Professores aprovam ações na luta pelas suas reivindicações e nova assembleia

16/08/2014 at 15:19 22 comentários

Reunidos em assembleia na Praça da República na tarde de sexta-feira, 15, os professores aprovaram o calendário de mobilizações do segundo semestre e uma série de ações pela valorização do magistério, para denunciar os baixos salários e as mazelas da administração do atual governador do Estado – não só com a Educação, mas também o descaso com o transporte público (denúncias de corrupção no Metrô e na CPTM), e, principalmente, com os recursos naturais, que levou São Paulo a uma das piores crises hídricas de sua história.
O eixo central da campanha salarial é a luta pelo reajuste/aumento real de 75,33% rumo ao salário mínimo do DIEESE – R$ 2.915,07 em julho – por jornada de 20 horas-aula semanais de trabalho.
No dia 25 de setembro a APEOESP realizará, às 10 horas, uma nova assembleia estadual no Vão Livre do MASP (avenida Paulista). Em seguida, às 12h30, o Sindicato participará da Marcha Mundial por Justiça Climática, juntamente com a organização SOS Clima Terra e outros setores sociais. Além dos professores, pais, alunos e representantes de outras categorias serão convidados para a marcha. Uma oportunidade para denunciar à população o descaso do governador não só com a comunidade educacional, mas também com transporte, saúde pública, com as universidades estaduais etc.
Professores aprovam ações e nova assembleia para denunciar mazelas do governo
É importante que os professores se mantenham atentos para impedir qualquer tentativa do governo de impor as mudanças no Estatuto do Magistério previstas nas minutas distribuídas pela Secretaria da Educação na Comissão Paritária (a APEOESP já encaminhou à casa dos associados uma avaliação preliminar das minutas propostas pela SEE).
O Sindicato realizará uma webconferência no dia 5 de setembro para discussão da carreira do magistério, com dispensa de ponto. As subsedes devem organizar os conselheiros e representantes para assistirem à webconferência.
Plebiscito sobre reforma política
A APEOESP participará do plebiscito que a Central Única dos Trabalhadores e outras entidades realizarão entre os dias 1º e 7 de setembro e que abrangerá questões relacionadas ao sistema político, como o financiamento público de campanhas, o aumento da representatividade das mulheres, indígenas e negros nos Parlamentos, entre outros. A população será convidada a responder à pergunta “Você é a favor de uma Constituinte exclusiva e soberana sobre o sistema político?”
O plebiscito para debater o sistema político é um dos resultados das manifestações que mobilizaram o Brasil em junho e julho de 2013, quando o aumento de R$ 0,20 nas tarifas de ônibus em São Paulo deu início a passeatas gigantescas em defesa de outras causas.
Um plebiscito é uma consulta popular para aprovar ou não uma questão. Apesar de a Constituição estabelecer que apenas o Congresso Nacional pode convocar um Plebiscito, desde o ano de 2000, os movimentos sociais organizam plebiscitos populares sobre temas diversos, permitindo que a população expresse sua vontade política e pressione os poderes públicos a atender suas reivindicações.
Para melhor esclarecer os professores sobre o plebiscito e a reforma política, a APEOESP realizará uma webconferência no dia 27 de agosto.
Perícias médicas
No dia 12 de agosto, a APEOESP reuniu-se com a Secretaria de Gestão Pública, com a presença de representantes do DPME, para tratar de casos de professores que continuam a ser reprovados em perícias, tanto para concurso quando para licenças médicas e prosseguimento de readaptação. Foi criada uma comissão conjunta entre a APEOESP e o DPME para rever todos os casos. A APEOESP defende que as gestões das perícias retornem ao DPME. Orientamos às subsedes a enviar possíveis casos, com dados completos, ao e-mail da Presidência: presiden@apeoesp.org.br.

Veja abaixo todas ações aprovadas pela assembleia como parte da campanha salarial e educacional da categoria:

 Lutar por reajuste salarial/aumento real de 75,33% rumo ao salário mínimo do DIEESE por jornada de 20 horas-aula semanais de trabalho.
 Realizar campanha de outdoors, painéis, mídias alternativas pela valorização do magistério, comparando nossos salários com a média salarial das demais profissões com formação em nível superior.
 Realizar com pais, estudantes e outros setores uma marcha estadual em torno de: qualidade da educação, falta de água nas escolas, piso salarial profissional nacional, jornada do piso, fim da violência nas escolas, situação das universidades estaduais, saúde dos professores, desvios de recursos públicos no metrô e outros órgãos estaduais e demais questões que afetam nosso cotidiano como profissionais e cidadãos.
 Divulgar panfleto e carta aberta denunciando o conjunto das mazelas do governo Alckmin.
 Realizar no dia 22 de agosto aulas sobre a situação da escola pública estadual – distribuir panfletos aos alunos.
 Realizar manifestações em frente às DREs – comunicar datas à Sede Central para cobertura pela TV APEOESP.
 APEOESP organizará e realizará o plebiscito por uma Constituinte Exclusiva para a Reforma Política.
 Realizar webconferência sobre a Reforma Política em 27 de agosto. Neste dia, discutir também a questão do clima e falta de água.
 Realizar entrega pública dos abaixo-assinados sobre as minutas de alteração do Estatuto do Magistério para o Governador, Secretário da Educação e Presidente da Assembleia Legislativa.
 Confeccionar cartaz com análise das minutas para discussão nas escolas.
 Produzir análise sobre a carreira – a partir da LC 444/85 (Estatuto do Magistério), depurada das alterações posteriores; divulgar e debater nas escolas a carreira que queremos. Discutir concepção de carreira e a recuperação dos direitos que nos foram tirados.
 Realizar webconferência sobre a carreira em 05 de setembro, com dispensa de ponto.
 Produzir documento explicitando a verdadeira escola de tempo integral do governo, expondo a realidade dessas escolas. Defender consulta aos pais e estudantes, com urnas em frente às escolas, de forma a legitimar a decisão do Conselho de Escola sobre a implantação da escola de tempo integral em cada unidade. O documento deve estabelecer a relação entre o fechamento de classes e a implantação das escolas de tempo integral, como o governo vem fazendo.
 Realizar campanha de democratização e fortalecimento dos Conselhos de Escola.
 Fazer gestões junto ao STF quanto à ação da APEOESP sobre a jornada do piso, por meio da CNTE e do escritório que cuida da causa.
 Divulgar manifesto da APEOESP em defesa das mulheres educadoras pelo desrespeito da Administração estadual no caso do exame médico para ingresso em concurso público.
 Recolocar questão da atribuição de aulas centralizada.
 Realizar discussão sobre a questão do ensino noturno.
 Reivindicar coordenador pedagógico junto aos professores dentro das unidades do sistema prisional.
 Reafirmar que o professor não deve digitar os dados escolares. Cabe ao GOE da escola providenciar esse trabalho.
 Reafirmar ingresso somente no início do ano.

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

Morre Eduardo Campos Manifesto da APEOESP em defesa das mulheres educadoras

22 Comentários Add your own

  • 1. Marcello  |  16/08/2014 às 15:53

    Na pauta proposta pelo governo ” Reafirmar ingresso somente no início do ano.”
    Gostaria de argumentar que concordo com esta questão no simples fato de evitar uma bagunça no sistema de ensino. Porém, em contrapartida, o estado terá que adiantar a convocação do concurso para até no máximo em Dezembro, deixando para a primeira semana de Fevereiro as atribuições das aulas e o início das aulas na semana posterior. Desta forma, os convocados da terceira chamada terão condições de participar das atribuições. E o melhor, as vagas que ficarem livres serão destinados aos temporários sem se preocupar em serem substituídos, pois estes pegaram as aulas após a entrada dos chamados em dezembro. E por falar em temporário, que o estado faça um contrato de seis meses, pois desta forma saberemos que haverá uma quarta chamada para o ingresso no meio do ano ou senão avisar de antemão que haverá mais uma chamada. Desta forma estaremos cientes que poderemos ser substituídos.

    Responder
    • 2. apeoesp  |  23/08/2014 às 14:07

      Prezado professor Marcelo,
      Vamos discutir essa questão com o Secretário. Quanto ao contrato dos professores da categoria O, os contratos são regidos pela LC 1093/09.
      Estamos reivindicando uma nova forma de contratação, sem precariedade e com direitos assegurados.
      Bebel

      Responder
  • 3. Rose  |  16/08/2014 às 17:39

    Boa tarde. Alguma novidade sobre remoção? o ano passado se não estou enganada as inscrições começaram em agosto .

    Responder
    • 4. apeoesp  |  23/08/2014 às 14:05

      Prezada professora Rose,
      Há informação de que não haverá concurso de remoção. Vamos discutir o caso com o Secretário.
      Bebel

      Responder
  • 5. Luciano  |  16/08/2014 às 23:50

    Kkkkkk cadê a greve

    Responder
    • 6. apeoesp  |  23/08/2014 às 14:00

      Prezado professor Luciano,
      A greve é decidida quando a categoria assim o deseja. Não considero o assunto engraçado, sobretudo para quem, como nós, professores, sofre na pele o descaso e prepotência do governo estadual.
      bebel

      Responder
  • 7. Thiago  |  17/08/2014 às 05:15

    As pautas são justas, mas gostaria que fosse contemplado na pauta o retorno da jornada reduzida. O fim da possibilidade de escolha de jornada reduzida diminui muito a flexibilidade de professores que precisam dar aulas em outras redes públicas ou na rede privada.

    Estou apavorado, Bebel, com a possibilidade de sermos obrigados a cumprir o HTPL na escola. Se isso vier acontecer vai haver uma enxurda de exonerações. E mesmo os professores que acumulam cargo na rede estadual, vão ter que dormir na escola para cumprir isso?

    E por fim, sou novo na rede estadual, e não sei se isso já é pauta do sindicato, mas eu gostaria muito que discutíssemos sobre a possibilidade de que o cargo de direção escolar seja eletivo e com mandato limitado. É triste ver, muitas vezes, trabalhos de anos bem feitos em uma escola serem destruídos por novos diretores que querem fazer as coisas do seu jeito sem dar ouvidos aos outros.

    Com cargo eletivo para diretor, a comunidade escolar poderá escolher um bom projeto para a escola e se envolverá mais da organização escolar…

    Responder
    • 8. apeoesp  |  23/08/2014 às 13:58

      Prezado professor Thiago,
      O assunto já foi tratado. A SEE não vai recuar. A orientação é pela ação judicial individual, sempre que o direito à jornada reduzida for negada.
      A eleição para diretor de escola é polêmica. A APEOESP tem posição favorável, mas também a posição de que o mais importante é fortalecer o conselho de escola e as formas de participação da comunidade escolar na gestão da escola.
      Bebel

      Responder
      • 9. Thiago  |  25/08/2014 às 03:49

        Concordo com o fortalecimento do conselho de escola. Poderia haver uma iniciativa de formação para os professores, pro parte das sub-sedes, sobre como exigir da direção da escola um conselho atuante e quais os seus limites e poderes.

        As direções de escola que já conheci sempre nos deixam no escuro sobre os poderes do Conselho de Escola. Muitas vezes dizem: “Isso não diz respeito ao conselho”… etc…

        Grato pela atenção Bebel!

      • 10. apeoesp  |  30/08/2014 às 14:00

        Prezado professor Thiago,
        Sim, estamos preparando um material sobre os conselhos, bem como atividades formativas.
        Obrigada.
        Bebel

  • 11. olivi.  |  17/08/2014 às 13:30

    Já estou cansado dessa balela.

    Responder
    • 12. apeoesp  |  23/08/2014 às 13:54

      Przeado professor Olivi,
      Não entendi sua colocação. Se for mais explícito poderemos debater ou esclarecer. Este espaço é para isso mesmo. Não vejo utilidade em aqui entrar se não expusermos claramente o que pensamos.
      Bebel

      Responder
  • 13. Marcia  |  18/08/2014 às 00:31

    Um boletim informativo, na escola, esta semana, diz que o governo pretende aumentar a jornada de trabalho em 2015…!!! Se isso ocorrer, vou ter que abandonar o Estado, pois estou fazendo faculdade e não pretendo abandona-la para fazer mais um turno de trabalho… Não é justo isso!
    Como pode ocorrer uma coisa dessas? Se esperamos a implantação da jornada do piso, eles vão na contra mão, aumentando nosso trabalho? Há algo que está sendo feito pelo sindicato, para evitar esse absurdo?

    Responder
    • 14. apeoesp  |  23/08/2014 às 13:38

      Prezada professora Marcia,
      Creio que você se refira às minutas da SEE para modificar o Estatuto do Magistério. A APEOESP está, sim, lutando contra isso. Foi nossa mobilização e pressão que fizeram o Secretário retirá-las. Mas estamos atentos para que não voltem. Só nossa mobilização pode garantir isso.
      Você tem toda a razão: queremos a jornada do piso e o governo está na contra-mão.
      Bebel

      Responder
  • 15. Osmarina da Silva Leite \Mendes  |  18/08/2014 às 13:20

    melhorar a resolução de atribuição para o professor mediador, pois na res, diz que PEB I permanece nesta função desde que a escola atenda alunos de ciclo I, sendo que para ser professor mediador tem que ter perfil para a recondução, isto não é claro e nem justo.

    Responder
    • 16. apeoesp  |  23/08/2014 às 13:33

      Prezada professora Osmarina,
      Levaremos a questão ao Secretário da Educação.
      Bebel

      Responder
  • 17. grace  |  26/08/2014 às 22:27

    Boa noite, há muitas dúvidas se os professores que eram categoria O e se efetivaram levarão ou não a pontuação para a atribuição? Por favor, se possível verifique, pois a inscrição será no próximo mês e as escolas não estão sabendo responder. Obrigada.

    Responder
    • 18. apeoesp  |  30/08/2014 às 13:36

      Prezada professora Grace,
      Sim. O tempo de serviço será considerado.
      Bebel

      Responder
  • 19. Maria  |  30/08/2014 às 00:19

    Temos que entrar logo em greve agora ta na hora professores

    Responder
    • 20. apeoesp  |  30/08/2014 às 12:22

      Prezada professora Maria,
      Temos 24 dias para preparar uma grande assembleia no dia 25 de setembro, que tenha condições de decretar uma greve para arrancar do governo o atendimento de nossas reivindicações.
      Bebel

      Responder
  • 21. Rosane  |  30/08/2014 às 00:36

    Bebel gostaria de saber se de categoria O vamos passar para F, é verdade?

    Responder
    • 22. apeoesp  |  30/08/2014 às 12:21

      Prezada professora Rosane,
      Lutamos por isso, mas infelizmente não há o menor sinal concreto neste sentido até o momento.
      Bebel

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,910,351 hits

%d blogueiros gostam disto: