Artigo 22: advogados das subsedes da APEOESP devem ajuizar mandados de segurança individuais

22/01/2013 at 00:04 138 comentários

No final da tarde desta segunda-feira, 21, o juiz da 12ª Vara da Fazenda Pública indeferiu o pedido de medida liminar na ação coletiva impetrada pela APEOESP para que os docentes inscritos para atribuição de classes/aulas para o ano letivo de 2013, e que estejam em estágio probatório ou que registraram mais de doze faltas, pudessem participar da atribuição pelo artigo 22 da LCE nº 444/85 (Estatuto do Magistério).

A APEOESP vai recorrer da decisão. Contudo, na iminência da atribuição de aulas, orientamos os advogados das subsedes que entrem com mandado de segurança individual para garantir direitos dos professores.

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

CGRH informa que classificação dos professores da categoria O será publicada corretamente no dia 21/01

138 Comentários Add your own

  • 1. Danila  |  22/01/2013 às 00:26

    Nossa Bebel que tristeza, não acredito nisso !! Estou muito revoltada com esse sistema educacional do estado de SP, com esse judiciário, que nos trata dessa forma “desumana”, mais um ano longe de casa. Vou começar o ano bem desanimada e sem esperanças de ser uma PROFESSORA!!! Lamentável …

    Responder
  • 2. luciano  |  22/01/2013 às 00:28

    Complicado… vamos para o segundo Round galeraaaaaa

    Responder
  • 3. Walter  |  22/01/2013 às 00:28

    Bebel a atribuição é segunda-feira, você acha que vai dar tempo de entrarmos com a ação individual. Se demoraram tanto para julgar essa coletiva será que dará tempo, pois terão praticamente dois dias para essa ação!! Aliás um dia, pois 6ª f é feriado !!! Abraços

    Responder
    • 4. apeoesp  |  22/01/2013 às 10:59

      Prezado professor Walter,
      Discuta os termos da ação com o(a) advogado(a). deve solicitar efeito retroativo.
      Bebel

      Responder
  • 5. jailson  |  22/01/2013 às 02:01

    Puxa vida Bebel, Não acredito. Será que há tempo hábil para que possamos concorrer a atribuição pelo Artigo 22? Amanhã pela manhã estarei indo a Subsede.

    Responder
    • 6. apeoesp  |  22/01/2013 às 11:04

      Prezado professor Jailson,
      Temos realmente que correr contra o tempo.
      Bebel

      Responder
  • 7. felipe  |  22/01/2013 às 05:22

    Bebel, tudo bem?

    Preciso de uma informação importante. Na carga suplementar de trabalho, tenho 20 aulas que serão minha carga horária de opção, e quero completar com mais 12 de outra disciplina que tenho habilitação. Me disseram que pra isso primeiro tem que esgotar a discillina do cargo, mas eu entendo que a nível de carga suplementar, é possível pegar aulas que não sejam da minha disciplina especifica do cargo.

    Por favor, me retire essa dúvida! Obrigado

    Responder
    • 8. apeoesp  |  23/01/2013 às 00:09

      Prezado professor Felipe,
      Estou de acordo com a sua interpretação. Para melhor esclarecimento, ligue para 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 9. Roberta Xavier  |  22/01/2013 às 13:01

    Bebel, que pena!!!
    E os ingressantes também poderão entrar com ação individual ou isso só serás possível depois de um ano?
    Abraços!

    Responder
    • 10. apeoesp  |  23/01/2013 às 00:23

      Prezada professora Roberta,
      Aos ingressantes o reconhecimento deste direito é ainda mais difícil. Oriente-se melhor pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 11. HeitorGomes  |  22/01/2013 às 13:11

    Viva a educação nacional….mais um professor desmotivado!

    Responder
  • 12. Marcela  |  22/01/2013 às 15:16

    Gostaria de saber os documentos necessários pra recorrer .
    Obrigada

    Responder
    • 13. apeoesp  |  23/01/2013 às 09:41

      Prezada professora Marcela,
      Procure o departamento jurídico na sua subsede. Leve documentos pessoais, holerite, documentos que comprovem inscrição e indeferimento, se possível.
      Bebel

      Responder
  • 14. Vilma  |  22/01/2013 às 15:50

    Prezada Bebel,
    Há dois ou três anos apareceu uma prof. de português na escola. Ela “tem” que ter garantidas as 32 aulas porque é efeito da municipalização da prefeitura de Jaguariúna e recai em Campinas. Ocorre que ela pega as 32 aulas, só aparece no ano seguinte, atrapalha quem realmente trabalha, pois somos obrigados a pegar substituição dela como suplementar, enfim, um transtorno. Fui á DE Leste hj, disseram que é isso mesmo, o Estado garante as aulas a ela. Pergunto:
    o tempo de serviço dela, então não cai, mesmo ela não trabalhando sequer um dia?..ela está sempre classificada na minha frente.
    Será que ela vive do salário do Estado trabalhando em uma prefeitura, ou ela tem mais outro salário?
    Injusta essa situação e a DE não me convenceu. Lendo o manual de atribuição da Apeoesp, diz o seguinte:

    III – os titulares de cargo em afastamento no convênio de municipalização do ensino somente poderão ter aulas atribuídas a título de carga suplementar de trabalho na rede pública estadual, se forem efetivamente ministrá-las.

    Ficarei imensamente grata se conseguir um esclarecimento.
    Abraços

    Responder
    • 15. apeoesp  |  23/01/2013 às 09:43

      Prezada professora Vilma,
      Você deve procurar o departamento jurídico na subsede ou ligar para 11.33506214, expor o caso e perguntar sobre a legalidade da situação. Depedendo do caso, verificar se há instrumento jurídico a ser utilizado.
      Bebel

      Responder
  • 16. Edemir  |  22/01/2013 às 16:24

    Ola tudo bem?
    Uma duvida: Por que o ano passado conseguimos e este ano não? Há possibilidade de solicitar urgência no recurso? afinal a atribuição é segunda e já faltas professores e sem o artigo 22, muitos como eu irão pedir exoneração….Não dá pra ficar 400 km de casa bancando duas casas, transporte, alimentação etc….

    Responder
    • 17. Edemir  |  22/01/2013 às 16:35

      Outra coisa….acabei de ligar para a subsede de Prudente, que é a mais próxima de minha casa. Porem meu cargo que desejo “remover” pelo artigo 22 este na diretoria de Itararé muito longe e fui orientado a pedir requerimento junto a escola, esperar que eles indefiram e ir a subsede em Itapeva que é a responsável pela escola onde esta o cargo e agendar o atendimento jurídico.

      Bem, o procedimento do sindicato também é burocrático, minha duvida é? A representatividade do sindicato não é igual no estado todo? Não posso ir a qualquer subsede e nela ser atendido? Isso não vai atrasar ainda mais minha vida? Vou ter de viajar 400 quilômetros só para pedir um requerimento na escola, esperar que ela indefira, sendo que no gdae já foi indeferido ate mesmo meu recurso?
      …é sempre assim, todo janeiro é uma dor de cabeça, seja por causa das orientações da Secretaria ou da burocracia do sindicato……..Gostaria de estar enganado ao menos sobre o sindicato.
      Obrigado!

      Responder
      • 18. apeoesp  |  23/01/2013 às 00:06

        Prezado professor Edemir,
        O sindicato representa os professores em todo o estado, porém nossa estrutura é regionalizada. Cada subsede está estruturada para atender ao número de associados que lhe corresponde. Entendo a sua questão, porém há determinados procedimentos que obedecem a ritos do judiciário, sob pena de a causa ser perdida já nas iniciais. Sugiro que procure a subsede mais próxima, explique o caso e verifique se há possibilidade de flexibilização nos procedimentos sem prejuízo à causa.
        Bebel

    • 19. apeoesp  |  23/01/2013 às 00:03

      Prezado professor Edemir,
      As decisões judiciais só podem ser explicadas pela própria justiça. Casos semelhantes, julgados por juizes diferentes, muitas vezes resultam em sentanças diferentes.
      Bebel

      Responder
  • 20. Marilda Masi  |  22/01/2013 às 16:52

    Gostaria de exclarecimentos sobre Licença saúde durante período em que estiver pelo Artº22. É possível tirar? Quantos dias no máximo?

    Responder
    • 21. apeoesp  |  23/01/2013 às 10:06

      Prezada professora Marilda,
      O professor que está pelo artigo 22 não perde seu direito a licença-saúde. Referência à limitação a este direito foi retirada do Decreto 53.037, com as alterações feitas pelo Decreto nº 53.161.
      Não encontrei legislação específica sobre a duração máxima da licença, considerando que a substituição ocorre por, no máximo, 200 dias. Para maiores esclarecimentos, por favor, ligue para 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 22. Claudia Duarte  |  22/01/2013 às 19:25

    o mandado de segurança nos dá o direito a participar da atribuição?

    Responder
    • 23. apeoesp  |  22/01/2013 às 23:59

      Prezada professora Cláudia,
      Se deferida a liminar, sim.
      Bebel

      Responder
  • 24. Carla  |  22/01/2013 às 23:13

    Bebel, meu cargo esta em Araras e me inscrevi para a atribuição pelo artigo 22 na diretoria de Sertãozinho, queria entrar com o mandado individual na subsede de Ribeirão Preto por ser mais perto que Araras e me disseram que a orientação das subsedes é que cada um faça a sua. Tudo bem até ai, amanhã irei para Araras e fui informada pela representante que o advogado da subsede de Araras só poderá pegar meus documentos e entrar com a ação na sexta- feira dia 25/01/2013 à tarde, acredito que o tempo não sera suficiente para que o Juiz defira ou indefira pois precisa sair uma resposta até na segunda – feira dia 28/01/2013 às 8:30 hrs. Como devo proceder nesse descaso. Sou afiliada e não entrei com o mandado individual antes porque fui orientada pelas pessoas da subsede. O que eu devo fazer?

    Responder
    • 25. apeoesp  |  22/01/2013 às 23:54

      Prezada professora Carla,
      Não se trata de descaso. Nas subsedes, ainda não temos condições de manter advogados todos os dias. Além disso, os advogadõs estão em plantões nos locais de atribuição de aulas.
      Você deve informar-se sobre a possibilidade de a ação ter efeito retroativo. Ligue para 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 26. Lourival S. Bortolin  |  23/01/2013 às 00:09

    Fala em “Eminência” quando deveria escrever “Iminência”, deixa a gente, que é professor numa dúvida cruel sobre quem escreveu, representando e nossa, APEOESP.

    Responder
    • 27. apeoesp  |  23/01/2013 às 10:10

      Prezado professor Lourival,
      Obrigada pela observação. O texto, que reproduzi do boletim APEOESP Urgente, já foi corrigido.
      Bebel

      Responder
  • 28. Danda  |  23/01/2013 às 00:32

    Bebel fui informada pela minha U.E que mesmo tendo a inscrição para o artigo 22 indeferida, não poderei pegar carga suplementar pelo fato de ter me inscrito no processo! Longe de casa, sem artigo 22 e com 10 aulas quem consegue sobreviver?! A diretora inclusive ligou para a D.E na minha frente e realmente a orientação é essa! Inconformada com toda essa situação!! A SEE consegue desmotivar qualquer professor, eles dão a desculpa que esse terrível estágio probatório, essa questão de não participar da 22 e da remoção é para evitar rotatividade de professores, mas que professor consegue continuar no cargo com toda essa situação??? No fundo acho que eles querem mesmo é que não tenha professor, com essas atitudes estão implorando para não terem professor! Totalmente desmotivada com tudo isso …

    Responder
    • 29. apeoesp  |  23/01/2013 às 10:16

      Prezada professora Danda,
      Sim, você tem razão. O Estado criou um emaranhado de situações que desmotiza o professor, tal é o desrespeito e a desvalorização da nossa profissão pelo Governo do Estado. Sugiro que você ligue para 11.33506214 ou procure o departamento jurídico na sua subsede, exponha a questão e verifique se não há algo que possa ser feito do ponto administrativo ou legal.
      Bebel

      Responder
  • 30. Danilo  |  23/01/2013 às 01:32

    Bebel olha isso http://www.educacao.sp.gov.br/a2sitebox/arquivos/documentos/298.pdf o governo está criando 34 centros para pericias somente dos funcionarios da SEE. Como uma pessoa doente vai se deslocar km para tirar uma licenca saude ou gestante ? hoje esses procedimentos são feitos na cidade aonde a pessoa mora ? Apeoesp vai esperar isso acontecer pra tomar uma providencia , ou questionamento junto a SEE ?

    Responder
    • 31. apeoesp  |  23/01/2013 às 10:20

      Prezado professor Danilo,
      Estamos discutindo o assunto com o governo. Consideramos que as perícias médicas deveriam continuar sob encargo da Secretaria da Saúde e que cabe a ela descentralizar o serviço. Entretanto, a criação destes centros aproxima o serviço dos professores.
      Bebel

      Responder
  • 32. Vilma  |  23/01/2013 às 05:13

    Prezada Bebel,
    Por favor, esclareça outra dúvida.
    Hoje, dia 22, já teve atribuição de aula, com o transtorno citado na outra postagem e que aguardo resposta. Na hora, eu quis declinar das 25 aulas para 20, diminuir a jornada para ficar em um só período com total de 30 aulas, de manhã, mas disseram que não poderia ser. Ou ampliar para as 32, já que dou as 32 com a suplementar e acabo ficando em dois períodos.
    Lendo o manual da Apeoesp agora, encontrei isso:

    titulares de cargo classificados na
    unidade escolar e os removidos ex
    officio com opção de retorno terão
    atribuídas classes e/ou aulas para:
    a) ampliação de Jornada de Trabalho;
    b) Carga Suplementar de Trabalho;

    Pergunto: posso ampliar a jornada para 32 aulas nesse segundo momento ou só na inscrição feita quase final do ano?

    Bebel, as informações em todo sentido na escola são precárias…

    Por outro lado, pra serem garantidas as 32 aulas no caso da professora da postagem anterior, eu fico prejudicada, minha classificação é atrás dela, porque não é fácil compor jornada pra ninguém com 5 aulas ensino médio e 6 no fundamental, tem que jogar com dois períodos.

    Agradeço seus esclarecimentos, visto que estamos em plena atribuição.
    Abraços

    Responder
    • 33. apeoesp  |  23/01/2013 às 09:35

      Prezada professora Vilma,
      Você pode ampliar ou complementar a jornada neste segundo momento.
      Bebel

      Responder
      • 34. Vilma  |  23/01/2013 às 09:42

        Obrigada, Bebel, bom dia!

      • 35. analana  |  23/01/2013 às 22:25

        É verdade que quem se inscreveu no artigo 22 e depois desistiu não pode mais pegar carga suplementar, só sua jornada??

      • 36. apeoesp  |  24/01/2013 às 13:18

        Prezada professora Analana,
        Sim. Para melhor informação, ligue para 11.33506214.
        Bebel

  • 37. Vilma  |  23/01/2013 às 10:34

    Bebel, desculpe, sou eu novamente,
    Liguei na DE leste, disseram que se eu não fiz a opção de ampliação de jornada quando da inscrição, só posso pegar a suplementar, e não ampliar a jornada.
    Como fica???
    Abraço

    Responder
    • 38. apeoesp  |  24/01/2013 às 14:40

      Prezada professora Vilma,
      Por favor, ligue para 11.33506214 ou procure o departamento jurídico na subsede para verificar se é possível contornar esta regra.
      Bebel

      Responder
  • 39. Marcos  |  23/01/2013 às 12:47

    R$ 1,00 a mais, isto mesmo! Por causa de R$ 1,00 a mais no salário via evolução não acadêmica eu perdi o direito ao vale coxinha.
    Como a Apeoesp se posiciona? É pauta de reivindicação na greve 2013?

    Responder
    • 40. apeoesp  |  24/01/2013 às 14:37

      Prezado professor Marcos,
      Que absurdo. A APEOESP e demais entidades do funcionalismo há anos luta contra este tipo de regulamentação. É pauta, sim, da nossa greve.
      Bebel

      Responder
      • 41. luciano  |  24/01/2013 às 20:25

        Temos que ser orientados a fazer contas… a medida que evoluimos na carreia ir largando algumas aulas pois com elas ou sem elas é possivel ganhar o mesmo salario!!!!
        Tem como organizar uma tabela???

      • 42. apeoesp  |  25/01/2013 às 13:55

        Prezado professor Luciano,
        A evolução na carreira visa, justamente, receber melhor salário. Em todo caso, vou verificar se é possível organizar a tabela que sugere.
        Bebel

  • 43. Claudia Duarte  |  23/01/2013 às 22:43

    Bebel, gostaria de saber se com o art 22 durante o ano eu posso pegar carga suplementar?

    Responder
    • 44. apeoesp  |  24/01/2013 às 14:06

      Prezada professora Cláudia,
      Não pode.
      Bebel

      Responder
  • 45. ROSANA  |  24/01/2013 às 03:06

    OLÀ! BEBEL

    POR FAVOR ME ORIENTE NESTA SITUAÇÃO:

    O JUIZ ME CONCEDEU ‘TUTELA ANTECIPADA” ME AUTORIZANDO A PARTICIPAR DA ATRIBUIÇÃO COMO CATEGORIA “F”, JÁ ESTOU COM A DECISÃO JUDICIAL EM MÃOS (JÁ PROTOCOLEI NA DIRETORIA DE ENSINO).NA HIPÓTESE DA DIRETORIA DE ENSINO NÃO ACATAR A REFERIDA “DECISÃO JUDICIAL”, O QUE DEVO FAZER?
    O ADVOGADO DA MINHA SUBSEDE PODE ME ACOMPANHAR NO MOMENTO DA ATRIBUIÇÃO ???/PORQUE EU COM ESTA “DECISÃO JUDICIAL’ FICA MUIIIIIITO DIFÍCIL ESTANDO “SOZINHA” NESTE MOMENTO DA ATRIBUIÇÃO…

    ME AJUDE!!!

    OBRIGADA!

    Responder
    • 46. apeoesp  |  24/01/2013 às 13:41

      Prezada professora Rosana,
      Todas as subsedes estão orientadas a manter plantões nas DREs nos dias de atribuição. Você pode também ligar antecipadamente para a subsede para acertar com o departamento jurídico local esta situação.
      Bebel

      Responder
  • 47. Eliana  |  24/01/2013 às 10:37

    Prezada Bebel,
    Estou cumprindo meu segundo contrato. No ano restrasado, atingi 60 pontos no processo seletivo mas, este ano, por estar com muitos problemas, não consegui atingir o índice no processo seletivo. Gostaria de saber se meu contrato será suspenso e não vou poder participar da atribuição em nenhum outro momento?
    No Gdae não aparece nenhuma classificação no meu nome.

    “4) O professor categoria “O” precisa fazer a prova?

    Resposta: Ele precisa fazer a prova e ser aprovado para ser contratado.”

    Obrigada,
    Eliana
    Diretoria de São Vicente

    Responder
    • 48. apeoesp  |  24/01/2013 às 13:07

      Prezada professora Eliana,
      O professor da categoria O precisa fazer a prova e obter a nota mínima.
      Você poderá obter aulas a partir de 7/2. Será publicada uma lista específica. Até obter aulas seu contrato fica suspenso.
      Bebel

      Responder
  • 49. lucivelo  |  24/01/2013 às 12:16

    Veja que absurdo!!! Um professsor que passou em concurso, fez curso, outra prova, exame médico rigoroso e estágio probatório precisa passar pela humilhação de não poder trabalhar próximo a sua casa por mero impedimento legal, legalidade que, aliás, não se aplica a quem sequer passou em concurso e ganhou TUDO DE MÃO BEIJADA, inclusive com direito a funções como sala de leitura e mediação, que lhes GARANTIU direito a jornada INTEGRAL antes dos efetivos, no dia 20/12/12. ONDE ESTÁ A JUSTIÇA AÍ? Isso precisa ser revisto com urgência! O efetivo não pode continuar prejudicado, enquanto assiste a cat. F tendo mais direitos e sem prejuízos. Outra coisa, garantia de trabalho antes da atribuição inicial, com jornada completa ainda por cima, é cargo, e cargo precisa ter concurso, concorda??

    Responder
    • 50. apeoesp  |  24/01/2013 às 13:33

      Prezada professora Lucivelo,
      Não se pode avançar em luta alguma se pretendemos jogar parte da categoria contra a outra. Não posso concordar com sua opinião, embora a respeite, pois todos temos o direito de expressar nossos pontos de vista. Os professores da categoria F, ao serem tornado estáveis por força de uma situação criada pelo governo Serra (que queria jogar 80 mil profissionais para fora do sistema previdenciário estadual), somavam muitos e muitos anos de trabalho na rede estadual de ensino. Nada lhes foi dado de mão beijada, como afirma. Esses profissionais não escolheram serem contratados sem concurso e sim foram assim contratados porque o Estado, sob os governos de PSDB, passou vários anos sem promover concursos. Voltou a fazê-lo a partir de 2010, com mais regularidade, graças à nossa luta, que conquistou a periodicidade de 4 anos entre os concursos.
      A APEOESP luta de forma indistinta por todos os professores. Nossa posição é clara: queremos que todos os professores sejam concursados. Esta é a verdadeira avaliação dos professores. Mas não deixamos nenhum setor da nossa categoria desguarnecido quando há ameaças de demissão ou perda de direitos.
      Bebel

      Responder
      • 51. lucivelo  |  24/01/2013 às 13:43

        Os efetivos estão desguarnecidos na medida em que são menos considerados e a comparação se torna inevitável, porque está patente. E concursos ocorreram, sim: 1998, 2003, 2004, 2005, 2007, 2010. Logo, a informação não procede. Se a prioridade é concurso, porque as pautas das mobilizações sempre apontam para a necessidade de estabilizar todo mundo, ou seja, sem concurso? Vejo-me preterida tanto pela APEOESP quanto pelo governo. Não tenho os mesmos direitos da cat. F, logo, sou inferiorizada, sim!

      • 52. apeoesp  |  25/01/2013 às 12:54

        Prezada professora Lucivelo,
        Concursos ocorreram em número insuficiente, por isto temos tantos OFAs. Em segundo lugar, informe-se melhor: a APEOESP não defende estabilizar todo mundo sem concurso. Esta posição sempre foi derrotada nas nossas assembleias. Defendemos ingresso por concurso público e lutamos por eles.
        Bebel

    • 53. Ana  |  25/01/2013 às 01:13

      OLÁ COLEGA,
      CONCORDO PLENAMENTE COM VOCÊ, E TEM MAIS,NEM TODO PROFESSOR CATEGORIA F TEM MUITOS ANOS DE TRABAHO NO ESTADO E NEM TODO PROFESSOR OFA COM MUITOS ANOS DE TRABALHO NO ESTADO É DA CATEGORIA F, POIS A CONDIÇÃO ERA TER AULAS ATRIBUIDAS NAQUELE PERÍODO E NÃO O TEMPO DE SERVIÇO. NÃO QUEREMOS DESUNIR OS PROFESSORES, MAS NÃO TEM COMO NEGAR QUE ESSA DIVISÃO DE CATEGORIAS É UMA GRANDE INJUSTIÇA!

      Responder
      • 54. apeoesp  |  25/01/2013 às 12:12

        Prezada professor Ana,
        Colocado nesses termos, não posso discordar de você. Realmente a divisão em categorias é absurda e nos prejudica. Entretanto, esta divisão não é responsabilidade dos professores e sim do Estado. Por isso não podemos ofender ou atacar nossos colegas e sim devemos nos unir e lutar para que todos tenham os mesmos direitos, pois todos trabalham.
        Bebel

    • 55. Tais  |  25/01/2013 às 22:03

      Prof Lucivelo…tem mais agravante…tenho 9 anos de estado…estava sem aula naquele período em que a anta do governador fez essa lei 1010/2007…entrei com um processo para q eu também voltasse a essa maravilha…estabilidade sem concurso…um desembargador negou minha volta pois essa lei 1010/2007 é INCONSTITUCIONAL…ENTÃO ME PERGUNTO ATÉ HOJE PQ ELA AINDA VIGORA….

      Responder
      • 56. apeoesp  |  27/01/2013 às 12:57

        Prezada professora Taís,
        Esta é a opinião do juiz. Todas as tentativas e estudos que fizemos para demonstrar a inconstitucionalidade, inclusive junto ao TJSP foram infrutíferas. O seu/sua advogado/a recorreu? Muitos colegas tem obtido sentenças favoráveis.
        Bebel

      • 57. lucivelo  |  27/01/2013 às 14:46

        Profª Taís, não concordo com a APEOESP quando reivindica concurso e estabilidade ao mesmo tempo, tornando o efetivo um grande palhaço, que precisa passar por um processo rigoroso até alcançar a estabilidade já conseguida por eles, então para que concurso? Eu concordo com o juiz, é inconstitucional e eu vou atrás dos meus direitos como efetiva de ter os mesmos privilégios da cat. F, ter acesso à sala de leitura e à mediação e ainda ter minha jornada garantida antes do término do ano letivo para que eu fique de férias sem preocupação nenhuma. Ah, importante aqui frisar que muitos prof. cat. F com muito mais pontos do que esses que já estão “bonitinhos” ficarão sem aulas. É justo?????????????

      • 58. apeoesp  |  28/01/2013 às 01:53

        Prezada professora Lucivelo,
        Você continua reproduzindo uma informação errada, por mais que eu esclareça. A APEOESP não reivindica estabilidade sem concurso. A APEOESP não está reivindicando estabilidade para nenhum professor se não for pela via do concurso público. O que ocorreu com os professores da categoria F foi consequência da tentativa do Estado de colocá-los fora do sistema previdenciário. Lutamos para que fossem mantidos e a único maneira de fazê-lo era conceder-lhes a condição de estáveis. Continuamos incentivando todos os professores a prestarem concursos públicos. Foi nossa a proposta para que o Estado decretasse que deve haver concursos públicos com a periodicidade mínima de 4 anos. Espero que não continue a propagar uma informação falsa sobre a posição da APEOESP.
        Nós lutamos por todos os professores, queremos que todos possam ser efetivos, concursados e que apenas uma pequena parcela seja considerada OFA para substituir os efetivos em seus impedimentos.
        Não culpe seus colegas e o sindicato por situações criadas pelo governo.
        Bebel

      • 59. lucivelo  |  28/01/2013 às 23:40

        Como poderia culpar meus colegas, Bebel??? Quem está fazendo juízo errado sobre mim é você, eu fui bem clara: não tenho os mesmos direitos e privilégios da cat, F e isso é REAL.

      • 60. apeoesp  |  29/01/2013 às 12:42

        Prezada professora Lucivelo,
        Acategoria F não tem quaisquer privilégios. Escolhe aulas apenas após os professores efetivos e caso não obtenha aulas na escola ou na DRE fica com a jornada reduzida na escola, equivalente a nove aulas.
        Todos os professores são prejudicados, de uma forma ou de outra, por este governo. Não vamos continuar nos divididno e nos posicionando uns contra os outros. Isto é o que o governo quer.
        Bebel

      • 61. lucivelo  |  29/01/2013 às 13:20

        Você está insistindo em me colocar como vilã e isso seguramente não me pertence; mas, por outro lado, a APEOESP não está sendo honesta quando diz que luta por todos os professores, quando na realidade não se posiciona contra o governo ter criado uma resolução que não permite que efetivos ativos participem de processos restritos a apenas parte da categoria, ou seja, se a prioridade é o trabalho na sala de aula, não há sentido nenhum que entre os adidos e readaptados privilegiados pela legislação estejam os prof. cat. F ativos, que também poderiam estar em sala de aula.

      • 62. apeoesp  |  29/01/2013 às 14:47

        Prezada professora Lucivelo,
        Suas palavras e a forma como se refere aos professores da categoria F falam por si. Os professores efetivos tem prioridade na maior parte dos procedimentos, funções e projetos da SEE, o que é correto. Os professores da categoria F podem ter acesso a alguns projetos. Nossa luta é para que todos os professores que trabalham na rede estadual de ensino tenham possibilidade de prestar concursos, efetivarem-se e terem os mesmos direitos.
        Bebel

      • 63. lucivelo  |  30/01/2013 às 00:40

        Há uma diferença muito grande, enorme eu diria, entre ser contra professsore e contra as condições em que se encontram. Não há como ser contra pessoas que sequer conheço. E as condições desses professores é validada pela entidade, que, parcialmente, não trabalha em prol de que todos tenhamos os mesmos direitos, basta reparar que você não mencionou em nenhum momento que vai verificar a legalidade de que todos tenhamos acesso à sala de leitura e à mediação, ou seja, está apoiando a legislação que desfavorece enormemente os efetivos ativos.

  • 64. Benedito  |  24/01/2013 às 12:22

    Realmente o professor já perdeu quase tudo, sua estabilidade, seu direito de ter aula atribuída por pontuação, as faltas médicas, as férias, seu direito de cátedra, desconfio que já perdeu até a sua dignidade, pois trabalhar nessas condições; é ser escravo e ser oprimido e humilhado todos os dias,agora só falta perder o medo para recuperar a dignidade e seus direitos.

    Responder
    • 65. apeoesp  |  24/01/2013 às 13:25

      Prezado professor Benedito,
      Podemos dar uma resposta contudente a esta situação em abril. Temos fevereiro e março para prepararmos uma grande greve, que provoque uma mudança de atitude por parte do governo e conscientize a sociedade da nossa situação. Precisamos do empenho de todos.
      Bebel

      Responder
  • 66. analana  |  24/01/2013 às 12:28

    Por que não recebo respostas?

    Responder
  • 67. Lucimara  |  24/01/2013 às 15:08

    Prezados colegas,Tem alguém aqui que leciona português, que esta no interior na região de Pres.Pte, Teodoro, Mirante ou outra cidade desta região e que queria estar em São Paulo? Se alguém tiver interesse, por favor entre em contato comigo por email.
    lucimara_pp@ig.com.br

    Responder
  • 68. Ana Maria  |  24/01/2013 às 15:48

    Bebel não estou entendendo mais nada. Vi a mensagem da Danda acima, que disse que não poderia pegar carga suplementar, mesmo sua inscrição para a 22 sendo indeferida e ela está em estágio probatório. Estou na mesma situação dela e hoje peguei carga suplementar normalmente, a diretoria disse que podia…Como pode tanta bagunça e informações desencontradas nesse governo?. Se houver algum problema com minha atribuição de suplementar, peço exoneração, chega de tanto descaso.

    Responder
  • 69. Tais  |  24/01/2013 às 15:50

    boa tarde,estava lendo o calendário de atribuição e vi que os candidatos a contratação q estiverem com aulas atribuídas poderão concorrer a nível de U.E…meu contrato foi prorrogado…então estou ainda estou com as aulas este ano…posso então participar na U.E?
    “§ 6º – Os candidatos à contratação por tempo determinado passarão a concorrer em nível de unidade escolar na escola em que tiver classe ou aulas atribuídas no respectivo ano letivo.”
    Obrigado…

    Responder
    • 70. apeoesp  |  25/01/2013 às 13:37

      Prezada professora Taís,
      Procure a sua escola para verificar o cornograma de atribuição.
      Bebel

      Responder
  • 71. luciano  |  24/01/2013 às 21:19

    O que a APEOESP sugere aos associados envolvidos no mandado do artigo 22? Segunda-feira dia 28/01 vamos a atribuição??? Há a possibilidade do mandado coletivo ser DEFERIDO???? Pq minha diretora disse que o mandato individual aqui na De São Joaquim da Barra foi INDEFERIDO, vai publicar amanha no site tjsp.jus.br.

    Responder
    • 72. apeoesp  |  25/01/2013 às 13:58

      Prezado professor Luciano,
      Por favor ligue para 11.33506214 e verifique que procedimento adotar.
      Bebel

      Responder
      • 73. luciano  |  25/01/2013 às 17:28

        Ninguem atende o telefone.

      • 74. apeoesp  |  26/01/2013 às 23:43

        Prezado professor Luciano,
        A sede central não funcionou no dia 25/01 por ser aniversário da cidade de São Paulo.
        Bebel

  • 75. Danielle  |  24/01/2013 às 23:16

    PARABÉNS A ESSE JUIZ QUE INDEFERIU O ARTIGO 22, “muito justo” da parte dele fazer com que os profs fiquem longe de suas famílias e paguem para trabalhar. Nessas condições muitos professores irão exonerar e o aluno será prejudicado da mesma forma. Realmente justiça é algo que deveria ser aperfeiçoado e revisto por certos profissionais que cometem essas injustiças!

    Responder
  • 76. maria  |  25/01/2013 às 00:24

    Rosana, como comnseguiu essa liminar? Entrei com processo há três anos pela apeoesp e até agora nada….. isso que tenho 23 anos de estado….

    Responder
  • 77. ROSANA  |  25/01/2013 às 10:41

    BOM DIA!
    BEBEL

    INICIEI MEU CONTRATO COMO “O” EM 04/08/2011(FUI ATÉ DEZEMBRO DAQUELE ANO), O MESMO CONTRATO CONTINUOU E TIVE AULAS ATRIBUÍDAS EM JANEIRO/ 2012 FUI ATÉ 21/12/2012, ASSINEI A EXTINÇÃO DO CONTRATO ATÉ 21/12/2012, MAS A ESCOLA SÓ ME PEDIU P/ ASSINÁ-LO EM 07/01/2013.
    OBS: ATÉ AGORA NÃO RECEBI FÉRIAS(AQUI CONFIGURA MAIS DE 12 MESES TRABALHADOS)? NÃO É VERDADE????
    COMO DEVO PROCEDER ATÉ AGORA NÃO RECEBI NADA DE “FÉRIAS”

    GRATA!

    Responder
    • 78. apeoesp  |  25/01/2013 às 11:51

      Prezada professora Rosana,
      Você deve, em primeiro lugar, dirigir-se à sua escola ou à diretoria de ensino e pedir explicações por escrito sobre os motivos do não pagamento. De posse deste documento deve procurar o departamento jurídico da APEOESP, pois precisará ingressar com ação judicial.
      Bebel

      Responder
  • 79. ROSANA  |  25/01/2013 às 10:49

    OI! BEBEL
    QUANDO EU ERA “L” TIVE “QUINQUÊNIO” E TAMBÉM ADQUIRI A “EVOLUÇÃO FUNCIONAL PELA VIA NÃO ACADÊMICA”.
    QUANDO FUI CONTRATADA COMO “O” A DIRETORIA DE ENSINO ALEGOU QUE PERDI TAIS DIREITOS…
    POSSO PROCURAR O JURÍDICO DA SUBSEDE P/ INGRESSAR CO AÇÃO???OU ENTRO ATRAVÉS DA SUBSEDE P/ ENCAMINHAR À SEDE DA APEOESP EM SP?

    É INADMISSÍVEL O ESTADO “SUBTRAIR” TAIS DIREITOS ADQUIRIDOS!!!

    NO AGUARDO!

    GRATA!

    Responder
    • 80. apeoesp  |  25/01/2013 às 11:50

      Prezada professora Rosana,
      Você pode e deve procurar o departamento jurídico para verificar o que é possível fazer para reaver esses direitos.
      Bebel

      Responder
  • 81. José Augusto  |  25/01/2013 às 16:47

    Muito bom saber que sexta feira após o almoço não há ninguém atendendo o telefone 11 33506214, assim temos total apoio de nossa maravilhosa apeoesp

    Responder
    • 82. apeoesp  |  26/01/2013 às 23:43

      Prezado professor José Augusto,
      A sede central não funcionou no dia 25/01 por ser aniversário da cidade de São Paulo.
      Bebel

      Responder
  • 83. Mara  |  25/01/2013 às 23:09

    Bebel, solicitei o mandado de segurança individual sobre o artigo 22 mas não saiu nenhuma resposta, ou seja, não adianta ir para a atribuição segunda, certo? Se depois a liminar for deferida, ainda haverá esperança?

    Responder
    • 84. apeoesp  |  26/01/2013 às 23:42

      Prezada professora Mara,
      Sugiro que você, antes de qualquer atitude, procure o departamento jurídico, na subsede ou pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 85. Marcelo  |  26/01/2013 às 02:16

    Bebel, você sabe informar quanto é o salário do professor com carga básica + 6 aulas complementar, não precisa ser exato, mas para que eu possa ter noção

    Responder
    • 86. apeoesp  |  26/01/2013 às 23:33

      Prezado professor Marcelo,
      Creio que este valor esteja em torno de R$ 1.700,00 no momento.
      Bebel

      Responder
      • 87. maria  |  26/01/2013 às 23:55

        Com ALE deve ficar entre de 1.900,00 a 2.000,00

      • 88. Marcelo  |  28/01/2013 às 01:16

        Me desculpe por tal pergunta, mas o que é ALE?

      • 89. apeoesp  |  28/01/2013 às 01:38

        Prezado professor Marcelo,
        Adicional de Local de Exercício, pago aos professores que trabalham em unidades escolares localizadas em locais de difícil acesso ou com alto índice de periculosidade.
        Bebel

  • 90. carla  |  26/01/2013 às 10:41

    Bebel, gostaria de me desculpar , pois me foram paassadas informações incorretas fui muito bem atendida na subsede de Araras e acabei de ficar sabendo que meu mandado de segurança foi deferido.
    Obrigada.

    Responder
  • 91. Meiriele Cristina Calvo  |  26/01/2013 às 14:28

    Olá Bebel,
    Entrei com mandato de segurança individual pelo Artigo 22 pela subsede de Campinas, mas não houve sentença divulgada até agora. A atribuição ocorre na segunda feira de manhã, como proceder?
    Aguardo instruções. Obrigada.

    Responder
    • 92. apeoesp  |  26/01/2013 às 23:00

      Prezada professora Meiriele,
      Caso não haja sentença, sua atribuição será normal, desconsiderando o artigo 22. Se deferida a liminar, antes, durante ou depois, conforme o despacho do juiz, deve procurar o departamento jurídico para verificar como proceder.
      Bebel

      Responder
  • 93. ROSANA  |  27/01/2013 às 00:00

    RESPOSTA à MARIA

    CONSEGUI A LIMINAR EM JANEIRO, MAS INGRESSEI COM AÇÃO PELA APEOESP EM 2009(ENTREI PELA SEDE EM SP)., ENTRE EM CONTATO COM A BEBEL E O JRÍDICO.

    ABRAÇOS!

    Responder
  • 94. luciano  |  27/01/2013 às 20:01

    Minha ação individual foi INDEFERIDA… nem adianta ir na atribuição as 8h da manha? o recurso da apeoesp nao deu nada ainda?

    Responder
    • 95. apeoesp  |  28/01/2013 às 01:47

      Prezado professor Luciano,
      Infelizmente a decisão sobre nosso recurso deve demorar.
      Bebel

      Responder
  • 96. Edemir  |  27/01/2013 às 21:13

    Boa tarde!

    Quero registrar minha insatisfação com a SEE pela forma como trata o professor. Me sinto desvalorizado e desmotivado. Devido o impedimento do artigo 22, exonerarei meu segundo cargo…acredito que a secretaria prefira alunos com aulas vagas ou professores eventuais despreparados que mais parecem “alunos” do que profissionais da educação (não generalizo).
    Quero também reclamar do sindicato por não conseguir ao menos um atendimento decente aos seus associados. Em trés subsedes que liguei fui mal orientado e recebi informações conflitantes….

    De qualquer forma, ainda tenho duvidas ……

    Sra. Bebel, o sindicato recorreu da decisão certo? Tem previsão desse recurso? Existe possibilidade de sair algo antes do dia 01/02? Se sair, o que ocorrerá? A atribuição irá voltar? Não consegui entrar com mandado de segurança, ainda há possibilidade de conseguir participar da atribuição mesmo assim, caso saia a resposta desse recurso?

    Desde já agradeço!

    Responder
    • 97. apeoesp  |  28/01/2013 às 01:46

      Prezado professor Edemir,
      Você tem toda a razão de estar indignado, como também estamos.
      É improvável que saia uma decisão até o início das aulas. Estes processos judiciais costumam demorar, por isso orientamos a ingressar com ações individuais.
      Bebel

      Responder
  • 98. José Augusto  |  28/01/2013 às 14:16

    Bebel boa tarde.

    Há a possibilidade de que ainda ganhemos o direito da 22 antes do início das aulas? Caso sim, a atribuição voltará?

    José Augusto

    Responder
    • 99. apeoesp  |  28/01/2013 às 18:58

      Prezado professor José Augusto,
      Lidamos com todas as possibilidades. Tudo depende, inclusive, do teor da sentença que o juiz dará, quando for decidida.
      Bebel

      Responder
  • 100. Gisele  |  28/01/2013 às 17:07

    Boa tarde estou muito insatisfeita com o tratamento da sub sede da apeoesp de taboao da serra entreguei minha documentação no dia 23 para ação individual paguei 56,00 por isso e depois da entrega e pagamento nao consegui falar com mais ninguem de la liguei diversas vezes para saber como estava ocorrendo a ação judicial e ninguem atende, não tive nenhum suporte nem informações coerentes hoje foi a atribuição do artigo 22 e não sei ate agora se minha ação individual foi realizada ou deferida ou indeferida.

    Responder
    • 101. apeoesp  |  28/01/2013 às 18:23

      Prezada professora Gisele,
      Vou encaminhar sua queixa ao departamento jurídico para que se verifique esta situação e providências sejam tomadas. Peço desculpas pelo ocorrido. Esta não é a orientação da diretoria.
      Bebel

      Responder
  • 102. REGINA  |  28/01/2013 às 21:15

    OI BEBEL EU GOSTARIA DE SABER SOBRE EVOLUÇÃO FUNCIONAL SE QUEM PARTICIPOU DO CONSELHO DE CLASSE VALE COMO PONTUAÇÃO

    Responder
    • 103. apeoesp  |  29/01/2013 às 13:36

      Prezada professora Regina,
      Nas discussões da comissão paritária isto está sendo considerado para começar a valer quando a proposta for concluida e publicada na forma de decreto. Ainda não há previsão.
      Bebel

      Responder
  • 104. analana  |  28/01/2013 às 23:25

    Quem é categoria F é obrigada a pegar todas as aulas que sobraram na U.E. mesmo que não queira trabalhar à noite e as aulas forem à noite? Tenho filho pequeno que fica na creche e não posso trabalhar à noite. Fui obrigada a pegar as aulas da noite pois foi o que sobrou. Pedi para pegar aula na D.E. e a diretora não deixou. Disse que as aulas da U.E. têm que ser esgotadas.

    Responder
    • 105. apeoesp  |  29/01/2013 às 13:03

      Prezada professora Analana,
      Você precisa pegar as aulas disponíveis na escola. Porém a APEOESP defende o direito de escolha do professor. Entre em contato com o telefone 11.33506214 para mais esclarecimentos e orientações.
      Bebel

      Responder
  • 106. Suzana  |  30/01/2013 às 15:43

    Bebel vcs não tem nenhuma novidade?? Estou frustrada… em minha cidade 4 escolas estão com carga completa na minha area e tenho q ficar viajando e prejudicando tambem a escola q trabalho… Pois peguei somente a jornada minima num escola q tem um total de 14 aulas de arte, resumindo, ninguem irá a uma escola rural pegar 4 aulas e eu vou viajar toda semana da cidade onde moro pra outra… pra ganhar um salario baixissimo… E as 4 escolas ficaram com professores q muitas vezes nem são da area… É desanimador numa boa sou jovem e tenho pensaado sinceramente em sair da educação… Amo fazer o q faço mas…

    Responder
    • 107. apeoesp  |  31/01/2013 às 02:33

      Prezada professor Suzana,
      Entendo sua situação e lamento. Há muitas coisas erradas nesta sistemática que precisaria mudar.
      Bebel

      Responder
    • 108. Shirlei  |  31/01/2013 às 12:55

      Olá Suzana, me sinto frustrada como você, estou na mesma situação, e também penso em exonerar, porque até agora não vi vantagem em ser efetivo, estava melhor quando era contratada, pois estava na minha cidade e não precisava pagar para trabalhar…

      Responder
  • 109. Maria  |  31/01/2013 às 13:09

    Bebel pelo que pude observar na atribuição deste ano nós não tivemos nem chance de reclamar nossos direitos judicialmente, simplsmente fomos barrados do artigo22 e nem uma rspt coerente pudemos ter.A atribuição já foi, as aulas estão praticamente esgotadas, as diretorias de ensino não nos dão a mínima importancia e essa noite já viajarems para entrar em sala de aula amanhã.Eu q era catgF trabalhava proximo a minha casa deverei exonerar agora e passarei a ser o que???? Categoria Z????É isso que nos restou???? Rasgar o diploma ou sair da rede estadual né??? Ou será que alguém vai nos ajudar???? pq o sindicato não nos ajudou na remoção nem tão pouco no artigo 22, o q vc acha que nos devems fazer?????

    Responder
    • 110. apeoesp  |  01/02/2013 às 01:28

      Prezada professora Maria,
      Causa estranheza sua pergunta. O sindicato não ajudou? O sindicato ingressou com ação coletiva e com as ações individuais. O sindicato, todos os anos, luta junto à SEE para que esta situação mude. A responsabilidade por essas restrições não é do sindicato e sim do governo, que as criou. Consideramos essas limitações ilegais, mas a justiça não as vê desta forma. Não somos infalíveis, mas lutamos pelos professores. Críticas são bem vindas, mas críticas injustas não ajudam.
      Bebel

      Responder
  • 111. Marcia  |  01/02/2013 às 01:41

    Boa Noite!
    Minha amiga fez inscrição pela 22 e o resultado foi indeferido. Ela participou da atribuição, normalmente, na UE, e suplementou a sua carga (sua jornada são 24 aulas, ela completou com 30). Ligaram para ela da escola, hoje, avisando que ela não poderá ficar com as aulas da carga suplementar, em virtude de ter feito inscrição no art 22. Gostaria de saber se isso é correto, pois a inscrição deu indeferida. Fico no aguardo.

    Responder
    • 112. apeoesp  |  01/02/2013 às 02:26

      Prezada professora Marcia,
      Este é o procedimento que o estado adota, mas pode ser questionado. Ela deve procurar o departamento jurídico da APEOESP na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 113. vagner  |  01/02/2013 às 09:26

    Ola Bebel!

    Secretaria da Educação descumpre
    de novo a jornada do piso.

    Mais um ano se inicia e nada do cumprimento da jornada da lei do piso, até quando vamos assistir o desmando do governo sem poder faze nada? Só governo acha brecha na Lei ?
    e o sindicato…? ah! o sindicato? sei la… deve haver uma greve ai em Abril como se isso fosse resolver, mesmo se resolvesse, Abril já é o término do primeiro bimestre ou inicio do segundo iria voltar as atribuições? acho meio difícil em… mas a palavra chave é esperar.

    Responder
    • 114. apeoesp  |  03/02/2013 às 10:24

      Prezado professor Vagner,
      A greve em abril deve ser nosso grito de liberdade e de mudanças na educação no estado de SP. A greve é pela jornada do piso, mas não só. A greve não é a panaceia de todos os males, mas que alterativa restou? Negociamos, fomos à justiça, agimos no legislativo, fizemos atos e manifestações e o governo se mantém intransigente. A greve dever ser ampla, expressiva, massiva, forte. Todos nós, que temos consciência de que é preciso mudar, precisamos liderá-la. Não é uma greve do sindicato ou de um grupo. É uma greve de toda a categoria.
      Bebel

      Responder
  • 115. José Augusto  |  01/02/2013 às 23:07

    Bebel boa noite,

    Gostaria de orientações de como proceder quanto à remoção por união de cônjuges, lembrando que estou no estágio probatório.

    Muito obrigado.

    José Augusto

    Responder
    • 116. apeoesp  |  03/02/2013 às 10:58

      Prezado professor José Augusto,
      Não poderá participar de concurso de remoção o professor ingressante que se encontre em estágio probatório e que tenha sido nomeado mediante concurso regionalizado – parágrafo único do artigo 2.º do Decreto 55.144/2009. Entretanto, a APEOESP defende este direito. Quando abrirem as inscrições, proximamente, você terá a sua indeferida e deverá procurar o departamento jurídico para ajuizar ação individual. Para mais informações ligue: 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 117. analana  |  01/02/2013 às 23:13

    Está aberto o cadastramento em outras diretorias. Se eu me cadastrar em outra diretoria posso concorrer a vagas para professor coordenador na diretoria que me cadastrei?

    Responder
    • 118. apeoesp  |  03/02/2013 às 11:01

      Prezada professora Analana,
      Não encontrei qualquer impedimento. Confirme a informação pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 119. Marcela  |  02/02/2013 às 15:19

    Boa tarde!
    A diretoria para qual eu pedi artigo 22 comunicou dia 31 de janeiro a abertura de cadastramento de docentes efetivo, inscritos para o processo inicial de classes e aulas.Gostaria de saber se apeoesp sabe algo a respeito. O cadastramento será efetuado pelos interessados em atuar em outras Diretorias de Ensino???? Queria saber como isso funciona?

    Responder
    • 120. apeoesp  |  03/02/2013 às 11:17

      Prezada professora Marcela,
      Sim, o cadastramento é para professores que querem atuar em outras diretorias. Será feito até dia 4/2 e a atribuição a partir de 6/2.
      Bebel

      Responder
  • 121. Leandro  |  03/02/2013 às 23:09

    Olá Bebel, boa noite e bom ano.

    Sou Categoria O. Em 2012 fui eventual , após tive aulas atribuidas de apoio, quando acabou o projeto voltei a ser aventual e depois peguei uma substituição até início de dezembro.
    Fiz a prova e fui reprovada.
    Gostaria de saber:
    1 – quando vai sair minha classificação no gdae que não tem?
    2 – já posso pegar aulas como aventual?
    3 – poderei participar das atribuições durante o ano
    4 – preciso cumprir a quarentena?

    abraços

    Responder
    • 122. apeoesp  |  05/02/2013 às 12:03

      Prezado professor Leandro,
      Consulte o GDAE novamente. Caso não encontre a classificação, questione a CGRH.
      Formalmente não poderia obter aulas como eventual, mas faltam professores e a SEE em flexibilizado alguns procedimentos.
      Também pode tentar participar das atribuições, pela mesma razão.
      Agora exige-se novamente 200 dias de quarentena entre um contrato e outro. Para questionar este ponto, procure o departamento jurídico.
      Bebel

      Responder
  • 123. Roberta Sigaud  |  05/02/2013 às 16:31

    Bebel, já tentei de tudo, mas não vou consegui assumir as aulas referente ao concurso. Sou ingressante e tenho apenas 12 aulas em uma cidade a 400 km de casa. Não tenho condições de ficar viajando, nem de me mudar. Acabei de prorrogar meu exercício e te pergunto se há mais alguma coisa a fazer (do ponto jurídico) antes de pedir exoneração. Se eu ingressar com ação na justiça, poderei aguardar o resultado fora da sala de aula e exonerar apenas se perder a causa? Poderei ter problemas com ingresso em um novo concurso?
    Estou tentando ter essas informações da subsede, porém os advogados estão muito ocupados e só consegui vaga para o fim do mês.
    Muito obrigada!

    Responder
    • 124. apeoesp  |  07/02/2013 às 13:16

      Prezada professora Roberta,
      Você poderá ter, sim, problemas se sua demissão for eventualmente caracteriza como demissão a bem do serviço público por abandono do emprego. Por favor, ligue para 11.33506214 ou procure o departamento jurídico na sua subsede para receber orientação completa.
      Bebel

      Responder
  • 125. anderson  |  20/11/2013 às 09:52

    É isso aí, pessoal, a resposta que temos por contribuirmos com a apeoesp…desde o dia 11 há uma pergunta e até hoje não foi respondida e talvez nem será. Um verdadeiro descaso com os professores.

    Responder
    • 126. apeoesp  |  24/11/2013 às 14:56

      Prezado professor Anderson,
      Não localizei sua pergunta entre as pendências. É possível que não tenha sido registrada no blog ou que já tenha sido respondida.
      Desculpe.
      Bebel

      Responder
  • 127. anderson  |  26/11/2013 às 10:52

    Bebel, você poderia nos informar quando sai o resultado da tão esperada remoção?

    Responder
    • 128. apeoesp  |  01/12/2013 às 15:12

      Prezado professor Anderson,
      Deverá ser publicada antes da chamada dos concursados, em dezembro.
      Bebel

      Responder
  • 129. Magna  |  27/11/2013 às 23:36

    Preciso de ajuda em relação a uma questão que está atormentando a vida de muitos professores efetivos de meu município. Contarei-lhes sobre o meu caso que se reflete em muitos iguais na rede municipal de educação de meu município. Me efetivei em 03/02/2011, como professor tira férias no período em que não tem aula tiramos as férias em Janeiro de 2012, recebi o terço de férias referente aos meses trabalhados, ou seja 11 meses, no ano seguinte pagaram nossas férias em 05/11/2012 e tiramos as férias em janeiro como rotineiro. Neste ano 2013, quando fizemos o pedido das férias nos negaram alegando que não temos os 12 meses trabalhados para receber o terço de férias e para gozar da mesma. Isso está correto? O que devemos fazer?

    Responder
    • 130. apeoesp  |  01/12/2013 às 14:40

      Prezada professora Magna,
      Você precisa de orientação jurídica. Procure o departamento jurídico na subsede ou ligue para 11.33506214. Boa sorte.
      Bebel

      Responder
  • 131. Cristiane  |  30/11/2013 às 01:21

    Bebel, qual será a situação dos categoria O não aprovados na prova? Obrigada!

    Responder
    • 132. apeoesp  |  01/12/2013 às 14:09

      Prezada professora Cristiane,
      Não há mais aprovados e reprovados no processo seletivo da categoria O.
      Bebel

      Responder
      • 133. Cristiane  |  03/12/2013 às 06:21

        Então a prova é realmente classificatória? Será como em 2013, atribuição para não aprovados, ou participaremos todos juntos da mesma atribuição?

      • 134. apeoesp  |  08/12/2013 às 13:22

        Prezada professora Cristiane,
        Será uma lista única. A diferença é que quem já tem aulas atribuídas participa na unidade escolar.
        Bebel

  • 135. luiza helena penques  |  30/11/2013 às 19:05

    Quero saber se os servidores estadual da saude do Rio de janeiro teremos direito a URV.

    Responder
    • 136. apeoesp  |  01/12/2013 às 13:46

      Prezada Luiza,
      Isto depende da forma como cada estado lidou com a questão da correção. Aqui em SP, o governo afirma que já resolveu a questão, mas consideramos que não e fomos à justiça. Por favor, procure o sindicato da sua categoria para obter mais esclarecimentos.
      Bebel

      Responder
  • 137. Ivy  |  15/07/2014 às 01:58

    Sou professora efetiva e este ano estou com 30 aulas e minha jornada é básica. Quero saber se posso desistir de algumas aulas?

    Responder
    • 138. apeoesp  |  19/07/2014 às 14:00

      Prezada professora Ivy,
      Poderá, em casos excepcionais, não podendo mais participar de nenhuma atribuição durante o ano. Informe-se melhor pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,831,336 hits

%d blogueiros gostam disto: