CGRH confirma quarentena (afastamento de 40 dias) para professores da categoria O

20/12/2013 at 19:55 414 comentários

CORREIO

Data: 20/12/2013.

Assunto: Aplicação da Quarentena

Destinatário: Todas as Diretorias de Ensino.

A/C: Sr(a). Dirigente Regional de Ensino / Diretores de CRH.

Tendo em vista a publicação da Lei Complementar n° 1.215, de 30 de outubro de 2013, que altera a Lei Complementar n° 1.093, de 16 de julho de 2009, o presente tem a finalidade de orientar as Diretorias de Ensino a respeito dos procedimentos a serem adotados referentes à aplicação da “quarentena”, na seguinte conformidade:

  1. Quantidade de Contratações

Em 2014, poderão ser contratados servidores em igual quantidade de contratos celebrados em 2013.

Em 2015, poderá haver contratação de 50% (cinquenta por cento) dos contratos celebrados em 2014.

Em 2016, poderá haver contratação de 40% (quarenta por cento) dos contratos celebrados em 2014.

Período de Carência

A partir de 2014, serão observados os seguintes procedimentos:

– Docentes contratados, que tiveram a extinção automática no final de 2013 e que venham participar do processo inicial de atribuição de classes ou aulas, somente poderão ser contratados após o decurso do prazo de 40 (quarenta) dias, contados da data de extinção do contrato anteriormente celebrado.

– Serão desconsiderados para aplicação do decurso do prazo de 40 (quarenta) dias, os contratos celebrados anteriormente a 2014, que já tenham usufruído a aplicação da “quarentena”.

– O decurso do prazo de 40 (quarenta) dias, contados do término do contrato anteriormente celebrado, poderá ser aplicado uma única vez.

– A “quarentena” aplica-se somente ao candidato à contratação para a função docente, que tenha anteriormente celebrado contrato para a mesma função.

– Os docentes contratados, a partir de 2014, com intervalo igual ou maior que 40 (quarenta) dias e menor que 200 (duzentos) dias contados da última contratação, após a extinção do contrato celebrado em 2014, somente poderão ter celebrado novo contrato desde que decorridos, no mínimo, 200 (duzentos) dias da extinção contratual.

Exemplos:

1. O docente contratado em 2012, extinção ao CTD em 18/12/2013, carência de 40 dias de 18/12/2013 a 26/01/2014, poderá ser contratado em 2014, a partir de 27/01/2014. Esse mesmo docente terá o CTD extinto em dezembro de 2015. Para contratação em 2016 e nos anos subsequentes, deverá ser respeitada a carência, no mínimo, de 200 dias, contados da data da extinção do último CTD.

2. Docente contratado em 2013, extinção de CTD prevista para dezembro de 2014, poderá ser contratado em 2015, observada a carência de 40 dias. Para contratação em 2016 e nos anos subsequentes, deverá ser respeitada a carência, no mínimo, de 200 dias, contados da extinção do último CTD.

Atenção: o docente contratado somente fará jus à “quarentena” uma única vez.

Observação importante:

Os docentes, que tiveram extinção contratual em 2013, com a vigência posterior  18/12/2013, poderão concorrer à atribuição de classes ou aulas, devendo providenciar de imediato o Atestado de Saúde Ocupacional e assumir o exercício da classe/aulas no 1° dia útil após o cumprimento da “quarentena”. Nesse período, as aulas deverão ser ministradas, preferencialmente pelo Professor de Apoio à Aprendizagem (PAA) e, na ausência deste, por docente eventual.

Atenciosamente,

    CEPAG/DEAPE

    CELEP/DEPLAN

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

Tire suas dúvidas sobre a atribuição de aulas BOAS FESTAS!!

414 Comentários Add your own

  • 1. Jones Martins de Freitas  |  20/12/2013 às 20:09

    Bebel saiu na Fgv o dia que sairá resultado da interposição da Objetiva e o resultado final para a parte dissertativa. Sairá no dia 24, boa sorte para todos.

    Responder
    • 2. apeoesp  |  22/12/2013 às 14:57

      Prezado professor Jones,
      Obrigada.
      Bebel

      Responder
  • 3. phsl1985  |  20/12/2013 às 20:16

    Entendi mais ou menos. Ainda quero saber. Não foi explicado. Quem fez o primeiro contrato em 2010, prorrogou pra 2011 e o mesmo foi encerrado. Após isso fez um novo contrato em 2012 prorrogado pra 2013 e já usufruiu da a quarentena poderá trabalhar?

    Responder
    • 4. apeoesp  |  22/12/2013 às 14:54

      Prezado professor PHS,
      Este aspecto ainda não está muito claro.
      De toda forma, faltam professores na rede. Já houve flexibilização dos 200 dias em anos anteriores. Vamos ainda tratar deste aspecto com a SEE.
      Bebel

      Responder
    • 5. Edson  |  18/01/2014 às 16:27

      Boa Tarde!
      Está eliminar que a senhorita tanto comenta ela está prevista para quando. Pois a atribuição é sexta feira agora dia 24 de janeiro e tem nada ainda, a única coisa que sabe que muitos professores estão nesta situação de duzentena e que são pais e até mesmo mães de família e não sabe o que vai fazer para manter e sobreviver neste 160 dias que restam para terminar esse castigo para nós professores.
      Na minha opinião, aonde se já passaram 30 dias já se deveria ter resolvido está situação desagradável, aonde não se sabe nada. Caso tenha que cumprir os 200 dias qual vai ser a posição do sindicato?
      Att Professor Edson.

      Responder
      • 6. apeoesp  |  19/01/2014 às 15:31

        Prezado professor Edson,
        Em primeiro lugar, peço que não confunda o sindicato com o governo. Quem criou esta lei, estabeleceu os 200 dias e todas as péssimas condições de contratação do professor da categoria O não foi o sindicato e sim o governo. Portanto, a posição desagradável em que se encontram é culpa do governo e não do sindicato.
        O sindicato luta contra esta lei desde que surgiu. Não havia quarenta dias, mas apenas 200 dias, desde o início. A redução para quarenta dias, que já beneficiou tantos professores, foi conquista da APEOESP. A prorrogação de contratos para quase dois anos, que também não existia, foi conquista nossa. O fim do caráter eliminatório da prova também foi conquista nossa. O direito de atendimento pelo IAMSPE, que deve ser votado agora no início de 2014, também foi conquista da APEOESP.
        Sabemos perfeitamente das condições desumanas que atingem os professores da categoria O e temos lutando permanentemente para mudar isto.
        Agora, ingressamos com ação coletiva para derrubar os 200 dias e estamos confiantes de que vamos obter liminar.
        Boa sorte.
        Bebel

  • 7. Amanda  |  20/12/2013 às 20:45

    Meu contrato terminou dia 19/12/2013, a secretaria da escola onde trabalhei disse que eu so vou poder pegar aula de novo após os 200 dias, gostaria de saber se isso procede e se tem alguma chance de modificar essa lei.
    Obrigada!( não posso ficar todo esse tempo sem trabalhar!!!)

    Responder
    • 8. apeoesp  |  22/12/2013 às 14:53

      Prezada professora Amanda,
      Não procede. Leia o texto que publicamos. Se já usou o afastamento de 40 dias antes, aí teremos que discutir o caso com a SEE.
      Bebel

      Responder
  • 9. Érika  |  21/12/2013 às 01:50

    – Serão desconsiderados para aplicação do decurso do prazo de 40 (quarenta) dias, os contratos celebrados anteriormente a 2014, que já tenham usufruído a aplicação da “quarentena”.

    Quero que a nossa presidenta faça uma explicação detalhada desse trecho do comunicado que tem como título: “CGRH confirma quarentena (afastamento de 40 dias) para professores da categoria O”

    O que dá para entender é que: contratos celebrados antes de 2014 e que já tenham usufruído da quarentena, não poderá usufruir novamente. Ou seja, DUZENTENA para categorias O!

    Responder
    • 10. apeoesp  |  22/12/2013 às 14:50

      Prezada professora Érika,
      Como se vê no comunicado, na maioria dos casos o afastamento é de 200 dias.
      Por outro lado, faltam professores na rede. Já houve flexibilização dos 200 dias em anos anteriores. De toda forma, vamos ainda tratar deste aspecto com a SEE.
      Bebel

      Responder
  • 11. renata  |  21/12/2013 às 05:35

    Sou leiga mesmo, mas não entendi nada sobre essa questão da quarentena, ou 200 dias, como pode alguém ficar sem trabalho durante 200 dias, até aonde eu sei esse prazo não mais existiria, somos uma classe explorada, não temos direito a nada, nem mesmo se um filho fica doente temos o direito de ficar em casa e cuidar dele, somos humilhados dentro da nossa própria escola por colegas de profissão, somos explorados, porque se somos professores como qualquer um…só infelizmente não temos um cargo efetivo.

    Responder
    • 12. apeoesp  |  22/12/2013 às 14:48

      Prezada professora Renata,
      Concordo com você. Por isso lutamos para que esta lei não fosse aprovada e lutamos para que seja revogada.
      Bebel

      Responder
  • 13. João Luiz dos Santos  |  21/12/2013 às 15:17

    E o que o sindicato vai fazer diante desta situação?
    Quando queríamos prosseguir com a paralisação, o sindicato decidiu pelo término!
    Respeito muito os meus colegas categoria F mas eles tiveram mais vantagens que nós.
    Todos nós somos iguais as vistas do Sindicato, portanto, os colegas categoria O teriam que ter beneficiados.
    Na Paulista éramos muitos e digo, uma parcela significativa!

    Responder
    • 14. apeoesp  |  22/12/2013 às 14:41

      Prezado professor João,
      Os resultados são proporcionais à força e à amplitude da greve. Não foi o “sindicato” quem decidiu o fim da paralisação e sim a maioria dos professores presentes. Houve uma votação, houve defesa de cada uma das propostas. Houve uma decisão democrática. E a maioria das questões negociadas diz respeito aos professores da categoria O. São mais de 50 mil na rede.
      Bebel

      Responder
  • 15. maria  |  22/12/2013 às 02:02

    Quando a APEOESP disse q a quarentena seria aplicada para todos , não disse q seria uma única vez…

    Responder
    • 16. apeoesp  |  22/12/2013 às 14:33

      Prezada professora Maria,
      Ainda há dúvidas sobre este ponto. Deve ser considerado, porém, que sem a modificação da lei seria de 200 dias para todos.
      Bebel

      Responder
  • 17. Katia Araujo  |  22/12/2013 às 03:13

    Boa noite Bebel!
    Eu sou categoria O meu primeiro contrato foi em 2010… então terei que cumprir 200 dia ?

    Responder
    • 18. apeoesp  |  22/12/2013 às 14:31

      Prezada professora Katia,
      Ainda há dúvida sobre este ponto. Aparentemente, sim.
      Bebel

      Responder
      • 19. Bruna Maria da Rocha  |  05/02/2015 às 15:23

        Olá. Gostaria de saber se nós professores em duzentena tem direito ao seguro desemprego.
        Atenciosamente
        Bruna Rocha

      • 20. apeoesp  |  07/02/2015 às 12:10

        Prezada professora Bruna,
        Infelizmente, não, pois o regime de contratação não é pela CLT e sim por lei específica (LC 1093/2009).
        Bebel

  • 21. Lucas  |  22/12/2013 às 16:56

    Os duzentos dias letivos a qual a lei complementar indica não possui artigo designado,portanto,vale os 40 dias.

    Responder
  • 22. Lucas  |  22/12/2013 às 17:02

    lembrando que a lei complementar é de outubro de 2013,isto é, recente,e foi designada para suprir o erro dos 200 dias que todos reclamavam.O edital no inicio já conclui que a mesma é para mudanças no processo seletivo que é classificatório em 2014 e que a partir desse mesmo ano os contratos devem obedecer o mínimo de quarenta dias e os 200 dias é dado a um artigo que foi extinto que corresponde ao do n°5.

    Responder
  • 23. Lucas  |  22/12/2013 às 17:08

    Leiam atentamente a lei complementar n°1215 de 30 de outubro de 2013 que substitui a lei complementar n°109316 /07/2009 e preste atenção que o artigo n°5 que faz referência ao antigo 200 dias ele é extinto na nova lei complementar de 30 de outubro de 2013.

    Responder
    • 24. André Christian Dalpicolo  |  28/12/2013 às 21:05

      lucas,
      perfeita a sua análise.

      Responder
      • 25. Léia  |  09/01/2014 às 20:17

        Lucas vc pode me enviar por email uma explicação mais detalhada?

  • 26. Kaio  |  22/12/2013 às 19:54

    Bebel, veja se entendi,
    Os professores que em 2011 eram contratados pela
    Categoria
    ADMITIDO LEI 500/74 – R.G.P.S. ( antiga categoria L )
    assinaram seu primeiro contrato em 2012, foi prorrogado para 2013 e agora cumpre 40 dias fora da sala de aula.

    Infelizmente os que em 2010 entraram pela lei
    Categoria
    CONTRATADO TEMPORARIO – LC 1093/2009 ( categoria O )
    tiveram seu contrato prorrogado para 2011, para entrar em 2012 cumpriram os 40 dias fora da sala de aula e tiveram a prorrogação desse contrato para 2013, agora infelizmente cumpre mesmo os 200 dias fora da sala de aula.

    Por isso a confusão de saber quem entra nos 40 e quem entra nos 200.
    Quarenta dias somente para os antigos L e esses cumpriram os 200 em 2016.

    Obrigado!!

    Responder
    • 27. apeoesp  |  23/12/2013 às 15:06

      Prezado professor Kaio,
      Este ponto esta mesmo obscuro e vamos esclarecê-lo junto à SEE. Ocorre que, face à falta de professores na rede, tem havido certa flexibilização nesta regra.
      Bebel

      Responder
  • 28. Ana  |  22/12/2013 às 21:52

    Prezada Profª Bebel,

    Os docentes de alguns projetos da pasta deverá ser reconduzidos se bem avaliados. Para contratados, o comunicado da CGRH diz que “observada a vigência do contrato”. Isso quer dizer que pode ser reconduzido com novo contrato ou será dispensado mesmo bem avaliado? Obrigada pelo espaço.

    Responder
    • 29. apeoesp  |  23/12/2013 às 15:04

      Prezada professora Ana,
      Infelizmente a lei complementar 1093/09 impõe a vigência limitada do contrato (contrato por tempo determinado). Isto significa que, terminado o contrato, podem ser dispensados.
      Bebel

      Responder
  • 30. prof Silva  |  22/12/2013 às 23:31

    Está tudo muito claro na resolução, não há dúvidas em nada e na prática não mudou nada, não interessa se está faltando professor porque todo o mundo sabe que são somente algumas disciplinas e em algumas localidades. Se tivesse vagas a rodo não tinha fulano reclamando que trabalha longe de casa com escola perto, não tinha fulano eliminado do concurso porque a redação não vai ser corrigida…

    Os professores precisam parar de papo furado e cair na realidade, ou estuda e passa em um concurso ou muda de profissão, contar com migalhas e lorotas como esta quarentena uma única vez não dá.

    Resumindo as alterações: todos devem cumprir afastamento no encerramento de seus contratos, só que, primeiramente por 40 dias e por uma única vez, e a partir de outros contratos, assim que encerrados deverão ficar afastados sempre por 200 dias.

    Responder
    • 31. apeoesp  |  23/12/2013 às 15:01

      Prezado professor Silva,
      Para muito além de migalhas e lorotas, como você denomina, fizemos uma greve de 23 dias em 2013. Nossa categoria é muito grande. Somente professores categoria O são mais de 50 mil. Conforme o tamanho da adesão, maior a possibilidade de conquistas. Creio que você participou de toda a greve e certamente conseguiu paralisar integralmente a sua escola, o que, mesmo assim, não lhe dá autoridade para criticar e menosprezar as conquistas de todos os que lutaram e se arriscaram.
      Bebel

      Responder
      • 32. prof Silva  |  23/12/2013 às 18:54

        Problemas de interpretação, senhora presidente do sindicato???
        A crítica é direcionada às migalhas do governo, não ao sindicato, agora se a sua postura é defender as tais migalhas, parabéns!!!
        Ainda que eu criticasse, se eu pago é um direito meu!!!

      • 33. apeoesp  |  24/12/2013 às 11:44

        Prezado professor Silva,
        Peço desculpas se interpretei errado, mas o senhor falou em aceitar migalhas. Não aceitamos migalhas, continuamos a nossa luta e tudo o que temos, por menos que seja, foi resultado da nossa luta. O governo nada nos concede, nem mesmo migalhas.
        Bebel

    • 34. profº Jorge  |  09/01/2014 às 20:31

      É triste professor com esse pensamento… quem é ela pra decidir se professor deve ou não mudar de profissão, é dessa forma que ela pensa em melhorar a educação? Devemos lembrar que todos os professores tem o mesmo diploma, a mesma responsabilidade com a educação independente da letra o,a,z….

      Responder
      • 35. Mirian Souza  |  13/01/2014 às 16:37

        Com certeza, este professor já esta concursado e tranquilo em relação a sua vida profissional, e não tem empatia, concordo que a categoria O não é boa pra ninguém, mas é a porta de entrada para quem deseja lecionar, e outra coisas se houvesse concursos todos os anos ou uma efetivação por tempo de serviço, com certeza ninguém ira querer trabalhar temporario. Ser O não é uma escolha, é uma necessidade, infelizamente, é a dura realizade .

      • 36. paulo  |  27/02/2014 às 23:21

        Bebel então depois dos 40 dias eu posso ir atrás de aula é isso que você está me falando ou eu entendi errado se tiver errado por favor me fale o que tenho que fazer.

      • 37. apeoesp  |  02/03/2014 às 16:50

        Prezado professor Paulo,
        Sim, desde que tenha participado do processo seletivo.
        Bebel

  • 38. Lisete  |  23/12/2013 às 00:13

    Noa noite Bebel!
    Encerrei meu segundo contrato dia 18/11/2013, é possível que eu fique duzentos dias paradas?
    Grata. Lisete.

    Responder
    • 39. apeoesp  |  23/12/2013 às 14:56

      Prezada professora Lisete,
      Este é um ponto que não está muito claro. Vamos conversar sobre isto com a SEE. Em anos anteriores houve flexibilização, pois faltam professores na rede.
      Bebel

      Responder
  • 40. Marcos Antonio  |  23/12/2013 às 13:02

    “Serão desconsiderados para aplicação do decurso do prazo de 40 (quarenta) dias, os contratos celebrados anteriormente a 2014, que já tenham usufruído a aplicação da “quarentena”.

    Bebel, porque eles mudaram a fala, pois anteriormente haviam dito que a ‘quarentena’ duraria até 2015 para todos os contratos?

    Fui prejudicado, pois com base na informação anterior dei início a um projeto que agora não conseguirei termina-lo.

    Responder
    • 41. apeoesp  |  23/12/2013 às 14:55

      Prezado professor Marcos Antônio,
      Faltam professores na rede. Houve em anos anteriores flexibilização da quarentena. Vamos conversar sobre este ponto com a SEE.
      Bebel

      Responder
  • 42. Leandro  |  23/12/2013 às 13:45

    BEBEL:
    ESTOU COM UMA VIAGEM PROGRAMADA PARA O INICIO DE JANEIRO E ESTOU COM MEDO DE SER CONVOCADO E NÃO ESTAR PRESENTE. POSSO FAZER UMA PROCURAÇÃO E ENCAMINHAR ALGUÉM PARA ESCOLHA? QUEM EU POSSO COLOCAR COMO PROCURADOR? AJUDE-ME.

    Responder
    • 43. apeoesp  |  23/12/2013 às 14:53

      Prezado professor Leandro,
      Preferencialmente um parente próximo.
      Bebel

      Responder
      • 44. Leandro  |  23/12/2013 às 20:37

        Amigo não pode fazer a escolha por mim?

      • 45. apeoesp  |  24/12/2013 às 11:42

        Prezado professor Leandro,
        Desde que devidamente documentado, sim.
        Bebel

  • 46. Rogério  |  23/12/2013 às 15:44

    Ola Bebel! Novamente obrigado pela atenção de responder a todos.

    Existe alguma chance dos 20 mil professores serem chamados até dia 17/01/2014? visto que o processo de correção e divulgação da classificação do concurso esta próxima? Sendo assim daria tempo de muitos professores já assumirem os cargos antes da semana de atribuição, o que seria mais coerente com o ano letivo.

    Desde já agradeço.

    Responder
    • 47. apeoesp  |  23/12/2013 às 16:06

      Prezado professor Rogério,
      Os concursados serão chamados em março. A escolha será em janeiro.
      Bebel

      Responder
  • 48. Renata  |  23/12/2013 às 20:44

    Bebel, estou com dúvidas….l
    Sou categoria F, porém, peguei 10 aulas de professor auxiliar em setembro de 2013 como categoria O, é o primeiro contrato.
    A secretaria da minha escola informou que não recebo essas aulas em fevereiro por ser auxiliar, isso procede?
    Obrigada

    Responder
    • 49. apeoesp  |  24/12/2013 às 11:41

      Prezada professora Renata,
      Sim, procede. O professor auxiliar não tem vínculo permanente, apenas durante o período letivo.
      Bebel

      Responder
  • 50. ROSANA  |  23/12/2013 às 21:06

    OLA´! BEBEL
    VOCÊ HAVIA DITO NA WEBCONFERÊNCIA QUE “A QUARENTENA DOS “O” SERIA=40dias, estou no 2º contrato.
    Sei que o sindicato “já fez muito, mas o que continuará fazendo no tocante à quarentena que pode ser= 200 dias???
    ME ELUCIDE ESTA DÚVIDA POR FAVOR, ESTOU AFLITA.
    GRATA!

    Responder
    • 51. apeoesp  |  24/12/2013 às 11:37

      Prezada professora Rosana,
      Nós negociamos com o governo a redução para 40 dias. Agora, em meio aos esclarecimentos da CGRH, surgiu esta possibilidade de ser de 200 dias para alguns. Estamos estudando juridicamente a questão e vamos intervir para que seja de 40 dias para todos.
      Bebel

      Responder
  • 52. ROSANA  |  23/12/2013 às 21:36

    BEBEL
    AGRADEÇO POR TUDO QUE FIZESTES POR NÓS ATÉ AQUI, MAS PELO AMOR DE DEUS” , NOS AJUDE NA “NÃO APLICAÇÃO DA DUZENTENA= 2OO DIAS SEM PODER GANHAR O PÃO!!!
    ” ESTAMOS NUM ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO E O SINDICATO NÃO PODE PERMITIR ESTA “ABERRAÇÃO JURÍDICA”( DE DUZENTENA).
    PEÇO-LHE MAIS ESCLARECIMENTOS NO TOCANTE À DUZENTENA.
    OBRIGADA

    Responder
    • 53. apeoesp  |  24/12/2013 às 11:35

      Prezada professora Rosana,
      Estamos estudando juridicamente. Faremos todo o possível e o máximo que estiver ao nosso alcance. Queremos o fim desta duzentena.
      Bebel

      Responder
  • 54. RENATO DOMINGUES SALES  |  24/12/2013 às 06:06

    INFELIZMENTE MAIS UMA VEZ O GOVERNADOR PROMETE E NAO CUMPRE CABE AO PROFESSOR RESPONDER NAS URNAS

    Responder
  • 55. RENATO DOMINGUES SALES  |  24/12/2013 às 06:13

    COM CERTEZA MILHARES FICARAO SEM AULAS POIS NAO TEM PROFESSOR E AINDA AFSTA OS QUE TEM POR 200 DIAS E O PIOR NEM EVENTUAL PODE SER QUEM TEM QUE ESTAR AFSTADO POR 200 DIAS

    Responder
    • 56. apeoesp  |  24/12/2013 às 11:28

      Prezado professor Renato,
      Estamos estudando juridicamente esta questão da quarentena. Publicarei aqui o parecer jurídico.
      Bebel

      Responder
  • 57. Leandro  |  24/12/2013 às 12:59

    Bebel desculpe mais uma vez te incomodar, mas me responde uma coisa: Fiz uma pergunta a vc sobre a escolha de um cargo em janeiro caso aja convocação posso enviar um amigo por procuração desde que esteja bem documentado Ok? Mas que tipo de documentação é essa que vc citou? Pode me auxilar? Abraços!

    Responder
    • 58. apeoesp  |  29/12/2013 às 13:29

      Prezado professor Leandro,
      Uma procuração de próprio punho. Para garantia, melhor ter firma reconhecida em cartório.
      Bebel

      Responder
  • 59. ROSANA  |  24/12/2013 às 14:28

    BOA-TARDE!
    BEBEL
    SOU ASSOCIADA DA “APEOESP” E PEÇO A VOCÊ ALGUMAS ORIENTAÇÕES:
    1º INGRESSEI COM UMA AÇÃO COLETIVA PELA “APEOESP” , GANHEI EM 1ª INSTÂNCIA COMO “CATEGORIA F” , TENHO UMA “LIMINAR” QUE ME GARANTE COMO CATEGORIA “F” SÓ P/ EFEITO DE ATRIBUIÇÃO DE AULAS DESDE 2013, TAL LIMINAR AINDA ESTÁ VIGENTE PORÉM O MEU HOLERITH CONSTA ATÉ HOJE COMO CATEGORIA “O”, PQ ALEGARAM QUE NÃO CONSEGUIRAM MUDAR P/ “F” POR CAUSA DO SISTEMA DO DRHU.
    2ºASSINEI CONTRATO PELA 2ª VEZ EM 01/02/2013 ELE TERÁ VIGÊNCIA ATÉ QUANDO?
    3ºBEBEL ACREDITO NA SUA FORÇA (COMO MULHER GUERREIRA E PRESIDENTA DO NOSSO SINDICATO), NOS AJUDE ENTRE EM “CONTATO COM SEU CORPO JURÍDICO ANTES DODIA 02/01/2013, NÃO PODEMOS FICAR À DERIVA…
    4ºAGORA FALO EM NOME DE TODOS DA CATEGORIA “O” QUE ESTÃO NO 2º CONTRATO EM DIANTE( ESTAMOS NUM ESTADO DEMOCRÁTICO), COMO PODEMOS FICAR IMPEDIDOS DE GANHAR O PÃO, SEM TRABALHO???
    CONTO COM SEU POSSÍVEL E IMPOSSÍVEL P/ NOS AJUDAR…

    OBRIGADA!

    Responder
    • 60. apeoesp  |  29/12/2013 às 13:28

      Prezada professora Rosana,
      Você deve requerer por escrito a mudança no holerite e exigir resposta por escrito. De posse dela, procure o departamento jurídico para providências cabíveis para que conste a sua categoria correta.
      Se seu contrato não foi prorrogado, terá validade até o final de 2014.
      Concordo com você, o que o Estado faz com os professores da categoria O é um absurdo total.
      Bebel

      Responder
  • 61. ROSANA  |  24/12/2013 às 14:41

    BEBEL
    QUERO REGISTRAR QUE PARTICIPEI DA GREVE EM “2010” ATIVAMENTE.
    ACREDITO NA SUA FORÇA DE LUTAR PELOS ASSOCIADOS, POIS SOU ASSOCIADA E ACREDITO NA APEOESP, MAS ESTOU MUITO” INTRANQUILA” POIS O GOVERNO TRIPUDIA EM CIMO DOS DOCENTES DA CATEGORIA “0” TAMBÉM NESTE PERÍODO DE RECESSO E PERGUNTO A VOCÊ “SOMENTE EM 02/01/2014 QUE TEREMO UMA POSIÇÃO JURÍDICA…
    È MUITO TEMPO P/ O GOVERNO PUBLICAR INJUSTIÇAS CONTRA OS DOCENTES DA CATEGORIA “O”.
    E TAMBÉM NO CASO DA PROFESSORA “GRÁVIDA” QUE FOI AVISADA QUE ESTÁ DEMITIDA, BEBEL IMAGINE A ANGÚSTIA DELA PASSANDO TUDO P/ O BEBÊ????
    SOLICITO QUE VOCÊ ENTRE EM CONTATO COM O JURÍDICO E PUBLIQUE UM PARECER JURÍDICO ANTES DO DIA 02/01?

    CONTO COM SUA SENSIBILIDADE E AUXÍLIO!!!

    GRATA!

    Responder
    • 62. apeoesp  |  29/12/2013 às 13:25

      Prezada professora Rosana,
      Nunca aceitamos a lei complementar 1093 e lutamos para derrubá-la. É uma lei absurda que precisa ser alterada completamente.
      Os duzentos dias iriam valer para todos os professores da categoria O em 2014. Negociamos com o governo, que enviou nova lei reduzindo para 40 dias. Há um interpretação de que quem já usou os 40 dias uma vez não poderá usá-los de novo. Discordamos desta interpretação. No nosso entendimento, a lei tem que ser isonômica e não pode prejudicar aqueles que deveria beneficiar. Vamos defender os direitos dos professores da categoria O em todas as instâncias.
      Temos recebido denúncias constantes de abusos do governo contra professores. Lutamos diariamente contra esses abusos, pois sofremos juntos, pois somos todos professores.
      O sindicato não tem a força do governo. Não temos o poder de fazer e mudar leis. Mas, acredite, não cessamos um minuto de lutar.
      Bebel

      Responder
  • 63. Silmara  |  24/12/2013 às 15:15

    Esta carta está circulando nas redes sociais e diz apenas verdades em relação à situação dos professores contratados. O que o sindicato está fazendo concretamente neste momento em defesa do nosso direito de trabalhar (principalmente o PEB I, dada a ameaça de termos que cumprir uma duzentena em breve?

    São Paulo, dezembro de 2013

    Carta aberta à população:

    Os professores da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo vêm por meio desta, expor a situação precária de trabalho a que estão sendo submetidos.
    Você sabia que os professores das Escolas Públicas Estaduais de São Paulo contratados pela Lei 1093/2009 alterada pela LC 1215/2013, os chamados “categoria O”, prestam serviços em caráter temporário sob um regime de contratação que fere todas as leis trabalhistas?
    Você sabia que estes professores assinam contrato no início do ano letivo e quando o mesmo acaba todos os professores são dispensados sem qualquer direito (FGTS, indenização, etc), muitos inclusive sem direito a férias? Neste momento, muitos professores que trabalharam o ano inteiro estão desempregados.
    Você sabia que os chamados “categoria O” ao final do contrato devem cumprir um período de “quarentena” entre um contrato e outro (não podem ser contratados antes de terminado este prazo)? E que a partir de 2016 todos que já cumpriram quarentena terão que cumprir uma “duzentena” (duzentos dias sem trabalhar)?
    Você sabia que os “categoria O” devem fazer anualmente uma prova imposta pela Secretaria da Educação de São Paulo para poderem trabalhar no ano seguinte? Você conhece algum outro profissional de nível superior que é obrigado a realizar provas todos os anos para continuar exercendo sua profissão?
    Você sabia que os professores cotratados sob este regime são mais de 50 mil profissionais e que o Governador Geraldo Alckmin nada tem feito para melhorar a situação de trabalho dos professores?
    Você deve estar se perguntando: O que eu tenho com isso?
    A resposta é simples: se você conhece alguém que estuda em escolas públicas estaduais, tudo o que foi exposto acima reflete no trabalho realizado nas escolas; se você não conhece ninguém que estude em escolas estaduais, com certeza deve se preocupar com o futuro de nossa educação que está agonizando por causa da falta de investimentos e de valorização dos profissionais.
    Se você apoia nossa causa, COMPARTILHE! Esta causa não é apenas dos professores, é de toda a sociedade.

    Professores “Categoria O”
    (Professores como todos os outros Professores)

    Responder
    • 64. apeoesp  |  29/12/2013 às 13:18

      Prezada professora Silmara,
      A lei complementar 1093 foi criada durante o governo Serra. Nunca aceitamos esta lei. Lutamos para derrubá-la. Fizemos assembleias, vigílias e paralisações contra a sua aprovação. Pesquisa no nosso site e verifique quantos jornais, boletins e convocatórias fizemos para manifestações e até greves contra esta lei. Tudo o que está escrito nesta carta aberta, o sindicato já denunciou inúmeras vezes à sociedade, inclusive durante nossa greve de 23 dias em abril-maio de 2013.
      O que temos conseguido, até o momento, face à irredutibilidade do governo, são algumas alterações. Por exemplo, reduzir os 200 dias para 40 dias. Hoje, a prova deixou de ser eliminatória, ou seja, ninguém será impedido de participar da atribuição de aulas em razão de sua nota. Mas é uma lei absurda que precisa ser alterada completamente.
      Os duzentos dias iriam valer para todos os professores da categoria O em 2014. Negociamos com o governo, que enviou nova lei reduzindo para 40 dias. Há um interpretação de que quem já usou os 40 dias uma vez não poderá usá-los de novo. Discordamos desta interpretação. No nosso entendimento, a lei tem que ser isonômica e não pode prejudicar aqueles que deveria beneficiar. Vamos continuar defendendo os direitos dos professores da categoria O em todas as instâncias, mas também é preciso que os 50 mil professores deste segmento façam valer sua força, comparecendo nas lutas que convocamos para defender seus direitos, como nas assembleias e outras mobilizações, ainda que se revezem, para reduzir eventuais prejuízos.
      Bebel

      Responder
  • 65. Renata  |  25/12/2013 às 16:17

    Bebel, se a escolha de vagas para os professores aprovados no concurso vai ser em janeiro, então essas aulas não vão estar na atribuição, correto?
    As aulas que vão sobrar os professores não corre o risco de perder?

    Responder
    • 66. apeoesp  |  29/12/2013 às 13:07

      Prezada professora Renata,
      As aulas estarão na atribuição. A posse será em março. Aí, sim, ocorrerão as acomodações.
      Bebel

      Responder
  • 67. Julia  |  25/12/2013 às 19:26

    Como sempre nós categoria O somos prejudicados, não temos a quem recorrer, se somos 50 mil na rede basta nos unirmos e ter a consciência na hora de darmos o nosso voto para estes governantes que não pensam no bem da educação, estou farta de tantas promessas e pressões ao professor.

    Responder
    • 68. apeoesp  |  29/12/2013 às 12:56

      Prezada professora Julia,
      Você tem toda a razão. O professor da categoria O vem sendo massacrado, mas tem um força numérica muito grande. Unidos e mobilizados, podem mudar muita coisa. É preciso, em cada escola, que hajam professores que conversem com seus colegas e mostrem a força potencial na nossa categoria para conquistar direitos e mudar a situação da educação pública paulista.
      Bebel

      Responder
  • 69. Marcos Antonio  |  26/12/2013 às 11:10

    Bebel, qual é a finalidade da quarentena (40 ou duzentos dias) para assinar um novo contrato? Me parece que o governo de SP está querendo de alguma forma punir os professores que estão precisando trabalhar.

    Responder
    • 70. apeoesp  |  29/12/2013 às 12:52

      Prezado professor Marcos,
      A lei complementar 1093 já foi criada com um afastamento de 200 dias entre um contrato e outro. Nunca aceitamos esta lei. Lutamos para derrubá-la. O que temos conseguido, até o momento, são algumas alterações. Por exemplo, reduzir os 200 dias para 40 dias. Mas é uma lei absurda que precisa ser alterada completamente.
      Bebel

      Responder
  • 71. cristiano  |  26/12/2013 às 12:39

    Olá Bebel, sou professor categoria O e gostaria de informações a respeito de féria e indenização para aqueles que iniciaram o contrato em fevereiro de 2012 e foi prorrogado ate 18 de dezembro deste ano.

    Responder
    • 72. apeoesp  |  29/12/2013 às 12:47

      Prezado professor Cristiano,
      Se não recebeu as férias, deve requerê-las por escrito e pedir resposta por escrito. Se não for satisfatória, deve procurar o departamento jurídico para ação judicial.
      Bebel

      Responder
  • 73. Joyce  |  26/12/2013 às 13:33

    BEBEL A ESCOLHA PARA O INGRESSO SERÁ NA DIRETORIA DE ENSINO DA ESCOLHA DO DOCENTE OU EM SP?

    Responder
    • 74. apeoesp  |  29/12/2013 às 12:46

      Prezada professora Joyce,
      Na respectiva DE.
      Bebel

      Responder
  • 75. ana  |  26/12/2013 às 15:07

    Bebel no fim da publicaçao diz q o prof c extinçao posterior a 18.12 pod participar da atribuiçao.Quem saõ esses?o prof de quarentena vai pegar aula na atribuiçao inicial?mesmo estando d quarentena?

    Responder
    • 76. apeoesp  |  29/12/2013 às 12:46

      Prezada professora Ana,
      A quarentena conta para a assinatura do contrato. O professor da categoria participa da atribuição em 24/01 e três ou quatro dias depois assina o contrato.
      Bebel

      Responder
  • 77. Fábio Oliveira  |  26/12/2013 às 18:14

    Olá Bebel,

    Poderia me informar se o ponto referente a aprovação nesse concurso será computado para o processo inicial de atribuição 2014?

    Grato!

    Responder
    • 78. apeoesp  |  29/12/2013 às 12:39

      Prezado professor Fábio,
      Sim.
      Bebel

      Responder
  • 79. VANIA  |  27/12/2013 às 20:01

    Sou categoria O meu contrato foi extinto em 18-12-2013, fui na escola e fiquei sabendo da quarentena, mas não entendi quer dizer que se a atribuição for em 23 e 24 de janeiro para nos que cumpre quarentena ficaremos de fora, e a classificação como fica?, poderemos participar da atribuição, pois os 40 dias se da fora da sala, e as aulas começarão no dia 27, e a quarentena se encerra no dia 26 como ficaremos?

    Responder
    • 80. apeoesp  |  29/12/2013 às 12:15

      Prezada professora Vania,
      A quarentena conta para a assinatura do contrato. Você participa da atribuição, em 24/01, e, após alguns dias, assina o contrato.
      Bebel

      Responder
  • 81. Henrique  |  28/12/2013 às 03:07

    Gostaria de perguntar sobre o pagamento das férias dos professores “O”. Meu contrato foi de 01/02/2012 até 19/12/2013. Nesse sentido, deveria receber as férias referentes ao período todo, correto? Existe alguma previsão para o recebimento? Caso existam erros, como devo proceder?

    Responder
    • 82. apeoesp  |  29/12/2013 às 12:09

      Prezado professor Henrique,
      Sim, você deve receber juntamente com a rescisão contratual. Se não ocorrer, deve requerer por escrito. Não recebendo, deve procurar o departamento jurídico para ação judicial.
      Bebel

      Responder
      • 83. Henrique  |  30/12/2013 às 04:53

        Só pra deixar claro, a rescisão foi dia 19/12 e eu deveria ter recebido este dia, ou receberei em Janeiro (Conforme a secretária da escola informou)

      • 84. apeoesp  |  05/01/2014 às 13:37

        Prezado professor Henrique,
        Você deve receber em janeiro.
        Bebel

  • 85. Marinho  |  28/12/2013 às 14:06

    Como fica o docente categoria O que encerrou contrato em 18/12/2013, e obteve aprovação no concurso PEB II?

    Responder
    • 86. apeoesp  |  29/12/2013 às 12:05

      Prezado professor Marinho,
      Deve participar da atribuição em janeiro como categoria O e, ao mesmo, tempo, cumprir todos os procedimentos para a posse como efetivo.
      Bebel

      Responder
  • 87. Letícia Nascimento Thill  |  28/12/2013 às 20:03

    Bebel. há alguma previsão sobre a resposta da SEE quanto à aplicação dos 200 dias? Estou realmente muito aflita e com medo!!

    Responder
    • 88. apeoesp  |  29/12/2013 às 11:50

      Prezada professora Letícia,
      Há uma interpretação de que não se poderia utilizar agora a quarentena se a pessoa já usou antes. No nosso entendimento, isto não procede, pois a lei tem que ser isonômica e não pode prejudicar os que deveria beneficiar. Vamos fazer a defesa dos professores em todas as instâncias.
      Bebel

      Responder
      • 89. oliveira  |  01/01/2014 às 04:44

        Só um detalhe a apeoesp esta dando a mesma resposta para sua pergunta a verdade e que a pouco houve o concurso e pouco estão se preocupando com esta questão, mais vamos esperar .

      • 90. apeoesp  |  04/01/2014 às 12:29

        Prezado professor Oliveira,
        Sua colocação não procede. Neste ano de 2014 todos os professores da categoria O com contrato vencido teriam que cumprir 200 dias de afastamento. Foi por nossa iniciativa que se reduziu este prazo para 40 dias. Ocorre que o governo introduziu na lei dispositivo duvidoso, que fugiu à nossa negociação. Vamos até o fim para defender os professores e o direito ao afastamento de 40 dias.
        Bebel

    • 91. oliveira  |  01/01/2014 às 04:25

      professora leticia estou na mesma situação, o que fiquei sabendo e que você tera que cumprir os 200 dias fiquei sabendo de fonte segura .

      Responder
      • 92. apeoesp  |  04/01/2014 às 12:27

        Prezado professor Oliveira,
        Entendemos que uma lei não pode tratar desigualmente ou prejudicar professores em uma mesma situação funcional. Para nós, pelo critério da isonomia, todos devem ser beneficiados pela redução da quarentena. Se a SEE aplicar os 200 dias, o professor deve recorrer judicialmente, por meio do departamento jurídico da APEOESP. Estamos realizando contatos com a SEE para que isto não seja aplicado.
        Bebel

  • 93. André Christian Dalpicolo  |  28/12/2013 às 21:19

    Prezada Bebel,

    Não sou jurista, mas sim professor. Mas olhei na íntegra a lei complementar de outubro de 2013 e não há nada que possa justificar essa duzentena… olhe com calma o inciso 2 que versa sobre essa questão…

    http://diariooficial.imprensaoficial.com.br/nav_v4/index.asp?c=4&e=20131031&p=1

    um abraço e no aguardo
    prof. andré christian

    Responder
    • 94. apeoesp  |  29/12/2013 às 11:45

      Prezado professor André,
      Estamos estudando o assunto juridicamente e vamos defender os professores em todas as instâncias. No nosso entendimento, a lei tem que ser isonômica e não pode prejudicar os que deveria beneficiar.
      Bebel

      Responder
  • 95. André Christian Dalpicolo  |  28/12/2013 às 21:23

    O inciso 2 apresenta o seguinte texto: “O decurso do prazo de 40 dias, contados do contrato anteriormente celebrado, poderá ser aplicado uma única vez, para cada docente contratado”

    Ele fala dos contratos a partir de 2014 e não do ano de 2010… essa regra não pode ser retroativa… ela vale a partir dos contratos a partir de 2014 e não dos anteriores… aquela flexibilização dos 200 dias de 2012 teve um dispositivo na lei anterior…

    Responder
    • 96. apeoesp  |  29/12/2013 às 11:44

      Prezado professor André,
      No nosso entendimento, a lei tem que ser isonômica e não pode prejudicar os que deveria beneficiar. Estamos estudando o assunto juridicamente e vamos defender os professores em todas as instâncias.
      Bebel

      Responder
  • 97. André Christian Dalpicolo  |  29/12/2013 às 22:33

    Prezada Bebel,

    Pergunto-lhe: já houve uma indagação oficial da APEOESP junto à SEE para responder sobre a procedência ou não da duzentena aos professores categoria O segundo contrato?
    E, se houve, qual foi a resposta?

    Outra pergunta: a atribuição inicial categoria O será na Diretoria ou na Unidade Escolar

    No aguardo e um abraço
    Prof. André Christian

    Responder
    • 98. apeoesp  |  05/01/2014 às 13:40

      Prezado professor André,
      Sim, já houve. Afirmam que será válida para parte dos professores, mas nosso entendimento é que professores na mesma situação funcional não podem ter tratamento desigual, discriminatório. Vamos agir no plano jurídico no caso de todos os professores que vierem a ser prejudicados. Vamos também estudar um questionamento judicial coletivo, se houver amparo regimental no TJSP.
      Bebel

      Responder
  • 99. Leticia  |  30/12/2013 às 10:27

    Tinha um contrato que iria se romper no fim agora de 2013.Entretanto, em agosto desde ano (2013) abandonei as aulas e rompi meu contrato. A nova lei da quarentena também vale nesse caso ou terei que esperar os 200 dias para a atribuição de 2014?

    Responder
    • 100. apeoesp  |  05/01/2014 às 13:37

      Prezada professora Letícia,
      Seu caso é mais grave. O Estado nesses casos costuma manter o professor afastado por cinco anos, o que consideramos ilegal. Se tiver alguma informação neste sentido, procure o departamento jurídico na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 101. gisele  |  30/12/2013 às 19:02

    Bebel,tenho uma duvida sou estudante do 4°semestre de licenciatura em Biologia,na D.E de Itapevi no momento da atribuição inicial,quando terminam de atribuir as aulas para os formados,eles atribuem as aulas de biologia para os professores de ed.fisica e depois para os ENFERMEIROS….eles alegam que esse pessoal tem 160 hrs no histórico e por isso pegam as aulas na minha frente,por eu ser estudante e eles formados.Po´rem eu como estudante de lic.plena em biologia tenho em um semestre de curso mais de 400 hrs ,e no meu caso que estou no 4° já tenho muito mais hrs do q esse pessoal.Isso está correto?pois se for por questão de carga horária ,o estudante de lic.plena em biologia,teria que pegar primeiro que o pessoal que fez ENFERMAGEM……é um absurdo isso ou seja FALTAM PROFISSIONAIS DA SAÚDE NOS HOSPITAIS.MAS ONDE ELES ESTÃO?NA SALA DE AULA…..e eu com uma carga horaria maior perco as aulas ,sendo q por hrs de estudo tenho carga maior…..Isso está correto?é amparado pela lei?gostaria de saber….obrigado!!!!

    Responder
    • 102. apeoesp  |  05/01/2014 às 13:28

      Prezada professora Gisele,
      Você precisa de uma orientação jurídica mais precisa, que não condições de dar no momento. Por favor, entre em contato com o telefone 11.33506214 ou entre em contato com o departamento jurídico, na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 103. Fernanda  |  31/12/2013 às 12:34

    Bom dia Bebel,
    Gostaria de tirar uma dúvida, o curso de pos graduacao em educação serve para evoluir no estado ou só o curso de pedagogia possibilita a evolução???

    Responder
    • 104. apeoesp  |  05/01/2014 às 13:14

      Prezada professora Fernanda,
      De acordo com o novo decreto, que ainda precisa ser regulamentado por resolução, todo curso de pós-graduação na área da educação, reconhecido pela CAPES, possibilitará a evolução funcional pela via acadêmica.
      Bebel

      Responder
  • 105. Fábio Oliveira  |  31/12/2013 às 13:14

    Prezada Bebel,

    Vamos adentrar mais um ano e ainda não avançamos na questão da jornada, composta por 1/3 das atividades para planejamento das atividades docentes segundo a lei do piso nacional, como estamos em relação a esse assunto?

    Feliz 2014, que seja um ano repleto de conquista em nossa vidas pessoais e profissionais.

    Grato!

    Responder
    • 106. apeoesp  |  05/01/2014 às 13:11

      Prezado professor,
      Você tem razão. O governo não cumpre a lei e nem suas promessas. Desde 2011 compromete-se a negociar a implantação e não o faz. De nossa parte, temos pressionado por todos os meios, inclusive com ação judicial no STF, em Brasília. Temos também realizado mobilizações, como a greve de 2013 e a assembleia de 13 de dezembro, em frente à SEE. Também agimos no CNE e conseguimos aprovar um parecer, homologado pelo Ministro da Educação. Não estamos parados. É nosso direito e não vamos desistir dele. Em 2014 vamos fazer novas mobilizações e criar novos meios de pressão sobre este assunto.
      Feliz 2014 para você também.
      Bebel

      Responder
  • 107. Renata  |  31/12/2013 às 17:35

    Bebel, sou categoria F e peguei aulas de reforço em setembro/2013 como categoria O, até quando vai o meu contrato, pois, assinei em setembro.
    Obrigada

    Responder
    • 108. apeoesp  |  05/01/2014 às 12:59

      Prezada professora Renata,
      vencerá em setembro de 2014 e poderá ser prorrogado até o final do período letivo de 2014.
      Bebel

      Responder
  • 109. FRAN  |  31/12/2013 às 17:36

    OLÁ BEBEL, ANTES QUE MAIS UM ANO SE ACABE , GOSTARIA DE SABER SOBRE A LEI DO PISO , DA NOVA JORNADA, ALGUMA POSSIBILIDADE DE REDUÇÃO DA JORNADA PARA 2014????

    Responder
    • 110. apeoesp  |  04/01/2014 às 12:35

      Prezada professora Fran,
      O Secretário havia agendado negociação em dezembro, mas desmarcou. Realizamos assembleia em frente à SEE no dia 13/12, para lembra-lo de que não vamos desistir. Estamos com ação judicial no STF, em Brasília. É nosso direito e vamos lutar até o fim por ele.
      Bebel

      Responder
  • 111. Isabel Cristina De Sousa Bueno  |  31/12/2013 às 21:46

    Isabel Cristina De Sousa Bueno 31/12/2013

    Prezada Bebel sou professora categoria o, gostaria de saber se por algum motivo poderia ficar sem o décimo terceiro, pois não o recebi.
    Liguei na escola e falei com a secretaria, que disse que se trabalhei o ano todo tenho direito e devo estar vendo meu demonstrativo de pagamento até que me mandem o décimo terceiro. Tenho feito isso mas até agora nada. Procede a maneira a qual fui instruída?
    Fico lhe grata a me instruir como devo agir.
    Obrigada pela sua atenção.

    Responder
    • 112. apeoesp  |  04/01/2014 às 12:34

      Prezada professora Isabel,
      Você deve ingressar com requerimento e exigir resposta por escrito. Caso não ocorra o pagamento, procure o departamento jurídico na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 113. silvana E.S Silva  |  31/12/2013 às 21:55

    Prezada Bebel,vc disse q o ponto do concurso será computado para a atribuição de 2014.No caso dos efetivos a classificação para a atribuição já está pronta.Será refeita?Se for o que devo fazer visto q sou efetiva e passei em duas disciplinas?Um abraço e Feliz Ano Novo.

    Responder
    • 114. apeoesp  |  04/01/2014 às 12:31

      Prezada professora Silvana,
      Desculpe-me se afirmei que seria contado o ponto para esta atribuição. Se assim foi, precipitei-me. O ponto do concurso poderá, sim, ser computado para atribuição de aulas, mas não necessariamente para a próxima.
      Bebel

      Responder
  • 115. professor Rodrigo  |  02/01/2014 às 21:00

    Olá, vi que você respondeu para o prof. Fabio que o ponto para quem passou no concurso será contado ainda na atribuição inicial? gostaria de saber quais são os procedimentos a serem tomados para que esse ponto some ao restante da pontuação?

    Responder
    • 116. apeoesp  |  04/01/2014 às 11:45

      Prezado professor Rodrigo,
      Creio que não afirmei que será considerado nesta atribuição. Se o fiz, foi uma conclusão precipitada. Para melhor informação, ligue para 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 117. miriam  |  04/01/2014 às 13:57

    Estou muito preocupada com a questão dos duzentos dias … pois me enquadro entre os professores que terão que cumprir os duzentos dias pois já usuflui da quarentena … existe algum prazo , data ou assembléia que trate desse assunto na tentativa de cancelar essa lei ??

    Responder
    • 118. apeoesp  |  05/01/2014 às 12:45

      Prezada professora Miriam,
      Nosso entendimento é que uma lei não pode discriminar ou prejudicar professores em mesma situação funcional. Com base no princípio da isonomia, todo professor prejudicado deve ingressar com ação, por meio do departamento jurídico da APEOESP. Ao mesmo tempo, estamos em tratativas junto à SEE para que esta discriminação não seja aplicada.
      Bebel

      Responder
  • 119. Miriam Alves Moreira  |  04/01/2014 às 14:04

    Outra duvida minha é sobre o concurso … Passei em sociologia mais só vou poder assumir no ano que vem ( me formo em dezembro de 2014), pois ainda não possuo diploma … Se me chamarem na primeira fase será que posso pedir o adiamento dessa convocação para a segunda chamada ?? Existe algum procedimento para isso ?

    Responder
    • 120. apeoesp  |  05/01/2014 às 12:42

      Prezada professora Miriam,
      Isto só é possível em casos específicos. Por favor, para melhor orientação, ligue para 11.33506214 ou procure o departamento jurídico na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 121. vivian  |  05/01/2014 às 12:01

    porque nao temos a carteira de trabalho assinadas, ja que os contratados da prefeitura tem.

    Responder
    • 122. apeoesp  |  05/01/2014 às 13:08

      Prezada professora Vivian,
      Porque as legislações são diferentes. No Estado, as leis que regem os professores não efetivos são a LC 444/85, a LC 1010/07 e a LC 1093/09. Nenhuma prevê o regime de CLT.

      Responder
      • 123. Ana Souza  |  11/01/2014 às 09:24

        Bebel,
        No site da diretoria de ensino da minha cidade (Sumaré) já consta um comunicado dizendo que quem ja usufruiu da quarentena não poderá participar do processo de atribuição de aulas.
        Fui aprovada no concurso e obtive boa classificação, mesmo assim estou preocupada e muito decepcionada com tudo isso.
        Por diversas vezes liguei na apeoesp subsede da minha cidade e eles me disseram que isso nao iria acontecer e que eu poderia ficar sucegada. Bom, não foi isso que aconteceu. Ontem mesmo recebi uma cartinha como sempre recebo falando sobre algumas conquistas do sindicato, não consegui ler até o final, pois assim como outros professores amigos meus não acredito mais nesse sindicato.
        Sou nova na estado e também na profissão, tenho apenas 22 anos, consegui “pegar” aula logo no início da minha faculdade e ao mesmo tempo me associei ao sindicato. Pois bem, precisamos dele agora. E o que vai acontecer?
        Não falo só por mim, porque como eu já disse sou nova, recém formada na faculdade e moro com meus pais ainda tenho alguns meios. Mas, eu digo, também por muitos amigos meus quem possuem família para sustentar. Lembrando que há muitos professores nesta mesma situação.
        Me perdoe o desabafo e também os erros de grafia estou escrevendo pelo celular e é mais difícil.
        Ana

      • 124. apeoesp  |  11/01/2014 às 11:51

        Prezada professora Ana Souza,
        Gostaria de comentar seu sentimento de descrença no sindicato. Entendo, sei da sua frustração com tantos ataques do governo, mas precisamos ter clareza sobre o que significa ter um sindicato da categoria e o tipo de luta que fazemos contra um governo que não tem nenhuma disposição para resolver os problemas dos professores e da escola pública. É muito difícil o diálogo com este governo. Para conseguirmos sentar numa mesa e negociarmos de fato alguns pontos, tivemos que realizar uma greve de 23 dias em 2013. No final da greve, na negociação com a SEE, ficou claro que haveria a quarentena de 40 dias para todos. Quando foi emitido o comunicado sobre a manutenção dos 200 dias em alguns casos, já no final de dezembro, o próprio gabinete da SEE reafirmou que seriam 40 dias. Ocorre que, ao passar pela Casa Civil, o projeto de lei sofreu esta modificação, mas em linguagem que tornou difícil detectá-la. O projeto foi aprovado em regime de urgência urgentíssima (apenas 10 dias de tramitação) sem aviso prévio, em sessão extraordinária.
        O encaminhamento do sindicato, diante deste fato, é recorrer à justiça. Não pode haver tratamento diferenciado para professores em uma mesma situação funcional. Vamos argumentar o princípio da isonomia e questionar este ponto da lei.
        Você sabe, professora, que a categoria e a APEOESP nunca aceitaram esta lei. Lutamos contra a sua aprovação, em 2009. Enfrentamos repressão. Fizemos assembleias, vigílias, visitas aos deputados, atos. Ocorre que o governo tem uma maioria tão folgada na ALESP que aprova tudo o que quer. Nosso caminho é a luta e ela não é fácil. Quando falamos em conquistas, valorizamos o esforço dos professores que vem para a Praça, que vem para as ruas, que comparecem às atividades do sindicato, que arrancam com sua participação algumas mudanças pontuais. Queremos que os professores percebam que é possível conquistar. Se com a participação de 20, 30 mil professores, conquistamos alguns pontos, 50, 60 mil professores nas ruas podem conquistar muito mais. E somos mais de 230 mil na base! 180 mil associados.
        Professora, acredite, sou solidária com você e com todos na mesma situação. Somos todos professores e estamos no sindicato para tentar mudar esta situação. Mas também temos nosso papel de cidadãos. Neste ano, podemos colocar na ALESP deputados mais comprometidos com a educação e com os professores. Também temos a chance de mudar os rumos da política educacional e acabar com este tipo de contratação vergonhosa.
        Peço que reflita sobre tudo isto. O sindicato tem falhas, sim, como toda organização humana. Mas ele não é culpado pelos desmandos do governo. Ao contrário, acredite, sem a APEOESP nossa situação poderia ser bem pior. Não enfraqueça nossa organização. O caminho é o inverso: reunir mais forças para conquistar mais e impedir tanta injustiça.
        Você deve comparecer à atribuição. Se for negada, procure o departamento jurídico no próprio local.
        Boa sorte.
        Bebel

  • 125. Camila  |  05/01/2014 às 21:05

    Bebel…
    Trabalhei normalmente até o dia 20/12, quando meu contrato foi extinto, Até aí, nenhuma surpresa pois é o que acontece a cada 2 anos. Mas, pela primeira vez, o salário que deveria ser pago em janeiro foi, de acordo com o site da fazenda, “desagendado” por motivo de desligamento. Não estou entendendo o que houve pois trabalhei normalmente até o último dia então deveria receber os 20 dias trabalhados, certo? Isso ocorreu com outros professores e estamos sem saber o que fazer. Liguei no setor de pagamento da minha DE e me foi informado que o pagamento estava sendo recalculado e viria numa folha suplementar, sem data prevista. E como ficamos nós professores? É quarentena, é salário que não é pago, férias que só recebemos a cada 2 anos… O que fazer?

    Responder
    • 126. apeoesp  |  12/01/2014 às 17:23

      Prezada professora Camila,
      Você deve protocolar na escola ou DE pedido de explicações por escrito para este desagendamento. Com a resposta, procure o departamento jurídico na subsede. Para melhor orientação, ligue para 11.3350-6214.
      Boa sorte.
      Bebel

      Responder
      • 127. renatodomigues sales  |  12/01/2014 às 23:07

        E PESSOAL JA ESPERARVA POR ISTO NAO ERA TERRORRISMO ERA ALERTA E AGHORA JOSE OU SEJA E AGORA AQUELES QUE DIZERAM QUE ESTAVA FALANDO DEMAIS

        Date: Sun, 12 Jan 2014 17:23:29 +0000 To: renatosales_22@hotmail.com

      • 128. apeoesp  |  19/01/2014 às 13:44

        Prezado professor Renato,
        A APEOESP ingressou com ação coletiva contra os 200 dias. Estamos confiantes de que obteremos a liminar.
        Bebel

  • 129. André Christian Dalpicolo  |  05/01/2014 às 21:25

    Prezada Bebel,

    Não seria o caso de escrever um comunicado urgente avisando os professores sobre tal situação? Tenho quase certeza de que nada mudará até o dia 24 e a maioria dos professores categoria O não sabe dessa duzentena… Pelo menos o sindicato evitaria de que a maioria desses professores fossem até a atribuição e tivessem esta desagradável surpresa….
    Acho que o melhor mesmo é procurar outro emprego e largar essa vida bandida de categoria O… isso não vale nada

    Responder
  • 130. André Christian Dalpicolo  |  05/01/2014 às 22:12

    Melhor arrumar um trabalho no telemarketing… ganha menos mas a dor de cabeça é menor… que vergonha para a nossa classe… ela é mais desvalorizada que classe de empregadas domésticas…. ninguém quer saber de nós e ficamos a deriva nessas horas….

    Responder
  • 131. lucimara  |  06/01/2014 às 13:56

    OLÁ estou preocupada sobre o assunto de 200 dias. já cumpri a quarentena agora estou nos 200 dias será que isso procede,vou ter que cumprir 200 dias para poder pegar aula………….que absurdo!!!!

    Responder
    • 132. apeoesp  |  12/01/2014 às 17:11

      Prezada professora Lucimara,
      Ocorre o seguinte:
      Todos os professores da categoria O teriam que cumprir 200 dias agora.
      Negociamos no final da greve de 2013 a redução para 40 dias para todos. O Secretário da Educação concordou e disse que isto interessava também à SEE por causa da falta de professores. Entretanto, a Secretaria de Gestão Pública mexeu no projeto, de forma pouco clara, estabelecendo 200 dias para quem houvesse usado os 40 dias. O projeto foi votado em 10 dias, sem aviso prévio.
      Não vamos aceitar. Vamos à justiça. Mas tem que ser feito individualmente.
      Procure o local da atribuição na data correta (23 ou 24/01 – veja na DE). Se for negada, procure o plantão da APEOESP no local.
      Bebel

      Responder
  • 133. Letícia  |  06/01/2014 às 15:25

    porque o pagamento foi desangendado

    Responder
    • 134. apeoesp  |  12/01/2014 às 17:06

      Prezada professora Letícia,
      Não tenho informação suficiente sobre seu caso. Peça informações por escrito na escola ou na DE. Procure também o departamento jurídico na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 135. lucia de fatima  |  08/01/2014 às 22:28

    Bebel quando é que o sindicato irá fazer alguma coisa concreta para acabar com a descriminação da categoria O.O que o sindicato esta fazendo ? Sou peb l e a cada dia nossa situação se torna mais dificil

    Responder
    • 136. apeoesp  |  12/01/2014 às 15:27

      Prezada professora Lucia,
      Estamos fazendo coisas concretas todos os dias:
      1) quando o projeto foi enviado, em 2009, realizamos assembleias, atos, manifestações e passamos dias e noites na Assembleia Legislativa para impedir que o projeto fosse aprovado. Infelizmente o governo tem ampla maioria e o aprovou.
      2) estudamos a possibilidade de ingressar com ação de inconstitucionalidade. Infelizmente a lei é constitucional, pois é prerrogativa do Estado legislar sobre contratação de servidores e há lei federal sobre contratação por tempo determinado.
      3) em 2010 fizemos uma greve de 34 dias. Sofremos violenta repressão policial, com dezenas de feridos. Um dos pontos centrais era o fim deste tipo de contratação.
      4) lutamos por concursos públicos para que os professores possam efetivar-se. Realizaram-se dois concursos para PEB II (2010 e 2013). Estamos cobrando concurso para PEB I.
      5) encaminhamos denúncia à OIT. Infelizmente a OIT não tem uma convenção específica onde possamos enquadrar este caso.
      6) em vários momentos, com muita dificuldade, negociamos alterações pontuais na lei.
      7) todos os nossos materiais denunciam todo o tempo a situação da categoria O.
      8) nossa greve de 2013 teve como ponto central a categoria O.
      Precisamos de mais professores da categoria O nas mobilizações. Somente mostrando força poderemos conseguir mudar esta lei.
      Bebel

      Responder
  • 137. Katia_GOE  |  09/01/2014 às 13:15

    Gostaria de saber se está claro referente a duzentena aplicada aos professores contratatos em 2010?

    Responder
    • 138. apeoesp  |  12/01/2014 às 15:11

      Prezada professora Katia,
      Ocorreu o seguinte: negociamos no final da greve de 2013 a redução para 40 dias para todos. Ele concordou e disse que isto interessava também à SEE por causa da falta de professores. Entretanto, a Secretaria de Gestão Pública mexeu no projeto, de forma pouco clara, estabelecendo 200 dias para quem houvesse usado os 40 dias. Não vamos aceitar. Vamos à justiça. Mas tem que ser feito individualmente.
      Participe da atribuição (23 ou 24/01 – veja na DE). Se for negada, procure o plantão da APEOESP no local.
      Bebel

      Responder
  • 139. Léia  |  09/01/2014 às 18:07

    Bebel,

    Já cumpri 40 dias no meu contrato anterior e a secretaria da escola onde leciono me disse que obrigatoriamente terei que cumprir 200 dias, Vc sabe me dizer se categoria O ficará impedido de trabalhar por 200 dias? Pq liguei na minha DE e nem eles sabem ao certo. A apeoesp já tem respostas?

    Aguardando retorno,

    Atenciosamente;

    Léia

    Responder
    • 140. apeoesp  |  12/01/2014 às 15:03

      Prezada professora Léia,
      Negociamos no final da greve de 2013 a redução para 40 dias para todos. O Secretário concordou e disse que isto interessava também à SEE por causa da falta de professores. Entretanto, a Secretaria de Gestão Pública mexeu no projeto, de forma pouco clara, estabelecendo 200 dias para quem houvesse usado os 40 dias. O projeto foi votado em dez dias, sem aviso prévio.
      Não vamos aceitar. Vamos à justiça. Mas tem que ser feito individualmente.
      Participe da atribuição (23 ou 24/01 – veja na DE). Se for negada, procure o plantão da APEOESP no local,

      Responder
  • 141. marli25Marli  |  09/01/2014 às 18:33

    Boa tarde Bebel…
    até 2011 eu era categoria L. Em abril 2012, assinei o primeiro contrato categoria O que encerrou agora em 16/12/13. Estou cumprindo a quarentena, e aapós 27/01, já posso assinar novo contrato. Estou correta? Aguardo retorno,
    Grata

    Responder
    • 142. apeoesp  |  12/01/2014 às 14:58

      Prezada professora Marli,
      Sim. Cumprida a quarentena pode assinar novo contrato. Participe da atribuição de aulas em 23 ou 24/01 (veja na sua DE).
      Bebel

      Responder
  • 143. Eliana Schimidt Domingues  |  10/01/2014 às 20:12

    Boa tarde Bebel!!!!!!!!
    Sou professora PEBI da categoria O ; Já tenho dois contratos e a secretária da escola onde trabalhei, me disse que vou ter que ficar 200 dias parada. Fiz a prova sou a segunda classificada e não posso trabalhar, estou no final de carreira.Isso é justo ?Não podemos ter vínculo. Depois o GOVER NO vem dizer que não tem professor!Gostaria de saber o que devo fazer?

    Responder
    • 144. apeoesp  |  12/01/2014 às 13:54

      Prezada professora Eliana,
      No final da greve de 2013 negociamos com o Secretário da Educação, com muita dificuldade, um acordo pelo qual todos os professores da categoria O teriam um afastamento de 40 dias. Ao passar pela Secretaria de Gestão e Casa Civil, porém, o projeto sofreu mudança, recolocando o afastamento de 200 dias, mas em linguagem pouco clara. O projeto vou votado em apenas pouco mais de 10 dias na ALESP, sem aviso prévio.
      O procedimento agora é ação judicial, com base no princípio da isonomia. Não se pode tratar desigualmente professores na mesma situação funcional
      Compareça à atribuição de aulas. Se for negada, entre em contato com o plantão da APEOESP no local para ajuizar mandado de seguraça.
      Boa sorte.
      Bebel

      Responder
  • 145. André Christian Dalpicolo  |  11/01/2014 às 12:49

    prezada bebel,

    Vc diz que entrará na justiça contra a duzentena? Mas quando? Depois de transcorrer os 200 dias… aí não vai precisar mais….

    Responder
    • 146. apeoesp  |  12/01/2014 às 13:39

      Prezado professor André,
      No mesmo momento em que se configurar a negativa da atribuição. Haverá plantões nas atribuições de aulas.
      Bebel

      Responder
      • 147. Silmara Oliveira  |  12/01/2014 às 13:49

        Quem não é filiado ao sindicato poderá recorrer a este plantões no momento da atribuição?

      • 148. apeoesp  |  12/01/2014 às 18:00

        Prezada professora Silmara,
        Sim. Poderá filiar-se na mesma hora.
        Bebel

  • 149. oliveira  |  11/01/2014 às 20:56

    professora Ana souza fiz um comentário a respeito desta situação do categoria O porém, o governo paulista pouco se preocupa, contratar fica fácil para o governo ainda da forma que os professores são contratados não tem direito a nada. Eu achei que a escravidão já havia acabado mais me enganei e o pior de tudo e que ainda nos sujeitamos a tais desmandos por que precisamos sustentar nossas famílias, mas temos um concurso em andamento não é verdade e assim as coisas vão tomando seu rumo. Professores o turminha que não tem nenhuma união.Mas professora as coisas vão mudar vamos esperar é só o que podemos fazer.

    Responder
    • 150. apeoesp  |  12/01/2014 às 13:28

      Prezado professor Oliveira,
      Compreendo a sua frustração e de muitos professores com tantos ataques do governo. Precisamos ter clareza sobre a necessidade de nos mantermos unidos contra um governo que não tem nenhuma disposição para resolver os problemas dos professores e da escola pública. É muito difícil o diálogo com este governo. Para conseguirmos sentar numa mesa e negociarmos alguns pontos, tivemos que realizar uma greve de 23 dias em 2013. Como sabe, nunca concordamos com a LC 1093/09 e lutamos contra ela desde que era projeto de lei, enfrentando todo tipo de dificuldade. Não vamos desistir, até que sejam retirados todos os pontos que oprimem e desvalorizam os professores da categoria o e demais professores.
      Bebel

      Responder
  • 151. Alcides Vieira Lima  |  12/01/2014 às 01:52

    Bebel, desta vez publique e responda por favor, afinal vivemos numa democracia.

    Dizer que “vamos” lutar para revogar a lei está equivocado, pois os professores lutam sozinhos nas greves e assembleias e na hora da decisão a senhora simplesmente diz: “A greve está encerrada”, quando a maioria optou pela continuidade. Não engulo isso até hoje e vou propor, na escola em que trabalho, manifestações alternativas e paralelas às da APEOESP. Pode ser que tenha mais de 50 mil professores na Paulista este ano, mas vamos dar as costas a vocês, assim como fizemos no final da última greve e desta vez vamos conseguir… sem vocês!

    Alcides

    Responder
    • 152. apeoesp  |  12/01/2014 às 13:09

      Prezado professor Alcides,
      Não vejo o que posso responder, tendo em vista que você parte de pressupostos que procuram desqualificar-me e desqualificar a luta dos próprios professores. Você quer criar um movimento paralelo, mas quer utilizar-se de um canal de comunicação do sindicato (este blog) para isto. Um tanto contraditório, não? Se você considera que os professores podem prescindir de uma organização sindical construída com o esforço de todos ao longo de anos e que pode criar um movimento vitorioso de 50 mil professores, lamento dizer que você não conhece a realidade da nossa categoria, todas as dificuldades que enfrentamos e todos os obstáculos que existem para negociar com um governo intransigente. Sua postura, desculpe-me, em nada contribui para o avanço da luta dos professores.
      Bebel

      Responder
      • 153. Silmara Oliveira  |  12/01/2014 às 13:41

        Bebel, referente à colocação do colega Alcides (acima) o que acontece é que os professores estão MUITO descrentes, principalmente o professor submetido à humilhação de ser categoria “O”. Recebemos um grande tapa na cara este ano com a possibilidade real de cumprirmos a duzentena. Estamos nos sentindo abandonados e sem perspectivas. Muitos de nós estão simplesmente desistindo e partindo para outras áreas. Quem passou neste concurso ainda tem uma esperança de melhoras mas que não passou ou não teve a oportunidade como o caso do Peb I, está com um sentimento de revolta que NINGUÉM que não está em nossa pele pode sentir. Somos PROFISSIONAIS que estudamos e com esforço nos formamos e lutamos diariamente, com dignidade pelo nosso sustento, enfrentando situações adversas que temos que contornar a cada dia e, em troca recebemos o desprezo do governo que nos trata como lixo e infelizmente não temos o apoio que precisamos do sindicato. Por mais que você diga que o sindicato tem pressionado o governo e que este é intransigente, e sabemos que é mesmo, a sensação que TODOS nós temos é que a categoria “O” é deixada de lado. Esta última greve não trouxe nenhum benefício para nós. O fato de a prova ser classificatória e não eliminatória é muito pouco porque não deveria existir, cadê a eliminação da duzentena? Diminuiu para 40 dias mas não é certo que todos cumpram 40 pois há casos em que os 200 serão aplicados sim, se não for este ano será no próximo ou no outro. Cadê o direito ao uso do hospital do Servidor? O fato é que nossa vida é incerta, pois não recebemos nossos direitos, ficamos à mercê de entrarmos com recursos ou processos para termos nossos direitos básicos assegurados, não temos direito à evolução funcional, não temos direito à quinquênio, tenho curso superior, pós-graduação, mais de 3700 dias trabalhados e recebo pela menor faixa e nível. Não temos férias, pois estamos desempregados e sem dinheiro já que recebemos apenas os dias trabalhados em dezembro e mais nada, ou seja, recebemos em janeiro quase metade do salário normal. Nosso décimo terceiro é ridículo, cadê nosso 1/3 de férias? E o pior de tudo é a incerteza de que trabalharemos ou não no ano seguinte. Será que é possível para vocês imaginarem o que é ser um professor categoria “O”? Portanto quando lerem uma pergunta ou um desabafo de um professor nesta situação, tentem se colocar no lugar dele e entendam toda a revolta que ele sente para depois responderem pois percebemos um sindicato insensível com nossa situação e que prioriza as outras categorias em detrimento da nossa. Pode parecer injusto o que estou dizendo, já que sempre leio as resposta deste blog dando conta da luta do sindicato por esta categoria, porém a falta de resultados, de conquistas especificamente para a categoria “O” é muito frustrante. Mais uma vez, me perdoe o desabafo…

      • 154. apeoesp  |  12/01/2014 às 18:07

        Prezada professora Silmara,
        Entendo perfeitamente. O emprego e a dignidade profissional precisam ser defendidos por todos e para todos.
        Apenas, da mesma forma que os professores são sinceros em seu desabafo, tenho que ser sincera em meus esclarecimentos.
        Nunca concordamos a forma de contratação dos professores da categoria O. Ela é injusta e vergonhosa.
        Por isso:
        1) quando o projeto foi enviado, em 2009, realizamos assembleias, atos, manifestações e passamos dias e noites na Assembleia Legislativa para impedir que o projeto fosse aprovado. Infelizmente o governo tem ampla maioria e o aprovou.
        2) estudamos a possibilidade de ingressar com ação de inconstitucionalidade. Infelizmente a lei é constitucional, pois é prerrogativa do Estado legislar sobre contratação de servidores e há lei federal sobre contratação por tempo determinado.
        3) em 2010 fizemos uma greve de 34 dias. Sofremos violenta repressão policial, com dezenas de feridos. Um dos pontos centrais era o fim deste tipo de contratação.
        4) lutamos por concursos públicos para que os professores possam efetivar-se. Realizaram-se dois concursos para PEB II (2010 e 2013). Estamos cobrando concurso para PEB I.
        5) encaminhamos denúncia à OIT. Infelizmente a OIT não tem uma convenção específica onde possamos enquadrar este caso.
        6) em vários momentos, com muita dificuldade, negociamos alterações pontuais na lei.
        7) todos os nossos materiais denunciam todo o tempo a situação da categoria O.
        8) nossa greve de 2013 teve como ponto central a categoria O.
        Quanto à quarentena:
        Todos os professores da categoria O ficariam afastados 200 dias em 2014. Negociamos no final da greve de 2013 a redução para 40 dias para todos. O Secretário da Educação concordou e disse que isto interessava também à SEE por causa da falta de professores. Entretanto, a Secretaria de Gestão Pública mexeu no projeto, de forma pouco clara, estabelecendo 200 dias para quem houvesse usado os 40 dias. O projeto foi aprovado em 10 dias, sem aviso prévio.
        Não vamos aceitar. Vamos à justiça. Mas tem que ser feito individualmente.
        Por isso o professor precisa dirigir-se ao local da atribuição (23 ou 24/01 – veja na DE). Se for negada, deve procurar o plantão da APEOESP no local para ingressar com a ação.
        O sindicato não é insensível. Precisamos de mais professores da categoria O nas mobilizações. Somente mostrando força poderemos conseguir mudar esta lei e toda a situação.
        Quem tem o poder é o governo e não o sindicato. O sindicato só tem uma coisa: a força da categoria, nada mais. Sim, podemos conversar e tentar negociar, mas diante de um governo intransigente, que não cumpre a palavra, temos que ir às ruas, lutar, fazer greves.
        Boa sorte.
        Bebel

      • 155. Silmara Oliveira  |  12/01/2014 às 18:14

        A orientação do sindicato é para que procuremos os plantões da Apeoesp durante a atribuição. Como isso se dará? Haverá de fato este plantão durante a atribuição nos polos? Quem não é afiliado poderá procurar o sindicato? Caso a atribuição seja negada, como ficará a classificação? Sou número 6 da lista para Peb I em minha D.E e caso tenha que entrar com ação, quando terei sala atribuída? Muitas dúvidas, muita angústia…

      • 156. apeoesp  |  19/01/2014 às 13:32

        Prezada professora Silmara,
        Sim, as subsedes deverão estar em plantão nos polos de atribuição. Quanto aos 200 dias, a APEOESP ingressou com ação judicial para derrubar esta exigência. Estamos confiantes em obter a liminar.
        Bebel

  • 157. Érika  |  12/01/2014 às 15:40

    Bebel, o sindicato por meio de seu site não irá se pronunciar sobre os procedimentos que nós categoria O, segundo contrato extinto, deveremos tomar? A possibilidade da duzentena está bem aí, e pelo o que vejo no seu blog, você pede que o professor vá à atribuição e “tente” pegar aulas? Não é uma medida infantil essa? Ter todo um stress desnecessário, confusão, sendo que o sindicato poderia já se antecipar e tentar resguardar esses professores? Obrigada!

    Responder
    • 158. apeoesp  |  12/01/2014 às 17:50

      Prezada professora Érika,
      A medida nada tem de infantil. Na medida em que o governo inseriu na lei o afastamento por 200 dias para professores que já usaram os 40 dias, é preciso configurar a arbitrariedade e negação do direito à atribuição para que se possa ingressar com medida judicial e pedido de liminar. No caso, a ação não pode ser coletiva ou prévia. A justiça não acataria. É preciso comparecer, ter o direito negado, para que se possa com base no princípio da isonomia (todos os que estão na mesma situação funcional tem os mesmos direitos) ingressar com ação judicial.
      Os professores candidatos à contratação tem o direito potencial de serem professores da rede no momento, pois o ano letivo não se iniciou. Somente com a negativa deste direito é que se pode agir.
      Bebel

      Responder
      • 159. Érika  |  12/01/2014 às 20:22

        Está bem óbvio que as diretorias seguirão a LC 1215/13 e nos impedirão de termos aulas atribuídas. A Apeoesp já deveria estar se mexendo,e se já estiver deveria divulgar no seu site. Esperar a atribuição pra ver se isso vai se efetivar mesmo é uma medida além de infantil (quem acredita nesse Governo?), e também amadora! Estamos lidando com governantes que pouco se importam com a Educação do nosso Estado. O que eles não querem é criar vínculo empregatício conosco. Se foi feito um acordo com o secretário e a LC 1215/13 não contemplou o que era pra ter sido contemplado, a Apeoesp deveria ter entrado imeditamente com uma ação. Acordos feito “de boca”? É muito amadorismo pro meu gosto! Estamos no Brasil!

      • 160. apeoesp  |  19/01/2014 às 13:39

        Prezada professora Érika,
        A orientação que passei era provisória, pois estávamos buscando contato com a Secretária Adjunta e o departamento jurídico analisava a questão com mais detalhes. A Secretária Adjunta reafirmou o que diz a lei e o departamento jurídico concluiu que há bases legais para a ação coletiva contra os 200 dias. Já ingressamos com a ação e temos confiança de que vamos conseguir a liminar.
        Bebel

    • 161. RENATO DOMINGUES SALES  |  13/01/2014 às 02:19

      a resposta esta situação que o sindicato deixou os professores deve ser ans urna s este ano term elelição no sindicato tambem

      Responder
      • 162. apeoesp  |  19/01/2014 às 13:53

        Prezado professor Renato,
        Acredito que você confunde as coisas. Quem toma as decisões é o governo estadual, não o sindicato. Neste ano haveria a exigência dos 200 dias para todos os professores. Com a greve, conseguimos negociar a redução para 40 dias para todos. O governo manobrou, alterou o projeto e criou esta situação. Estamos lutando para reverter isto. Ingressamos com ação coletiva na justiça contra os 200 dias. Esperamos conseguir a liminar. Você tem todo o direito de expressar suas posições, mas creio ser um pouco cedo para fazer campanha eleitoral.
        Bebel

  • 163. Karyne  |  13/01/2014 às 13:27

    Bebel,gostaria de saber se vou poder fazer outro contrato em 2014,tive um contrato em 2012 ele foi extinto em 18 de dezembro de 2013,sou professora categoria O.

    Fico no Aguardo

    Karyne

    Responder
    • 164. apeoesp  |  19/01/2014 às 14:04

      Prezada professora Karyne,
      Poderá sim, após transcorridos os 40 dias de afastamento. Participe da atribuição e assine o contrato após este prazo.
      Bebel

      Responder
  • 165. margarete  |  13/01/2014 às 14:33

    Observação importante:

    Os docentes, que tiveram extinção contratual em 2013, com a vigência posterior 18/12/2013, poderão concorrer à atribuição de classes ou aulas, devendo providenciar de imediato o Atestado de Saúde Ocupacional e assumir o exercício da classe/aulas no 1° dia útil após o cumprimento da “quarentena”. Nesse período, as aulas deverão ser ministradas, preferencialmente pelo Professor de Apoio à Aprendizagem (PAA) e, na ausência deste, por docente eventual. Será que estou enganada em achar que não poderei ter aulas atribuídas em 2014? Está tão claro: Poderemos sim ter aulas atribuídas, e após o prazo assinarmos o contrato, não é isso Bebel?

    Responder
    • 166. apeoesp  |  19/01/2014 às 14:06

      Prezada professora Margarete,
      Sim, para quem ainda não usou a quarentena. O problema é que introduziram na lei um outro dispositivo, que diz que o professor que já usou os quarenta dias uma vez, não poderá fazê-lo agora, devendo ficar 200 dias fora da rede. A SEE e o governo omitiram este dispositivo e, devido à forma como foi redigido, não conseguimos detectá-lo. Entretanto, agora, ingressamos com ação coletiva contra os 200 dias e estamos confiantes de que obteremos a liminar.
      Bebel

      Responder
  • 167. Wagner  |  13/01/2014 às 16:21

    Gostaria de saber se os professores cat O, que tiveram seu contrato encerrado em Dezembro, irá receber 1/3 de férias.

    Responder
    • 168. apeoesp  |  19/01/2014 às 14:13

      Prezado professor Wagner,
      Sim. Devem receber em fevereiro. Se não ocorrer, procure o departamento jurídico na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 169. Mirian Souza  |  13/01/2014 às 16:22

    Olá, Bebel

    Passei no processo simplificado, sou candidata com 50% do curso, mas diante de tantas noticias ruins, eu estou pensando em esperar mais um pouco, pois tenho emprego fixo, faço o curso de letras pelo amor a profissão de docente, mas tenho medo de passar por tudo isso que leio nos comentarios , a minha duvida Bebel é a seguinte, se eu não for na atribuição dia 24/01 serei prejudicada? sou a 15º na classificação da minha DE…
    Outra duvida, quando acha que vai ter concurso de PEBII novamente?

    Desde já , gostaria de agradeçer o que o sindicato tem feito pelos professores, e sabemos que as conquistas sempre foram dificeis pelas imensas barreiras que este Governo impoe , principalmente com seus textos elaborados de forma de abrir brechas as falcatruas deste partido que não apoia a educação no Estado, uma dura realizade com que temos que lidar, gostaria de dizer que apoio a posição do sindicato em lutar por mais concursos publicos e por formas justas de contratação, a categoria O é mesmo uma forma precaria de trabalho.

    Obrigada,
    Fico no aguardo as respostas as minhas duas duvidas.
    🙂

    Responder
    • 170. apeoesp  |  19/01/2014 às 14:17

      Prezada professora Miriam,
      Muito obrigada pelas suas palavras.
      Não, você não será prejudicada. Seria apenas se assinasse contrato e desistisse das aulas, correndo o risco de ter que ficar 5 anos sem poder ingressar novamente na rede.
      Um novo concurso para PEB II pode demorar, pois o atual poderá ser prorrogado por mais 2 anos.
      Nosso sindicato luta por concursos públicos periódicos. Conseguimos em 2009 a edição de um decreto que obriga o Estado a promover concursos no máximo a cada quatro anos. Antes ocorriam de vez em quando. Tivemos concurso em 2010 e agora em 2013.
      Lutamos também contra esta forma absurda contratação do professor da categoria O.
      Boa sorte.
      Bebel

      Responder
  • 171. KELLEN NUNES SKOLIMOSKI  |  14/01/2014 às 02:42

    No GDAE todos estamos classificados, e não está especificado quem está de quarentena ou duzentena, como eles saberão, como eles poderão fazer valer a duzentena se já estamos na lista de classificação que será usada na atribuição?

    Responder
    • 172. apeoesp  |  19/01/2014 às 02:43

      Prezada professora Kellen,
      Ingressamos com ação coletiva contra os duzentos dias e contra todo tipo de quarentena para os professores da categoria O. Eles já começaram a comunicar os que devem cumprir os duzentos dias.
      Bebel

      Responder
  • 173. nane  |  14/01/2014 às 12:36

    Bebel, infelizmente a cat. O não está com o seu apoio, quando precisou a maioria estava lá na greve, e agora é muito fácil falar ” Participa da atribuição e depois procura o jurídico”. A ação tem que ser antes e não quando o leite estiver derramado. Bebel , desculpa não é que estamos jogando nas suas costas, porém é você que nos representa e que participa das reuniões com o secretário. Nos posts anteriores você diz que em breve iria tentar uma reunião e dar respostas sobre os 200 dias, mas e aí ? Se realmente, nos representa tem que ser para ontem e não depois da atribuição. Obrigada.

    Responder
    • 174. apeoesp  |  19/01/2014 às 03:00

      Prezada professora Nane,
      Como pode dizer que a categoria O não tem o nosso apoio? Desde de 2009 este é um ponto permanente de nossa pauta. Se estamos em condições hoje de discutir essa questão de 40 dias ou 200 dias, foi porque em 2010 conquistamos a redução para 40 dias e também a prorrogação dos contratos. Originalmente era de um ano com afastamento de 200 dias para todos.
      O departamento jurídico analisou com mais detalhamento a situação e a APEOESP ingressou com ação coletiva contra os 200 dias. Estamos confiantes em obter a liminar, pois temos argumentos sólidos.
      Bebel

      Responder
  • 175. Cleber  |  14/01/2014 às 13:17

    Bebel, sou cat. “O” e fui avisado pelo secretário de escola que não poderei pegar aulas, pois estou no meu segundo contrato, so poderei pegar aulas após 200 dias. O que a APEOESP vai fazer? tem que entrar com uma ação contra o governo

    Responder
    • 176. apeoesp  |  19/01/2014 às 01:44

      Prezado professor Cleber,
      A APEOESP ingressou com ação coletiva contra os 200 dias e toda forma de quarentena para o professor da categoria O.
      Bebel

      Responder
  • 177. Camila  |  14/01/2014 às 15:15

    Se a duzentena seria levada a termo, qual o motivo de termos prestado a prova do processo seletivo? Não só prestei, como passei… E agora?
    No meu caso, é ainda pior pois sou não habilitada, com pontuação chegando a 60 na prova. Ficaria, caso pudesse participar da atribuição, atrás de gente que fez 5 pontos.
    A respeito do pagamento, a secretaria da escola disse que sairá em janeiro, mas ninguém sabe quando.

    Responder
    • 178. apeoesp  |  19/01/2014 às 00:11

      Prezada professora Camila,
      Desculpe-me a demora, mas são muitos comentários, sobre assuntos diferentes.
      A APEOESP ingressou com ação coletiva contra os 200 dias e todo tipo de quarentena. Estamos confiantes de que podemos conseguir a liminar.
      A incoerência é do governo. Faltam professores e o governo cria obstáculos para que os professores ministrem aulas.
      Sobre a rescisão, deve ocorrer em janeiro ou fevereiro. A Secretária Adjunta nos assegurou que providenciaria a regularização. Se não ocorrer, procure o departamento jurídico na subsede.
      Boa sorte.
      Bebel

      Responder
  • 179. Silmara  |  14/01/2014 às 18:26

    Bebel, a respeito do recebimento das férias do categoria O, como ficou? Minha escola ainda não sabe me dizer se vou receber ou não. Devo dizer que trabalhei com contrato em 2012 que foi encerrado no final de 2013 e não recebi nada em julho de 2013.

    Responder
    • 180. apeoesp  |  19/01/2014 às 01:35

      Prezada professora Silmara,
      A Secretária Adjunta da SEE comprometeu-se a regularizar estes pagamentos. Em princípio, estão previstos para fevereiro. Se não receber, procure o departamento jurídico na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 181. Jones Martins de Freitas  |  14/01/2014 às 19:44

    Isso que está acontecendo com esse povo é uma vergonha e o que nós fazemos com nossas crianças também. Devemos sim sair para as mobilizações, mas acredito que isso também pode ser feito nas férias, pois é o único momento que não sairemos prejudicados. Faça um teste e marque uma mobilização para os dias 28, 29 30 ou 31 e vc Maria verá quantos Cat O estarão nas ruas, justifica essa quantidade nas ruas pelo simples fato que os que estão na quarentena poderão começar atuar somente dia 3 (segunda feira), sem contar também os que ficaram na duzentena, que estarão mas revoltados por ficarem todo esse tempo parado. A preocupação Maria e sair com aula atribuida e perder o contrato, pois já se sabe que podemos abonar somente 2 vezes em 2 anos. Maria temos contas a pagar, olhe para nós e se sensibilize com essa grande ajuda de 50 mil professores que pode ter nas ruas…

    Obrigado

    Responder
    • 182. apeoesp  |  19/01/2014 às 01:33

      Prezado professor Jones,
      Nos dias que você sugere a atribuição de aulas já terá acontecido.
      A APEOESP ingressou com ação judicial e contra toda forma de quarentena para o professor da categoria O. Estamos confiantes em obter a liminar.
      No decorrer do ano faremos muitas outras mobilizações.
      Bebel

      Responder
  • 183. FRAN  |  14/01/2014 às 21:28

    OLÁ BEBEL, A APEOESP ESPERA AS COISAS ACONTECER E SÓ DEPOIS TOMA ” ATITUDE” , COM TANTOS ASSOCIADOS , É IMPOSSÍVEL QUE NÃO TENHA DINHEIRO O SUFICIENTE PARA CONTRATAR O MELHOR ADVOGADO DO BRASIL, PARA QUE TENHAMOS UMA VITÓRIA COMO A IMPLANTAÇÃO DA LEI DO PISO , QUE VENDAM UMA COLONIOA DE FÉRIAS SE NECESSÁRIO, PROFESSOR QUER DIGUINIDADE E RESPEITO , E PELO QUE TENHO LIDO POR AQUI OS PROFESSORES COBRAM ATITUDES DO SINDICATO, POIS VCS NOS REPRESENTAM E TODO MES OS PROFESSORES DAO SUA CONTRIBUIÇÃO , TA FALTANDO ATITUDE , ESTAMOS CANSADOS DE SER ENROLADO POR VCS, O OUTRO SINDICATO O CPP PARECE ESTAR NA ILHA DA FANTASIA, SO FALA EM CORAL, COLONIA DE FÉRIAS E BLÁ BLÁ BLÁ…….RECLAMAM Q OS PROFESSORES SÃO DESUNIDOS MAS NOSSOS 2 SINDICATOS SÃO DESUNIDOS.

    Responder
    • 184. apeoesp  |  18/01/2014 às 12:50

      Prezada professora Fran,
      A APEOESP não espera as coisas acontecerem. As coisas acontecem, independente da nossa vontade. Já contratamos os melhores advogados do Brasil desde julho do ano passado, que estão cuidado da ação da lei do piso em Brasília, que tramita do STF. Não precisamos vender nenhuma colônia de férias para isto. As colônias são um patrimônio dos professores, pagas com suas contribuições mensais e não faríamos algo assim.
      Não enrolamos ninguém. Desculpe-me, mas parece que você é quem vive em outro mundo, onde a APEOESP nada faz. Consulte o nosso site e até mesmo aqui no blog e verá que isto não é verdade.
      Para fazer críticas é preciso estar bem informada. Esta informação sobre a ação em Brasília e a contratação de um grande escritório está em boletim APEOESP Urgente divulgado há meses.
      Bebel

      Responder
  • 185. Letícia  |  14/01/2014 às 22:11

    Participei da classificação do CEEJA na minha cidade e fui chamada pois peguei o 2º lugar dendo em vista em que o 1º é um efetivo não poderei assumir as aulas diz a dirigente da minha cidade pois cai nos 200 dias depois de ter feito todo projeto e entrevista sendo que a atribuição será antes o que fazer.

    Responder
    • 186. apeoesp  |  19/01/2014 às 01:20

      Prezada professora Letícia,
      Ingressamos com ação coletiva contra os 200 dias e toda forma de quarentena para o professor da categoria O.
      Se quiser também ingressar com ação individual, procure o departamento jurídico, na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 187. Angelina  |  15/01/2014 às 00:40

    Bebel,boa noite. Vc aconselha ao professor O, que ja tenha cumprido uma quarentena, que compareça à atribuição? Quanto ao concurso, o q vc aconselha para o prof.de ‘1ª viagem’? Quais são ‘aqueles’ detalhes que devemos tomar muuuito cuidado ao assumir o cargo? Se não assumir na 2ª DE, onde fui melhor classificada,, eu posso esperar a chamada na 1ª DE? Obrigada, Angelina.

    Responder
    • 188. apeoesp  |  19/01/2014 às 01:09

      Prezada professora Angelina,
      A APEOESP ingressou com ação judicial para derrubar os 200 dias e qualquer forma de quarentena para o professor da categoria O. Estamos confiantes em obter a liminar.
      Quanto aos professores concursados. A Secretária Adjunta da SEE comprometeu-se a publicar instruções claras sobre a escolha e posse, mas adiantou que deve ser respeitada a ordem de opção. Primeiro você deve comparecer à sua primeira opção. Não conseguindo escolher, deve então ir à DE da segunda opção. Haverá ainda a terceira etapa, onde pode escolher DEs onde haja vagas.
      Bebel

      Responder
    • 189. renatodomigues sales  |  19/01/2014 às 01:33

      a todos mcategoria o

      Date: Sun, 19 Jan 2014 01:09:37 +0000 To: renatosales_22@hotmail.com

      Responder
  • 190. maria  |  15/01/2014 às 12:50

    Esta é uma mensagem da empresa Secretaria de Educação do Estado enviada através da solução de e-recruitment VAGAS e-partner:
    – Por favor, não responda a esta mensagem. Respostas serão ignoradas.
    – Consulte o seu histórico em sua página de serviços ao candidato para acompanhar eventuais mensagens enviadas pela empresa.
    Isto é desvio de verbas da educação?O “Estado de SP” não precisa de uma empresa para cadastrar professores para a Escola de Tempo Integral!Isto é lesar a educação e o povo que dela se serve.Cadê o MP?O Estado precisa de intervenção urgente.

    Responder
  • 191. maria  |  15/01/2014 às 12:55

    Espero que o sindicato negocie com o governo o ingresso dos professores que já são da rede,pois estamos na rede desde 98 e os exames é um exagero desnecessário.Agilizar o ingresso e diminir a falta de professores na rede.O Serra criou essa palhaçada e o Alckmim a mantém.Quantos exames eles fizeram assumir seus cargos?

    Responder
    • 192. apeoesp  |  19/01/2014 às 00:56

      Prezada professora Maria,
      Já conversamos com a Secretária Adjunta, que nos afirmou não ser possível, pois é exigência legal.
      Bebel

      Responder
  • 193. amalia  |  15/01/2014 às 13:25

    Bom dia!
    Quando serão abertas as inscrições para outras DRS?

    Obrigada,

    Amalia

    Responder
    • 194. apeoesp  |  19/01/2014 às 00:53

      Prezada professor Amalia,
      Apenas após todo o processo de atribuição inicial de aulas.
      Bebel

      Responder
  • 195. Franciane  |  15/01/2014 às 16:40

    Olá Bebel sou professora categoria O e segundo essa nova lei terei de cumprir os 200 dias fora da rede, gostaria de saber se nesse tempo poderei atuar como professor eventual pela categoria I?

    Responder
    • 196. apeoesp  |  19/01/2014 às 00:40

      Prezada professora Franciane,
      A APEOESP ingressou com ação coletiva contra os 200 dias e toda forma de quarentena. Estamos confiantes em conseguir a liminar.
      Se não conseguirmos, você pode atuar como eventual, sim.
      Boa sorte.
      Bebel

      Responder
  • 197. jucimerilis@hotmail.com  |  15/01/2014 às 17:24

    Cara Maria Izabel!
    Foi com grande satisfação que li alguns comentários, e percebi que minha descrença neste sindicato não é solitaria, pois na minha visão é um sindicato vendido e que faz acordos nas costas dos professores, que dão a cara pra bater e saem traido sendo o último a saber das falcatruas.

    Responder
    • 198. apeoesp  |  18/01/2014 às 16:39

      Prezada professora Jucimerilis,
      Se comentário é tão amargo e calunioso que, em princípio, nem mereceria resposta. Mas eu gostaria que você por favor me explicasse como chegou á conclusão de a APEOESP é um sindicato vendido. Quando você faz esta afirmação, certamente não posso deixar de pensar que você considera que mais de 186 mil professores são coniventes com as “falcatruas” a que você se refere, ou são ingênuos ou simplesmente desprovidos de qualquer senso crítico para continuarem filiados ao nosso sindicato (sendo que o número de filiações continua a crescer).
      Em que momento nosso sindicato se vendeu? Por qual preço? A troco de que?
      Se você faz uma acusação como esta, é porque tem provas. Apresente-as.
      Bebel

      Responder
  • 199. Mirian Souza  |  15/01/2014 às 18:58

    Bebel,

    Tenho outra dúvida, os professores categoria O que atribuirem agora, serão demitidos depois que os efetivos assumirem?

    Responder
    • 200. apeoesp  |  18/01/2014 às 16:34

      Prezada professora Mirian,
      Pode ocorrer. Entretanto, muitos professores já pertencem à rede e outras aulas podem surgir.
      Bebel

      Responder
  • 201. sandra maria dos santos  |  15/01/2014 às 22:45

    boa noite a todos os professores e principalmente aos da categoria o.Quero deixar registrado aqui a minha indignação com relação a quarentena para os professores que já estão no terceiro contrato que só poderão renovar, quando cumprir 200 dias letivos. um absurdo pois somos professores da rede e temos os mesmos direitos dos outros professores.É inaceitável que além de usufruirmos pouquíssimo do que deveria ser um direito ainda tenhamos que aceitar o fato de sermos jogados fora como um câncer e depois sermos chamados de volta para fazer parte do mesmo corpo(docente).pergunto é assim que querem bons professores com todo esse desrespeito.Gostaria de registrar e salientar que a maioria das escolas estaduais necessitam do esforço e trabalho árduo de muitos professores da categoria O.Portanto peço ao senhor secretário da educação que reveja esta bendita resolução e raciocine sobre tamanha injustiça.

    Responder
  • 202. sandra maria dos santos  |  15/01/2014 às 22:53

    Por que? ser professor é tão difícil e o que mais desanima são as resoluções lançadas sem o meno respeito ao trabalho decente.Alguém pode me responder?

    Responder
    • 203. apeoesp  |  18/01/2014 às 16:14

      Prezada professora Sandra,
      Concordo com você. O Secretário da Educação e o governo de forma geral definem suas políticas e emitem suas resoluções sem considerar as necessidades e reivindicações do magistério e das escolas. Quanto aos duzentos dias, ingressamos com ação coletiva e estamos confiantes de que vamos conseguir a liminar.
      Bebel

      Responder
  • 204. sandra maria dos santos  |  15/01/2014 às 23:02

    Como é possível ficar sem trabalhar por 200 dias, sendo que tenho uma família que dependente do meu salário.Vou passar fome?o que vou fazer?

    Responder
    • 205. apeoesp  |  18/01/2014 às 16:00

      Prezada professora Sandra,
      A APEOESP ingressou com ação coletiva contra os 200 dias e contra a quarentena. Estamos confiantes em conseguir a liminar. Caso não ocorra, você poderá ingressar com ação individual.
      Bebel

      Responder
  • 206. Micheli Maia  |  15/01/2014 às 23:19

    Conclusão, vamos esperar, vamos à atribuição, vamos nos estressar, vamos nos humilhar e aí, somente aí, entraremos com a liminar para “tentarmos reverter à situação”… enquanto isso nada poderá ser feito. Parabéns aos colegas categorias F,G,H, I (…) que não precisam passar por todo esse transtorno e parabéns ao sindicato que nada fez e nada faz! Obrigada querida Bebel.

    Responder
    • 207. apeoesp  |  18/01/2014 às 15:58

      Prezada professora Micheli,
      Em primeiro lugar, é preciso que não se atribua ao sindicato os desmandos do governo. Negociamos a redução dos 200 dias para 40 dias. O governo concordou. Posteriormente mudou e enviou uma redação que não corresponde à negociação. Realizamos reunião com a Secretária Adjunta e ela manteve a posição do governo de que nada poderia fazer. Diante disto, ingressamos com ação coletiva e estamos confiantes de conseguir a liminar.
      Procurar caminhos é obrigação do sindicato. Num primeiro momento, este foi o posicionamento, que já revimos, mas não podemos aceitar que você nos acuse de nada fazer. Não é fácil lidar com este governo durante todo o ano e ouvir todo tipo de negativas. Apesar disto, temos, sim, conseguido reduzir danos e avançar em muitos pontos.
      Não quero reconhecimento pessoal, pois o sindicato não se resume a uma ou a algumas pessoas. Mas dizer que o sindicato nada faz é desdenhar da luta de milhares de professores que foram à greve em 2013, arriscaram seus empregos (no caso dos professores da categoria O) e tiveram que repor aulas.
      Bebel

      Responder
  • 208. Talita  |  16/01/2014 às 00:55

    Olá Bebel. Tenho uma dúvida que muitas pessoas ficam confusas ao tentar responder. De acordo com a “nova atribuição”, um efetivo pode aumentar sua jornada, chegando a 60 aulas. Se um professor de Biologia completa sua carga inicial com 32 aulas semanais, e, assume mais 20 aulas de química (de acordo com a nova atribuição), essas aulas de química irão para a atribuição dos novos efetivos? desde já, fico grata na certeza de sua resposta.

    Responder
    • 209. apeoesp  |  18/01/2014 às 15:50

      Prezada professora Talita,
      O professor concursado ingressante tem o direito de compor a jornada de trabalho escolhida. Assim, devem ser destinadas aos novos ingressantes todas as aulas que não componham as jornadas dos demais titulares de cargo. Para confirmar esta informação e demais orientações, por favor, ligue para 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 210. Tolotto  |  16/01/2014 às 01:56

    No site da DE Guarulhos Sul já consta uma lista com 189 nomes dos professores que só poderão ser contratados decorridos 200 dias.
    Os professores que estão nesta situação estão cobertos pela liminar que garante direito de escolha do professor na atribuição, conforme está noticiado no APEOESP URGENTE nº 3?
    Bebel desde já agradeço e aguardo sua resposta.

    Responder
    • 211. apeoesp  |  18/01/2014 às 15:23

      Prezado professor Tolotto,
      Não. A APEOESP ingressou com ação coletiva específica contra os 200 dias e a quarentena. estamos confiantes em obter a liminar.
      Bebel

      Responder
  • 212. Priscila Ferreira  |  16/01/2014 às 12:06

    Bebel bom dia…sou categoria O e entrei na duzentena, meu nome foi para a diretoria de Taquaritinga, o que devo fazer se me negarem a atribuição de aulas?

    Responder
    • 213. apeoesp  |  18/01/2014 às 13:03

      Prezada professora Priscila,
      A APEOESP ingressou com ação coletiva contra os 200 dias e a quarentena. Se não obtivermos a liminar, você deve ingressar com ação individual.
      Bebel

      Responder
  • 214. oliveira  |  16/01/2014 às 12:24

    gostaria de saber qual critério para se ter esta duzentena, qual motivo ,o por que, nunca consegui entender. Sera que é somente para prejudicar o ensino paulista por que mesmo com este concurso não serão preenchida todas as faltas de professor que existe no estado. O ano passado tinha profissionais de outras áreas lecionando por falta de docente até que ponto teremos que chegar para garantir nossos direitos. detalhe estive em todas as manifestações convocadas pela apeoesp e até o momento só tivemos resultados contrários a que buscamos . E a duzentena ainda está atormentando avida dos professores categoria O todo ano a mesma coisa.

    Responder
    • 215. apeoesp  |  18/01/2014 às 13:01

      Prezado professor Oliveira,
      Não entendi sua afirmação de que só houve até agora resultados negativos.
      Desde 2009 seriam aplicados os 200 dias, pois isto é o que prevê a lei. No entanto, conseguimos a redução para 40 dias em 2011, 2012, 2013. Agora o governo voltou a exigir os 200 dias, mas ingressamos com ação judicial para barrar a exigência e mesmo a quarentena.
      A prova era eliminatória. Agora é classificatória. Ou seja, todos participam da atribuição de aulas, de acordo com a classificação.
      Não há direito de atendimento no IAMSPE para a categoria, agora isto consta em projeto de lei que será votado no início de 2014.
      Não posso aceitar que a APEOESP seja culpabilizada pelos desmandos do governo. Entendemos a situação dos professores da categoria O, lutamos contra esta lei, queremos o fim deste tipo de contratação.
      Bebel

      Responder
  • 216. FRAN  |  16/01/2014 às 13:08

    é sempre assim, o meu e de alguns colegas , ou nosso comentario esta aguardando moderação ou simplesmente não é publicado. q democracia né???

    Responder
    • 217. apeoesp  |  18/01/2014 às 12:52

      Prezada professora Fran,
      Já respondi sua pergunta. Desculpe-me a demora.
      Bebel

      Responder
  • 218. Ferreira  |  16/01/2014 às 17:23

    Olá!
    Gostaria de tirar uma dúvida.
    Fui contratado em agosto de 2011 como professor eventual, não tive aulas atribuídas nesse ano. Em 2012 tive aulas atribuídas até no final do ano.
    Então, o meu primeiro contrato teve duração de um ano e meio.
    Em dois 2013 fizeram outro contrato, tive aulas atribuídas o ano todo. De acordo com a gerente da escola, meu contrato está ativo até no final de 2014. Já cumpri uma quarentena, em 2015 vou ter que cumprir a 200(duzentena)?
    Obs: Cada um fala uma coisa diferente, não estou entendendo nada….. obrigado

    Responder
    • 219. apeoesp  |  18/01/2014 às 12:41

      Prezado professor Ferreira,
      Pois é, o governo aprontou esta confusão. Pelo acordo que fizemos no final da greve, nenhum professor cumpriria 200 dias neste ano. O governo modificou o projeto. A APEOESP já ingressou com ação coletiva contra os 200 dias e a quarentena.
      Bebel

      Responder
  • 220. Cleber  |  16/01/2014 às 17:35

    olha só Bebel a lista dos professores da cat. o que a diretoria de ensino de guarulhos http://www.dergsu.com.br publicou, esses 189 professores só poderão pegar aulas após 200 dias… no link em baixo vai direto para a pagina

    http://www.dergsu.com.br/quarentena2012-2013.htm

    Responder
    • 221. apeoesp  |  18/01/2014 às 12:38

      Prezado professor Cleber,
      A APEOESP ingressou com ação coletiva contra os 200 dias e contra a quarentena. Aguardamos liminar.
      Bebel

      Responder
  • 222. Silmara  |  16/01/2014 às 18:40

    Bebel, a Apeoesp diz que só pode entrar com ação judicial mediante negativa do direito de que ele escolha sala na hora da atribuição. Muito bem, a D.E de Guarulhos divulgou em seu site uma lista com os nomes de 189 professores que só poderão atribuir aulas após os 200 dias. Minha pergunta: Mediante esta negativa do direito de cada professor a Apeoesp já não pode entrar com a tal ação para garantir os direitos ao trabalho destes professores e de outros que possam entrar em mesma situação?

    Responder
    • 223. apeoesp  |  18/01/2014 às 12:36

      Prezada professora Silmara,
      O departamento jurídico e a diretoria reexaminaram a questão, após reunião com a Secretária Adjunta, e já ingressamos com ação coletiva.
      Bebel

      Responder
  • 224. edson  |  16/01/2014 às 18:44

    Olá, existe alguma notícia, a respeito do recebimento de férias dos professores cat. O?

    Responder
    • 225. apeoesp  |  18/01/2014 às 12:35

      Prezado professor Edson,
      Levamos o caso à Secretária Adjunto, que comprometeu-se a regularizar os pagamentos. Deve ocorrer em fevereiro. Se não receber, procure o departamento jurídico.
      Bebel

      Responder
  • 226. Edison Rocha Romão  |  16/01/2014 às 21:02

    É LAMENTAVEL MAIS É REAL…ENCONTREI HOJE:

    No site da diretoria de ensino Guarulhos sul http://www.dergsu.com.br/ saiu hoje uma lista com o nome de 189 professores que NÃO poderão pegar aula só depois de cumprir 200 dias fora da rede.

    Responder
    • 227. apeoesp  |  18/01/2014 às 12:30

      Prezado professor Edison Rocha Romão,
      A APEOESP ingressou com ação contra os 200 dias e contra a quarentena. Aguardamos decisão judicial e estamos confiantes de conseguir a liminar.
      Bebel

      Responder
  • 228. Denise Antonio  |  16/01/2014 às 23:54

    Oi Bebel tudo bem
    Trabalhei o ano todo em 2012 e 2013, ambos desde o primeiro dia de aula. Gostaria de saber se tenho direito as férias pois não tem nada provisionado. E como posso requerer.
    Att
    Denise

    Responder
    • 229. apeoesp  |  18/01/2014 às 11:51

      Prezada professora Denise,
      Sim, tem. A Secretária Adjunta comprometeu-se a regularizar esses pagamentos, pois muitos professor reclamam que não recebem. Se não receber, você pode ingressar com ação judicial. Procure a subsede.
      Bebel

      Responder
  • 230. Júnior Fonseca  |  17/01/2014 às 10:28

    Bebel, saiu um correio do dia 27 de Dezembro, apontado que serão considerados anterior a 2014, espero que a apeoesp ainda lute e brigue pelos direitos dos professores, bom minha situação é a seguinte, comecei na época da faculdade, então meus dois contratos de função era como PEB I (código 6407 no sistema), agora o próximo contrato seria como PEB II, pois já estou formado e seria o código do sistema 6409, mudando de função como apresenta nesse trecho: (A “quarentena” aplica-se somente ao candidato à contratação para a função docente, que tenha anteriormente celebrado contrato para a mesma função.) que está no documento acima!!! Verifique por favor

    Responder
    • 231. apeoesp  |  18/01/2014 às 11:39

      Prezado professor Junior,
      Mediante a negativa da SEE em alterar este ponto, concluímos pela necessidade de ação judicial coletiva e já ingressamos. Estamos confiantes em uma liminar escrito. No seu caso específico, se você for impedido de participar, poderá ingressar com ação individual ou aguardar decisão da ação coletiva impetrada pela APEOESP contra os 200 dias.
      Boa sorte.
      Bebel

      Responder
  • 232. Marcio Braga  |  17/01/2014 às 13:33

    Olá

    Até o final de 2011 eu pertencia a categoria “L”. Em janeiro de 2012 assinei meu primeiro contrato na categoria “O” e este teve seu fim em Dezembro de 2013.
    Minha dúvida é: o período entre o contrato final do meu contrato como “L” e o início do meu contrato com “O” caracteriza a quarentena?
    Em 2014, minha “quarentena” será de 40 ou 200 dias?

    Muito obrigado.

    Responder
    • 233. apeoesp  |  18/01/2014 às 11:34

      Prezado professor Marcio,
      Creio que você está cumprindo sua primeira quarentena neste momento. Assim, poderá participar da atribuição de aulas e assinar contrato no início de fevereiro.
      Bebel

      Responder
  • 234. maria  |  17/01/2014 às 14:34

    As atribuições já estão ai. Você diz que “O projeto foi votado em dez dias, sem aviso prévio”. Isso é um absurdo! quer dizer que cada 2 anos trabalhados fico praticamente 1desempregada. que lei absurda é essa que impede alguém de trabalhar. isso procede. estou indignada. já que o governo esta demitindo pq você não briga para termos seguro desemprego pq vou ficar 6 meses sem trabalho já que deixou esse disparate acontecer.

    Responder
    • 235. apeoesp  |  18/01/2014 às 11:28

      Prezada professora Maria,
      Mediante estudos do departamento jurídico, a APEOESP ingressou com ação coletiva contra os 200 dias e contra a quarentena como um todo. Estamos confiantes na obtenção da liminar.
      Quanto a um seguro desemprego, não há amparo legal, visto que a contratação é por tempo determinado com base em lei estadual e não CLT. Seria necessária uma lei estadual específica, mas o governo atual tem ampla maioria que impede sua aprovação. Já tramitaram projetos para indenização aos professores temporários que viessem a ser demitidos, com apoio da APEOESP, mas esta maioria nunca permitiu sua aprovação.
      Bebel

      Responder
  • 236. Douglas Amaral  |  17/01/2014 às 14:55

    Vergonha em “estar” professor. Estar, pois se Deus quiser em breve, mas muito breve mesmo, estarei longe dessa FURADA que é educação e sindicato comprado…
    O importante é receber as contribuições dos afiliados efetivos, claro. Os de categoria “O” que se danem e procurem seus direitos individualmente!

    Responder
    • 237. apeoesp  |  18/01/2014 às 11:25

      Prezado professor Douglas,
      O sindicato, após estudos do departamento jurídico, concluiu pela viabilidade da ação coletiva e já ingressou com a mesma. Acreditamos que podemos obter a liminar, tendo em vista que nossos argumentos são lógicos, claros e justos.
      Quem acompanha as atividade do sindicato sabe da nossa luta em favor dos professores da categoria O e que as questões deste segmento foram centrais na IV Conferência Estadual de Educação da APEOESP (2009), no XXIII Congresso Estadual da APEOESP (2010), na V Conferência Estadual de Educação da APEOESP (2012) e no XXIV Congresso Estadual da APEOESP (2013). Por isso não aceito e repudio sua afirmação de que o sindicato é comprado e não nos interessamos pelos professores da categoria O. Se você comparecesse às assembleias e atividades da APEOESP, saberia que isto não é verdade.
      Bebel

      Responder
      • 238. Douglas Amaral  |  18/01/2014 às 17:26

        Erro primário, pois acordo de boca bem sabemos que não tem validade…
        Congresso é para que tenham mais afiliados e para que pareça que estão fazendo algo por nós.

      • 239. apeoesp  |  19/01/2014 às 00:29

        Prezado professor Douglas,
        Creio que você está bastante enganado.
        O chamado “acordo de boca” já garantiu:
        Prezada professora Fernanda Mello,
        – Fim da obrigatoriedade da prova para os professores da categoria F – está em vigor.
        – Fim do caráter eliminatório da prova para os professores da categoria O – está em vigor.
        – Não privatização do IAMSPE – não foi privatizado. Agora o governo tenta fazer uma privatização disfarçada por meio da mudança da natureza jurídica do IAMSPE.
        – Direito de atendimento médico no IAMSPE para os professores da categoria O – consta em projeto do IAMSPE que será votado no início de 2014 na ALESP.
        – Redução do afastamento dos professores da categoria O de 200 para 40 dias. Explique-se: todos os professores da categoria O teriam que cumprir 200 dias neste ano. Ocorre que o governo, sem nos comunicar, alterou o texto do projeto de lei, em linguagem pouco clara, de forma que uma parte (que já utilizou os 40 dias anteriormente) terá que cumprir 200 dias. Nem mesmo a SEE tinha clareza sobre este ponto, emitindo posições contraditórias para a rede. A APEOESP ingressou com ação coletiva para derrubar tanto os 200 quanto os 40 dias. Estamos confiantes em obter a liminar.
        – Anteriormente, em outro “acordo de boca”, já havíamos conseguido a ampliação dos contratos de apenas um ano para quase dois, com a prorrogação. Você sabia que a lei original previa apenas um ano de contrato e afastamento de 200 dias para todos?
        – Concurso público para PEB II – a SEE realizou o concurso com maior número de vagas da história da rede. São mais de 116 mil aprovados para 59 mil vagas. Vinte mil serão chamados em 2014. Os restantes 39 mil em 2015. Muitos professores da categoria O foram aprovados e poderão deixar a condição precária em que se encontram.
        – Concurso para PEB I, já anunciado pela Secretária Adjunta.
        – Licença prêmio em dinheiro (um mês), retomando o que era praticado anteriormente e foi suspenso pelo governo.
        – Elevação do reajuste de 2013 de 6% para 8.1%.
        – Também nossa greve criou condições políticas para conquistas importantes na discussão da carreira do magistério, como a criação do memorial do professor e novas formas de evolução pela via não acadêmica.
        – Quanto à jornada do piso, embora o secretário da Educação, no final da greve, tenha se comprometido a negociar, não o fez, mas temos ação judicial no STF e estamos confiantes, pois a lei é clara e está do nosso lado.
        Muitos outros “acordos de boca” resultaram em muitas conquistas para os professores.
        Desde que o projeto de lei que criou a categoria O foi enviado para a ALESP, lutamos contra ele. De lá para cá, a prova deixou de ser eliminatória, o afastamento deixou de ser de 200 dias para milhares de professores (e vamos conseguir reduzir para todos na justiça, tenho confiança) e estes professores vão ter direito ao IAMSPE. Não é pouco coisa.
        Nossa luta não começou ontem. Temos experiência e temos consciência de que lidamos com um governo que não dialoga e não tem compromisso com os professores.
        Creio a nossa categoria sabe avaliar o tamanho do esforço feito e sabe também que tem nas mãos, em 2014, a possibilidade de mudar tudo isso, mudando o governo.
        Quanto à sua opinião sobre os congressos da APEOESP, desculpe-me, mas a considero irrelevante e caluniosa.
        Bebel

  • 240. Douglas  |  17/01/2014 às 20:42

    Professor categoria O que teve contrato em outubro de 2012, com extinção em dezembro de 2013, possui algum direito de recebimento de férias? Caso, sim. Quando? Estou buscando esta informação e não consigo resposta nenhuma.

    Responder
    • 241. apeoesp  |  18/01/2014 às 10:55

      Prezado professor Douglas,
      Sim. Em reunião com a Secretária Adjunta, em 14/01, ela comprometeu-se a regularizar a situação, pois muitos professores se queixam de que não recebem este direito.
      Bebel

      Responder
  • 242. Erika Rupero  |  17/01/2014 às 20:43

    Olá! Eu posso ir até a atribuição dia 24, mas antes de acontecer isso havia uma classificação e agora quando acesso o site do Gdae não consta mais nada, só há um recado de que sairá uma nova classificação e que certamente eu não estarei, pois meu nome saiu na minha diretoria como professor que já usufruiu da quarentena. Como posso reivindicar aulas se não terei como provar minha classificação agora?

    Responder
    • 243. apeoesp  |  18/01/2014 às 10:53

      Prezada professora Erika,
      A APEOESP ingressou com ação coletiva contra os 200 dias. Vale a pena comparecer, pois podemos conseguir a liminar. Vale a pena comparecer também porque poderá obter no local, junto aos representantes da APEOESP, orientações sobre como proceder de forma individual.
      Bebel

      Responder
  • 244. paulo  |  17/01/2014 às 22:34

    Bebel está no site da secretaria que tenho que ficar 200 dias sem dar aula como vou cuidar de meus filhos pagar minhas contas e viver sem trabalhar ano passado estava na paulista e fiquei sabendo que esses 200 dias teria acabado como que agora aparece esse lei de novo então nossa greve não valeu de nada

    Responder
    • 245. apeoesp  |  18/01/2014 às 10:46

      Prezado professor Paulo,
      A APEOESP ingressou com ação coletiva e aguarda liminar. Estamos confiantes de que conseguiremos. Aconselho a comparecer ao local da atribuição. Se for negada, poderá também tentar a ação individual. Procuramos várias vezes a SEE, a última ainda nesta semana, mas se mostraram intransigentes nesta questão. Não foi isso que negociamos no final da greve. Houve mudanças no projeto quando do envio para a SEE, mas de uma forma que não houve clareza sequer para os técnicos da SEE.
      Bebel

      Responder
  • 246. Arnaldo  |  17/01/2014 às 22:45

    Olá Bebel tenho uma dúvida até saindo um pouco da questão da quarentena ou duzentena:
    Sou categoria ” o” e passei no concurso.
    Se a atribuição de aulas começam no dia 20/01 , quem pegar aulas e não tenha passado no concurso público pode perdê-la se uma pessoa concursada foi chamada para a escola onde esta pessoa esteja já com aulas atribuídas?
    Exite o risco de uma pessoa perder aulas após a atribuição que começa no dia 20?

    Responder
    • 247. apeoesp  |  18/01/2014 às 10:44

      Prezado professor Arnaldo,
      Sim, o risco existe. As aulas livres devem ser atribuídas a professores efetivos. Tomando posse, terão prioridade, mesmo se aulas já estiverem destinadas a um professor temporário. Por isso o ideal é que a posse ocorresse antes da atribuição, mas segundo a SEE isto não foi possível.
      Bebel

      Responder
  • 248. Ricardo  |  18/01/2014 às 13:01

    Olá Bebel, existe a possibilidade de sair alguma liminar contra a duzentena antes da atribuição inicial, ou realmente estamos impedidos de participar da atribuição

    Responder
  • 249. Iride  |  18/01/2014 às 13:35

    Ola!! Bebel, gostaria de tirar uma dúvida. Já cumpri os 9125 dias para a aposentadoria ,então já contribui os vinte cinco anos, certo, mas como tenho licença saúde, e estou pagando este tempo, estou contribuindo a mais. A diretoria falou q eu não tenho direito ao abono de permanência.Gostaria de saber se terei direito a pedir a devolução da contribuição q está sendo paga a mais. Obrigado.

    Responder
    • 250. apeoesp  |  19/01/2014 às 15:35

      Prezada professora Iride,
      No nosso entendimento, sim. Procure o departamento jurídico na subsede ou ligue para 11.33506214 para melhor informação.
      Bebel

      Responder
  • 251. grace barros  |  18/01/2014 às 14:01

    Bebel, boa tarde
    Fui aprovada no concurso, sou categoria O, sou obrigada a participar da atribuição, ou posso aguardar o ingresso como efetiva? Já entrei em contato com a Secretaria de Educação e eles pediram para falar com a DE. Outra questão é: é possível saber o número de vagas por diretoria?
    Obrigada

    Responder
    • 252. apeoesp  |  19/01/2014 às 15:34

      Prezada professora Grace,
      O ideal é que participe para assegurar aulas.
      Publiquei no blog o link para o número de vagas por DE.
      Bebel

      Responder
  • 253. Vitoria  |  18/01/2014 às 17:29

    Pior profissão do mundo… Professor no Estado de São Paulo…
    Apeoesp só piora as coisas e trabalha para o Estado, provoca para receber o cala boca R$…

    Responder
    • 254. apeoesp  |  19/01/2014 às 15:16

      Prezada professora Vitória,
      A que se deve esse seu comentário de tão baixo nível? Tem alguma prova do que diz? O que significa provocar para receber “cala boca R$”. A APEOESP está sendo acusada de corrupção? Por favor, gostaria que explicitasse os fatos. Somos uma entidade séria, com décadas de lutas em favor dos professores. Do que nos acusa? Por favor, gostaria que a senhora se explique, que apresente provas ou se retrate.
      Bebel

      Responder
  • 255. Ana  |  18/01/2014 às 17:57

    Boa tarde,
    O meu contrato será encerrado em maio de 2014 (foi assinado em maio de 2013). No entanto, de fevereiro a julho, estarei no México, um intercâmbio acadêmico. Quando eu assinei o contrato, me disseram que este seria prorrogado até dezembro de 2014. Ele será prorrogado mesmo que eu não esteja em sala de aula? Ou não? Caso ele não seja prorrogado, terei que esperar 200 dias ou 40 para assumir novamente. Gostaria de voltar para a sala de aula em agosto e não sei qual a melhor maneira de proceder.
    Att,
    Ana

    Responder
    • 256. apeoesp  |  19/01/2014 às 15:11

      Prezada professora Ana,
      Se seu contrato estiver em vigor e você estiver fora, não ministrando aulas, será desligada e poderá ficar até cinco anos fora da rede. Se você rescindir o contrato para viajar, terá que consultar o departamento jurídico sobre a melhor forma de fazê-lo para não correr também o risco de ter que ficar afastada por cinco anos.
      Procure o departamento jurídico na sua subsede para melhor orientação.
      Boa sorte.
      Bebel

      Responder
  • 257. Elaine Fontes  |  18/01/2014 às 18:27

    Boa tarde, por favor poderia me dizer se e certo o que fizeram com o meu contrato?
    Foi o seguinte dei aula como eventual no decorrer do ano de 2012 o ano todo quase não faltei na escola, entrei em sala em quase todos os dias letivos de 2012, e em 2013 atribui duas salas e entrei em sala dia 01/02/13, no dia 21/10/13 a Diretora me atribuiu + 19 aulas de Apoio Aprendizagem, achei que o meu contrato seria encerrado em 2014, mas p minha surpresa encerrou-se 18/12/13, a gerente da minha escola ficou surpresa, ( por em 2012 eu não ter vinculo) mas deixou por isso mesmo, por essa razão em 2015 terei que cumprir a duzentena, isso esta certo? Eventual não tem férias e agora? terei pagamento em Fevereiro? Depois de ler os comentários acima que dizem que por termos encerrado o contrato 18/12/13 não temos direito as férias desse ano só a de 2012, fiquei com medo.
    Agradeço desde já a atenção.

    Responder
    • 258. apeoesp  |  19/01/2014 às 15:08

      Prezada professora Elaine,
      Procure o departamento jurídico na subsede, pois você teria o direito a prorrogação de contrato, se foi firmado como categoria O.
      Você deve solicitar orientações sobre como proceder.
      Sobre as férias, de fato você só adquire este direito com 12 meses de exercício.
      Bebel

      Responder
  • 259. Camila  |  18/01/2014 às 19:01

    Ué, pq meu comentário aguarda moderação há dias, enquanto outros estão sendo publicados? É censura? Temos isso no sindicato?

    Responder
    • 260. apeoesp  |  19/01/2014 às 00:13

      Prezada professora Camila,
      Desculpe-me a demora. Já respondi. O elevado número de comentários causa esses atrasos.
      Bebel

      Responder
  • 261. Fernanda Mello  |  18/01/2014 às 22:09

    Não sou da área, mas como tenho entes queridos nesta situação, resolvi pesquisar. Li muitos comentários e respostas sobre os questionamentos. Pelo que percebi, é que na verdade, a APEOESP, não foi clara com os que realmente conseguiu com a greve e as reivindicações. A lei é um pouco obscura e parece que o sindicato não acompanhou de perto certos pontos. O que os professores queriam, era que não houvesse quarentena ou duzentena, e me parece que esta última, que era muita temida, permaneceu. Além da quarentena, por pelo menos uma vez, o que realmente o sindicato conseguiu com as mobilizações?

    Responder
    • 262. apeoesp  |  19/01/2014 às 00:04

      Prezada professora Fernanda Mello,
      Há no seu comentário uma certa confusão entre a ação do sindicato e a ação do governo. Quem cria as leis que prejudicam os professores. O sindicato luta contra essas leis. Quando a negociação não produz resultados, temos que recorrer a atos, passeatas, mobilizações, abaixo-assinados e, muitas vezes, à greve. Uma greve não garante resultados antecipados. Uma greve é uma forma de luta e produz mais resultados quanto maior for a mobilização. Certos grupos organizados dentro da APEOESP, vinculados a partidos como o PSTU e o PSOL, infelizmente boicotaram a greve. Mas ela foi forte o suficiente para trazer o governo para a mesa de negociações.
      A APEOESP foi muito clara com os professores:
      – Fim da obrigatoriedade da prova para os professores da categoria F – está em vigor.
      – Fim do caráter eliminatório da prova para os professores da categoria O – está em vigor.
      – Não privatização do IAMSPE – não foi privatizado. Agora o governo tenta fazer uma privatização disfarçada por meio da mudança da natureza jurídica do IAMSPE.
      – Direito de atendimento médico no IAMSPE para os professores da categoria O – consta em projeto do IAMSPE que será votado no início de 2014 na ALESP.
      – Redução do afastamento dos professores da categoria O de 200 para 40 dias. Explique-se: todos os professores da categoria O teriam que cumprir 200 dias neste ano. Ocorre que o governo, sem nos comunicar, alterou o texto do projeto de lei, em linguagem pouco clara, de forma que uma parte (que já utilizou os 40 dias anteriormente) terá que cumprir 200 dias. Nem mesmo a SEE tinha clareza sobre este ponto, emitindo posições contraditórias para a rede. A APEOESP ingressou com ação coletiva para derrubar tanto os 200 quanto os 40 dias. Estamos confiantes em obter a liminar.
      – Anteriormente, em 2010, já havíamos conseguido a ampliação dos contratos de apenas um ano para quase dois, com a prorrogação. Você sabia que a lei original previa apenas um ano de contrato e afastamento de 200 dias para todos?
      – Concurso público para PEB II – a SEE realizou o concurso com maior número de vagas da história da rede. São mais de 116 mil aprovados para 59 mil vagas. Vinte mil serão chamados em 2014. Os restantes 39 mil em 2015. Muitos professores da categoria O foram aprovados e poderão deixar a condição precária em que se encontram.
      – Concurso para PEB I, já anunciado pela Secretária Adjunta.
      – Licença prêmio em dinheiro (um mês), retomando o que era praticado anteriormente e foi suspenso pelo governo.
      – Elevação do reajuste de 2013 de 6% para 8.1%.
      – Também nossa greve criou condições políticas para conquistas importantes na discussão da carreira do magistério, como a criação do memorial do professor e novas formas de evolução pela via não acadêmica.
      – Quanto à jornada do piso, embora o secretário da Educação, no final da greve, tenha se comprometido a negociar, não o fez, mas temos ação judicial no STF e estamos confiantes, pois a lei é clara e está do nosso lado.
      Compreendo que, por não pertencer à rede estadual de ensino, você não dê importância às conquistas da greve, mas os professores que sentem na pele o autoritarismo e o descaso deste governo, sabem dar valor aos resultados de suas lutas.
      É preciso cuidado para avaliar e julgar o trabalho de outrem, sobretudo se não vive o mesmo cotidiano. Desde que o projeto de lei que criou a categoria O foi enviado para a ALESP, lutamos contra ele. De lá para cá, a prova deixou de ser eliminatória, o afastamento deixou de ser de 200 dias para milhares de professores (e vamos conseguir reduzir para todos na justiça, tenho confiança) e estes professores vão ter direito ao IAMSPE. Não é pouco coisa. Creio a nossa categoria sabe avaliar o tamanho do esforço feito e sabe também que tem nas mãos, em 2014, a possibilidade de mudar tudo isso, mudando o governo.
      Bebel

      Responder
  • 263. Pâmella Bianca  |  18/01/2014 às 23:51

    Venho por meio desta mensagem encarecidamente pedir um possível esclarecimento do concurso público para Professor de Educação Básica II , a respeito de alunos que prestaram o concurso mais ainda não possuem diploma, haveria possibilidade da existência de um banco de dados em cada D.E com o nome desses alunos e assim que esses mesmos estivessem com os diplomas pudessem assumir o cargo diante das vagas remanescentes do concurso? ( Diante da validade do concurso)

    Desde já agradeço a atenção,

    Att,
    Pâmella Bianca Rodrigues

    Responder
    • 264. apeoesp  |  19/01/2014 às 00:14

      Prezada professora Pamela,
      Na reunião que tivemos com a Secretária Adjunta, em 14/01, levantamos esta questão. Esta é um possibilidade, que fiquem como candidatos remanescentes, aproveitados quando houver vaga, na medida em que obtenham o diploma. Ainda não tivemos uma resposta.
      Bebel

      Responder
  • 265. Gustavo  |  19/01/2014 às 01:29

    Olá. Já enviei comentário aqui e surgiram mais dúvidas ao ler os questionamentos dos colegas.

    Vou à atribuição normalmente (para mim é Oficina Curricular da ETI, que estou como primeiro colocado), se me negarem as aulas, atribuirão para o segundo, terceiro professor da lista? E se essa ação coletiva e/ou individual for aceita, o professor que teve as aulas atribuídas perderá a carga que, inicialmente, era pra ser minha? Porque se atribuirem para outra pessoa e essa ação for aceita, mas minhas aulas terem sido ‘dadas’ a outro professor, não adiantará… Por favor, preciso de ajuda para esclarecer essas coisas, já que sou novo na rede.

    Obrigado!

    Responder
    • 266. apeoesp  |  19/01/2014 às 15:02

      Prezado professor Gustavo,
      Não tenho condições, neste momento, de responder questões com este nível de detalhamento, que exigem conhecimento técnico e jurídico sobre o processo de atribuição de aulas. Por favor, ligue para 11.33506214 ou para o departamento jurídico, na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 267. Maucon Lima  |  03/02/2014 às 19:02

    Olá sou Prof. categoria O contratado em 2010 vocês sabem me responder se receberemos ferias esse ano ? e porque?
    desde já agradeço!!!

    Responder
    • 268. apeoesp  |  04/02/2014 às 00:03

      Prezado professor Maucon,
      Você já deveria ter recebido suas férias. Por favor, entre em contato com o departamento jurídico na subsede e verifique como proceder.
      Boa sorte.
      Obrigado.
      Bebel

      Responder
      • 269. Érika  |  04/02/2014 às 08:17

        Não prezada Bebel, o professor Maucon não recebeu suas férias, até porque ABSURDAMENTE nenhum categoria O recebeu ainda. A SEE costuma fazer isso em fevereiro, depois do dia 20 e muito me admira o sindicato não saber e o pior, permitir essa demora!

      • 270. apeoesp  |  09/02/2014 às 14:42

        Prezada professora Érika,
        O sindicato não permite nada. Se você se der ao trabalho de ler este blog e os materiais do sindicato, verá que lutamos para que isto não ocorra, até mesmo por meio de ações judiciais. Verá também que lutamos desde 2009 contra a contratação precária e a falta de direitos do professor da categoria O. Muito me admira você não saber disso e atribuir ao sindicato poderes que ele não tem.
        Bebel

  • 271. eliane de lana  |  04/02/2014 às 03:10

    Sou professora categoria O, meu contrato e de 2 anos, que foi encerrado dia 19 de dezembro. Recebi 19 dias trabalhado, fiquei na quarentena… sou ingressante no Estado desde, maio de 2007. Participei da greve de 2013…e o que ganhei? cade o IAMSP ? Trabalho na unidade prisional e não tenho direito nem ao Servidor Publico como milhoes de professores, e o adicional que nao existe pois, se dou aula dentro de um presidio é pelo fato que preciso e meus direitos ? que é considerado area de risco.?..Agora, estou com aula, pego 2 conduções e vou a pé, pois só vou receber daqui 3 meses, O que dou para meus filhos comerem neste período? Me sinto triste, desamparada …cade a justiça? que luta é essa? que torna o professor categoria “O” lixo para o Estado. Sou socia e lutadora pelos meus direitos…

    Responder
    • 272. apeoesp  |  09/02/2014 às 14:49

      Prezada professora Eliane,
      O que é assegurado pelo fato de ser associada da APEOESP é manter um sindicato que luta pela categoria e isto temos feito. Não concordamos com a forma de contratação do professor da categoria O e temos lutado para mudar isto. Mas não somos governo e não temos o poder de mudar. O que fazemos é mobilizar, pressionar e lutar. Conquistamos, sim, o direito ao IAMSPE para os professores da categoria O. O projeto está na Assembleia Legislativa, mas o governo embutiu este ponto dentro de outro projeto. De fato o Estado trata os professores apenas como um estorvo e não reconhece nosso valor. Somente cada vez mais unidos e mobilizados poderemos mudar isto.
      Bebel

      Responder
  • 273. Ana Lúcia  |  07/02/2014 às 02:07

    Olá Bebel,
    Ano passado fiz cadastro emergencial, pois sou universitária ainda. Abri portaria numa escola aqui em minha cidade mesmo e em setembro peguei 4 aulas fixas. Me explicaram que minha categoria mudaria temporariamente, eu seria “o”. Meu contrato como eventual é até dezembro de 2014 e as aulas atribuídas contrato até 22/12/13. Estou completamente perdida, pois a secretária da escola informou que devo fazer cadastro emergencial novamente, quando estiver em edital claro, para então começar a dar aulas eventuais ou até mesmo poder participar de atribuições. O que realmente devo fazer????

    Responder
    • 274. apeoesp  |  09/02/2014 às 11:14

      Prezada professora Ana Lucia,
      Se você tem contratos em vigor, não necessitaria se inscrever novamente. Procure o departamento jurídico na subsede ou ligue para 11.3350.6214 para orientações.
      Bebel

      Responder
  • 275. karine  |  10/02/2014 às 01:39

    Boa noite,
    Estou decepcionada com vocês, pois postei umas dúvidas no dia 25/01 e além de não obter respostas, foi deletado… não escrevi nada ofensivo nem que viesse denegrir ninguém… mesmo assim deletaram sem dar nenhuma resposta… fica difícil confiar em alguém ou em algum grupo.
    Ficam minhas sinceras lamentações e decepções.

    Responder
    • 276. apeoesp  |  16/02/2014 às 16:02

      Prezada professora Karine,
      Desculpe-me, seus comentários não foram deletados, apenas passaram desapercebidos, pois houve um acúmulo muito grande neste período.
      Seu contrato de 2013 deveria ter sido prorrogado até o final de 2014. Você obviamente foi prejudicada. Você deve procurar o departamento jurídico na sua subsede para orientar-se sobre o que pode ser feito para um ressarcimento desta situação.
      Boa sorte.
      Bebel

      Responder
  • 277. Rafael Souza  |  10/02/2014 às 17:47

    Bebel, soube hoje que meu contrato encerrou em 27/01. Não pude participar da primeira fase de atribuição devido a problemas na emissão no meu atestado de matrícula, este documento saiu apenas em 06/02. Eu entro em quarentena a partir do encerramento do meu contrato? Sinceramente estou perdido quanto a isso, eu nem sabia que encerravam contrato em janeiro.

    Responder
    • 278. apeoesp  |  16/02/2014 às 15:30

      Prezado professor Rafael,
      Sim. A quarentena conta a partir do encerramento do contrato.
      Bebel

      Responder
  • 279. MARIA BENEDITA  |  13/02/2014 às 11:41

    bom dia meu nome é Maria sou formada em pedagogia e formada em história aguardo convocação do concurso, ate o ano passado era categoria o porem este ano na atribuição fomos informados que pedagogos passaram a ser categoria V ou seja receberemos somente as aulas dada durante a semana não temos mais direito a receber os finais de semana ,só que não posso concordar com isso pois minhas aulas são livres passo os finais de semana preparando aula preenchendo cadernetas entre outras , sabemos que o professor eventual, não dispõem destas tarefas , por gentileza o que fazer nesta situação na qual os pedagogos se encontram. grata pela atenção.

    Responder
    • 280. apeoesp  |  16/02/2014 às 12:43

      Prezada professora Maria Benedita,
      Você deve procurar o departamento jurídico na sua subsede para verificar a sua exata situação, seus direitos e o que pode ser feito. Também pode ligar para 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 281. Rosineide  |  13/02/2014 às 14:01

    BEBEl, gostaria de saber quando o professor categoria O que o contrato foi extinto , terá o pagamento das férias? O nós professores dessa categoria não temos esse direito garantido?

    Responder
    • 282. apeoesp  |  16/02/2014 às 12:37

      Prezada professora Rosineide,
      A informação da SEE é a de que o pagamento será feito até final de fevereiro. A Secretaria da Fazenda ainda não divulgou a data.
      Bebel

      Responder
  • 283. joao paulo / artes  |  13/02/2014 às 17:22

    quando encerra meu contrato, eu ganho algum dinheiro, na segunda quinzena de fevereiro, ou eu so recebo: _parabens filho, fez um otimo trabalho.

    Responder
    • 284. apeoesp  |  16/02/2014 às 12:18

      Prezado professor João Paulo,
      A informação da SEE é a de o pagamento será feito até final de fevereiro. A Secretaria da Fazenda ainda não divulgou a data.
      Bebel

      Responder
  • 285. Evanildo  |  13/02/2014 às 21:43

    E o pagamento das férias? Será que já era.

    Responder
    • 286. apeoesp  |  16/02/2014 às 12:01

      Prezado professor Evanildo,
      A informação da SEE é a de o pagamento será feito até final de fevereiro. A Secretaria da Fazenda ainda não divulgou a data.
      Bebel

      Responder
  • 287. José Carlos  |  15/02/2014 às 19:14

    Cara Bebel.
    Tinha meu primeiro contrato como eventual em maio de 2012, porém no mês seguinte assumi minhas aulas e passei para categoria O, No ano seguinte novamente como categoria O, mas por motivos pessoais precisei largar as aulas no final de novembro de 2013. Tenho duas perguntas: 1ª terei que cumprir a duzentena, tendo em vista a falta de professor? 2ª Como tive meu primeiro contrato como eventual em 2012, que ainda não venceu os 2 anos, eu não posso nem mesmo ministrar as aulas como eventual até que transcorra os 200 dias.
    Gostaria de lembrar que a própria DE, me orientou que que se largasse as aulas eu cumpriria apenas a quarentena, mas agora dizem que mudou a lei e que estou impedido de trabalhar. Poderia me esclarecer estas dúvidas. Obrigado.
    Prof. José Carlos

    Responder
    • 288. apeoesp  |  16/02/2014 às 11:30

      Prezado professor José Carlos,
      Conseguimos na justiça que o afastamento fique limitado a 40 dias para todos. No seu caso o que pode ocorrer é uma prática ilegal do Estado que mantem o professor que rompe contratos afastado da rede por cinco anos. Se isto vier a ocorrer, deve procurar imediatamente o departamento jurídico na subsede. Informe-se melhor pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 289. paulo  |  20/02/2014 às 23:05

    Bebel eu peguei aula em substituição em 14/02/2014 e por motivo pessoal tive que desistir das aulas dia 18/02/2014 minha duvida depois de eu cumprir a 200 poderei pegar aula ou só ano que vem e outra duvida se poderei trabalhar de eventual

    Responder
    • 290. apeoesp  |  23/02/2014 às 13:57

      Prezado professor Paulo,
      Não existe mais o afastamento de 200 dias e sim de 40 dias. No seu caso, no entanto, pode haver uma complicação, pois o Estado costuma dificultar a volta de professores que desistiram de aulas com contrato em vigor. Se ocorrer esta dificuldade, procure o departamento jurídico na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 291. Alda Cassia  |  07/03/2014 às 23:10

    Boa noite.

    Sou Prof. categoria O no Estado.
    Tinha um contrato ativo desde maio de 2012, no fim de 2012 foi prorrogado pois não tinha 1 ano, ai não recebi ferias. Trabalhei 2013 até novembro qdo surgiu uma oportunidade de sair e pedir a quebra do contrato. Fui informada que preciso cumpri 200 dias, pois o pedido foi meu… só posso voltar em maio… Porém não recebi ferias nenhuma até agora 07/03/2014. Não deveria receber ferias. Os catagorias O, já receberam ferias???

    Grata
    Alda Cassia

    Responder
    • 292. apeoesp  |  09/03/2014 às 14:27

      Prezada professora Alda,
      Você deve requerer na escola ou DRE o pagamento de sua rescisão. Caso não ocorra, procure o departamento jurídico na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 293. Sandra  |  19/05/2014 às 23:40

    Sou professor da categoria O. Meu contrato está ativo até o ano de 2014. Foram-me atribuídas aulas em 28/04; em 29/04 entrei em sala de aula. Infelizmente não poderei continuar com tais aulas por motivo pessoal e familiar, não posso continuar em dando aula no período assumido. Na desistência dessas aulas, há possibilidade de eu continuar com aulas em um outro período, ou fico impedida de uma nova atribuição? Ou tenho que esperar 40 dias?

    Responder
    • 294. apeoesp  |  25/05/2014 às 14:25

      Prezada professora Sandra,
      Você não pode desistir de aulas atribuídas. Caso o faça, poderá implicar em rescisão contratual e impedimento de retornar ao Estado por grande período. Informe-se melhor pelo telefone 11.33506214 e veja o que pode eventualmente ser feito.
      Bebel

      Responder
  • 295. Sandra  |  30/05/2014 às 00:25

    Boa noite Bebel, pelo que li nos comentários 285 e 287, e suas rescpectivas respostas, entendi que mesmo tendo dedistido das aulas, por necessidade, e não por simplesmente querer, posso ficar em quarentena e após esse prazo participar de uma nova atribuição de aula, e não na duzentena, cf alguns supervisores informam quando tiramos essas dúvidas. Penso que há um entrave burocrático em relação à Cat. O; porém com a falta de professores que se intensificarão principalmente no 3º bimestre, isso deveria ser repensado, uma vez que o maior prejudicado é o aluno. É uma vergonha esse tipo de Educação que temos. Infelizmente, lamentável!!

    Responder
    • 296. apeoesp  |  01/06/2014 às 12:55

      Prezada professora Sandra,
      A legislação que regula o trabalho do professor da categoria O é injusta e, em alguns casos, passível de interpretação. No nosso entendimento, a duzentena não deve ser aplicada, inclusive porque conseguimos decisão judicial favorável para a atribuição de aulas deste ano. Entretanto, na lei ainda consta, para os casos de professores que já utilizaram a quarentena. É preciso recorrer ao departamento jurídico, neste caso.
      Bebel

      Responder
  • 297. Rafael  |  06/06/2014 às 13:44

    Bom dia Bebel,
    Infelizmente fui obrigado a abandonar as aulas que havia pego esse ano. Mudei de cidade e era humanamente impossível continuar na cidade a qual atribuí as aulas. A minha dúvida é a seguinte: houve quebra de contrato da minha parte, eu receberei as férias proporcionais? Se sim, esse ano ou somente em fevereiro do ano que vem? Desde já obrigado.

    Responder
    • 298. apeoesp  |  07/06/2014 às 16:02

      Prezado professor Rafael,
      Entendemos que o professor deve receber todos os seus direitos quando da rescisão contratual. A SEE entende que só deve pagar férias a quem tiver completado 12 meses de exercício. Sugiro que entre em contato com o telefone 11.33506214 para dirimir todas as dúvidas.
      Bebel

      Responder
      • 299. MARIA BENEDITA Augusto  |  11/07/2014 às 22:24

        MARIA, pergunta por começar a campanha eleitoral, o governo pode fazer a terceira chamada para os professores que passaram no concurso ou somente em 2015 seremos chamados.

      • 300. apeoesp  |  13/07/2014 às 13:15

        Prezada professora Maria,
        Pelo que verifiquei, como o concurso já foi homologado antes do dia 3 de julho de 2014, não haveria impedimento para a chamada no segundo semestre. Mas a SEE ainda não a confirmou.
        Bebel

  • 301. SERGIO DOS SANTOS MARTINS  |  07/09/2014 às 03:02

    Prezada Bebel,

    Sou categoria “O” com contrato assinado em 04/11/2013. Como fica minha situação para 2015?
    Será que um dia nossa categoria ganhará estabilidade?

    Abraço!

    Responder
    • 302. apeoesp  |  13/09/2014 às 15:51

      Prezado professor Sérgio,
      A SEE não quer permitir a inscrição de professores na sua situação. Estamos lutando contra isso e solicitando reunião com o Secretário.
      Bebel

      Responder
  • 303. Luan José  |  22/11/2014 às 17:44

    Boa tarde à todos!

    Gostaria de tirar uma dúvida, se possível;
    Assinei meu contrato em março de 2014, e no inicio de Novembro, eu fiz a carta cessando meu contrato por motivos pessoais.
    Gostaria de saber se posso participar de atribuições ainda em 2014, ou se devo cumprir a quarentena.
    Além disso, posso participar normalmente das atribuições no início de 2015?

    Desde já agradeço a atenção.

    Luan

    Responder
    • 304. apeoesp  |  23/11/2014 às 12:26

      Prezado professor Luan,
      O Estado costuma aplicar em caso de rompimento de contrato a norma que aplica a servidores efetivos que se exoneram, ou seja, afastamento de cinco anos. Não concordamos. Se ocorrer, deve recorrer judicialmente. Supondo que essa norma abusiva não seja aplicada, caso não tenha usado ainda a quarentena, poderá cumpri-la e participar da atribuição inicial. Se já a cumpriu, terá que ficar 200 dias afastado e retornar pelo cadastro emergencial. Estamos lutando judicialmente para derrubar a duzentena, mas ainda não há decisão.
      Bebel

      Responder
  • 305. Vilma  |  12/12/2014 às 01:26

    Bebel, sou professora categoria O meu contrato é de 2013 e encerra dia 19/dezembro deste ano, quero saber quais os direitos que tenho pra receber, e quando será pago? ouvi alguns boatos que é só em março que será pago, acredito que isso não seja verdade.

    Responder
    • 306. apeoesp  |  13/12/2014 às 12:14

      Prezada professora Vilma,
      Você receberá apenas o valor relativo a férias e algum resíduo salarial. A previsão para pagamento, segundo a SEE, é fevereiro.
      Bebel

      Responder
  • 307. sonia  |  31/12/2014 às 21:58

    Olá….quando entro no demostrativo de pagamento estar escrito demostrativo de pagamento desagendado por motivo de desligamento é sinal que estou de quarentena, que não vou receber em janeiro( obs: antes tava o pagamento referente a janeiro, mais agora estar isso)…

    Responder
    • 308. apeoesp  |  04/01/2015 às 12:21

      Prezada professora Sonia,
      Provavelmente, você receberá em fevereiro o que chamam de “verbas rescisórias”, mas no nosso entendimento você tem o direito de receber normalmente o salário em janeiro. Procure o departamento jurídico na subsede e verifique como proceder.
      Bebel

      Responder
      • 309. sonia  |  04/01/2015 às 22:06

        Muito obrigado Bebel….pelo esclarecimento…
        Sempre tentei fazer parte da apeoesp, mais como sou categorias O nunca deu certo…já entreguei vários documentos e nada…

      • 310. apeoesp  |  11/01/2015 às 10:55

        Prezada professora Sonia,
        isto não deveria ocorrer. Em que subsede você entregou seus documentos? Por favor, cobre o seu encaminhamento para a sede central. Se desejar, passe mais informações pela email presiden@apeoesp.org.br para que possamos agilizar.
        Bebel

  • 311. maria cristina  |  13/01/2015 às 20:30

    Sou professora categoria O trabalhei o ano todo de janeiro ate dezembro e meu contrato vai ate este ano de 2015 gostaria de saber se recebo ferias em fevereiro

    Responder
    • 312. apeoesp  |  17/01/2015 às 10:58

      Prezada professora maria Cristina,
      Provavelmente, não, porque o estado só paga férias para quem trabalhou os 12 meses. Você deve procurar o departamento jurídico da APEOESP na subsede para verificar o que fazer.
      Bebel

      Responder
  • 313. adrian silva  |  16/01/2015 às 19:55

    Querida bebel, me tire uma dúvida, fiz o meu 1º contrato em agosto de 2013, em março de 2014 peguei aulas novamente e cumpri o contrato ate dezembro de 2014 quando posso atribuir aulas novamente. um abraço e me responde por favor

    Responder
    • 314. apeoesp  |  18/01/2015 às 11:16

      Prezado professor Adrian,
      A informação que obtivemos é a de que você deve comparecer à DE no dia 02/02 para atribuir aulas, tendo cumprido a quarentena. Por favor, ligue para a DE e confirme.
      Bebel

      Responder
  • 315. Ana Rita A Souza  |  17/01/2015 às 23:18

    Minha dúvida é sobre o pagamento, assinei contrato em abril de 2014, sei que não receberei férias, mas sempre recebi salário em fevereiro, que conta mes 01, portanto receberemos em fevereiro o mes de janeiro? minha dúvida é que já recebi 2 anos e outros não. Obridaga.

    Responder
    • 316. apeoesp  |  18/01/2015 às 11:58

      Prezada professora Ana Rita,
      Se você tem contrato em vigor, deve sim receber sue salário normalmente.
      Bebel

      Responder
      • 317. Maria B Augusto  |  21/01/2015 às 17:34

        Cara Bebel: Minha duvida é quanto atribuição de aulas, pois estou com contrato aberto como 2014/2015 como pedagoga, e foi feita minha inscrição no final do ano como pedagoga, porém sou remanescente do concurso de 2013, foi me dito que não precisaria fazer inscrição como remanescente pois a mesma seria automática com isto fico sem saber quando devo comparecer na atribuição, conto com sua orientação.Agradeço a atenção Maria B Augusto.

      • 318. apeoesp  |  25/01/2015 às 12:33

        Prezada professora Maria,
        Como você tem contrato em vigor, sua atribuição será antes dos remanescentes. Não sei se será possível passar de uma situação a outra. Por favor, acesse http://www.apeoesp.org.br e tire a dúvida com os advogados no chat do jurídico.
        Bebel

  • 319. maria cristina  |  18/01/2015 às 23:30

    Minha dúvida é sobre o pagamento, assinei contrato em 28 janeiro de 2014, receberei férias?ou vou receber em fevereiro o mes referente a janeiro?

    Responder
    • 320. apeoesp  |  25/01/2015 às 11:05

      Prezada professora Maria Cristina,
      Pelas regras da SEE, receberá apenas em julho, pois somente em fevereiro completará 12 meses de vínculo. O Estado só paga férias em janeiro e julho.
      Bebel

      Responder
  • 321. Cristiano  |  28/01/2015 às 14:36

    É muita falta de respeito a classe educadora, aos professores, sou categoria O o trabalho igual as outras categorias, mas tenho menos benefícios, isto é inconstitucional, o mesmo trabalho a mesma função ganhar menos, ter menos direitos, pretendo processar o estado, a qual o sindicato também não faz nada, diz lutar pelos direitos mas nunca muda nada, se rende ao governo e infelizmente é manipulado, meu contrato venceu em 2014 e agora se eu quiser fazer parte da atribuição só emergencial, isto é inaceitável sendo que até alunos que não formaram ainda passarão na minha frente….
    Isto é o Brasil professores com problemas de saúde, péssimas condições de trabalho, salário……até quando…. acho que devemos lutar de verdade, fechar todas as escolas, chamar o povo a nosso favor, melhorias na educação e condições e não apenas salário.

    Responder
    • 322. apeoesp  |  31/01/2015 às 12:15

      Prezado professor Cristiano,
      Um bom educador procura informar-se sobre qualquer assunto antes de pronunciar-se sobre ele. É lamentável ler que “o sindicato não faz nada”, quando estamos na luta contra a forma de contratação do professor da categoria O desde 2009, quando o governo enviou este projeto para a ALESP. Pelo menos duas greve foram realizadas tendo este como um dos principais pontos (2010 e 2013). Já ingressamos com pelo menos cinco ações judiciais contra esta forma de contratação e contra a duzentena, tendo obtido liminar em uma delas (2014) e as demais aguardam julgamento do mérito. Fizemos encontros estaduais e atos públicos específicos para defesa dos professores da categoria “O”. Em 05 de dezembro de 2014 realizamos um ato público na frente da SEE, ao qual, imagino, o senhor não compareceu.
      Boa sorte em sua ação judicial, mas peço que respeite o nosso sindicato, informe-se melhor, leia os nossos materiais e participe das atividades que convocamos antes de nos ofender.
      Bebel

      Responder
  • 323. Ana Lucia  |  05/02/2015 às 12:28

    Bom dia Bebel. Meu contrato iciou em maio de 2013 e encerrou em dezembro de 2014. A Apeoesp me enviou um comunicado via e mail dizendo que poderia iniciar um novo contrato. Agora liguei na minha escola e informaram que estou de duzentena. Isso procede?Obrigada. Ana

    Responder
    • 324. apeoesp  |  07/02/2015 às 12:12

      Prezada professora Ana Lucia,
      Se você nunca utilizou quarentena antes, então, já tendo passado o prazo de quarenta dias, pode assinar novo contrato. se já usou quarentena anteriormente, terá que cumprir duzentena agora.
      Bebel

      Responder
  • 325. Andressa Magnani Sales  |  08/02/2015 às 23:53

    Boa noite!

    Tive um contrato V em 2011 que foi finalizado em 2012… No mês 06/2013 fiz um novo contrato V e em Setembro 2014 atribui uma sala então fiz um novo contrato mais como categoria O…. No meu caso estou de duzentena???

    Responder
    • 326. apeoesp  |  15/02/2015 às 09:35

      Prezada professora Andressa,
      No meu entendimento, sim. Por favor, ligue para 11.33506214 e informe-se melhor.
      Bebel

      Responder
  • 327. Gerson Tadashi  |  11/02/2015 às 01:15

    olá meu contrato iniciou-se em 2013 e terminou em 2014, gostaria de saber se recebe alguma rescisão contratual e quando está provisionado?

    Responder
    • 328. apeoesp  |  15/02/2015 às 10:12

      Prezado professor Gerson,
      deve receber, sim. Após o carnaval. Até o final de fevereiro.
      Bebel.

      Responder
  • 329. José  |  11/02/2015 às 01:26

    Olá Bebel!
    Quais são as últimas notícias sobre a duzentena? Existe alguma possibilidade da secretaria da educação voltar atrás em relação a mesma.

    Responder
    • 330. apeoesp  |  15/02/2015 às 10:14

      prezado professor José,
      Nenhuma. Somente com uma grande greve em março poderemos derrubar esse absurdo.
      Bebel

      Responder
  • 331. Flavia  |  14/02/2015 às 19:33

    Olá Bebel, trabalho no estado há 5 anos, 2013 atribui 32 aula sai de licença maternidade 27 de janeiro de 2014 e retornei 27 de maio,, dia 9 de junho pedi o desligamento para poder antecipar minha quarentena, mas dia 7 de julho retornei para mesma escola como efetiva. caso a escola receba o bônus do saresp tenho direito?

    Responder
    • 332. apeoesp  |  15/02/2015 às 11:17

      Prezada professora Flávia,
      Provavelmente, não. Informe-se melhor pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
      • 333. Prof. Sônia  |  20/02/2015 às 17:36

        Boa tarde…

        Gostaria de obter informações sobre o pagamento das férias dos professores de categoria O….

      • 334. apeoesp  |  21/02/2015 às 11:48

        Prezada professora Sonia,
        De acordo com informações da SEE, deve ser feito até 27/02. Caso não ocorra, procure o departamento jurídico na subsede para orientar-se sobre como proceder.
        Bebel

  • 335. simone fernanda  |  20/02/2015 às 11:03

    Bom dia gostaria de sabe se já estão sabendo sobre a rescição contratual quando vai ser o pagamento … estou na duzentena e sem dinheiro a secretaria da escola passou dia 20 e nada…. sabe alguma coisa por favor…obrigado

    Responder
    • 336. apeoesp  |  21/02/2015 às 11:58

      Prezada professora Simone,
      De acordo com informações da SEE, deve ser feito até 27/02. Caso não ocorra, procure o departamento jurídico na subsede para orientar-se sobre como proceder.
      Bebel

      Responder
  • 337. shenia layane  |  20/02/2015 às 16:31

    ola Bebel ,fui contratada no ano 2013 e meu contrato venceu dia 19/12/2014 , meus colegas que estão em duzentena já receberam a rescisão de contrato hoje dia 20 de fevereiro , ouvi boatos que os professores que estão de quarentena não vão receber nada; como eu estou de quarentena e não recebi . Mas isso não é justo afinal nos também trabalhamos para o estado durante 2 anos e também temos direitos . O que a senhora me aconselha a fazer?

    Responder
    • 338. apeoesp  |  21/02/2015 às 11:53

      Prezada professora Shenia,
      Não há nenhum sentido no boato que relaciona quarentena com recebimento das verbas rescisórias. A informação que temos é que tudo será pago até 27/02. caso você receba até lá deve procurar o departamento jurídico na subsede para verificar como proceder.
      Bebel

      Responder
  • 339. giovana  |  20/02/2015 às 22:36

    gostaria de saber quando sai o pagamento da rescisao de contrato,não era para ser dia 20/2/15

    Responder
    • 340. apeoesp  |  21/02/2015 às 11:25

      Prezada professora Giovana,
      Segundo pudemos apurar, ocorrerá até 28/02. Vamos buscar uma confirmação junto à SEE.
      Bebel

      Responder
      • 341. kleyton  |  25/02/2015 às 21:11

        E ai pessoal já esta provisionado a rescisão na na secretaria da fazendo na folha de pagamento pra dia 27 mesmo abs

      • 342. apeoesp  |  28/02/2015 às 12:34

        Prezado professor Kleyton,
        Segundo informação que obtivemos, o pagamento foi feito em 27/02. se não recebeu, procure o departamento jurídico na subsede.
        Bebel

  • 343. Adriano  |  21/02/2015 às 15:29

    Boa tarde, como eu posso verificar o valor da rescisão contratual que tenho para receber do meu primeiro contrato ” Quarentena?”

    Responder
    • 344. apeoesp  |  28/02/2015 às 14:41

      Prezado professor Adriano,
      A informação é de que o pagamento foi feito em 27/02.
      Bebel

      Responder
  • 345. maria cristina  |  21/02/2015 às 15:47

    E o bonus alguem sabe me falar quando vai sair? minha escola fez 1,20
    voce sabe qual o valor a ser pago

    Responder
    • 346. apeoesp  |  28/02/2015 às 14:40

      Prezada professora Maria Cristina,
      Ainda não temos informações a respeito.
      Bebel

      Responder
  • 347. José  |  25/02/2015 às 17:27

    Oi Bebel!
    Quais são os critérios usados, para efetuarem o pagamento das férias dos contratados. Gostaria de uma explicação detalhada. Da maneira que é feita, não consigo entender! E muito menos, o meu contador.

    Responder
    • 348. apeoesp  |  28/02/2015 às 12:43

      Prezado professor José,
      O Estado paga férias por períodos de 12 meses trabalhados dentro do mesmo contrato. O que excede este período e não completa 12 meses não conta para pagamento de férias. Só é possível receber com ação judicial. Outra coisa: no estado as férias são repartidas. É pago 1/6 em janeiro e 1/6 em julho.
      É incrível, mas é assim, com lei aprovada na ALESP.
      Bebel

      Responder
  • 349. José  |  03/03/2015 às 19:04

    Olá Bebel!

    Vejo que em várias regionais da apeoesp, estão havendo ganho em ações contra a duzentena. Não seria mais interessante essas entrarem com mandato de segurança envolvendo todos professores de determinada regional. Seria bem melhor e, mais rápido. Pense nisso!

    Responder
    • 350. apeoesp  |  08/03/2015 às 12:25

      Prezado professor José,
      Obrigada pela sugestão, mas isto já foi feito. Ingressamos com mandado de segurança e ação civil pública e infelizmente não ganhamos liminar nas duas. os processos continuam tramitando. Não podemos entrar com nova ação pela mesmo motivo. Por isso orientamos a ingressarem com ações individuais.
      Bebel

      Responder
  • 351. Gênova Tavares  |  05/03/2015 às 03:05

    Boa noite, por favor gostaria de uma informação, a minha primeira contratação foi em 2011, depois 2013 e agora em 2014 extinguiu o contrato, fiz o cadastro emergencial foram atribuídas aulas no dia 25.02.2015, entreguei todos os documentos exigidos e assinei o novo contrato, entrei em sala de aula nesta semana a escola informou que eu não poderia continuar por motivo da DUZENTENA e que o contrato seria anulado. Pergunto: poço entrar com o MANDADO DE SEGURANÇA? POR FAVOR ME AJUDE O QUE EU DEVO FAZER, POIS EU JA TINHA ASSINADO O CONTRATO E TRABALHADO.
    Obrigada, Gênova

    Responder
    • 352. apeoesp  |  08/03/2015 às 11:43

      Prezada professora Gênova,
      Pode e deve. procure o departamento jurídico na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 353. Avelino Maruqes bolonha  |  06/03/2015 às 00:31

    Por favor ,sou o professor Marques,leciono numa escola q tem apenas de 2 anos de funcionamento, tendo Peb 1 e PebII,atingimos 0,98 no Idesp,um bom índice mas,alguns professores comentaram q não temos direito ao Bônus,se pagare,pois,somos uma escola nova,isso é verdade? A escola é cenyra scolto antiga Nossa senhora Aparecida II,jardim paulistano?

    Responder
    • 354. apeoesp  |  08/03/2015 às 11:02

      Prezado professor Avelino,
      Creio que a informação não procede. Toda escola tem direito ao abono. provavelmente não teve no primeiro ano por não completar o período necessário à avaliação.
      Bebel

      Responder
  • 355. Gênova Tavares  |  09/03/2015 às 13:53

    Bom dia, gostaria de saber sobre o pagamento do Bonus, o Estado irá pagar quando?.
    Obrigada, Gênova

    Responder
    • 356. apeoesp  |  15/03/2015 às 13:36

      Prezada professora Gênova,
      Saíram os resultados, mas o governo está promovendo tantos cortes que não sabemos se haverá pagamento.
      Bebel

      Responder
  • 357. GIOVANI  |  11/03/2015 às 21:58

    Prezado amigos professores,
    A luta não é só na assembleia e sim nas atitudes da categoria, vejo uma infantilidade, pois os professores deveria como protesto não pegar aulas que já tem, se já é efetivo não pegar aula dos F se é F não pegar da CATEGORIA “O”. Portanto o governo recuaria e volataria atrás uma forma de protesto E DE NOS VALORIZAR COMO PROFISSIONAL.

    Responder
  • 358. GIOVANI  |  11/03/2015 às 22:04

    Gostaria de levantar essa bandeira quem tiver acumulo devolver para o Governo, só assim resolveria essa questão e sim mostraria o buraco na Educação e mostraria uma categoria unida.

    Responder
  • 359. Jaciele  |  27/03/2015 às 13:17

    Gostaria de saber se o professor que teve o contrato encerrado em dezembro de 2014, e que nunca tenha usufruído da quarentena porque começou a lecionar em 2013. Estando ele na quarentena ou na duzentena, porque me dizem que estou na duzentena. Terão direito ao bônus do Saresp de 2014.

    Responder
    • 360. apeoesp  |  28/03/2015 às 10:59

      Prezada professora Jaciele,
      Em primeiro lugar, pelo que você diz, está mesmo na quarentena e não na duzentena.
      Quanto ao bônus, se refere a 2014. se cumpriu todos os requisitos, deve receber, sim.
      Bebel

      Responder
  • 361. Rodrigo  |  27/03/2015 às 14:09

    Bom dia
    Gostaria de saber, professor categoria O em duzentena tem direito ao bônus?

    Responder
    • 362. apeoesp  |  28/03/2015 às 11:00

      Prezado professor Rodrigo,
      Se cumpriu todos os requisitos, sim.
      Bebel

      Responder
  • 363. Karine  |  28/03/2015 às 16:25

    Bom dia
    Quero saber se categoria O recebe o valor do bônus na íntegra ou menor que o efetivo?
    Peguei 5º ano em 2014 e minha escola atingiu 120% do índice…mas só esta provisionado um valor inferior a R$2700,00. Como se calcula?

    Responder
    • 364. apeoesp  |  29/03/2015 às 14:55

      Prezada professora Karine,
      A lei não faz diferenciação de valor.
      Para melhor informação, por favor ligue para 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 365. Luan José  |  30/03/2015 às 01:11

    Olá Bebel tudo bem?
    Poderia me tirar uma dúvida? – iniciei meu contrato em 03/2014
    e ROMPI em novembro de 2014, recebi o pagamento daquele mês.
    é correto não ter direito a Férias, 13º Salário e nem receber o bônus que minha escola obteve referente a 2014? – ou seja não recebi nada referente a minha rescisão, está correto?

    Desde já agradeço a atenção;

    Luan

    Responder
    • 366. apeoesp  |  04/04/2015 às 12:14

      Prezado professor Luan,
      Você não recebe bônus por não ter se mantido na escola por 240 dias. O estado não paga férias proporcionais, somente integrais. Quanto ao 13º, deveria ter recebido proporcional. Procure o departamento jurídico na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 367. Eliane Tavares  |  08/04/2015 às 13:15

    Olá, Bom dia.
    Sou concursada há 16 anos, efetiva de 20h, tem mais ou menos 8 anos que trabalho com 40h semanas, nos meses de janeiro e fevereiro recebo 20h, pois ainda não fui enquadrada.
    Nesses último 3 anos o salário de dezembro vem sendo pago atrasado ou parcelado, e em 2014 recebi em fevereiro e faltando ainda 372 reais, disseram que foi proporcional aos dias trabalhados, o encerramento do ano letivo foi dia 21/12/2014, isso procede??? Sou efetiva 20h e as outras 20h eu estava desdobrando. Já recorri ao sindicato e fiz uma solicitação escrita e já reiterei esse pedido a secretaria de administração.
    Outro problema que venho enfrentando em 2015 é relacionado a minha carga horária, tenho 20h efetivas e mais 11h, totalizando 26h, pela redução da jornada eu desdobraria?
    Pois recebi as minhas 20h normal compatível a classe F e as 11 calculada como classe A, uma defasagem de 628,70 pela 4 aulas não dadas sendo que estava cumprindo meu horário de AC na escola e fazendo outras atividades como montagem de slides para a área de arte a ser compartilhado por todos os professores da disciplina. É correto me pagarem dessa forma??? Eu tendo 26 aulas posso recorrer, pois pela Lei já consta como2/3 da carga horária correspondente a 40h
    Grata pela atenção
    Eliane Tavares

    Responder
    • 368. apeoesp  |  11/04/2015 às 15:24

      Prezada professora Eliane,
      Não tenho condições de orientá-la devidamente neste espaço. Você deve procurar novamente o departamento jurídico para ver detalhadamente a situação e o que deve ser feito. Pode ainda obter alguma informação e orientação pelo telefone 11.33506214.
      Boa sorte.
      Bebel

      Responder
      • 369. Eliane Tavares  |  21/04/2015 às 00:36

        Olá obrigada pela atenção, a espera de uma orientação, estou buscando mesmo.
        Agradeço

  • 370. Selma  |  27/04/2015 às 13:46

    Bom dia Bebel! Uma dúvida…fui na Unidade Escolar e me falaram que a minha situação é quarentena, porém a gerente de organização escolar liga na Diretoria e informam que a minha situação é duzentena. Então resolvi ir na Diretoria onde me informaram que é quarentena, sendo assim, participei da atribuição no dia seguinte peguei aulas (PAA) e quando me apresento na Unidade Escolar, e a mesma entra em contato com a Diretoria, novamente confirmam duzentena e que eu teria que levar Modelo 7 na Diretoria para tornar sem efeito! To me sentindo humilhada e tratada como objeto.
    Tudo isso pelo fato de ter trabalhado com PEB II (DI) e um determinado ano trabalhei como Agente de Organização Escolar Temporário (DII, porém pela mesma LC 1093/2009). Ai a questão da confusão.
    Vou te informar toda minha situação funcional pra ser analisada:

    Admissão em 02/10/2008 (PEB II – DI);
    Dispensa em 16/12/2009 (PEB II – DI);
    Contrato em 10/05/2010 (PEB II – DI);
    Extinção do Contrato em 17/12/2011 (PEB II – DI);
    Contrato em 23/02/2012 (Agente de Organização Escolar – DII);
    Extinção do Contrato em 22/02/2013 (Agente de Organização Escolar – DII);
    (CUMPRI DUZENTENA);
    Contrato em 13/09/2013 (PEB II – DI);
    Extinção do Contrato em 18/12/2014 (PEB II – DI).

    O que me diz diante disso, visto que, na Unidade Escolar foi disponibilizado no sistema para fins de consulta e quando digita o meu RG, na tela consta que a minha situação é a quarentena e a Diretoria quer contrariar o SISTEMA???

    Aguardo,

    Selma

    Responder
    • 371. apeoesp  |  02/05/2015 às 14:50

      Prezada professora Selma,
      Se você já se utilizou uma vez de quarentena, estaria mesmo em duzentena. Mas se o estado admite que deve cumprir apenas quarentena, você deve lutar para que esse direito prevaleça. Peça que tudo lhe seja dado por escrito e procure o departamento jurídico na sua subsede. Também pode informar-se melhor pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 372. maria cristina  |  03/05/2015 às 22:05

    ola gostaria de saber estou com uma sala de municipalizaçao corro risco de perder agora que o governo esta chamando os efetivos para assumir

    Responder
    • 373. apeoesp  |  10/05/2015 às 15:12

      Prezada professora Maria Cristina,
      Os professores que estão sendo convocados devem assumir cargos nas unidades escolares da rede estadual de ensino.
      Bebel

      Responder
  • 374. johnny gargioni maciel  |  28/05/2015 às 23:37

    Boa noite , eu gostaria de saber se os 200 dias caiu ??

    Responder
    • 375. apeoesp  |  30/05/2015 às 18:19

      Prezado professor Johnny,
      Ainda não. Há promessas de uma nova regulamentação, mas nada foi concretizado.
      Bebel

      Responder
  • 376. Mauricio A. Maciel  |  29/06/2015 às 04:50

    Boa noite,
    Gostaria de saber se no meu caso, no qual, tive meu contrato iniciado em 2014 e seu termino será em dezembro de 2015, u entrarei na 200 dias também? Obrigado

    Responder
    • 377. apeoesp  |  05/07/2015 às 14:06

      Prezado professor Maurício,
      Se a lei não mudar até lá e você já tiver usado a quarentena, sim.
      Bebel

      Responder
  • 378. Lucélia  |  30/06/2015 às 04:32

    Boa noite, as inscrição estão aí novamente e a duzentena continua, tem como entrar com uma liminar para pode fazer inscrição e participardas atribuição e como faz?

    Responder
    • 379. apeoesp  |  05/07/2015 às 13:43

      Prezada professora Lucélia,
      A APEOESP tem ação judicial em curso contra a duzentena, mas não obtivemos liminar e o mérito não foi julgado. Não podemos ingressar com outra ação semelhante.
      Bebel

      Responder
  • 380. Kelly Rocha  |  05/07/2015 às 22:19

    Estou cumprindo duzentenas, fiquei o semestre inteiro em casa e acreditava que fosse assumir o concurso de PeB I agora em agosto! Fomos chamados e escolhemos a escola onde vamos trabalhar, agora saiu q do vamos assumir em 2016! Isso pode mesmo acontecer? Pode ter volta, ou vamos mesmo ter que esperar pra assumir?

    Responder
    • 381. apeoesp  |  11/07/2015 às 12:19

      Prezada professora Kelly,
      Deverão assumir apenas no início de 2016, pois há concurso de remoção em andamento.
      Bebel

      Responder
  • 382. Jairo  |  28/08/2015 às 21:03

    Bebel meu nome é Jairo sou professor cat. O. Como fica minha situação em 2016, já que meu contrato aspira em 12/2015.

    Responder
    • 383. apeoesp  |  29/08/2015 às 12:21

      Prezado professor Jairo,
      A duzentena ainda se mantém, pois o governo não enviou o projeto de lei que muda a forma de contratação dos professores temporários. Assim, se já utilizou a quarentena, deverá cumprir a duzentena, a não ser que consigamos conquistar essa mudança. Ingressamos na justiça com ação coletiva para que todos possam se inscrever e participar da atribuição de aulas.
      Bebel

      Responder
      • 384. Rosangela de Souza  |  02/09/2015 às 06:16

        Como posso acompanhar esse processo de ação coletiva? Profª Rosangela

      • 385. apeoesp  |  05/09/2015 às 12:54

        Prezada professora Rosangela,
        Por favor, ligue para 11.33506214 e informe-se melhor.
        Bebel

  • 386. Rodrigo  |  03/09/2015 às 01:09

    Boa noite!
    Chegou a informação em minha região que os antigos categorias L, não teriam a necessidade de passar pela duzentena, esta informação procede?

    Responder
    • 387. apeoesp  |  05/09/2015 às 12:43

      Prezado professor Rodrigo,
      Infelizmente, não. A regra é a mesma para todos.
      Bebel

      Responder
  • 388. Marli  |  06/09/2015 às 04:46

    Quer dizer que eu vou ter que fazer duzentena trabalhei 2012 2013 2014 2015 e nunca fiquei duzentos dias sem trabalhar como fica minha situação

    Responder
    • 389. apeoesp  |  06/09/2015 às 13:56

      Prezada professora Marli,
      Ingressamos com ação judicial para que todos possam se inscrever e participar da atribuição de aulas. Agora, a situação se agravou, com o decreto do governador proibindo contratações. Estamos com nova ação judicial. No dia 25/09 temos assembleia estadual para lutar contra tudo isso.
      Bebel

      Responder
      • 390. Kelly  |  06/09/2015 às 14:39

        Bom dia!
        Gostaria de saber se esse decreto proibindo novas contratações pode influenciar na nomeação dos candidatos já chamados pelo concurso de PeB I…
        Estou saindo da duzentenas, e até o presente momento não consegui aula! Estou contando com essa nomeação! 😕
        Desde já, muito obrigada!

      • 391. apeoesp  |  13/09/2015 às 13:03

        Prezada professora Kelly,
        Infelizmente,sim. Estamos entrando com medida judicial para assegurar os direitos dos concursados.
        Bebel

  • 392. ROSELI APARECIDA RIBEIRO FERREIRA  |  14/09/2015 às 13:23

    BOM DIA!
    SOU CATEGORIA O. NÃO ESTOU CONSEGUINDO FAZER A MINHA INSCRIÇÃO PARA 2016, MEU CONTRATO E DE SETEMBRO 2014.ME DISSERAM QUE VOU ENTRAR NA QUARENTENA, MAS NINGUÉM TEM UMA INFORMAÇÃO PRECISA. PRECISO DE AJUDA.
    OBRIGADA !

    Responder
    • 393. apeoesp  |  20/09/2015 às 13:38

      Prezada professora Roseli,
      O governador decidiu, por decreto, dificultar a contratação de professores. Recorremos à justiça para que todos possam inscrever-se e participar da atribuição de aulas. Estamos aguardando decisão judicial. No dia 25/09 teremos assembleia na Praça da república.
      Bebel

      Responder
      • 394. ROSELI APARECIDA RIBEIRO FERREIRA  |  21/09/2015 às 11:29

        OBRIGADA!
        ESTOU AGUARDANDO,QUE DEUS PASSE A FRENTE, QUEREMOS TRABALHAR.
        BJOS…

      • 395. MARIA BENEDITA Augusto  |  02/10/2015 às 23:02

        Professora Maria por gentileza sou remanescente do concurso 2013 , meu contrato finda em 2015,não estou conseguindo fazer inscrição por esse motivo , porem em nota publicada em 30/10/2015 artigo 6º, diz que remanescente estará inscrito automaticamente, por favor esclareça essa duvida

      • 396. apeoesp  |  03/10/2015 às 16:03

        Prezada professora Maria Benedita,
        Mesmo no caso de remanescentes de concurso, prevalece a duzentena. Se este é o seu caso, não poderá inscrever-se. Para quem já cumpriu a duzentena, a SEE está estudando a possibilidade de inscrição em um sistema próprio. A APEOESP ingressou com ação judicial para derrubar a duzentena, mas não houve liminar.A ação prossegue tramitando no TJSP.
        Bebel

  • 397. Valdinéia  |  15/09/2015 às 13:20

    Bom dia!
    É verdade que tem um projeto do governo as ser tramitado, na Assembleia, sobre a ampliação do contrato categoria O de dois para três anos? Meu contrato expira em dezembro/15 e sou remanescente concurso. Pode entrar com ação judicial individual para conseguir participar da atribuição no início do ano?

    Responder
    • 398. apeoesp  |  19/09/2015 às 12:15

      Prezada professora Valdinéia,
      O Governador não enviou o projeto, como prometera.
      Você pode, sim, entrar com ação individual. Procure a subsede.
      Bebel

      Responder
  • 399. Sergio Terassaka  |  17/09/2015 às 01:19

    Boa noite Bebel, meu nome é Sergio e comecei a minha profissao de docente em 2012 passando por 2013, 2014 e este ano2015… sou remanescente do concurso de 2013, como fica minha situação também?
    Desde já agradeço
    Sergio Terassaka

    Responder
    • 400. apeoesp  |  19/09/2015 às 11:51

      Prezado professor Sérgio,
      O Governador proibiu por decreto a contratação dos remanescentes e novas chamadas do concurso. Ingressamos na justiça para derrubar este decreto.
      Também entramos na justiça para que todos possam participar do processo de atribuição de aulas.
      Bebel

      Responder
  • 401. Roberta Gloder Maciel  |  19/09/2015 às 12:07

    Bom dia,
    Bebel!
    Gostaria de saber se os remanescestes do concurso podem entrar com uma ação contra o governo, pois o mesmo não chamou todos os cargos prometidos no edital? E se caso a resposta seja positiva, em que a apeoesp poderá nos ajudar ou nos orientar?

    Responder
    • 402. apeoesp  |  20/09/2015 às 13:14

      Prezada professora Roberta,
      A APEOESP já está ingressando com mandado de segurança coletivo para que o Governo seja obrigado a convocar os professores necessários para ocupar as vagas existentes.
      Bebel

      Responder
  • 403. Dani  |  14/10/2015 às 17:29

    Boa tarde! meu contrato foi de jan.2012 até dez.2013 e jan.2014 até dez. 2015. Poderei entrar em quarentena ao invés de duzentena em 2016? Tem algum recurso?

    Responder
    • 404. apeoesp  |  18/10/2015 às 13:24

      Prezada professora Dani,
      Se nunca utilizou quarentena, poderá utilizá-la agora.
      Bebel

      Responder
  • 405. Sueli V. Kronka  |  11/11/2015 às 18:10

    Boa tarde. Meu contrato de PAA teve início em abril de 2014 e terminou em março de 2015. Não pude fazer a inscrição. Qual o motivo?

    Responder
    • 406. apeoesp  |  15/11/2015 às 12:22

      Prezada professora Sueli,
      O governador suspendeu todas as contratações. Está em curso um processo de “reorganização” da rede. O governo sequer sabe se serão mantidos os atuais professores categoria O com contrato.
      Bebel

      Responder
  • 407. MAREGINA  |  14/11/2015 às 14:19

    Bom dia, gostaria de esclarecer uma dúvida, após o cumprimento da quarentena, como fica a classificação volta no mesmo lugar que era, tem que fazer cadastro emergencial, e para conseguir aulas se na classificação normal já é dificil, cadastro emergencial mais ainda, e segundo cometários, que após a duzentena a classificação não volta mais como era, como fica isso.

    Responder
    • 408. apeoesp  |  15/11/2015 às 11:51

      Prezada professora Maregina,
      Após a quarentena, estando tendo passado o prazo da atribuição inicial, deve ser feito o cadastro emergencial. A classificação é repeitada, nessas condições. Informe-se melhor pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 409. Rafaela Frazão  |  01/12/2015 às 17:23

    Prezada Bebel, gostaria de saber o que Apeoesp tem feito para os remanescentes do concurso, dou aula desde 2009, meu contrato foi aberto em 2014. Não se poderei dar aula em 2016, ninguém sabe de nada, passei no concurso e não fui chamada, me sinto humilhada, pois tem professores que ocupam cargos numa escola, não sabem exercer suas funções com competência e nós que passamos num concurso, corremos o risco de ficar sem aula, acho isso injusto. Qual sua posição, pois estamos cansados de esperar essa nova chamada.

    Responder
    • 410. apeoesp  |  06/12/2015 às 12:40

      Prezada professora Rafaela,
      Há um decreto do Governador que proíbe novas chamadas. Ingressamos na justiça para que os direitos dos concursados sejam respeitados e haja nova chamada. O processo ainda tramita.
      Bebel

      Responder
  • 411. maria do socorro carvalho  |  10/12/2015 às 17:38

    Categoria O que passou na ultima prova perderá os pontos da prova em 2016

    Responder
    • 412. apeoesp  |  12/12/2015 às 09:07

      Prezada professora Maria dos Socorro,
      A prova não é mais utilizada como critério. Os pontos permanecem.
      Bebel

      Responder
  • 413. lucas  |  13/02/2016 às 18:31

    uma duvida , se eu ficar so como eventual eu entro na 40 e 200 tbm?ou é só para quem pega aulas ?

    Responder
    • 414. apeoesp  |  14/02/2016 às 02:20

      Prezado professor Lucas,
      Apenas para o caso de professores contratados como categoria O.
      Bebel

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,854,049 hits

Comentários

apeoesp em
apeoesp em

%d blogueiros gostam disto: