APEOESP conquista mais uma vitória: quinquênio e sexta-parte para categoria O

21/05/2014 at 20:49 158 comentários

Tenho a satisfação de informar que a APEOESP, em ação coletiva, conquistou o direito de os docentes categoria “O” receberem os quinquênios ou sexta parte, nos casos em que já possuam o tempo necessário para tal fim (5 anos de efetivo exercício no Estado para cada quinquênio e/ou 20 anos de efetivo exercício no Estado para a sexta parte). A administração negava esse direito, sob o argumento de que a contratação temporária não permitia o recebimento dessas vantagens, ainda que eles possuíssem o tempo necessário.

Todos nós, professores estaduais, temos direitos reduzidos e/ou negados, em maior ou menor grau, pelo Estado. Estamos lutando por eles, inclusive tendo já havido indicativo de greve e convocação de assembleia estadual para o dia 30 de maio, que decidirá os rumos do movimento.

Os professores da “categoria O”, porém, se constituem no segmento mais frágil da nossa categoria profissional, contratados de forma precária, por tempo determinado. A sentença ora conquistada é muito importante na luta pela dignidade da nossa profissão e pela qualidade do ensino.

Devemos, entretanto, alertar: a decisão não é definitiva, sendo possível a interposição de recurso de apelação pela Procuradoria do Estado. Vamos lutar até o fim para que a sentença prevaleça. Grande mobilização nas ruas ajuda, e muito.

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

Mentiras não são capazes de quebrar a luta dos professores Professores da rede estadual de SP definem início de greve na semana que vem

158 Comentários Add your own

  • 1. Edna  |  22/05/2014 às 01:20

    Parabéns por mais esta conquista, Bebel. Existe prazo para que a Procuradoria entre com recurso?

    Responder
    • 2. apeoesp  |  25/05/2014 às 16:16

      Prezada professora Edna,
      Sim. Trinta dias após a notificação.
      Bebel

      Responder
  • 3. Janaina  |  22/05/2014 às 01:20

    Agora é a hora de pedir ao estado a NÃO contratar professores categoria O para janeiro 2015 já que o que mais temos são professores aprovados em concurso e esperando para lecionar, mas não podem porque suas aulas estão preenchidos por contratados.

    Responder
    • 4. apeoesp  |  25/05/2014 às 16:17

      Prezada professora Janaina,
      Sim, você tem toda a razão. O Estado não tem sido transparente quanto às vagas existentes e sua distribuição.
      Bebel

      Responder
  • 5. Tatiane  |  22/05/2014 às 02:21

    Poderiam conseguir primeiro fazer com que o professor possa trabalhar e não fique fora da rede como eu e outros colegas estão cumprindo quarentena de 200 dias letivos porque a cota já foi toda ocupada esse ano.

    Responder
    • 6. apeoesp  |  25/05/2014 às 16:20

      Prezada professora Tatiane,
      Conseguimos com medida judicial que não se aplique o afastamento de 200 dias. Por favor, entre em contato com o departamento jurídico ou ligue para 11.33506214 para melhor informação.
      Bebel

      Responder
  • 7. Prf° Oswaldo  |  22/05/2014 às 11:26

    Bom dia, Bebel! Desculpe fugir do tema, mas preciso lhe fazer uma pergunta: assumi meu segundo cargo agora em março, com jornada inicial (19 aulas com aluno), mas eu já tinha 32 aulas com aluno, então fiquei com 51 aulas, fora as Atpcs, essa quantia de aulas é simplesmente insuportável, então gostaria de saber se a Apeoesp pode me ajudar a reduzir a jornada do segundo cargo, para o ano que vem, existe algum meio legal? Em caso afirmativo, a Apeoesp dá apoio jurídico?
    Ps: em relação as conquistas para a categoria O, acho que a maior conquista para essa categoria, seria extingui-la e transformá-la em categoria F, você já pensou quem irá suporta trabalhar 20 anos nessas condições que o governo oferece? Então acho que a sexta parte ficará só no sonho. O tratamento dado á essa categoria reflete exatamente como o governo prioriza a educação.

    Responder
    • 8. apeoesp  |  25/05/2014 às 16:31

      Prezado professor Oswaldo,
      Na realidade, você está em situação irregular, pois o máximo de aulas que se pode acumular com dois cargos é de 64 aulas. Por favor, ligue para 11.33506214 e veja o que se pode fazer nesse caso.
      Quanto aos professores da categoria O, estamos reivindicando da SEE que abra um processo de negociações para que se reveja integralmente esta forma de contratação e que, no mínimo, sejam assegurados a ela os mesmos direitos da categoria F.
      Bebel

      Responder
      • 9. Prof° Oswaldo  |  25/05/2014 às 21:31

        Obrigado por sua resposta! Meu acúmulo é legal, tenho no segundo cargo 18 aulas com aluno e cumpro uma de permanência justamente para não exceder as 64 horas. Mas o que eu queria saber é se existe um meio legal para que eu consiga reduzir minha jornada, e se em caso afirmativo a apeoesp dá apoio jurídico? Já há jurisprudência nesse tipo de caso?

      • 10. apeoesp  |  01/06/2014 às 14:26

        Prezado professor Oswaldo,
        Por favor, procure o departamento jurídico na subsede, para ser orientado e auxiliado.
        Bebel

  • 11. Fabio Sousa  |  22/05/2014 às 19:54

    Bebel, quando está prevista a publicação da nomeação dos professores que escolheram na segunda chamada? E quando será a perícia e posse desses professores?

    Responder
    • 12. apeoesp  |  25/05/2014 às 16:38

      Prezado professor Fábio,
      Não temos estas informações. Por favor, procure a Diretoria Regional de Ensino.
      Bebel

      Responder
  • 13. Maria Lúcia  |  22/05/2014 às 21:43

    Olá!
    Quero saber o que tem de novo sobre a categoria S ? Como fica o professor sem poder pegar aula só atuando como eventual para não perder o direito do IAMSP.

    Boa Noite.

    Responder
    • 14. apeoesp  |  25/05/2014 às 16:39

      Prezada professora Maria Lúcia,
      O projeto de lei sobre o direito ao IAMSPE está em fase de elaboração. Provavelmente, enquanto estiver pagando, o servidor não perderá o direito ao IAMSPE.
      Bebel

      Responder
  • 15. Henrique Santos  |  23/05/2014 às 00:19

    Estranho esse método de alardear conquista no título do post, para no final do texto dizer que a decisão não é definitiva. Isso não seria vender ilusão para categoria como faz o governo ao alardear reajuste de 7%, desconsiderando as perdas acumuladas como contesta o sindicato na publicação do link a seguir http://www.apeoesp.org.br/publicacoes/opiniao-apeoesp/governo-estadual-desinforma-a-sociedade-ao-anunciar-7-de-reajuste-aos-professores/. Pois não vejo diferença! Ou a sra presidenta já se esqueceu da lei do piso que garantia 1/3 da jornada fora da sala de aula e que teve sucessivas liminares cassadas? Bebel pare de enrolar a categoria e apresente conquistas quando elas realmente existirem, ou então simplesmente informe o andamento das ações sem falácias.

    Responder
    • 16. apeoesp  |  25/05/2014 às 16:49

      Prezado professor Henrique,
      Conquistas são conquistas. Ingressamos com ação judicial e vencemos neste momento. Se o Estado recorrer, não significa que vencerá. Pelo contrário, a avaliação do departamento jurídico é a de que é difícil um retrocesso neste caso, embora não seja impossível.
      O que o incomoda? Não omitimos nenhuma informação, inclusive a de que a decisão é provisória e que o Estado pode recorrer.
      O governo alardeia o que lhe convém, mas omite que o reajuste de 7% já está previsto desde 2011 e que estamos reivindicando sua ampliação. Cabe a nós informar isto. Você não vê diferença porque está predisposto a não vê-la, pois nossa nota nada omite.
      Quanto à lei do piso, outra interpretação parcial sua. Conquistamos, sim, a aplicação dos 33% de jornada fora da sala de aula. O fato de o governo não cumprir a lei não diminui a nossa conquista, apenas apequena o próprio governo. E não estamos passivos. Ingressamos com ação judicial no Estado de São Paulo e, como o tribunal ficou do lado do governo, estamos em luta jurídica no STF. Não é este o papel do sindicato? Nunca omitimos da nossa categoria nenhuma informação e nos damos o direito de informar, sim, quando algum esforço do sindicato produz resultado, mesmo que tenhamos que continua a luta. Lutar e lutar sempre, para isto estamos aqui. Não tente transformar informação em falácia, pois isto é má-fé.
      Bebel

      Responder
  • 17. Cleber  |  23/05/2014 às 01:55

    Olá Bebel, parabéns pela conquista!!! Gostaria de saber se iremos receber os salarios atrasados referentes ao quinquenio que não estamos recebendo. E também não recebi o que foi descontando do pagamento em 2012, vi aqui mesmo no site que o governo iria ter que devolver o que descontou em 2012 dos cat. O, e ate agora nada, o que aconteceu???

    Responder
    • 18. apeoesp  |  25/05/2014 às 16:51

      Prezado professor Cléber,
      O governo recorreu daquela decisão, assim como ainda pode recorrer dessa. O importante é que temos vencido nas diversas instâncias, embora o processo seja muito demorado por causa dos recursos.
      Bebel

      Responder
  • 19. sandra  |  23/05/2014 às 02:48

    Bebel. boa noite.Por favor tem como você ajudar nós os readaptados?O que está acontecendo é o desrespeito com a gente, somos professores afastados não porque queremos mas sim por necessidade de saúde.Vou te dar um exemplo:Trabalho muito na parte de professor coordenador e na de vice-direção, só que na hora de uma designação não estou conseguindo uma autorização do CAAS, mesmo com a meu rol de atividades ser bem claro que posso atuar nesses cargos, está demorando seis meses . Passei em entrevista e na hora da designação esse problema q está barrando e agora na minha escola também surgiu a oportunidade e minha diretora foi mandar a designação e não pode, ambas dizem que não dá pra esperar a autorização e eu sei que não mesmo, o que fazer?pode me ajudar?? Não sei mais o que fazer minha renda de readaptada foi para 1200.00 eu era coordenadora e não consigo sobreviver com esse valor , estou dependendo sempre de ajuda.Trabalho no que gosto, me dedico muito, mas se eu recebesse o correto seria bem melhor .Obrigada, um abraço.

    Responder
    • 20. apeoesp  |  25/05/2014 às 17:10

      Prezada professora Sandra,
      Existe aí um problema que tentamos derrubar, mas ainda não conseguimos, que é autonomia de diretores e demais gestores para decidir tudo na escola. Para nós, este comando deveria ser do conselho de escola, no qual os professores poderiam defender com mais possibilidades seus direitos e necessidades.
      Neste caso, sugiro que você procure o departamento jurídico na sua subsede, ou ligue para 11.33506214, para saber o que pode ser feito. Também pode me enviar seus dados e detalhes do seu caso (presiden@apeoesp.org.br) para que eu verifique se posso fazer algo.
      Boa sorte,
      Bebel

      Responder
  • 21. Fabio Nobre  |  23/05/2014 às 16:26

    é aquela historia ganha mas não leva, infelizmente, isso não é nenhuma vitoria ainda pois, o estado vai recorrer e não vai pagar nada. Cante vitoria quando realmente for uma decisão final.

    Responder
    • 22. apeoesp  |  25/05/2014 às 17:18

      Prezado professor Fabio,
      A APEOESP informará sempre aos seus associados sobre todo e qualquer avanço conseguido e não omitirá nada, nem mesmo que o Estado ainda pode recorrer. É sempre bom lembrar que o fato de o Estado recorrer não significa que ganhará. Aliás, há muitos casos em o Estado recorre em vão, conseguindo apenas adiar o pagamento dos direitos. Acreditamos que ocorrerá novamente agora. O que acho verdadeiramente feio é que um professor torça contra seus colegas, “prevendo” que esta vitória não se concretizará. Lamento que pense assim.
      Bebel

      Responder
  • 23. Marta  |  24/05/2014 às 02:32

    Só acredito vendo.

    Responder
    • 24. apeoesp  |  25/05/2014 às 17:34

      Prezada professora Marta,
      Apesar do incompreensível tom negativo de seu comentário, nós temos só acreditamos vendo. Mais do que isso, porém, estamos lutando para ver este direito efetivado.
      Bebel

      Responder
  • 25. Karina Ivagon  |  24/05/2014 às 10:13

    Só acredito quando estiver claro no PAPEL. Os professores categoria O não devem se alegrar com isso, assim como eu, professora categoria O que sou estou esperando a conquista da Apeoesp referente a termos acesso a usar o Iamsp, que a senhora publicou aqui no seu blog que teríamos este direito, aliás, um direito conquistado durante a greve do ano passado e até agora NADA. Infelizmente enganam muitos de nós professores. E não adianta a senhora dizer aqui que não participamos de greve, eu mesma, estou em todas as assembleias e paralisações, por mais que o número de pessoas presentes seja pequeno, eu estou fazendo a minha parte, mas a Apeoesp não consegue nada de concreto, não consegue nada no papel.

    Responder
    • 26. apeoesp  |  25/05/2014 às 17:40

      Prezada professora Karina,
      Sim, o despacho da juíza está no papel. Gostaria muito que você entendesse que não estamos no comando do Estado, que é dominado pelo PSDB há 20 anos. Nosso papel, como sindicato, é lutar e lutar muito, o que temos feito todos os dias da semana, todos os meses, todos os anos. Quando o Estado renega aquilo que acordou, não é a APEOESP que está enganando a categoria, mas o governo que está descumprindo um compromisso. Não esperava ter que explicar isto aqui, mas é assim que as coisas acontecem.
      Você menciona o direito ao IAMSPE, cujo projeto está sendo elaborado, mas não menciona que a prova do categoria O já não elimina professores da atribuição de aulas; não menciona que a duzentena foi reduzida para quarentena. Não faz referência à luta que estamos travando por uma nova forma de contratação para este segmento. Não toma conhecimento de que estamos “comprando briga” com os concursados para que entrem em exercício apenas em 2015 para não causar mais desemprego entre os professores da categoria O.
      Como você diz, o número de professores que se mobiliza ainda é pequeno. Quanto maior for este número, maiores serão as conquistas.
      Bebel

      Responder
    • 27. Aparecida maria de lima faria  |  20/05/2016 às 23:25

      Verdade Karina Ivagon eu também só acredito quando tudo se tornar concreto pois só fala em projeto e mais nada.Acaba tudo por enganação.Sou sócia da Apeoesp há anos e não vejo nada de benefício pra nós categoria O. Só falam em projeto, projeto e mais projetos e concreto que é bom nada. Aff só decepção.Por isso acredito também que temos que estar com os pés no chão.Não devemos se alegrar pois podemos nos decepcionar mais uma vez.

      Responder
      • 28. apeoesp  |  22/05/2016 às 19:48

        Prezada professora Aparecida,
        Somos contra essa forma de contratação da categoria O. Entretanto, não é possível dizer que nada de concreto foi feito.
        Inicialmente o contrato era de um ano; hoje é de três anos, podendo chegar a 3 anos e 10 meses para se encerrar no final do último ano.
        Inicialmente havia prova de seleção, que não há mais.
        O direito a faltas será triplicado, dependendo de assinatura do governador. Segundo a SEE, o decreto foi remetido para assinatura. Amanhã cobraremos esta assinatura; se não for assinado, ingressaremos na justiça, pois todas as tentativas já foram feitas.
        Por favor, informe-se melhor sobre as lutas da APEOESP, pois desde de 2009 lutamos contra os abusos do Governo contra os professores da categoria O.
        Bebel

  • 29. giovani  |  25/05/2014 às 18:03

    Boa tarde, para uma mehor qualidade de ensino que se abra a discução sobre a iguldade de direitos trabalhista para categoria O, pois isso é uma vergonha em pleno século 21 exista esse diferença que é uma vergonha p
    ara o movimento sindical atual.

    Ass. Giovani.

    Responder
    • 30. apeoesp  |  01/06/2014 às 14:31

      Prezado professor Giovani,
      Sim, vamos abrir este debate.
      Bebel

      Responder
  • 31. Tânia Loureiro  |  27/05/2014 às 16:15

    Boa conquista, mas ando muito decepcionada com a APEOESP. Como PEBI e efetiva e contribuinte do sindicato a muitos anos, não tenho visto nenhuma contribuição ao meu favor. Recentemente perdi o direito de sair uma aula mais cedo ,o meu salário continua o mesmo, preencho quase todos os requisitos para a prova do Mérito, exceto o fato de ter me removido. Conclusão: não posso ir para uma escola mais próxima da minha casa sem perder o direito de tentar um salário melhor… E aí, o que vcs estão fazendo?

    Responder
    • 32. apeoesp  |  01/06/2014 às 13:44

      Prezada professora Tânia,
      Tudo o que a APEOESP está fazendo está informado neste blog e no site da entidade, além dos boletins e do jornal da entidade. Ao longo dos últimos anos, desde 2009, a APEOESP tem lutado contra todo tipo de restrição à participação na prova de mérito, inclusive judicialmente. Isto, apesar de sermos contrários a esta forma de promoção, a prova, que para nós não avalia corretamente o professor. Por isso, na comissão paritária da carreira, conseguimos uma grande vitória ao criar o memorial do professor como alternativa à prova de mérito. Ainda está em processo de regulamentação, assim como mudanças nos critérios de assiduidade. Você pode procurar o departamento jurídico, na subsede, para verificar se algo pode ser feito no seu caso.
      Nossa luta por maior reajuste salarial em 2014, pela recuperação de nossas perdas, por ganho real de salários, pela equiparação com categorias de nível superior, por condições de trabalho, contra a imposição da Secretaria Escolar Digital e tantas outras são para todos os professores. De 2011 para cá você tem recebido reajustes salariais todos os anos. Creio que é uma contribuição a seu favor. Ou não?
      Bebel

      Responder
  • 33. Lenimar Carvalho de Souza  |  28/05/2014 às 22:36

    Quero saber sobre as férias dos professores da extinta categoria L, foi divulgado que a APOESP tinha ganho na justiça, mas até agora não recebi as férias referente a 2012. Tenho que fazer algum pedido?

    Responder
    • 34. apeoesp  |  01/06/2014 às 13:13

      Prezada professora Lenimar,
      O que ocorre é que solicitamos a efetivação da sentença, mas o Estado recorreu. Por favor, entre em contato com o telefone 11.33506214 e verifique o que você pode fazer para cobrar o pagamento imediato com base na decisão judicial.
      Bebel

      Responder
  • 35. santanacontatos@hotmail.com  |  29/05/2014 às 02:08

    Boa noite Bebel! Parabéns por disponibilizar este espaço para interagir conosco, professores que acreditam na educação.
    Tenho duas dúvidas:
    – Soube que a APEOSP está lutando para adiar a posse para 2015. Isto será possível? Qual é a posição da SEE? Não gostaria de tomar posse no meio do ano por conta dos horários… Posse no meio do ano significa mexer com a vida de todos.
    – Quanto a greve cogitada. Será que realmente devemos entrar em greve, tendo em vista que estamos em contagem regressiva para as férias?

    Um abraço

    Responder
    • 36. apeoesp  |  01/06/2014 às 13:07

      Prezado professor Carlos,
      Espero que muitos leiam sua posição, pois a APEOESP tem sido muito criticada e acusada por defender a posse em 2015. A SEE não se manifesta especificamente sobre nossa posição, mas diz que está pressionada pelo Ministério Público e deve dar posse e exercício ainda neste ano.
      Quanto à greve, nossa posição é que não se pode impor um movimento aos professores. Haverá greve se a base realmente decidir. Na assembleia do dia 30/05 decidiu-se manter o indicativo de greve para o reinício das aulas.
      Bebel

      Responder
      • 37. Fábio  |  01/06/2014 às 15:51

        Bebel, acredito que assim como eu, muitos professores que prestaram o concurso, estudaram muito pra passar e os mesmos na sua grande maioria devem ser categoria O que não aguentam mais essa precariedade de contratação e os absurdos pelos quais passamos na escola, então não acho justo você escolher uma vaga e assumir somente um ano depois, cada um tem aquilo que merece, estou na rede há muito tempo e estou cansado de ser tratado diferente por causa de uma denominação de categoria O. Acho que não tem diferença alguma, os professores que passaram no concurso e escolheram a vaga assumir agora ou no ano seguinte, os professores que estão com essas aulas perderiam de um jeito ou de outro e os mesmos já estão cientes assim como eu do ingresso de professores do concurso, quanto ao aprendizado dos alunos acho que os mesmos não seriam prejudicados, pois a proposta curricular do Estado é unificada, ou seja, o conteúdo é o mesmo em qualquer cidade, onde quem assumir continuará o conteúdo de onde o colega parou, não causando nenhum dano ao aprendizado dos alunos.

  • 38. carlos  |  30/05/2014 às 22:05

    Ola Bebel, fugindo umbpouco do assunto, eu gostaria de saber se o certificado obtido com a resoluçao 2/97 em biologia tambem serve para assumir o cargo de ciencias, pois as faculdades nao oferecem o r2 em ciencias apenas em biologia.
    E possivel entrar com processo para assumir ciencias com o certificado de r2 em biologia?

    Responder
    • 39. apeoesp  |  01/06/2014 às 12:34

      Prezado professor Carlos,
      Creio que sim, mas você precisa de uma melhor informação por meio do departamento jurídico. Se for associado da APEOESP ligue para 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 40. Luiz  |  01/06/2014 às 03:52

    Olá, primeiramente parabéns por mais esta conquista. Sou professor cat. O, extinta cat. L, onde recebia 3 quinquênios, ao passar para a categoria O, deixei de recebê-los. Tem algum prazo previsto para os cat. O começar a receber esses benefícios? Em meu caso, como já recebia tais benefícios anteriormente, há possibilidades de requerer retroativos? Obrigado.

    Responder
    • 41. apeoesp  |  01/06/2014 às 12:22

      Prezado professor Luiz,
      Provavelmente o Estado irá recorrer antes que se inicie o pagamento, mas nosso departamento jurídico tem confiança de que prevalecerá a sentença atual. Procure o departamento jurídico na subsede para ver a possibilidade de requerer o direito imediatamente. A sentença é retroativa a cinco antes da ação, ou seja, 2008. Se já recebia, provavelmente voltará a receber. Boa sorte.
      Bebel

      Responder
  • 42. Luiz  |  01/06/2014 às 04:07

    Fico triste em ver comentários negativos de alguns professores acima. Provavelmente são pessoas acomodadas que ficam a espera de que “as coisas caiam do céu”, e ainda por cima criticando os que batalham para a melhoria da categoria. Parabéns Bebel, parabéns apeoesp pela constante luta, pelo desempenho e defesa de nós professores. Fiquem com Deus.

    Responder
    • 43. apeoesp  |  01/06/2014 às 12:19

      Prezado professor Luiz,
      Muito obrigada.
      Suas palavras nos incentivam a continuar na luta, que depende de todos nós.
      Bebel

      Responder
      • 44. GE A  |  01/06/2014 às 20:59

        Amigos fico feliz por estar participando do debate, as criticas são sempre bem vindas, pois e acredito se não fossem as criticas não existiria sindicato, seja ela negativa ou positiva tem que ser respeitadas e legitimas para uma democracia que queremos para todos e reafirmo direito iguais para todos isonomia direitos iguais. Date: Sun, 1 Jun 2014 12:19:42 +0000 To: giovani.aquino@hotmail.com

  • 45. Rafaela frazão  |  04/06/2014 às 00:27

    Olá Bebel, sou categoria O e peguei o projeto apoio a aprendizagem e PA, gostaria de saber se a licença maternidade é realmente 4 meses, ou ja foi aprovada para ser 6 meses.

    Responder
    • 46. apeoesp  |  08/06/2014 às 14:39

      Prezada professora Rafaela,
      A licença é de 180 dias.
      Bebel

      Responder
  • 47. Luis carlos Guimarães  |  04/06/2014 às 13:42

    qual é o número da Lei Complementar que dá o direito ao professor Categoria O a receber o Quinquenio ???????

    Responder
    • 48. apeoesp  |  08/06/2014 às 14:19

      Prezada professor Luis Carlos,
      Não existe esta lei complementar. Exatamente por isto fomos à justiça. Já há decisão de primeira instância, como publicamos.
      Bebel

      Responder
  • 49. Claudia Barqueta  |  04/06/2014 às 23:30

    Olá, Bebel.
    Desculpe por fugir do tema, mas sou professora categoria F, leciono no estado há mais de 25 anos, também sou filiada a APEOESP. Estou com o seguinte problema, 9 aulas na minha sede e 10 em outra. Um professor efetivo vai ingressar sexta-feira e vou perder 6 e ficarei somente com 3 de turma de ACD, minha diretora me dispensou hoje, disse que meu salário vai reduzir e não preciso mais fazer o ATPC. Questionei sobre completar o restante com horas de permanência (6horas), até então é direito do professor F, mas ela disse que não.
    Gostaria de saber como proceder, tenho direito a horas de permanência?
    Agradeço desde já!

    Responder
    • 50. apeoesp  |  08/06/2014 às 14:17

      Prezada professora Cláudia,
      As horas de permanência são apenas para professores sem aulas atribuídas. Procure o departamento jurídico na sua subsede ou ligue para 11.33506214 para verificar se algo pode ser feito.
      Bebel

      Responder
  • 51. Luiz  |  12/06/2014 às 03:02

    Olá Bebel, td bem? Vc sabe me informar se há mais novidades sobre os quinquênios dos prof. cat O? Sabe se o estado recorreu da sentença? Provável data para inicio do pagamento? será retroativo?
    Obrigado fique com Deus.

    Responder
    • 52. apeoesp  |  14/06/2014 às 14:21

      Prezado professor Luiz,
      Ainda não há confirmação do recurso. Como sabe, a justiça corre lentamente. Ainda não há execução da sentença.
      Bebel

      Responder
  • 53. Paloma  |  16/06/2014 às 00:03

    Bebel como ficará o pagamento do decimo terceiro no final do ano para os professores que estão assumindo agora em julho, já que estamos trabalhando até o momento, se perdemos as aulas vamos receber no final do ano os meses de fevereiro a julho?

    Responder
    • 54. apeoesp  |  21/06/2014 às 15:22

      Prezada professora Paloma,
      Os professores da categoria O, havendo rescisão contratual, devem receber o décimo terceiro salário proporcional ao tempo trabalhado.
      Bebel

      Responder
  • 55. Paulo Camolezi Gallo  |  22/06/2014 às 14:15

    A partir de quando sairá o pagamento dos quinquênios Bebel???

    Responder
    • 56. apeoesp  |  29/06/2014 às 15:52

      Prezado professor Paulo,
      Conforme havíamos assinalado como possibilidade, o governo recorreu.
      Bebel

      Responder
  • 57. Solange Maria da Silva  |  26/06/2014 às 19:50

    Olá Bebel!
    Parabéns, por mais esta conquista de a categoria O receber o quinquênio. Eu era da categoria L e passei a categoria O e com isso perdi o quinquênio que já recebia e não pude entrar com o segundo; agora voltando ao direito de receber, o que vai acontecer comigo? vou receber todo os atrasados e poder entrar com o segundo quinquênio?
    Outra pergunta, como eu sei quanto vale o piso salarial, já que no meu holerite não vem especificado, como sei que meu salário esta certo?
    Até, Solange

    Responder
    • 58. apeoesp  |  29/06/2014 às 16:08

      Prezada professora Solange,
      O Estado recorreu. Quando tivermos a sentença definitiva, você receberá quinquênios retroativos a cinco anos da ação judicial. Para mais informações, ligue para 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 59. Paulo Camolezi Gallo  |  29/06/2014 às 16:30

    Olá Bebel, e foi aceito o recurso dele?

    Responder
    • 60. apeoesp  |  05/07/2014 às 11:52

      Prezado professor Paulo,
      Ainda não há conclusão.
      Bebel

      Responder
  • 61. Vera  |  01/07/2014 às 23:57

    Boa noite, Bebel!

    Você está sabendo dessa ação?

    O supremo tribunal federal julgou procedente uma ação de um servidor público que lutava na justiça pela metodologia de conversão dos seus vencimentos de acordo com a URV.

    Segundo o “Centro Paulista de Apoio Aos Aposentados e Servidores Públicos – CEPAASP” representante do autor da ação, o STF considerou que uma lei estadual não pode estabelecer padrões de conversão, já que é autoridade da União definir regras sobre o sistema monetário. Com a mudança, a Fazenda do Estado de São Paulo foi condenada a fazer o pagamento das diferenças salariais, decorrentes do recálculo dos vencimentos do servidor público Waldivino Belchior, no valor de R$ 212.881, 54.

    O advogado do caso, Dr. Vinícius Fiscarelli explica que outros servidores também têm esse direito, já que a perda da URV foi em todo território nacional. Com isso em qualquer estado e município, servidores estaduais e municipais podem ingressar com a ação, observada a efetiva comprovação do prejuízo. Tem direito servidores públicos aposentados e ativos.

    Esta perda da URV também ocorreu nos depósitos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. Ou seja, pessoas que recolheram ou recolhem FGTS e que tenham começado a trabalhar antes de março de 1994. Além disso, deve-se avaliar, se o município, estado ou união, onde o funcionário presta ou prestou serviço, fez a correta conversão da URV (lei 8.880/94).

    A URV foi instituída em 1994 durante a mudança do cruzeiro como moeda para o real e determinou os critérios de conversão para a moeda. Ficou determinado que os salários deveriam ser convertidos com base no valor estipulado na data de criação da unidade (1º de março de 1994). Mas alguns estados fixaram como base valores da URV de outras datas (que eram inferiores ao de 1º de março), o que gerou perdas nos vencimentos dos servidores.

    O CEPAASP presta esclarecimentos gratuitos para qualquer cidadão, é necessário agendamento prévio, endereços e telefones disponíveis em http://www.cepaasp.org.br/

    Fonte: CEPAASP, Centro Paulista de Apoio Aos Aposentados e Servidores Públicos

    Responder
    • 62. apeoesp  |  05/07/2014 às 11:24

      Prezada professora Vera,
      Muito obrigada pela informação. Passarei ao departamento jurídico.
      Bebel

      Responder
  • 63. ROSI  |  02/07/2014 às 23:08

    Bebel, um dos requesitos para aposentadoria dos profissionais da educação é a idade mínima, esse requsito não poderia ser extinguido e só se levar em conta o tempo de contribuição? Tem muitos professores com 25 ou 30 anos de efetivo exercício, porém sem idade mínima, não há nada que se possa fazer? Desculpe minha ignorância, mas essa questão já foi discutida?
    Fique com Deus!

    Responder
    • 64. apeoesp  |  05/07/2014 às 11:09

      Prezada professora Rosi,
      Este assunto foge do âmbito estadual. Trata-se de lei federal. O funcionalismo federal e de todos os entes federados lutaram muito contra isso, mas não foi possível evitar.
      Bebel

      Responder
  • 65. ROSI  |  04/07/2014 às 20:58

    Bebel, esse negócio dos novos efetivos acumularem também como F irá complicar muito a situação dos reprovados no concurso, a APOESP não fez nada para que isso não acontecesse? A APOESP é a favor dessa situação? Precisamos de um salário digno e não de acúmulo de trabalho!

    Responder
    • 66. apeoesp  |  05/07/2014 às 10:19

      Prezada professora Rosi,
      A APEOESP é favorável a salários dignos para que professores não tenham que acumular. A APEOESP vem lutando constantemente por reajustes salariais e por aumento real. Nossa luta neste momento é por 17,9% de reajuste e por um plano que nos permita alcançar 75,33% de reajuste para equiparação com as categorias com formação em nível superior, como determina a meta 17 do PNE.
      Para isso, realizamos várias assembleias durante o primeiro semestre, assim como realizamos uma greve em 2013, que nos permitiu alguns avanços pontuais.
      Neste comentário você diz que a APEOESP não fez nada, mas isto não é verdade. Quando o governo enviou o projeto de lei dos concursos, permitindo o acúmulo, nos manifestamos contra e convocamos assembleia para lutar por salário. Creio que você tenha participado das assembleias e ajudado a mobilizar sua escola para que tenhamos um salário digno, não? Infelizmente, nem todos fizeram como você e ainda não tivemos força para mudar a situação, pois os deputados aprovaram o projeto do governo.
      Agora, temos uma nova chance de colocar a categoria muito mobilizada para fazer o governo nos atender e negociar os salários. No dia 15 de agosto temos assembleia estadual, às 14 horas, na Praça da República, com paralisação e indicativo de greve. Novamente você estará lá com os colegas da sua escola. Se centenas, milhares de professores seguirem seu exemplo, poderemos ter um grande movimento que fará o governo recuar em muitos pontos.
      A união e a mobilização é que garantem nossas vitórias. Esperar que a diretoria da APEOESP, isoladamente, conquiste tudo, é acreditar que este governo é bom, compreensivo e que cuida do nosso bem estar.
      Bebel

      Responder
  • 67. ROSI  |  05/07/2014 às 12:45

    BEBEL, ACREDITO QUE EU NÃO TENHA ME EXPRESSADO CORRETAMENTE, NÃO ESTOU ACUSANDO DE FORMA ALGUMA A APOESP PELO QUE VEM ACONTECENDO, SEI QUE ESTA LUTA É NOSSA, EU SÓ GOSTARIA DE SABER A POSIÇÃO DA APOESP E EXISTE A POSSIBILIDADE DO EFETIVO NÃO ACUMULAR COMO F. MAS DESDE JÁ PARABENIZO SEU TRABALHO E ESFORÇO!

    Responder
    • 68. apeoesp  |  13/07/2014 às 15:37

      Prezada professora Rosi,
      A lei faculta essa possibilidade. Somos contra acúmulos por princípio. Queremos que todos os professores tenham salários adequados, possam se dedicar a apenas uma unidade escolar, com jornada de trabalho condizente com sua função de educador. Infelizmente, essas não são as condições atuais.
      Bebel

      Responder
  • 69. ROSI  |  05/07/2014 às 12:47

    BEBEL, TENHO OUTRA DÚVIDA: TRÊS MESES ANTES DAS ELEIÇÕES CONCURSADOS PODEM TOMAR POSSE?
    FIQUE COM DEUS!

    Responder
    • 70. apeoesp  |  13/07/2014 às 15:35

      Prezada professora Rosi,
      Sim, em concursos homologados antes de 3/7.
      Bebel

      Responder
  • 71. Lidia  |  06/07/2014 às 21:46

    Ola Bebel !!
    Fui chamada para lecionar na prefeitura de são paulo, mas tenho aulas no estado que esta batendo com o da prefeitura….gostaria de saber que eu sendo Categoria F, posso declinar algumas aulas para ficar com a carga reduzida que são 12 aulas ?? desde já agradeço a atenção.

    Responder
    • 72. apeoesp  |  13/07/2014 às 15:06

      Prezada professora Lídia,
      O professor não pode abrir mão de aulas, a não ser por razões plenamente justificáveis. Informe-se melhor pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 73. Nascimento  |  07/07/2014 às 14:17

    Olá Bebel e a todos que seguem este site. Gostaria de compartilhar a minha opinião, que certamente, vai ao encontro do que pensa todos os professores realmente preocupados com as causas educacionais.

    Sou contra todo e qualquer aumento salarial aos professores que não esteja relacionado à meritocracia, seja por via acadêmica, obtenção de resultados, avaliações ou coisas do tipo.

    Infelizmente, é muito triste constatar a existência de profissionais extremamente desqualificados, que se dizem professores, contribuirem para a destruição da educação paulista. É um absurdo que se permitia a qualquer um que tenha um diploma de tecnólogo ou bacharelado, expedido por pseudos instituições de ensino superior, a entrada em sala da aula. Para que meu Deus? Para traumatizar as nossas crianças, ensinando coisas erradas? Dizer que as apostilas disponilizadas pelo estado (diga-se de passagem, desenvolvidas por profissionais altamente gabaritados) não servem para nada?

    Sou professor recém formado pela PUC-SP, sempre quis dar aula no Estado, pois acredito que se queremos ter uma educação padrão Fifa, temos de ter professores padrão Fifa atuando na rede pública. Este ultimo concurso que teve, foi o primeiro que prestei, passei sem qualque dificuldade. Fico imaginando, qual o motivo que leva um professor que está lecionando a dez anos na rede pública, não ser capaz de passar em um simples concurso, uma prova redícula, que no caso de matemática, qualquer aluno de 8ª série de um colégio de médio porte seria capaz de gabaritar?

    E o que é pior, este “profissional” reprovado continua tendo o direito de dar aulas. Insisto na pergunta, para que meu Deus? Para continuar a espalhar sua ignorância para os nossos alunos?

    Conheço bem a realidade das escolas estaduais paulistas, e desafio a qualquer professor que atua na rede, dizer que estou mentindo; grande parte do nosso professorado é composta por pessoas desqualificadas e acomodadas que, pouco se importam se estando ensinando alguma coisa ou não, preocupando-se apenas com o seus vencimentos no final do mês.

    Agora pergunto, essa parcela de professores, que todos nós sabemos que existe, merecem aumento?

    Responder
    • 74. apeoesp  |  13/07/2014 às 14:48

      Prezado professor Nascimento,
      Você, como todo cidadão, tem o direito de ter sua opinião, que por sinal coincide com a do governo do PSDB. Eles vem aplicando em SP a tal meritocracia (que individualiza o fazer pedagógico e coloca professores para concorrerem uns com os outros) e o que isto resultou de bom para a educação pública paulista? Não precisamos ir muito longe para verificar.
      A educação é um processo coletivo. Ela está condicionada por múltiplos fatores,que vão muito além do esforço individual ou do resultado final dos estudantes.
      Como se espera que professores sejam bem avaliados em provas de conhecimentos (que tem determinado recorte e não necessariamente avaliam a capacidade profissional do docente), se estão submetidos a péssimas condições de trabalho, jornadas estafantes, escolas sem infraestrutura, classes superlotadas, violência nas escolas, ausência total de formação continuada, assédio moral e tantas outras deficiências?
      Como o Estado espera avaliar o professor sem avaliar-se a si mesmo, com suas políticas educacionais impostas de cima para baixo, apostilamento do processo educativo e outros maus exemplos de atuação no setor?
      Lamento que você, recém-formado, inicie sua carreira desprezando a experiência e o empenho dos professores da rede estadual de ensino e os chame de desqualificados. Há muita desqualificação, isto sim, na forma que você escolheu para realizar esta discussão, ofendendo e desprezando uma categoria valorosa, que se dedica diuturnamente a formar nossas crianças e jovens, em que pesem todas as dificuldades que enfrentam. Lamento.
      Bebel

      Responder
      • 75. Nascimento  |  14/07/2014 às 19:34

        Sou professor e me orgulho muito, mais muito mesmo de ser professor e ainda mais, por lecionar como professor efetivo da rede pública paulista. Leciono também em uma escola particular de elite, onde as mensalidades ultrapassam os dois mil e quinhentos reais. Para dar aula nesta escola, o professor no mínimo precisa dominar o conteúdo que leciona. Por que os filhos da elite paulista tem o direito de ter aula com professores bons, bem formados e preparados e os filhos dos trabalhadores têm de se contentar em ter aulas com “professores” desqualificados, despreparados, medíocres e que sequer dominam o próprio conteúdo que lecionam?

        Entendo que em sua posição, a senhora precisa ter o voto do maior número possível de professores para se eleger, e daí a tentativa de tampar o Sol com a peneira; grande parte dos professores das escolas públicas, são sim, desqualificados, despreparados, não dominam o mínimo das matérias que lecionam e em muitos casos o próprio idioma. E estão no estado para quê? Estão em busca de uma “graninha” fácil, não ter chefe, trabalhar de segunda a sexta sem precisar prestar contas a ninguém, e os alunos? Os alunos que se percam! Infelizmente é assim que pensa grande parte de gente que se diz professor e entra no estado apenas em busca de estabilidade ou alguma vantagem própria esquecendo-se de seus deveres como educadores.

        O que precisamos é de meritocracia! Como cidadão não quero ver o dinheiro suado dos meus impostos irem parar ao esgoto, ao se dar aumento a professores medíocres que não fazem nada para merecê-lo. Queimar apostilas ou parar o trânsito não é mérito para angariar um aumento salarial; estudar, se qualificar se especializar, isso sim é um critério para se tê-lo.

        Reveja o que a senhora escreveu: “Como se espera que professores sejam bem avaliados em provas de conhecimentos (que tem determinado recorte e não necessariamente avaliam a capacidade profissional do docente)”. Dominar o conteúdo que se leciona, de forma alguma, é condição suficiente e necessária para ser um bom professor. Mas é sim, condição necessária! É o mínimo que devermos esperar de um professor! ” provas de conhecimentos (que tem determinado recorte…. “. Determinado recorte? Não! Conteúdos, quando relacionados a Matemática, Português e etc, esperados que um aluno ao, terminar o ensino médio, saiba.

        Felizmente, há professores bons no estado, pena que não seja todos. A categoria dos professore é sim muito valorosa. A dos professores, e não desses indivíduos desvalorados que se dizem professores e se orgulham de espalhar suas ignorâncias aos filhos dos trabalhadores paulistas, esses que não têm condições de pagar altas mensalidades de um colégio particular para que suas crianças tenham aulas de qualidade com professores de qualidade.

      • 76. apeoesp  |  19/07/2014 às 14:38

        Prezado professor Nascimento,
        Quem pretende tampar o sol com a peneira é o senhor. Se ministra aulas em escola da elite, com mensalidade do valor que aponta, deve saber muito bem comparar as situações. Seu discurso é individualista e desconsidera todos os fatores que condicionam o processo ensino-aprendizagem. Para se ter educação de qualidade é preciso haver políticas educacionais que não considerem professores empregados do Estado, meras peças de um engrenagem, mas que os veja como seres humanos que são, assim como seus alunos. É preciso infra-estrutura, gestão democrática que lhes dê possibilidade de participação efetiva em um processo que é coletivo e não individualizado como o senhor concebe. Na educação, o mérito é da equipe, é do coletivo. Não se faz educação pública estimulando competitividade.
        Bebel

  • 77. Monica  |  08/07/2014 às 01:01

    Bebel, saiu o meu resultado não apto para o concurso PEB II, porém eu não consegui fazer o pedido de reconsideração no prazo estabelecido de 5 dias. Será que ainda posso fazer o pedido? Eles podem recusar? Oque eu faço?

    Responder
    • 78. apeoesp  |  13/07/2014 às 14:12

      Prezada professora Monica,
      Sim. Podem recusar por estar fora do prazo. Oriente-se pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 79. Patricia  |  08/07/2014 às 01:31

    Boa noite professora Bebel!
    Gostaria de saber se o sindicato tem alguma orientação aos professores que estão sendo considerados não aptos. Principalmente nos casos de serem considerados inaptos devido a licenças psiquiátricas posteriores. Desde de já agradeço.
    Patricia.

    Responder
    • 80. apeoesp  |  13/07/2014 às 14:11

      Prezada professora Patricia,
      A orientação é protocolar recurso e, depois, procurar o departamento jurídico na subsede para ajuizar ação judicial.
      Boa sorte.
      Bebel

      Responder
  • 81. GLÓRIA P. BONATTI ROSA  |  08/07/2014 às 13:08

    Bebel
    Por que os sites de diretoria e da secretaria estadual estará indisponível somente após as eleições?Não me recordo que tenha ocorrido tal situação.E se precisarmos de informações.
    Obrigada

    Responder
    • 82. apeoesp  |  13/07/2014 às 14:08

      Prezada professora Glória,
      Vamos verificar isto. Pode se tratar de alguma mudança na legislação eleitoral, mas realmente é estranho.
      Bebel

      Responder
  • 83. Julia  |  16/07/2014 às 17:07

    Bebel
    Pelo que percebi muitas coisas mudaram em relação ao categoria O que mais uma vez esta passando por humilhações e constrangimento, vejo amigos que perderam aulas justamente no mês de julho. Bebel acredito que todos que passaram no concurso poderiam de alguma forma terem assumido logo no início de 2015 e não teriam tanto acúmulos como o que esta acontecendo, percebo que o sindicato não comentou ou se manifestou contra esta decisão deste governo que mais uma vez quer professores fora da escola, mais uma pergunta o que vai acontecer com estes professores que ficaram sem aulas já que o site de todas as diretorias esta indisponível estranho a senhora não acha?

    Responder
    • 84. apeoesp  |  19/07/2014 às 13:37

      Prezada professora Julia,
      Creio que você não tenha visitado nosso site (www.apeoesp.org.br) ou mesmo lido este blog durante todo esse período. Nem mesmo lido nossos boletins.
      Esse assunto foi objeto de deliberação em assembleia da APEOESP e gerou intensa polêmica entre os professores, justamente porque (não uma ou duas, mas várias vezes) manifestamos nossa posição de que os professores concursados só deveriam tomar posse em 2015 e não no meio do ano. Levamos essa posição ao Secretário da Educação que dizendo-se pressionado pelo Ministério Público, manteve a posse no meio do ano.
      Creio que a crítica é sempre bem vinda, mas ela deve ser precedida de uma informação correta.
      Bebel

      Responder
  • 85. Ivone  |  16/07/2014 às 17:39

    Sr Nascimento
    Acredito que o sr não faça parte do professorado da rede pública e talvez não tenha presenciado salas super lotadas, caso contrário não estaria se gabando por ter passado neste concurso, talvez o sr faça parte do PSDB, que nada nos oferece, lamento muito pelo sr ter se formado na PUC-SP, me formei na USP e leciono porque tenho amor a minha profissão caso contrário senhor Nascimento teria a muito tempo desistido da educação que hoje esta falida e não é por culpa de professores como você diz.

    Responder
  • 86. Lidia  |  16/07/2014 às 21:03

    Olá Bebel !
    Em qual situação o professor categoria F, pode perder sua categoria…em qual artigo está ? agradeço desde já a atenção.

    Responder
    • 87. apeoesp  |  19/07/2014 às 13:29

      Prezada professora Lídia,
      O professor da categoria F não perde essa condição. Se não obtiver aulas, fica com horas de permanência na escola.
      Bebel

      Responder
  • 88. Nick  |  19/07/2014 às 21:35

    Olá! Gostaria de saber se os professores que se efetivaram agora, e carregaram a pontuação do categoria O, tem direito ao quinquênio (retroativo).
    ps; No meu caso, tenho mais de 6 anos de magistério como categoria O (antigo categoria L), e pontuação acima pra receber o quinquênio.
    Obrigado

    Responder
    • 89. apeoesp  |  27/07/2014 às 16:54

      Prezado professor Nick,
      Estamos lutando na justiça para os professores da categoria O e F tenham esse direito. Até que tenham, esse tempo não conta para este efeito.
      Bebel

      Responder
  • 90. Luiz  |  23/07/2014 às 21:34

    Sr Nascimento, é lamentável que exista pessoas tão hipócritas e arrogantes como o senhor. O fato de lecionar em escola de “elite” não o faz melhor que ninguém. Suas “qualificações” e “preparo” que o senhor diz ter, pode uma hora dessas vir por água abaixo. Ninguém é insubstituível, e, acredito que a humildade, é soberana a qualquer outro preparo que o ser humano “acredita” ter. O senhor esta se auto elogiando, pura ignorancia a sua, pois elogios a nosso respeito, devem partir de pessoas capazes de perceber nossas capacidades e competências. Seja mais humilde.

    Responder
  • 91. Mateus  |  17/08/2014 às 14:51

    Gostaria de fazer duas perguntas:
    Haverá duzentena para os professores da categoria O em 2015?

    Haverá uma terceira chamada para o concurso ainda esse ano?

    Responder
    • 92. apeoesp  |  30/08/2014 às 14:18

      Prezado professor Matheus,
      Estamos trabalhando para derrubar a duzentena. A SEE diz que já encaminhou o projeto às áreas técnicas e jurídicas do governo.
      Quanto ao concurso, não haverá terceira chamada neste ano.
      Bebel

      Responder
  • 93. Sylmara  |  27/08/2014 às 22:37

    Boa noite! Desculpe- me mas ainda nao entendi direito a questão se haverá ou não haverá prova para categoria O no ano de 2014. Sou categoria O e atuo no ensino fundamental I desde fevereiro de 2013. Como ficará minha situação mediante a isso, se que não houve concurso para peb1 ?

    Grata

    Responder
    • 94. apeoesp  |  30/08/2014 às 13:06

      Prezada professora Sylmara,
      Não haverá prova. A atribuição será feita primeiro para quem tem a nota do concurso. Depois, em cadastro emergencial, para os demais.
      Bebel

      Responder
  • 95. Flavia  |  01/09/2014 às 16:34

    Olá Bebel tudo bem ? Sou Categoria O, PEB II e tenho uma dúvida : Haverá a prova anual de atribuição de aula este ano? Uns dizem que sim, outros que não…estou confusa ….
    Obrigada

    Responder
    • 96. apeoesp  |  06/09/2014 às 12:32

      Prezada professora Flávia,
      Não haverá. Professores com contrato em vigor atribuem aulas em primeiro lugar. Em segundo, os que obtiveram nota no concurso de PEB II. Se houver necessidade, será aberta a contratação de outros professores, como cadastro emergencial.
      Bebel

      Responder
  • 97. Lilian  |  03/09/2014 às 14:50

    ontem fiquei extremamente indignada com a forma que os cat O são tratados!!! Minha filha teve 40° de febre levei ao hospital e fiquei o dia todo lá com ela… a médica deu um atestado de acompanhante fui levar na secretaria da escola e fiquei sabendo que serve pra nada aquele atestado, ou seja, tive que abonar !!! Ai a secretaria me informa ainda que só tenho direito a 2 abonadas no contrato inteiro!!!! gente somos professores como os outros no meu ponto de vista o que é direito de um é direito do outro pois trabalhamos da mesma forma!!!! desculpe meu desabafo

    Responder
    • 98. apeoesp  |  06/09/2014 às 12:07

      Prezada professora Lilian,
      Acredite, a indignação é todos nós. Desde de 2009, quando essa legislação foi criada, temos lutando com todas as nossas forças para que essa forma de contratação tenha fim. Ela é desumana e não garante direitos básicos. Continuamos lutando por uma nova forma de contratação, respeitosa e humana. No dia 25 de setembro, às 10 horas, na Avenida Paulista, temos assembleia, mais uma etapa dessa e de outras lutas.
      Bebel

      Responder
  • 99. Teresinha  |  05/09/2014 às 11:51

    Olá, Bebel.
    Tenho 5 anos de setor privado e 27 no estado com as licenças, pois tive câncer duas vezes.. 52 de idade. Minha secretária disse que tenho que ficar até os 55 anos.Estou decepcionadíssima, pois achava que me aposentaria este ano. Por favor me ajude, Bebel.QUERO ENTRAR NA JUSTIÇA, POIS COM CÂNCER COMO IRIA TRABALHAR? E ,agora tenho que pagar pelo tempo que fiquei fora? Estou arrasada.

    Responder
    • 100. apeoesp  |  06/09/2014 às 11:49

      Prezada professora Teresinha,
      Você deve procurar o departamento jurídico na subsede de sua região ou na sede central para ajuizar mandado de segurança. Ingressamos com ação coletiva, que está tramitando, mas infelizmente não obtivemos liminar.
      Boa sorte.
      Bebel

      Responder
  • 101. karine  |  05/09/2014 às 15:32

    Boa tarde! Não entendi como funcionará a atribuição para categoria O ( Peb I)… Sempre ocorre que 1º os efetivos atribuem e em seguida a categoria F… Depois com base na nota da prova nós (O) atribuímos e agora como funcionará se não houve nota? Permanece a nota anterior? Ouvi dizer que as escolas escolherão com qual professor (categoria O) irão ficar e os demais como ocorrerá…? Está tudo muito confuso…
    Aguardo resposta,
    Grata, Karine

    Responder
    • 102. apeoesp  |  06/09/2014 às 11:45

      Prezada professora Karine,
      Segundo a SEE, não haverá prova este ano (e sempre fomos contra essa prova). Primeiro atribuem os que tem contrato em vigor, em seguida os que obtiveram notas no concurso recentemente realizado. Havendo necessidade, será aberto cadastro de emergência para contratação.
      Bebel

      Responder
  • 103. Rosangela  |  06/09/2014 às 01:52

    Boa noite Bebel, tudo bem? Recebi recentemente um convite para ser coordenadora na UE na qual me efetivei;Porém, qual não foi minha surpresa, quando a diretora, também decepcionada disse que não seria possível, pois teria que ter no minimo tres anos de magisterio.Então te pergunto: todos os anos que trabalhei como categoria O não eram exercicio de magisterio???? Trabalho na rede ha 05 anos e não era considerada docente para o Estado????Estou indignada, pois meu objetivo era fazer o melhor para a UE na qual me efetivei….mas me sinto desanimada em trabalhar para uma instituição que desvaloriza totalmente sua classe de professores. Eu poderia fazer algo para mudar essa situação????
    Boa noite e obrigada pela atenção

    Responder
    • 104. apeoesp  |  06/09/2014 às 11:28

      Prezada professora Rosangela,
      Fico igualmente indignada. Esta forma de contratação é realmente aviltante. Seu trabalho como categoria O é, sim, experiência e serviços prestados à rede estadual de ensino e deveria ser computado.
      Por favor, peço que ligue para 11.33506214 ou procure o departamento jurídico na subsede, para verificar se algo pode ser feito juridicamente para que este tempo seja contado, pois vale para atribuição de aulas.
      Bebel

      Responder
  • 105. Denise neves de souza vieira  |  11/09/2014 às 02:46

    categoria o é muito triste depois de tanto tempo dando aula ,não temos direito a nada nem uma novidade até agora ?

    Responder
    • 106. apeoesp  |  13/09/2014 às 13:15

      Prezada professora Denise,
      Não. No caso do pagamento dos quinquênios e sexta parte houve recurso do Estado e continua sub judice.
      Bebel

      Responder
  • 107. Maria  |  24/09/2014 às 21:14

    Fiquei sabendo de algumas colegas que conseguiram mudar de categoria, entraram com ação em grupo como eu entrei, fico indignada porque alguns conseguem outros não, eu tenho 25 anos de Estado sou categoria O, quero saber qual o critério que eles usam?

    Responder
    • 108. apeoesp  |  27/09/2014 às 12:28

      Prezada professora Maria,
      Você deve procurar o departamento jurídico na subsede. Sem ironias, também gostaríamos de saber que critérios o judiciário usa, pois cada juiz decide de uma forma diferente.
      Boa sorte.
      Bebel

      Responder
  • 109. César  |  07/10/2014 às 14:37

    Bom dia Bebel. Sobre o tópico:

    Obtive a informação de que os professores que já trabalharam como categoria O poderão agregar o tempo de serviço ao cargo efetivo para fins de quinquênio. ( A informação referida foi publicada em sites de professores, e comenta-se que preciso de tempo de serviço referente ao período em que trabalhei como O ). Porém, a minha D.E. me respondeu o seguinte:

    “Bom dia Prof. César!

    O tempo de Categoria O não é computado para fins de quinquenio, somente para fins de aposentadoria mediante certidão de tempo expedida pelo INSS.

    Atenciosamente,

    Irozita
    DE Itu / NFP”

    A minha dúvida é, -caso a prerrogativa acima seja verdadeira-: que documentos terei de levar ao INSS? Preciso comparecer na D.E. ou pedir algum documento na minha sede escolar?

    Att,
    César

    Responder
    • 110. apeoesp  |  11/10/2014 às 11:39

      Prezado professor César,
      Sim, é preciso que ingresse com ação judicial para que o tempo seja contado para todos os fins. Procure a sua subsede.
      bebel

      Responder
  • 111. dimas vanderlei de medeiros  |  16/10/2014 às 17:23

    ola, boa tarde, olha Bebel, eu entrei com acao na justica porperda de vencimentos, ha 2anos quem pegou a acao foi a Dr. Tatiana de sao Paulo, passou muito tempo ninguem me informava de nada, foi o maior pouco caso, e eu esperando, depois de muito tempo me imformaram que la nao poderia dar continuidade tinha que ser aqui em itarare no Foro, isso depois que se passaram 2anos, procurei a Apeoesp de Itapeva, o caso da minha acao ficou com o Dr. Fravio, para dar continuidade no processo, ja esta fazendo quase um ano e nada, todo dia consulto no Tjsp para ver se saiu alguma coisa nada, olha nao da para entender , poque ninguem quer saber de ninguem, ninguem informa nada.Me ajude por favor.Obrigado.

    tj

    Responder
    • 112. apeoesp  |  18/10/2014 às 12:11

      Prezado professor Dimas,
      Em primeiro lugar, em nome da APEOESP, peço desculpas pelo ocorrido. Obviamente, preciso verificar junto aos advogados citados o que ocorreu, mas o princípio básico é de que o associado não pode ser prejudicado, em hipótese alguma. Sabemos que os processos judiciais são demorados, mas não podemos cometer falhas. Na segunda-feira pedirei informações sobre o ocorrido e sobre a situação atual do seu processo.
      Bebel

      Responder
  • 113. dimas vanderlei de medeiros  |  22/11/2014 às 16:32

    olaboa tarde, olha, continuo esperando como sempre sem resposta nem uma logogo termina o ano e nada. Infelizmente nao da para entender.Mas continuo aguardando, me ajude pelo amor de Deus.

    Responder
    • 114. apeoesp  |  25/11/2014 às 11:24

      Prezado professor Dimas,
      O que ocorreu neste caso, professor, é que a ação veio para a sede central, foi ajuizada, porém, foi extinta sem julgamento de mérito. O Juiz entendeu que deveria ser ajuizada na comarca em que você reside.
      Dessa forma, o departamento jurídico já tomou providências para que a ação seja novamente ajuizada pela advogada da região, Drª Meire. Caso persistam problemas, por favor entre em contato novamente.
      Bebel

      Responder
  • 115. dimas vanderlei de medeiros  |  01/12/2014 às 15:06

    OLA,boa tarde, por gentileza, como foi dito agora a acao foi ajuizada pela Dra Meire, eu gostaria de entrar encontato com amesma, como ninguem nos informa nada e o interessado e eu, como faco para entrar em contato. Agradeco muito, porque sei que voce Bebel fz todo o possivel para nos ajudar fique com Deus.

    Responder
    • 116. apeoesp  |  01/12/2014 às 19:17

      Prezado professor Dimas,
      Você deve entrar em contato com a subsede para falar com a advogada.
      Bebel

      Responder
  • 117. Nivea  |  09/12/2014 às 17:52

    Quanto a materia acima, como anda a situação do Cat O em relação ao quinquênio, as DEs estão concedendo ou é preciso entrar na justiça para receber o quinquenio?

    Responder
    • 118. apeoesp  |  13/12/2014 às 15:31

      Prezada professora Nívea,
      Você precisa entrar em contato com o departamento jurídico na subsede para orientar-se sobre o procedimento para que o Governo pague o quinquenio.
      Bebel

      Responder
  • 119. dimas vanderlei de medeiros  |  13/12/2014 às 16:09

    Ola Bebel, eu sou professor Dimas vanderlei de Medeiros, olha sinceramente nao da para acreditar o tamanho do descaso da forma que somos tratados, sexta feira estive na Apeoesp de itapeva , para obter informacoes sobre o andamento da acao que ja comecei em 2012, Por ultimo oDr, Fravio de itapeva, me adiantou que ele ia dar continuidade ao caso, fiquei tranquilo, derrepente passou o caso para a Dr, Meire, perguntei para a secretaria se ela podia me informar sobre ocaso, simplesmente, me respondeu com o maio pouco caso, que estava tudo parado.Eu acho, que todos acham que professor e um palhaco, Ninguem age, quando agente pensa queo caso ja deu certo, vai atras, esta tudo parado.Nao da para entender.Eu pedi o Email, para eu entrar em contato com a Dr. Meire, nao me deram.Me ajude por favor.Oano ja terminou e o meu caso ta parado isso que ja faz 3 anos.Obrigado.

    Responder
    • 120. apeoesp  |  20/12/2014 às 15:22

      Prezado professor Dimas,
      Anotei seu caso para questionar o departamento jurídico e a subsede sobre o que vem ocorrendo.
      Bebel

      Responder
  • 121. Luiz  |  20/01/2015 às 00:12

    Ola Bebel tudo bem? Gosaria de saber sobre os quinquenios do prof cat O, como esta a ação na justiça, há alguma novidade? Em tempo, eu recebia 3 quinquenios quando era categoria L, será que posso entrar com ação individual na apeoesp para tentar a reativação dos mesmos na categoria O? Obrigado e um grande abraço.

    Responder
    • 122. apeoesp  |  25/01/2015 às 11:35

      Prezado professor Luiz,
      Vencemos a ação em primeira instância e pedimos a execução, mas o Estado recorreu. O processo está em tramitação.
      Bebel

      Responder
  • 123. Julia  |  04/02/2015 às 03:03

    Fico Indignada com a forma que somos tratados por este governo corrupto, percebo que ele quer acabar com a categoria O para ele somos os transtornos na educação tantos anos de estudo e de trabalho e agora estou abandonando a educação melhor vender bala no farol cansei de ficar implorando por migalhas oferecidas em cada atribuição, sinto por amigos que insistem em continuar lecionando.

    Responder
    • 124. apeoesp  |  07/02/2015 às 13:01

      Prezada professora Julia,
      Compreendo sua decepção e revolta. Trata-se de um governo realmente desumano, também em outras áreas. Nós queremos mudar isso. Uma de nossas reivindicações é que haja uma nova forma de contratação de professores temporários, que garante direitos, sem duzentena ou quarentena. Espero que possamos contar com seu apoio, para que novas condições permitam que você continue a lecionar.
      Bebel

      Responder
  • 125. Julia  |  25/02/2015 às 03:29

    Olá Bebel!
    Agradeço pelas palavras, sei da sua luta em favor da nossa categoria tenho acompanhado pelos jornaizinhos que recebo em casa pois sou filiada ao sindicato. Bebel tenho tentado me dedicar o mais que posso para estar na educação, não tenho só uma licenciatura mais três isto vem provar o amor que tenho por lecionar, mas infelizmente não somos nem um pouco reconhecidos e nossas contas não espera. Obrigada!

    Responder
    • 126. apeoesp  |  28/02/2015 às 13:00

      Prezada professora Julia,
      Boa sorte. Abraço.
      Bebel

      Responder
  • 127. dimas vanderlei de medeiros  |  29/05/2015 às 20:55

    Boa tarde Bebel, mais uma vez volto a entrar em contato com Vsa, pois nao estou entendo qual o maneira que a Apeoesp de Itapeva, esta me tratando, pois entrei em contato com a secretaria da Apeoesp em Itapeva no mes de maio, pois ela me disse que o ajandamento com o advogado so seria no comeco de junho, hoje liguei pra ela , pois ela me disse que ja houve 2 audiencias, e agora nao nao pode mais ajendar, olha sinceramente nao sei onde recorrer, a ultima vez que tive contato com ele ele medisse que ia estudar o caso e ja ia entrar em contato comigo, ate agora nada. Sera, que vou ter que arrumar um advogado particular, para dar continuidade no processo , porque meu caso e dar continuidade no processo. Tel, para contato, 15 35322974ou 996314825, conto com asua ajuda pelo amor de Deus. Obrigado.Aguardo.

    deus.

    Responder
    • 128. apeoesp  |  30/05/2015 às 18:17

      Prezado professor Dimas,
      Vou entrar em contato com a subsede para entender como vai esse caso.
      Bebel

      Responder
  • 129. dimas vanderlei de medeiros  |  28/06/2015 às 17:33

    PREZADA bEBEL, MAIS UMA VEZ ESTOU PEDINDO SOCORRO, eu procuro o advogado aqui na Apeoesp de Itapeva, na esperança que já esta tudo dando certo qual e a resposta, nem os meus documentos que estão com o Dr. Flavio , estão com ele, resumindo não esta fazendo nada, isso porque já comessei em 2012, e mai que uma brincadeira, quando eu penso que esta dando continuidade no processo , nada nem os papeis sabe onde esta. Me ajude pelo amor de Deus. Agradeco.Aguado socorro.

    Responder
    • 130. apeoesp  |  05/07/2015 às 14:10

      Prezado professor Dimas,
      Estou solicitando novas informações ao departamento jurídico.
      Bebel

      Responder
  • 131. dimas vanderlei de medeiros  |  21/07/2015 às 19:18

    Prezada Bebel, você que e uma pessoa maravilhosa e esta sempre empenhada em nos ajudar, olha esses dias conversei com a secretaria da Apeoesp de Itapeva, ela me disse que tinha sido protocolado, mas não me explicou mais nada o que isso significa que o advogado já deu entrada aqui no foro de Itararé onde moro, e sera que ira demora muitos anos ainda, porque jquando eu dei entrada nesse processo foi em 2012com a Dr. Tatiana já se passaram 4anos, me ajude pelo amor de Deus para acelerar essa acao o mais rápido possível, porque enguanto isso venho recebendo so por 104 mensais emquanto deveria ser 150.Mas sei que Deus e pai e através de vosse tudo vai dar certo. Agradeco.atencao.

    Responder
    • 132. apeoesp  |  26/07/2015 às 11:50

      Prezado professor Dimas,
      O assunto está sendo encaminhado pelo departamento jurídico. Tudo está sendo feito para agilizá-lo.
      Bebel

      Responder
  • 133. Andressa Ortiz  |  05/08/2015 às 14:58

    Bom dia Bebel

    Referente a nossa luta pra que acabe a duzentena, me foi informado que o contrato agora seria de 3 anos e 180 dias parados.
    Quero mais informações a respeito, já é o meu terceiro contrato e esse ano ele encerra, como ficará minha situação?

    Obrigada

    Responder
    • 134. apeoesp  |  09/08/2015 às 12:37

      Prezada professora Andressa,
      De fato, essa é a proposta que o o governo nos informou, mas é preciso que envie para aprovação da ALESP, o que ainda não fez.
      Bebel

      Responder
  • 135. Marina  |  01/10/2015 às 23:18

    Bebel! A lei 51/2015 já está valendo?

    Responder
    • 136. apeoesp  |  03/10/2015 às 16:13

      Prezada professora Marina,
      É projeto de lei. Terá que ser aprovado na ALESP para entrar em vigor.
      Bebel

      Responder
  • 137. dimas vanderlei de medeiros  |  24/11/2015 às 12:39

    prezada Bebel, venlho mai uma vez, urgentemente, uma ajuda, olha, estou correndo atra de ad.da Apeoesp, desde 2012, parece brincadeira, quando o Dr. Flavio, de Itapeva da subsede de itapeva pegou a continuidade do meu processo fiquei tranquilo, logo imaginei que quando voltasse na Apeoesp de Itapeva, ja teria uma resposta positiva do andamento do processo, sabe qual foi a decepcao/ Ele nao era mais ad. da Apeoes, os meus documentos do processo estava com ele a varios meses, tudo parado, agora veio o Dr. Reinaldo dai da Apeoesp de Sao paulo, agora ele me pediu todos os documentos para dar entrada ate o final de novembro senao passa dos 5 anos, Agora eu nao sei se ele ja deu entra no Foro de Itarare ou nao. Me ajude por favor, estou desesperado, porque se entrar em contato com a secretaria da Apeoesp a qui em Itapeva, ela nao da resposta alguma, me ajude pelo amor de Deus, eu estou sendo palhaco desde 2012, Abracos. So quero que alguem me informe se o Dr. Reinaldo, ja deu entrada no meu processo no Foro de Itarare. Obrigado . Aguardo.

    foro de Itarare

    Responder
    • 138. apeoesp  |  28/11/2015 às 13:06

      Prezado professor Dimas,
      Vou solicitar informações ao departamento jurídico. Porém, você já procurou falar com o Dr. Reinaldo para perguntar-lhe isso? Não seria mais simples?
      Bebel

      Responder
  • 139. Everson  |  11/03/2016 às 23:11

    Boa noite
    Referente ao tempo de categoria O e contagem para quinquênio…
    Sou efetivo, antes fui categoria O, consegui no INSS a certidão de tempo de serviço, que as escolas pedem para juntar o tempo de O com efetivo, porém, a escola me informou que este tempo não vale para quinquênio. Isso procede??

    Responder
    • 140. apeoesp  |  13/03/2016 às 16:54

      Prezado professor Everson,
      Você pode recorrer judicialmente. Por favor, informe-se melhor pelo telefone 11.33506214 ou procure o departamento jurídico na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 141. Parabéns Bebel  |  24/03/2016 às 17:31

    Parabéns à Bebel, pois é por essa árdua luta que me filiei à APEOESP, cujo trabalho sou fá de carteirinha.

    Responder
    • 142. apeoesp  |  25/03/2016 às 15:04

      Prezado professor “Parabéns Bebel”,
      Muito obrigada. Lamento apenas o anonimato. São palavras assim que nos incentivam a continuar a luta e não esmorecer. Esta fantástica categoria e a defesa da escola pública valem a pena.
      Bebel

      Responder
  • 143. Tatiana  |  20/05/2016 às 23:33

    Boa noite Bebel,
    Por favor me tire uma dúvida se possível.
    Porquê o professor categoria O só recebe suas férias quando o contrato acaba?
    E outra dúvida, aulas colegas categoria O já receberam o PASEP e a maioria da categoria não.
    O que ocorre

    Responder
    • 144. apeoesp  |  22/05/2016 às 19:44

      Prezada professora Tatiana,
      Você tem toda a razão, isto está errado. Este é um dos pontos que temos levado com insistência ao Secretário. A SEE diz que há um decreto para ser assinado pelo governador regularizando esta situação. vamos cobrar novamente uma solução na reunião que teremos amanhã com o Secretário.
      Bebel

      Responder
  • 145. silvia  |  20/05/2016 às 23:42

    Parabenizar o que,se não foi aprovado nada…

    Responder
    • 146. apeoesp  |  28/05/2016 às 15:23

      Prezada professora Silvia,
      Não é importante parabenizar, mas saber que o Estado recorreu e que a justiça é lenta quando se trata de direitos de professores. Vou solicitar ao departamento jurídico informações quanto a esta ação e publicarei.
      Bebel

      Responder
  • 147. Anonimo  |  21/05/2016 às 00:19

    Frágil mesmo é categoria v ….que direitos essa categoria tem ?

    Responder
  • 148. Anonimo  |  21/05/2016 às 00:20

    Frágil mesmo é categoria v … muitos professores nem sabe que existe categoria v

    Responder
  • 149. Andréia de Oliveira Guimarães  |  21/05/2016 às 00:24

    Professora Bebel boa noite!
    Sou professora efetiva da rede municipal há 12 anos , porém trabalhei com contrato temporário durante 7 anos. Será que também tenho direito de receber os quinquênios pelo tempo de contrato. Como devo proceder?
    Agradeço a atenção.
    Andréia

    Responder
    • 150. apeoesp  |  22/05/2016 às 19:42

      Prezada professora Andreia,
      Você precisa de uma orientação jurídica. Se for associada da APEOESP, procure a subsede da região ou ligue para 11.33506214.
      bebel

      Responder
  • 151. Jader  |  22/05/2016 às 21:53

    Lutar por uma evolução funcional que estimule de fato os professores a estudarem. Interstícios longos demais.

    Responder
    • 152. apeoesp  |  28/05/2016 às 15:20

      Prezado professor Jader,
      Este é um dos nossos objetivos. A grande questão é que com este governo as perspectivas de uma carreira realmente atraente são bastante incertas. Hoje, em função da crise, só falam em cortes de verbas. Continuaremos lutando.
      Bebel

      Responder
  • 153. sandra  |  24/05/2016 às 13:47

    Como pode esta matéria é de 2014 e até agora não se teve nada de concreto.

    Responder
    • 154. apeoesp  |  28/05/2016 às 15:15

      Prezada professora Sandra,
      O problema é que o Estado recorreu e a justiça é muito morosa quando se trata dos direitos dos professores. Vou solicitar ao departamento jurídico informações sobre o andamento desta ação e publicarei.
      Bebel

      Responder
  • 155. André  |  25/05/2016 às 03:56

    Já é possível requerer o quinquênio do cat.O?

    Responder
    • 156. apeoesp  |  28/05/2016 às 15:29

      Prezado professor André,
      O estado recorreu neste processo. Vou solicitar ao departamento jurídico informações sobre o andamento deste processo e publicarei aqui no blog.
      Bebel

      Responder
  • 157. José Paulo de Oliveira  |  07/11/2016 às 22:50

    Como é feito o cálculo para quinquênio, pois juntando tempo como cat, O já leciono desde 2010 e tive interrupção apenas ano passado?

    Responder
    • 158. apeoesp  |  13/11/2016 às 16:54

      Prezado professor José Paulo,
      A APEOESP conquistou na justiça o direito ao quinquenio para categoria O. Informe-se melhor pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,911,314 hits

%d blogueiros gostam disto: