De que prefeito São Paulo precisa?

23/10/2012 at 13:03 11 comentários

O jornal Folha de S. Paulo publica na edição de 21 de outubro dois artigos sobre a eleição municipal sob o título “Razões para votar no meu candidato”. No primeiro deles, o escritor Reinaldo Moraes manifesta preferência pelo candidato Fernando Haddad e o faz de uma forma muito peculiar, com variadas críticas ao Partido dos Trabalhadores e rejeição total a José Serra, Kassab e PSDB.

Reconhecendo o estilo do escritor, permito-me discordar de que Fernando Haddad será um prefeito mediano, pois mediana não foi sua gestão à frente do Ministério da Educação. Ali, realizou uma política inclusiva, de ampliação das oportunidades educacionais e de fomento à qualidade do ensino. Obviamente, quem mais faz, fica mais sujeito a críticas. Quem não faz se torna uma figura apática, que não realiza o que dele se espera ou o que está obrigado a realizar pela definição do cargo ou posição que ocupa.

Fernando Haddad é uma personalidade acima da média e, por isso mesmo, é o favorito na eleição municipal de São Paulo. Como Ministro da Educação, desenvolveu projetos educacionais que tiveram ampla cobertura da mídia, o que não quer dizer que esta cobertura tenha sido sempre correta. Quem há de negar a importância das alterações que fez no ENEM, transformado em verdadeira política de inclusão social? Como ignorar os efeitos altamente benéficos para o país do PROUNI ou da expansão das escolas técnicas? Quem deixará de reconhecer que as políticas educacionais do país seguem outro curso a partir da criação do FUNDEB e da realização da Conferência Nacional de Educação, que reuniu milhões de participantes em um processo dinâmico e participativo, das escolas ao nível federal?

O candidato Fernando Haddad lidera as pesquisas de intenção de voto na capital porque dispõe de toda essa experiência e, além de tudo, tem realizado um debate civilizado e qualificado sobre os problemas de São Paulo, propondo soluções embasadas em viabilidade técnica e orçamentária e na possibilidade real de obtenção de recursos federais, que o governo Serra/Kassab desprezou. Além disso, Haddad tem reiterado que manterá e ampliará os convênios com o governo estadual, além de buscar novas parcerias.

O outro artigo, de Marcelo Madureira, não tem qualquer elegância ou estilo e é repleto de equívocos. O autor se propõe a defender a candidatura de José Serra simplesmente atacando Fernando Haddad, Lula e seus correligionários.

Para que Marcelo Madureira pudesse entender os problemas da nossa cidade e o que está em jogo, seria necessário que tivesse aqui vivido, assim como nós, quando José Serra foi prefeito da capital e governador do Estado. Como educadora e representante dos professores de todo o estado e também dos que moram na capital, vivi esta realidade e sei que Serra foi um desastre para a educação.

Como o autor pode considerar o melhor prefeito para São Paulo a pessoa que, como governador, instituiu a chamada lei das faltas médicas, que limita a apenas seis ao ano as possibilidades dos professores realizarem consultas médicas e tratamentos? Esta lei é um verdadeiro atentado ao direito à vida, como se o direito dos professores ao tratamento médico fosse, na realidade, um pretexto para vagabundagem. Digo isto porque, com a lei, assim o governo Serra qualificou os professores, veiculando pela mídia a versão de que o grande problema da educação eram as faltas de professores. Os professores faltam porque estão adoecidos devido às más condições de trabalho e precisam cuidar de sua saúde.

Não posso aceitar a visão reducionista de Marcelo Madureira quando se refere a Haddad, como se sua gestão de seis anos e meio à frente do Ministério da Educação pudesse se resumir aos problemas pontuais ocorridos com o ENEM. Pelo visto ele não acompanhou tudo o que foi realizado pelo MEC, os milhares de estudantes incluídos na escola pública e nas universidades, por meio da criação de novas universidades e da política de bolsas do PROUNI. O próprio ENEM é uma grande política de inclusão, ao substituir o exame vestibular em um número cada vez mais amplo de universidades.

Fernando Haddad tem a cabeça aberta e é comprometido com a educação e a maioria da população. Se Madureira vivesse em São Paulo sob o governo Serra, talvez entendesse bem a diferença entre um e outro.

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

Assista à série Professor Ameaçado – Jornal da Band Justiça mantém decisão que proíbe o Estado de realizar descontos indevidos nos salários dos professores da extinta categoria L

11 Comentários Add your own

  • 1. andrepoasp  |  23/10/2012 às 19:39

    além de um prefeito com uma proposta nova para são paulo precisamos de um sindicato que possa unir nossa categoria.

    Responder
    • 2. apeoesp  |  25/10/2012 às 13:17

      Prezado professor André,
      Sim, mas a APEOESP está tendo cada vez mais filiados dos Municípios e criou uma secretaria específica para cuidar dos interesses destes profissionais.
      Bebel

      Responder
  • 3. Wilians  |  24/10/2012 às 20:06

    Uma representante da Apeoesp de Franco da Rocha passou a informação que que os professores da Categoria “Ó” NÃO TERÃO 13º SALÁRIO e nem o pagamento de FÉRIAS proporcional aos dias trabalhados. Esse ABSURDO é verdade?

    Responder
    • 4. apeoesp  |  25/10/2012 às 11:57

      Prezado professor Williams,
      Não temos nenhuma informação sobre isto. Os professores da categoria O tem direito a férias e 13º salário. O que ocorre é que o direito a férias é adquirido quando o servidor completa 12 meses de exercício. Assim, o Estado geralmente não paga férias proporcionais e só pretenderá pagar essas férias no próximo ano. Isto vai requerer medida judicial, mas infelizmente só podemos fazê-lo mediante o fato consumado.
      Bebel

      Responder
  • 5. prof. Juliana  |  24/10/2012 às 23:06

    Precisamos de um prefeito comprometido com o trabalho e que seja honesto , pois estamos cansados de tanta hipocrisia.
    fora Serra…

    Responder
  • 6. kellysouzap  |  27/10/2012 às 18:30

    Qualquer um que não seja do PSDB. Serra, nem pensar!!!!

    Responder
  • 7. Nana  |  29/10/2012 às 12:28

    Bom dia,
    Alguém sabe quando será a prova dos Ofas Categoria O??
    Obrigada

    Responder
    • 8. apeoesp  |  31/10/2012 às 12:00

      Prezada professora mNana,
      Será em 11/11.
      Bebel

      Responder
  • 9. Daniel  |  30/10/2012 às 02:04

    O que precisamos e da atribuição das categorias O para 2013 na U.E como todos os outros profs, e que fosse logo divulgado a data da prova OFA!

    Responder
    • 10. apeoesp  |  31/10/2012 às 11:29

      Prezado professor Daniel,
      A prova de OFAs será realizada no dia 11/11. A atribuição da categoria O, ao que tudo indica, será realizada nas DREs.
      Bebel

      Responder
  • 11. andrepoasp  |  31/10/2012 às 00:22

    vamos para o estado da copa, devemos mostrar nossas reivindicações agora.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,862,445 hits

Comentários

apeoesp em
apeoesp em Temer, inimigo da educação, ve…

%d blogueiros gostam disto: