Professores aprovam calendário de mobilizações e assembleia no dia 25 de abril

29/03/2014 at 16:59 60 comentários

assembleia 28A APEOESP realizou na tarde desta sexta-feira, 28, assembleia estadual para definir os rumos da campanha salarial e educacional 2014, que aprovou o ca­lendário de mobilizações e a realização de uma campanha pela valorização dos professores, construída a partir dos da­dos revelados pela pesquisa “Qualidade da Educação nas Escolas Estaduais de São Paulo”.

Campanha pela valorização do magistério

A APEOESP entende que a garantia de qualidade da educação pública é indissociável da valorização do magisté­rio. Por isso veiculará nas redes sociais e outros meios de comunicação uma ampla campanha que terá duas etapas. Na primeira serão veiculados depoi­mentos dos professores ressaltando os resultados apontados na pesquisa e destacando os problemas da escola pública; na segunda etapa, pais e alunos falarão da necessidade de valorização do magistério – cujo mote será “sou mais minha professora/sou mais meu professor”.

Secretaria Escolar Digital

Frente ao acúmulo de atividades para os professores nas diretorias de ensino que iniciaram a implantação do programa Secretaria Escolar Digital, sem que sejam assegurados equipa­mentos e acesso à internet, obrigando­-os a trabalharem em casa, o CER orientou as subsedes a debaterem o assunto nas reuniões de representantes.

Calendário de Mobilizações

Abril

Dia 8 Reunião de Representantes (o RR deverá discutir a data indicativa da próxima assembleia para o dia 25 de abril no MASP)

De 31 de março a 11 de abril Divulgação nas regiões dos resultados da pesquisa – debates, audiências públicas, entrevistas etc.

Dia 9 Marcha nacional das centrais sindicais

Dia 11 Reunião do Conselho Estadual de Representantes

Dia 14 a 30 Lançamento da campanha “Sou mais minha professora/sou mais meu professor” nas regiões

Dia 14 ao dia 30 Caravana estadual “Valorização é o caminho para a qualidade da edu­cação”.

Eixos da campanha

“Salários dignos, salários, condições de trabalho e saúde para o magistério.”

 Por um plano de ganho real de salário – salário míni­mo do DIEESE (R$ 2.748,22) por jornada de 20 horas semanais rumo aos 75,33% de aumento necessários para a equiparação com as demais categorias com formação de nível superior;

 Pela implantação da jornada do piso;

 Por um plano de carreira que atenda às necessidades do magistério, tendo como parâmetro a LC 444/85;

 Contra a contratação precária de professores – as­segurar aos professores não efetivos os direitos dos professores da categoria F;

 Contra o fechamento de classes em qualquer período;

 Inclusão não rima com exclusão – O Estado fecha escolas de ensino médio e deixa milhares de alunos sem classes para reforçar seu objetivo privatista de escola de tempo integral, do qual retira professores por meio da remoção ex-officio;

 Por uma educação integrada, que assegure os direitos dos profissionais da educação e dos estudantes;

 Contra projeto do governo que propõe transformar o IAMSPE em autarquia especial e privatizar;

 Por um projeto específico para assegurar o direito dos professores da categoria O ao IAMSPE;

 Defesa dos professores categoria O demitidos.

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

Pais e alunos das escolas estaduais valorizam os professores Uma grande perda para a cultura brasileira

60 Comentários Add your own

  • 1. Luiz Paulino  |  29/03/2014 às 20:32

    Bebel e os professores aposentadps?

    Responder
    • 2. apeoesp  |  30/03/2014 às 15:25

      Prezado professor Luiz Paulino,
      Lutamos sempre para que todos os benefícios sejam extensivos aos aposentados.
      Bebel

      Responder
  • 3. Maria Clara  |  29/03/2014 às 23:11

    OI Bebel,
    Hoje saiu provisionado o valor do bônus, minha escola de atuação(que não é minha sede) cumpriu a meta parcial, mas não vou receber nada. Acredito que eles tenham considerado minha sede já que esta não tem Idesp, pois a escola é nova. Gostaria de saber se recebo pela sede ou pela atuação e se a escola que não tem até o nono ano (base do IDESP) fica sem bônus. Obrigada.

    Responder
    • 4. apeoesp  |  30/03/2014 às 15:26

      Prezada professora Maria Clara,
      Você deveria receber pela escola em que efetivamente atuou. Entretanto, é possível que tenham considerado a sua sede. Vejo como informar-se e como proceder pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 5. breno  |  29/03/2014 às 23:39

    Bebel estive na ultima assembleia,gostei do calendario aprovado.Porém por que no dia 25 não fazemos uma passeta?Sairmos do MASP AT A REPUBLICA…..precisamos nos mobilizar ….Passeata já….vamos mostrar ao povo nossa indignação…..Professor em passeata na rua é a solução!!!!

    Responder
    • 6. apeoesp  |  30/03/2014 às 15:27

      Prezado professor Breno,
      É possível, sim, que a façamos. Se assim for decidido pelo CER ou pela própria assembleia. Depende muito, também, do comparecimento.
      Bebel

      Responder
  • 7. Prof° Oswaldo  |  30/03/2014 às 12:35

    Bom dia, Bebel! Estou totalmente de acordo com sua luta, precisamos de mobilização total da categoria. Mas hoje estou te escrevendo para tirar uma dúvida, sou efetivo em um cargo de 40 horas, agora assumi o 2° cargo com mais 24 horas, fui informado de que nesse 2° cargo não poderei dar falta aula parcial, mas na lei diz que o professor que acumular cargos e a soma perfazer 40 horas terá direito a esse tipo de falta. Tenho colegas que acumulam mas não tem 40 horas em apenas um dos cargos, mas somando dá mais de 40 hora e eles podem dar falta médica parcial nos dois cargos, e eu que trabalho mais pro estado não posso, isso não tem lógica, me ajuda aí, por favor. Obrigado!

    Responder
    • 8. apeoesp  |  30/03/2014 às 13:40

      Prezado professor Oswaldo,
      Sim, parece mesmo não haver lógica na informação que recebeu. Por favor, entre em contato com o departamento jurídico pelo telefone 11.33506214 ou na subsede, para ser orientado.
      Bebel

      Responder
  • 9. Wagner  |  30/03/2014 às 13:49

    A secretaria digital esbarra fundamentalmente no tempo para a digitação que hoje os professores não possuem. O sindicato tem que ir contra esse trabalho e ainda fazer campanha para que os professores não aceitem fazer esse trabalho com seus próprios recursos e fora da escola. Assim por exemplo, para que professores que lecionam à noite possam digitar as escolas terão que ficar abertas nas madrugadas o que inviabiliza este projeto. O governo não pode obrigar professores a terem computadores e internet em suas casas. Este projeto é mais um reforço na luta pela implantação da jornada do piso se utilizado com inteligência por este sindicato.

    Responder
    • 10. apeoesp  |  30/03/2014 às 15:39

      Prezado professor Wagner,
      Obrigada. É justamente por aí que pretendemos conduzir a questão. Vamos fazer material específico para esta discussão.
      Bebel

      Responder
  • 11. Jane Rose  |  30/03/2014 às 14:49

    Professor passa em concurso e desconhece seus direitos…kkkkkk

    Responder
    • 12. apeoesp  |  30/03/2014 às 16:05

      Prezada professora Jane Rose,
      Publico seu comentário, mas confesso que não consegui compreendê-lo.
      Bebel

      Responder
  • 13. Jane Rose  |  30/03/2014 às 14:50

    Greve significa economia …o Governo agradece..

    Responder
    • 14. apeoesp  |  30/03/2014 às 16:01

      Prezada professora Jane,
      Não. Greve significa uma categoria se unindo para lutar por sua dignidade profissional e pelo direito de ministrar boas aulas a seus alunos.
      Bebel

      Responder
  • 15. Silvio Matos  |  30/03/2014 às 15:43

    Ola Apeoesp,
    Estou com uma duvida tremenda, gostaria de suas ajudas, vamos lá, recententemente devido ao ingresso de uma professora que possuia 12 aulas no periodo da tarde, e precisando de 24 aulas para o seu ingresso, ela simplesmente acumulou . Ela era categoria F e agora efetivou. Só que ela usou 12 aulas minhas e mais 12 aulas de outra professora para ter o seu cargo de ingresso. Agora a bonitona ficou com 12 aulas sendo F, 18 aulas sendo A tudo a tarde e mais 6 aulas sendo A na parte da manha, totalizando 36 aulas. Outro detalhe foi feito um novo horario pra acomodar suas aulas. Isso está correto? Estou no aguardo..

    Responder
    • 16. apeoesp  |  30/03/2014 às 16:08

      Prezado professor Silvio,
      Em princípio, ela pode acumular. Embora não seja muito ético, prejudicando outro professor, não há ilegalidade. Entretanto, para que possa ter informação mais adequada e orientação sobre o que é possível fazer, solicito que entre em contato com o departamento jurídico na subsede ou ligue para 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 17. Jane Rose  |  30/03/2014 às 18:46

    O meu comentário é devido às perguntas que lhe fazem e são publicadas no blog. Observo, poque todas ou quase todas a senhora pede para consultar o jurídico, então entendo que professores desconhecem seua direitos. Aclarou p a senhora?

    Responder
    • 18. apeoesp  |  06/04/2014 às 12:29

      Prezada professora Jane,
      Sim. Ficou mais claro. O que ocorre é que existem situações passíveis de interpretação. Assim, é necessário que o jurídico analise a situação, não apenas para orientar corretamente o professor, mas também para tomar eventuais providências que o caso requeira. Todos nós, professores, temos uma ideia geral de nossos direitos, mas nem sempre sabemos os detalhes de sua aplicação prática. Por isso, nosso departamento jurídico está sempre atualizado e capacitado para dar orientações aos professores e à própria diretoria da entidade.
      Bebel

      Responder
  • 19. Jane Rose  |  30/03/2014 às 18:57

    Para ministrar boas aulas não é necessário fazer greve. O problema é unir a categoria, que só pensa em licença prêmio, desconto no salário, falta injustificada, medo de ser demitido,etccccc. Concorda senhora Presidenta? Precisamos de outras estratégias.

    Responder
    • 20. apeoesp  |  06/04/2014 às 12:35

      Prezada professora Jane,
      A greve é um recurso que utilizamos quando não há negociações efetivas. Aceitamos sugestões de outras formas de luta que nos levem ao atendimento das reivindicações.
      Bebel

      Responder
  • 21. Rodrigo  |  30/03/2014 às 21:18

    Gostaria de saber porque não foi declarado um indicativo de greve. sem greve não conseguiremos nada. Tem alguma chance no 2 de abril seja decretada uma greve?

    Responder
    • 22. apeoesp  |  06/04/2014 às 12:34

      Prezado professor Rodrigo,
      Não há previsão de greve, mas uma discussão sobre a possibilidade de greve. A assembleia de 25 de abril analisará a situação, se houve ou não avanço nas negociações, para tomar uma decisão.
      Bebel

      Responder
  • 23. Gustavo  |  31/03/2014 às 23:07

    Bebel, acho interessante a proposta do piso ser no valor 2.748,22 para que se equipe com as demais categorias com curso superior. E no entanto, não seria necessário recorrermos ao governo federal para que essa ideal tenha um sucesso maior?

    Responder
    • 24. apeoesp  |  06/04/2014 às 12:51

      Prezado professor Gustavo,
      Infelizmente, não há como recorrer ao governo federal. Já existe uma lei federal que estabelece o piso salarial profissional nacional. Nossas negociações são mesmo com o governo estadual. Temos que fazer toda a pressão para que negocie conosco em torno de um plano de ganho real de salários.
      Bebel

      Responder
  • 25. Prof Clovis  |  01/04/2014 às 19:45

    Bebel, é um absurdo o que estão fazendo com os professores com a secretaria digital. Fazer o mesmo serviço duas vezes!!! Posso me negar, com base legal, a executá-lo com duplicidade ? Obrigado.

    Responder
    • 26. apeoesp  |  06/04/2014 às 12:58

      Prezado professor Clóvis,
      Sim. Procure o departamento jurídico para verificar como proceder. Todo professor que se sinta prejudicado pode recorrer legalmente.
      Bebel

      Responder
  • 27. Prof Clovis  |  01/04/2014 às 21:25

    Bebel, os pais ( e os professores) serão obrigados a possuir um gmail, isto é legal? A notícia que tivemos é que serão abertos sem a consulta aos mesmos se querem ou não. Obrigado.

    Responder
    • 28. apeoesp  |  06/04/2014 às 12:59

      Prezado professor Clóvis,
      Eu não tinha esta informação. Vou procurar obter mais dados para discutir o assunto com o Secretário da Educação.
      Bebel

      Responder
  • 29. Andréia  |  02/04/2014 às 11:54

    professores categoria f perdendo aulas e não ha aulas para serem atribuídas nas escolas, fui obrigada a pegar 20 aulas livres e agora estou praticamente sem aula, sem falar q para atribuição tem q encaixar os horários. Indignada com tanta crueldade com a categoria.

    Responder
    • 30. Eliselon Luis  |  07/04/2014 às 02:32

      Cat O e F estavam cientes que uma hora professores efetivos poderiam pegar suas aulas. Para reverter tem que prestar concurso. É LEI que professores devem ser concursados, mas muitos nao prestam o concurso por comodismo. Boa Sorte na próxima.

      Responder
  • 31. oliveira.  |  02/04/2014 às 20:11

    Sempre uma assembleia, para marcar outra assembleia……precisamos de decisões rápidas.

    Responder
    • 32. apeoesp  |  06/04/2014 às 13:32

      Prezado professor Oliveira,
      Estamos em processo de negociação. As decisões devem ser tomadas de acordo com os avanços (ou não) que venham a ser conseguidos.
      Bebel

      Responder
  • 33. rafael  |  02/04/2014 às 23:31

    boa noite.
    devido os professores ingressantes fiquei com 12 aulas como categoria F, vou ganhar por 20 aulas ou só 12 aulas.
    grato.

    Responder
    • 34. apeoesp  |  06/04/2014 às 13:35

      Prezado professor Rafael,
      Pela jornada reduzida (12 aulas).
      Bebel

      Responder
  • 35. MARILENA  |  03/04/2014 às 01:18

    Bebel, este ano teremos muitas emoções com as nossas solicitações junto a SEE. Gostaria de solicitar que entre elas, fosse acrescentada a situação de (coodenadores, vice-diretor , diretores) que atuaram nestes cargos e retornaram a sala de aula , tais grafificaç~]oes de funções devem ser repostas, conforme Art.133 (2007) é dever a secretaria da educação pagar aos profissionais que atuaram nas escolas públicas ,os valores que recebiam estes profissionais quanto estavam atuando. Ou seja, % deve ser calculada conforme os anos que permaneceram em seus cargos.
    Acontece que as diretorias e o ex-Dhru estão no aguardo de mudanças no sistema para que as diretorias se entendam e calculem as devidas diferenças conforme a sede atuante de cada profissional.É um absurdo como estamos sendo tratados. O sistema para tal acerto é precário e me parece sem solução.
    Solicito uma posição da apeoesp para mais este grave fato que esta parado a quase 4 anos nas diretorias de ensino.
    Sem mais,,,, nossa luta continua. Obrigada.

    Responder
    • 36. apeoesp  |  06/04/2014 às 13:37

      Prezada professora Marilena,
      Anotei este caso para conversar com o Secretário da Educação em reunião próxima que será agendada.
      Bebel

      Responder
  • 37. Paulo  |  03/04/2014 às 12:15

    Bebel,

    A APEOESP precisa emitir nota se solidarizando com os professores de MG que foram efetivados irregularmente através da Lei Complementar 100, que foi considerada inconstitucional pelo STF, e agora terão que ser demitidos.
    Foi uma tentativa de golpe no INSS aplicada pelo governo Aécio, que prejudicou imensamente os professores, pois os próprios efetivados não tiveram condição de prestar concurso público pq suas próprias vagas não foram oferecidas no concurso de 2011. Foi uma irresponsabilidade de Aécio, brincando com a vida profissional de mais de 70.000 servidores.
    No meu caso, quando foi lançada e LC100, eu fui efetivado numa escola de zona rural com 12 aulas, sem direito de ampliar, o que me impediu de concorrer a vagas na minha cidade, por isso acabei vindo para o estado de SP.
    É preciso esclarecer o que foi esse choque de gestão do PSDB de MG, com esse senhor que agora ousa querer ser presidente.

    Abç

    Responder
    • 38. apeoesp  |  06/04/2014 às 13:40

      Prezado professor Paulo,
      Obrigada pelo alerta. Vou discutir o assunto com a CNTE para que organize movimento de solidariedade em nível nacional, para que a APEOESP possa também se manifestar.
      Bebel

      Responder
  • 39. oliveira  |  03/04/2014 às 18:19

    Por quê vocês não denunciam o que o governo faz contra os professores nos jornais reginais da subsedes?A negação de licenças médicas , por exemplo.Se não o pressionarem através da opinião pública agora que é eleição vão fazer quando?

    Responder
    • 40. apeoesp  |  06/04/2014 às 13:47

      Prezado professor Oliveira,
      As subsedes estão orientadas a fazê-lo.
      Bebel

      Responder
  • 41. Fabio Nobre  |  03/04/2014 às 23:33

    Vc sabe que é lei, que não se pode dar aumento de salario seis meses antes das próximas eleições. O prazo acaba essa semana. Então não de falsas esperanças aos professores e ensine o professor a se valorizar pegando o menor numero de aulas possíveis na sua atribuição e peça por favor para os professores de matemática não pegar as aula de física etc.. Oferta e procura.

    Responder
    • 42. apeoesp  |  06/04/2014 às 13:49

      Prezado professor Fábio,
      Negociar salários não é dar falsas esperanças e sim lutar pela categoria. Reajuste negociado é reajuste garantido, mesmo que só possa ser pago após as eleições. A demora é do governo, não nossa. Por favor não inverta as coisas. O que está sugerindo é simplesmente que o sindicato se paralise porque haverá eleição. Isto não faremos.
      Bebel

      Responder
  • 43. Luciano  |  06/04/2014 às 01:36

    Bebel parece que anda muito ocupada, fica dias sem atualizar e responder no blog, que falta de respeito.E ainda não resolve nada.Por que não volta pra sala de aula? Duvido que publique meu comentário

    Responder
    • 44. apeoesp  |  06/04/2014 às 14:18

      Prezado professor Luciano,
      O que o leva a crer que eu não publicaria seu comentário? Publico aqui comentários de diversos conteúdos, tão ou mais grosseiros que o seu. Já respondi seu outro comentário, ponto a ponto. Lamento ter que ocupar meu tempo com coisas deste tipo. Lamento que se utilize deste espaço para dizer grosserias, pois não foi isso que este blog foi criado. Infelizmente, nem todos compreendem o papel de um educador. Resta-me lamentar profundamente o fato.
      Bebel

      Responder
  • 45. Luciano  |  06/04/2014 às 01:46

    Bebel pra que serve esse blog se vc nunca responde nada? Vc so sabe falar para ligar na sub sede. A propósito quando foi que deu sua última aula no Estado? Vc sabia que existe escola que deixou de ser prioritária e seus profissionais não receberam bônus pq não atingiu o índice? Nao acha que deixar de ser prioritária é um avanço? O que o sindicato faz para reparar essas injustiças? E as faltas da paralizaçao de tres dias que ainda não foram retiradas de nossos prontuários? Ainda espera apoio da categoria? Tenha o mínimo de respeito e publique meu comentário pois expressa a opinião de vários professores.Liberdade de expressão sempre!

    Responder
    • 46. apeoesp  |  06/04/2014 às 14:09

      Prezado professor Luciano,
      Fui eleita para presidir o sindicato pela ampla maioria dos associados que participaram do processo eleitoral em 2011. Eles me autorizam a permanecer afastada para exercer o mandato sindical, o que tenho feito nos últimos quinze anos, em diversas funções na APEOESP, sempre eleita. Não apenas eu exerço meu mandato com afastamento sindical, mas também nove outros professores, alguns deles pertencentes à Chapa 2, de oposição.
      O afastamento sindical é uma conquista da nossa categoria. Pretender que abramos mão dessa conquista é fazer o jogo do governo, enfraquecendo nossa organização.
      Gostaria que você apontasse onde nós, da APEOESP, dizemos que ataques do governo são avanços. Nós não concordamos com política do bônus, que premia alguns e discrimina a maioria. Lutamos por reajuste salariais para todos. Você não pode descontar sobre o sindicato sua revolta contra uma política que é do governo e contra a qual sempre lutamos.
      Este blog é um canal para debater ideias sobre educação e levar aos associados informações sobre as ações da APEOESP. A APEOESP dispõe ainda do seu site (www.apeoesp.org.br) e dos boletins que são levados às escolas e estão também disponíveis no site. Além disso, possui o telefone 11.33506214, para que os professores associados possam tirar suas dúvidas jurídicas e outras.
      Na condição de presidenta da APEOESP, não me proponho nem tenho a capacidade de conhecer todos os assuntos e legislações, nem me prontifiquei a responder de forma completa todas as dúvidas que surgem, pois isto seria impossível. Procuro, aqui, encaminhar adequadamente os professores para a subsede, para o departamento jurídico e ao call center, de acordo com a situação. Sinto que os professores gostam de ter este canal e, via de regra, sentem-se contemplados com os encaminhamentos dados.
      Obviamente, na minha condição, nem sempre disponho de tempo livre suficiente para responder às questões com a velocidade desejável. Compreendo, porém, que, salvo exceções, não são dúvidas que não possam esperar dois ou três dias.
      Procure fazer o melhor possível, em respeito aos professores e professoras. Este blog foi uma iniciativa pessoal, há cinco anos, justamente para que possa haver este diálogo.
      Não admito, assim, que me acuse de falta de respeito. Parece-me que, pelo seu tom, quem está sendo desrespeitada aqui sou eu.
      Bebel

      Responder
      • 47. Luciano  |  08/04/2014 às 02:45

        Se você tivesse contato direto com a sub sede da baixada entenderia minha revolta. Ha dois anos durante a paralizaçao, duas conselheiras foram até a escola pedir para que fossemos para assembleia estadual para votar contra a greve, pois as mesmas eram contra e teriam que aderir se fosse a vontade da maioria. Que movimento vai pra frente com conselheiras desse tipo? Um prof da minha escola recebeu uma informaçao de uma conselheira de plantao, perdeu um dia de trabalho para resolver o problema na fazenda, e para seu desespero as informaçoes que recebera estavam erradas e pasmem, segundo a fazenda aqui na baixada, estão acostumados a receberem professores que não foram bem orientados pela apeoesp. Professores que foram desfiliar -se do sindicato, foram tratados com indiferença, nem ao menos o motivo perguntaram.Mandaram preencher um formulário e pronto.

      • 48. apeoesp  |  12/04/2014 às 13:15

        Prezado professor Luciano,
        Toda organização, grande ou pequena, está sujeita a falhas. Obviamente, trabalhamos pelo melhor, pois a existência do sindicato só se justifica se for para atender corretamente os professores, lutar com eles e por eles. Seria bom se pudéssemos ter nomes e datas (pelo e-mail presiden@apeoesp.org.br) e mais detalhes, para que pudéssemos trabalhar mais para corrigir esses problemas.
        Obrigada.
        Bebel

  • 49. Professor Roberto  |  06/04/2014 às 03:37

    Na minha opinião, o Sindicato devia arrecadar dinheiro só para o fundo de greve, o restante das atividades deveria ser feita de forma voluntária. O que você acha desta proposta Bebel? Acredito que seriamos uma categoria mais combativa se tivessemos a garantia de nosso pagamento, e não bancariamos a exposição e publicidade de membros do sindicato que querem galgar carreiras políticas.

    Responder
    • 50. apeoesp  |  12/04/2014 às 12:29

      Prezado professor Roberto,
      Não compreendi sua proposta. A contribuição ao Sindicato já é voluntária. A APEOESP não recebe imposto sindical, nem tem qualquer forma de coerção para que os professores contribuam. Nossos quase 200 mil associados o fazem por vontade própria. Todo o dinheiro é utilizado para a luta dos professores. Manter a estrutura do sindicato funcionando, sua comunicação, seu site, este blog, os deslocamentos dos professores para assembleias e mobilizações, departamento jurídico e tudo o mais é feito com este dinheiro que os associados recolhem por sua própria vontade, por se vincularem ao Sindicato. O sindicato não promove nem “banca” carreiras políticas de quem quer que seja, mas os associados, como cidadãos que são, estão livre para realizar o que quiserem, nem poderia ser diferente.
      Bebel

      Responder
  • 51. Oliveira  |  06/04/2014 às 21:49

    Bebel,você respondeu que as subsedes estão orientadas a denunciar os abusos cometidos pelo governador,mas elas não o fazem.Que tal se o texto for encaminhado pela sede central?Dessa forma o texto poderia ser avaliado pelo departamento jurídico para que não houvesse problemas processuais e seria o mesmo em todo o estado.A população não sabe que seus ficam sem professor porque o governo do estado os obriga a ficar sem dar aulas.É que ocorreu na escola onde leciono,os alunos ficaram sem aulas de matemática porque o professor teve que ficar sem dar aulas por duzentos dias.Nós precisamos mostrar a verdade sobre a educação e o momento é agora.Acredito que só através da mídia e da opinião publica conseguiremos alguma coisa!

    Responder
    • 52. apeoesp  |  12/04/2014 às 12:49

      Prezado professor Oliveira,
      A sede central da APEOESP emite constantemente textos denunciando os desmandos do governo. Eles estão nos panfletos, nos boletins, disponíveis no site e neste blog. As subsedes os recebem e os distribuem. Os diretores na região e os conselheiros tem conhecimento dos temas e das posições da APEOESP. Em muitas ocasiões, seguem textos elaborados pela direção estadual. No momento, estamos com a campanha Sou mais minha professora, que denuncia a situação da rede estadual de ensino. Ela pode ser acessada em http://www.soumaisminhaprofessora.com.br, em http://www.facebook.com/soumaisminhaprofessora e no site da APEOESP http://www.apeoesp.org.br.
      Bebel

      Responder
  • 53. alessandra  |  09/04/2014 às 01:03

    Bebel gostaria de saber se é verdade que em dias de convocação para quem tem dois cargos terá que ficar com falta em um deles.Amanhã será o dia D e é praticamente a mesma coisa, terei que escolher uma das escolas para ir? Não há nenhuma lei para justificar essas faltas sem descontos para quem tem dois cargos?

    Responder
    • 54. apeoesp  |  12/04/2014 às 13:23

      Prezada professora Alessandra,
      Infelizmente, não. O acúmulo de cargos é permitido desde que haja compatibilidade de horários. As leis, neste caso, tratam cada cargo individualmente. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 55. LUCIANO T.  |  11/04/2014 às 20:03

    Ola Bebel, gostaria de saber sobre a dedicacao exclusiva, pois tenho dois cargos no estado inclusive na mesma escola um jornada integral outro inicial, portanto me dedico plenamente ao estado, mais ainda que os professores das escolas integrais quero saber se vou ter direito a receber esse beneficio ja que a minha dedicacao e plena ao estado.

    Responder
    • 56. apeoesp  |  12/04/2014 às 13:56

      Prezado professor Luciano,
      Este assunto ainda está em discussão na SEE. Não há nada de concreto.
      Bebel

      Responder
  • 57. alessandra  |  12/04/2014 às 17:29

    Bebel até entendo que não posso estar em dois lugares ao mesmo tempo, mas se estou trabalhando para o estado e ele me da o direito de ter dois cargos estas faltas deveriam ser revistas.Vamos ver se na hora do leão eu serei duas pessoas diferentes?duvido!

    Responder
    • 58. apeoesp  |  18/04/2014 às 12:07

      Prezada professora Alessandra,
      É o que determina a lei. As leis nem sempre são lógicas ou justas, plenamente. Você deve procurar o departamento jurídico para dirimir todas as dúvidas e verificar todas as possibilidades.
      Bebel

      Responder
  • 59. Maria Regina  |  21/04/2014 às 16:21

    Para quem tem acúmulo legal, Estado/Estado, essa obrigatoriedade (repentina) de estar em dois lugares ao mesmo tempo parece ser apenas para prejudicar quem acumula. Nenhuma Lei pode ser promulgada visando apenas a punição. Dois lugares, um horário e esse absurdo de sofrer descontos em um dos cargos. O mesmo patrão. Incrível isso. O que as Diretorias de Ensino não deviam esquecer é que, se nós temos dois salários, também sofremos dois descontos e nem por isso poderemos ocupar dois leitos caso fiquemos doentes.

    Responder
    • 60. apeoesp  |  27/04/2014 às 12:18

      Prezada professora Maria Regina,
      A lei que regula os acúmulos de cargos é federal. É preciso haver bom senso por parte das diretorias de ensino e das escolas, porém prevalece o aspecto legal.
      Bebel

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,928,794 hits

%d blogueiros gostam disto: