Publicado Decreto que regulamenta memorial para promoção na carreira

18/07/2014 at 20:46 66 comentários

Complementado informações contidas no Informa Urgente 41, conforme aprovado na primeira reunião do Grupo de Trabalho (GT) da Comissão Paritária, a minuta da resolução que determinará como cada professor poderá compor seu memorial deverá ser apresentada para apreciação e debates na reunião do GT que será realizada no próximo dia 30. Nesta data também será aprovado o cronograma de trabalhos do GT visando acompanhar detalhadamente os procedimentos desta nova forma de evolução conquistada pela APEOESP.

Na quarta-feira, 16, foi publicado o Decreto 60.650, alterando o Decreto 55217 que regulamenta a Lei que institui o sistema de promoção. Em seu primeiro parágrafo fica estabelecido que ao servidor será dado o direito à opção pela avaliação teórica ou pela avaliação prática, na forma a ser regulamentada: 1. para avaliação teórica, de conhecimentos específicos: prova; 2. para avaliação prática: memorial.

Disponibilizamos em nosso portal a íntegra do Decreto 60.650/2014.

Orientação aos professores considerados inaptos para ingresso na rede

Os candidatos nomeados para exercer o cargo de Professor Educação Básica II através de decreto publicado no Diário Oficial do dia 3 de junho de 2014 podem tomar posse no cargo até o dia 1 de agosto de 2014, uma vez que o prazo inicial, de trinta dias foi prorrogado por despacho do Coordenador da Coordenadoria de Gestão de Recursos Humanos publicado no Diário Oficial do dia 26 de junho de 2014.

Considerando-se que, de acordo com o Estatuto dos Funcionários Públicos, um dos requisitos para a posse no cargo efetivo é “gozar de boa saúde, comprovada em inspeção realizada por órgão médico oficial do Estado, para provimento de cargo efetivo…“, a APEOESP, através da sua Secretaria de Legislação e Defesa dos Associados , esclarece o que segue:

1 – publicado no Diário Oficial do Estado o resultado da pericia médica para fins de ingresso considerando APTO o candidato poderá se dirigir à unidade escolar onde foi nomeado, para tomar posse do cargo;

2 – se publicado despacho referente à perícia médica para fins de ingresso considerando o candidato “NÃO APTO“, faz-se necessário tomar as seguintes providências:

2.1 – requerer reconsideração no prazo de cinco dias contados da data da publicação do despacho no Diário Oficial, em requerimento dirigido ao Diretor do Departamento de Perícias Médicas do Estado; poderá, no mesmo requerimento, requerer vistas do seu prontuário médico;

2.2 – acompanhar, através do Diário Oficial, publicação de convocação para nova perícia médica. O pedido de reconsideração suspende, a partir da data do seu protocolamento, o prazo para posse por trinta dias;

3 – Se novamente for considerado “NÃO APTO“, recorrer ao Secretário de Gestão Pública, em requerimento protocolado do Departamento de Perícias Médicas do Estado, também no prazo de cinco dias contados da data da publicação do despacho, sendo também suspenso o prazo para posse por trinta dias.

Em caso de necessidade, agendar consulta com o jurídico da Subsede da APEOESP para análise da situação, orientação e encaminhamentos que se fizerem necessários.

Lembramos que o prazo para o exercício é de trinta dias, contados da data da posse. O candidato poderá assumir o exercício na mesma data em que tomar posse. O prazo para o exercício poderá ser prorrogado por mais trinta dias, a requerimento do interessado, que deverá ser dirigido ao Diretor da unidade onde foi nomeado, dentro do prazo inicial para o exercício.

A Diretoria da APEOESP já está solicitando reunião com o Secretário de Gestão Pública para tratar deste assunto, já que muitos professores têm sofrido prejuízos na avaliação do DPME.

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

Nota de pesar pelo falecimento de Plínio de Arruda Sampaio Perdemos três grandes brasileiros.

66 Comentários Add your own

  • 1. LIA  |  20/07/2014 às 22:05

    OLÁ BEBEL,
    SOU PROF. NA REDE MUNICIPAL E ESTADUAL,, ESTOU COM DÚVIDAS A RESPEITO DO PROCESSO DE ATRIBUIÇÃO QUE ACONTECERÁ NA ESCOLA ESTADUAL PARA 2015. INGRESSEI NO ESTADO AGORA E PEGUEI AS AULAS QUEBRADAS, TENHO QUE TRABALHAR NO PERÍODO DA MANHÃ NO ESTADO-A TARDE NA (prefeitura) E NOITE NO ESTADO.UFA.!!!! GOSTARIA DE SABER SE NA HORA DA ATRIBUIÇÃO QUEM TEM PRIORIDADE QUEM TEM ACUMULO OU QUEM TEM MAIS TEMPO DE MAGISTÉRIO NA HORA DA ESCOLHA ? COMO A DIREÇÃO DA ESCOLA DEVE PROCEDER.? DE QUE FORMA A LEI AMPARA O ACUMULO?

    Responder
    • 2. apeoesp  |  27/07/2014 às 16:31

      Prezada professora Lia,
      Há prioridade para quem tem acúmulo, entre os titulares de cargo, em cada jornada de trabalho. Informe-se melhor pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 3. MARIA TERESA RIBEIRO  |  21/07/2014 às 03:57

    Bom Dia!
    E os readaptados como ficaram com o memorial.

    Responder
    • 4. apeoesp  |  27/07/2014 às 16:22

      Prezada professora Maria Teresa,
      Poderão utilizá-lo, desde que tenham realizações, cursos e iniciativas a apresentar.
      Bebel

      Responder
  • 5. Cinthia  |  21/07/2014 às 11:34

    Bebel, por favor, preciso de orientação sobre uma dúvida. Inicio dia 29/07 como efetiva em 2 cargos, Ciências e Biologia na mesma escola. Gostaria de saber se, mesmo sendo na mesma UE, receberei Holerites individuais para cada cargo. Outra dúvida é a de que se incluir agregados no IAMSP, virá o desconto em dobro ou é possível que o desconto seja feito em apenas um dos cargos? Obrigada!

    Responder
    • 6. apeoesp  |  27/07/2014 às 16:23

      Prezada professora Cinthia,
      O holerite refere-se aos dois cargos.
      O IAMSPE não está aceitando a inscrição de agregados, somente de dependentes.
      Bebel

      Responder
  • 7. Thiago  |  21/07/2014 às 14:10

    Gostaria que a Apeoesp discutisse os futuros ingressos de professores na rede estadual. Obviamente ingressos são muito bem vindos, mas ingressos no meio do ano letivo causam muitos problema aos professores e alunos.

    Diversos professores com aulas atribuídas perderam aulas e não foram informados que corriam o risco de perdê-las. Na minha escola, durante as férias, houveram 7 ingressantes. A diretora simplesmente entregou os diários aos ingressantes e não teve nem a sensibilidade de ligar para os professores que perderam aulas. Imagine chegar depois das férias e descobrir que está sem aulas, ou que perdeu parte significativa de suas aulas?

    Sem falar na adequação do horário: diversos professores chegaram em acúmulo de cargo. O horário precisou ser refeito, mas muitos professores já tem rotinas estabelecidas e os prejudicou na hora de refazer o horário.

    Na semana passada, por exemplo, devido aos buracos na grade e constantes readequações de horários (pois é uma mistura de professores entrando e saindo), eu entrei em sala de aula duas vezes a mais do que estipula a minha jornada semanal. E vai reclamar com a direção para ver o que acontece…

    Teve colegas professores que perderão parte das aulas, pois o novo professor só iniciará em uma semana. Mas na readequação de horário o professor acabou tendo conflitada duas turmas no mesmo horário: as aulas que perderá e as aulas que mantem.

    Sem falar nos alunos que enfrentam trocas de professores no ano letivo, o que causa prejuízo ao processo educacional.

    Se possível, gostaria que fosse discutido sobre a necessidade de se criar alguma lei estadual que proíba, para futuros concursos, ingressos, digamos, após fevereiro. Ou que os novos professores ingressem no início do ano letivo, ou apenas no ano letivo seguinte.

    É muita desorganização. Gostaria do apoio da APEOESP sobre o assunto, pois são diversas desorganizações como essas que prejudicam a educação do Estado de SP.

    Muito obrigado!

    Responder
    • 8. apeoesp  |  27/07/2014 às 16:21

      Prezado professor Thiago,
      A APEOESP não apenas tem posição sobre o assunto, como a aprovamos em assembleia em junho, publicamos em nossos materiais, inclusive no site e aqui no blog e levamos para o Secretário da Educação. Alegando decisão do Ministério Público, o Secretário manteve o ingresso no meio do ano.
      Sabemos de todos os problemas e somos contra ingresso no meio do ano.
      Bebel

      Responder
  • 9. Samuel Portugal  |  21/07/2014 às 15:05

    Bom dia.
    Tenho uma dúvida e gostaria de ajuda. Tenho 17 anos de carteira assinada e como vou assumir agora, gostaria de saber. Levo esse tempo para o Estado e quantos anos mais preciso para a tão sonhada aposentadoria?!

    Responder
    • 10. apeoesp  |  27/07/2014 às 16:16

      Prezado professor Samuel,
      São 35 anos de trabalho efetivo e contribuição como professor para a aposentadoria especial.
      Bebel

      Responder
  • 11. rosicler baldassi  |  22/07/2014 às 00:52

    BEBEL,
    BOA NOITE!!
    GOSTARIA DE SABER SE ESTE ANO HAVERÁ ATRIBUIÇÃO DE AULAS NO MES DE DEZEMBRO!!
    OBRIGADA !!
    ABRAÇOS!!

    Responder
    • 12. apeoesp  |  27/07/2014 às 15:23

      Prezada professora Rosicler,
      Há esta possibilidade, mas não está definida.
      Bebel

      Responder
  • 13. Mateus  |  22/07/2014 às 01:16

    Presidenta, é verdade que o estado fará a próxima convocação em Janeiro de 2015? Qual a posição do sindicato? Será que uma convocação nesse período prejudicará os professores temporários e os alunos novamente? Precisamos ser contra essa medida. O mais sensato seria convocação em outubro ou novembro, posse em janeiro e exercício em fevereiro. Depois da posse em janeiro, as vagas que sobrarem vão para os professores temporários, estes poderão ficar com as aulas sem se preocupar em serem substituídos pelos novos efetivos. Até pq, não tem lógica em pegar aulas só para sermos substituídos pelos novos efetivos.
    Até mais.

    Responder
    • 14. apeoesp  |  27/07/2014 às 15:22

      Prezado professor Mateus,
      Não tenho esta informação oficialmente, mas somos contra. O ingresso deve se dar em janeiro, justamente para evitar todos esses transtornos. Vou conversar com o Secretário da Educação.
      Bebel

      Responder
  • 15. Sonia Maria  |  22/07/2014 às 21:49

    BOA NOITE BEBEL!
    A partir de quando e onde ficará esse memorial para que os professores possam redigir o seu relatório e concorrerem à promoção por prática pedagógica?

    Responder
    • 16. apeoesp  |  27/07/2014 às 15:03

      Prezada professora Sonia,
      Estamos agora na fase de detalhá-lo e criar procedimentos. Estará disponível para o próximo processo de promoção.
      Bebel

      Responder
  • 17. Eduardo  |  23/07/2014 às 00:37

    Olá. Gostaria de saber sobre a jornada do piso.Até quando vamos ter que trabalhar na jornada de 32 aulas? Será que vamos vencer para 2015. Bom trabalho e DEUS abençoe.

    Responder
    • 18. apeoesp  |  27/07/2014 às 14:57

      Prezado professor Eduardo,
      Estamos lutando. O caso está no STF.
      Bebel

      Responder
  • 19. Fábio  |  23/07/2014 às 11:24

    Prezada Bebel,
    Gostaria que publicassem para nós professores mais esclarecimentos sobre os requisitos para participar do processo de promoção pois em minha unidade escolar eu e maior parte dos professores fomos considerados indeferidos de participar do processo mesmo tendo cumprindo o interstício mínimo.

    Atenciosamente,

    Prof Fábio

    Responder
    • 20. apeoesp  |  27/07/2014 às 14:55

      Prezado professor Fábio,
      Publicarei aqui no blog o documento da SEE com os critérios.
      Bebel

      Responder
  • 21. Marcello  |  23/07/2014 às 12:56

    Bebel, já possuo cadastro no GDAE, pois no ano anterior fiz a prova para ter o direito de lecionar como cat. O e em seguida, participei do concurso para professores do estado. Eu não peguei aulas como temporário por conta de que as escolas disponíveis eram em cidades distantes e eu antes não tinha condições para ficar me deslocando, mas agora sim.
    Depois desta segunda chamada está faltando pouco para que possa ser convocado (se convocarem mais 5 professores estarei dentro).
    Nunca lecionei, exceto, por motivos do estágio obrigatório do curso. Eu posso participar (caso a terceira chamada demore) das atribuições de 2015? Pelo que estão dizendo, ao invés de fazer uma nova prova será utilizado a nota da prova do concurso, é isso mesmo? Eu tenho chances de conseguir algo, mesmo sendo professor de primeira viagem, visto que estou em uma ótima posição na prova do concurso ou seria mais prático aguardar pela terceira chamada?

    Responder
    • 22. apeoesp  |  27/07/2014 às 14:53

      Prezado professor Marceloo,
      Sim, para 2015 não haverá prova do categoria O. Será usada a nota do concurso. Você poderá participar.
      Bebel

      Responder
  • 23. carlos  |  23/07/2014 às 15:26

    Ola Bebel, eu gostaria de saber o que a lei fala sobre chamar para assumir cargos em epoca de eleiçao, pode ou nao fazer convocaçoes?

    Responder
    • 24. apeoesp  |  27/07/2014 às 14:46

      Prezado professor Carlos,
      Pode, para concursos já homologados antes do período eleitoral.
      Bebel

      Responder
  • 25. Igor  |  24/07/2014 às 00:06

    Bebel comecei essa semana em exercício e o professor que estava antes de mim na sala sumiu e levou consigo os diários. A diretoria quer que eu refaça esses diários desde o começo do ano. Mas como poderei fazer algo que não sei? Não é minha responsabilidade ter de que corrigir um erro dos outros. Pra mim, a culpada é a diretora e ela quem deve correr atrás disso. Mas não sei bem o que fazer. Poderia me ajudar? Obrigado.

    Responder
    • 26. apeoesp  |  27/07/2014 às 14:41

      Prezado professor Igor,
      Sim, a responsabilidade não é sua. Você deve se recusar a isso. Procure o departamento jurídico na subsede ou ligue para 11.33506214 para informar-se sobre como proceder.
      Bebel

      Responder
  • 27. Guilherme  |  24/07/2014 às 13:36

    Presidenta Bebel, qual a vantagem da próxima chamada acontecer em Janeiro? Eu não vejo nenhuma vantagem. Na semana das atribuições será aquele descaso de ficar horas e horas na fila esperando ser chamado para escolher e para que? Ficaremos temporários por algumas semanas e logo substituídos pelos efetivos. Trabalharemos desmotivados sabendo que seremos substituídos. A situação será bem pior em 2015 se compararmos com o que houve neste ano. Estou sem serviço devido a entrada dos efetivos, mas pelo menos trabalhei por seis meses e sinceramente não tenho a intenção de voltar a lecionar como temporário no próximo ano. O correto seria que a próxima chamada fosse ainda este ano e nós, os que não passaram no concurso a ficar com o restante das aulas em janeiro. Pelo menos estaríamos cientes de que ficaremos na escola até o mês de julho, que será o tempo necessário para a 4ª chamada ser realizada com a posse dos aprovados.

    Qual a posição do sindicato?

    Responder
    • 28. apeoesp  |  27/07/2014 às 14:35

      Prezado professor Guilherme,
      Nossa posição é a que o ingresso ocorra sempre antes do início do ano letivo. Poderá haver chamada neste ano, para ingresso em 2015. Entretanto, nossa posição não tem sido ouvida, o que leva a crer que a SEE pode ainda fazer ingresso neste ano.
      Bebel

      Responder
  • 29. Silva  |  24/07/2014 às 15:44

    Boa tarde, sei se aqui não é o espaço ideal para perguntar isso, mas queria tirar uma dúvida referente as futuras convocações. A minha D.E é a Ribeirão Preto e já foram convocados 143 professores de matemática e a minha posição é a de 163.
    Faltando 20 professores para ser convocado, quais as chances de eu ser convocado levando em conta a quantidade já contratada?

    Responder
    • 30. apeoesp  |  27/07/2014 às 14:32

      Prezado professor Silva,
      Não tenho como avaliar essa situação. Tudo dependerá do número de vagas disponíveis para a próxima convocação.
      Bebel

      Responder
  • 31. Magali de Cássia Merenda  |  24/07/2014 às 17:07

    Bebel
    Boa Tarde!
    Gostaria se possível, na reunião com o Secretário de Gestão Pública, quando for tratado do assunto da aptidão ou não para o ingresso dos professores, fosse também comentado, o descaso com que o DPME vem tratando os professores em licença-saúde; negam as licenças e as reconsiderações, sendo que na publicação negando a reconsideração, o Diretor do DPME, justifica-se pelo demonstrado em perícia. Sendo assim, para que reconsideração? Ele não estava na perícia.Parece que é como se diz”chover no molhado”. O prof. licenciado coloca os motivos e uma cópia do atestado médico e mesmo assim, negam. E pelo que ouvi, aqui em minha cidade, isto está ocorrendo com muita frequência.
    Desde já agradeço.
    Nota: Tenho duas licenças negas após reconsideração e aguardando recurso.
    Profª Magali

    Responder
    • 32. apeoesp  |  27/07/2014 às 14:27

      Prezada professora Magali,
      Essa questão também está na pauta. Você pode tentar também a via judicial.
      Bebel

      Responder
  • 33. Lúcia  |  26/07/2014 às 17:34

    Bebel, completei o interstício para evolução do nível V para o VI em 2009. Tenho pontuação para nova evolução (do VI para o VII). Gostaria de saber se o novo interstício conta a partir de 2009 (ano final do período de vigência); o ano da publicação da lei que estabeleceu os novos níveis ou a partir do pedido do novo enquadramento (2014)?
    Obrigada

    Responder
    • 34. apeoesp  |  27/07/2014 às 13:18

      Prezada professora Lúcia,
      Os interstícios se referem ao seu tempo de efetivo exercício. Portanto, sua contagem independe de qualquer outro fator. Novo interstício conta a partir da conclusão do anterior.
      Bebel

      Responder
  • 35. Silvana  |  26/07/2014 às 20:20

    Bebel! O tempo da categoria O vai poder ser usado para evolução funcional no cargo efetivo?

    Responder
    • 36. apeoesp  |  27/07/2014 às 13:14

      Prezada professora Silvana,
      Infelizmente, creio que não, pois o professor da categoria O está fora da carreira do magistério. Para confirmar, ligue para 11.33506214. Verifique se é possível ingressar com medida judicial nesse caso.
      Bebel

      Responder
  • 37. Bruno Barqueta  |  27/07/2014 às 22:21

    Olá Bebel, gostaria de saber como ficará a atribuição para 2015, passei no concurso com 48 pontos, não assumi pois ainda sou aluno. Em 2015 fico dispensado de fazer o processo seletivo? Poderei usar a nota do concurso para atribuição?
    Agradeço desde já!

    Responder
    • 38. apeoesp  |  02/08/2014 às 13:51

      Prezado professor Bruno,
      Sim, a nota do concurso classifica para a atribuição de aulas.
      Bebel

      Responder
  • 39. Ana  |  28/07/2014 às 11:25

    Prezada Profª Bebel,

    Esse ano de 2014, a prova para definir classificação da categoria O para 2015 ocorrerá de que forma? Será usada nota do concurso só de quem passou? Obrigada pelo espaço.

    Responder
    • 40. apeoesp  |  02/08/2014 às 13:48

      Prezada professora Ana,
      A SEE informou que não haverá a prova. Vale a nota do concurso.
      Bebel

      Responder
  • 41. Luciana  |  28/07/2014 às 13:50

    Bom dia, Bebel.
    Sou filiada a apeoesp, passei no concurso, escolhi um cargo mas não fiz a perícia, não pude assumir, pois ainda não tenho diploma.
    Gostaria de saber se posso usar minha nota do concurso para atribuição em 2015?
    Obrigada!

    Responder
    • 42. apeoesp  |  02/08/2014 às 13:47

      Prezada professora Luciana,
      Sim, pode. Conta pontos.
      Bebel

      Responder
  • 43. Ana Ligia Tacito Rodrigues  |  28/07/2014 às 14:01

    Olá Bebel!!!Iniciei minha carreira em 2006,na DE de Assis, lá me estabilizei na categoria f, na época estava de licença gestante e não sabia da mudança, no mesmo período meu marido que trabalha no Correio foi transferido para Lorena, DE Guaratinguetá, com criança pequena voltei lecionar em 2013,na categoria O .Hoje com aulas livres de PAA, o meu marido foi transferido novamente para Avaré. Gostaria de saber se nós da categoria O, também podemos usufruir da lei da transferência de conjugue. A transferência deve sair inicio de outubro. Obrigado.

    Responder
    • 44. apeoesp  |  02/08/2014 às 13:46

      Prezada professora Ana Lígia,
      Infelizmente, não, pois a legislação para categoria O (LC 1093/09) é específica para o trabalho temporário. Informe-se melhor e veja se algo pode ser feito pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 45. Jorge  |  28/07/2014 às 17:08

    Olá Bebel,

    Tenho duas perguntas:
    É possível termos um aumento maior que os 7% previstos para esse ano, mesmo sabendo que esse será dado antes de nossa paralisação do dia 15/08, dificultando qualquer percentual maior para esse ano?
    A Apeoesp vem discutindo com SEE a volta da jornada reduzida? Uma vez que com a entrada de vários professores nas unidades escolares a opção por essa jornada seria uma forma de garantir a continuidade do docente na escola escolhida e mesmo na carreira do magistério paulista.
    Obrigado,

    Professor Jorge

    Responder
    • 46. apeoesp  |  03/08/2014 às 16:39

      Prezado professor Jorge,
      Estamos lutando por isso. Quanto à jornada reduzida, a SEE não pretende mais aplicá-la, mas os professores tem direito a ela, legalmente prevista. A APEOESP ajuíza ações individuais para os professores prejudicados.
      Bebel

      Responder
  • 47. daniela  |  28/07/2014 às 20:05

    boa tarde bebel
    estava lendo aqui no proprio site sobre a liberdade de catedra dos professores e queria saber se houve alguma modificação ou se o texto ainda esta valendo. vou postar aqui, pra que meus colegas tomem ciencia do que estou falando.

    quando vc me responder eu explico o porque da minha pergunta com detalhes. talvez ajude outros companheiros. aguardo resposta.

    LIBERDADE DE CÁTEDRA

    SÍNTESE SOBRE LIBERDADE DE CÁTEDRA

    A Constituição Federal (art. 205, II) estabelece que o ensino deve ser ministrado com base, entre outros, no princípio da liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber.

    A legislação infra-constitucional reguladora do assunto no âmbito do Ensino Público Oficial do Estado de São Paulo, elenca entre os direitos do integrante do QM (art. 61, IV, da L.C. 444/85) o de ter liberdade de escolha e utilização de materiais, de procedimentos didáticos e de instrumentos de avaliação do processo ensino-aprendizagem dentro dos princípios psicopedagógicos, objetivando alicerçar o respeito à pessoa humana e a construção do bem comum.

    Legislação:

    Constituição Federal – art. 205, II “Art. 206. O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: II – liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber”

    Lei Complementar 444/85 – art. 61, IV “Artigo 61 – Além dos previstos em outras normas, são direitos do integrante do Quadro do Magistério: IV – ter liberdade de escolha e de utilização de materiais, de procedimentos didáticos e de instrumento de avaliação do processo ensino-aprendizagem, dentro dos princípios psicopedagógicos, objetivando alicerçar o respeito à pessoa humana e, à construção do bem comum.

    SOBE

    Responder
    • 48. apeoesp  |  02/08/2014 às 13:42

      Prezada professora Daniela,
      Que eu saiba, não houve modificações.
      Bebel

      Responder
      • 49. daniela  |  12/08/2014 às 23:48

        cara Bebel,

        então ninguem pode nos obrigar a usar aquele caderno de atividades? correto? não pode haver coerção da parte da direção nem da diretoria de ensino para que se use aquele material se o professor preferir não usá-lo?
        porque aqui na mnha cidade os supervisores estão ate olhando os cadernos de atividades ds alunos pra ver qual professor usa ou não. aqueles que não usam estão levando uma “comida de orelha” daquelas. mesmo aqueles que seguem o curriculo e que optam por outras atividades estão sendo pressionados. esta certo isso? o que podemos fazer?

      • 50. apeoesp  |  16/08/2014 às 13:32

        Prezada professora Daniela,
        Peço que me desculpe, pois publiquei seu comentário anterior sem nenhuma resposta. A APEOESP defende a liberdade de cátedra dos professores. Ao mesmo tempo, a Constituição Federal assegura aos entes federados autonomia administrativa para organizar e gerir seus sistemas de ensino. Trata-se de uma legislação um tanto “esquizofrênica”, pois ao mesmo tempo que estabelece concepções e direitos, permite a Estados e Municípios criar outros mecanismos e instrumentos em seus sistemas de ensino, nem sempre harmônicos com a legislação federal. É o caso dos materiais pedagógicos e procedimentos determinados aos professores. Há, inclusive, sistemas de ensino inteiramente apostilados. Há contestações judiciais, mas em geral prevalecem as normas e procedimentos dos sistemas de ensino.
        Do ponto de vista político, travamos vários embates com a SEE, por discordamos de muitos dos procedimentos adotados. Nossa mobilização teria que ser muito maior e mais massiva para impor as mudanças que queremos. Eles estão no comando. Do ponto de vista jurídico, é preciso verificar o que pode ser feito, mas com ações individuais, quando o professor se sente atingido pelas exigências da escola.
        Sugiro que procure o departamento jurídico na subsede para conversar sobre o assunto e orientar-se. Ações individuais também criam parâmetros jurídicos e podem ajudar a categoria como um todo.
        Boa sorte.
        Bebel

  • 51. Carlos  |  29/07/2014 às 14:40

    Bom Dia Presidenta, quando será a próxima chamada? Pessoas dizem ser em Agosto, outros em Setembro, Novembro ou Dezembro. O sindicato tem alguma posição real?

    Responder
    • 52. apeoesp  |  02/08/2014 às 12:38

      Prezado professor Carlos,
      Ainda não tenho essa informação. Estou aguardando um contato com o Secretário da Educação, possivelmente nesta semana, para obtê-la.
      Bebel

      Responder
  • 53. Leonardo  |  29/07/2014 às 20:46

    gostaria de saber se ingressante tem direito de participar dessa promocao comentada no memorial ou tem que esperar o estagio probatorio?

    Responder
    • 54. apeoesp  |  02/08/2014 às 12:33

      Prezado professor Leonardo,
      Somente quando completa o interstício, de acordo com a lei complementar 1143/11.
      Bebel

      Responder
  • 55. Luma  |  31/07/2014 às 01:04

    Boa noite Bebel minha pergunta não tem nada haver com o assunto acima porém preciso de um esclarecimento! Uma professora ingressou na minha escola em aulas minha e de outra profeQfssora! que Entrou em exercício mas exonerau em seguida. A questão é a seguinte a direção da escola chamou a professora F com mais ponto que eu e a outra
    professora, e atribuiu as aulas da efetiva que exonerou! Detalhe somos todas
    categoria F e da mesma área! Foi correto o que a gestão fez? Ou teria de avisar a todas da atribuição? Se caso o modo de atribuição foi errado? Tem alguma medida que pode ser tomada?

    toda todas da atribuição? Se foi incoo

    categoria F, com mais ponto que eu e a outra professora que perdemos as aultambém s

    Responder
    • 56. apeoesp  |  02/08/2014 às 12:06

      Prezada professora Luma,
      A direção da escola deve seguir a ordem de classificação. Legalmente, agiu certo. Entretanto, considerando que vocês tinham essas aulas antes, poderia ter procedido de forma a contemporizar a situação. Creio que não há muito o que fazer, porém, ligue para 11.3350.6214 para informar-se melhor.
      Bebel

      Responder
  • 57. Aline  |  01/08/2014 às 19:51

    Olá Bebel,

    Tenho jornada de 19 aulas, porém como algumas turmas eram do EJA e a escola não conseguiu formar turmas para o segundo semestre acabei ficando com apenas 18 aulas. Sendo que nessa mesma escola tem aulas em outro período e a diretora atribuiu todas as aulas da manhã para um professor que ingressou no início dessa semana. Ontem fui informada que talvez terei que completar minha carga em outra escola, isto é, pegar 1 ou 2 aulas em outra escola. Mas a prioridade na atribuição não é minha? A diretora deveria ter atribuído primeiro as aulas do professores que já estão na casa para depois atribuir aos novos efetivos?

    Grata,

    Responder
    • 58. apeoesp  |  02/08/2014 às 11:44

      Prezada professora Aline,
      Se você é efetiva, tem, sim, prioridade na atribuição das aulas, se não completou sua jornada. Por favor, verifique junto ao departamento jurídico na subsede ou ligue para 11.33506214 o que pode ser feito.
      Bebel

      Responder
  • 59. Maria  |  01/08/2014 às 20:15

    Boa tarde Bebel!
    Gostaria de saber se um professor efetivo, que já esta designado como vice diretor do programa escola da família poderia substituir o vice diretor de escola que esteja substituindo o diretor? Deixando de cumprir sua carga horária do final de semana para substituir as 40 h semanais do vice diretor?
    Desde já agradeço a atenção.

    Responder
    • 60. apeoesp  |  02/08/2014 às 11:42

      Prezada professora Maria,
      Creio que não há impedimento, mas sugiro que confirme a informação pelo telefone 11.33506214 ou no departamento jurídico, na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 61. maria aparecida rodrigues simoes  |  02/08/2014 às 20:39

    BOA tarde Bebel: Eu estou aguardando uma reversão de laudo já fazem cinco anos e até agora nada,esta parado no cartório- julgamento em primeira instância isso já a mais de um ano, o que acontece?Sofri a maior injustiça e até agora nada de justiça .Tenho outros processo aguardando pagamentos e até agora nada e outros aguardando julgamento de terceira instância e execução Tudo isso já vai para seis anos;fico revoltada afinal trabalhei direito para o estado e agora fico a ver navios. Sem mais desde já agradeço.

    Responder
    • 62. apeoesp  |  03/08/2014 às 12:56

      Prezada professora Maria Aparecida,
      Um dos grandes problemas que enfrentamos é a morosidade da justiça. Apesar da previsão dos ritos de tramitação, processos à vezes dependem da vontade do juiz. Alguns tramitam com mais rapidez que outros, sem obedecer a ordem cronológica. Sugiro que converse com os advogados para verificar se há alguma irregularidade na tramitação, sobretudo quanto ao que está mais atrasado e se alguma medida pode ser tomada junto ao Conselho Nacional de Justiça.
      Boa sorte.
      Bebel

      Responder
  • 63. Luciana  |  05/08/2014 às 01:18

    Gostaria de saber se haverá processo simplificado para PebI? Se não como se dará a classificação?

    Responder
    • 64. apeoesp  |  09/08/2014 às 15:21

      Prezada professora Luciana,
      Levamos esse tipo de dúvida para a SEE. Nos foi dito que professores que estão retornando da duzentena também não precisam fazer a prova. Novos, terão que passar por processo seletivo.
      Bebel

      Responder
  • 65. Mara  |  06/08/2014 às 14:21

    Olá
    Gostaria de saber, na evolução funcional, onde se enquadrado os anos que tenho de pós-doutorado.
    No aguardo
    Mara

    Responder
    • 66. apeoesp  |  09/08/2014 às 15:00

      Prezada professora Mara,
      Sim, na evolução funcional pela via não acadêmica, no fator aperfeiçoamento.
      Bebel

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,858,372 hits

Comentários

apeoesp em
apeoesp em

%d blogueiros gostam disto: