CER DEFINE CALENDÁRIO DA LUTA PELA JORNADA DO PISO

04/02/2012 at 19:27 219 comentários

Reunido no dia 04/02, sábado, o Conselho Estadual de Representantes (CER) analisou o atual estágio da luta de da nossa categoria (em nível estadual e nacional) pela integral implementação da Lei 11.738/08 (Lei do Piso Salarial Profissional Nacional) e tirou encaminhamentos para a continuidade desta campanha.

Os conselheiros concluíram que foram acertadas as medidas políticas e jurídicas tomadas pela diretoria, que soube combinar corretamente essas duas dimensões da nossa luta, deixando o governo na posição de descumpridor das decisões judiciais com as quais não concorda. Ao mesmo tempo, o governo Alckmin utiliza o argumento do respeito a uma decisão judicial para invadir e massacrar os moradores do bairro Pinheirinho, em São José dos Campos.

Agora, com o início do ano letivo, é preciso avançar na luta, envolvendo todos os professores e professoras nas diversas regiões do Estado, combinando a nossa campanha com a luta nacional.

Assim, o CER aprovou o seguinte calendário:

06 a 10 de Fevereiro
– eleição de representantes de escolas
– panfletagem junto à população
– esclarecimentos de professores, alunos e pais
– visitas às escolas
– mobilização junto a igrejas, câmaras municipais e entidades por apoio à luta

08 de Fevereiro
– audiência na Comissão de Educação da ALESP sobre a jornada do piso – 14h30 – auditório Franco Montoro
> as subsedes, sobretudo as da Capital e Grande São Paulo, devem organizar caravanas para participar dessa atividade – vamos lotar a ALESP e realizar um grande ato pela jornada do piso.

16 de Fevereiro
– reunião extraordinária de REs/RAs
– atos nas DREs

23/02 a 03/03
– continuidade da mobilização junto a igrejas, câmaras municipais e entidades por apoio à luta
– continuidade das visitas às escolas
06 de março
– reunião ordinária de REs/RAs

12 e 13 de março
– trabalho de esclarecimento de alunos e pais nas escolas

14, 15, 16 de março

– paralisação nacional da CNTE pela lei do piso

16 de março
– assembleia estadual para deliberar continuidade da greve

 

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

Pagamento de férias dos professores da categoria “O” Agora vamos para Brasília!

219 Comentários Add your own

  • 1. Lucas Lima  |  04/02/2012 às 19:38

    Oi Bebel!

    Foi publicado o calendário. Mas não irá ter um outro julgamento na semana que vem? Só pra ver se entendi – o calendário será utilizado somente se o Estado ganhar na justiça?
    Obrigado e desculpe a ignorância.
    Parabéns pelas conquistas!

    Abraços

    Responder
    • 2. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:53

      Prezado professor Lucas,
      É um calendário de pressão, mobilização e construção da greve, se ela for necessária.
      Bebel

      Responder
  • 3. Flavio  |  04/02/2012 às 19:43

    Srª Bebel,
    Só em 16 de Março??? – assembleia estadual para deliberar continuidade da greve.
    não esta muito longe esta data?
    E que continuidade da greve? Os professores vão entrar em greve?
    Desculpe o meu tom mas precisamos de mais urgencia, e o Governo tem que cumprir já a lei de 1/3. A Apeoesp e nós professores temos que tomar uma atitude já.

    Responder
    • 4. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:54

      Prezado professor Flávio,
      Não estamos parados e não ficaremos. Há a luta judicial e há, no calendário, várias atividades a serem feitas imediatamente, inclusise a mobilização na ALESP no dia 8/. Esperamos contar com todos lá, para envolver também o poder legislativo nesta questão.
      Bebel

      Responder
  • 5. Eliseu  |  04/02/2012 às 19:56

    É isso aí, vamos à vitória!!!

    Responder
    • 6. Vanessa  |  05/02/2012 às 16:37

      Não é minha intenção ser do contra, mas de qual vitória está falando???
      Não consigo ver nenhuma, então desculpem meu estado desinformado, mas não vejo vitórias, principalmente para os professores da categoria efetivos.

      Responder
      • 7. apeoesp  |  07/02/2012 às 14:01

        Prezada professora Vanessa,
        São muitas vitórias contra governos truculentos (Serra e Alckmin) que, se não fosse a APEOESP, teriam avançado muito mais no desmonte da escola estadual e nos ataques à nossa categoria. Na questão da jornada do piso, o governo sequer queria discutir o assunto. Agora temos uma setença favorável no Tribunal e o governo tenta derrubar, mas só está conseguindo adiar.
        Bebel

  • 8. Cleiton  |  04/02/2012 às 20:14

    …apesar de ser uma prerrogativa da justiça a determinação de punição por um descumprimento de sentença judicial, é de extrema inteligência a atitude do Sindicato, pois este calendário de mobilização salienta o trabalho jurídico bem executado e também assevera a importância social da APEOESP.
    Convocando os trabalhadores à aderir as questões da categoria perante a sociedade mostra atitude na representação da classe. Mas uma vez, o caminho é este, em ano eleitoral sair para as ruas e fazer mobilização com apoio da mídia é uma ferramenta extremamente fatal para qualquer político, parabéns.

    Responder
    • 9. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:56

      Prezado professor Cleiton,
      Muito obrigada pelo apoio. Sua análise é inteligente e correta.
      Bebel

      Responder
  • 10. Jones Martins de Freitas  |  04/02/2012 às 20:35

    Já estamos nos mobilizando pois já previamos isso, estamos nas redes sociais (facebook, orkut, msn, outros), falando com milhares de professores sobre o movimento, estamos com vcs até o fim e juntos iremos ganhar definitivamente mais essa, que é nosso de direito. Quando cumprirem o correto, quero deixar bem claro não é porque são bonzinhos e estão fazendo isso para o professor, mais um benefício que com certeza vão anunciar, iremos comunicar a população que tipo de governo que temos que por mais que haja uma Lei, uma ação judicial, o governo está contra um educação de qualidade. chega de PSDB

    Responder
    • 11. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:56

      Prezado professor Jones,
      Muito obrigada pelas informações e pelo appio.
      Bebel

      Responder
  • 12. Regiane  |  04/02/2012 às 20:43

    Bebel,

    Em primeiro lugar quero parabenizá-la pelas conquistas que estamos tendo graças a sua garra por lutar contra as injustiças que o governo nos faz passar. Gostei muito das mobilizações elencadas mas acredito que não podemos esquecer do próprio processo já ganho, temos que usar a conquista a nosso favor, que é procurar tb o juíz que nos deu a sentença a favor e dizer-lhe que o Estado não a está cumprindo, isso fará com que o juíz tome providências e quem sabe veremos o Estado (PSDB) ser mais uma vez humilhado perante as suas mentiras e hipocrisias.

    Responder
    • 13. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:58

      Prezada professora Regiane,
      Muito Obrigada. A luta judicial continua e estamos trabalhando para vencê-la.
      Bebel

      Responder
  • 14. Denise  |  04/02/2012 às 20:48

    apoio todas as decisões… mas e o juiz ??? não deu retorno de nada???

    Responder
    • 15. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:59

      Prezada professora Denise,
      Esperamos definições neste início de semana.
      Bebel

      Responder
  • 16. Marcos  |  04/02/2012 às 20:48

    Por este calendário já deu pra recerber que o 1/3 da jornada é causa perdida, foi só ilusão.
    Bebel, não dá para o juiz declarar nula a atribuição que é um ato administrativo ilegal, portanto nulo, e obrigar que atribuição seja feita corretamente à revelia do governo que se esquiva de sua competência?

    Responder
    • 17. apeoesp  |  05/02/2012 às 03:01

      Prezado professor Marcos,
      Esta conclusão, totalmente desprovida de sentido, é sua. O que definimos foi um calendário que combina mobilizações imediatas, de pressão, com a preparação de uma greve, se ela for necessária. Também estamos trabalhando para envolver o poder legislativo, até então em recesso.
      Bebel

      Responder
  • 18. VILMA  |  04/02/2012 às 21:06

    Cara Bebel,

    A postura acima significa que não teremos nova atribuição nem o juiz fará cumprir a decisão?

    Responder
    • 19. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:49

      Prezada professora Vilma,
      Não. Significa apenas que realizaremos movimento contínuo preparando uma greve forte, se ela for necessária. Enquanto isso, além das atividades que constam no calendário, continuamos a luta judicial.
      Bebel

      Responder
  • 20. suraya caram  |  04/02/2012 às 21:35

    Bebel,

    Mais uma vez parabenizo-a pela decisão acertada de formular o calendário proposto : mais de trinta dias antes de uma medida mais radical . O que valida , respalda e justifica , aos olhos de toda a sociedade e do Judiciário, a continuidade da nossa luta , se necessário for.
    Estamos de acordo , unidos a vc nesta caminhada !

    abraço,

    Responder
    • 21. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:46

      Prezada professora Suraya,
      Muito obrigada pelo apoio. O engajamento de todos é fundamental.
      Bebel

      Responder
  • 22. Edison  |  04/02/2012 às 21:47

    Eu esperava greve já. Mais um mês e meio cumprindo esta jornada ilegal nos tornará coniventes com a ilegalidade. descumpridores da Lei Federal nº 11.738/08 e obedientes a uma resolução estadual invertendo se a hierarquia lógica das leis. Um mês e meio é muito tempo.

    Responder
    • 23. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:45

      Prezado professor Edison,
      Acredito que você não entendeu a deliberação. O que está se apontando é que, se não for aplicada a lei do piso e uma greve for necessária, deverá ter tempo suficiente para ser bem preparada e ir até a vitória, considerando inclusive que temos o carnaval no meio deste processo.
      Nós estamos lutando na justiça e faremos várias atividades de pressão antes disso (veja calendário).
      Esperamos uma vitória antes mesmo que seja necessária uma greve.
      Bebel

      Responder
  • 24. Flavio  |  04/02/2012 às 22:32

    Srª Bebel
    Assembleia para 16 de Março??? Não é muito tempo???
    A Apeoep mesmo, falou que era para o governo cumprir imediatamente a lei de 1/3, em outras palavras agora.
    Então a greve tem que ser já, claro se o governo não cumprir a ordem judicial. Outra duvida porque esse silencio da SEE?
    Obrigado.
    Prof. Flavio

    Responder
    • 25. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:36

      Prezado professor Flávio,
      Não sabemos porque a SEE está em silêncio, mas cumprimos a nossa parte denunciando ao juiz o descumprimento da sentença. Por outro lado, há recurso do governo tramitando, conforme já informamos aqui.
      Finalmente, as aulas recém começaram e, se for necessária uma greve, ela terá que ser forte, construida pela base, com a participação dos professores em todo o estado.
      Bebel

      Responder
  • 26. Prof. Pedro (Diadema)  |  04/02/2012 às 23:03

    Professora Maria Izabel Noronha!
    Fiquei decepcionado com este encaminhamento.
    Esta decisão não é a melhor forma para enfretar este governo, afinal esta decisão deu mais um voto de confiança a este imbecil.
    Bebel o que vou falar para os meus colegas professores nas escolas em que trabalho, pois sempre defendi e defendo a APEOESP.
    No ultimo debate com os meus colegas falei que teriamos novidade depois do dia 06/02, póis tanto eles como eu consideravamos esta data um limite para a nossa luta.
    Vou voltar na segunada feira e falar: O CER deliberou um calendario de luta que segue para 3 dias de paralização em março ( 14, 15 e 16) e logicamente eles vão dá risada da decisão tomada pelo CER.

    Prof. Pedro (Diadema)

    Responder
    • 27. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:33

      Prezado professor Pedro,
      O CER é um organismo politicamente competente, fez uma reunião altamente representativa e deliberou o calendário por amplíssima maioria. Desta forma, considero que foi um decisão amadurecida e correta. Não se faz uma greve por vontade de alguns poucos, mas se queremos que seja vitoriosa, ela tem que ser construida com os professores, nas escolas.
      Esperamos, inclusive, que a greve não seja necessária para que a jornada do piso seja aplicada, mas se for, a faremos.
      Diferente de você, minha opinião é a de que o limite para a nossa luta não é uma data, mas a nossa vitória.
      Bebel

      Responder
  • 28. Sidnei  |  04/02/2012 às 23:08

    A elaboração desta luta quer dizer que o governo vai mesmo esperar nova decisão e vamos ter que engolir mais uma?

    Responder
    • 29. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:30

      Prezado professor Sidnei,
      Absolutamente, não. Estamos apenas nos antecipando e construindo um calendário de lutas que deverá, incluisive, incorporar outras questões que afetam a nossa categoria.
      Bebel

      Responder
  • 30. André Luís Garcia  |  04/02/2012 às 23:37

    Poderíamos fazer uma campanha no Facebook também. Uma imagem bem marcante de educação com a fala do Alckmin após o episódio Pinheirinho. Sei lá, acho que conquistaríamos um público bem maior, sem contar que nos últimos tempos o Facebook tem se mostrado muito forte na hora de propagar notícias que visam o bem comum. Só não sou bom em fazer imagens.

    Responder
    • 31. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:27

      Prezado professor André,
      Vamos considerar sua proposta. Obrigada.
      Bebel

      Responder
  • 32. Tania  |  04/02/2012 às 23:39

    Decididamente… PERDI A ESPERANÇA!

    DESCOBRI QUE A SEE ESTÁ ACIMA DA JUSTIÇA!!! NÃO TEMOS MAIS NADA A FAZER!

    QUE PENA! BEM QUE ME AVISARAM PARA NÃO ACREDITAR EM NADA!

    BOA SORTE!

    Responder
    • 33. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:27

      Prezada professora Tania,
      Se perdemos as esperanças sem levar a luta até o fim, então não estamos dispostos a buscar a vitória. O caso está na justiça, temos uma sentença favorável, o recurso do governo está para ser julgado, se necessário, vamos à greve. É hora de lutar e conversar com todos os colegas para criarmos um grande movimento, e não hora de desanimar.
      Bebel

      Responder
  • 34. Sheila Jacinto  |  05/02/2012 às 00:20

    Prof.Bebel e agora? A atribuição volta ou não? Tive que diminuir minha jornada de trabalho de básica para reduzida e estou esperando…. Não seria hora de uma greve?

    Responder
    • 35. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:23

      Prezada professora Sheila,
      Leia o texto que você está comentando. Há um calendário definido pelo CER para que possamos fazer uma greve forte, se necessário,
      Bebel

      Responder
  • 36. Sheila Jacinto  |  05/02/2012 às 00:21

    Quando há data para uma nova atribuição?

    Responder
    • 37. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:22

      Prezada professora Sheila Jacinto,
      Ainda não há esta data. A questão está na justiça.
      Bebel

      Responder
  • 38. Dimas  |  05/02/2012 às 00:37

    Só Agora ! paralisação Não Greve !
    Greve Não tem data pra acabar !

    Responder
    • 39. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:18

      Prezado professor Dimas,
      Faremos a greve se necessário, envolvendo toda a categoria e ela terminará quando atingir seus objetivos ou a categoria decidir.
      Bebel

      Responder
  • 40. Robson  |  05/02/2012 às 01:08

    Desculpa, mas greve só em MARÇO? O governo está descumprindo a lei HOJE, e vocês pensam em greve só em março?

    Parece-me muito com uma manobra eleitoreira, isso sim… para terminar como a greve de 2010?

    Responder
    • 41. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:17

      Prezado professor Robson,
      Não queremos fazer greve de meia-dúzia. Se a greve for necessária (e esperamos que tudo possa se resolver antes disto)ela tem que ser construída com consciência e mobilização de toda a categoria.
      Bebel

      Responder
  • 42. Magali de Cássia Merenda  |  05/02/2012 às 01:45

    Cara Bebel

    Você é uma guerreira. Estou muito contente com a atuação da APEOESP, sob o seu comando. Vocês não desistem. É isso mesmo, também penso assim. Se ainda não conseguimos fazer valer um direito ganho,não foi por falta de atitude e competência do sindicato e sim por que este governador e os seus asseclas do PSDB não fazem o que dizem(decisão judicial é para cumprir e não discutir.)como ele mesmo disse noccao do Pinheirinho. Parabéns pela disposição em lutar. Um abraço. Prof. Magali

    Responder
    • 43. apeoesp  |  05/02/2012 às 02:11

      Prezada professora Magali,
      Muito obnigada pelas palavras e pelo apoio.
      Bebel

      Responder
  • 44. André  |  05/02/2012 às 02:19

    A apeoesp é uma piada…. temos que cancelar a filiação…. protesto em março… vtc….. Só vcs mesmo!!!! Com essa morosidade vamos nos ferrar dinovo!!!! Queria um sindicato de verdade!!!! Não um fantoche do PT e da CUT!!!!! Sou professor efetivo há 6 anos e só vejo a situação piorar… vcs são meros fantoches… presidenta por favor se filie ao PSDB… pois vc parece jogar dos dois lados… O Governador te ama!!!!

    Responder
    • 45. apeoesp  |  05/02/2012 às 11:51

      Prezado professor André,
      Desculpe, mas você não entendeu o calendário. A mobilização começa já, nas escolas. Quem realmente quer lutar se engaja nesta mobilização e não fica apenas fazendo confortáveis críticas a quem organiza o movimento. Minha luta na APEOESP não é partidária e sim pelos direitos da nossa categoria. Quem ajuda objetivamente o governo do PSDB é quem quer enfraquecer o sindicato.
      Bebel

      Responder
  • 46. EDSON  |  05/02/2012 às 03:31

    ~ProfessoraMaria Izabel,não votei na senhora e nem nos representantes da sua chapa, no entanto,como cicadão democrático,não posso deixar de parabenizar pelas sensatas atitudes tomadas até aqui.Alguns professores falam em greve imediata,esquecendo que aceitamos esta atribuição de forma pacata,basta contar o número de boletins de ocorrencias feito pelos professores e a quantidade de liminares individuais,desta forma acredito que o caminho é esse mesmo,construir uma greve com base e não declarar greve sem ter uma categoria esclarecida e preparada para enfrentar esten governo hipócrita

    Responder
    • 47. apeoesp  |  07/02/2012 às 13:06

      Prezado professor Edson,
      Muito obrigada pelo apoio.
      Bebel

      Responder
  • 48. Eduardo Prado  |  05/02/2012 às 03:39

    Olá, Bebel!

    Concordo com o calendário proposto. Não podemos ter pressa. Iniciar uma greve sem o engajamento necessário colocaria a perder nossas chances de vitória. Não gosto de greves, a maioria também não gosta, embora uma demonstração força e de união da categoria seja necessária neste momento.
    O que me preocupa quanto a greve é a oportunidade que ela abre ao governo e à mídia que o serve para jogar os professores contra a população. Já vimos esse filme. Fizemos uma greve de quase um mês com forte engajamento no início, mas que foi se perdendo ao longo das semanas. E o pior: não levamos nada e ainda aprofundamos o descredito do professorado em relação ao seu sindicato. E isso ainda precisa ser revertido, caso contrário nossas chances de mobilização ficarão sempre aquém do ideal. E mobilização é tudo. É ela que dá força a um sindicato, não seu número de afiliados.
    Como disse, não gosto de greves, mas não sou contra elas. Só acredito que antes de deflagrar uma, deveríamos exercitar nossa criatividade propondo outras formas de protestos que, ao mesmo tempo em que chamasse a atenção da opinião pública (e isso não inclui, necessariamente, a opinião publicada pelos jornalões), atraísse a simpatia e o respeito da população, que é pra quem trabalhamos e de quem esperamos, e precisamos, do apoio.

    Vamos a luta!

    Responder
    • 49. Val  |  06/02/2012 às 01:46

      Eduardo, concordo com vc!
      Abraço
      Val

      Responder
  • 50. wagner  |  05/02/2012 às 04:04

    mais uma vez o sindicato não está de acordo com a vontade das bases, os professores estão dipostos a paralisar logo e não daqui a 40 dias…

    Responder
    • 51. apeoesp  |  05/02/2012 às 12:04

      Prezado professor Wagner,
      Não sei a que base se refere, pois o conselho é representativo da base, fez uma reunião muito expressiva e votou o calendário por amplíssima maioria.
      Uma greve não se realiza assim. Ela tem que ser preparada e os professores precisam estar engasjados. Do contrário não passará de um movimento fraco sem nenhuma eficácia.
      Bebel

      Responder
  • 52. Silvio  |  05/02/2012 às 04:43

    Pelo “tamanho” e “força” do Estado de São Paulo, a vitória conquistada, mesmo com o desdém de muitos professores, é significativa e mostra que passo a passo a APEOESP e o professorado paulista estão redirecionando esta caótica estrutura da educação a uma situação que certamente será melhor para todos num futuro.

    Devemos pensar não no imediatismo, ainda que neste momento, muitos como eu, estejam padecendo por falta de senso democrático deste governo que não suporta professor.

    Parabéns Bebel , toda Apeoesp e também para a Justiça, na figura deste Juiz, que enfim nos enxergou.

    Responder
    • 53. apeoesp  |  07/02/2012 às 13:07

      Prezado professor Silvio,
      Muito obrigada pelo apoio. O engajamento de todos na luta é fundamental.
      Bebel

      Responder
  • 54. Benê  |  05/02/2012 às 09:49

    Achei muito sensato o calendário pois temos que informar aos alunos e a comunidade a razão da nossa luta e mostrar como
    o PSDB valoriza a educação.
    Os pais precisam conhecer o plano de valorização do magistério onde o professor não pode adoecer ou mudar de sede, mesmo
    que seja para efetivação de cargo ou remover para sua cidade.
    Sorte dos alunos que conseguirem professores bem remunerados
    (minoria) e a maioria ficarão com professores mal remunerados e
    descontentes e desmotivados com tanta injustiça.
    É POR ESSE MOTIVO QUE FALTA PROFESSOR.
    COMO INCENTIVAR UM JOVEM A FAZER UMA LICENCIATURA
    PARA, DEPOIS DE TANTA LUTA, GANHAR R$ 1.500,00?
    Com essa política, a situação vai piorar.

    Responder
  • 55. Benedito  |  05/02/2012 às 10:24

    Po que o governo não aplica a lei do piso?

    Essa é uma questão que tem me preocupado nesses dias , tenho procurado motivos e razões que justifiquem porque o governador do PSDB sr Geraldo, resista de forma obstinada á aplicação da lei do piso, mesmo que para isso afronte a carta magna e o direito liquido e certo dos professores usufluirem da lei.
    A lei do piso , diga -se de passagem é bem menos do que os professores necessitam para realizar o seu trabalho; cincoenta por cento dentro da sala de aulas e cincoenta por cento fora de sala de aulas, mas para o Geraldo é bem mais do que ele quer dar (uma aula) aos professores do estado.
    Então,onde reside essa resistência do sr Geraldo Alkmim do PSDB á lei do piso?
    O que sabemos pelo que a imprensa publíca, e os arautos da secretaria se esgoelam aos quatro cantos feitos papagaio de piratas,é que o estado não tem dinheiro para contratar mais professores.
    Mas não são esses mesmos que dizem orgulhosos que o estado de São Paulo,é o mais rico dos estados da federação? Como então não se tem dinheiro para contratar professores para educar os fihos e filhas da classe trabalhadora?
    Como se colocam contra uma lei que possibilita mais tempo aos professores para preparar aulas e ajudar esse estado a sair da sua pífia colocação nas avaliações exteriores?
    Continuo a perguntar.O que leva o sr Geraldo Alkmim do PSDB,com tantas tentativas frustradas, com tantos planos mirabolantes como ; promoção automática, divisão da categria em letras, precarização do trabalho desses professores, prova de mérito,bônus mérito (produtividade), escola de formação e por aí vai..O que leva a que esse governador tucano não aplique a lei do piso?
    Será que a explicação é a aproximidade das eleições municipais? Onde na maior cidade do estado teremos para concorrer a eleição o ex ministro da educação um dos responsáves pela lei do piso?
    Ou se dará pelo fato desses tucanos serem desde o nascedouro neo-liberais, e os neo-liberais são contra a participação do estado na economia e por isso tentam a todo custo impedir que a educação no estado e no país, cresça? A final nos estados que o PSDB governam entraram na justiça para impedir a implementação da lei do piso , isso fez com que ficássemos desde 2009,esperando pela aplicação da lei até que julgasse a constitucionalidade da lei.
    Não teria sido pelo motivo que eles defendem que empresas particulares tomem conta da educação?
    A essência da não aplicação da lei do piso pelo sr Alkmim não será a sua verdadeira cara, cara essa que tem dois lados? Uma voltada para os professores , e outra voltada para os empresários da educação?
    Essa face obscura,já não a vimos antes , na manifestação na greve de 2010 no palácio dos Bandeirantes? Por acaso não é a mesma cara medonha que se apresentou aos viciados da cracolândia, e aos moradores do Pinheirinho? Não é essa mesma cara que recorre ao menos três vezes,ao judiciário para caçar os direitos dos professores?
    Alguns colegas me dizem espantados e encrédulos ao saber que o governo foi á imprensa , jurou que iria aplicar a lei,e depois criou uma nova jornada onde o professor ao invés de passar menos tempo na escola , ficará ainda mais ,em torno de quarenta e oito horas semanais ou seja, a malvadeza e a malandragem tucana falou mais alto e a nossa aplicação de um terço de hora atividade virou hora de trabalho escravo da dedicação exclusiva,uma nova mágica dos magos da secretaria junto com o feiticeiro -mor Alkmim.
    Penso que há anos,que sua incoerência política, que sua real intenção diferente do que dis , é a entrega da educação para que as empresas particulares.Há exemplos de escolas do estado que cederam espaço para que fossem ministradas aulas de inglês particular, ou que cederam espaços para que funcionasse dentro de suas salas de aulas cursos de ensino fundamental particular.
    No entanto é uma coisa muito escrabosa , então precisa ser mais sutíl, começa -se então mexendo com regime de contratação de professores, cria -se categorias , que cria o sub contrato, o contrato pracário, que presta prova para trabalhar naquele ano e ao final do ano ele volta e presta outra prova e dessa forma não se cria vínculo com o estado, e pronto está aberto o caminho da terceirização dos professores no estado, só que por enquanto até que se aposentem os dinossauros e tenha necessidade de contratar mais,vamos levando assim, e em alguns anos alguma empresa irá querer assumir a educação no estado,mas por enquanto é necessário derrotar a lei do piso.
    Embora já se conceba que em parte já está privatizada a educação , através de empresas que produzem os materias didáticos e imprime as apostilas do aluno.
    Ainda com meus pensamentos, será que a verdadeira intenção do sr Geraldo Alkmim do PSDB, em caçar a lei do piso não se reside nesses fatos?
    Se é assim, nossa batalha não se resolverá apenas no plano jurídico, o que podemos ver , as leis para ele são motivos de manobras para adiar a aplicação da lei.O Juiz em que pese sua verdadeira intençaõ está só nessa batalha dessa forma não terá forças para vencer . è necessário que nós professores sejamos o fiel da balança nessa luta desigual, por isso se faz urgente uma assembleia ,vamos colocar os professores na rua do lado do juiz para que ele faça a justiça , pressão total no Alkmim para que ele cumpra a lei.Benedito
    São Carlos,03 de Fevereiro2012

    Responder
  • 56. Prof. Pedro (Diadema)  |  05/02/2012 às 10:32

    Professora Maria Izabel Noronha!
    Greve de meia duzia!
    Ir a greve se necessari for!
    CER é competente para decidir por mais de 200 mil professores…
    O CER foi produtivo…
    Data limite é a vitória…
    E paciencia não tem linite?
    Credibilidade entre os professores não tem limite?
    Para que serve o RE?
    Para debeter com os professores e debete ficar só no campo das ideias?
    O que eu vou falar para os professores das dus UEs na segunda feira?
    Isto você não respondeu!
    Grato
    Prof. Pedro (Diadema)

    Responder
    • 57. apeoesp  |  07/02/2012 às 13:13

      Prezado professor Pedro,
      O CER é competente, é instância legítima e suas atribuições estão definidas no estatuto da APEOESP.
      Quanto à sua opinião, respeito-a, como todas as opiniões emitidas neste blog e em outros espaços.
      Bebel

      Responder
  • 58. San  |  05/02/2012 às 10:42

    Depois de ver o calendário confesso que não fiquei nada otimista. Começamos com uma atribuição que desrespeita uma Lei Federal, o processo transcorreu tranquilamente como ditou o Governo, depois os recursos e mesmo com uma ordem judicial o Governo continua serenamente no seu posto certamente arquitetando algum outro golpe inteligente. Fico imaginando se eu descumprisse uma ordem judicial, eu estaria mofando atrás das grades. Qualquer classe trabalhadora que realmente preza pelos seus direitos já estaria parada, aliás no dia seguinte a uma atribuição feita desrespeitando os moldes legais é motivo mais que suficiente para uma greve. É fundamental atitudes mais enérgicas, todos sabemos que espécie de governo temos aqui no estado de SP, estão há 16 anos reinando e a todo vapor ! E nós, atualmente estamos fazendo papel de “carvão” da locomotiva deles, independente das amarguras estamos dentro das salas de aula fazendo todo o sistema funcionar !!

    Responder
    • 59. apeoesp  |  07/02/2012 às 13:25

      Prezado professor San
      O processo não está correndo tranquilamente para o governo. Pelo contrário, ele está correndo atrás do prejuízo, pois a sentença é nossa. A verdade é que o governo jamais quis sequer discutir este assunto e agora foi obrigado a mergulhar nele. Nunca dissemos que seria fácil. Por outro lado, apressar uma greve sem que ela esteja bem preparada na base é rumar para a derrota. Espero que em vez de descrermos da nossa capacidade de luta, nos engajmemos neste calendário para que ele desemboque numa forte greve.
      Bebel

      Responder
  • 60. Lourival Nascimento  |  05/02/2012 às 11:00

    Bebel, concordo com o calendário de lutas. Acredito que deveria ser incluindo desde já a colocação em salas de aulas do tema do descumprimento das Leis pelo governo do estado e uma reflexão comparada ao grave erro da intervenção no Pinheirinho. Eu já estou fazendo isto com meus alunos. Quem tiver interesse veja no blog do Azenha um video da audiencia publica:
    .http://www.viomundo.com.br/denuncias/defensoria-publica-desmonta-toda-a-historia-oficial-sobre-o-pinheirinho.html

    Responder
  • 61. Geraldo Rondelli  |  05/02/2012 às 12:06

    Bom dia Bebel e professores. Estou acompanhando o dia-a-dia desta batalha e me empenhando para que os professores da minha escola também acompanhem. Amanhã ( 6/2) irei informá-los sobre o calendário de luta proposto pelo CER. Quanto à possibilidade de greve, entendo-a como um último recurso a ser assumido coletivamente, mas torço muito para que não seja necessário, visto que acarreta, para muitos, grandes dificuldades. Algumas pessoas tem se manifestado reclamando da demora em deflagrar uma greve.É preciso tomar mais cuidado com essa questão, pois a eficácia de uma greve depende da adesão de um número expressivo de trabalhadores. Ela não acontece apenas a partir da vontade de alguns, até porque as visões de mundo, consciência política, condição financeira etc. são muito diversificadas. Quando se fala em greve eu, que participei das greves de 2008 e 2010, sinto a necessidade de fazer uma pergunta àqueles que a defendem de imediato: quantas pessoas de suas famílias dependem exclusivamente de seu salário (professor) para sobreviver?

    Responder
    • 62. San  |  08/02/2012 às 22:37

      Caro Professor Geraldo,
      Eu defendo uma greve imediata. Porém, sou honesta com o Sr. em lhe dizer que minha família não depende exclusivamente do meu salário de professora, por outro lado, continuarei sendo honesta e convicta em lhe dizer que caso eu estivesse nesta situação, continuaria defendendo uma greve imediata, pois se hoje eu posso comprar o arroz e o feijão do meu salário de professora, daqui alguns anos, se a decadência educacional não se transformar, eu poderei comprar somente o arroz. Outros detalhes me preocupam, já está circulando o pagamento do tal do “bônus” em março, lamentavelmente vi acontecer dentro da UE que leciono em idos passados, que quando meus colegas ouviam a palavra “bônus” não se falava em outra coisa a não ser o tal, esqueciam absolutamente tudo, agiam até como se fossem de uma classe magistral ! Aliado a isto, o tempo em questão me preocupa, acredito que muitos golpes ardilosos ainda iremos sofrer.

      Responder
  • 63. Junior  |  05/02/2012 às 12:31

    PRECISAMOS CRIAR A CAMPANHA:

    “PELO FIM DO PSDB”.

    Abraços

    Responder
  • 64. Junior  |  05/02/2012 às 12:33

    A hora é de fortalecimento, não podemos nos desunir, é isso que eles querem, Força APEOESP.

    Abraços

    Responder
  • 65. Lucas  |  05/02/2012 às 13:22

    Não vamos abaixar a cabeça povo. Se possível vamos a greve!
    Esse governo só quer nos sugar. Vem falar que professor está no magistério por amor e que quem não estiver contente que peça exoneração. Lógico que trabalhamos com amor! E sobre o salário deles? É uma questão de amor? Pq não trabalham direito, com “amor”, valorizando um pouco mais os profissionais de ensino?

    Responder
  • 66. Celina  |  05/02/2012 às 13:25

    Bebel

    Se o Governo perder o recurso, ele ainda poderá recorrer em outra instância?

    Agradeço e aguardo resposta.

    Responder
    • 67. apeoesp  |  07/02/2012 às 13:31

      Prezada professora Celina,
      Em condições normais, não. A não ser que consigam outra manobra jurídica.
      Bebel

      Responder
  • 68. wagner  |  05/02/2012 às 14:28

    Bebel, sou da situação no sindicato e trabalhei pela eleição da atual diretoria, mas não concordo com o calendário de mobilização, principalmente com a data da assembléia, pois esse ano estou em três escolas e percebo a disposição de professores que nunca participaram de nada proposto pelo sindicato dispostos a se engajar nesse momento, todos estão pedindo uma assembléia urgente. Os professores estão bem informados quanto a disputa pela jornada, tenho muito receio que esses quarenta dias esfriem o movimento e o conformismo e a decepção com o sindicato voltem…

    Responder
    • 69. apeoesp  |  07/02/2012 às 13:39

      Prezado professor Wagner,
      Há opiniões diversas sobre o calendário, mas o CER considera que uma forte greve deve ser preparada pela base, pois não podemos errar. Há diversos passos a serem dados até lá. Aqui no blog as manifestações de concordância com o calendário são mjuitas.
      Bebel
      Bebel

      Responder
  • 70. Silvia Costa  |  05/02/2012 às 14:36

    Caros colegas, o que tenho a dizer a todos é que a parte que caberia ao ser humano fazer já foi feita, entrar na justiça, ou seja, existe uma Lei dando os direitos aos professores, temos que fazer a parte que nos cabe, “participar”, mas fiquem em Paz, pois estas causas já estão entregue nas mãos de Deus que é e sempre vai ser o TODO PODEROSO sobre, céus, terra, mar e ar, e eu tenho a absoluta certeza que dentro de poucas horas teremos novidades, porque eu tenho fé, acredito em um Deus que tudo faz para aqueles que nele crê, A FÈ é o firme fundamento de todas as coisas, só podemos alcançar aquilo em que acreditamos, tenham fé, acreditem e vamos vencer essa guerra em NOME DE JESUS que esse tem todo o poder, o homem tem poder, mas seu poder é restrito, porque o homem faz a reunião mas quem decide é Deus, Deus não vai deixar que um governo continue fazendo tanta gente sofrer, por falta de dinheiro e tempo, para comer, cuidar da saúde, cuidar da família, ou seja, precisamos de dinheiro e tempo para VIVER, só assim teremos condições de alcançar a tão sonhada educação de qualidade, pois uma pessoa que dorme mal, come mal, não pratica exercícios físicos, vive mal e com nenhum tempo pra si jamais consegue fazer um trabalho excelente, pois está psicológica e fisicamente desgastado, esgotado, o Professor se arrasta em sala de aula depois de tantas horas dentro da escola, somos seres humanos e não super-heróis. Por sermos humanos precisamos de algo sobrenatural, divino para nos dar mais uma vitória em nossas vidas, precisamos trabalhar, mas trabalhar feliz, animado, o profissional da educação tem que estar entusiasmado, para também conquistar o entusiasmo de seus alunos, para envolver os alunos, assim conseguiremos resgatar pelo menos um pouco dos valores que esses jovens e crianças, eu acho que nem chegaram a conhecer, pois os valores da sociedade hoje em dia são outros, acho que eles nem sabem o que amar, gostar, desejar de fato algo pra si, isso explica tanta apatia e desânimo de estudar, com um Professor(a) entusiasmado(a), ninguém segura, aí sim a aducação pode atingir metas bem mais altas. Quem é que pode com uma pessoa motivada?
    A todos um bom final de domingo e Um 2012 Maravilhoso!!!
    Grata!!!

    Responder
  • 71. Carl  |  05/02/2012 às 14:37

    Eu convido todos os colegas para participarem do blog do Paulo Henrique Amorim: http://www.conversaafiada.com.br/.

    Esse blog é o mais lido do Brasil. Lá poderemos expor nossas lutas e Paulo Henrique Amorim. É bom que todos saibam que a grande imprensa brasileira governa junto com o psdb há quase 17 anos. Vamos obter informações de fato verdadeiras e temos hoje vários canais na internet. Esqueçam a grande imprensa, pois essa é contra nós.

    Responder
  • 72. VILMA  |  05/02/2012 às 14:47

    Bebel, desculpe o termo, mas… a SEE está “tirando” com a nossa cara!

    educacaosp Secretaria Educacao
    Professor: aproveite o dia e planeje o seu ano letivo. Coordenadoria de Gestão da Educação Básica tem dicas para você. bit.ly/xVha3I
    há 21 horas

    educacaosp Secretaria Educacao
    Fim de semana: aproveite a folga e visite uma das sugestões de passeios da @educacaosp. Acesse e confira as dicas. bit.ly/yTAePK
    há 22 horas

    Responder
    • 73. apeoesp  |  07/02/2012 às 13:40

      Prezada professora Vilma,
      É demais, não é?
      Bebel

      Responder
  • 74. Denise  |  05/02/2012 às 14:58

    Bebel,
    vários Estados não cumprem a lei do piso, Inclusive Estados governados pelo PT.
    A implementação de uma greve com o objetivo de pressionar para o cumprimento da lei, somente terá força, se for em âmbito nacional, ou servirá, apenas, para a mídia corporativa, vendida que é, alardear aos quatro cantos, que é uma greve política com o objetivo de prejudicar o governador.

    Responder
    • 75. apeoesp  |  07/02/2012 às 13:41

      Prezada professora Denise,
      Creio que você não leu o calendário. A greve é nacional em 14, 15 e 16 de março.
      Bebel

      Responder
  • 76. Cláudia  |  05/02/2012 às 15:36

    Bebel, preciso de um esclarecimento.
    Quem está no estágio probatório, como eu, pode fazer greve??? A diretora da minha escola já disse que NÃO pode! E que se nós entrarmos em qualquer movimento seremos exonerados… Isso procede?

    Responder
    • 77. apeoesp  |  07/02/2012 às 13:56

      Prezada professora Cláudia,
      Não podemos prever a atitude da Administração. Se o movimento for realmente forte e coletivo, reduz-se muito a margem para este tipo de represália. Se tomarem esta atitude, caberá ação judicial.
      Bebel

      Responder
  • 78. Fatima  |  05/02/2012 às 16:33

    Nada vai mudar. Mesmo que o julgamento seja favorável a nos professores, o governo vai alegar que o ano letivo já começou e que uma mudança iria prejudicar o calendário e consequentemente os alunos. O filme se repete.

    Responder
    • 79. apeoesp  |  07/02/2012 às 13:58

      Prezada professora Fátima,
      Este tipo de fala em nada ajuda nosso movimento. Devemos lutar, vencer e fazer valer nossa vitória. Para isto existe o sindicato.
      Bebel

      Responder
  • 80. SILMARA PAULA DOS SANTOS  |  05/02/2012 às 17:13

    Prezada mARIA Izabel e prof. BENEDITO. não tem dinheiro para contratar mais profs, segundo a SEE , mas para gastar dinheiro na construçao do estadio ITAQUERAO DO CORINTHIANS, HÁ MUITO DINHEIRO.

    Responder
    • 81. Benedito Inácio Silveira  |  07/02/2012 às 18:34

      Olá Silmara!
      Educação não dá voto, muito pelo contrário, bem trabalhado na sala de aula, tira voto, e muitos! 🙂

      Responder
  • 82. Carl  |  05/02/2012 às 17:31

    O PLANO DA INVASÃO DE PINHEIRINHO!!

    Vejam:

    Responder
  • 83. Yaracristhi  |  05/02/2012 às 17:42

    Todos sabemos que a maioria dos professores de sp não pára, não faz greve. Escuto desculpas esfarrapadas para não parar há 10 anos – meu tempo de professora da rede:
    – Já fiz muita greve, agora não faço mais…. (absurdo!)
    – Tenho contas para pagar… (todos temos)
    – Essa greve é política…
    – Vai prejudicar minha aposentadoria…
    E no final, nada de greve. Sou a favor da luta por nossos direitos, mas, não haverá greve, pois os maiores interessados dão desculpas para não parar. Entendi a proposta do calendário como uma tentativa de mudar essa realidade, de mobilizar os professores. Espero que dê certo, mas, pessoalmente, duvido.
    Obs – pode ser que meu post nem seja publicado, mas valeu como desabafo…

    Responder
    • 84. apeoesp  |  07/02/2012 às 14:06

      Prezada professora Yaracristhi,
      O professor faz greve, sim, desde compreenda o motivo da luta, esteja esclarecido e mobilizado. Por isso o calendário de lutas prevê passos até uma grande greve em março.
      Bebel

      Responder
  • 85. Alexandre  |  05/02/2012 às 18:54

    Bebél, se a lei do piso realmente for implantada, os professores cat. O. que tiveram aula atribuida esse ano vão perder essas aulas e ir novamente à atribuição? Peguei aulas livres e não queria perde-las!

    Responder
    • 86. apeoesp  |  07/02/2012 às 14:21

      Prezado professor Alexandre,
      Poderá ser feita uma adequação de sua carga horária à composição determinada pela lei do piso.
      Bebel

      Responder
    • 87. Clara  |  08/02/2012 às 23:57

      É por conta de egoístas deste tipo que nossa categoria vive na roça. Cada um só pensa em si mesmo e não está nem aí para o que será melhor para todos…

      Responder
  • 88. Jones Martins de Freitas  |  05/02/2012 às 18:58

    Percebe-se as artmanhas do Governo, a grande sacada e lançar algo em cima da hora, não dando tempo para reivindicações. A luta me parece que está sendo agora, nessa altura do campeonato não podemos prever o futuro. A determinação judicial está aí, porque só o governo pode enviar seus policiais para massacrar pessoas no Pinheirinho e não podemos nós também, não avisar ninguém sobre alguma estratégia nossa. Eles estão ganhando tempo com os 15 dias, pagando multa diária e no final irão soltar mais essa, o nosso calendário da luta sem a necessidade, pois digarão que irão cumprir a Lei do Piso. Precisamos pensar, repensar sobre alguma atitude, ao meu ver, tomamos um atitude errada. Principalmente Bebel porque as pessoas irão esquecer, vc sabe como é Carnaval, para tudo aqui em Sampa, as pessoas que irão falar nas escolas, rua, etc. acabam esquecendo. Bebel não se esqueça que o maior interessado somos nós,,,e queremos uma greve JÁ!!!!

    Desculpe mas nós que estamos em campo e vemos como os ânimos estão exautados!!!

    Jones Freitas

    Responder
    • 89. apeoesp  |  07/02/2012 às 14:22

      Prezado professor Jones,
      O Conselho de Representantes é altamente representativo dos associados da APEOESP de todas as regiões e considerou que a greve tem que ser preparada, pela base.
      Bebel

      Responder
  • 90. zita silva  |  05/02/2012 às 19:10

    Esse novo calendário seria uma falta de saída ou uma trégua? Já fiz greve por vinte anos mas agora já desanimei, parar, perder dias de trabalho não altera as decisões governamentais, acredito que deveríamos buscar outras saídas! Não conseguimos entender,como o governo desobedece uma decisão e não acontece nada, aliás essa notícia só corre dentro do âmbito escolar, fora disso ninguém sabe o que está acontecendo, pelo menos no interior. Seria como se um juiz me aplicasse uma pena e eu saísse do tribunal sem cumprí-la?

    Responder
    • 91. apeoesp  |  07/02/2012 às 14:26

      Prezada professora Zita,
      Exatamente o contrário de uma trégua. Estamos dizendo ao governo que vamos à luta, vamos fazer uma greve forte, preparada pela base. Não vamos desistir.
      O governo não está cumprindo a sentença porque conseguiu ganhar recursos, provisórios.
      Bebel

      Responder
  • 92. Carl  |  05/02/2012 às 19:32

    Esqueçam. Essa lei não será obedecida pelos donos de SP, pois essa lei foi feita na época do ministro da Educação, futuro prefeito de SP: Haddad e futuro Governador de SP. Só teremos progresso a partir de 2015 quando Haddad for Governador de SP. Até lá esqueçam.

    Responder
    • 93. apeoesp  |  07/02/2012 às 14:28

      Prezado professor Carl,
      Não tenho a sua bola de cristal e o papel do sindicato não é adivinhar o futuro, mas lutar pelos interesses da categoria. É o que estamos fazendo.
      Bebel

      Responder
  • 94. Heitor  |  05/02/2012 às 19:43

    Todo apoio a Apeoesp e a seu calendário de Lutas. Esperamos a resolução do conflito, causado pelo governo tucano, pela via judiciário enquanto isso nos mobilizamos

    Responder
  • 95. Roberto  |  05/02/2012 às 20:35

    Olá Bebel… estou achando ótimo todas as medidas implantadas por vcs da apeoesp. Parabéns e coragens!
    Seria interessante formar uma comissão do de 100 a 200 pessoas por sub-sede para fazer protestos onde o Governador estiver… comissão dos atira ovos..^^ perece ser única coisa que atinge nossos amigos dos PSDB tiranos… ovos tomates eram formas legitimas de protestar contra um espetáculo tempos atrás… Pode ser um bom efeito para a mídia dos espetáculo começar a olhar para educação de uma forma mais objetiva.

    Outra coisa: salientar o abaixo assinado definido na reunião CER é importante, pois muitos leem somente seu blog e não o site…

    Grato!

    Boa continuação a todos!

    Responder
    • 96. apeoesp  |  07/02/2012 às 14:33

      Prezado professor Roberto,
      Por razões técnicas, não tenho condições de reproduzir aqui o abaix-assinada. As subsedes o levarão às escolas.
      Bebel

      Responder
  • 97. Daniel  |  05/02/2012 às 20:55

    Bebel, assista, por favor!

    Responder
    • 98. Lucas Lima  |  06/02/2012 às 19:28

      Tudo bem?

      O que muda então? Pense no seguinte: De 33 aulas caiu para 32. O governo federal quando assinou a lei do piso pensou que a lei iria viabilizar um ensino de melhor qualidade permitindo que o professor tivesse mais tempo para seus planejamentos e preparações de aulas, assim como a correção de trabalhos que se desdobram em todo o ano letivo. Com 1 aula a menos o ensino irá mudar? Com apenas 1 aula o que modifica na qualidade da educação de São Paulo?
      Penso que o governo federal pensou na melhoria da qualidade quando estipulou a lei do piso. Agora com 1 aula o que muda?

      NADAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
      Vai ficar na mesma!!! Será que o governo federal aprovaria uma lei para ficar na mesma?

      Responder
      • 99. apeoesp  |  07/02/2012 às 17:56

        Prezado professor Lucas,
        Evidentemnente que não. Por isto estamos lutando na justiça e aprovamos o calendário de luta e mobilização.
        Bebel

    • 100. Lucas Lima  |  06/02/2012 às 19:45

      O governo está fixado em contas e está esquecendo do principal que é a melhoria da qualidade da educação com a implementação correta da lei do piso.

      Responder
  • 101. selma aparecida petri bariotto  |  05/02/2012 às 23:39

    estou cansada, estafada, não aguento mais todo o discursurto… juizes, apeosp apeosp, discursos, estou com carga máxima, p/ mim é o fim. 32 aulas….. intermináveis…. direção, coordenação, 2 escolas, vai e vem. Esse piso vai acontecer ou temos que englolir?

    Responder
    • 102. apeoesp  |  06/02/2012 às 00:28

      Prezad professora Selma,
      Temos confiança de que vamos ser vitoriosos. Apenas gostaria que vc não colocasse a APEOESP do rol das coisas que te te deixam cansada, porque é o sindicato que está lutando para que a jornada do piso seja possível.
      Bebel

      Responder
  • 103. selma aparecida petri bariotto  |  05/02/2012 às 23:44

    não importa a forma como como escrita, seu cérebro registra a forma correta.

    Responder
  • 104. Prof JOÃO  |  05/02/2012 às 23:51

    OLA BEBEL

    PARABENS, MAS NÃO SERIA MELHOR FAZERMOS IGUAL AOS BANCARIOS, AS ESCOLAS QUE ESTIVEREM ABERTAS DEVEMOS NOS MOBILIZAR NAS FRENTES DESSAS, E QUE TAL FECHARMOS AS RODOVIAS (ESTADUAIS E FEDERAIS), AS ENTRADAS DO RODO ANEL POR EXEMPLO, ESTARIAMOS AFETANDO NÃO SÓ O ESTADO MAIS SIM A TODOS OS COLOBORADORES DO SR GOVERNADOR E DOS PARTIDOS QUE NOS CONTRARIAM, REGISTRO,JACUPIRANGA,CAJATI,JUQUIA,MIRACATU,JUQUITIBA,ITAPECERICA DA SERRA,TABOÃO,EMBU, SE FECHARMOS A BR 116 ,SÓ NESSAS CIDADES, JÁ FAZERIAMOS TODA A MIDIA NACIONAL E INTERNACIONAL NOS DAR MAIS IMPORTANCIA, POIS DEPOIS DE TODOS ESSES ANOS, O SINDICATO E OS PROFESSORES ESTÃO DESGASTADOS E DESARTICULADOS, TALVEZ SE FIZESSEMOS NOSSAS VOZES ALCANÇAR OS EMPRESARIOS QUE POR SUA VEZ PRECIONARIAM O GOVERNO PARA CEDER AS NOSSAS EXIGENCIAS, TERIAMOS UM PODER DE FOGO MAIOR E SERIA MAIS FACIL, SEM VIOLENCIA, O PALACIO JÁ ESTA MANJADO E SEM SURTIR EFEITO NENHUM A UM BOM TEMPO, DEVEMOS PROCURAR OUTRAS ESTRATÉGIAS, POR FAVOR PENSE COM CARINHO, DESDE JA AGRADEÇO O ESPAÇO E ESFORÇO PARA COM A CAUSA

    OBRIGADO

    Responder
    • 105. apeoesp  |  06/02/2012 às 00:17

      Prezado professor João,
      Queremos organizar um movimento forte, que envolva todos os professores. Não faz parte da tradição do nosso movimento fechar rodovias e ações deste tipo. Nossos alunos e seus pais não entenderiam e perderíamos apoio.
      Bebel

      Responder
  • 106. Sandra  |  06/02/2012 às 00:14

    Prezada Bebel,

    Desculpe, mas considero que uma greve somente em março, irá esfriar os ânimos tão exaltados. O “agora” é oportuno. Veja quantas cidades em vários estados já estão iniciando o ano com greve paralisação.
    Sinceramente, penso que irão perder uma grande oportunidade de movimentar nossa categoria. O que só comenta nas rede sociais, é que uma greve em março, deixa bem claro uma intenção eleitoreira. E, neste momento, não é nosso foco, e sim, chamar a atenção pelo descumprimento de algo que nos foi concedido dentro da lei.

    Responder
    • 107. apeoesp  |  07/02/2012 às 14:38

      Prezada professora Sandra,
      Um greve precipitada e mal preparada é derrota certa. Ainda há muita luta jurídica pela frente. Vamos combinar isto com a nossa mobilização.
      Bebel

      Responder
  • 108. selma aparecida petri bariotto  |  06/02/2012 às 00:15

    leis é p/ nós…..cidadãos….. desanima…. recursos… recursos… obrigações… aulas… confiança, onde…. como…

    Responder
  • 109. Juliana  |  06/02/2012 às 00:19

    Bebel

    Por que agora o sindicato apoia “atividade de pressão” ?

    A mobilização organizada pelas redes sociais que aconteceu dia 30.01 tinha esse viés, no entanto o sindicato se omitiu, em algumas subsedes houve até mesmo tentativas de boicote. Resultado, cerca de 100 professores-oráculos assistiram com tristeza o judiciário confirmar suas expectativas de fracasso do sindicato e derrota dos professores.

    Mas o sindicato, apesar de ser uma entidade de classe e de luta, não trabalha com hipóteses, não é mesmo presidenta?Prever o golpe pra quê, não é mesmo?

    Agora esse ato do dia 8.
    O que é isso? Para quê? O que vai acontecer na ALESP que tenha relação direta com a questão da jornada?

    Absurda a data para assembléia. Isso já tinha que ter acontecido. O momento é agora. A batalha jurídica não pode ser a principal estratégia. Uma assembléia agora daria sustentação a essa frente.

    Responder
    • 110. apeoesp  |  07/02/2012 às 14:43

      Prezada professora Juliana,
      É claro que apoiamos, e realizamos, atividade de pressão. Mas, como fazer pressão nas férias? Com que professores? Apenas estamos agindo conforme o momento certo.
      Sua avaliação não “bate” com a de 2/3 do nosso conselho de representantes. Uma greve mal preparada é o caminho da derrota. Devemos ir à ALESP para que o poder legislativo também cumpra sua função, buscando fazer com que o governo execute a lei.
      Bebel

      Responder
  • 111. Alexandre  |  06/02/2012 às 01:17

    Cara Bebel,
    Baseado no perfil econômico dos professores: dependem de cada centavo, para pagar suas contas e sabem que o digníssimo governo desconta os dias não trabalhados. E na dependência de bônus e licença prêmio o que faz que muitos colegas trabalhem até doentes para não serem prejudicados.
    Não seria oportuno que fizéssemos uma greve diferente onde assinaríamos o ponto, mas não daríamos aula???
    Chega de somente o Professor ser prejudicado!!

    Responder
  • 112. Lourival Nascimento  |  06/02/2012 às 02:04

    Bebel, achei curioso não ter comentado a minha sugestão, de que os professores deveriam abordar estes temas em sala de aula conscientizando os alunos.
    48. Lourival Nascimento | 05/02/2012 às 11:00

    Bebel, concordo com o calendário de lutas. Acredito que deveria ser incluindo desde já a colocação em salas de aulas do tema do descumprimento das Leis pelo governo do estado e uma reflexão comparada ao grave erro da intervenção no Pinheirinho. Eu já estou fazendo isto com meus alunos. Quem tiver interesse veja no blog do Azenha um video da audiencia publica:
    .http://www.viomundo.com.br/denuncias/defensoria-publica-desmonta-toda-a-historia-oficial-sobre-o-pinheirinho.html

    Responder
    • 113. apeoesp  |  07/02/2012 às 12:52

      Prezado professor Lourival,
      Primeiro, peço desculpas pela demora na publicação e resposta. Temos um volume muito grande de comentários e, devido às responsabilidades de meu cargo, nem sempre consigo, junto com minha equipe, acomapanhar o ritmo do blog.
      Quanto não emito opiniões, é porque concordo com a opinião ou sugestão. Acho que as reuniões de representantes de escolas podem discutir e propor questões como esta.
      Bebel

      Responder
  • 114. VILMA-urgente  |  06/02/2012 às 07:11

    Cara Bebel, Bom dia,
    No “conversa afiada” li isso abaixo,
    acho importante divulgar.

    jorge mendes
    5 de fevereiro de 2012 às 22:17
    Vamos assinar ,as assinaturas pararam ,compartilhem ,curtam enviem por email Facebook,Orkut e todas as redes sociais
    Abaixo-assinado Plebiscito pelo Impeachment do Governador Geraldo Alckmin
    http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoListaSignatarios.aspx?pi=impeachm

    Responder
  • 115. VILMA-urgente  |  06/02/2012 às 07:21

    http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoListaSignatarios.aspx?pi=impeachm

    Abaixo-assinado Plebiscito pelo Impeachment do Governador Geraldo Alckmin

    Responder
  • 116. Prof JOÃO  |  06/02/2012 às 09:29

    obrigado bebel

    sou cat O,antigo L, peguei 31 aulas, não assinei nenhum contrato, e tenho que tirar licença, sera que corro o risco de serem cassadas minhas aulas, uma vez que a diretora me ameaçou?dou seis aulas de manhã e as duas ultimas da tarde,isso esta correto,as janelas não teriam que ser extintas,mais uma vez obrigado!

    Responder
    • 117. apeoesp  |  07/02/2012 às 14:58

      Prezado professor João,
      Verifique no jurídico da sua subsede sua exata situação, seus direitos e suas possibilidades.
      Bebel

      Responder
  • 118. Rubens  |  06/02/2012 às 10:20

    Olá Bebel, tudo bem? Parabenizo você e sua equipe por tudo que tem realizado com relação a Lei do Piso bem como outras vitorias as quais tem conquistado em prol a nossa categoria, infelizmente, alguns só estão vendo essa situação hoje que é a jornada. Bebel quero saber a respeito da prova do mérito, sei que ocorrerá , penso eu, no mes de julho, porém, segundo os comentários, inclusive pela apeosp, será levado em consideração dessa vez não mais os 20% das notas consideradas as maiores e sim todos que atingiram a nota 6,0 e, não sendo mais 25% e sim 10.5%. Estou certo? Essa regra vale já para esse ano ou não? Também segundo a apeosp aqui em minha cidade, será levado em consideração outro criterio sendo esse individual de cada professor e não somente as avaliações. Estou certo? Qual é esse critério que deverá ser levado em consideração? Quanto será atribuido de nota? Como será esse critério? Por favor me responda. Abraços. Muito obrigado.

    Responder
    • 119. apeoesp  |  07/02/2012 às 15:00

      Prezado professor Rubens,
      Obrigada. Você está correto. Vale em 2012. Outras mudanças ainda não estão em vigor, mas em discussão.
      Bebel

      Responder
  • 120. Flavio  |  06/02/2012 às 12:00

    Bebel, hoje segunda dia 06/02, como andas os tramites na Justiça, tanto do Juiz e as ações da SEE contra a lei?
    Obrigado.

    Responder
    • 121. apeoesp  |  07/02/2012 às 16:50

      Prezado professor Flávio,
      Por favor, veja texto que publiquei sobre este assunto ontem (06/02).
      Bebel

      Responder
  • 122. Patricia Cristina  |  06/02/2012 às 13:00

    Existe alguma data para ser julgado o recurso do Estado? ainda quem sabe estamos esperando por um milagre, categoria O sem salario e sem férias, sem aula, sem data de atribuição, Ó Deus o que esperar?

    Responder
    • 123. apeoesp  |  07/02/2012 às 16:55

      Prezada professora Cristina,
      Ainda não há data, mas será em breve.
      Quanto ao valor das férias, a APEOESP está movendo um mandado de segurança coletivo para cobrar do Estado.
      Bebel

      Responder
  • 124. Prof. Pedro (Diadema)  |  06/02/2012 às 13:51

    Bebel como o CER é a expressão da base se o debate nas escolas não ocorre como devia?
    Hoje na primeira UE já não teve clima para responder as perguntas dos professores sobre a decisão do CER, pois o que eles queriam ouvir era outra coisa: O que o juiz decidiu ou o que o CER decidiu para hoje.
    Não pude responder, pois a proposta que votaram acabou com a expectativa dos professores, resultado: Vamos trabalhar que ganhamos mais…
    Você entende agora a expectativa que a decisão judicial gerou entre os professores e eles geraram outra com a reunião do CER?
    Desculpe-me, mas estou profundamente decepcionado com esta proposta.
    Grato
    Prof. Pedro (Diadema)

    Responder
    • 125. apeoesp  |  07/02/2012 às 17:09

      Prezado professor Pedro,
      Os professores estavam em férias. Não havia como realizar debates nas escolas. Veja o calendário: estão previstas discussões nas escolas.
      Bebel

      Responder
  • 126. Daniel  |  06/02/2012 às 13:53

    A Sra., que está por dentro de tudo, está confiante mesmo? Quem que decide o rumo final? Desembargador ou juíz? Hoje, no julgamento, é o mesmo desembragador e isso indica que perderemos novamente? Muito medo…

    Responder
    • 127. apeoesp  |  07/02/2012 às 17:11

      Prezado professor Daniel,
      Estamos numa disputa judicial difícil, mas estou confiante. Se por acaso sofrermos um revés no TJSP vamos aos tribunais superiores e vamos às ruas.
      Bebel

      Responder
  • 128. Renata  |  06/02/2012 às 13:57

    Bebel, como já disse várias vezes, temos pouco, pouco mesmo, mas esse pouco só conseguimos graças ao sindicato!!!!!
    Acredito nessa luta, pois sei que não é fácil brigar contra o governo.
    Eles julgam as próprias leis……. Só quero saber até quando vai essa indefinição…o juiz dá ganho de causa para a APEOESP e o governo recorre, até quando vai isso… até quando a SEE pode recorrer.

    Responder
  • 129. Luiza  |  06/02/2012 às 16:04

    Olá Bebel,

    Obrigada por nos representar tão bem. Eu gostaria de saber se existe algo a fazer com as “janelas” que são impostas nos nossos horários? Aguardo,
    Luiza

    Responder
    • 130. apeoesp  |  07/02/2012 às 17:22

      Prezada professora Luiza,
      Muito obrigada.
      Acredito que nada possa ser feito, mas sugiro que consulte o departamento jurídico.
      Bebel

      Responder
  • 131. Prof Ricardo  |  06/02/2012 às 16:17

    Até a presente data não há da parte do Judiciário nenhuma manifestação sobre o cumprimento da lei? Haja visto que já haviam sido dado ao governo do Estado os prazos de 72 hs e posteriormente 48 hs para sua implantação. Eles pedirão questões de mérito, e no pronunciamento final do juiz, este manteve a sentença favorável as professores e pela imediata aplicação da lei. Pergunto, se o juiz foi informado do descaso, da parte do governo, em ainda não colocou em prática o que determina a lei, ele até este instante não determinou um prazo final para que a lei venha a ser cumprida? O que nos deixa chateados é o silêncio que ocorre por parte da justiça neste exato momento. Poderia nos dar informações Bebel? Grato.

    Responder
    • 132. apeoesp  |  07/02/2012 às 17:24

      Prezado professor Ricardo,
      Como temos noticiado aqui, o governo recorre de cada medida judicial. No momento, conseguiu evitar a execução da sentença e sua apelação deve ser julgada nos próximos dias. Não vamos recuar desta luta e vamos até Brasília, se necessário.
      Bebel

      Responder
  • 133. flavio eduardo mazetto  |  06/02/2012 às 17:47

    Por favor, o que significa esta decisão:

    Registro: 2012.0000031209
    ACÓRDÃO
    Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº
    0020832-40.2012.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é agravante
    FAZENDA DO ESTADO DE SÃO PAULO sendo agravado APEOESP SINDICATO
    DOS PROFESSORES DO ENSINO OFICIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO.
    ACORDAM, em 10ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São
    Paulo, proferir a seguinte decisão: “Deram provimento ao recurso. V. U.”, de
    conformidade com o voto do Relator, que integra este acórdão.
    O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores URBANO
    RUIZ (Presidente sem voto), TORRES DE CARVALHO E TERESA RAMOS
    MARQUES.
    São Paulo, 6 de fevereiro de 2012.
    Antonio Celso Aguilar Cortez
    RELATOR
    Assinatura Eletrônica

    Responder
    • 134. apeoesp  |  07/02/2012 às 17:39

      Prezado professor Flávio,
      Signifca que o Estado conseguiu mais uma decisão provisória adiando o cumprimento da sentença.
      Bebel

      Responder
  • 135. Andréa  |  06/02/2012 às 18:20

    bebel, qual o proximo passo judicial agora que o governo teve o agravo a seu favor?

    Responder
    • 136. apeoesp  |  07/02/2012 às 17:41

      Prezada professora Andréa,
      Esta apelação será julgada nos próximos dias.
      Bebel

      Responder
  • 137. Ivone  |  06/02/2012 às 19:32

    Boa tarde Bebel tá dificil continuar acreditando que poderemos vencer pois esse governo não quer saber se vamos ou não fazer greve ele quer sempre bancar o bonzinho frente à população e a nossa categoria sempre acaba como vilã da história principalmente quando sinalizamos com greve então acredito que temos que precionar a justiça que está muito devagar se é uma decisão que tem que ser aplicada imediatamente o que este juiz está esperando para fazer a sua decisão valer? Vamos ficar esperando manobras e manobras que nos deixam cada vez mais desanimados e descrentes. Realmente está dificil acreditar que essa sentença será favoravel a nós, desculpe o pessimismo mas acredito que é a opinião de muitos que estão seguindo o desenrolar desta peleja, pelo menos é o que vejo na escola em que trabalho.

    Responder
    • 138. apeoesp  |  07/02/2012 às 17:59

      Prezada professora Ivone,
      De nossa parte, não desistiremos. Vamos até o fim nesta luta. Se todos se engajarem no processo de mobilização podemos realizar uma grande greve e forçar o governo a cumprir a lei. Estamos combinando a luta jurídica com a mobilização.
      Bebel

      Responder
  • 139. mariazilma22  |  06/02/2012 às 19:39

    vlw pelo post gostei bastante

    http://animesfy.wordpress.com/

    Responder
  • 140. Ivone  |  06/02/2012 às 19:46

    Bebel, a sensação que temos é de que nada está sendo feito. O governo apelou, com certeza ele tem a “certeza” de que será vitorioso, por isso não está cumprindo a lei do piso. Uma semana a mais ou menos não tem problema. O judiciário está sendo pago pelo governo, que pena pensar assim, mas é o que muitos professores estão sentindo. NADA MUDARÁ!!!!!!! Tudo fica muito silencioso no site da Apeoesp. Ficamos sem informação muito tempo. A coisa que eu mais queria era estar pensando errado.

    Responder
    • 141. apeoesp  |  07/02/2012 às 18:06

      Prezada professora Ivone,
      Nosso site está sendo atualizado diariamente, assim como o blog. No sábado emitimos o texto ue você está comentando, assim anteriormente vários outros textos informaram o andamento desta luta e ontem, segunda-feira, um novo texto foi editado. A disputa judicial está intensa com o governo, mas também vamos às ruas e praças. É preciso que cada um se engaje no calendário aprovado para que possamos chegar à vitória.
      Bebel

      Responder
  • 142. 1rangel  |  06/02/2012 às 19:46

    Bebel, e agora que saiu o efeito suspensivo? O calendário continua inalterado ou vamos intensificar e dar mais urgências aos nossos atos e reivindicações?

    Responder
    • 143. apeoesp  |  07/02/2012 às 18:08

      Prezado professor 1rangel,
      O calendário está adequado ao ritmo dos acontecimentos. Precipitar movimentos pode resultar em mobilizações esvaziadas que não ajudam a conquistar a vitória.
      Bebel

      Responder
  • 144. Prof Pedro  |  06/02/2012 às 20:41

    Acabei de ler que a “JUSTIÇA” supendeu a decisão de reatribuir aulas e fica tudo como está ou seja de acordo com o que a secretaria da educação “FERNANDO PADULA” quer e o nosso distinto “GOVERNADOR” . EU JÁ SABIA!!!!! DESISTIMULO TOTAL

    Responder
    • 145. apeoesp  |  07/02/2012 às 18:19

      Prezado professor pedro,
      Nós, que queremos conquistar esta vitória, não estamos desestimulados. Nós temos uma sentença judicial a nosso favor. Nós temos um calendário de lutas. Nós podemos ingressar com centenas ou milhares de mandados de segurança individuais. Nós podemos levar a disputa para os tribunais superiores em Brasília. Nós podemos realizar uma grande greve em março. Nós queremos lutar.
      Bebel

      Responder
  • 146. CRISTINA  |  06/02/2012 às 21:30

    E aí Bebel o juiz se manifestou pelo não cumprimento do governo da nossa jornada???? O GOVERNO FICARÁ IMPUNE??

    Responder
    • 147. apeoesp  |  07/02/2012 às 18:24

      Prezada professora Cristina,
      O governo conseguiu um novo adiamento, uma decisão provisória. A sentença nos é favorável. Se tivermos um revés no TJSP, levaremos a disputa para os tribunais superiores, em Brasília. Ainda temos o nosso calendário de mobilização e o recurso de ingressar com mandados de segurança individuais. As liminares estão saindo.
      Bebel

      Responder
  • 148. Lucia da Silva  |  06/02/2012 às 21:52

    Informamos que na manhã desta segunda-feira, dia 6, a 10ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo emitiu decisão unânime favorável ao Agravo de Instrumento impetrado pela Procuradoria Geral do Estado contra sentença de primeira instância proferida na semana passada pela 3ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo. Desse modo, permanece a atribuição de aulas estabelecida nos termos da Resolução SE 8, de 19 de janeiro de 2012.

    E agora Dona Bebel,esta vendo,mias uma vez perdemos.Sabia que isso ia acontecer,agora só quero ver o que vcs vão fazer,pois com certeza não vai dar em nada

    Responder
    • 149. apeoesp  |  07/02/2012 às 18:29

      Prezada professor Lucia,
      Cada qual escolhe de que lado está e para quem torce. Isto fica evidente quando diz o que “vocês” vão fazer e não o que “nós” vamos fazer.
      Nós estamos trabalhando pelos professores, fazendo a nossa parte e dando todos os passos que são necessários para vencer. Não vamos nos intimidar por uma decisão provisória que beneficia momentaneamente o governo. Nós estamos confiantes e ainda há muito por fazer, desde recursos, levar a disputa para STJ e STF, mandados de segurança individuais e até mesmo a greve.
      Bebel

      Responder
    • 150. Marcelo  |  08/02/2012 às 03:12

      Meu Deus , ouvir isso é preocupante. “O que vocês vão fazer” a luta não é só da APEOESP é de todos nós, vamos deixar de comodismo e lutar pelos nossos direitos.

      Responder
  • 151. Felipe  |  06/02/2012 às 21:53

    Engraçado, reclamamos tanto da morosidade da Justiça e da própria SEE e fizemos o mesmo, apenas demos todos aparatos ao governo. Hj o mesmo fez questão de publicar:
    http://www.educacao.sp.gov.br/noticias/justica-mantem-resolucao-sobre-jornada
    E o que estamos fazendo? Apenas no aguardo de uma justiça que NÃO HÁ em nosso estado, pensando em Carnaval, já que como bem destacado acima o calendário levou em consideração o Carnaval. Marcar greve para daqui 40 dias, francamente é um cúmulo. Desculpe Bebel, mas vc colocou que não quer fazer greve com meia dúzia, ledo engano, neste momento os professores estão no estopim pela luta e vc vem falar em meia dúzia? Talvez nem vc esteja reconhecendo nossa força de vontade em ajudar pela luta coletiva.
    Não somos manipulados como muitos afirmam, estamos dispostos a lutar, mas se meu sindicato não engendra um cenário para isso, fica impossível qualquer ação.
    Francamente, daqui a 40 dias não sei se estaremos dispostos a partir em greve, isto pq, do que adiantará largar salas nas quais já estaremos avaliando nossos alunos, onde já teremos contato, onde professores já terão perdido outros concursos e/ou chamadas em outras instituições de ensino por estarem vinculados as suas aulas?
    Acima de tudo somos profissionais e independente do caráter de nosso governo, temos responsabilidades com nossos alunos.
    Para finalizar quero deixar bem claro que NÃO sou conivente ao governo, pq INFELIZMENTE muitas vezes vejo vários professores declamarem seus desabafos e serem taxados pela senhora enquanto coniventes a este governo ditatorial, mas não posso deixar de destacar que estamos fazendo pior que esta entidade uma vez que estamos empurrando para frente algo que deveria ser imediato. Cansei! Francamente, a partir do momento em que vi que o Carnaval era um entrava para uma luta organizada, penso se vale a pena realmente persistir na ânsia de lutar por algo que meu sindicato fez questão de adiar. Primeiro juízes e desembargadores adiando prazos para cumprimento de leis e agora meu sindicato, adiando uma luta.
    Por fim senhora Bebel, não somos meia dúzia não. Ledo engano. Agora quando chegar o mês que vem, talvez nem meia dúzia haverá.

    Responder
    • 152. apeoesp  |  07/02/2012 às 18:33

      Prezado professor Felipe,
      A lei do piso não foi conquistada de uma hora para outra. Ela é resultado da luta de dois séculos dos trabalhadores brasileiros. Há quanto você luta pela jornada do piso? Desde que conquistamos a liminar? Pois nós estamos lutando por isso há muitos anos, professor. E não vai ser agora, quando estamos vencendo esta luta na justiça (apesar de todas as manobras da SEE) que vamos desistir ou apressar um movimento que tem que ser construido pela base, com muita conversa, muito convencimento, muita conscientização.
      Não vamos abrir mão desta luta. E vamos fazê-la com força e participação da base da categoria.
      Bebel

      Responder
  • 153. San  |  06/02/2012 às 22:19

    Gostaria que desta vez meu comentário fosse publicado, não há nada ofensivo ou depreciativo nele. É apenas reflexo de quem faz jus ao direito de expressão conquistado na democracia, por esse motivo reencaminho-o:

    Depois de ver o calendário confesso que não fiquei nada otimista. Começamos com uma atribuição que desrespeita uma Lei Federal, o processo transcorreu tranquilamente como ditou o Governo, depois os recursos e mesmo com uma ordem judicial o Governo continua serenamente no seu posto certamente arquitetando algum outro golpe inteligente. Fico imaginando se eu descumprisse uma ordem judicial, eu estaria mofando atrás das grades. Qualquer classe trabalhadora que realmente preza pelos seus direitos já estaria parada, aliás no dia seguinte a uma atribuição feita desrespeitando os moldes legais é motivo mais que suficiente para uma greve. É fundamental atitudes mais enérgicas, todos sabemos que espécie de governo temos aqui no estado de SP, estão há 16 anos reinando e a todo vapor ! E nós, atualmente estamos fazendo papel de carvão (combustível barato) da locomotiva deles. Independente das amarguras estamos dentro das salas de aula fazendo todo o sistema funcionar !!

    Responder
    • 154. apeoesp  |  07/02/2012 às 18:43

      Prezado professor San,
      Tenho a impressão de que já publiquei seu comentário. Se não o fiz peço desculpas, mas o volume de mensagens é muito grande.~
      Não vejo as coisas na sua perspectiva. A lei do piso foi uma conquista que demorou anos. Agora estamos lutando para que a jornada que ela prevê seja aplicada no nosso estado. O governo tumultua porque nunca quis aplicá-la. Estamos fazendo o nosso papel.
      Não houve punição ao governo porque ele ingressou com medidas protelatórias. Ele não cumpre a liminar, mas é ágil para ingressar com recursos para não incorrer em ilegalidade.
      É um processo em andamento. Tem muita luta pela frente, inclusiva as atividades aprovadas pelo CER. Engaje-se nelas.
      Bebel

      Responder
      • 155. San  |  08/02/2012 às 10:01

        Sim é verdade, realmente a Sra. já havia me respondido. O fato é que demorou alguns dias a aprovação do meu comentário na “moderação”, por este motivo é que reencaminhei.

        Grata,
        Sandra

  • 156. Vânia  |  06/02/2012 às 22:25

    No site da Secretaria já estão informando que na manhã de hoje por unanimidade suspenderam o mandado de segurança impetrado pela Apeoesp e ainda tem um comentário do “excelentissímo” secretário insinuando que a campanha da Apeoesp só desinforma e confunde. Pergunto eu agora, o que se faz? Cabe recurso? Como proceder?

    Responder
    • 157. apeoesp  |  07/02/2012 às 18:44

      Prezada professora Vânia,
      Conseguiram mais um medida provisória, protelatória. A sentença ainda nos é favorável.
      Bebel

      Responder
  • 158. Fátima  |  06/02/2012 às 22:26

    Prezada Presidenta Izabel.
    Li esta notícia no site da Educação e pergunto o que a senhora tem a nos dizer?
    É desanimador, creio que a greve vai ser uma “furada”. É melhor lutarmos por um salário e um vale alimentação dignos, já que me parece inevitável a aplicação da resolução 8.
    Vamos ser realistas. Chega de enganação e perda de tempo.

    Justiça mantém resolução sobre jornada extraclasse
    06/02/12

    Na manhã desta segunda-feira (06/02), a 10ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo, por decisão unânime, concedeu efeito suspensivo ao agravo de instrumento interposto pela Procuradoria Geral do Estado e, com isso, suspendeu os efeitos da sentença proferida pela 3ª Vara da Fazenda Pública da Capital que havia determinado a reorganização da jornada de trabalho da rede estadual de ensino nos moldes pleiteados pela Apeoesp.

    Desse modo, permanece a atribuição de aulas fixada nos termos da Resolução SE 8, de 19 de janeiro de 2012, a qual estabeleceu a jornada de trabalho dos professores da rede estadual de ensino em respeito ao que determina a Lei Nacional do Piso Salarial do Magistério Público da Educação Básica (Lei Federal nº 11.738/2008).

    “Fica mais evidente, dia após dia, que foi orquestrada uma campanha destinada à desinformação em torno da contagem das horas extraclasse. Aqueles que, em 2006, reivindicaram que fosse considerado como horário extraclasse o somatório dos extintos intervalos de aulas — e que comemoraram como vitória o atendimento desse pleito — hoje fingem que nada disso aconteceu para poderem, sem nenhuma razão, acusar o governo de não cumprir a Lei do Piso”, disse o professor Herman Voorwald, secretário da Educação do Estado de São Paulo. “Felizmente, nosso magistério, que não se deixou levar por essa desinformação, assegurou tranquilidade na atribuição de aulas e no início do ano letivo com nossos alunos. Temos certeza de que na Justiça a verdade prevalecerá”, acrescentou.
    Fátima.

    Responder
    • 159. apeoesp  |  07/02/2012 às 18:46

      Prezada professora Fátima,
      Lamento que queira desistir de uma luta que mal começou. Ainda há muito o que fazer. Nós vamos continuar lutando, no plano jurídico e no plano da mobilização. Que verdadeiramente quer a implantação da jornada do piso (sem prejuizo das demais questões) com certeza nos acompanhará.
      Bebel

      Responder
  • 160. silvia miranda  |  06/02/2012 às 22:46

    Boa noite Bebel

    E agora Bebel, o que será feito?

    Site Educação

    Justiça mantém resolução sobre jornada extraclasse

    l

    Na manhã desta segunda-feira (06/02), a 10ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo, por decisão unânime, concedeu efeito suspensivo ao agravo de instrumento interposto pela Procuradoria Geral do Estado e, com isso, suspendeu os efeitos da sentença proferida pela 3ª Vara da Fazenda Pública da Capital que havia determinado a reorganização da jornada de trabalho da rede estadual de ensino nos moldes pleiteados pela Apeoesp.

    Desse modo, permanece a atribuição de aulas fixada nos termos da Resolução SE 8, de 19 de janeiro de 2012, a qual estabeleceu a jornada de trabalho dos professores da rede estadual de ensino em respeito ao que determina a Lei Nacional do Piso Salarial do Magistério Público da Educação Básica (Lei Federal nº 11.738/2008).

    “Fica mais evidente, dia após dia, que foi orquestrada uma campanha destinada à desinformação em torno da contagem das horas extraclasse. Aqueles que, em 2006, reivindicaram que fosse considerado como horário extraclasse o somatório dos extintos intervalos de aulas — e que comemoraram como vitória o atendimento desse pleito — hoje fingem que nada disso aconteceu para poderem, sem nenhuma razão, acusar o governo de não cumprir a Lei do Piso”, disse o professor Herman Voorwald, secretário da Educação do Estado de São Paulo. “Felizmente, nosso magistério, que não se deixou levar por essa desinformação, assegurou tranquilidade na atribuição de aulas e no início do ano letivo com nossos alunos. Temos certeza de que na Justiça a verdade prevalecerá”, acrescentou.

    Responder
    • 161. apeoesp  |  07/02/2012 às 18:52

      Prezada professora Silvia,
      Estamos trabalhando juridicamente para que esta decisão seja derrubada e estamos executando o calendário aprovado no CER.
      Bebel

      Responder
  • 162. Mariah  |  06/02/2012 às 22:51

    Bebel,

    Vocês mesmos publicaram que o governo recorreu da sentença do juiz, mas que não foi acatado o efeito suspensivo da lei, o juiz disse que iria mandar prender o secretário por desobediência à lei, cadê essas atitudes? Cadê ?

    Responder
    • 163. apeoesp  |  07/02/2012 às 18:54

      Prezada professora Mariah,
      Não é possível mandar prender o secretário, uma vez que a justiça suspendeu a aplicação. É uma decisão provisória, mas ainda assim o secretário não está cometendendo ilegalidade. Logo, não é possível puni-lo pelo que não fez.
      Bebel

      Responder
  • 164. Mônica dos Anjos  |  06/02/2012 às 22:53

    Bebel, no site da Educação eles alegam que ganharam o efeito suspensivo da setença, de novo este golpe.

    Mônica dos Anjos

    Responder
    • 165. apeoesp  |  07/02/2012 às 18:55

      Prezada professor Mônica,
      Conseguiram mais um respiro, mas a decisão é provisória.
      Bebel

      Responder
  • 166. Claudia Arakaki  |  06/02/2012 às 23:04

    Prezada Bebel!
    O que dizer depois da nova decisão judicial? O Sr. Herman mostra-se muito confiante e seguro (como se a guerra estivesse ganha). Ainda nos resta algum recurso ou podemos apenas nos valer do calendário de ações publicado em 04/02? Confesso que estou um tanto desanimada com os rumos que as coisas estão tomando. Sinto os colegas muito acomodados e adaptados à situação, pois acham realmente que nada vai mudar (muitos não sabem nem o que está acontecendo). É uma pena ver a nossa classe tão desunida. Espero sinceramente que com o trabalho das subsedes, esse quadro possa ser revertido, mas as subsedes também precisam se empenhar mais, pois estou na mesma escola desde 2001 (Diretoria de São Vicente) e só encontrei representantes da entidade em época de eleição. Os esclarecimentos aos professores se fazem necessários e urgentes, contamos com isso para o fortalecimento de nossa batalha. Enquanto isso, continuo desejando força, garra e determinação (que parece que não lhe faltam), para que consiga ir até o fim e de preferência com a vitória.
    Abraços

    http://www.educacao.sp.gov.br/noticias/justica-mantem-resolucao-sobre-jornada

    Responder
    • 167. apeoesp  |  07/02/2012 às 00:59

      Prezada professora Cláudia,
      O secretário se mostra confiante porque não conhece os ritos judiciais. Conseguiu mais um adiamento da execução da setença. Mas ainda há muitos acontecimentos por ocorrer no Tribunal de SP e nos tribunais federais. E há a nossa mobilização, que estamos iniciando em todo o estado. E haverá a nossa greve, que vai ser grande e forte em março se todos nos engajarmos na sua preparação. Não vamos deixar que nos tomem um direito assegurado na lei e na sentença judicial.
      Bebel

      Responder
  • 168. "urgente por favor"João fisica  |  06/02/2012 às 23:10

    prezada bebel

    eu era cat L, fui dispensado em dezembro,agora sou cat O, tive 31 aulas atribuidas no dia 30/01/12, estou passando por serios problemas de saude, dei aulas a semana passada, eu gostaria de saber se eu posso tirar licensa saude de 30 dias uma vez que eu não assinei o contrato, mas estou com o laudo médico datado de 01/02/12, primeiro dia de aula, a minha diretora é muito exigente e falou q se eu fizer isso ela tira as aulas de mim, esta correto!

    Responder
    • 169. apeoesp  |  07/02/2012 às 00:34

      Prezado professor João,
      Neste caso, a melhor orientação é expor sua situação ao departamento jurídico, na sua subsede ou pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 170. Cristina  |  06/02/2012 às 23:31

    Olá
    Não entendo mais nada acabei de ler que o estado ganhou o recurso novamente, até quando, vai esse vai e vem. ganha, perde, quando se pode obter uma decisão definitiva, ou vai ficar nesse empasse.

    Responder
    • 171. apeoesp  |  07/02/2012 às 00:56

      Prezada professora Cristina,
      É difícil prever até onde vai, pois o Estado de recusa a cumprir a lei e as decisões judiciais, utilizando todos os recursos protelatórios. Mas cedo ou tarde os recursos acabam e terá que cumprir, nem que tenhamos que apelar aos tribunais e ir à greve, que começamos a preparar. O que é nosso direito este secretário não vai nos tirar.
      Bebel

      Responder
  • 172. Regina  |  07/02/2012 às 00:07

    Bebel, o que você tem a dizer sobre a notícia do site da educação?

    Na manhã desta segunda-feira (06/02), a 10ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo, por decisão unânime, concedeu efeito suspensivo ao agravo de instrumento interposto pela Procuradoria Geral do Estado e, com isso, suspendeu os efeitos da sentença proferida pela 3ª Vara da Fazenda Pública da Capital que havia determinado a reorganização da jornada de trabalho da rede estadual de ensino nos moldes pleiteados pela Apeoesp.

    Desse modo, permanece a atribuição de aulas fixada nos termos da Resolução SE 8, de 19 de janeiro de 2012, a qual estabeleceu a jornada de trabalho dos professores da rede estadual de ensino em respeito ao que determina a Lei Nacional do Piso Salarial do Magistério Público da Educação Básica (Lei Federal nº 11.738/2008).

    “Fica mais evidente, dia após dia, que foi orquestrada uma campanha destinada à desinformação em torno da contagem das horas extraclasse. Aqueles que, em 2006, reivindicaram que fosse considerado como horário extraclasse o somatório dos extintos intervalos de aulas — e que comemoraram como vitória o atendimento desse pleito — hoje fingem que nada disso aconteceu para poderem, sem nenhuma razão, acusar o governo de não cumprir a Lei do Piso”, disse o professor Herman Voorwald, secretário da Educação do Estado de São Paulo. “Felizmente, nosso magistério, que não se deixou levar por essa desinformação, assegurou tranquilidade na atribuição de aulas e no início do ano letivo com nossos alunos. Temos certeza de que na Justiça a verdade prevalecerá”, acrescentou.

    Responder
    • 173. apeoesp  |  07/02/2012 às 00:54

      Prezada professora Regina,
      Já respondi a este senhor hoje pelos jornais que sairão amanhã e vamos responder também por meio de um texto. Mas nossa melhor resposta é o trabalho jurídico que continuaremos fazendo (pois a questão ainda está longe de ser definida) e, sobretudo, nossa mobilização e a greve que virá pela implantação da jornada do piso.
      Bebel

      Responder
  • 174. Lucia da Silva  |  07/02/2012 às 00:14

    É uma piada né,vcs dizerem ir a Brasilia,eles la estão pouco se lixando para nós professores,e muito menos se importam com vcs da apeoesp,vcs acham realmente,que eles vão fazer algo,caia na real,mais uma vez a apeoesp perdeu

    Responder
    • 175. apeoesp  |  07/02/2012 às 00:52

      Prezada professora Lúcia da Silva,
      Se você é professora, só posso lamentar seu comentário. Não perdemos nada. O governo apenas protelou uma vez mais execução da sentença. Cedo ou tarde terá que cumprir. Vamos a Brasília, vamos às ruas e vamos à greve pela implantação da jornada do piso.
      Bebel

      Responder
    • 176. Marcelo  |  08/02/2012 às 03:19

      Professora Lucia, pelo amor de Deus vê se entende, não foi só a APEOESP que perdeu, todos nós perdemos, por enquanto, e se ficarmos parados . vamos lutar pelos nossos direitos.

      Responder
  • 177. Felipe  |  07/02/2012 às 00:29

    Bebel, qual foi o resultado da denúncia ao juiZ????… Todos precisam de um parecer! … Precisamos de total transparência, nosso trabalho está continuando, e precisamos saber o que faremos!

    Por favor, não ignore esta pergunta!

    Responder
    • 178. apeoesp  |  07/02/2012 às 00:45

      Prezado professor Felipe,
      O governo conseguiu protelar mais uma vez a execução da sentença, com manobra jurídica, mas a sentença não foi derrubada. O texto que você está comentando informa o que deve ser feito. A começar por uma grande concentração na ALESP no dia 8, quarta-feira, a partir das 14h00.
      Bebel

      Responder
  • 179. andre  |  07/02/2012 às 00:56

    que tal os professores não entregarem as notas bimestrais?

    Responder
  • 180. andre  |  07/02/2012 às 00:58

    vamos fazer uma manifestação no clássico domingo levando uma bandeira gigante e pedir a colaboração dos torcedores abrindo a todo momento durante o jogo.

    Responder
  • 181. andre  |  07/02/2012 às 01:01

    vamos contratar o “http://www.sabianoar.com.br/” para ele realizar um salto inusitado de SP levando nossa bandeira.

    Responder
  • 182. andre  |  07/02/2012 às 01:03

    vamos fazer umas 10 mil mascaras de carnaval do chuchu de picolé e sair numa marchinha na paulista.

    Responder
  • 183. MARIA ALICE  |  07/02/2012 às 01:03

    Ainda acredito que unidos venceremos. Lei afinal tem que ser cumprida; Estamos no século XXI mas, nossos governantes procedem como antigos senhores feudais(tempos medievais). Acredito que devemos debater várias estratégias.
    Os panfletos na saída da escola é um bom início de esclarecer a população o que estamos passando, mostrar bem detalhado e de uma maneira simples como nos enganam e tb acabam enganando nossos alunos , pais e toda população. Sofremos a quase 18 anos com atitudes maldosas e constrangedoras.
    OBS: Lembrando que teremos dificuldades com vários diretores, vices e coordenadores nas escolas. Por isso a mídia na TV, JORNAIS, REVISTAS,intervalos em horário nobres, panfletos e divulgações com muito diálogo e explicações simples é uma boa chance de convencer a população, colocando diariamente ou semanalmente os acontecimentos,
    Agrupar nossos professores sempre enviando ao menos até 10 por escola. Precisamos ir a AV.PAULISTA, nem que for aos sábados e domingos,,,,começar a mostrar ao mundo que SP tem um procedimento de poder inaceitável.
    Campanhas nos finais de semana sim….chamar alunos,país , professores para discutirmos o futuro da Educação que está a beira de uma falência de mestres cansados de lutar mas, por amor a sua profissão ainda tem esperanças de poder educar com qualidade.
    Força Apeoesp e a todos nós professores, muita luz e sabedoria para irmos em busca do que nos é direito.
    Agradeço a todos do nosso sindicato e parabéns por estar sempre colaborando para que nossos direitos seja lá qual categoria estivermos seja concretizado. UNIDOS SEMPRE DEVEMOS ESTAR.
    Boa sorte a todos nós….que DEUS nos proteja…

    Responder
  • 184. andre  |  07/02/2012 às 01:05

    ao invés de uma passeata na paulista que tal uma carreata indo em direção a secretaria de educação, ale e palácio.?

    Responder
  • 185. Carol  |  07/02/2012 às 01:09

    Bebel e agora como vai ficar?
    Segundo o Secretário o estado saiu vitorioso?

    Responder
    • 186. apeoesp  |  07/02/2012 às 01:47

      Prezada professora Carol,
      O Estado não venceu. Ainda há muita luta jurídica e muita mobilização pela frente.
      Bebel

      Responder
  • 187. rosergioalmeida  |  07/02/2012 às 01:38

    É ESTRANHO QUE COM TODA ESTA HISTORIA A IMPRENSA PAULISTA NÃO FALA NADA A RESPEITO, SERÁ QUE ESTAMOS TÃO ERRADOS ASSIM. OU SERÁ QUE EXISTE ALGUM TIPO DE PRESSAO PARA QUE NADA SEJA DIVULGADO NA MIDIA?

    Responder
    • 188. apeoesp  |  07/02/2012 às 19:06

      Prezado professor rosergio,
      Os jornais tem noticiado os acontecimentos relacionados com esta questão. Ocorre que o governo tem conseguido ganhar medidas provisórias, que adiam a aplicação da sentença. Por isso, o calendário aprovado pelo CER é muito importante para pressionar para que o governo cumpra a sentença.
      Bebel

      Responder
  • 189. maria  |  07/02/2012 às 01:48

    VAMOS COMEÇAR LOGO A GREVE QUE O GOVERNO VAI FICAR COM MEDO

    Responder
  • 190. Maria Rita Contreras  |  07/02/2012 às 01:57

    Professora Bebel.
    Me emociono em perceber a disposição da grande maioria de nossos colegas, que neste espaço se expressam e do incessante trabalho liderado por você neste embate.Acredito, ainda, numa justiça idônea e julgo esperar isso do STF.Nossa Presidenta deveria, também ser comunicada desta afronta, assim como o Ministro da Educação e o CNE.Conquistas obtidas após anos de análise e estudo não podem ficar a mercê de interesses políticos não comprometidos com uma Educação de qualidade.Certamente, a resposta virá nas urnas e tenha certeza, nós, Professores, faremos o possível para que esta política educacional, mais uma vez equivocada, não permaneça.Já passamos por muitos “experimentos”, mas hoje sinto uma categoria mais unida e disposta a revindicar.
    Estamos com você!!!
    Maria Rita

    Responder
    • 191. apeoesp  |  07/02/2012 às 19:19

      Prezada professora Maria Rita,
      Muito obrigado pelas suas palavras e pelo seu apoio. São manifestações assim que nos animam a continuar trabalhando pela categoria e pela escola pública, apesar de todas as dificuldades que enfrentamos.
      Bebel

      Responder
  • 192. CRIS  |  07/02/2012 às 02:19

    MARIA!!!!! O GOVERNO COM MEDO DE UMA GREVE DOS PROFESSORES!!! PIADA SUA rsrS SE FOI CAPAZ DE NÃO CUMPRIR UM ASENTENÇA DO JUIZ!!! VC É MUITO INGENUA!!!

    Responder
  • 193. Cesar fraga  |  07/02/2012 às 10:19

    sem dúvida a greve deve ser antecipada, afinal quando os professores receberem o bonus, não existirá mais o momento propicio.

    Responder
    • 194. apeoesp  |  07/02/2012 às 12:45

      Prezado professor César,
      Uma greve como essa tem que ser bem preparada. Ela será o que os professores definirem que seja. Apressar o calendário não significa necessariamente um resultado melhor.
      Bebel

      Responder
  • 195. Prof Benedito  |  07/02/2012 às 13:51

    Será que estou equivocado?
    Peço para que os que puderem leiam a postagem que fiz em meu blog e contestem a vontade, lá não tem moderação. Pode por a boca no trombone mesmo, desmontem meu argumento, vivo uma democracia.

    Trabalho Docente e a luta pelo reconhecimento

    Inversão de valores por parte do governo de São Paulo!

    Os professores de São Paulo, através da Apeoesp, vem travando uma batalha jurídica para implementação de uma Lei Federal (Lei nº 11.738, de 16/7/2008). Esta lei determina, entre outras, que a jornada de trabalho docente seja composta por 1/3 em horário de trabalho pedagógico. Essa quantidade de tempo serve para que o professor possa, sem prejuízo de sua renda, ter mais tempo para preparar aulas, corrigir provas, pesquisar, estudar etc. Porém, afirmo que, mesmo com essa ampliação, o tempo não é suficiente, tendo em vista a quantidade de alunos atendidos por uma professora, um professor. A proposta da Lei do Piso Salarial, quanto à jornada é um avanço significativo, mas ainda há muito o que melhorar, por isso é imprescindível que todos os professores se unam nesta luta por melhor condição de trabalho e, com isso, melhor qualidade na educação pública. (continua em: http://lelosilveira.blog.terra.com.br/)

    Responder
  • 196. Andréia  |  07/02/2012 às 16:18

    Boa Tarde!
    Bebel estou acompanhando o blog a alguns dias, e já havia lido que não cabia recurso para a SEE, já que o juiz havia determinado que se cumprisse a lei do piso, isso com o prazo de 15 dias! Bem, não compreendi me parece que a SEE recorreu onde não havia mais recurso! É isso mesmo? Por Favor quero compreender melhor a situação. Muito Obrigada

    Responder
    • 197. apeoesp  |  09/02/2012 às 00:33

      Prezada professor Andreia,
      De fato, não cabia mais recurso contra a liminar, mas a sentença foi dada e a SEE conseguiu efeito suspensivo. Agora o recurso será nosso.
      Bebel

      Responder
      • 198. Andréia  |  11/02/2012 às 14:26

        Agradeço a atenção. mas o que é efeito suspensivo? Isso quer dizer que a sentença que deveria ser cumprida em 15 dias não “vale mais”, e o que isso acarreta para nossa classe? O que acontece com a lei do Piso na SEE? Esse recurso que é nosso, vamos recorrer e pedir o que nele? E pode ocorrer desse processo ir nesse ritmo por mais tempo? Mais uma vez procuro entender os fatos, Muito Obrigada.

      • 199. apeoesp  |  11/02/2012 às 15:38

        Prezada professora Andréia,
        A decisão do tribunal suspendeu, por hora, os efeitos da sentença do juiz da 3ª Vara da Fazenda Pública. Nosso recurso é para derrubar o efeito suspensivo. A ação, embora não parece, está correndo rapidamente, pois iniciou em novembro e já está em segunda instância. Caso o tribunal mantenha a decisão de suspender a sentença, vamos aos tribunais superiores, em Brasília.
        Bebedl

    • 200. Andréia  |  12/02/2012 às 00:50

      Obrigada pelos esclarecimentos, continuo seguindo o blog e pelo que eu entendi teremos que esperar um pouco, entendo que temos etapas para cumprir e pelo que me disse estaremos logo que possível percorrido por todas elas e assim chegaremos a um ponto comum, esperamos que seja o melhor para todos. Muito obrigada pela atenção.

      Andréia

      Responder
  • 201. Fernanda  |  07/02/2012 às 16:50

    Bebel o que vai acontecer amanhã na ALESP?

    Responder
    • 202. apeoesp  |  09/02/2012 às 00:36

      Prezada professora Fernanda,
      Houve uma reunião da Comissão da Educação que aprovou por unanimidade audiência pública com a SEE para o dia 15/02.
      Bebel

      Responder
  • 203. alexandre bedin  |  07/02/2012 às 21:17

    Cara Professora Bebel,
    Baseado no perfil econômico dos professores: dependem de cada centavo, para pagar suas contas e sabem que o digníssimo governo desconta os dias não trabalhados. E na dependência de bônus e licença prêmio o que faz que muitos colegas trabalhem até doentes para não serem prejudicados.
    Não seria oportuno que fizéssemos uma greve diferente onde assinaríamos o ponto, mas não daríamos aula???
    Chega de somente o Professor ser prejudicado!!

    Responder
    • 204. apeoesp  |  09/02/2012 às 01:09

      Prezado professor Alexandre,
      Obrigada pela contribuição. No momento oportuno deliberaremos sobre as características de nossa greve.
      Bebel

      Responder
  • 205. NIL  |  08/02/2012 às 01:23

    OLÁ BEBEL, PARABÉNS PELA LUTA.
    NA SUA OPINIÃO, DE 1(UM) A 10(DEZ) QUAIS AS CHANCES DOS PROFESSORES SAIREM VITORIOSOS NESSA QUESTÃO DA LEI DO PISO?

    Responder
    • 206. apeoesp  |  09/02/2012 às 02:12

      Prezado professor Nil,
      Seria leviano de minha parte fazer esta previsão. Estamos confiantes na vitória e ela é muito provável, sobretudo nos tribunais federais.
      Bebel

      Responder
  • 207. Claudete  |  08/02/2012 às 10:54

    Presidenta Bebel sou categoria o, antiga categoria l (agora extinta), no dia 30 de janeiro atribuí 28 aulas, e chegando na escola (minha sede) a secretária me pediu uma série de documentos e me fez assinar um contrato de trabalho só assim eu poderia começar a trabalhar, mas nem todos os professores categoria o assinaram esse contrato. Será que isso vai me prejudicar em algum momento? Por favor esclareça essa dúvida. Obrigada.

    Responder
    • 208. apeoesp  |  09/02/2012 às 17:32

      Prezada professora Claudete,
      Não vejo motivo para que isto a prejudique, pois a assinatura do contrato é procedimento previsto, normal.
      Bebel

      Responder
  • 209. Juliana  |  08/02/2012 às 22:39

    Bebel
    Esse calendário está muito extenso.O tempos de lutar está passando.

    Responder
    • 210. apeoesp  |  08/02/2012 às 22:55

      Prezada professora Juliana,
      Estamos lutando. Espero que esteja também.
      Bebel

      Responder
  • 211. maria  |  09/02/2012 às 01:04

    VAMOS PARTIR LOGO PARA GREVE AI OS PAIS VAO VER QUE GOVERNO ESTA ERRADO E PROCURAR ENTENDER DO QUE ESTAMOS FALANDO . apeoesp chama os professores para greve logo

    Responder
    • 212. apeoesp  |  09/02/2012 às 18:20

      Prezada professora Maria,
      A greve tem que ser construida pela base. Apenas “chamar” a greve não resolve.
      Bebel

      Responder
  • 213. SILMARA PAULA DOS SANTOS  |  09/02/2012 às 12:53

    Maria Izabel. oriente os advogados da apeoespe que pelas contas aritméticas do sr. Herman nem hora de almoço nós professores temos? ESSE FATO É IMPORTANTE. aguardo resposta.

    Responder
    • 214. apeoesp  |  09/02/2012 às 18:56

      Prezada professora Silmara,
      Vamos levar isto em conta. Muito obrigada.
      Bebel

      Responder
      • 215. Clara  |  09/02/2012 às 23:37

        Eu inclusive, já não estou conseguindo almoçar… saio do turno da manhã às 12h30 e pego o da tarde às 12h50…

  • 216. Silva  |  12/02/2012 às 19:35

    Olá Bebel…gostaria que vc esclarecesse uma dúvida, na escola onde trabalho muitos professores acham que vão receber por aulas a mais exemplo: 48 aulas (quem escolher a jornada de 32 aulas) por causa da resolução 8 que o estado implantou, mas pelo que eu entendi seria por 40 horas de jornada que o sálario seria pago…por isso muitos professores nem querem mais lutar contra esse governo…acham que estão recebendo mais e isso já basta…por favor se puder me esclarecer…e continue com o esse ótimo trabalho!

    Responder
    • 217. apeoesp  |  13/02/2012 às 16:58

      Prezado professor Silva,
      Obrigada.
      Primeiro, é preciso esclarecer que a lei 11.738/08, no que se refee à jornada de trabalho, não visa a que o professor receba um salário maior. Visa que professor ministre menos aulas e, assim, tenha mais tempo para as atividadades relacionar ao ensino, para formação no local de trabalho e para atividades pedagógicas coletivas.
      Por outro lado, quando o governo cria, ilegalmente, uma jornada de 48 horas-aula e as ocupa com atividades durante todo o tempo, está aumentando a nossa carga de trabalho em relação ao que vinha sendo praticado e deve pagar mais isto. Trata-se de uma tese controvetida, que o departamento jurídico está examinando. Havendo base legal e factual, lutaremos por isso.
      Bebel

      Responder
  • 218. THAIS  |  13/02/2012 às 10:13

    Sou extinta categoria “O” e trabalhei assim durante os anos de 2010 e 2011, agora sou professora efetiva, mas gostaria de saber sobre o pagamento de férias retroativo da categoria “O”, receberemos o proporcional pelos meses trabalhados? Quando? E quanto ao desconto que fariam pelos dias não trabalhados em dezembro, porém pagos, o irão fazer?
    Agradeço a atenção e aguardo respostas!

    Responder
    • 219. apeoesp  |  13/02/2012 às 16:48

      Prezada professora Thais,
      O governo promete pagar as férias. Fala-se em folha suplementar no dia 28/02, mas ainda não conseguimos a confirmação.
      Bebel

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,830,441 hits

%d blogueiros gostam disto: