Folha de S. Paulo, 25/03: Alckmin diz que manterá aulas extras de reforço

25/03/2012 at 12:39 76 comentários

Manutenção contraria proposta de secretaria

DE SÃO PAULO

 

A cúpula do governo de São Paulo tem dado informações divergentes sobre o fim das atividades de reforço fora do período regular para os alunos da rede estadual de ensino.

Ontem, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) voltou a dizer que serão mantidas as aulas extras de reforço a estudantes com dificuldades de aprendizado. Reforço no período da tarde para alunos que estudam pela manhã, e de manhã para os da tarde.

O tucano já havia dito isso anteontem, mas o coordenador de Imprensa do Governo, Juliano Nóbrega, disse à Folha que o tucano havia se expressado mal. Esse formato de reforço, segundo o assessor, não é mais empregado.

Essa é a mesma informação dada pela Secretaria Estadual da Educação e publicada pela Folha na última sexta-feira.

Ontem, porém, o governador disse não ter feito confusão. “Vai ter o [reforço] contraturno. Estou reforçando que vai ter”, afirmou durante evento do Metrô.

Segundo Alckmin, a única alteração em relação ao que era feito será a mudança do perfil dos professores que dão essas aulas de reforço.

As aulas serão ministradas por professores efetivos, não mais por professores eventuais. “O reforço escolar no contraturno será feito pelo professor da escola”, disse.

Procurado, o secretário de Educação, Herman Voorwald, não comentou as alterações propostas.

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

Por uma verdadeira recuperação nas escolas estaduais Juíza profere sentença inconstitucional contra a APEOESP

76 Comentários Add your own

  • 1. Sidnei Moraes  |  25/03/2012 às 14:06

    Parece que começou a fritura do secretário…enfim, está claro que eles não tem a menor idéia do que estão fazendo. É como aquela piada do cara num balão que não sabia onde estava, então avista uma mulher e pergunta lá de cima: poderia me informar onde estou? Ela responde: num balão a 10 metros do solo. Ele replica: a senhora é professora, não é? Ela responde: sim, como adivinhou? Ele diz: a senhora me deu uma resposta tecnicamente correta, mas que não me serve para nada. Ao que ela contradiz: o senhor é secretário da educação, certo? Ele, surpreso, pergunta: como você soube? Ela argumenta: fácil, o senhor não sabe onde está, nem para onde está indo, completamente perdido e ainda põe a culpa no professor…
    Lembra alguèm em nosso estado? Seria cômico, não fosse trágico e similar a realidade que enfrentamos.

    Responder
    • 2. Paulo  |  28/03/2012 às 11:24

      Bebel,

      Vc sabe se esse mes houve incorporação da GAM? Não está aparecendo a gam no meu holeritt eletronico de abril e o valor do salario base está maior, mas a soma do salario base com agam do mes passado deu menor (pouca coisa) que o salrio base desse mes.

      Teremos um aumento esse ano a partir de julho? De quanto é? Inclu a incorporação da gam?

      Abraço

      Responder
      • 3. apeoesp  |  29/03/2012 às 16:33

        Prezado professor Paulo,
        Você deve requerer na escola explicações sobre o seu pagamento. Se constatar irregularidade, procure o departamento jurídico na sua subsede.
        Haverá reajuste em julho, de 5,2% e estamos reivindicando que este índice seja ampliado.
        Bebel

  • 4. Prof Pedro (didema)  |  25/03/2012 às 15:47

    Professora Bebel!
    Assistindo ao Video do Secretariua Adjunto Sr. Palma, fiquei indignado com a forma com ele trata a educação e principalmente os professores e alunos
    Primeiro: Ele e a secretaria da educação deve admitir que houve falhas no proceeso de recuperação implementeda ao longo dos quase 20 anos desta modalidade.
    Segundo: Deve admitir que o projeto não deu resultado por que as salas de aulas contam com um número de alunos além da capacidade de atendimento individual aos alunos pelo
    professor titular, hoje temos salas do fundemanetal 1 com 35 alunos, fundamental 2 com 45 alunos e Ensino medio com 55 alunos.Isto é desumano, trabalho escravo!
    Terceiro: vai ter que contartar um professor por sala de aula pois todas as sala de aulas, em todas as modalidades de ensino tem mais de 35 alunos, isto significa que o projeto já começa com falhas graves.
    Quarto: todos os dias chega uma nova inclusão de alunos nas salas de aulas e segundo os diretores é a secretaria da educaçção que faz a inclusão., logo termos de fazer uma lista suplementar de alunos nos nossos diarios pois a lista do diario só vai até 55.
    No quarto questionamento, de quem é a competencia da inclusão de alunos na sala de aula, pois recebemos estes alunos com muitas dificuldades e inclusão fora da realidade programada peços os professores, inclusive de atendimento a este aluno?
    para finalizar: Gostaria de que o Sr Secretario use a reflexão e busca a alternativa ideal para a rede, pois as pesquisa que ele alega não tem fundamentação cientifica,pois os verdadeiro cientista estão em sala de aula e não os pedagogos de gabinetes, loogo é necessario ouvir os professores! Faça cumprir a lei do número máximo de alunos por sala de aula e não a mádia de aluno por sala de aula. Não tornar a escola um depósito de adolescentes com os professores massacrados, angustiados para ensinar ou orientar os alunos num tempo de 2 segundos por atendimento individual.
    Bebel, devemos, mais uma vez desmacarar este governo, perdemos um oportunidade, vamos perder outra?
    Este texto era para ser enviado ao Sr Palma. Estou enviado a APEOESP para a sua análise.
    Grato Prof. Pedro

    Responder
    • 5. apeoesp  |  27/03/2012 às 16:56

      Prezado professor Pedro,
      Creio que as críticas são pertinentes. Sugiro que remeta texto para o secretário adjunto.
      Bebel

      Responder
  • 6. IVO.FREITAS  |  25/03/2012 às 17:08

    Cara Bebel,
    sou da antiga categoria L, no momento estou dando aula de eventual,entrei no site da diretoria para fazer meu recadastramento e não estou conseguindo, o que pode estar acontecendo será que vou conseguir receber sem fazer o recadastramento até o dia 31 de março. Grata estou aguardando sua resposta.

    Responder
    • 7. apeoesp  |  26/03/2012 às 02:27

      Prezada professora Ivone,
      Não tenho condições de responder à sua pergunta. Sugiro que entre em contato com a DRE para verificar o que está ocorrendo.
      Bebel

      Responder
  • 8. Marilda  |  25/03/2012 às 19:52

    E o prof. da escola, já tem a sua carga completa..32aulas…e……daí?
    quem fica no reforço? prof. estudante?…..????????????

    Responder
    • 9. apeoesp  |  26/03/2012 às 02:25

      Prezada professora Marilda,
      O governo fala que serão professores efetivos. Como fará isto, não sabemos.
      Bebel

      Responder
      • 10. m  |  29/03/2012 às 22:45

        Quem disse que efetivo quer reforço, além disso tem muito professor contratado COM PERFIL para ministrar aulas de reforço…

  • 11. Shirley Couto  |  25/03/2012 às 20:09

    O professor categoria O, então, não pegará essas aulas?

    Responder
    • 12. apeoesp  |  26/03/2012 às 02:25

      Prezada professora Shirley,
      Pelo que foi anunciado, não.
      Bebel

      Responder
  • 13. Karina  |  25/03/2012 às 20:24

    Como essas aulas serão ministradas por professores efetivos, sendo que a maioria já possui carga completa? E salas disponíveis para ministrar essas aulas, sendo que têm escolas com todas as salas ocupadas em todos os períodos? Pois temos informações de colegas que ministravam aulas de reforço no pátio da escola, no refeitório, quadra de educação física, etc… por falta de salas adequadas, e mais, quando o professor pega aulas de reforço ele deixa de ser eventual.

    Responder
    • 14. apeoesp  |  26/03/2012 às 02:23

      Prezada professora Karina,
      São perguntas como estas que o governo, com seus planos mirabolantes, não consegue responder.
      Bebel

      Responder
  • 15. Kauê  |  25/03/2012 às 21:08

    Bebel, tenho uma duvida.
    Até o ano passado era Categoria F e me efetivei esse ano. Gostaria de saber porque no GDAE não consta meu APONTAMENTO de FALTAS para o BÔNUS e de outros professores sim. O que faço? Já liguei na minha antiga UE, nos departamentos da DE e ninguém sabe de nada…

    Responder
    • 16. apeoesp  |  26/03/2012 às 02:20

      Prezado professor kauê,
      Por favor, requeira informações diretamente à CGRH ou procure o departamento jurídico na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 17. ivone  |  26/03/2012 às 01:46

    Bebel não entendi direito será que o governo vai querer que o professor efetivo seja obrigado a dar esse reforço no contraturno? É isso mesmo? Era só o que faltava querer monopolizar o professor aos seus autoritarismos. Daqui a pouco vamos ter que dar aulas de madrugada também, eles se esquecem que nós também temos família e não vivemos só em função do estado. Muito contrariada me despeço parabenizando você pela luta que estamos travando.

    Responder
  • 18. Emerson  |  26/03/2012 às 13:23

    Ola Bebel.
    Continue sendo essa presidenta atuante, pois precisamos de você.
    Outra duvida o governo federal vem cumprindo a lei do piso nas suas escolas federais ?

    Responder
    • 19. apeoesp  |  27/03/2012 às 15:51

      Prezado professor Emerson,
      Pelas informações que temos, o piso nas escolas federais é superior ao PSPN, bem como a composição da jornada também está de acordo com a lei.
      Bebel

      Responder
  • 20. Ricardo  |  26/03/2012 às 15:21

    Bebel
    A quantas andam as negociações com a SEE sobre a implantação da carga horária de 26 aulas? Gostaria de me manter informado para manter os professores de minha escola sobre este tema, afinal dia 20 já já está ai.
    Grato

    Responder
    • 21. apeoesp  |  27/03/2012 às 15:24

      Prezado professor Ricardo,
      A SEE confirmou que iniciará esta discussão na comissão paritária antes do dia 20/04.
      Bebel

      Responder
  • 22. Carlos  |  26/03/2012 às 17:48

    Professora Maria Isabel,

    No domingo também a Folha trouxe um editorial a respeito desse assunto, apesar da critica a APEOESP acredito ser importante publicar.

    Editoriais

    editoriais@uol.com.br

    Difícil de entender

    Causa estranheza a decisão da Secretaria da Educação de extinguir as aulas de reforço para alunos da rede pública paulista -medida que parece estar mal acordada com o governador Geraldo Alckmin, a quem cabe a palavra final.

    O sistema, voltado para estudantes com dificuldades no aprendizado, previa que eles comparecessem à escola em período diferente do horário letivo normal. O problema, segundo a secretaria, é que a baixa frequência dos alunos tornava ineficaz o auxílio pretendido.

    Optou-se então por introduzir um segundo professor nas classes mais numerosas, de modo a atender alunos durante o próprio transcurso das aulas regulares.

    Muitas perguntas ficam irrespondidas diante dessa decisão. Quais os índices concretos de frequência nas aulas de reforço? Não haveria como torná-la obrigatória? As aulas não poderiam ser realizadas logo após o término do turno normal, sem que o estudante fosse obrigado a se deslocar para a escola duas vezes no mesmo dia?

    Será praticável a coexistência do reforço e a assistência à aula normal, numa mesma sala?

    Do ponto de vista dos professores, surgem outros questionamentos. A decisão teria sido tomada com o apoio de representantes da categoria, em reuniões regionais organizadas no ano passado. A Apeoesp, sindicato dos professores da rede estadual, cuja oposição aos governos tucanos é sistemática, põe em dúvida, entretanto, a validade dessa representação.

    Para além das dúvidas específicas, duas questões fundamentais se renovam com a decisão. A primeira diz respeito à falta de professores na rede pública estadual

    -problema que levou, recentemente, à convocação de profissionais que haviam sido reprovados nos testes de avaliação oficiais.

    A segunda questão é a do sistema de ciclos, pelo qual se garante aprovação automática aos alunos até o quinto ano do ensino fundamental. Eliminou-se, com os ciclos, o processo tradicional de recuperação, ao término do ano letivo, para alunos com nota insuficiente.

    Em vez disso, promoviam-se as aulas de reforço. E estas seriam agora eliminadas.

    De remendo em remendo, o quadro é o que se conhece: uma esmagadora maioria de estudantes sem exibir -ao término de anos e anos de absenteísmo docente e discente, de falta de conteúdo, exigência e disciplina- o mínimo que os habilite a ingressar no mercado de trabalho e na vida de cidadãos conscientes.

    Responder
  • 23. josé  |  26/03/2012 às 22:24

    Bebel
    .Fica difícil administrar tantas desinformaçoes oficiais!Vamos nos preparar para o que diz nosso governador?Ou vamos seguir as orientaçoes do secretário Herman?Ou, ainda, vamos nos orientar pelo secretário do secretário?
    .Senhores professores, tenhamos muita paciencia,” eles não sabem o que fazem”!
    Prof. josé

    Responder
    • 24. apeoesp  |  27/03/2012 às 15:01

      Prezado professor José,
      É incrivel que isto aconteça no maior estado da federação, na maior rede de ensino do país.
      Bebel

      Responder
  • 25. Fátima Rodrigues da Silva  |  27/03/2012 às 00:18

    Cara Bebel:

    Sou professora da extinta categoria L,e esse ano ainda não atribui aulas por conta de uma cirurgia que fiz em 06/02/2012,aguardava receber minhas férias,pois havia sido publicado o pagamento das férias dos professores categoria O em 28/02/2012.
    Pelo que pude constar nada me pagaram até agora, por gentileza me informe das medidas que devo tomar.

    Desde já agradeço-lhe
    profº Fátima

    Responder
    • 26. apeoesp  |  27/03/2012 às 14:51

      Prezada professora Fátima,
      Você deve requerer o pagamento de suas férias na escola em que ministrou aulas ou diretamente na CGRH (ex-DRHU). Caso o pedido seja indeferido, procure o departamento jurídico na sua subsede.
      Bebel

      Responder
  • 27. maria  |  27/03/2012 às 01:08

    Olá Bebel!!
    Não entendo como professores efetivos ministrarão aulas de reforço, se a própria diretoria de ensino de sto André já atribuiu essas aulas para professores contratados, ou seja, categoria O….. Só não sei explicar o porquê das outras diretorias ainda não terem atribuído suas aulas…. isso já virou uma vergonha!!!

    Responder
    • 28. apeoesp  |  27/03/2012 às 14:48

      Prezada professora Maria,
      Esclarecendo: a SEE fala em professores habilitados, com licenciatura, não necessariamente efetivos.
      Bebel

      Responder
  • 29. Paula  |  27/03/2012 às 02:28

    Olá Bebel! Boa Noite!
    Será que tem como reverter essa situação? Sou categoria O português e inglês e ainda não consegui aulas. Minha esperança era as aulas de reforço. E agora? Meu Deus! E não sou só eu que está nesta situação.
    Estou tão triste porque amo o que faço. Ser professora…mas este governo está tirando minhas esperanças de um trabalho digno.
    obrigada pela atenção

    Responder
    • 30. apeoesp  |  27/03/2012 às 14:27

      Prezada professora Paula,
      Lamentavelmente, a possibilidade que lhe resta é a de percorrer algumas diretorias de ensino que possam lhe interessar em busca de aulas.
      Bebel

      Responder
  • 31. Mais um engodo  |  27/03/2012 às 11:01

    Senhora presidenta, essa turma do PSDB, me parece os maiores ignorantes quando se trata da educação, toda hora estão criando alguma coisa para tapar buracos que uma outra invenção não conseguiu resolver , são uns bandos de irresponsáveis!
    Quanto se gasta por mês com aquelas apostilas dos alunos?E diga se de passagem de conteúdo é péssimo?Depois querem que os alunos saibam ler e escrever.Por que a APEOESP não denúncia esse gasto desnecessário com essas apostilas? E os livros do MEC, que são distribuídos também, e por causa dessas apostilas são poucos usados, pois os diretores dão preferência ás apostilas?
    Será que vamos continuar calados vendo o dinheiro do povo ser mal empregado e materiais, que para preparar um aluno para entrar em uma faculdade está longe do necessário?
    Essas apostilas ou caderno dos alunos é um dos piores materiais de trabalho que já se teve, faça uma pesquisa com os professores para ver, pergunte aos alunos o que eles acham de ficar o semestre todo vendo o que é gênero narrativo e depois em outro semestre retornar com o mesmo assunto? Estão idiotizando nossas crianças a com essa sua política educacional .Dois professores em sala de aula? Quem foi o esperto que deu essa ideia? Por que não divide as salas deixando com 25 alunos e abre mais salas contratando mais professores, mas não! querem sempre o caminho mais fácil e e burro do ponto de vista educacional, o ano a passado já se teve essa experiência pergunte para os professores que ficaram em salas de aulas junto com o outro professor para ver se adiantou alguma coisa?
    Está na hora da APEOESP ser mais contundente com essa irresponsabilidade dessa turma com a educação, vamos fazer uma campanha de denúncia dessa falta de comprometimento com a educação ao Ministério Público começando por essas apostilas , depois passando pelos livros didáticos que em muito dos casos não são utilizados porque a prioridade são as apostilas e depois denunciar as salas lotadas, e agora esse absurdo de dois professores em salas de aulas. Não tem nenhum educador reconhecido nacionalmente para denunciar mais essa bobeira desse governo tucano?
    Me ajuda aí Ô!
    Benedito

    Responder
    • 32. apeoesp  |  27/03/2012 às 14:20

      Prezado professor,
      Temos sido, sim, contundentes em relação às políticas equivocadas do PSDB para a educação. E não é de hoje. Em todos os momentos, entrevistas, mobilizações, programa de TV e outros espaços, analisamos e denunciamos essas políticas.
      Bebel

      Responder
    • 33. Sidnei Ribeiro de Moraes  |  29/03/2012 às 21:32

      Concordo com o colega sobre as apostilas. Inclusive meu TCC na REDEFOR foi sobre isso. Livros os alunos não trazem porque dizem que é “pesado”. Consultar em casa? Só em sonho. Cada escola adota o livro que quer. As editoras fazem a festa. Os alunos recebem tudo de graça e tratam como lixo. Quanto meu pai não sofreu para comprar livros para mim? Hoje têm tudo de graça e reclamam que é pesado? Dois professores em sala é idéia de quem nunca deu aula. Já é difícil manter o foco dos alunos com um professor imagine com dois? Além de estimular uma divisão entre os alunos por empatia. Aliás haverá algum tipo de preparação para esse tipo de reforço? Ou será como sempre foi: na base do “se virem”? É muito pedagogo de gabinete tendo idéia para nós, especialistas, colocarmos em prática. Até quando?

      Responder
  • 34. San  |  27/03/2012 às 11:45

    É ridícula a falta de articulação entre Secretário e Governador, enquanto um fala “pau” o outro diz “pedra”, provaram que sequer sabem decidir ações conjuntas. Isso é um mero espelho de como funciona a “recuperação”, não serve para nada! O aluno não tem obrigatoriedade de frequentar o reforço, cansei de receber pais reclamando e impedindo que seus filhos compareçam pois os “coitadinhos” tem que se deslocar no contra turno para a escola, e pior, fui verificar na legislação e realmente não é obrigatória a presença do aluno no reforço de contra turno. Agora estão tentando lançar uma “nova loucura”, reforço dentro da sala de aula com outro professor. Por favor parem com estas insanidades, para de fato recuperar alguém é preciso montar turmas agrupadas por graus de defasagens, é preciso tempo para que os professores titulares articulem diretamente com o professor do reforço FORA DO ESPAÇO DA SALA DE AULA, falando em tempo acredito que àqueles famosos 10 minutos devem servir para este fim !
    Onde é que estão os tais dos pólos de recuperação que o governo disse que ia criar, isso mesmo, onde estão? Lembro-me bem que recebemos um documento onde estava proposto a criação de pólos de recuperação em outras instalações escolares que atenderiam único e exclusivamente a recuperação. Ninguém mais fala sobre isto? Devem ter esquecido, afinal estavam ocupados em questões MAIS PROFUNDAS tais como: cancelar resoluções, tirar uma aula de cada jornada, repartir férias, repartir pagamento, deixar de pagar profissionais e tantas outras humilhações. Enquanto isso a rede estadual de ensino está falindo, à luz de quem queira ver.

    Responder
    • 35. apeoesp  |  27/03/2012 às 14:17

      Prezado professor San,
      Seu comentário mostra muito bem como estão as políticas educacionais no Estado de São Paulo. Improviso total.
      Bebel

      Responder
  • 36. Maria  |  27/03/2012 às 13:43

    Bom dia!!
    É preciso lembrar a mídia que o gov não está só contratando profs reprovados, e sim, quem não fez a prova e que isso é vergonhoso para um gov que vive na PIG dizendo que somos nós os culpados dos alunos não saberem.É necessário salientar ainda,que os tecnologos estão com carga completa e profs formados sem aulas, estudantes também, além disso, que estamos sem férias , salários devido ao sistema a manivela em pleno SécXXI, e que a atribuição já deveria estar online ,direto no Recursos Humanos .

    Responder
  • 37. joyce  |  27/03/2012 às 19:05

    Vou fazer a pergunta que não quer calar:Quando receberemos bônus?Quando sai o resultado do Idesp?Todos nós queremos saber, sabemos que o que merecemos é aumento no salário mas infelizmente a única coisa que temos em mãos é esse quebra galho do bônus, então pecisamos saber!

    Responder
    • 38. apeoesp  |  29/03/2012 às 16:44

      Prezada professora Joyce,
      O governo promete divulgar o IDESP e pagar o bônus amanhã, 30 de março.
      Bebel

      Responder
  • 39. ma  |  28/03/2012 às 11:42

    Pô Bebel! Cada vez q eu vejo meu holerite tem um desconto diferente! Esse mês veio a carga suplementar descontada em qse 50 reais! Q raio de desconto é esse???

    Responder
    • 40. apeoesp  |  29/03/2012 às 16:35

      Prezada professora Ma,
      Protocole requerimento na escola solicitando explicações detalhadas. Caso não sejam convincentes, procure o departamento jurídico.
      Bebel

      Responder
  • 41. suraya caram  |  28/03/2012 às 13:07

    Bebel , bom dia! que haja sol na sua vida hoje e sempre!
    Querida, perdoe-me incomodá-la , mas estou precisando de uma opinião para meu caso pessoal . Será que vc pode me ajudar? Eis a situação: somos 5 professoras de Português na escola. Na atribuição CADA UMA pegou 30 aulas ( ainda que quiséssemos ficar com jornada Integral não havia como pegar 32 aulas porque no Fundamental as séries tem 6 aulas e no Médio 5 !!! Como a Secretaria quer que tenhamos Jornada Integral com 32 aulas , ainda não descobrimos!!!! Acho que nem Malba Tahan dá jeito nisso !!! )Mas , este não é o único problema.. Ocorre que fiquei com o Fundamental porque sou a terceira da lista .As colegas que ficaram com o Médio entraram em licença e não voltam mais porque vão se aposentar. Assim , TODO O ENSINO MÉDIO DA ESCOLA ESTÁ SEM PROFESSOR , NAS MÃOS DE EVENTUAIS .( Não há como atribuir as aulas porque as colegas tiram licença de15 dias.) Então , perguntei ao diretor sobre a POSSIBILIDADE de TROCAR O BLOCO COM UMA DELAS. ELE ME DISSE QUE SIM , HÁ POSSIBILIDADE (!) desde que de comum acordo com a colega. OK! Acontece que a DIRETORIA DE ENSINO DIZ QUE “INÊS É MORTA” E NÃO HÁ NADA QUE SE POSSA FAZER !!!! O que vc acha? Existe , DE FATO , impedimento legal para que a troca seja feita , ou desconhecimento , até má vontade da Diretoria ? Abraço,
    Suraya

    Responder
    • 42. apeoesp  |  29/03/2012 às 16:02

      Prezada professora Suraya,
      Muito obrigada, desejo-lhe o mesmo. Em princípio, a DRE está certa. Porém, havendo concordãncia de todos os envolvidos, não porque não realizar a troca, beneficiando os professores e também os alunos. Um pouco de bom senso é importante nessas horas. Sugiro que consulte também o departamento jurídico, na subsede, ou pelo telefone 11.33506214, para verificar se há brechas legais.
      Bebel

      Responder
  • 43. matéria desastre na educação  |  28/03/2012 às 13:55

    Serra e Alckmin espantados com o resultado da política tucana na educação

    Matéria no site Folha.com de hoje mostra o desastre que é a política de educação dos desgovernos tucanos, desde o governo Covas (Alckmin era o vice, lembram?). Para quem ainda não sabe, trata-se do Programa “Emburrece São Paulo”
    Diz a matéria que “A rede estadual de ensino de São Paulo não terá mais atividades de reforço fora do período regular de aula para alunos com dificuldades de aprendizagem -o que acontecia desde 1997.”
    Informa também “que o atendimento aos estudantes passará a ser feito, em maio, por um professor auxiliar durante a própria aula. Só as turmas maiores, porém, terão dois docentes.”
    Arremata mostrando a causa do desgoverno na educação: “A medida que acaba com as aulas de reforço durante o ano letivo é anunciada em meio a uma crise de falta de professores”
    Ou seja, a pergunta que não quer calar é como um desgoverno que se autoproclama tão eficiente deixa chegar ao ponto de não ter professores suficientes para cumprir sua obrigação constitucional?
    É fácil de explicar:
    1. Esse é o resultado do tal Xoque de Jestão tucana, que tem como objetivo enxugar a máquina pública de tal jeito, que o governante não precisa fazer nada (esporte preferido do Serra e do Aécio)
    2. A imprensa é a principal responsável por isso, na medida que não acusa os desgovernos tucanos desse descalabro. Se bobear, daqui a pouco, acusará os governos Lula e Dilma por isso.
    Abaixo, apresento gráficos de execução orçamentária na educação (SP), realizado pelos desgovernos tucanos, entre 2002 e 2010. Leiam com atenção e digam se não tenho razão.
    Desde já, autorizo o Folha.com a utilizar os gráficos produzidos por este humilde blog sujo, com base em dados dos relatórios oficiais do orçamento do estado, para mostrar aos paulistas e paulistanos “o jeito tucano de desgovernar”

    *

    *

    *

    http://festivaldebesteirasnaimprensa.wordpress.com/2012/03/23/desgovernos-serra-e-alckmin-desastre-tambem-na-educacao/

    Responder
  • 44. Alex  |  28/03/2012 às 15:45

    Professora Bebel. Creio que é importante acompanhar de perto este descompasso no discurso do Governador. Isto porque ao atribuir aos professores efetivos as aulas de reforço, ele pode estar realizando nova manobra colocando esta carga horária no tempo extra-classe do professor. Ele ainda não disse nada neste sentido, porém não duvido que possa estar pensando nisso. Bom, uma leitura aprimorada na lei federal de nossa jornada de trabalho derruba uma intenção neste sentido, já que segundo o parágrafo 4º do artigo 2ª da lei diz que “Na composição da jornada de trabalho, observar-se-á o limite máximo de 2/3 (dois terços) da carga horária para o desempenho das atividades de interação com os educandos.” Ou seja, não poderia colocar as aulas de reforço como tempo extra-classe de nossa jornada de trabalho. De qualquer forma, é muito importante estarmos atento a esta situação das aulas de reforço serem ministradas pelos professores efetivos.

    Responder
    • 45. apeoesp  |  29/03/2012 às 15:54

      Prezado professor Alex,
      O governo não pode considerar como atividade extraclasse, pois a lei fala em 2/3 de “interação com alunos”.
      Bebel

      Responder
  • 46. Edna  |  28/03/2012 às 18:10

    Como entender tantas falácias?
    Sou O, ex L (ou seja, nada). Estou com aulas atribuídas e inclusive 6 delas são PA (professor auxiliar). O governo “inventou” mais essa, só que ninguém sabe ao certo do que se trata. Perguntei a coordenadora sobre como deveria trabalhar e ela me disse que ainda não houve uma orientação sobre a função do PA. Como assim? E agora, as aulas de reforço, como será? Sou PA ou sou professora de reforço? Me deu um nó…
    Depois de ler essas declarações no Jornal só me resta desempenhar o meu papel de professora, porque pelo visto nem a chefia sabe o que está delegando…certamente!

    Responder
  • 47. Priscila  |  28/03/2012 às 19:29

    Bebel,
    caso um candidado não possa participar da atribuição,alguem pode pegar essas aulas para ele?

    Responder
    • 48. apeoesp  |  29/03/2012 às 15:47

      Prezada professora Priscila,
      Sim, com uma procuração simples.
      Bebel

      Responder
  • 49. Fabiana  |  28/03/2012 às 20:38

    Não recebi meu vale alimentação alimentação este mes, incoerente pq meu marido tendo as mesmas quantidades de aula recebeu normal, onde reclamar? Cara Bebel?

    Responder
    • 50. apeoesp  |  29/03/2012 às 15:46

      Prezada professora Fabiana,
      Não há nada na lei que retire este direito. Por favor, protocole um requerimento na escola, dirigido à CGRH (ex-DRHU), pedindo explicações. Com a resposta, ou se não houver resposta, procure o departamento jurídico na sua subsede.
      Bebel

      Responder
  • 51. ROSANA  |  28/03/2012 às 21:14

    OI! BEBEL

    ESTÁ PROVISIONADO O MEU PAGAMENTO O ATRASADO DE FEVEREIRO E MARÇO, DESCONTARAM R$213,00 E IMPOSTO DE RENDA.POR FAVOR QUAL É O PROCEDIMENTO PARA DEVOLUÇÃO DESTE VALOR.É UM ABSURDO ATRASARAM MEU PAGAMENTO E DESCONTARAM ESTE VALOR?

    GRATA!
    ROSANA

    Responder
    • 52. apeoesp  |  29/03/2012 às 15:38

      Prezada professora Rosana,
      Creio que, neste caso, não possibilidade de reverter o desconto, pois o IR incide sobre quaisquer valores pagos a alguém, de acordo com a faixa. Procure o departamento jurídico.
      Bebel

      Responder
  • 53. Edna  |  29/03/2012 às 02:01

    Boa noite, Bebel! O governo não se cansa de nos surpreender. Sou professora do Estado desde 1992. No dia 31/05/2007, a professora que eu susbtituia voltou para a sala de aula e eu fiquei sem as aulas numa quinta feira.Dia 02/06/2007 foi publicada a bendita lei complementar 1010/07 e como eu não estava em sala no dia 01/06 virei categoria “L” e agora categoria “O”. No demonstrativo de pagto de hoje a surpresa do dia, perdi meus quinquênios e minha evolução funcional. Questionada, a secretária da escola me disse que categoria “O” não tem direito a mais nada. Tenho uma ação para reverter esta situação desde 2009. A pergunta que tenho é: a Lei 1010/07 é constitucional?

    Responder
    • 54. apeoesp  |  29/03/2012 às 15:13

      Prezada professora Edna,
      Este procedimento da SEE é ilegal. Procure o departamento jurídico da sua subsede.
      Bebel

      Responder
    • 55. tais  |  29/03/2012 às 16:35

      Edna esta lei é inconstitucional,pois no meu processo para voltar a categoria F o desembargador diz que ela fere a Constituição Federal no artigo 37,nós que já temos vários anos no estado temos que escutar dos advogados que não há o que fazer…tem sim ir ao Ministério Público oferecer a denúncia de inconstitucionalidade se cada professor cat O for oferecer denúncia eles terão que se mobilizar…quando esse governo tiver que mexer com os 80 mil F quem sabe não volta tudo como era…

      Responder
  • 56. Fabi  |  29/03/2012 às 02:36

    Olá a todos.

    Meu sonho era ser professora nao importava em que rede municiapal, estadual ou até particular

    Acredito muito no poder da educação mas infelizmente a cada dia que passa me decepciono mais e mais com a realidade e esse meu sonho acabou por virar pó.

    Estou na rede há apenas dois anos e ja estou com imensa vontade de sair e vou sair pq infelizmente aqui no Brasil e principalmente no Estado de São Paulo o governo nos pressiona para muito sem nos dar o menor suporte.

    Gosto muito do que faço, amo todos os alunos os quais ensinei… todos mas infelizmente em uma empresa sou “melhor” compensada do que exercendo a profissão mais bela do mundo.

    Em uma empresa, por menor que ela seja, posso ser contemplada com beneficios tipo: FGTS, auxilio creche, vale refeição, vale alimentação, fretado, etc.

    Sendo professora tenho que ter pelo menos 2 cargos para poder ter uma grana para sobreviver, nao posso faltar para ter um bônus vinculado a uma prova.. (isso se for efetiva)

    Se eu for Cat. O nao tenho direito nem ao IAMSP recebo um vale de R$4,00 aos quais os criterios eu nem saei quais sao para receber. Ou ficar dois meses sem receber e não ter dinheiro nem para recarregar o bilhete único para trabalhar…

    Nossa são tantas coisas que chegam a serem ridiculas e é por isso que com muita pesar estou abandonando a carreira do magistério.

    Amo todos os professores que bravamente lutam, pra mim infelizmente nao da mais.

    Muita força e abraços a todos

    Responder
    • 57. apeoesp  |  29/03/2012 às 15:04

      Prezada professora Fabi,
      Sua decisão é drástica e sei que decisões como esta são de foro íntimo. Ninguém pode se arvorar o direito de dizer às pessoas o que fazer ou não em sua vida pessoal, pois você tem suas necessidades e precisa satisfazê-las com o seu trabalho. Apenas lamento que as coisas tenham chegado a este ponto.
      É incompreensível para mim que governantes que manifestam em seus discursos preocupação com a educação pública tratem os professores desta forma. Tratando mal os professores, também estão tratando mal os alunos e toda a sociedade, pois sabemos que a educação é a base do desenvolvimento.
      Vamos continuar a nossa luta. Vamos continuar perseverando, porque temos este compromisso e esta obrigação.
      Boa sorte.
      Bebel

      Responder
  • 58. marco antonio  |  29/03/2012 às 09:25

    São Paulo vai separar alunos atrasados das turmas regulares
    Secretário Estadual de Educação confirmou que estudantes que não aprenderam irão para reforço durante horário de aula

    Cinthia Rodrigues, iG São Paulo | 28/03/2012 18:29

    Notícia anterior Com professor bem formado e motivado, educação física não inova
    Próxima notícia Faculdade admite que estudantes antigos do Fies não tem desconto

    Texto:

    Foto: Guilherme Lara Campos/Divulgação Ampliar

    Voorwald: “Temos que conviver com a realidade. Se o menino não está acompanhando eu preciso tirar ele daquela sala de aula”

    A Secretaria Estadual de Educação de São Paulo vai formar turmas diferenciadas para alunos em recuperação. Os estudantes selecionados durante diagnóstico que ocorreu este mês deixarão de assistir às aulas nas turmas em que estão matriculados para fazer parte de grupos em recuperação no horário de aula.

    De acordo com o secretário Herman Voorwald já estão previstas ao menos 2 mil salas de “recuperação intensiva”, com serão chamados os grupos. Ele confirmou que estas turmas terão aulas durante o horário normal de aula em separado dos demais e, com isso, deixarão de ter o currículo do ano em que estão matriculados.

    “Tem gente que fala: mas nós estamos criando uma turma de alunos mais fracos? Bom, Eu preciso recuperar aquilo que ele não está aprendendo ou não aprendeu e não aprende. Então eu tiro, recupero durante um ano e ele volta”, disse Voorwald.

    Os professores das salas especiais, segundo ele, serão de Língua Portuguesa ou Matemática, mesmo nos casos do ciclo 2 do Fundamental (que vai do 6º ao 9º ano) e do Ensino Médio em que os estudantes têm normalmente entre cinco e 13 disciplinas.
    Qual sua opinião sobre a separação dos alunos em recuperação?
    Sou a favor. Eles terão mais chances de aprender em turmas menoresSou contra. Eles deixarão de ter o conteúdo daquele ano e poderão ser discriminados
    VotarVER RESULTADOS

    De acordo com o secretário, as recuperações no contraturno, que existiam até o ano passado tinham pouca audiência. Em algumas regiões, mais da metade dos estudantes convocados a ir à escola além do horário regular de aulas faltava. “Nosso entendimento é que a formação de turmas de recuperação deve ocorrer após detectada a deficiência. Antes, tínhamos turmas, professores recebendo e não estava funcionando”, afirmou.

    Leia também:

    Escolas da rede estadual de SP têm melhora tímida
    Prefeitura de SP vai investir na recuperação

    Ainda segundo ele poderá voltar a existir turmas de contraturno se uma série de critérios forem cumpridos. Ele afirma que está pronta uma norma que estabelece as condições para que isso ocorra. Será preciso, por exemplo, apresentar o nome dos alunos que poderão comparecer em horário diferente de sua matrícula. O documento deve ser publicado na terça-feira.

    As turmas de recuperação terão menos alunos por sala e no máximo 20. Elas haviam sido anunciadas em janeiro, mas não estava claro se o aluno ficaria mesmo sem as aulas regulares.

    Responder
    • 59. apeoesp  |  29/03/2012 às 14:37

      Prezado professor Marco Antonio,
      Pois é, já mudou de novo. Agora as escolas decidirão.
      Bebel

      Responder
  • 60. A.M.S.R  |  29/03/2012 às 11:42

    Bom dia,Maria Izabel eu estava na L e essa Lei injusta me colocou na categoria O,aos 22 anos de rede,Bebel verifiquei que no meu demonstrativo de fevereiro houve uma perda do meu salario base e outros direitos e vi no demonstrativo de abril que nao veio:o auxilio transporte,o auxilio alimentaçao .Bebel essa categoria tambem nao tem direito ao auxilio:alimentaçao e transporte?Existe erros?Oque fazer?Aguardo resposta

    Responder
    • 61. apeoesp  |  29/03/2012 às 14:28

      Prezado professor AMSR,
      A lei não faz menção à perda desses direitos. Você deve requerer explicações por escrito à CGRH (ex-DRHU) e, conforme a resposta, procurar o departamento jurídico na APEOESP, na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 62. Cristiane Salvador  |  29/03/2012 às 12:06

    Esta mensagem é direcionada ao Senhor Secretário da Educação

    Prezado Senhor,

    Gostaria de passar para o Senhor a grande tristeza que vai em meu coração, sou coordenadora, tive no decorrer do ano somente 4 faltas, trabalhei muitas vezes mais de 10 h por dia, atendi pais, atendi alunos, atendi professores, demos o sangue no ano de 2011. E mais uma vez vimos nosso trabalho jogado ao vento, mais uma vez não ganhamos um tostão de bonus…como continuar trabalhando???? Como incentivar esse professor que se matou de trabalhar, viveu saresp , e que vê seu colega ganhando feliz , pois foi premiado com a loteria do bônus. Pois é uma loteria, contamos com a vontade simplesmente do aluno de querer ou não fazer a prova. , nós que trabalhamos sério e que mostramos realmente o que é a escola ficamos a ver navios. Senhor Secretário, quando participei da reunião de Pólo com Vossa Senhoria, acreditei muito no Senhor, acreditava que mudaria essa maneira de bonificar as escolas, mas infelizmente continuou a mesma coisa. Olha o Senhor não sabe o que é trabalhar com professores desanimados, este ano será muito muito dificil, não valeu todas as minhas horas extras e quantas foram.Vocês deveriam colocar um relógio ponto na escola para verificar o quanto um Diretor e um Professor Coordenador ficam na escola, e para que? Para termos essa tristeza no coração como estamos tendo hoje. Senhor Secretário, como eu trabalhei, como os professores da minha escola trabalharam.Por Favor acabe com esse terror que é o bonus, não serve para nada, tanto que os resultados foram péssimos….bem desabafei e espero que este email chegue até o senhor, pois o Senhor tem o real conhecimento de como anda nossa educação e como esse bonus nos mata a
    os poucos.

    Prezada Bebel, mandei esse email para SEE

    Responder
    • 63. apeoesp  |  29/03/2012 às 14:16

      Prezada professora Cristiane,
      Parabéns pelo seu texto e pela iniciativa.
      Bebel

      Responder
  • 64. maria  |  29/03/2012 às 12:31

    bebel, por favor o professor categoria o pode ter falta abonada pela doacao de sangue? E se tem este direito quantasd faltas deste tipo ele pode ter ao ano? grata, maria

    Responder
    • 65. apeoesp  |  29/03/2012 às 14:12

      Prezada professora Maria,
      Reproduzo o que diz o decreto 54682, que regulamenta a lei complementar 1093/09:
      Artigo 18 – O contratado que no prazo de vigência do contrato faltar ao serviço poderá requerer o abono ou a justificação da falta.
      § 1º – Para fins do disposto no “caput” deste artigo, deve o contratado apresentar requerimento por escrito no primeiro dia útil subsequente ao da ausência, para deliberação da autoridade competente.
      § 2º – As faltas abonadas, até o limite de 2 (duas), durante o período contratual, não excedendo a uma por mês, não implicarão em desconto da remuneração.
      § 3º – As faltas justificadas, até o limite de 3 (três), durante o período contratual, não excedendo a uma por mês, implicarão na perda da remuneração do dia.
      § 4º – As faltas abonadas e as consideradas justificadas, pela autoridade competente, não serão computadas para os fins do disposto no inciso IV do artigo 8º da Lei Complementar nº 1.093, de 16 de julho de 2009.
      § 5º – A ausência do contratado será considerada falta injustificada ao trabalho no caso da não apresentação do requerimento de que trata o §1º deste artigo.
      Artigo 19 – A falta não abonada ou não justificada será considerada injustificada, não podendo exceder a uma no período contratual, implicando na perda da remuneração.
      Parágrafo único – Ultrapassado o limite de que trata o “caput” deste artigo, as faltas injustificadas serão consideradas descumprimento de obrigação contratual por parte do contratado, sendo aplicável a extinção contratual nos termos do artigo 8º da Lei Complementar nº 1.093, de 16 de julho de 2009.
      Artigo 19 – A falta não abonada ou não justificada será considerada injustificada, não podendo exceder a uma no período contratual, implicando na perda da remuneração.
      Parágrafo único – Ultrapassado o limite de que trata o “caput” deste artigo, as faltas injustificadas serão consideradas descumprimento de obrigação contratual por parte do contratado, sendo aplicável a extinção contratual nos termos do artigo 8º da Lei Complementar nº 1.093, de 16 de julho de 2009.
      Bebel

      Responder
  • 66. Rogério  |  30/03/2012 às 01:21

    Bebel Por favor!

    Estou com um problema sério em meu pagamento sou categoria O antigo L, peguei aula dia 1/02, e mesmo depois de muitos atrasos deveria receber em abril. Mas somente hoje minha secretaria disse que foi na DEE de campinas e a pessoa do pagamento disse que os papeis que mandaram estavam errados, ou seja, vou ficar mais 1 mes sem receber se não for mais,estou desesperado a secretaria da escola disse que não sabe qual foi o erro? e vai mandar manual agora, também disse que eu não sou o unico caso. Será que será possível haver folha suplementar em abril? E o que devo fazer apenas esperar? por q alem de me preocupar em dar uma boa aula agora tenho que cuidar papelada de secretaria? O que devo fazer Bebel? Acha que adianta entrar com ação? Ou ir direto na fazenda?

    Desde já agradeço pela resposta.

    Responder
    • 67. apeoesp  |  31/03/2012 às 04:39

      Prezado professor Rogério,
      Ingresse com requerimento exigindo imediata regularização. Este é o primeiro passo para eventual mandado de segurança individual. Esta alternativa, porém, pode demorar a produzir resultados.
      Bebel

      Responder
  • 68. Rogério  |  30/03/2012 às 01:28

    Uma coisa é ficar 1 mes sem receber, estava dando um geito. agora 4 meses sem receber é demais, não sem que cara olhar para meu filho, e minha esposa trabalho o dia todo, manha e tarde. O pessoal da minha escola esta querendo até fazer uma arrecadação para me ajudar, isso é clima para um professor dar uma boa aula?Vou ter que fazer emprestimo para pagar minhas contas só no Estado de SP isso acontece. Desculpe o desabafo pessoal.
    Socorro Bebel.

    Responder
  • 69. mimi  |  30/03/2012 às 14:40

    ola bebel,e verdade q foi aprovada uma lei q todo aposentado publico ou federal por invalidez,recebera a partir de agora proventos integrais?abs

    Responder
    • 70. apeoesp  |  31/03/2012 às 04:20

      Prezada professora Mimi,
      Sim, é verdade. Reproduzirei esta notícia aqui no blog. Já está em http://www.apeoesp.org.br.
      Bebel

      Responder
  • 71. Elis*  |  05/04/2012 às 15:48

    Minha esperança era de conseguir essas aulas, já q até agora ñ consegui nada… o desespero esta batendo forte..

    Responder
    • 72. Shirley Couto  |  05/04/2012 às 17:31

      Não é só em você, amiga… Há muitos em sua situação: desesperados!!!!

      Responder
  • 73. Shirley Couto  |  05/04/2012 às 17:30

    E quando entrarão essas aulas? A APEOESP não está cobrando do Governo?

    Responder
    • 74. apeoesp  |  05/04/2012 às 18:02

      Prezada professora Shirley,
      Cobramos diariamente.
      Bebel

      Responder
      • 75. Shirley Couto  |  05/04/2012 às 20:01

        Bebel, e o que eles dizem? Quando contratarão realmente? Bjs e obrigada por estar respondendo nossas dúvidas!

      • 76. apeoesp  |  10/04/2012 às 03:27

        Prezada professora Shirley,
        A informação que nos foi dada é que será publicada uma resolução nos próximos dias.
        Bebel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,831,336 hits

%d blogueiros gostam disto: