Conselho Estadual de Representantes da APEOESP aprova campanha para o segundo semestre

25/08/2012 at 14:24 41 comentários

Pela jornada do piso

 Contra a remoção ex-offício e a redução de disciplinas no ensino médio

 Pela dignidade na contratação e regime de trabalho dos professores da categoria “O”

O Conselho Estadual de Representantes da APEOESP, reunido em 24 de agosto, aprovou a continuidade da campanha sala­rial e educacional da APEOESP no segundo semestre, definindo assembleia estadual da categoria para o dia 28 de setembro e outros encaminhamentos e atividades para o próximo período.

Assembleia com paralisação

O CER decidiu que nossa categoria realizará paralisação no dia 28 de setem­bro, data da realização da assembleia, sob o lema “24 horas de braços cruzados pela jornada do piso. Contra a remoção ex-offício e a redução de disciplinas no ensino médio. Pela dignidade na contratação e regime de trabalho dos professores da categoria ‘O’.”

Prosseguir a luta por uma carreira justa e atraente

O CER aprovou a distribuição do Ca­derno nº 1 “Conversando sobre a Carreira”, elaborado pelos representantes da APEO­ESP na Comissão Paritária, professores Maria Izabel Azevedo Noronha (Presidenta) e Fábio Santos de Moraes (Secretário­-Geral), referendando assim as posições até então defendidas pela entidade naquela Comissão. O mesmo texto já havia sido aprovado na Diretoria Estadual Colegiada e foi base para os debates nas reuniões de Representantes do dia 16 de agosto, tendo sido referendado em 77 subsedes.

Como está expresso no próprio mate­rial que será reproduzido, a APEOESP tem reafirmado todas as reivindicações e posi­ções históricas da nossa categoria sobre a carreira e está lutando, por exemplo, pela redução dos interstícios, pelo reenquadra­mento e pela unificação da carreira em um único cargo de professor (Professor de Educação Básica). A fase atual, porém, é de regulamentação dos novos níveis e faixas criados pela lei complementar 1143/2011.

Pela jornada do piso

A luta pela implantação da jornada do piso (33% para atividades extraclasse, na perspectiva dos 50%) prossegue. Estamos atuando no Tribunal de Justiça de São Paulo, no Conselho Nacional de Justiça, no Superior Tribunal de Justiça, na Comissão Paritária e no Conselho Nacional de Educação para que a lei seja aplicada, ainda que de forma paulatina.

No Conselho Nacional de Educação, a Resolução CNE/CEB 9/2012, aprovada em julho, e que normatiza a aplicação da jorna­da de trabalho, está passando por processo de rediscussão tendo em vista propostas de alterações da CNTE, CONSED (entidade dos secretários estaduais de educação) e UNDIME (entidade dos secretários municipais de educa­ção). No dia 21 de agosto houve acordo quan­to ao encaminhamento e algumas mudanças, que serão discutidas em nova reunião a ser realizada em 13 de setembro (data indicativa). É mais uma frente que poderá reforçar nossa luta pela jornada do piso em SP, ao lado de ações individuais e coletivas (nos municípios) que temos vencido.

Saúde dos professores

A APEOESP realizará no dia 12 de setem­bro uma webconferência sobre o adoecimento profissional dos professores, com base em pesquisa realizada pelo Grupo Géia durante o nosso Congresso Estadual, em 2010. O adoecimento profissional é uma das consequ­ências da não aplicação da jornada do piso na rede estadual de ensino. A divulgação e discussão desta pesquisa ajudará a sociedade a compreender a justeza da nossa luta.

VI Marcha Nacional deEducação da CNTE

A aplicação da jornada do piso (piso salarial e jornada), juntamente com a ga­rantia da destinação dos 10% do PIB para a educação no Plano Nacional de Educação são os eixos da VI Marcha Nacional da CNTE, dia 5 de setembro, em Brasília, para a qual estão sendo organizadas caravanas da APEOESP em todas as macrorregiões.

Ensino Médio

Prosseguimos na luta contra as medidas da SEE em relação ao ensino médio de pe­ríodo integral. Não aceitamos a remoção ex-officio dos professores, a avaliação peri­ódica como condição para permanecer na escola, nem a imposição de quais escolas se tornarão de tempo integral, muitas vezes contra a vontade da comunidade.

Este é um dos assuntos que pretendemos discutir com o secretário da Educação em reunião no dia 12 de setembro. Caso não haja respostas a nossas reivindicações, prosseguire­mos a mobilização dos professores das escolas de ensino médio, realizando novo encontro estadual, manifestações e outras ações.

Reajuste salarial

Também está na pauta da reunião com o secretário no dia 12 de setembro a dis­cussão de nossas perdas salariais (36,74%) e a integralização do prometido reajuste de 10,2% para 2012, dos quais só recebemos 5,0%, tendo em vista que o governo incluiu no cálculo a incorporação da última parcela da GAM, que foi objeto de lei específica.

Encontros preparatórios à V Conferência Estadual de Educação

No dia 14 de setembro acontecerão os encontros preparatórios para a V Conferên­cia Estadual de Educação (“Bases para um Plano Estadual de Educação que atenda aos interesses dos filhos da classe trabalhado­ra”), que acontecerá em Serra Negra entre os dias 28 e 30 de novembro.

Estão sendo remetidos para as subsedes os cadernos contendo as contribuições das diversas correntes que atuam no nosso Sindicato, para subsidiar os debates que acontecerão nos encontros, que elegerão os delegados à Conferência. Será também enviado, conforme decisão do CER, um documento contendo informações sobre nossas reivindicações e as negociações com a SEE. Com base neste material, as subse­des devem aproveitar os encontros regionais para esclarecer e convocar a categoria para a participação na assembleia estadual, na perspectiva de uma greve se o governo não atender nossas revindicações

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

Qualidade da educação: os professores são mesmo despreparados? APEOESP ingressa com ações judiciais pelo direito à aposentadoria especial

41 Comentários Add your own

  • 1. lucivelo  |  25/08/2012 às 14:53

    “pela unificação da carreira em um único cargo de professor” Poderia explicar-me melhor como funcionaria esta unificação da carreira? Se queremos um plano de carreira com progressão salarial, onde entra esta única carreira?

    Responder
    • 2. apeoesp  |  25/08/2012 às 16:14

      Prezada professora Lucivelo,
      Simples. Que não haja uma ou duas carreiras para professor, outra para supervisor, outra para diretor etc. Que todos sejam professores, que podem assumir outras funções. As progressões e evoluções obviamente existirão, pois, do contrário, não se trataria de uma carreira.
      Bebel

      Responder
  • 3. Patricia  |  25/08/2012 às 18:05

    Bom dia Bebel, sei que minha dúvida nada tem a haver com o topico aqui em questão, porém por urgencia usei o mesmo….VC TERIA ALGUMA INFORMAÇÃO SOBRE ART 22 PARA OS INGRESSANTES DESSE ANO, JÁ QUE A REMOÇÃO NÃO FOI POSSÍVEL? PELO AMOR DE DEUS, ESTAMOS SENDO PREJUDICADOS DESDE O COMEÇO NA ESCOLHA, QDO DEPOIS AUMENTOU O NUMERO DE VAGAS PRINCIPALMENTE NA DISCIPLINA DE HUMANAS E QDO DA ESCOLHA NÃO HAVIA E FOMOS OBRIGADOS A ESCOLHER ESCOLAS LONGES E FORA DE NOSSOS INTERESSES…..POR QUE NÃO PODEMOS ENTRAR COM O ART.22? NÃO HÁ COMO REVOGAR ISSO? É FATO QUE MUITOS EXONERARAM POR CONTA DE TER QUE PERMANECER EM LUGARES DE DIFICIL ACESSO.,E ASSIM COMO EU NEM SEI MAIS O QUE FAZER….POR FAVOR TENTE INTERCEDER POR NÓS PARA QUE ALTEREM OU REVOGUEM ESSA LEI QUE TANTO NOS PREJUDICOU …

    GRATA. PATRICIA

    Responder
    • 4. apeoesp  |  29/08/2012 às 14:18

      Prezada professora Patrícia,
      Você deve procurar o departamento jurídico na sua subsede para receber orientações sobre ação individual.
      Bebel

      Responder
  • 5. David Nelson Araujo Campos  |  25/08/2012 às 21:37

    Desculpe-me, o assunto que vou tratar não tem nada a ver com tal problema. Passei no concurso na primeira chamada para a região do Centro, e não compareci. Fiquei sabendo, na semana passada, que haveriam vagas remanescentes que poderiam ser preenchidas por estes que por algum motivo faltaram. Como fico sabendo o que fazer, e aonde ir?

    Responder
    • 6. apeoesp  |  29/08/2012 às 14:16

      Prezado professor David,
      Esta possibilidade chegou a ser aventada, mas nada há de concreto até o momento.
      Bebel

      Responder
  • 7. Vilma  |  25/08/2012 às 22:38

    Cara Bebel,
    Sou efetiva; prestei o segundo concurso, passei, peguei o ponto. Prestei o terceiro, passei, queria o ponto, mas tive que escolher um cargo e estou fazendo o curso de formação.
    Estou com uma dúvida, depois de conversar com a secretaria da minha escola. Disseram que as regras mudaram, que vou ter que assumir, obrigatoriamente, o cargo, sob pena de ter que devolver até o dinheiro da bolsa.
    No folheto explicativo da Apeoesp referente ao concurso e escolha de vagas, resposta 4, diz:
    “Ainda que não pretenda assumir o cargo, tem o direito de fazer o curso e receber a bolsa de estudos…”
    Você sabe alguma coisa a respeito, visto que as informações estão desencontradas? Realmente tenho o direito de não assumir esse cargo sem prejuízo?
    Agradeço, grande abraço

    Responder
    • 8. apeoesp  |  29/08/2012 às 14:13

      Prezada professora Vilma,
      Essas regras vão mudar no próximo concurso. Para mais informações, ligue 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 9. Cássia  |  26/08/2012 às 00:48

    olá:
    o motivo da minha pergunta é de outra natureza. mas não encontrei espaço adequado. tenho duvidas sobre a evolução pela a via não academica. gostaria de saber se um professor tem direito ao pagamento dos atrasados dos últimos cinco anos. e, se positivo, como fazer para requerer. obrigado.

    Responder
    • 10. apeoesp  |  29/08/2012 às 14:12

      Prezada professora Cássia,
      Ele deve requerer. Procure o departamento jurídico na subsede para receber melhor orientação.
      Bebel

      Responder
      • 11. Cássia  |  01/09/2012 às 23:51

        obrigada.

  • 12. Prof. Clovis  |  27/08/2012 às 12:39

    Pela dignidade na contratação do Categoria O? Onde está a posição de ingresso pelo concurso público?

    Responder
    • 13. apeoesp  |  29/08/2012 às 13:47

      Prezado professor Clóvis,
      Esta posição está reafirmada em todos os nossos materiais. Mas há milhares de professores da categoria O em situação precária, sem quaisquer direitos. O que sugere neste caso. Abandoná-los?
      Bebel

      Responder
      • 14. Prof. Clovis  |  29/08/2012 às 17:00

        A continuação das contratações não resolve o problema. A recontratação para 2013 e um concurso classificatório e estabilidade como do F. Nunca mais contratações de temporários

      • 15. apeoesp  |  02/09/2012 às 00:33

        Prezado professor Clóvis,
        Nossa luta é pelo concurso público classificatório. Infelizmente não somos nós que decidimos e os professores da categoria O estão aí, em péssima situação. Estamos lutando por eles aqui e agora.
        Bebel

  • 16. Sergio  |  27/08/2012 às 13:30

    Bebel,que negócio é esse de redução de disciplinas?Vai sobrar novamente para os professores da áresa de humanas principalmente história,geografia,filosofia e socieogia.Estou correto ou não? Poderia me responder?

    Responder
    • 17. apeoesp  |  29/08/2012 às 13:52

      Prezado professor Sérgio,
      Não concordamos com esta “saída”, a mesma que a ex-secretária Rose Neubauer tentou em SP e derrotamos com uma greve em 2000. Não sabemos detalhes da ideia, pois não foram divulgados, mas não aceitamos a sua concepção.
      Bebel

      Responder
  • 18. Priscila  |  27/08/2012 às 16:22

    Bebel,
    Desculpe não comentar sobre o que se trata o artigo, mas um pânico tem se instaurado nas escolas em que trabalho essa semana. Todos estão muito confusos em relação à resolução de 15 de agosto sobre os professores auxiliares. O contrato será encerrado com o término do 3º bimestre? Dizem que as aulas serão reatribuidas nas UEs, mas e no caso dos “o” que têm apenas aulas de P.A. perderão o vínculo com o encerramento do contrato e suas aulas irão para atribuição na D.E.? Por que não foi dito isto antes de assinarmos a atribuição das aulas como aulas livres? A APEOESP fará alguma intervenção?
    Desde já agradeço.

    Responder
    • 19. apeoesp  |  29/08/2012 às 13:40

      Prezada professora Priscila,
      Este assunto nos preocupa também e está na pauta de nossa próxima reunião com o secretário.
      Bebel

      Responder
  • 20. Prof. Maurício  |  27/08/2012 às 16:41

    Olá Bebel.
    Fiz inscrição para o processo de remoção 2012, mas tive o pedido indeferido devido ao estágio probatório. Fiquei sabendo que a apeoesp entrou com recurso. Você pode me dizer em que pé anda esse processo?Obrigado

    Responder
    • 21. apeoesp  |  29/08/2012 às 13:39

      Prezado professor Maurício,
      No caso do estágio probatório, somente com açã o individual. Procure o departamento jurídico na sua subsede.
      Bebel

      Responder
  • 22. Antonio Carlos  |  28/08/2012 às 01:53

    Boa noite, gostaria de saber como estão as conversas com a secretaria estadual de educação em relação à reposição da paralisação de março. Nós vamos poder repor?

    Responder
    • 23. apeoesp  |  29/08/2012 às 13:30

      Prezado professor Antonio Carlos,
      O assunto está na pauta da nossa próxima reunião com o secretário da Educação, pois não houve resposta definitiva até o momento.
      Bebel

      Responder
  • 24. cris  |  28/08/2012 às 04:18

    Oi Bebel, participei da prova de merito, e li aqui mesmo que seriam pagos 10,5% para todos os aprovado!!! hoje em minha escola saiu um boato que a secretaria DA EDUCAÇÃOrecuou que só receberam 20% dos que passaram , procede os boatos??/
    \Grata cristina

    Responder
    • 25. apeoesp  |  29/08/2012 às 12:51

      Prezada professora Cris,
      Isto não passa de boato. A legislação prevê que todos recebam 10,5%.
      Bebel

      Responder
  • 26. lucivelo  |  02/09/2012 às 00:43

    Ou estabilidade ou concurso. As duas coisas são descabidas e um insulto a quem presta concurso e passa por todas as exigências legais, enquanto assiste à cat. F conseguir todos os mesmos benefícios sem passar pela mesma situação. É revoltante.

    Responder
    • 27. apeoesp  |  05/09/2012 às 14:51

      Prezada professora Lucivelo,
      A existência da categoria F não é “culpa” dos professores que a ela pertencem. Ela é resultado da inação do Estado na década de 90 e parte da década de 2000, deixando acumular um número exorbitante de professores temporários e, depois, em 2007, tentando simplesmente “jogar” esses professores para fora da rede, sem quaisquer direitos, alguns com uma ou duas décadas de serviços prestados à escola pública estadual.
      Nós, da APEOESP, não aceitamos isto e lutamos em defesa de todos os professores temporários. A única forma de assegurar os direitos desses professores foi considerá-los estáveis, tendo em vista a natureza permanente de seu trabalho. Infelizmente, uma parte deles, que não estava em efetivo exercício na data de vigência da lei, ficou de fora, tornando-se categoria L e, depois, categoria O, perdendo muitos de seus direitos. Esta é a realidade. Nosso sindicato trabalha em defesa dos professores e vai continuar a fazê-lo.
      Bebel

      Responder
  • 28. liane  |  02/09/2012 às 13:13

    O que é remoção ex-officio? Bjs

    Responder
    • 29. apeoesp  |  05/09/2012 às 03:31

      Prezada professora Liane,
      É a transferência do funcionário público contra a sua vontade, por determinação superior.
      Bebel

      Responder
  • 30. Sílvia B. O. Dorta  |  02/09/2012 às 17:59

    Olá Bebel, gostaria se possível que esclarecesse o seguinte. Ouvi dizer dos representantes do sindicato que a jornada será reduzida gradativamente. É verdade? No ano de 2013 ao invés de 32 serão 31 reduzindo dessa forma uma aula na jornada do professor? Obrigada.

    Responder
    • 31. apeoesp  |  05/09/2012 às 03:21

      Prezada professora Silvia,
      Tendo em vista que o governo alega dificuldades, inclusive uma possível falta de professores, estamos dispostos a negociar a implantação gradativa da jornada do piso.
      Bebel

      Responder
  • 32. Simone  |  05/09/2012 às 01:11

    Olá Bebel,

    Na última reunião com o secretário da educação, os que assistiram disseram que o secretário afirmou que não irá instituir a jornada, que se fizer isso, os professores correrão para as escolas particulares, ele pode simplesmente dizer que não irá cumprir a lei?

    Abraços,

    Simone

    Responder
    • 33. apeoesp  |  05/09/2012 às 02:40

      Prezada professora Simone,
      O secretário não pode descumprir a lei. O assunto está na Justiça e ainda temos muitas etapas a percorrer, além do fato de que a sentença no TJSP nos é favorável e o governo está apenas consingo postergar o seu cumprimento.
      Continuamos na luta e, se o secretário realmente disse isto, está comentendo um erro grosseiro.
      Bebel

      Responder
  • 34. Sílvia B. O. Dorta  |  07/09/2012 às 23:33

    Bebel agradeço sua atenção, é muito importante para nós termos alguém assim como você, sempre disposta e prestativa. Nada é em vão quando estamos juntos, torço para que a nossa jornada seja cumprida e que essa política do bônus seja mudada, pois é um descaso com os professores que trabalham o ano todo sem faltar, fazendo o possível e o impossível para que nossos alunos avancem, e ao invés de sermos valorizados pelo nosso trabalho durante todo o ano letivo, somos merecedores de um bônus cujo critério é ridículo. Isso acaba desmotivando os professores, pois todo ano é a mesma ladainha de sempre, Obrigada pelos esclarecimentos. Um abraço

    Responder
    • 35. apeoesp  |  08/09/2012 às 23:54

      Prezada professora Silvia,
      Esta é a nossa obrigação. O sindicato existe para lutar pelos direitos de todos os professores e professoras. Precisamos do apoio e da mobilização de todos. Assembleia dia 28 de setembro, 14 horas, Praça da República.
      Bebel

      Responder
  • 36. Mônica dos Anjos  |  08/09/2012 às 03:21

    Estive na reunião e ele disse que do jeito que a Apeoesp quer não tem como, e sim gradativamente.

    Responder
    • 37. apeoesp  |  08/09/2012 às 23:49

      Prezada professora Mônica,
      Na realidade, eu propus ao secretário que discutíssemos no âmbito da comissão paritária a implantação da jornada do piso de forma paulatina no médio prazo.
      Bebel

      Responder
  • 38. lucivelo  |  09/09/2012 às 01:05

    Quer dizer que, de acordo com a professora Silvia Dorta, professor que falta por estar doente, por precisar cuidar de um ente querido não é merecedor de nada? E a política do bônus, mudando-se os critérios, deve continuar exatamente por fazer acepção de professores? E ainda é obrigação da APEOESP apoiar este tipo de coisa?

    Responder
  • 39. Sílvia B. O. Dorta  |  19/09/2012 às 10:34

    Prof Lucivelo, o senhor não entendeu o que foi colocado. Quanto ao professor que falta por estar doente, sofre ainda mais o descaso do governo, pois além de sofrer injustiças em relação ao bônus, ainda corre o risco de ter sua licença negada, o que além de injusto é desumano, ou seja , nós professores estamos cansados dessa novela.

    Responder
  • 40. Rose Laine da Cunha Franchi  |  17/10/2012 às 12:21

    Saiu hoje no Do, resultado de mudança de faixa I para faixa II a partir de julho seria a prova do mérito?

    Responder
    • 41. apeoesp  |  20/10/2012 às 13:14

      Prezada professora Rose,
      Sim, é o resultado da prova de mérito.
      Bebel

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,854,049 hits

Comentários

apeoesp em
apeoesp em

%d blogueiros gostam disto: