APEOESP discute reivindicações da categoria com o Secretário da Educação

13/09/2012 at 12:25 111 comentários

Em audiência com o Secretário Estadual da Educação, realizada nesta quarta-feira, 12 de setembro, a diretoria da APEOESP reafirmou as reivindicações da nossa categoria, obtendo os encaminhamentos a seguir.

I – Reajuste salarial: queremos 36,74% e a recomposição do reajuste prometido para 2012

O Secretário informou que se en­contra em discussão na comissão salarial do governo proposta de reajuste salarial para os professores, mas não informou o índice que está em discussão.

Não abrimos mão da integralização do prometido reajuste de 10,2% em 2012, sendo que, efetivamente, os professores só receberam 5%, pois o índice restante se refere à incorporação da última parcela da GAM, definida em lei específica. Esta diferença, em valo­res atualizados, chega a 7,71 %. Além disso, vamos continuar lutando pela reposição das nossas perdas salariais acumuladas, que necessitam de um re­ajuste de 36,74% para serem repostas.

II – Secretário reafirma que negociará jornada do piso na comissão paritária

Questionado sobre a possibilidade de implantação progressiva da jornada do piso na rede estadual de ensino, o Secretário da Educação reafirmou que realizará esta discussão na comissão paritária da carreira na próxima etapa de seus trabalhos, após a regulamentação da lei complementar 1143/2011.

Lembramos que, ao mesmo tem­po em que estamos constantemente cobrando esta negociação, temos sentença favorável à nossa ação judicial no TJSP, ingressamos com ação no STJ (em Brasília), temos um processo no Conselho Nacional de Justiça contra a postura da 10ª Câmara de Direito Público do TJSP, sempre favorável ao governo estadual e, no Conselho Nacional de Educação, por meio de Parecer por mim elaborado, estamos dis­cutindo com a CNTE, MEC, CONSED e UNDIME a implantação da jornada do piso em todo o Brasil.

Trata-se de uma luta prioritária da nossa categoria, tendo em vista a valo­rização dos professores, sua formação continuada no local de trabalho e a qua­lidade da educação e vamos conduzi-la até a vitória.

III – Escola de formação não será mais etapa dos Concursos

O Secretário da Educação informou que haverá concursos para PEB I e PEB II. Entretanto, as vagas ainda estão sen­do levantadas e que, para a realização dos concursos, é necessário que seja aprovada alteração na lei complementar nº 1094/2009, para que o curso de for­mação deixe de ser etapa do concurso e passe a compor o estágio probatório. Ou seja, uma vez aprovado nas provas do concurso, e cumpridas as demais exigências legais, o professor concur­sado assume de imediato o seu cargo. Realizará o curso de formação durante o estágio probatório e será confirmado no cargo mediante avaliação.

A nova determinação atende proposta da APEOESP, formulada à SEE desde que foi aprovada a LC 1094/2009.

IV – Atribuição de aulas e férias repartidas: secretário garante que não haverá convocações em janeiro e julho

O Secretário informou que ainda não reuniu condições para realizar o processo de atribuição de classes e aulas em dezembro, como chegou a ser aventado. Entretanto, informou que a atribuição será realizada apenas na última semana de janeiro e que emitirá resolução definindo que não haverá convocação de professores no decorrer dos meses de janeiro e julho, garantindo assim as férias de janeiro até o início da atribuição e a integralidade do mês de julho como recesso escolar.

V – Aposentadorias (descontos de licenças e faltas médicas): PGE será convocada para reunião com as entidades

Mediante solicitação da APEOESP, mais tarde reafirmada pelas demais entidades do magistério, o Secretário informou que já solicitou reunião es­pecífica ao Procurador Geral do Estado para esclarecimentos sobre a posição da PGE às entidades. A data da reunião está sendo definida.

Como já foi noticiado, a APEOESP conquistou liminar em ação judicial pela direito dos professores readaptados à aposentadoria especial.

VI – Sexta-parte e quinquênios para os professores da categoria O: APEOESP ingressará com ação judicial

A diretoria da APEOESP apresentou ao Secretário a contradição existente sobre o direito dos professores da categoria O ao pagamento da sexta­-parte e quinquênios. O artigo 129 da Constituição do Estado determina o pagamento a todos, mas o artigo 11 da LC 1093/2009 diz que esses professores recebem sempre pelo padrão inicial, o que faz com que não sejam pagos quinquênios e sexta-parte a esses profissionais.

Diante da posição da Se­cretaria, no sentido de que nada poderia fazer para resol­ver esta questão, a APEOESP irá ingressar imediatamente com ação judicial para garantir estes direitos.

VII – Faltas da greve: Secretário mantêm-se intransigente

A APEOESP cobrou do Secretário da Educação uma posição sobre a retirada das faltas da greve de março, mediante a reposição das aulas. Em resposta, o Secre­tário disse que não pretende retirar as faltas. Entretanto, esta questão continuará figurando na nossa pauta e vamos insistir e continuar pressionando o governo para que nos assegure esse direito legítimo.

VIII – Ação judicial contra o projeto de escola de período integral do governo

Mais uma vez insistimos com o Se­cretário da Educação para que cumpra seu compromisso de retirar do projeto de escola de ensino médio integral a remoção ex-officio dos professores efetivos das unidades escolares onde o projeto é implantado, pois é direito do professor, concursado e que escolheu aquela unidade, ali permanecer.

Deixamos claro que não somos contrários à escola de tempo integral, que é bandeira histórica dos educa­dores, mas não aceitamos um projeto que retira direitos dos professores e dos próprios estudantes, que também podem ser transferidos para outras escolas se não quiserem aderir ao projeto.

Reafirmamos, ainda, que não acei­tamos avaliações periódicas para que os professores possam permanecer na escola, bem como queremos melhor definição dos critérios para a escolha das escolas, pois em muitos casos a SEE tem imposto o projeto, mesmo sem o apoio da maioria absoluta da comunidade.

Neste ponto o Secretário limitou-se a informar que o projeto será amplia­do também para outras escolas, além daquelas de ensino médio, passando a palavra para a assessora Valéria Souza, coordenadora do projeto. Ignorando todas as conversas anteriores e, inclu­sive, o compromisso assumido pelo Secretário de retirar a remoção ex­-offício e também a avaliação periódica, a assessora simplesmente reafirmou o projeto tal como se encontra.

Desta forma, não restou outra alternativa à APEOESP que não a ação judicial, pois a forma de contratação que está sendo imposta é inconstitucional, além de outros direitos que estão sen­do feridos. Nas próximas horas nossa entidade ingressará com esta ação no Tribunal de Justiça.

Queremos a escola de tempo in­tegral, inclusiva e de qualidade como um avanço educacional e não como forma de retirar direitos de professores e estudantes.

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

SEE anula comunicado que determinava o desligamento dos professores auxiliares no final de setembro TODO MUNDO LÁ!

111 Comentários Add your own

  • 1. liane  |  13/09/2012 às 13:00

    Bebel
    Quem já está fazendo a escola de formação para ingressar no ano de 2013, esse professor pode pedir remoção a partir de quando?

    Responder
    • 2. apeoesp  |  14/09/2012 às 12:45

      Prezada professora Liane,
      Pela vontade do Estado, somente após o estágio probatório. Vamos ingressar com ação judicial mediante o indeferimento da remoção, quando ocorrer.
      Bebel

      Responder
  • 3. Prof. Oswaldo  |  13/09/2012 às 13:45

    Bom dia, Bebel! Sobre o reajuste salarial declarado pelo secretário, ele disse para quando seria? E você, tem alguma previsão? Sem mais agradeço.

    Responder
    • 4. apeoesp  |  14/09/2012 às 12:44

      Prezado professor Oswaldo,
      O secretário não falou de prazo. Sabemos que qualquer reajuste necessita aprovação da Assembleia Legislativa.
      Bebel

      Responder
  • 5. lucivelo  |  13/09/2012 às 14:35

    “Ou seja, uma vez aprovado nas provas do concurso, e cumpridas as demais exigências legais, o professor concur­sado assume de imediato o seu cargo. Realizará o curso de formação durante o estágio probatório e será confirmado no cargo mediante avaliação.”
    PODERIA DIZER EM QUE MOMENTO O PROFESSOR APROVADO E EM PLENO TRABALHO VAI FAZER O CURSO? DEPOIS DA MEIA-NOITE? E SE VAI OBRIGAR A FAZER O CURSO, VAI HAVER REMUNERAÇÃO OU VOCÊS AJUDARAM A ACABAR COM ISSO TAMBÉM? QUEM OBRIGA, PAGA, É MAIS DO QUE JUSTO, MAS PARA O SINDICATO ISSO É O QUE, ROUBO? O PROFESSOR PASSA EM CONCURSO, POR TODAS AS EXIGÊNCIAS, TRABALHA, FAZ CURSO E NÃO É REMUNERADO POR ISSO? É JUSTO, É COERENTE, É DECENTE PARA COM O PROFISSIONAL???

    Responder
    • 6. apeoesp  |  14/09/2012 às 12:42

      Prezada professora Lucivelo,
      O professor já faz o curso em pleno trabalho. A quase totalidade dos professores que prestam concurso no Estado, ou já ministra aulas ou trabalho em outras profissões. Não faz nenhum sentido haver remuneração para que um professor faça um curso e, depois, não assuma o cargo, como tem ocorrido. Queremos salários dignos e o uso incorreto dos recursos públicos. Entretanto, todos os que leem este blog estão acostumados: você nunca tem uma palavra de concordância com o sindicato.
      Bebel

      Responder
  • 7. `Paulo  |  13/09/2012 às 15:47

    Olá Bebel,
    Sou PEB II em estágio probatorio e gostaria de saber se nesta situação é permitido o afastamento para atuar nos CEEJAs.
    GRato pela atenção
    Paulo

    Responder
    • 8. apeoesp  |  23/09/2012 às 12:27

      Prezado professor Paulo,
      Não encontrei na legislação nada que impeça. Para mais esclarecimentos, ligue para 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 9. Prof. Clovis  |  13/09/2012 às 18:03

    Novamente promessas, promessas, liminares, liminares…Chega de cafezinho. Vamos a luta. Estamos ficando mais pobres e mais doentes a cada dia. Chega.

    Responder
    • 10. apeoesp  |  14/09/2012 às 12:34

      Prezado professor Clóvis,
      Sim, professor, vamos à luta. Temos assembleia estadualllll no dia 28 de setembro, às 14 horas, na Praça da República. Espero vê-lo lá, com todos os professores da sua escola, pois a assembleia é com paralisação.
      Bebel

      Responder
  • 11. Ricardo  |  13/09/2012 às 19:59

    No caso da Escola de Ensino Médio Integral, houve professores que não queriam se remover de suas Unidades Escolares e acabaram forçados pela ameaça do ex-offício a se remover. Caso haja uma decisão favorável terão o direito de rever essa remoção, quase que “obrigatória”?

    Responder
    • 12. apeoesp  |  14/09/2012 às 12:27

      Prezado professor Ricardo,
      Nossa ação pede isto.
      Bebel

      Responder
      • 13. Ricardo  |  20/09/2012 às 12:47

        Legal, os gestores que participaram da última reunião sobre o Projeto na SEE, estão dizendo aos professores nas escolas que a APEOESP está do lado da SEE na implantação do Projeto, segundo eles isso veio nas falas da própria Valéria.

      • 14. apeoesp  |  21/09/2012 às 10:16

        Prezado professor Ricardo,
        Não somos contra o ensino de tempo integral, mas nossas ações demonstram de que lado estamos.
        Bebel

      • 15. Ricardo  |  21/09/2012 às 15:16

        Eu também não sou contra o Ensino de Tempo Integral, entendo o que a entidade está fazendo e a luta por nossos direitos, mas o discurso da SEE confunde. Outra coisa chegou nas futuras EMI um papel dizendo sobre a análise de perfil, onde um dos ítens de avaliação é “mau comportamento”, vocês já estão cientes desse ítem?
        Abraços.

      • 16. apeoesp  |  21/09/2012 às 15:36

        Prezado professor Ricardo,
        Vou passar esta informação ao departamento jurídico para que seja incorporada à nossa ação.
        Obrigada.
        Bebel

  • 17. Flavia  |  13/09/2012 às 23:55

    olá Bebel, obrigada por nos deixar sempre bem informados.Sou professora auxiliar e gostaria de saber até quando vamos ter estas aulas atribuidas.Obrigada.

    Responder
    • 18. apeoesp  |  14/09/2012 às 12:26

      Prezada professora Flávia,
      Ficam valendo as regras anteriores. Cabe ao Conselho de Escola decidir pela dispensa, se concluir que o trabalho do professor auxiliar (que é voltado apenas para a recuperação contínua) não é mais necessário.
      Bebel

      Responder
  • 19. katita  |  14/09/2012 às 01:43

    Bebel, boa noite! Será que podemos acreditar nas respostas dadas pelo Sr secretário….a nossa jornada será que no próximo ano sai mesmo que parcial ….não consigo acreditar nas manobras do governo e na cara de paisagem que nossos governantes fazem quanto a lei do piso!
    UM ABRAÇO E MUITA FORÇA!

    Responder
    • 20. apeoesp  |  14/09/2012 às 12:19

      Prezada professora Katita,
      Fazemos bem em não confiar. O Secretário e sua equipe, no mais das vezes não cumprem as promessas. Temos que nos organizar e nos mobilizar. Somente assim poderemos conquistar vitórias.
      Bebel

      Responder
  • 21. Maria  |  14/09/2012 às 01:57

    PREZADA BEBEL!
    PRIMEIRAMENTE GOSTARIA DE AGRADECER PELAS CONQUISTAS. EM SEGUNDO, SOU PROFESSORA EFETIVA E TENHO FIBROMIALGIA, EXISTE ALGUMA LEGISLAÇÃO QUE TRATA SOBRE ESSA DOENÇA EM FUNCIONARIOS DO ESTADO? POSSO ENTRAR COMO READAPTADA?

    Responder
    • 22. apeoesp  |  14/09/2012 às 12:17

      Prezada professora Maria,
      Pesquisei, mas não encontrei lei específica no Estado de SP para essa doença. Por favor, ligue para 11.33506214 ou procure o departamento jurídico na sua subsede. Eles podem lhe fornecer uma melhor informação.
      Bebel

      Responder
      • 23. Danilo  |  15/09/2012 às 22:22

        Boa noite Bebel …. !!

        Sou do interior de sp .. casa branca, há um forte boato, de que as péricias médicas, serão feitas em outras cidades, tipo campinas , e não mais nas cidades onde mora o servidor, tem alguma informação a respeito ? Se for verdade , vai ficar muito dificil uma pessoa doente que passava na périca na sua propria cidade se locomover a outra muito mais distante.

        Danilo..

      • 24. apeoesp  |  18/09/2012 às 02:52

        Prezado professor Danilo,
        Infelizmente, isto ocorre. Lutamos para que as perícias sejam realizadas o mais descentralizamente possível, mas elas são realizadas nas maiores cidades. Muitos candidatos do interior, inclusive, precisam vir ao DPME na capital para fazê-la. Informe-se na sua DRE sobre o local da sua perícia.
        Bebel

  • 25. lucivelo  |  14/09/2012 às 14:38

    Se vocês fizerem algo com o qual eu concorde, tudo bem!!! Você não respondeu: por que é MAU USO do dinheiro PAGAR PARA PROFESSOR ESTUDAR E SE COMPROMETER OBRIGATORIAMENTE??? O estado já não nos lesa o suficiente, precisa da AJUDA DE VOCÊS PARA impedir que professor receba legitimamente??????VOCES ESTÃO, EM OUTRAS PALAVRAS, DIZENDO QUE PROFESSOR ROUBA O ESTADO???? COMO POSSO CONCORDAR COM UM SINDICATO QUE NÃO COMUNGA COM PROFESSORES? SAIBA VOCÊ TAMBÉM QUE TRANSMITO A FALA DE MUITOS PROFESSORES QUE NÃO FAZEM PARTE DA MAIORIA QUE COMENTA NESTE BLOG.

    Responder
    • 26. apeoesp  |  18/09/2012 às 03:14

      Prezada professora Lucivelo,
      Opinião é bom porque cada um tem a sua. Considero sua posição muito equivocada, pois não queremos bolsas, queremos salários decentes e lutamos por isso. Queremos carreira justa e atraente e lutamos por isso. Queremos que os professores tenham licença remunerada para aprimorar sua formação e lutamos por isso. Se você acha que o sindicato não comunga com os professores é sua opinião, mas não a dos milhares de professores que nos reelegeram para continuar dirigindo a entidade.
      Bebel

      Responder
  • 27. lucivelo  |  14/09/2012 às 14:55

    Ah, ia me esquecendo, o professor aprovado ainda vai ser OBRIGADO A PASSAR NA PROVA que será OBRIGADO A FAZER, depois de PASSAR NO CONCURSO!!! Grande negociação você fez, Bebel!! PARABÉNS!!

    Responder
    • 28. apeoesp  |  18/09/2012 às 03:15

      Prezada professora Lucilevo,
      O professor jé é obrigado a passar na prova depois de passar no concurso. Pior, se não passar na prova, não toma posse. Queremos que o professor tome posse, passe a trabalhar e que o curso e a prova tenham a ver com sua prática, objetivo do estágio probatório.
      Bebel

      Responder
      • 29. Marisa  |  10/04/2013 às 22:58

        Bebel, vc deve saber que quem nos avalia é o diretor, que muitas vezes, sequer sabe nosso nome, esse é meu caso. Será esse tipo de diretor que irá me avaliar? Nesse caso prefiro fazer a prova, com certeza será mais justo!!

      • 30. apeoesp  |  12/04/2013 às 18:55

        Prezada professora Marisa,
        Não entendi ao que está se referindo. A APEOESP não está propondo que o diretor avalie o professor e nem aceitará este tipo de avaliação.
        Bebel

  • 31. Marcos Roberto  |  15/09/2012 às 00:18

    Olá Isabel,
    Sou professora contratada, categoria O, desde agosto de 2011, tive aulas atribuídas durante todo esse período. Como estamos em processo de inscrição para atribuição, gostaria que você me orientasse a respeito. Fiz minha inscrição no gdae, está confirmada, porém nas orientações dada pela Diretoria de ensino, a mesma diz, que professor categoria O, que terá seu exercício interrompido em 2013, deverá levar sua documentação na diretoria, a secretária da escola onde leciono, insiste em dizer que não precisa, que professor com aula atribuída a escola mesmo faz. Enfim, gostaria de saber quanto tempo pode durar o contrato de um professor categoria O? Não preciso mesmo levar minha documentação? O período é até dia 17/09, e se eu perder o prazo? Pertenço a Diretoria de Ensino Leste 1. Agradeço desde já sua atenção.
    Att.
    Marcos

    Responder
    • 32. apeoesp  |  18/09/2012 às 03:10

      Prezado professor Marcos,
      Seu contrato está prorrogado até agosto de 2012. Você fará a atribuição de aulas, mas terá que se afastar por 40 dias no final do contrato. Quanto à documentação, por ora a escola poderá providenciar, mas na nova contratação você terá que levá-los novamente.
      Informe-se melhor pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 33. Reginaldo  |  15/09/2012 às 03:27

    BEBEL BOA NOITE,
    NA REFORMULAÇÃO DA LEI 1093, SALVO ERRO, FOI FALADO A RESPEITO DA REMOÇÃO NO ESTÁGIO PROBATÓRIO?FUI EXTREMAMENTE PREJUDICADO, POIS TENHO UNIÃO DE CONJUGE, SERIA O PRIMEIRO EM MINHA CIDADE, QUE POR SINAL TINHA UMA VAGA, PORÉM MINHA REMOÇÃO FOI INDEFERIDA. ESTOU AGUARDANDO O MANDADO DE SEGURANÇA COLETIVO….ESPERO QUE GANHAREMOS…POIS INJUSTIÇAS FORAM INCONTÁVEIS NESSE PERÍODO, MESMO PORQUE ESTOU HÁ 500 QUILÔMETROS DA MINHA CASA…OS GASTOS…NEM SE FALAM….AINDA MAIS PARA QUEM TEM FAMÍLIA….
    UM ABRAÇO

    REGINALDO…

    Responder
    • 34. apeoesp  |  18/09/2012 às 03:07

      Prezado professor Reginaldo,
      Creio que há um equívoco. A lei 1093/2009 trata da contratação dos professores da categoria O e não se refere a remoção. Você deve procurar o departamento jurídico, na sua subsede, para ajuizar ação individual.
      Bebel

      Responder
  • 35. dirceu  |  15/09/2012 às 04:32

    encontra-se em discussão na comissão salarial do governo proposta de reajuste salarial para os professores, índice não informado.
    blá blá blá blá blá blá………e voce acreditou? não informou índice, não sabe se será aprovado, isso se chama tapeação. canto da sereia, o professor precisa ser valorizado, ele é a alma do processo educativo. e é tratado como item de menor importancia preocupam-se mais com merenda escolar, instalações, matrículas, reformas, capacitação e deixam de lado aquele que pode de fato melhorar a educação concordo um pouco com a frase que cada país tem a educação que merece o secretario deveria ir nas escolas, assistir aulas, observar, conversar com professores não com coordenadores e diretores e depois propor a solução caso o governo nao aprovasse deveria pedir demissao imediatamente. é minha opinião.

    Responder
    • 36. apeoesp  |  18/09/2012 às 03:05

      Prezado professor Dirceu,
      Nossa função, como representantes dos professores, é nos reunir com o secretário, apresentar reivindicações, lutar por elas e informar à categoria. Não considero bom procedimento você ser desrepeitoso com quem lhe dá informação, por não gostar do que leu. Me sinto incomodada com a expressão “e você acreditou?”, pela qual você tentar parecer superior. Para seu governo, professor, não acreditei nem deixei de acreditar, pois minha obrigação é ouvir, transmitir a informação e organizar a luta dos professores. Por isso temos assembleia estadual agendada para o dia 28 de setembro, às 14 horas, na Praça da República. E com paralisação. Portanto, espero que você contribua com a luta, ajudando a paralisar a sua escola e engrossando a nossa assembleia, pois é na luta que se conquistam as vitórias. Senão, eu poderia perguntar: voê acredita mesmo que o secretário vai visitar escolas, assistir aulas, conversar com professores etc e tal e que, caso o governo não aprove suas propostas, pedirá demissão imediatamente?

      Responder
      • 37. dirceu  |  18/09/2012 às 22:43

        desculpe nao foi minha intenção desrespeitar nem parecer superior é que estamos cansados de tanta enrolação do governo
        ontem no debate um candidato propôs salario de 4000 reais para professor municipal de sao paulo continuo acreditando na apeoesp embora nas reuniões de RE tem-se dito que a ArtSind esta do lado do governo obrigado nao quis ofender a apeoesp nem vc Bebel um abraço

      • 38. apeoesp  |  19/09/2012 às 13:11

        Prezado professor Dirceu,
        Aceito suas desculpas, porque sei que estamos todos estressados com tantos ataques.
        Quanto às acusações que fazem contra a Artsind, digo apenas que alguns grupos vivem em permanente campanha eleitoral. Eles apostam sempre no pior e acusam a Artsind por aquilo que o governo apronta, em vez de esclarecer a categoria e ajudar a mobilização.
        Bebel

  • 39. Rubens  |  16/09/2012 às 10:45

    Olá Bebel, tudo bem? Quero dar os parabéns a você e a sua equipe que como sempre as informações de primeiro momento acontecem. Percebo aqui em seu blog que certos professores são incompreensiveis com relação aos fatos que acontecem com a interferencia da APEOSP, porém, não se agrada à todos não é Bebel. Se agradadou a maioria já esta muito bom. Bebel, gostaria de saber sobre a prova de mérito, quando sairá o resultado e qual o motivo de não poder entrar com recurso com relação a prova dissertativa. Obrigado e um grande e forte abraço.

    Responder
    • 40. apeoesp  |  18/09/2012 às 02:46

      Prezado professor Rubens,
      Obrigada pelas suas palavras. Fazemos todos os esforços possíveis em defesa da nossa categoria. Infelizmente não temos a caneta do secretário da Educação ou do governador para resolver todos os problemas.
      Quanto à prova de mérito, ainda não conseguimos obter uma explicação para demora nos resultados, exceto quanto ao volume de provas.
      Em relação à prova dissertativa, acredito que voc~e tem direito a recurso, ainda que seja pela via judicial. Procure a sua subsede.
      Bebel

      Responder
  • 41. Silvio  |  17/09/2012 às 03:09

    Olá Bebel . Parabéns pela luta….gostaria de saber como está a legislação referente ao artigo 22: que pedir artigo 22, é obrigado a ir mesmo se as aulas não interessar? eu posso pedir para qualquer DE ou só a DE na qual sou vinculado? Aguardo retorno contando com a atenção de costume abraços.Silvio

    Responder
    • 42. apeoesp  |  23/09/2012 às 12:20

      Prezado professor Silvio,
      Diz o artigo 10 da Resolução 57/2011:
      Art. 10 – o integrante do Quadro do Magistério, quando exercer substituição ou responder pelas atribuições de cargo vago ou de função retribuída mediante “pro-labore”, em unidade diversa à de seu órgão de classificação, não fará jus à percepção de ajuda de custo, diárias ou trânsito, conforme dispõe o artigo 11 do Decreto 24.948/86.

      Art. 11 – o designado nos termos desta resolução não poderá desistir da designação para concorrer à nova atribuição, no mesmo ou em qualquer outro órgão/unidade.

      Parágrafo único: a desistência, por qualquer outro motivo, deverá ser feita de próprio punho pelo designado, declarando estar ciente do disposto no

      Diz o Artigo 7º, inciso II, do Decreto 53037/2008:
      Artigo 7º – A substituição durante o impedimento legal e temporário de outro titular de cargo ou o exercício de cargo vago, do Quadro do Magistério, de que trata o artigo 22 da Lei Complementar nº 444, de 27 de dezembro de 1985, dar-se-ão mediante designação do servidor em exercício, atendidas as condições previstas neste decreto e nas demais normas regulamentares, ficando impedidos de participar da atribuição de vaga os interessados que:

      I – tiverem sofrido penalidades, por qualquer tipo de ilícito, nos últimos 5 (cinco) anos;

      II – tiverem desistido de designação anterior, ou tiveram cessada essa designação, por qualquer motivo, exceto pela reassunção do titular substituído, nos últimos 3 (três) anos;

      Não encontrei impedimento para solicitar a inscrição pelo artigo 22 em qualquer diretoria de ensino.
      Para mais informações, ligue para 11.33506214.

      Bebel

      Responder
  • 43. liane  |  17/09/2012 às 03:23

    Bebel
    O Estágio Probatório é de quanto tempo?
    Podemos pedir remoção a partir de quanto tempo?
    Para quem vai ingressar em 2013 poderá pedir o Art.22 já para o primeiro ano de ingresso? Caso a resposta seja sim, quando poderei pedir esse art.22?
    Obrigada pela atenção!

    Responder
    • 44. apeoesp  |  18/09/2012 às 02:37

      Prezada professora Liane,
      O estágio probatório é de 3 anos. Para ter direito a remoção você precisa ingressar com ação judicial. Procure a sua subsede.
      Bebel

      Responder
  • 45. Edinéia Silva  |  17/09/2012 às 20:16

    Olá Bebel, em primeiro lugar gostaria de agradecer pela sua atenção.
    Sou categoria “O” e gostaria de saber se tenho direito a evolução funcional não acadêmica. Terminei um curso de especializão e gostaria de apresentar a certificação na escola.
    Se eu tiver direito, já posso apresentar? Tenho 3 anos de serviço na Rede Pública.
    Abraço!

    Responder
    • 46. apeoesp  |  18/09/2012 às 02:33

      Prezada professora Edinéia,
      É provável que o Estado não lhe reconheça este direito. Porém, você deve ingressar com o pedido e, diante da negativa, procurar o departamento jurídico para ajuizar ação, pois nós, da APEOESP, consideramos que você tem o direito a esta evolução.
      Bebel

      Responder
  • 47. San  |  17/09/2012 às 22:29

    Boa Noite,
    Gostaria de um esclarecimento: Sou professora efetiva com jornada de 24 aulas semanais, trabalho de segunda a quinta para cumprir minha jornada. Semana passada o Diretor da Escola convocou professores para comparecerem em reunião sobre o Saresp, como já havia cumprido minha jornada não compareci na sexta feira pois não tenho aula. Como não se trata de convocação expressa em Diário Oficial e tendo eu já cumprido minha jornada o Diretor colocou-me falta na sexta alegando que se trata de convocação e não compareci. Isto está correto? Caso não esteja, quais respaldos legais posso argumentar para que ele tire essa falta?

    Grata,

    Responder
    • 48. apeoesp  |  18/09/2012 às 02:31

      Prezada professora San,
      A avaliação do SARESP consta do calendário escolar, publicado em Diário Oficial. Entretanto, você pode procurar uma saída jurídica. Procure a sua subsede. Informe-se melhor pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
      • 49. San  |  18/09/2012 às 09:47

        Olhei o calendário e não tem esta data prevista em nenhum local, o dia 14.09 consta como “dia de efetivo trabalho escolar”(assinalado com asterisco), e para tornar válida a minha falta entendo que o calendário deveria ser mudado antecipadamente ao fato e devidamente aprovado pelo Conselho de Escola e homologação da DE, como isto não foi feito posso usar como argumento?

        Grata,
        San

      • 50. apeoesp  |  19/09/2012 às 13:28

        Prezado professor San,
        Por favor, entre em contato com o telefone 11.33506214 e solicite orientações.
        Bebel

  • 51. henrique  |  18/09/2012 às 11:56

    BLa bla bla …. a história se repete e quase nada de concreto que dignifique os trabalhadores da educação, a educação, os alunos excluidos de uma boa educação …. Quando isso vai mudar???

    Será que já chegamos no fundo da fossa?
    – Isso ja sabemos!

    Só falta um genocídio do professorado para que alguem surja das cinzas, para mudar esse rumo!

    Seja como for Bebel, contamos com a APEOESP que nos represente com muita sobriedade nessa era de “tempestades” que estamos vivendo. Obrigado Bebel.

    Responder
    • 52. apeoesp  |  19/09/2012 às 13:24

      Prezado professor Henrique,
      Sim, é muito difícil negociar com um governo autoritário, mas não perdemos a esperança e a capacidade de lutar. Vamos todos juntos e chegaremos lá. Assembleia no dia 28 de setembro, ás 14 horas, na Praça da República.
      Bebel

      Responder
  • 53. liane  |  18/09/2012 às 12:49

    Bebel
    Quero te agradecer pelas respostas e dedicação com a nossa categoria. Sei que é uma missão muito difícil e que uma andorinha sozinha não faz verão. Continue sempre disposta e confiante. Obrigada.

    Responder
    • 54. apeoesp  |  19/09/2012 às 13:23

      Prezada professora Liane,
      Muito obrigada. A união e mobilização de todos é fundamental.
      Bebel

      Responder
  • 55. Cleber  |  18/09/2012 às 14:47

    É isso aí Bebel, estamos na luta e dela não sairemos!
    Bebel estou em estágio probatório desde 02/2012. Sou doador de sangue regular desde os 18 anos de idade, porém fui informado na escola que o atestado de doação de sangue pode prejudicar o meu desempenho e consequentemente diminuir minha pontuação no estágio probatório. Você sabe me informar se esta informação está correta?

    Grato!

    Responder
    • 56. apeoesp  |  19/09/2012 às 13:20

      Prezado professor Cléber,
      Sim, mas você pode contestar. Entre em contato com o departamento jurídico ou ligue para 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 57. Luciana  |  18/09/2012 às 17:45

    Bebel..por favooor..me efetivei este ano..tenho pelo menos direito ao Art. 22? Obrigada

    Responder
    • 58. apeoesp  |  23/09/2012 às 12:06

      Prezada professora Luciana,
      Somente pela via judicial. Ligue para 11.33506214 para mais orientações.
      Bebel

      Responder
  • 59. Marcelo  |  19/09/2012 às 01:56

    Prezada Bebel-
    Sou cat O, assinei contrato em abril/12 como professor auxiliar queria saber como ficara para o ano de 2013, a minha situação quanto a quarentena.
    A quarentena nao seria em jan nas férias?

    Obrigado

    Responder
    • 60. apeoesp  |  19/09/2012 às 13:04

      Prezado professor Marcelo,
      A quarentena ocorre no fim do seu contrato, que pode ainda ser prorrogado por mais um ano.
      Bebel

      Responder
  • 61. Prof. Regina  |  19/09/2012 às 04:06

    Bebel infelizmente a reunião que vc foi não serviu em nada,pois percebo que nada de concreto ficou acertado,vc não sabe se quer o valor se tiver aumento,sendo que o reajuste errado que foi prometido da outra vez não foi cumprido,a lei do piso vai fazer aniversário e vejo que vai ficar adolescente e nada vai se resolver,nada de implantar,faltas da greve,o sindicato incentivou a categoria e os coitados dos professores estão ai com faltas,nada foi resolvido… SÓ SEI QUE DAQUI A ALGUNS ANOS ACABA SEU MANDATO,VC RECEBEU POR ESTE TEMPO TODO SALÁRIO DE PRESIDENTE DE SINDICATO,MOTORISTA PARTICULAR,HOSPEDANDO EM APARTAMENTO NO MELHOR QUARTO DA CASA DOS PROFESSORES E DEPOIS VAI PARA OUTRO CARGO E NÓS POBRES PROFESSORES CONTINUARES AQUI,COM ESTE SALÁRIO DE DAR VERGONHA… É UMA PENA

    Responder
    • 62. apeoesp  |  19/09/2012 às 13:01

      Prezada professora Regina,
      Lamento profundamente o baixo nível de suas colocações. Este tipo de fala em nada contribui para melhorar a situação da nossa categoria. Sou professora como você e estou cumprindo uma função que me confiada pela nossa categoria, por meio dos associados da APEOESP que por ampla maioria elegeram-se Presidenta da APEOESP e a Diretoria como um todo. Você não deve permitir que seu rancor contra a minha pessoa, que eu não imagino a que se deve, fale mais alto que a razão.
      Como professora, você deve saber (ou imaginar) que uma pessoa sozinha não realiza conquistas e não muda uma situação em simples reuniões. Você deve saber que a função do sindicato não é substituir a mobilização, porque ela é sempre necessária, sobretudo em momentos nos quais o governo não está disposto a atender a nossas reivindicações. As assembleias, as manifestações, as greves e mobilizações cumprem esta função. Você está de fato fazendo a sua parte? Você está ajudando nesta luta pelo que acha correto? Está procurando organizar os professores da sua escola para que a nossa mobilização seja maior e, portanto, tenhamos mais chances de conquistar o que queremos conquistar? Ou sua função é apenas tentar me constranger, caluniar, ofender?
      Não recebo “salário” para ser Presidenta da APEOESP. Tenho o afastamento legal que dirigentes de todas as entidades sindicais, mesmo no setor privado, tem. E disponho de estrutura compatível com o meu trabalho, mesmo porque minha residência não é na cidade de São Paulo.
      Peço que reflita sobre o que disse. Muitas vezes não conquistamos de uma só uma vez tudo o que queremos, mas todos os esforços são importantes. Seja em reuniões com o secretário, seja com ações judiciais, seja nas greves e mobilizações. Tudo o que vem para o benefício da nossa categoria deve ser feito. E devemos evitar as brigas entre nós, pois é isto que o governo deseja.
      Bebel

      Responder
  • 63. Sílvia B. O. Dorta  |  19/09/2012 às 10:45

    Enquanto discutem essas mudanças pelas quais lutamos, fazem-se novas leis contrariando e prejudicando toda a classe. Infelizmente.. Isso é revoltante.

    Responder
    • 64. apeoesp  |  19/09/2012 às 12:50

      Prezada professora Silvia,
      Infelizmente, isto é verdade. O que pode mudar isto é nosso união e nossa mobilização, mostrando ao governo que temos força e disposição de lutar para que as coisas não prossigam neste rumo.
      Bebel

      Responder
  • 65. daniel  |  19/09/2012 às 13:12

    Quando será essa reunião na Comissão Paritária para resolver também assuntos ligados a jornada do piso? Essse secretário fala isso desde o ano passado! Não confio na corja da Secretaria da Educação! Obrigado Bebel!

    Responder
    • 66. apeoesp  |  19/09/2012 às 17:57

      Prezado professor Daniel,
      Ele diz que fará essa discussão após a primeira fase do trabalho da comissão, que ainda não se encerrou.
      Bebel

      Responder
      • 67. daniel  |  20/09/2012 às 13:32

        Para o ano que tem tem mais alguma redução? Exemplo: de 32 para 30?

      • 68. apeoesp  |  21/09/2012 às 10:15

        Prezado professor Daniel,
        Além da ação judicial, é isto que estamos tentando negociar.
        Bebel

  • 69. Reginaldo  |  19/09/2012 às 23:19

    Boa noite Bebel,

    Gostaria de saber se na reunião foi conversado com o secretário a respeito da remoção no estágio probatório. Estou aproximadamente 500 quilômetros da minha residência. Tenho união de cônjuge, por sinal, consegui fazer a inscrição, porém foi indeferida. Minha chance seria 100% caso não houvesse o impedimento à remoção. O secretário irá “mexer” na lei sobre a escola de formação, a remoção também está na pauta, ou o mesmo se monstra instransigente?Lembrando que o estado não paga estadia, nem passagem, por que não facilita as nossas vidas?

    Um abraço

    Reginaldo.

    Responder
    • 70. apeoesp  |  23/09/2012 às 12:00

      Prezado professor Reginaldo,
      Sim, mas a SEE não se dispõe a mexer na legislação. Somente pela via judicial. Ligue para 11.3356214.
      Bebel

      Responder
  • 71. Francielle  |  21/09/2012 às 18:25

    Olá Bebel!
    Sou professora categoria O desde 2010, ingressei no começo do ano e tive aulas livres durante o ano todo, no final do ano fui dispensada e no outro ano (2011) peguei aulas de novo, fiquei o ano todo com aulas livres e no final do ano fui dispensada de novo, e em 2012, novamnete, peguei aulas no primeiro dia de atribuição, enfim até hoje eu não recebi 1/3 referente a férias eu gostaria de saber porque pois até onde eu sei 1/3 de férias é um direito por isso ele deveria pagar proporcional ao tempo trabalhado.
    Obrigada!

    Responder
    • 72. apeoesp  |  21/09/2012 às 21:19

      Prezada professora Francielle,
      Você tem direito a 13º e férias, mesmo que proporcionais. Você pode ajuizar ação neste sentido. Entre em contato com o telefone 11.33506214 para informar-se melhor.
      Bebel

      Responder
  • 73. solange augusto  |  22/09/2012 às 03:28

    Olá Bebel
    Entendo que não deve ser fácil negociar com o governo, sou ingressante (2012), confio na APEOESP, mas não tenho visto nenhuma vitória significativa esse ano.Cada dia está mais difícil exercer nosso cargo, apesar de ser professora acho que você se esqueceu dos nossos ideais. Peço a Deus que ilumine seus passos para que consigas fazer seu trabalho com mais amor a nossa profissão. P.S. Me perdoe se eu estiver errada!

    Responder
    • 74. apeoesp  |  22/09/2012 às 20:01

      Prezada professora Solange,
      Não consigo compreender quando diz achar que eu me esqueci dos nossos ideiais. Será que não seria uma forma de dizer que você espera que eu resolva tudo pela categoria, ou, no máximo, que a diretoria da APEOESP resolva? Não tem sido esta a nossa tradição. Nossas maiores conquistas ocorreram quando os professores se deram as mãos e vieram juntos para a praça, para as ruas, para a luta.
      Creio, sim, que você esteja errada. Não por ter essa opinião sobre a minha pessoa, porque cada um tem o direito de pensar o que quiser. Mas porque essa sua opinião reflete conformismo e pouca vontade de lutar pelo que nós, professores, merecemos ter. Parece uma posição de esperar que alguém resolva tudo e o o sindicato não existe para isto e nunca prometeu isto.
      O sindicato existe para prestar assistência aos professores quando necessitam e para organizar suas lutas.
      Bebel

      Responder
      • 75. solange augusto  |  24/09/2012 às 00:45

        Boa noite, Bebel
        Realmente devo ter me expressado errado, pois não é essa a imagem que passo aos que me conhecem , nunca fui conformista, sempre lutei pela categoria, sou uma das primeiras a entrar em greve todas a vezes em a assembléia geral assim decidiu, sendo que na maioria delas participei, fiz passeatas, tive amigos feridos pela polícia do Serra, sempre que foi necessário estive do lado dos meus colegas na organização de paralisações, fiquei sem pagamento, passei necessidade com meus filhos por causa da greve, enfim nunca abri mão de lutar pela categoria. Acho que confiança é um cristal, se quebrado nunca mais será o mesmo. Hoje acredito ser esse o seu ( ou nosso) maior desafio: conquistar a confiança de muitos que não acreditam mais no sindicato. A prova disso é a quantidade de professores que participaram das últimas paralisações (da minha cidade éramos seis). Jamais perderei a esperança de ver nossa categoria valorizada e unida,

      • 76. apeoesp  |  24/09/2012 às 13:12

        Prezada professora Solange,
        Bem, as palavras que disse a meu respeito continuam grafadas no seu comentário, mas aceito as explicações que dá, tendo em vista que nossa categoria está sendo de fato massacrada por muitos anos de governos sem compromissos com a educação pública. Em relação à suposta quebra de confiança, acredito que há uma questão de precisão. A categoria tem que ter, em primeiro lugar, confiança nela própria, em sua capacidade de se organizar, de se mobilizar, de lutar pelos seus direitos e pelas coisas em que acredita e necessita. Nós, do sindicato, somos um instrumento desta luta, nunca proprietários dela. Esse retomada de confiança e mobilização é tarefa de todos, sobretudo os que tem consciência da situação em que vivemos e de que é preciso lutar. Em cada escola, em todas as regiões, essa é uma tarefa que cada um(a) tem que assumir como sua. Do contrário, os prejuízos serão de todos.
        Bebel

  • 77. CRIS  |  22/09/2012 às 03:48

    OI BEBEL.. HOJE EM MINHA ESCOLA O COMENTARIO FOI, ANO QUEM VEM O GOVERNO DEVE CUMPRIR A LEI DO PISO, MAS ASSIM COMO FICAMOS NA ESCOLA NOS HTPC , ELE NOS OBRIGARÁ A CUMPRIR 8 AULAS NA ESCOLA DOS HTPL . TEM ALGUM FUNDAMENTO PARA TAL BOATO… GRATA

    Responder
    • 78. apeoesp  |  22/09/2012 às 19:56

      Prezada professora Cris,
      Tudo está por ser negociado. E também temos ações na justiça. Nós não abriremos mão dos HTPL, previsto no plano de carreira. O governo tem que cumprir as leis.
      Bebel

      Responder
  • 79. ENIO ROMEU DOS SANTOS  |  22/09/2012 às 21:20

    mARIA Izabel, suponhamos que minha ESCOLA vire de ENSINO Medio de tempo integral, para onde irão os alunos das 5 series, 6 series, 7 series e 8 séries desta escola?? Por acaso o GOVERNO irá construir alguma escola por causo disto?? AGUARDO SUA RESPOSTA.

    Responder
    • 80. apeoesp  |  23/09/2012 às 11:28

      Prezado professor Enio,
      Este é um dos pontos que questionamos. Não, o governo não vai construir outra escola. Os alunos irão para alguma outra escola de ensino fundamental onde haja vagas, perto ou longe de sua escola atual.
      Bebel

      Responder
  • 81. Sílvia B. O. Dorta  |  23/09/2012 às 12:44

    Bebel , o que vemos no estado esse ano é uma vergonha. Se não fossem os professores da categoria O as escolas estariam piores do que estão. Não temos professores de História, Geografia, Sociologia,Filosofia etc. Enquanto isso vejo professores de Língua Portuguesa sem aulas ou então ministrando aulas eventuais para “tapar os buracos” entre uma aula e outra. Diante disso não seria necessário rever e mudar a grade curricular para o ano de 2013? Sérá que os professores que foram chamados assumirão de fato? Ou tudo se repetirá novamente? Se a voz da consciência fosse ouvida no mínimo eles tratariam os professores categoria O com mais respeito. Sinto pelos meus colegas que perderam todos os seus direitos. Antes pelo menos havia duas categorias; efetivos e acts o que ao meu ver era mais justo.
    Será que eles acham que terão 100% de professores efetivos no estado? E os nossos alunos como ficam?
    Sou efetiva há 13 anos e realmente se estivesse nessa situação não sei o que seria, pois se o professor tem compromisso com o estado este também deveria ter para com os professores, concorda?
    Sílvia

    Responder
    • 82. apeoesp  |  23/09/2012 às 17:19

      Prezada professora Silvia,
      É lamentável mesmo. Claro que queremos concursos públicos e que cada vez mais professores se efetivem, mas isto não justifica tratarem os professores da categoria O desta forma desumana.
      Quando a mudar o currículo, não vejo isto como solução, mesmo provisória. O currículo deve refletir as necessidades educacionais dos estudantes e não ser moldado de acordo com as dificuldades do Estado. Para mim, é exatamente o contrário: cabe ao Estado prover todas as condições para que o currículo correto e necessário seja posto em prática.
      Bebel

      Responder
  • 83. Sílvia B. O. Dorta  |  23/09/2012 às 20:59

    Concordo com você Bebel só que infelizmente não é isso o que acontece e enquanto isso todos ; alunos e professores são prejudicados.

    Responder
    • 84. apeoesp  |  24/09/2012 às 13:33

      Prezada professora Silvia,
      Este é o nosso grande desafio, de todos os que se preocupam e tem compromisso com a educação pública de qualidade.
      Bebel

      Responder
  • 85. Maria  |  25/09/2012 às 13:43

    Prezada Bebel, gostaria de saber como esta o andamento da ação judicial de remoção movida pela APEOESP para favorecer associados em estágio probatório, pois estamos preocupados não tivemos nenhuma resposta do sindicato. Ou esse processo de remoção 2013 já deve ser considerado encerrado?
    E sobre o artigo 22, devemos ingressar já com mandado de segurança individual para quem tiver inscrição indeferida por estar em estágio probatório e tiver muitas faltas por estar em licença médica, ou o sindicato entrara com ação e pedido de liminar coletivo????

    Desde já agradeço a atenção.

    Responder
    • 86. apeoesp  |  26/09/2012 às 12:40

      Prezada professora Maria,
      O processo continua tramitando no TJSP, pois o governo recorreu. A APEOESP sempre ingressa com ação coletiva, mas é importante que cada professor, mediante o indeferimento, procure o departamento jurídico, pois ações individuais muitas vezes reforçam a ação coletiva.
      Para melhor informação, ligue para 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 87. Alícia  |  25/09/2012 às 18:42

    Bebel, Boa Tarde!
    Não seria possível o sindicato fazer uma mobilização para que nenhum professor da categoria “O” pegue aulas no início das atribuições no início do ano. Não tenho estatística , mas creio que isso faria um grande impacto nas escolas de forma que ficaria muitas classes sem professor e consequetemente muitos alunos sem aula? Penso que todos os professores categoria O só deveria voltar para sala de aula quando o governo desse condições melhores para ele trabalhar. Me sinto discriminda por fazer o mesmo serviço que as outras categorias e não ter os mesmos direitos. Isso é revoltante!

    .

    Responder
    • 88. apeoesp  |  26/09/2012 às 12:25

      Prezada professora Alícia,
      Nossa luta, todos os anos, é pela lista única de classificação. Porém, o governo não aceita e, até mesmo pela época, é muito difícil realizar uma grande mobilização em torno disto.
      Vamos discutir o assunto no CER, assembleia e outras instâncias.
      Obrigada pela sugestão.
      Bebel

      Responder
  • 89. daniel  |  26/09/2012 às 01:52

    Nas reuniões que o secretário fez pelo interior do estado, ele disse que não havérá redução na jornada dos professores para 2013!
    Bebel, acho que vou deixar de ser professor! São muitas funções/responsabilidades, baixo salário e alta desvalorização! Estou muito chateado com s SEE/SP.

    Responder
    • 90. apeoesp  |  26/09/2012 às 12:09

      Prezado professor Daniel,
      O secretário também disse publicamente, mais de uma vez, que negociará a redução gradual da jornada em sala de aula no âmbito da comissão paritária. Em qual afirmação confiar? Em princípio, só confiamos naquilo que se concretizar e temos o direito de lutar pelas nossas reivindicações e pela qualidade de ensino. Se necessário, iremos à greve.
      Bebel

      Responder
      • 91. daniel  |  26/09/2012 às 23:24

        Deveríamos ir à greve sim, mas nossa classe é muito desunida! Só sabe criticar e ficar parada esperando! Vejo isso pelas próprias postagens de alguns professores aqui!
        Admiro-a e gostaria de poder ajudá-la!

      • 92. apeoesp  |  29/09/2012 às 17:43

        Prezado professor Daniel,
        Muito obrigada, professor. A melhor maneira de ajudar, não a mim, mas à nossa categoria, é conversar com seus colegas, mobilizar sua escola e participar das nossas assembleias, atos e outras atividades.
        Bebel

  • 93. Silzana  |  27/09/2012 às 02:30

    obrigado por continuar lutando por nós…estou desanimada…cat O sem ´direitos…

    Responder
    • 94. apeoesp  |  29/09/2012 às 16:34

      Prezada professora Silzana,
      Obrigada pelo reconhecimento e pelo apoio. Sei que a situação dos professores da categoria O é dramática e estamos lutando de todas as formas para que isto seja corrigido.
      Bebel

      Responder
  • 95. Eva  |  28/09/2012 às 02:55

    Honestamente está na hora da Categoria O se unir e fazer uma paralisação! Com a falta de respeito que é feita a nossa contratação estamos levando a escola nas costas, já que os professores efetivos (não estou questionando este direito) podem faltar em um número maior de vezes e tirar suas licenças de direito – sobre para o “O”TÁRRIO ter que trabalhar mesmo doente pois se faltar mais de 2 vezes (em um ano letivo inteiro) terá seu contrato interrompido!
    Vamos parar… quero ver onde o Governo vai encontrar professores para colocar no nosso lugar!

    Responder
  • 96. Cassio  |  21/10/2012 às 22:00

    Essa prova do mérito? não vai entrar com outra ação contra isso?
    Professores prejudicados, agora so vão ganhar 10%.
    Acho que temos que entrar com mais ações, entupir o Estado de ações, ate o ministério publico intervir.

    Responder
    • 97. apeoesp  |  23/10/2012 às 14:16

      Prezado professor Cássio,
      Consultei o departamento jurídico. A não ser que tenhams elementos de prova de que houve uma fraude, não há como ingressar com ação.
      A Justiça firmou entendimento segundo o qual não julga este tipo de causa porque não pode “substituir a banca examinadora”.
      Você pode pedir vistas da prova e, constantando algum sinal de fraude ou irregularidade, procurar o departamento jurídico e a sua subsede para que encaminhe o assunto à direção do sindicato.
      Bebel

      Responder
      • 98. Daniel Amolin Pinheiro  |  23/10/2012 às 22:50

        Olá, Bebel! Tudo bem? Por favor, como faço para pedir vista da prova dissertativa do mérito? Um abraço! Obrigado! Prof. Daniel

      • 99. apeoesp  |  25/10/2012 às 12:56

        Prezado professor Daniel,
        Você deve requerer à VUNESP, por escrito, exigindo a resposta também por escrito.
        Bebel

      • 100. Elias Mariano  |  24/10/2012 às 20:26

        Cara Bebel não consegui entender em que situação que se encontra o mandado de segurança (que fui informado pelo juridico de Piracicaba) sobre o desconto da Licença Saúde da contagem do tempo da Licença Especial. Sondei os ultimos fax urgentes, e não vi pronuninciamentos a respeito, a não ser uma
        reunião que não se realizou desde agosto. Onde não há informação, proliferam os boatos.

      • 101. apeoesp  |  25/10/2012 às 11:53

        Prezado professor Elias,
        A ação está em tramitação na justiça. Não houve liminar.
        Bebel

  • 102. Sibeli Manente  |  29/10/2012 às 16:07

    Olá Bebel, boa tarde!
    Trabalhei o ano passado na rede e findei o ano como Categoria L. Este ano estou somente na rede particular e recebi, na semana passada, uma guia de cobrança de provimentos recebidos a maior em Dezembro de 2011. Li no site de vocês o despacho do Juiz, mas como devo proceder? Já recebi até carta do Cadin dizendo que esse valor irá para a Dívida Ativa.
    No aguardo.
    Grata.
    Sibeli

    Responder
    • 103. apeoesp  |  31/10/2012 às 11:55

      Prezada professora Sibeli,
      Por favor, procure o departamento jurídico na sua subsede.
      Bebel

      Responder
  • 104. LUIZ MARCOS  |  12/11/2012 às 22:36

    Sou categoria O. Sei que tenho direito a 13º proporcional; porém gostaria de saber se tenho direito a férias, visto que no ano passado não recebi .

    Responder
    • 105. apeoesp  |  18/11/2012 às 13:57

      Prezado professor Luiz Marcos,
      Você tem direito a férias tendo completado 12 meses de efetivo exercício.
      Bebel

      Responder
  • 106. Luciana  |  01/03/2013 às 01:02

    Boa noite! Sou professora efetiva, PEBII, ingressei em 2013. Estou em estágio probatório. Gostaria de saber se tenho direito à evolução funcional pela via acadêmica? (conclui mestrado na área de atuação)

    Responder
    • 107. apeoesp  |  01/03/2013 às 09:35

      Prezada professora Luciana,
      Não encontrei restrições na legislação que trata do tema. Confirme pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 108. rick policeno  |  23/03/2013 às 14:26

    Bom dia sou professor categoria O (SP) contratado. Peguei atribuição em uma cidade distante da minha com intenção de completar a carga para facilitar as despesas, mas, não consegui e estou querendo desistir por ficar inviável…..
    Se eu desistir agora e abrir o concurso publico e eu passar esse ano. Terei complicação, ou seja poderei exercer o cargo?

    grato

    Responder
    • 109. apeoesp  |  24/03/2013 às 15:20

      Prezado professor Rick,
      Há uma exigência na legislação de afastamento por 5 anos caso desista de aulas. Não concordamos com esta exigência. Por outro lado, para que tenha certeza das implicações ou não para assumir um cargo efetivo, peço que ligue para 11.33506214 ou procure o departamento jurídico na sua subsede.
      Bebel

      Responder
  • 110. Luis Ricardo Policeno  |  23/11/2013 às 17:26

    Bom dia
    Sou professor sob categoria O e estou indignado por lecionar esse ano de 2012 algumas salas de aulas sob regime de substituição de uma uma professora que se afastou por motivo de doença. Mas quando vem os meses em que deveria eu receber pelas féria cujo trabalho foi elaborado durante o ano em sala de aula por mim ministradas, a mesma professora volta um dia antes e recebe o que seria-me de direito. O ano inteiro vários professores entram com pedido de afastamento médico, e os mesmos quando chegam nos dias da vésperas de entrarem em féria escolar resolvem voltar para afarnar os direitos de férias de bons profissionais que não faltam ou não roubam os cofres públicos com essa artimanha fraudulenta, pois se o mesmo encontra-se impossibilitado de trabalhar em sala de aula durante o ano, o mesmo volta a ficar bom nas vésperas das féria visando o 13º e férias de outro profissional. Pelo que eu saiba os professores de categoria O são contratados pelo regime CLT com contrato de dois anos (corrija-me se estiver errado) e pela CLT o mesmo profissional que trabalhou durante o ano tem o direito irrefutável de receber pelas suas férias proporcionais aos dias e meses trabalhados. Gostaria muito de saber se tudo isso é correto pelos olhos do APOESP.

    Grato

    Responder
    • 111. apeoesp  |  24/11/2013 às 12:46

      Prezado professor Luiz Ricardo,
      Você tem razão em sua indignação. Infelizmente, porém, o professor da categoria O não é regido pela CLT e sim por uma legislação estadual específica (lei complementar 1093/09) que é uma lei indigna que não dá praticamente nenhum direito a esses profissionais. Por esta lei, você tem direito a férias quando trabalha 12 meses. Por favor, entre em contato com o telefone 11.33506214, explique sua situação e veja o que pode ser feito.
      Boa sorte.
      Bebel

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,911,308 hits

%d blogueiros gostam disto: