Professores exigem que o Secretário da Educação negocie com a APEOESP

06/05/2013 at 21:18 9 comentários

Autoridades do Estado são agentes públicos e deles se espera uma postura condizente com o processo democrático vigente no país. No Estado de São Paulo, algumas autoridades se comportam como se detivessem o privilégio da verdade e, portanto, não se sentissem obrigadas ao diálogo e à negociação com os segmentos que compõem o próprio aparelho de Estado e a sociedade civil organizada.

No presente momento, os professores da rede estadual de ensino estão em greve. Na pauta, reivindicações que dizem respeito à valorização do magistério e às condições necessárias ao trabalho docente e ao desenvolvimento do processo ensino-aprendizagem. A recuperação do poder de compra dos salários dos professores; a composição da jornada de trabalho de acordo com a lei 11.738/2008 (destinando-se no mínimo 1/3 para preparação de aulas e formação continuada em serviço); prevenção e combate à violência nas escolas; fim do verdadeiro regime de semi-escravidão imposto aos professores da chamada “categoria O”; mais concursos públicos são algumas das reivindicações do movimento, fatores que interferem na qualidade do ensino.

O que os professores solicitam neste momento é que o Secretário Estadual da Educação receba a APEOESP e com ela negocie no sentido de estabelecer o que é possível atender deste conjunto de questões, além de outras que aqui não mencionamos. Entretanto, ao mesmo tempo em que o Secretário divulga que estar “aberto à negociação” mantém-se numa postura rígida, intransigente, autoritária, repetindo seguidos elogios a si mesmo e recusando-se a receber o sindicato para conversar.

É preciso que o Secretário da Educação e o Governo Estadual entendam que não é possível realizar o processo educacional à revelia do magistério. Não se faz educação contra os professores e sim com eles, valorizando-os, reconhecendo seu trabalho e sua dedicação à escola pública, buscando atender suas necessidades por meio do diálogo e da negociação, pois elas coincidem com as necessidades da própria escola pública.

Esperamos uma mudança de atitude por parte do Secretário da Educação. Temos maturidade para compreender os limites de um processo de negociação. Sabemos que nem sempre é possível atender todas as reivindicações, mas queremos que a negociação aconteça, que o Secretário esteja aberto a considerar nossos argumentos e nossas necessidades e que o Governo possa alterar prioridades e utilizar os recursos de que o Estado dispõe para investir num setor cuja importância para o desenvolvimento do país é uma unanimidade.

Assim, na próxima quinta-feira pela manhã os professores estarão presentes na sede da Secretaria Estadual da Educação, na Praça da República, para entregar mais uma vez a pauta de reivindicações e reiterar o pedido de negociação. Esperamos contar com a presença dos órgãos de comunicação, para que toda a população possa acompanhar mais esta movimentação da nossa categoria.

Maria Izabel Azevedo Noronha
Presidenta da APEOESP

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

Por mais recursos para a educação pública

9 Comentários Add your own

  • 1. g. jair rocha  |  07/05/2013 às 02:15

    Eu entendo e concordo com o movimento, porém na região de Osasco não tem nenhuma escola parada e em momento algum se comentas algo sobre parar dentro das UES, assim como nunca houve sequer uma visita dos membros do sindicatos nas UES.

    Responder
    • 2. apeoesp  |  07/05/2013 às 02:41

      Prezado professor Jair,
      Sugiro que verifique o telefone da subsede em http://www.apeoesp.org.br e exija a presença do comando de greve.
      Bebel

      Responder
  • 3. Fabiana  |  07/05/2013 às 03:09

    Bebel estamos parados desde o dia 19 de abril e estamos entrando na terceira semana de greve porem somente o periodo noturno infelizmente os outros periodos não aderiram a greve e depois da confusão que houve na ultima sexta-feira a greve esta cada vez enfraquecendo e em nossa U.E os professores não estão mais resistindo e estamos voltando a partir de segunda-feira infelizmente descontentes , receiosos de que mais uma vez a greve vai miar pois estou na zona sul de sp e a escolas da regiao estão voltando a dar aulas e outras nem pararam pq o sindicato nao faz passeatas presentes de seus representantes dentro das escolas e muda o dia das manifestações pois muitos deixam de ir toda sexta-feira m muitos acumulam …cada a força dos representantes , sou da prefeitura e estamos em greve e o sindicato ja estavam passando nas escolas a 7h00 da manhã isso sim é força …..

    Responder
    • 4. apeoesp  |  07/05/2013 às 18:01

      Prezada professora Fabiana,
      A APEOESP organiza-se por meio de suas subsedes. Todas elas deveriam trabalhar de igual forma pela greve. Infelizmente há falhas e posições divergentes de grupos que não estão se empenhando. Por favor, verifique o telefone da Subsede de sua região no site da APEOESP (www.apeoesp.org.br) e exija que seja feito o necessário trabalho pela greve.
      Bebel

      Responder
  • 5. PROF LUIZ  |  07/05/2013 às 14:27

    Vamos à luta professores! Vamos deixar o comodismo de lado e vamos nos fortalecer e exigir nossos direitos!

    Responder
  • 6. Regina néri oliveira  |  07/05/2013 às 16:56

    Na minha escola tb não e de outros professores da região de guarulhos tb não. Qual foi o resultado do julgamento do recurso protelatório do governo, marcado para 6/05?

    Responder
    • 7. apeoesp  |  07/05/2013 às 17:47

      Prezada professora Regina,
      O julgamento foi adiado para 13/05.
      Bebel

      Responder
  • 8. Aline  |  10/05/2013 às 18:02

    Bebel, fiquei sabendo que algumas escolas, onde professores categoria ‘O’ aderiram a greve, estão com problemas para fechar o pagamento. Isto porque o sistema não permite o lançamento de tantas faltas sem que haja rescisão do contrato. Portanto, muitas escolas ainda estão aguardando orientações da SEE para saber como resolver essa situação.
    Esse inclusive é o meu caso. Estava desde 19/04 em greve, porém hoje fui forçada a voltar. Estou receosa do que possa acontecer, mas ainda acredito nesse movimento de professores, que infelizmente anda muito enfraquecido. Como muitos colegas falaram poucos professores estão aderindo.

    Sobre o problema de fechamento de pagamento, isso pode resultar em algum problema para o professor categoria O? Ou até mesmo rescisão de contrato?

    Responder
    • 9. apeoesp  |  11/05/2013 às 19:37

      Prezada professora Aline,
      O Secretário reafirmou que não haverá rescisão contratual em razão da greve. Tenho certeza de que conseguirão encontrar um saída para o problema do sistema. Acredito que até o próximo pagamento esta questão se resolva.
      Bebel

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,910,351 hits

%d blogueiros gostam disto: