Professores paulistas em greve contra o arrocho e o desmonte da escola pública

24/04/2013 at 13:55 1 comentário

Escrito por: João Antonio Felício, secretário de Relações Internacionais da CUT e ex-presidente da Apeoesp

23/04/2013

O salário inicial do professor da rede pública do Estado de São Paulo, com formação superior e carga horária de 40 horas semanais, é de R$ 2.088,27. A título de comparação, com a mesma formação e jornada de trabalho, o salário inicial do professor do Distrito Federal é de R$ 4.226,47; Tocantins, R$ 3.304,31; Mato Grosso do Sul, R$ 3.258,09; e Amapá, R$ 2.940,22. Há outros exemplos, como o de Roraima, onde o salário inicial para a jornada de 25 horas é de R$ 2.762,46, enquanto em São Paulo, para 24 horas, é de R$ 1.136,47.

Como explicar que o Estado com a mais alta arrecadação de ICM do país tenha um comportamento tão deplorável? Em condições tão desfavoráveis e descompromissadas com o magistério público, como estimular a juventude a seguir uma carreira de tamanha relevância para o presente e o futuro do país?

Mais do que representar um sério prejuízo para a categoria, esta opção do governo estadual paulista pelo arrocho salarial e a deseducação, pelo desmonte do ensino público, tem um alto custo para a sociedade como um todo. O fato de estarem faltando profissionais de inúmeras disciplinas nas escolas estaduais é apenas um entre tantos reflexos do abandono a que o magistério se vê relegado, como a superlotação das salas e a insegurança.

Diante de fatos tão graves, a resposta dos professores foi a greve em defesa da educação pública, gratuita e de qualidade. Que mil flores floresçam e a paralisação se espraie. Para que a justiça prevaleça. E o flagelo acabe.

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

Na enquete do UOL, apoio à greve sobe para 82% Carta publicada no Fórum dos Leitores do jornal O Estado de S. Paulo

1 Comentário Add your own

  • 1. Luiz  |  25/04/2013 às 00:49

    Espero que João Antônio Felício tenha essa mesma postura enfática quando nossos colegas do RS também entrarem em greve (em breve). Afinal, lá governa um “amigo”, mas a atitude é a mesma.

    E que nossa greve ganhe mais adeptos pois realmente o governo de SP passou do limite superior do descaso com quem foi e é responsável por ele chegar onde chegou.

    Luiz

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,831,336 hits

%d blogueiros gostam disto: