovado
    i. Aluno de 50% – Aprovado
    j. Aluno de último ano de Bacharel – Aprovado
    k. Aluno de qualquer semestre – Aprovado
    l. Cadastrado de outra Diretoria – Qualificado – Aprovado
    m. Resolução SE 08/2010 (não atingiram os mínimos na prova):
    • Estável e Celetista
    • Categoria F
    • Candidato Habilitado
    • Cadastrado de outra Diretoria Habilitado
    • Alunos de último ano
    • Bacharel Habilitado
    • Aluno de 50%
    • Aluno de último ano de Bacharel
    • Aluno de qualquer semestre

    2. 07/02 (terça-feira) às 9h – Atribuição da Diretoria de Ensino que ocorrerá na quadra da EE Francisco FF da Silva – Chico Ferreira – “Verdinho”, por banca. Após a ordem de classificados acima ( item 1), poderão participar os PEDAGOGOS (1º Aprovados e depois Não aprovados).

    3. Observar o parágrafo 9º do Art. 22 da Resolução SE 89/11 – o professor que não comparecer no primeiro dia útil subsequente ao da atribuição, será considerado desistente e perderá sua atribuição ficando impedido de participar de todas as atribuições durante o ano (onerado).

    a. Podem se candidatar a ser Eventual, diretamente nas escolas:

    • Docentes Categorias S, que estão com a Portaria aberta (aprovados ou não);

    • Docentes com Contrato “O” ou “V” (aprovados ou não), porém somente os que possuem contratos abertos.

    • Categoria “O” não aprovado, que o contrato foi extinto em Dez/2011, não poderá “eventuar”, pois deverá aguardar os 200 dias de “quarentena”.

    • Categoria “O”, aprovado, que o contrato foi extinto em Dez/2011, poderá “eventuar”, após os 40 dias de “quarentena”.

    Qualquer dúvida ligar para a Comissão de Atribuição (39542637 ou 38).

    Jacareí, 02/02/2012
    Comissão de Atribuição

    Responder
    • 117. apeoesp  |  03/02/2012 às 16:26

      Prezada professora Silvana,
      O texto está equivocado. A quarentena é de 40 dias e não de 200 dias. Já foi cumprida em janeiro.
      Bebel

      Responder
  • 118. silvana  |  03/02/2012 às 14:36

    desculpas!BEBEL e não Belel

    Responder
  • 119. Ricardo José Fontes Almeida  |  03/02/2012 às 15:43

    Ontem o judiciário deu provas de que busca correções dos rumos que alguns desembargadores e Juízes queriam induzi-los a transgredir. No entanto isto só foi possível graças a repercussão que foi gerada com a apresentação dos absurdos cometidos em várias instâncias do referido órgão. No entanto não devemos baixar guarda uma vez que, no Estado de São Paulo o Governador Geraldo Alckimin está afrontando decisão judicial. O não cumprimento da Ordem Judicial que proferiu a imediata Implantação da Jornada do Piso dos Professores do Estado, está sendo desacatada, descaradamente, pela Secretaria da Educação do Estado. Há nesta conduta do governo do Estado a maior manifestação de desrespeito ao Judiciário do Estado. Hoje podemos dizer que o GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO ESTÁ, IRRESPONSAVELMETE, AFRONTADO O EQUILÍBRIO INSTITUCIONAL ENTRE OS PODERES DA NAÇÃO…… Este fato coloca o Estado de São Paulo, na figura de seu Governador e do Secretário da educação, como a grande ameaça a DEMOCRACIA deste país. O BRASIL DEVE FICAR ATENTO E SABENDO O QUE ACONTECE EM SÃO PAULO. E cabe, a nos, professores denunciar.

    Responder
  • 120. Rodrigo Dias  |  03/02/2012 às 15:50

    Olá Profª boa tarde! Sei o quanto é pertinente sua luta pelos nossos direitos e tenho certeza que todos nós somos muito grato. Prof° Uma dúvida: Ano passado era professor da categoria O. Nesse ano efetivei, mas, gostaria de saber se tenho direito de receber férias e o pagamento das aulas ministradas no mês de dezembro (1/12 à 16/12). Pois até o momento não há algo provisionado e a secretária da escola não soube me informar. Grato. Prof° Rodrigo

    Responder
    • 121. apeoesp  |  03/02/2012 às 16:11

      Prezado professor Rodrigo,
      Sim, você tem direito. A APEOESP está estudando uma ação judicial para que o pagamento seja feito. Você também pode protocolar um requerimento na escola.
      Bebel

      Responder
  • 122. Gorete  |  03/02/2012 às 16:11

    Penso para que o governo tivesse realmente uma derrota, seria mostrar o quanto os docentes tem força, para isso seria preciso mobilizar a classe em fechamentos de rodovias importantes só assim as midias iriam se mobilizar para saber qual motivo desta. Ir em SP capital não surte muito efeito uma vez que concentra os profissionais da educação, tendo focos pulverizados em pro ao descumprimento e a ida a capital mobilazaria mais e todos teriam o o conhecimento de quanto o governo é autoritário e que não merecedor para opinião publica e só faz propaganda enganosa

    Responder
    • 123. apeoesp  |  03/02/2012 às 16:52

      Prezada professora Gorete,
      Precisamos ponderar corretamnente que movimentos fazemos. A questão está na justiça por nossa iniciativa e vimos ganhando, agora com a sentença do mandado de segurança. Diretoria e CER irão se reunir para avaliar todos os dados e informações, tomando as melhores decisões. Por fim, fechamento de rodovias não tem sido forma de luta utilizada pelos professores.
      Bebel

      Responder
      • 124. rosangela  |  03/02/2012 às 19:09

        Prezada Bebel
        Voçê diz que a diretoria irá se reunir, que o juiz ESTA SENDO notificado do descumprimento?
        Mas quando, isso ainda não aconteceu porque?
        Voçê não pode depois dessa luta toda deixar o estado com esse tempo todo para traçar estratégias?
        Percisamos ouvir de vcs que o juiz FOI notificado e que a diretoria JÀ SE REUNIU, e nos dar noticias concretas.
        Obrigada

      • 125. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:06

        Prezada professora Rosangela,
        Estamos em uma disputa judicial. Os dois lados fazem movimentos. Por nós, o assunto já estaria resolvido. O Conselho de Representantes se reuniu ontem e deliberou os passos da luta. Não existe “esse tempo todo” quando estamos falando de uma entidade de ãmbito estadual, com mais de mil conselheiros que precisam, também, estar em suas bases acompanhando os acontecimentos. Não fazemos as leis nem os prazos judiciais, mas estamos fazendo a nossa parte.
        Bebel

  • 126. Glória  |  03/02/2012 às 16:33

    Bebel
    Não entendi o critério para atribuição que irá ocorrer a semana que vem aqui em São José dos Campos.A pergunta: Categoria O e Contratados não são a mesma coisa?

    Responder
    • 127. apeoesp  |  03/02/2012 às 17:53

      Prezada professora Glória,
      Não. Categoria O são os que estão na rede, com contrato em vigor. Candidatos a contratação são os futuros categoria O, independente de terem já ministrado aulas até dezembro de 2011, pois entraram em quarentena e voltaram a ser candidatos a contratação.
      Bebel

      Responder
  • 128. Francioere Bezerra de Menezes  |  03/02/2012 às 16:39

    Eu não sabia que eu vivia num Estado que não é uma democracia e sim uma monarquia em que o “rei” é sempre alguém do psdb.nos últimos 16 anos.

    Responder
  • 129. Maria Angélica Baptista Pereira  |  03/02/2012 às 16:44

    Bebel, famos analisar o momento presente ?
    Tudo que era legal e necessário o sindicato já fez, creio ( cremos nós, desta vez uma quantidade enorme de docentes) que se não
    partirmos para uma ação mais enérgica, nada conseguiremos.
    Greve é uma ação que pela primeira vez ouvimos ser sugerida por
    colegas que a ela sempre se opuseram.
    Penso que “se realmente o sindicato quiser manter a confiança, apoio e participação dos do centes (sindicalizados ou não), deve mexer já.
    Até mesmo eu, que considero-me sindicalizada, sou RE e junto aos colegas carrego as bandeiras levantadas pela senhora em seu cargo de presidente; não consigo aceitar tanta passividade e complacência
    no aguardo de medidas por parte da APEOESP, qual será então o
    tamanho da indignação e fustração que eu e os demais colegas sentiremos se nada mais fizermos além de aguardar???
    Acredito que estratégicamente falando, este é o momento de paralisação para aguardar resultados, estamos às vésperas de eleições, a mídia não nos oferecendo espaço adequado, tudo correndo às sombras da sociedade que se vê atendida, pois bem ou mal os seus filhos mandados as escolas estão tendo aulas e cumprindo o tempo de permanência. As direções de UE aguardando DE (s) e nós??? Quietos no aguardo da justiça?
    Confio nos juízes, porem não confio na politicagem e argumentação dessa oriunda, que poderá encontrar brechas nas leis feitas por políticos e para melhor servi-los.
    Eu, e com absoluta certeza um enorme número de colegas professores, aguardamos o seu gesto de comando efetivo e pontual.
    Obrigada pela atenção dispensada, aguardo sua resposta para que possa lê-la e partilhá-la com meus companheiros.
    03/02/2012 14h44

    Responder
    • 130. apeoesp  |  03/02/2012 às 18:46

      Prezada professora Maria Angélica,
      A Diretoria e o Conselho Estadual de Representantes estarão reunidos e são organismos que definem as políticas da APEOESP entre as assembleias. Elas definirão os próximos passos da luta, lembrando que a luta judicial é tão legítima quanto outras formas de luta e pode definir essa disputa a nosso favor.
      Bebel

      Responder
  • 131. Luiz  |  03/02/2012 às 17:16

    Prezada professora Maria Izabel.

    Realmente é uma contradição essa, tanto do Senador Aloísio Nunes, quanto do governo de SP. Afinal ordem judicial precisa ser cumprida. E é a justiça quem precisa ser bom senso e compaixão com movimentos sociais! Se a justiça ordenou “desocupe-se”, é preciso desocupar porque ai quem estaria contra uma ordem do Estado Democrático de Direito é aquele que não cumpre e resiste.
    Também a SEE deve cumprir a ordem judicial sob pena de ela ficar contra esse mesmo Estado de Direito.

    Quanto a Pinheirinho, a senhora escreve bem sobre as necessidades daquele povo e sobre a desmedida de forças na reintegração. Mas a senhora nada fala que houve também reintegrações truculentas em outros estados – um deles governado pelo partido de sua simpatia: o Acre.

    Também houve professores de outros estados em greve, como no RS, mas a direção de nosso sindicato somente se solidarizou, publicamente pelo menos, com os colegas de MG.

    Portanto, se cobramos coerência nas ações dos governos, tambem devemos, nós mesmos, sermos coerentes. Sem influências ideológico-partidárias.

    Luiz

    Responder
    • 132. apeoesp  |  03/02/2012 às 18:38

      Prezado professor Luiz,
      A APEOESP participa da solidariedade à luta de todos os professores, de todo o Brasil. Mesmo porque é filiada à CNTE e o presidente da Confederação é, ele mesmo, ex-diretor da APEOESP.
      Bebel

      Responder
      • 133. Luiz  |  03/02/2012 às 21:34

        Pois bem, acompanho este site e este blog quase diariamente mas não é isso que percebo. Os colegas do RJ e do RS “penaram” mais do que os colegas de MG e somente para estes últimos tivemos uma manifestação de apoio pública. E como a crítica foi direcionada ao partido que lá governa, deu a impressão de que os aliados “governam que é uma beleza”.

        Em minha mui modesta opinião, para agir com coerência, ou se critica de igual forma os desmandos que combatemos, independente de afinidades ideológicas, ou se diz claramente que “somos parciais no combate”.

        Bem, sobre essa atrapalhadíssima atribuição que a SEE provocou – no apagar das luzes do dia útil anterior ao início da atribuição, a SEE “solta” a resolução 8/12 só para “tumultuar” o processo ao qual a Apeoesp pedira desde dez/2011 para discutir – tenho a dizer que esse é o momento de greve.

        Com esse embasamento jurídico e deferimento da justiça, não há como se alegar que uma greve convocada para obrigar a SEE cumprir – veja só – uma decisão judicial seja considerada abusiva.

        Pelo contrário, não sofreríamos constrangimento algum. Além do mais, poderíamos mesmo nem ter os dias de breve descontados, tamanha a justeza da causa.

        Professora Maria Izabel, agora é o momento. Não acha?

        Luiz

      • 134. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:17

        Prezado professor Luiz,
        A APEOESP apóia a luta de todos os professores do Brasil e é filiada à CNTE, que coordena toda essa luta.
        O CER se reuniu no dia 4 e votou um calendário de mobilização.

  • 135. Jeferson Dias  |  03/02/2012 às 17:18

    Gostaria de saber se eu como professor ingressante, ou seja, em estágio probatório, posso participar de algum ato de manifestação, greve se for o caso, ou mandado de segurança individual, sem ter nenhum prejuízo na minha efetivação. Obrigado.

    Responder
    • 136. apeoesp  |  03/02/2012 às 18:33

      Prezado professor Jeferson,
      Se acontecer algo que fira seu direito de manifestação e expressão, procure imediatamente o departamento jurídico da APEOESP.
      Bebel

      Responder
  • 137. Adriana  |  03/02/2012 às 17:29

    Olá Bebel, estou muito preocupada estão precisando de professores eventuais na minha cidade fui me prontificar na escola e me informaram que eu não poderia eventuar pois meu contrato foi extinto em dezembro e não passei na prova devo ficar 200 dias sem lecionar . Liguei na DE de Assis e me disseram o mesmo e já li em muitos lugares que são apenas 40 dias, mas me falam que isso é para quem passou na prova mas não vi nada disso…o que faço desde ja agradeço…ate mais

    Responder
    • 138. apeoesp  |  03/02/2012 às 18:35

      Prezada professora Adriana,
      A quarentena é de 40 dias mesmo. Quem obteve a nota mínima na prova participa da atribuição inicial. Os demais, das atribuições ao longo do ano, após os que conseguiram a nota mínima.
      Bebel

      Responder
  • 139. Rosemeire Lins  |  03/02/2012 às 17:30

    Olá Bebel! Boa tarde!

    O prazo para impetração do Mandado de Segurança é de 120 dias, da ação ou omissão causadora do dano, contados da ciência do ato impugnado pelo interessado (Lei 12.016/2009, artigo 23). Se o direito caducar ou se seu direito não for líquido e certo, o cidadão poderá utilizar uma ação judicial ordinária, pois o mandado é uma proteção com rito especial. A Lei 12.016/2009 veio atualizar as normas disciplinadoras do mandado de segurança.
    É isso mesmo, Bebel? 120 dias?

    Prof Meire

    Responder
    • 140. apeoesp  |  03/02/2012 às 18:31

      Prezada professora Rosemeire,
      Para ingressar com o mandado.
      Bebel

      Responder
  • 141. claudia noronha  |  03/02/2012 às 17:35

    Bebel,
    Sou de São José dos Campos,como você bem sabe estou acompanhando de perto o desenrolar dessa luta. Acompanho também o caso “pinheirinho” e a força com que eles vêem travando a luta contra os desmandos do governo, e nessa luta vi que o nosso sindicato os apoia, pois bem, a minha proposta é que lutemos juntos, já que a fala do governador difere nos 2 casos, isso seria um apoio para eles e reforçaria a nossa batalha no caso de uma greve ou paralisação. Acredito que seria um ótimo momento para isso, e nos colocaria na mídia como assim desejam a maioria dos professores. Sinto que nossos desconfortos com o não cumprimento da lei, se resume a esse espaço e a alguns outros sites, essa união poderia tornar publica, em nível nacional, nosso problema e desmascarar esse governo ao mesmo tempo! Não se esqueça estamos em ano eleitoral!!!! Um abraço.

    Responder
  • 142. Alexandre Santos  |  03/02/2012 às 18:09

    Outro assunto: Bebel trabalhei o ano de 2010 (com prorrogação total da quarentena e continuação do contrato) e 2011 (com prorrogação de 45 dias da quarentena e extinção do contrato) como categoria O desde o inicio. Completaram 2 anos e não recebemos férias nenhuma. O que devemos fazer em relação a isso?

    Responder
    • 143. apeoesp  |  03/02/2012 às 18:22

      Prezado professor Alexandre,
      O governo diz que pagará, na forma de indenização, mas não há data. Estamos estudando a possibilidade de uma ação. Você também pode protocolar um requerimento na escola cobrando este pagamento.
      Bebel

      Responder
  • 144. Cleber  |  03/02/2012 às 18:17

    Olá Bebel, já levaram a denuncia ao juiz que o estado não esta cumprindo a liminar??? E o governo ficará impune, o que ele esta tramando???

    Responder
    • 145. apeoesp  |  03/02/2012 às 18:21

      Prezado professor Cléber,
      O juiz já está informado.
      Bebel

      Responder
  • 146. Paulo Cezar dos Santos  |  03/02/2012 às 18:59

    Engraçado , quando é a favor dos desmandos do Governo PSDB, parece que os juizes acatam imediatamente, e quando é um direito nosso garantido por lei , tudo se arrasta, pelo jeito o JUiz está com medo de tomar alguma providencia em relação ao secretário da educação ……., está parecendo que terminaremos 2012 com essa carga horária absurda imposta pelo governo……

    Responder
  • 147. Marcio  |  03/02/2012 às 19:19

    No direito administrativo é colocado que o excesso de poder ocorre no momento em que a autoridade pública, que possuindo competencia para praticar po ato, ultrapassa dos limites desta compet
    encia exorbitando-se no uso de suas faculdades admimistrativas. O excesso de poder torna o ato ilícito nulo, retirando a legitimidade da conduta do administrador público. E ainda mais atopraticado em desacordo com a moralidade administrativa, pode ser anulado pela própria administração ou pelo judiciário.

    Responder
  • 148. Marcio  |  03/02/2012 às 19:27

    Bebel dentro da administraçâo pública existe o poder hierárquico que diz que independente da sua hierarquia, não se deve cumprir ordem ilegal e é dever do funcionário representar seu superior pela ilegalidade cometida. Não podemos fazer isso com nossos superiores? Os diretores, dirigentes, o secretário…? Não caberia esta atitude?

    Responder
    • 149. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:09

      Prezado professor Márcio,
      Acho que não ajudaria, pois o descumprimento está partindo do secretário.Porém, há recurso do Estado e, por isso, acredito que justiça vá julgar rápido e fazer cumprir a decisão.
      Bebel

      Responder
  • 150. silvana  |  03/02/2012 às 19:34

    BEBEl! conversei com a supervisora alcione e ela me disse que é isso mesmo os cat o reprovados e que foram contratados em 2010 termino do contrato em 2011 não pode atribuir nem eventuar so erm julho e no meu GDAE tambem esta constando que só posso ser contratada em julho. as diretorias podem ter lei interna deste tipo?

    Responder
    • 151. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:10

      Prezada professora Silvana,
      Sua supervisora está mal informada. A quarentena é de 40 dias. Você poderá participar de atribuições tão logo esgotem os que atingiram a nota na prova. Fique atento.
      Bebel

      Responder
  • 152. Mariah  |  03/02/2012 às 19:42

    Olá Bebel!
    Preciso de uma informação muito importante! Sou professora categoria O e infelizmente peguei uma sala muito longe da minha cidade. Soube também que o salário pode diminuir por que categoria O não terá mais direito a quinquênio. Conclusão, praticamente irei pagar para trabalhar. Liguei para a diretoria de ensino e perguntei ao supervisor se caso eu decidisse deixar as aulas o que aconteceria com a minha situação. A resposta foi que durante o ano letivo eu não poderia mais concorrer a nenhuma sala. Esta informção realmente é verdadeira?
    Obrigada!

    Responder
    • 153. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:12

      Prezada professora Mariah,
      Sim, é verdadeira. Para ver se algo pode ser feito, procure o departamento jurídico.
      Bebel

      Responder
  • 154. Rafinha Rodrigues (@ProfessorRafa)  |  03/02/2012 às 21:07

    Não podemos deixar o governo ganhar mais uma, pois já perdemos muito, e quem perde não são apenas nós professores, mas a sociedade, que precisa ter escola publica de qualidade, nesta batalha temos que lutar até o final, se for preciso que fazer GREVE temos que fazer, pois este governador ditador não pode tirar o que é nosso de direito.

    Responder
  • 155. Simone  |  03/02/2012 às 21:24

    Boa tarde Bebel,

    Quando serão as novas atribuições?

    Simone

    Responder
    • 156. apeoesp  |  05/02/2012 às 09:57

      Prezada professora Simone,
      Ainda não está definido o assunto.
      Bebel

      Responder
  • 157. milene  |  03/02/2012 às 21:29

    Bebel é verdade que o estado vai pagar o retroativo das férias para antiga categoria l, já tem a data para o recebimento .. obrigado 1!

    Responder
    • 158. apeoesp  |  05/02/2012 às 09:58

      Prezada professora Milene,
      Não tenho inforãção sobre isto.
      Bebel

      Responder
  • 159. Jones Martins de Freitas  |  03/02/2012 às 22:00

    Bebel, tudo bem? Sou ex -L reconduzido ao Programa Escola da Família. Está tendo um reboliço pelos professores ex_L, pois muitos estão recebendo as férias e está provisionado o pagamento de fevereiro e outros não. Não entendemos o que está acontecendo!!!! a rede está toda desiquilibrada, muita discussão, ninguém sabe mais quando iremos receber, o que pode estar havendo.
    Por favor Bebel isso é mais uma pauta para a nossa paralização, não devemos ficar somente atentos a Lei do Piso, isso já é causa ganha!!!
    Nós educadores ex-L precisamos também fazer um exame médico para atuar como educador, tendo que pagar de 40,00 à 80,00 reais para fazer esse exame. Segundo a minha Supervisora não havia necessidade pois era uma recondução mesmo mudando a categoria, estaria certa ela?
    Precisamos de resposta, me filiei na terça feira estou requerendo junto a apeoesp da penha para mudança de categoria e preciso dessas resposta, pois me prontifiquei em ser representante na minha escola!!! Os professores ex-L precisam de respostas e eu gostaria de ajudar vcs…
    Como um professor consiguirá trabalhar sem pagamento, sabendo que receberá segundo minha secretária de escola somente em abril. Tenho 2 filhos, contas para pagar: IPTU< IPVA , casa, alimentação, água, luz, entre outros…..Sinceramente estou pronto para ir a mídia, procurar o SBT, Record, quem for para divulgar essa minha indignação. Estou desesperado, sei que Deus irá honrar, mas também somos seres humanos e temos nosso brio!!!

    Preciso de respostas claras, caso contrário reunirei um grupo de professores e vamos na Secretária da Educação, começar um baderna!!!!! Os professores estão desesperados…..

    Desculpe meu desabafo.

    Responder
    • 160. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:26

      Prezado professor Jones,
      Há assuntos que não conseguimos resolver através deste blog. Toda situação com a qual o professor se sinta atingido em seus direitos deve ser levada ao conhecimento do departamento jurídico da APEOESP. Dirija-se à sua subsede. O advogado tem condições de verificar o que é legal ou ilegal; o que a SEE pode ou não fazer.
      Não há como nos dirigirmos à SEE com dados vagos. É preciso exemplos concretos. Qual foi o professor categoria L, que mesmo estando sem vínculo, recberá o salário de janeiro, por exemplo.
      Os processos judiciais nem sempre são rápidos. Nem sempre podemos dar as respostas com a rapidez que gostaríamos, pois dependemos dos prazos do judiciário.
      Os assuntos da categoria L, O e de todos os demais professores estão sempre na nossa pauta e são levados ao conhecimento da SEE. Quando ela é intransigente, como está sendo agora, o caminho é a via jurídica.
      Bebel

      Responder
  • 161. Nadeje Aires  |  03/02/2012 às 22:10

    Boa Noite Bebel

    Até a tarde de 03/02 nossa escola da Sul 1 não havia recebido nenhum comunicado sobre alteração da jornada. Inclusive os horários de HTPC ainda estão formatados com duas horas – relógio. Como outros professores, de outras diretorias, estamos indignados com a falta de decoro deste governo autoritário, que continua agindo de acordo com seus interesses apenas.

    Responder
    • 162. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:33

      Prezada professora Nadeje,
      Sim, o assunto ainda está em litígio judicial. Estamos pressionando para que se resolva urgentemente.
      Bebel

      Responder
  • 163. Renato  |  03/02/2012 às 23:05

    Olá Bebel,
    Aqui na Sul1(capital) nada mudou quanto a se fazer valer uma nova atribuição. Entrei em contato com a supervisão (que mais parece SUPERVIDÃO, pois eles NÃO FAZEM NADA E GANHAM REGIAMENTE SÓ PARA PUXAR O SACO DO GOVERNO!!!), e me disseram que o governo está desobrigado de precisar implementar essa lei porque há uma lei federal que lhe é favorável (ao Estado) e justificaria o descumprimento. ?????
    Você saberia me dizer do que ela estava falando: uma lei federal que exíme o estado de cumprir a lei do piso?

    Responder
    • 164. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:30

      Prezado professor Renato,
      Ignore o que diz essa pessoa. Não faz o menor sentido.
      Bebel

      Responder
  • 165. Benedito  |  03/02/2012 às 23:13

    Olá Profª Maria Isabel
    Parabéns pelo trabalho frente a apeoesp!
    Pela luta e vitória, esta é a hora de mobilizar a categoria.
    Quero informá-la que mais de uma Lei está sendo desrespeitada neste caso, a jornada diária.
    Com o novo cálculo em minutos, existem escolas, a que eu estou é uma delas, que está colocando nove aulas por dia para o professor. Questionei a diretora e ela disse que isso é possível a partir da Resolução 8/2012, pois a soma dos minutos não ultrapassa 8 horas de efetivo trabalho, afinal, hoje nós trabalhamos por minuto. Aja pastilha para garganta depois de respirar tanto pó de giz!
    A arbitrariedade da nova cara da educação paulista é tanta que, eu como professor de filosofia efetivo, na atribuição me foi imposta a seguinte condição, ou pegava aulas em substituição na sede, como carga suplementar, ou não pegaria, como não peguei, aulas em outra escola. Preferi não pegar aulas em substituição, pois a professora esta de licença saúde e logo retornará, Agora, depois do horário feito, devido à existência muitas janelas, estou praticamente impedido de pegar aulas em outras escolas, ou seja, com 50 anos de idade, minha renda irá despencar este ano. Estou em vias de surtar e olha, só estamos com 3 dias de aulas. Este é o retrato da Educação Compromisso de São Paulo.
    Paulo Freire diz que o educador tem que dar exemplo, oras, que exemplo a Secretaria da Educação está dando para os milhares de alunos da rede públcia?

    Responder
    • 166. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:32

      Prezado professor Benedito,
      A aplicação da lei do piso, pela qual lutamos e esperamos ver resolvido com urgência, facilitá resolver casos como o seu e de muitos outros professores.
      Bebel

      Responder
  • 167. Rosi  |  03/02/2012 às 23:27

    Bebel, por gentileza insista na questão referente ao processo seletivo para atribuição de classes e aulas, pois muitos professores como eu acreditamos que da forma como este processo vem ocorrendo durante os anos o mesmo deixa de ser classificatório e torna-se eliminatório, pois divide a categoria em aprovados e reprovados, entendemos que seria classificatório se unificasse tempo de serviço com pontuação da prova (sem exigência de 32 ou 40 pontos). Espero que esta seja mais uma reivindicação da APEOESP para o ano de 2012.
    Deus te abençoe!

    Responder
    • 168. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:35

      Prezada professora Rosi,
      Também é a nossa opinião. Por isso lutamos pela revogação desta prova e pela lista única por tempo de serviço.
      Bebel

      Responder
  • 169. Graziela  |  03/02/2012 às 23:32

    Bebel por favor me tire uma duvida. A nota da prova é acumulativa?
    E parabéns pelo excelente trabalho.

    Responder
    • 170. apeoesp  |  05/02/2012 às 09:56

      Prezada professora Graziela,
      Não. Para o “F” vale a maior nota.
      Bebel

      Responder
  • 171. Marcia Oshiro  |  03/02/2012 às 23:55

    Bebel, estou desesperada!!!! Fiquei sabendo, na escola, qdo assinei o contrato, por ser categoria O, atualmente, q no salário de março, meus 4 quinquênios serão retirados pq não tem direito a categoria O. Isso é verdade? Não se trata de direito adquirido??? Dá uma luz, por favor!!!

    Responder
    • 172. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:38

      Prezada professora Marcia,
      Procure imediatamente o departamento jurídico na sua subsede ou sede central.
      Bebel

      Responder
  • 173. antonio  |  03/02/2012 às 23:59

    bebel comunique amanhã no cr que minha escola esta pronta para uma paralisação, boa sorte a todos nós, que deus nos ajude , estamos pronto pra enfrentar a alkimin e sua tropa pm.

    Responder
  • 174. Alessandra Alcantara  |  04/02/2012 às 00:37

    Bebel, com relação a midia não comentar, nem divulgar nada sobre esse assunto, nós não conseguiriamos bolar um “slogan” e publicarmos nas redes sociais entre nossos contatos solicitando que os mesmos compartilhem e nos ajudem a divulgar para o maior número de pessoas possível? Li vários comentários de colegas sobre a recente desocupação onde o prórpio governo diz que decisão judicial tem que ser acatada…então, vamos usar nossas forças, nossa inteligência. obrigada

    Responder
  • 175. CLAUDIA  |  04/02/2012 às 00:39

    Bebel boa noite a respeito da atribuição sou antiga categoria L(extinta),reprovada no processo seletivo desempregada assim como muitos professores na mesma situação que a minha proxima semana começa atribuição nas DE,só que irá começar de novo com todos aprovados depois se sobrarem aulas para os reprovados,vc acha certo uma vez que os aprovados já participaram da atribuição fase l.

    Responder
    • 176. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:40

      Prezada professora Cláudia,
      Somos contra esta prova e queremos sua revogação. Mas legalmente o procedimento é este.
      Bebel

      Responder
  • 177. Raul  |  04/02/2012 às 01:23

    Olá Bebel,
    É certo que “a desobediência à ordem judicial é crime comum, tipificado no artigo 330 do Código Penal”
    Quanto ao crime de desobediência a ordem judicial cometida pela SEE e seus agentes, ao não acatar a decisão do meritíssimo juiz Luiz Fernando Camargo de Barros Vidal, da 3ª Vara da Fazenda Pública, que deu sentença favorável à APEOESP no Mandado de Segurança Coletivo impetrado pela entidade para a correta aplicação da composição da jornada de trabalho docente determinada pela lei federal 11.738/08 (lei do Piso Salarial Profissional Nacional); é de rigor que ele comunique com urgência as autoridades policiais para que procedam a prisão dos responsáveis, dando, desta forma, eficácia à sua determinação.
    A desobediência em si é de fácil constatação, uma vez que a SEE não acatou a decisão judicial, permanecendo em estado de flagrante delito. Ou seja, permanece a conduta delitiva, pois mesmo após serem cientificados quanto à imposição de uma ordem judicial, descumpriram-na descaradamente, e por isso o crime está em plena consumação.
    Durante todo esse lapso temporal, o sujeito desobediente se encontra em situação de flagrante delito, passível do decreto de prisão.
    Agora vejam o artigo 301 do Código de Processo Penal: “qualquer do povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes deverão prender quem quer seja encontrado em flagrante delito.
    O que falta acontecer para que a ordem judicial seja cumprida?!
    Abraço,
    Raul

    Responder
    • 178. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:44

      Prezado professor Raul,
      Obrigada pelo seu comentário. Acredito que o fato de o Estado já ter recorrido interfira no cumprimento imediato da sentença. Estamos pressionando por uma solução urgente.
      Bebel

      Responder
  • 179. LISE  |  04/02/2012 às 01:24

    Bebel,
    Sou professore categoria O e trabalhei o ano de 2010 e 2011 até o término do contrato. O que aconteceu foi que no dia 2 de janeiro de 2012 ingressei como agente de organização efetivo e no meu primeiro salário ( fevereiro ) veio um desconto referente ao pagamento de janeiro sob a alegação de ter sido pago a mais. Consta no demonstrativo de pagamento que serão descontados mais duas parcelas. O que devo fazer ? A quem devo reclamar ?

    Responder
    • 180. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:47

      Prezada professora Lise,
      Procure o departamento jurídico da APEOESP na sua subsede.
      Bebel

      Responder
  • 181. Mauro Sala  |  04/02/2012 às 01:46

    Publicado no site da SEE-SP:
    “@romarcatto A Secretaria recorreu da sentença e até nova decisão judicial, as aulas atribuídas e as atividades na rede seguem normalmente. 3/2/2012”.
    E aí, ainda temos alguma dúvida de que o governo não vai cumprir o mandato de segurança? Ele teve indeferido o pedido de “efeito suspensivo”, que suspenderia a obrigação de se cumprir o mandato até o julgamento do recurso. Como você mesma disse Bebel o estado apela à Justiça, “mas terá que cumprir a sentença imediatamente”. Teria, você está certa, mas não vai, eles já disseram!
    E alguém realmente acredita no Geraldo ou no Herman sendo presos por descumprimento da ordem judicial?

    Responder
    • 182. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:48

      Prezado professor Mauro,
      Nós confiamos na nossa luta. O CER da APEOESP votou um calendário de mobilizações. Não vamos deixar para lá e vamos até o fim. Quando estamos envolvidos na luta, não temos nem tempo, nem direito de sermos pessimistas.
      Bebel

      Responder
  • 183. Benedito  |  04/02/2012 às 01:50

    Po que o governo não aplica a lei do piso?

    Essa é uma questão que tem me preocupado nesses dias , tenho procurado motivos e razões que justifiquem porque o governador do PSDB sr Geraldo, resista de forma obstinada á aplicação da lei do piso, mesmo que para isso afronte a carta magna e o direito liquido e certo dos professores usufluirem da lei.
    A lei do piso , diga -se de passagem é bem menos do que os professores necessitam para realizar o seu trabalho; cincoenta por cento dentro da sala de aulas e cincoenta por cento fora de sala de aulas, mas para o Geraldo é bem mais do que ele quer dar (uma aula) aos professores do estado.
    Então,onde reside essa resistência do sr Geraldo Alkmim do PSDB á lei do piso?
    O que sabemos pelo que a imprensa publíca, e os arautos da secretaria se esgoelam aos quatro cantos feitos papagaio de piratas,é que o estado não tem dinheiro para contratar mais professores.
    Mas não são esses mesmos que dizem orgulhosos que o estado de São Paulo,é o mais rico dos estados da federação? Como então não se tem dinheiro para contratar professores para educar os fihos e filhas da classe trabalhadora?
    Como se colocam contra uma lei que possibilita mais tempo aos professores para preparar aulas e ajudar esse estado a sair da sua pífia colocação nas avaliações exteriores?
    Continuo a perguntar.O que leva o sr Geraldo Alkmim do PSDB,com tantas tentativas frustradas, com tantos planos mirabolantes como ; promoção automática, divisão da categria em letras, precarização do trabalho desses professores, prova de mérito,bônus mérito (produtividade), escola de formação e por aí vai..O que leva a que esse governador tucano não aplique a lei do piso?
    Será que a explicação é a aproximidade das eleições municipais? Onde na maior cidade do estado teremos para concorrer a eleição o ex ministro da educação um dos responsáves pela lei do piso?
    Ou se dará pelo fato desses tucanos serem desde o nascedouro neo-liberais, e os neo-liberais são contra a participação do estado na economia e por isso tentam a todo custo impedir que a educação no estado e no país, cresça? A final nos estados que o PSDB governam entraram na justiça para impedir a implementação da lei do piso , isso fez com que ficássemos desde 2009,esperando pela aplicação da lei até que julgasse a constitucionalidade da lei.
    Não teria sido pelo motivo que eles defendem que empresas particulares tomem conta da educação?
    A essência da não aplicação da lei do piso pelo sr Alkmim não será a sua verdadeira cara, cara essa que tem dois lados? Uma voltada para os professores , e outra voltada para os empresários da educação?
    Essa face obscura,já não a vimos antes , na manifestação na greve de 2010 no palácio dos Bandeirantes? Por acaso não é a mesma cara medonha que se apresentou aos viciados da cracolândia, e aos moradores do Pinheirinho? Não é essa mesma cara que recorre ao menos três vezes,ao judiciário para caçar os direitos dos professores?
    Alguns colegas me dizem espantados e encrédulos ao saber que o governo foi á imprensa , jurou que iria aplicar a lei,e depois criou uma nova jornada onde o professor ao invés de passar menos tempo na escola , ficará ainda mais ,em torno de quarenta e oito horas semanais ou seja, a malvadeza e a malandragem tucana falou mais alto e a nossa aplicação de um terço de hora atividade virou hora de trabalho escravo da dedicação exclusiva,uma nova mágica dos magos da secretaria junto com o feiticeiro -mor Alkmim.
    Penso que há anos,que sua incoerência política, que sua real intenção diferente do que dis , é a entrega da educação para que as empresas particulares.Há exemplos de escolas do estado que cederam espaço para que fossem ministradas aulas de inglês particular, ou que cederam espaços para que funcionasse dentro de suas salas de aulas cursos de ensino fundamental particular.
    No entanto é uma coisa muito escrabosa , então precisa ser mais sutíl, começa -se então mexendo com regime de contratação de professores, cria -se categorias , que cria o sub contrato, o contrato pracário, que presta prova para trabalhar naquele ano e ao final do ano ele volta e presta outra prova e dessa forma não se cria vínculo com o estado, e pronto está aberto o caminho da terceirização dos professores no estado, só que por enquanto até que se aposentem os dinossauros e tenha necessidade de contratar mais,vamos levando assim, e em alguns anos alguma empresa irá querer assumir a educação no estado,mas por enquanto é necessário derrotar a lei do piso.
    Embora já se conceba que em parte já está privatizada a educação , através de empresas que produzem os materias didáticos e imprime as apostilas do aluno.
    Ainda com meus pensamentos, será que a verdadeira intenção do sr Geraldo Alkmim do PSDB, em caçar a lei do piso não se reside nesses fatos?
    Se é assim, nossa batalha não se resolverá apenas no plano jurídico, o que podemos ver , as leis para ele são motivos de manobras para adiar a aplicação da lei.O Juiz em que pese sua verdadeira intençaõ está só nessa batalha dessa forma não terá forças para vencer . è necessário que nós professores sejamos o fiel da balança nessa luta desigual, por isso se faz urgente uma assembleia ,vamos colocar os professores na rua do lado do juiz para que ele faça a justiça , pressão total no Alkmim para que ele cumpra a lei.Benedito
    São Carlos,03 de Fevereiro2012

    Responder
    • 184. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:50

      Prezado professor Benedito,
      O CER da APEOESP se reuniu, analisou a situação e votou um calendário de mobilizações.
      Bebel

      Responder
  • 185. Professora Sara Retali  |  04/02/2012 às 02:15

    A atribuição na DE de Caieiras será nos dias 07 e 08 de fevereiro esta tudo na site da DE (http://diretoriadecaieiras.com/)
    Em São Vicednte dia 14 de fevereiro…..
    e nas outras escolas quando será?

    Responder
    • 186. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:51

      Prezada professora sara,
      Cada DRE define seu calendário de atribuições ao longo do ano, respeitadas as fases.
      Bebel

      Responder
  • 187. Jéferson  |  04/02/2012 às 02:51

    Como os meios de comunicação se calam, acredito que para a maioria da população, esse governo continua sendo “lindo e maravilhoso”. Se essas informações não chegam a população por meio de TV (que só se preocupam com BIG BROTHER), devemos fazer com que cheguem pela internet através de correntes de e-mail, blogs etc. Devemos nos organizar para derrubar esse governo nas urnas, através da concientização da população. Infelizmente não temos apoio das emissoras de TV.

    Responder
  • 188. Luciano Rodrigo  |  04/02/2012 às 06:43

    Prezada professora Bebel gostaria de saber se vcs da APEOESP tem algum plano para entrar na justiça a favor dos professores categoria “O”, pois os mesmos são submetidos a condições de escravidão, sem direito a 13° salário, férias, falta médica, abonada e faltas justificadas e injustificadas, ou seja, professores categoria “O” só tem o direito de trabalhar e trabalhar, nem ficar doente pode mais, ano passado tive que ir trabalhar sem voz pois não podia faltar, no final independente de categoria somos todos professores e trabalhamos por igual.
    Nós professores categoria “o” teremos alguma esperança que essa situação possa mudar?

    Responder
    • 189. apeoesp  |  05/02/2012 às 10:57

      Prezado professor Luciano,
      A única solução é a revogação da lei 1093 e lutamos por isto. A lei não é inconstitucional e o Estado pode legislar sobre a contratação de seus funcionários, desde que aprovada a lei na ALESP, o que foi feito. Sempre pressionamos a SEE sobre essa questão e há algumas promessas de reverem ese assunto, mas sem medidas concretas até o momento.
      Bebel

      Responder
  • 190. Raul  |  04/02/2012 às 11:14

    Qualquer um do povo PODE, e os agentes públicos (policiais) DEVEM prender o criminosos em flagrante delito. Ao decumprir continuamente a ordem judicial, os responsáveis pela SEE incorrem em crime de desobediencia a ordem judicial que é de maior potencial ofensivo pois afrontam a República e põe em risco o Estado Democrático de Direito. ELES ESTÃO EM FLAGRANTE DELITO E PRECISAM SER PRESOS IMEDIATAMENTE! NÃO PRECISA ORDEM JUCIDICIAL. Não podemos agir com nossas próprias mãos!!! SOCORRO POLÍCIA FEDERAL!!!!

    Responder
    • 191. apeoesp  |  05/02/2012 às 11:06

      Prezado professor raul,
      É preciso manter a calma. Estamos em pleno litígio judicial e o governo recorreu. O CER também votou um calendário de mobilizações para organizarmos a nossa luta.
      Bebel

      Responder
  • 192. maria alcina  |  04/02/2012 às 13:10

    Bebel,

    Vamos trabalhar na semana que vem dando mais aulas do que é nosso dever?

    a reducao de 32 para 26 aulas devia ser imediata. vamos aceitar calados sem movimento d greve? vamos trabalhar de graça? vamos começar dando aula para salas que vamos deixar depois? seria um comeco de ano traumatizante!

    o estado recorreu mais nao obteve efeito suspensivo e a reducao da jonada com alunos tinha que ser imediata! vamos esperar dando aulas bonitinhos e engolindo no HTPC as novas politicagens da see? vamos ficar quietos até o julgameto do recurso?

    Bebel, vamos à greve! nao vamos aceitar essa situação!

    Responder
    • 193. apeoesp  |  05/02/2012 às 11:11

      Prezada professora Maria,
      O assunto está sub judice e deve ter uma rápida definição. Por outro lado, o CER votou um calendário de mobilização.
      Bebel

      Responder
  • 194. Rafael  |  04/02/2012 às 13:32

    Olá Bebel, o que vai acontecer com esses dias que teoricamente estamos trabalhando a mais, uma vez que ganhamos mandado de segurança? Receberemos a diferença? Isso pode acontecer? Abraços!

    Responder
    • 195. apeoesp  |  05/02/2012 às 11:12

      Prezado professor Rafael,
      Não, pois o governo ingressou com recurso. Esperamos que a situação se defina neste início de semana.
      Bebel

      Responder
  • 196. marilsa Aguiar Pereira  |  04/02/2012 às 14:01

    Olá, Colegas !
    Sou readaptada há 5 anos e todo começo de ano passo por um constrangimento horrivel por causa do horário que me impoem.
    Querem que a Biblioteca fique aberta nos intervalos e na entrada do turno da tarde, além de contarem meu tempo em HORA-RELOGIO ao invés de Hora- aula (50minutos). Dessa forma eu fico em desvantagem pois tenho 33 aulas semanais e eles ainda querem que eu cumpra as 3 HTPC na biblioteca ! Tenho vontade de entrar com mandado de segurança contra essa medida de tempo, pois a cada HORA eu ” ganho” 10 minutos a mais de trabalho que meus colegas, perfazendo 370 minutos, que dividido por horas… da6,1 !!! SEIS HORAS e 10 MINUTOS !!! SOCORRO !!!!
    Vocês tem alguma solução, alguma idéia para meu problema ? Ja fui na Diretoria de ensino e sei também que esse assunto é controverso. Se puderem me ajudar eu agradeço. Abraços,
    PS: Sou associada da APEOESP desde 1986, no minimo.

    Responder
    • 197. apeoesp  |  05/02/2012 às 11:15

      Prezada professora Marilsa,
      Todo professor que se sente ferido em seus direitos deve procurar o departamento jurídico da APEOESP, expor seu caso e buscar uma solução. É que lhe sugiro fazer. Procure a sua subsede.
      Bebel

      Responder
  • 198. Nevie  |  04/02/2012 às 14:17

    Olá Bebel, por favor, me esclareça uma dúvida, se com a lei da nova jornada a carga máxima é de 26 aulas, como ficam as aulas as quais o professor fez a opção da Carga Completa mas os múltiplos das aulas não dá para compor a jornada, ou passa ou falta, que é o meu caso na disciplina de Geografia, que são quatro 4 aulas (na escola que estou só tem ciclo ll), se eu pegar 6 salas dará 24 aulas, e se eu pegar 7 salas dará 28 aulas. O mesmo se aplica para Português, Matemática e Ciências. Gostaria de saber se eu pegar 24 aulas irei receber menos que a carga completa, e no caso de pegar 28 aulas as 2 a mais eu não receberia por elas.

    Agradeço se puder me ajudar esclarecendo essa dúvida.
    Abraços.

    Responder
    • 199. apeoesp  |  05/02/2012 às 11:19

      Prezada professora Nevie,
      A lei trata da composição entre aulas e atividades extraclasses. Respeitado este padrão, cada professor monta sua carga horária, a partir de sua jornada, se for efetivo.
      Bebel

      Responder
  • 200. solange  |  04/02/2012 às 14:54

    “Cabe ressaltar que estes professores da atual categoria L só cumprirão a quarentena no final de seu novo contrato como categoria O.” (FAX URGENTE – 07/12/2011)

    isso que está citado não aconteceu, pois eu era categoria L, virei O e cumpri a quarentena, inclusive fiquei sem férias!

    Responder
    • 201. apeoesp  |  05/02/2012 às 11:20

      Prezada professor Solange,
      Você não cumpriu quarentena. Ficou sem vínculo em janeiro porque sua categoria foi extinta em dezembro.
      Bebel

      Responder
  • 202. Felipe  |  04/02/2012 às 14:57

    Bebel!

    Ainda que tenhamos ganhado a causa, existem muitos impasses e muitas chances de recorrer. O governo claramente está desrespeitando, e parece que neste caso, nada é feito. Tenho duas perguntas:

    1 – Ao ser notificado de que não está havendo cumprimento da liminar, quanto tempo o juiz demora para julgar esta situação e quais os instrumentos disponíveis para que isto aconteça? A vida escolar já iniciou, e o orçamento do governo pode ser uma alegação, uma vez que ele pode fechar o orçamento na calada da noite e utilizar isso como base para seu recurso, e claramente ganhar a causa!

    2 – A apeoesp pensa em alguma maneira de o professor ingressante do concurso de 2010, que ingressou em 2011 e 2012 consiga ter o direito a entrar com pedido de remoção neste ano, uma vez que principalmente os alocados na chamada de 2011 pegaram aulas longe de suas cidades de origem, e estão gastando muito mais transporte do que é pago, e com aulas livres em diversas escolas na própria cidade. Pode dar alguma informação sobre o assunto?

    Obrigado!

    Responder
    • 203. apeoesp  |  05/02/2012 às 11:22

      Prezado professor Felipe,
      1 – o Estado recorreu. Acreditamos que o julgamento do recurso ocorrerá em breves. Temos dados para contestar todas as alegações do governo.
      2 – o professor ingressante só poderá participar da próxima remoção, mantida a liminar a nosso favor.
      Bebel

      Responder
  • 204. antonia  |  04/02/2012 às 15:55

    Olá Bebel, o que está faltando para SEE cumprir a lei?

    Responder
    • 205. apeoesp  |  05/02/2012 às 11:23

      Prezada professora Antonia,
      O Estado recorreu. O juiz optou por partir para o julgamento do recurso. Deve ocorrer breve.
      Bebel

      Responder
  • 206. sandra lopes  |  04/02/2012 às 17:33

    OLÁ BEBEL!!
    OUVIR DIZER QUE UM GRANDE NÚMEROS DE PROFESSORES QUE TOMARAM POSSE EM SÃO PAULO(JUNHO) NÃO ASSUMIRAM ESTAS AULAS (CARGO) E QUE A SECRETARIA ´PENSA PRA JÁ, FAZER UMA REMOÇÃO EM VIRTUDE DE MUITA VACÂNCIA. É VERDADE ???!!!!!!!!!!!!!!!!!! POIS ASSUMI AGORA E UM DESSES PROFESSORES QUE PEGARAM O CARGO AQUI (A 4 QUARTEIRÕES DA MINHA CASA) E NÃO ASSUMIRAM ATRAPALHARAM MINHA VIDA TODA !!! FUI PARAR A 80 KM DE MINHA CASA , NUM ASSENTAMENTO!!!
    ESPERO RESPOSTA E QUE SEJE PUBLICADO MEU POST POIS NUNCA É !!!
    OBRIGADA
    SANDRA DE PRESIDENTE EPITÁCIO

    Responder
    • 207. apeoesp  |  05/02/2012 às 11:27

      Prezada professora Sandra,
      Lamento profundamente pela sua situação. É revoltante que o Estado leve seus professores a situações como esta. Infelizmente, não temos notícias ainda sobre nova remoção.
      Bebel

      Responder
  • 208. ana  |  04/02/2012 às 17:45

    A luta continua !
    Abraços

    Responder
  • 209. André  |  04/02/2012 às 18:01

    Sra. Maria Izabel, até quando vamos ter nossos direitos violados por um governo que despreza totalmente uma categoria primordial não só para o estado que governa, mas para toda uma nação e tem o displante de não respeitar uma sentença judicial. Esse governo, do Sr. Geraldo Alckimin está claramente se pronunciando como imune e impune. Isso além de ser vergonhoso para a justiça e para o Ministério da Educação, cheira à arrogância e total ausência de democracia. O que acontecerá de agora em diante? Devemos continuar lecionando como se nada tivessee ocorrido? Gostaria de ter uma resposta não só sua mas da Justiça também. E a questão das faltas parciais? Não vai mudar com a redução da jornada? Estamos num imbroglio e não sabemos que caminho tomar. E nossa vida profissional e pessoal (pelo baixíssimo salário e condições péssimas de trabalho) continua indo para o buraco.

    Responder
    • 210. apeoesp  |  05/02/2012 às 11:29

      Prezado professor André,
      Nossa luta cotidiana é contra esta situação. Lutamos para que o Estado respeite o Estado de direito e trabalhe em favor da escola pública. A questão da jornada está sub judice. Aguardamos o julgamento do recurso do Estado. Veja o calendário aprovado pelo CER, que publiquei aqui no blog.
      Bebel

      Responder
  • 211. Fabiano  |  04/02/2012 às 18:46

    Digo e repito: esta é uma das poucas oportunidades que o Sindicato junto com a categoria dos professores (sindicalizados ou não) tem depois de muitos anos de conseguir “sangrar” fortemente o Governo PSDB.

    Há mais de 16 anos os professores vem sofrendo perdas de todos os tipos, e ao longo destes anos o PSDB conseguiu minar as forças da categoria, desanimando, fragmentando e consequentemente nos enfraquecendo. Da mesma forma conseguiu colocar uma raiz profunda de desconfiança em muitos professores em relação ao papel “efetivo” do Sindicato.

    Porém nas últimas semanas o que tenho percebido é que eu e alguns colegas estão ansiosos por esta vitória “definitiva” (ela ainda não correu, vale lembrar…), mas muito mais do que esta pequena – mas importante – vitória é voltar a arregimentar a categoria em pro da nossa lutar por melhorias (não podemos esquecer que há outras reivindicações importantes que NÃO ganhamos), e mostrar para o PSDB que somos (podemos ser) uma categoria muito forte, e se ele continuar nos tratando com o desdém que tem feito nos últimos 16 anos, ele terá sérios problemas para governar e para eleger seus políticos pelos próximos anos aqui em São Paulo.

    Desta forma, espero que a APEOESP aproveite este momento para direcionar seus sindicalizados da melhor forma possível. O “tiro certeiro” deverá ser dado e a oportunidade poderá ser apenas única. Se ela passar e errarem, além da oportunidade perdida o enfraquecimento da categoria e consequentemente do Sindicato será notório.

    Antecipem as ações do Governo, avaliam os riscos, coloquem na mesa o que deve ser feito paralelamente com estas ações judiciais. Sem que alguns de vocês já devem estar pensando no que fazer, mas lembrem-se A CATEGORIA também precisa saber, também precisa fazer parte, também precisa agir. É momento dos líderes serem LÍDERES para seus liderados acompanharem – assim diz a História.

    Att.

    Responder
    • 212. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:52

      Prezado professor Fabiano,
      Leia texto que postei com as deliberações do CER.
      Bebel

      Responder
  • 213. Mara Cristina Teixeira  |  04/02/2012 às 19:24

    Olá a todos, olá Bebel
    Já deu para perceber que neste ano vamos ficar nesta briga intestina com a SEE, e que – SE ELES QUISEREM – no ano de 2013 será cumprido a lei do piso integralmente. Gostaria de lembrar alguns colegas, no entanto, do seguinte:
    1 – GREVE não resolve em nada para a nossa categoria; não somos coesos, muito menos unidos, para fazermos tamanho sacrifício; a maioria dos professores prefere passar fome, trabalhar manhã/tarde/noite, do que se empenhar num movimento desses. Lembrem-se de que nós, que escrevemos aqui, somos MINORIA: a maior parte da categoria fica feito pássaro novo esperando que lhes dêêm comida na boca (no caso, que consigam – através da condescendência da SEE – algum direito);
    2 – CUIDADO AO DIZER QUE ESSE GOVERNO É NAZISTA/FASCISTA . JÁ ESQUECERAM DAS AULAS DE HISTÓRIA? Os názis foram eleitos com votação expressva; SUBIRAM AO PODER DE FORMA LEGÍTIMA, COM O APOIO DA GRANDE MAIORIA DO POVO ALEMÃO……..bem, deu no que deu, MAS não podemos dizer que esse governo não tem legitimidade, ok? Agora, cabe a nós, descontentes, votarmos CONTRA todos os candidatos tanto do partido quanto das suas coligações. Se temos um grande número de pessoas que votam em casa, na família, podemos conseguir mudar parte desta situação tenebrosa. Se alguém ainda tem dúvida de QUEM faz parte da turma de apoio às ações nefastas que sofremos, basta prestar atenção nas notícias de acordos e conchavos políticos que já tem como objetivo as eleições neste ano.

    Responder
    • 214. apeoesp  |  05/02/2012 às 11:33

      Prezada professora Mara,
      Nosso sindicato não faz concluiu, nem fica apenas em briga intestina com a SEE. Somos o sindicato que mais realiza assembleias e mobilizações e nossas ações são realizadas na rua, na praça pública.
      Não atuamos movidos por interesses partidários e cumprimos o que deliberam nossas instâncias de decisão.
      Dito isso, concordo que a grande mudança se dá pela força do nosso voto, mudando a orientação do Estado. Mas até lá temos que lutar por todos os meios para que nossas reivindicações sejam atendidas.
      Bebel

      Responder
  • 215. Ludmila  |  05/02/2012 às 00:30

    Essa novela tem que acabar, pois os professores já não acreditam que essa lei será cumprida. Pois parece que nosso governo tem os seus aliados e vai acabar tudo em pizza.

    Responder
    • 216. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:21

      Prezada profassora Ludmila,
      Temos percorrido o estado e temos as manifestações neste blog e nas regiões: os professores estão do lado da APEOESP e confiantes nas nossas ações. A questão está na justiça e temos uma sentença favorável. Não há porque concluir de antemão que a lei não será cumprida. Ao contrário, se queremos que seja cumprida, devemos lutar por isso. É o que estamos fazendo.
      Bebel

      Responder
      • 217. Renato  |  05/02/2012 às 18:07

        Eu acho que, na conjuntura atual, essa sua frase ” os professores estão do lado da APEOESP e confiantes nas nossas ações” é mesmo verdadeira. Eu circulo por diferentes unidades de ensino do Estado na região Sul de São Paulo Capital. Eu as conheço. O sindicato está aproveitando o momento com competência. É merecido pelo trabalho consistente. De qualquer forma, temos o sindicato mais atuante do país, talvez do mundo; tenho certeza disso.

      • 218. apeoesp  |  07/02/2012 às 14:08

        Prezado professor Renato,
        Muito obrigada pelas palavras e pelo apoio.
        Bebel

  • 219. www.gilcilenepiccoli@bol.com.br  |  05/02/2012 às 01:47

    querida Bebel, estou aflita pois sou categoria F, no momento da atribuição me foram atribuidas 18 aulas e comunicaram ainda que eram de efetivo que fora designado dia 24/01 e que não tinha se manifestado.No momento as aulas eram livres e fui obrigada a pegar, pois a atribuição seria compulsória. No 1º dia letivo de aula fui informada que o professor havia entrado em contato com a escola e que retornaria até o 24/2. Será que essa luta terminará até lá??????????????

    Responder
    • 220. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:10

      Prezada professora Gilcilene,
      Nossa luta é para se defina o mais urgente possível.
      Bebel

      Responder
  • 221. sandra lopes  |  05/02/2012 às 17:02

    OBRIGADA BEBEL !!!! CONTINUAMOS NA LUTA !!!

    Responder
    • 222. apeoesp  |  07/02/2012 às 14:03

      Prezada professora Sandra Lopes,
      Obrigada pela força.
      Bebel

      Responder
  • 223. Ludmila  |  06/02/2012 às 00:24

    Gostaria de saber quantos recursos o governo tem direito, pois a apeoesp ganha, o governo recorre. E assim, ficamos a esperar que esse impasse se resolva. Até quando?

    Responder
    • 224. apeoesp  |  07/02/2012 às 14:44

      Prezada professora Ludmila,
      Estão esgotados os recursos no Estado no TJSP.
      Bebel

      Responder
  • 225. Abele vanessa da silva  |  06/02/2012 às 05:07

    Ola, BOM DIA!
    Bebel nossa anja da guarda, se não fosse vc, não sei o que ja teria acontecido com nos professores, sempre nos defedendo e nos dando a mão.
    Querida Bebel sei que anda muito ocupada, mas gostaria de lhe fazer uma pergunta: recebi a agenda 2012 da apeosp e na pg 32 fala que os professores contratado pode pedir para participar do convenio medico IAMSPE, queria saber mais detalhe, meu irmão é categoria Ó desde 2010 que inicio como professor do estado. Sera que ele tem algum direto? Se tiver por favor me explique….
    obrigada!
    Abele.

    Responder
    • 226. apeoesp  |  07/02/2012 às 14:55

      Prezada professora Abele,
      Muito obrigada.
      Por favor, sobre o IAMSPE, estamos discutindo com o Instituto baseados em uma lei que diz que todo servidor que tenha tido mais de um ano de vínculo pode permanecer no IAMSPE.
      Você deve procurar o departamento jurídico para verificar se é possível ação individual.
      Bebel

      Responder
  • 227. flaviana  |  07/02/2012 às 00:25

    Bebel ja saiu no site da SEE que eles ganharam na justiça e com isso a sentença proferida 3ª vara da Fazenda que determinava a reorganização da jornada de trab foi suspença. E agora Bebel?

    Responder
    • 228. apeoesp  |  07/02/2012 às 00:50

      Prezada professora Flaviana,
      Note como seu comentário contém uma contradição. Ainda não ganharam na justiça, apenas a execução da sentença está, por hora, suspensa. Manobra protelatória, decisão provisória. Leia textos que publiquei no sábado e publicarei hoje.
      Bebel

      Responder
  • 229. fabricio  |  07/02/2012 às 17:05

    Bebel tem alguma previsão de julgamento definitivo desta questão do piso por parte do judiciario? Ao que parece todas as decisões em favor do estado são apenas protelatórias, mas fica a impressão de quando o judiciário examina o cerne da questão as decisões são sempre em favor da educação. Tenho certeza que quando a questão for julgada em sua instância correto obteremos a vitória.

    Responder
    • 230. apeoesp  |  09/02/2012 às 00:40

      Prezado professor Fabrício,
      Não há uma data definida, ainda. Estamos trabalhando para que seja o mais urgente possível.
      Acredito que você tenha razão no seu raciocínio.
      Bebel

      Responder
  • 231. prejudicada!  |  10/02/2012 às 23:50

    Boa noite!
    Sou extinta categoria L, este ano virei O.Tenho acúmulo legal, peguei aulas na primeira atribuição da DE, porem tive meu acúmulo prejudicado devido a incompatibilidade de horário.Não foi publicado o acúmulo p eu poder assumir as aulas, tambem não assinei o contrato, a escola só me deu a opção então de fazer por escrito a minha desistência de todas as aulas, já q não posso largar só uma ou outra por ser cat. O.
    Quero saber se posso deixar em aberto, já q não assinei nada e dar como abandono de vez, já q o erro não foi meu, não me sinto na obrigação de fazer por escrito a desistência.
    Deixei uns documentos na escola que são os xerox dos doc.pessoais, laudo médico p admissão, folha de acúmulo.Devo aguardar os 30 dias e ir buscar os xerox? pq no 31º dia q eu não assumi as aulas dá como abandono não é?
    deixei uma solicitação p q me arrumasse o horário, mas não serei atendida.só me resta abandonar as aulas.o que faço?
    nunca precisei fazer isto tenho um tempo no estado, mas este ano mesmo passando na prova dos ofas, foi o que eu ganhei.
    obrigada! aguardo retorno!!!

    Responder
    • 232. apeoesp  |  11/02/2012 às 12:10

      Prezada professora,
      Solicito que entre em contato com o departamento jurídico na sua subsede para discutir este assunto em detalhes e receber a melhor orientação.
      Bebel

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,928,794 hits

%d blogueiros gostam disto: