28/01/2015 at 08:48 68 comentários

IU270115IU2701151IU2701152

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

Ações individuais podem contribuir na luta contra a duzentena! Reivindicamos a volta das regras previstas na Resolução SE 75/2014.

68 Comentários Add your own

  • 1. Benedito  |  28/01/2015 às 11:14

    Proposta para se construir a greve dos professores.
    Primeiro: votação da greve no dia 29/01
    Segundo: comunicar o resultado nas escolas durante a semana e votar a greve nas escolas.
    Terceiro:Jornal com histórico de ataques aos professores e suas consequências para professores, escola, alunos e sociedade e educação como um todo; poderia constar os seguintes itens: divisão dos professores em categorias,provas para dar aulas, provas para se obter aumento salarial, faltas médicas, fechamento de salas, superlotação de salas,valor de horas aulas, a não aplicação da lei da jornada e da lei do piso,assédio moral,etc, etc, etc.
    Quarto:Carro de som percorrendo os bairros no torno das escolas explicando os motivos da possível greve e convocando os pais para uma reunião em um local definido junto com os professores e APEOESP.
    Quinto:entrevista nos jornais,rádios e matérias pagas bem como cartaz, faixas para serem afixados em local de visibilidade( escola, praças etc)
    Sexto:disponibilização de recursos ( combustível, passe de ônibus,lanches) para os professores que quiserem ajudar na convocação da greve.
    Sétimo:reunião extraordinária de R.E e ativistas nas subsedes pelo menos duas vezes na semana.
    Oitavo:assembleias regionais
    Nono:após o feriado passar novamente nas escolas, nova assembleia regional e depois a estadual e decretação da greve por tempo indeterminado.

    Responder
  • 2. Lais  |  28/01/2015 às 12:03

    Obrigada Bebel, você e essa coisa de nao ter chamada só fez piorar a nossa situação!!!! Do jeito que a bagunça se instaurou após as atribuições, o mínimo que vc precisa fazer por nós é a realizaçao da terceira chamada. Para que os aprovados nele incluso estao os cat. O e F nao fiquem desempregadoa. O governo foi na onda do sindicato e fez piorar a situação. Obrigada pela burrada e vê se consegue corrigir essa burrada pq o teu filme tá queimado a muito tempo.

    Responder
    • 3. apeoesp  |  31/01/2015 às 12:23

      Prezada professora Lais,
      “O governo foi na onda do sindicato”??? De onde tirou essa ideia? O governo em 2014 convocou professores para assumirem aulas no meio do ano, deixando professores desempregados e alunos prejudicados pela mudança. E não foi na onda do sindicato, que sempre foi contra esse procedimento e continuará sendo, por decisão de congresso e de assembleia.
      Quanto a suas ofensas, não me interessam. Você está ofendendo a maioria dos professores, que tomou essa decisão. Lamentável.
      Bebel

      Responder
      • 4. ALAIDE SANTOS  |  02/02/2015 às 01:20

        Maioria não presidente
        Saio na Defesa da Lais e concordo com tudo que ela disse.

        A Senhora e o sindicato não nos representa, quem nos ofende e a senhora que foi a favor de atrasar a vida de muitos professores, pois 80% dos que estão na duzentena são aprovados no concurso e quem ficou sem aula também foram os remanescentes né, aprovados no concurso.

      • 5. apeoesp  |  07/02/2015 às 14:13

        Prezada professora Alaide,
        É a sua opinião. Lamento.
        Bebel

  • 6. Wanderlei  |  28/01/2015 às 14:00

    Gostaria de saber se essa autorização para os Professores de Ed. física é válida, citada no documento acima, se elaserá para todos os Professores Efetivos ou somente para os Professores Efetivos que completaram sua jornada em outra U.E., no meu caso sou o 1º a escolher na minha escola, minha jornada é integral, ou seja tive que pegar só aulas do regular, quero saber se em março posso deixar essas aulas e pegar as aulas de ACDS que existem na minha unidade, ano passado sem essa alteração na portaria eu tinha 4 turmas de ACDs e noturno, se for favorecer somente esses professores que sairam para completar em outras escolas, uma boa parte assim como eu não será comtemplada, é preciso verificar essa situação e esclarecer com a SEE e se autorizado a todos os direitos de declinar na minha situação, gostaria tb de saber das aulas de ed, física do noturno, se tb poderemos declinar e pegar , pois estas aulas tb foram gongeladas, sempre trabalhei com os alunos do noturno, desenvolve projetos com eles, gostaria de saber tb como fica esta situação ?

    Responder
    • 7. apeoesp  |  31/01/2015 às 12:18

      Prezado professor Wanderlei,
      Estamos insistindo com a SEE para que seja válida para todos. O comunicado que foi distribuído cita apenas os casos em que o professor teve que obter aulas em outras unidades escolares.
      Bebel

      Responder
      • 8. Daniela C. Martins  |  23/02/2015 às 16:06

        Olá Bebel, tem alguma lei para isto?? A secretária da minha escola me disse que não poderei declinar das aulas regulares para pegar ACD, pois estas agora são consideradas Projetos de Pasta. É verdade?

      • 9. apeoesp  |  28/02/2015 às 14:04

        Prezada professora Daniela,
        Esta funcionária está muito mail informada. Por favor, entre no Portal da APEOESP (www.apeoesp.org.br) e localiza do lado esquerdo, onde está escrito APEOESP Urgente, o boletim Informa Urgente nº 07. Imprima e mostre a ela o seguinte trecho:
        “Turmas de Atividades Curriculares Desportivas
        A APEOESP reivindicou que a formação de turmas de ACD (bem como de todos os demais projetos) seja realizada o quanto antes, já no início das aulas, e não apenas em março.
        Foi reafirmado pelo próprio Secretário que tão logo as turmas de ACD sejam formadas, aquele professor de Educação Física que tenha assumido aulas regulares pode declinar para assumir essas turmas de ACD.
        Foi esclarecido na reunião que o limite de até duas turmas por professor é válido para todas as jornadas de trabalho.”
        Bebel

  • 10. Cristiano Carneiro  |  28/01/2015 às 16:16

    Olá Bebel, sou categoria O com contrato iniciado em fevereiro de 2014. Na atribuição não consegui pegar aulas. Meu contrato continua ativo ou eu vou entrar na duzentena?

    Responder
    • 11. apeoesp  |  31/01/2015 às 12:07

      Prezado professor Cristiano,
      Seu contrato continua ativo e poderá conseguir aulas nas atribuições ao longo do ano. Fique atento.
      Bebel

      Responder
  • 13. Carlos  |  28/01/2015 às 20:19

    olá bebel
    A decisão sobre a duzentena foi negativa, ou seja, teremos que cumprir 200 dias sem poder trabalhar, caso seja verdadeiro por favor comunique a todos no site, pois muitos professores estão aguardando saber.

    Responder
    • 14. apeoesp  |  31/01/2015 às 11:59

      Prezado professor Carlos,
      Essa informação já foi publicada no boletim Informa Urgente nº 07 (27/01), reproduzido neste blog, com o seguinte teor:
      “Intensificar as ações individuais contra a “duzentena”!
      Frente à decisão de primeira instância da Justiça Estadual, que negou a liminar solicitada pela APEOESP, UBES, UPES, com apoio do CRECE em
      Ação Civil Pública para que não seja exigido o cumprimento de “duzentena” para que os professores da categoria “O” participem do processo de
      atribuição de aulas, reafirmamos a orientação para que sejam multiplicadas as ações individuais.
      Como já noticiamos, já obtivemos liminar na região de Bauru, beneficiando quatro professores, e poderemos obter muitas outras nas comarcas
      locais. Essas sentenças são importantes não apenas para os beneficiários diretos, mas também porque criam jurisprudência, uma vez que a APEOESP
      recorreu da decisão no caso da Ação Civil Pública.”
      Bebel

      Responder
  • 15. Fabiana B.  |  28/01/2015 às 21:24

    Por favor, saiu alguma resolução que obrigue o professor que está afastado na municipalização voltar para o Estado? Depois da atribuição das aulas seria muito injusto, quero ficar onde estou, que é no município. Por favor, responda-me urgentemente, pois estou desesperada. Não consegui encontrar nada no Diário Oficial nem na página da Secretaria da Educação… Se for verdade, será possível recorrer?

    Responder
    • 16. apeoesp  |  31/01/2015 às 11:56

      Prezada professora Fabiana,
      A resolução não diz respeito à municipalização, mas a afastamentos individuais, a pedido.
      Bebel

      Responder
  • 17. Mariana  |  28/01/2015 às 21:55

    O mais engraçado, se assim posso dizer, é que sempre o secretario esta de acordo, mas no fim não faz nada, os professores estão cansados de palavras, queremos algo concreto.

    Responder
    • 18. apeoesp  |  31/01/2015 às 11:55

      Prezada professora Mariana,
      Todos nós queremos coisas concretas, por isso lutamos cotidianamente e estamos convocando a categoria para a greve, que deve ser discutida e preparada em cada escola, para que seja forte e conquista nossas reivindicações. Vamos transformar nossa indignação em ações concretas. Cada um(a) tem um papel a cumprir no nossa luta.
      Bebel

      Responder
  • 19. Elisa  |  28/01/2015 às 22:18

    Bebel, gostaria de expor aqui um fato que ocorreu na atribuição de aulas da categoria O na subsede de Suzano. Logo no início da atribuição fomos informado que o saldo de aulas estava zerado para várias disciplinas,logo depois uma representante da apeoesp pega o microfone para criticar os professores efetivos que estavam na atribuição, o que causou xingamentos dos demais a esses professores. Sabemos que a situação está difícil, mas nenhum professor acumularia se tivesse um salário digno, ninguém acumula porque quer, o ano passado fiquei desempregada quase o ano inteiro pois perdi as aulas e demorou para sair o resultado da perícia, inclusive tive que vender meu carro para manter as contas em dia. Sinceramente os professores efetivos que estavam no local saíram humilhados, penso que ninguém conhece a situação do outro, e não cabe a um representante do sindicato agir dessa maneira e “jogar” uns contra os outros, afinal estamos todos no mesmo barco. Abraços.

    Responder
    • 20. apeoesp  |  31/01/2015 às 11:53

      Prezada professora Elisa,
      Você tem toda a razão. Peço desculpas em nome do Sindicato. Não é essa a nossa orientação. Jamais colocaríamos uns professores contra outros, pois sabemos das dificuldades de todos. O Sindicato existe para unificar a categoria e não para fazer esse papel. Nossa divisão só interessa ao Governo. Lamento muito pelo ocorrido e procurarei verificar o que aconteceu.
      Obrigada.
      Bebel

      Responder
  • 21. Fabiana B.  |  28/01/2015 às 22:40

    Cara Bebel, a quais servidores a resolução se refere? Acho que não é sobre os professores nem sobre afastados pela municipalização…Certo?

    Responder
    • 22. apeoesp  |  31/01/2015 às 11:50

      Prezada professora Fabiana,
      Não. Não atinge os afastamento da municipalização.
      Bebel

      Responder
  • 23. Fabiana B.  |  28/01/2015 às 22:58

    Desculpe a insistência, Bebel, mas não entendi direito a seguinte resolução:
    “GABINETE DO SECRETÁRIO
    Resolução SG-8, de 26-1-2015
    Cessa os afastamentos de servidores da Secretaria
    da Educação na forma que especifica, e dá providências
    correlatas
    O Secretário de Governo, no uso de suas atribuições legais,
    resolve:
    Artigo 1º – Ficam cessados, a partir de 06 de julho de
    2015, os afastamentos de todos os servidores da Secretaria da
    Educação, devendo, a partir desta data, retornarem aos seus
    órgãos de origem.
    Parágrafo único – Excetuam-se do disposto no “caput”
    deste artigo os afastamentos de servidores requisitados pelo
    Tribunal Regional Eleitoral – TRE.
    Artigo 2º – Esta resolução entra em vigor na data de sua
    publicação, ficando insubsistente a Resolução SG nº 6, de 20
    de janeiro de 2015.”
    Por favor, minhas colegas e eu estamos ansiosas por uma resposta esclarecedora…

    Responder
    • 24. apeoesp  |  31/01/2015 às 11:50

      Prezada professora Fabiana,
      Devem retornar a suas unidades, a partir de 06 de julho, servidores da SEE que estão afastados em outros órgãos do Estado, prefeituras etc. As solicitações de afastamento devem ser reencaminhadas ao Secretário da Educação antes desta data para que possam ser avaliadas e continuadas, se for o caso.
      Bebel

      Responder
      • 25. Fabiana B.  |  02/02/2015 às 22:24

        Muito obrigada, mesmo!

      • 26. apeoesp  |  07/02/2015 às 13:52

        Prezada professora Fabiana,
        Disponha.
        Bebel

  • 27. Marden  |  28/01/2015 às 23:48

    Bebel, alguma notícia sobre o concurso peb1?

    Um abraço

    Responder
    • 28. apeoesp  |  31/01/2015 às 11:46

      Prezada professora Marden,
      Houve a chamada, mas a posse se dará apenas no segundo semestre, por desorganização da SEE.
      Bebel

      Responder
  • 29. Kaio  |  29/01/2015 às 00:24

    Bebel, muitas salas fecharam e a próxima chamada deve ser mínima, O secretário já sinalizou com a prorrogação do concurso? E além disso ele também teria que liberar as aposentadorias. Obrigado!

    Responder
    • 30. apeoesp  |  31/01/2015 às 11:37

      Prezado professor Kaio,
      Estamos em campanha contra o fechamento de salas e pela sua reabertura, além do desmembramento.
      A SEE já se comprometeu com a prorrogação da validade do concurso.
      Bebel

      Responder
  • 31. Julia  |  29/01/2015 às 04:07

    Bebel e aumento de salário?Precisamos de aumento salário,tudo aumentou,tudo está caro e nosso salário parece que não acompanha assim como o de todo brasileiro,mas percebo que o nosso fica para trás sempre…

    Responder
    • 32. apeoesp  |  31/01/2015 às 11:34

      Prezada professora Julia,
      Por favor, acompanhe as informações pelo Portal da APEOESP (www.apeoesp.org.br) ou aqui no blog.
      Não há previsão de reajuste salarial. Por isso, vamos à greve em março. É preciso preparar bem o movimento nas escolas, para que seja forte e obrigue o governo a nos atender.
      Bebel

      Responder
  • 33. Professor Thiago  |  30/01/2015 às 05:12

    Presidenta;

    Saiu o calendário escolar na região de São bernardo do Campo e o absurdo é que querem exigir o nosso comparecimento em nada menos do que 7 sábados ao longo de 2015! 4 são letivos e outros 3 não são letivos (Dia D de avaliação institucional, reflexão SARESP) e replanejamento…

    Por favor, não tem como o sindicato entrar com ação judicial para ao menos nos livrar dos dias não letivos. Até entendo que a lei obriga 200 dias letivos e alguns sábados acabam entrando nessa conta. Mas obrigar-nos a trabalhar sem ser dia letivo é um abuso…

    Obrigado…

    Responder
    • 34. apeoesp  |  31/01/2015 às 11:17

      Prezado professor Thiago,
      Não há margem legal para ação judicial.
      Reproduzo trecho dos boletins Informa Urgente nºs 2 e 4 de 2015, publicados no portal da entidade (www.apeoesp.org.br) e reproduzidos aqui no blog:
      Informa Urgente nº 2:
      “A APEOESP chamou a atenção da Secretária Adjunta para o fato de estarem previstos no calendário escolar de 2015 três sábados não letivos (dias 11/04, 12/09 e 17/10), não havendo previsão de pagamento de serviço extraordinário. Além disso, a atividade prevista para o dia 17/10 prejudica os professores, face à proximidade com o Dia do Professor, na quinta imediatamente anterior.
      A APEOESP defende que o organismo competente para decidir o calendário escolar é o conselho de escola. Além disso, o Sindicato cobrou e continuará lutando pelo pagamento de serviço extraordinário nos sábados referidos e pela alteração da atividade agendada para 17/10.”
      Informa Urgente nº 4:
      “A APEOESP voltou a cobrar da SEE que institua o pagamento de serviço extraordinário nos três sábados não letivos previstos no calendário escolar de 2015, bem como que altere a atividade prevista para o dia 17/10, que prejudica os professores, face à proximidade com o Dia do Professor, na quinta imediatamente anterior.
      A Secretária Adjunta disse que este calendário ainda não é definitivo e será revisto de forma global, em conjunto com outras atividades da SEE”
      Bebel

      Responder
      • 35. Professor Thiago  |  31/01/2015 às 18:51

        Mas nem a questão da hora-extra: exigir judicialmente que o governo nos pague hora-extra. Se ele for obrigado a pagar hora-extra acredito que ele diminuirá convocações.

        É uma relação de trabalho como se fossemos militares… Nós temos uma jornada semanal e recebemos por essa jornada. Se trabalhamos horas a mais temos que receber por isso. E se eu procurar o sindicato para uma ação judicial individual para receber as horas extras desses dias a mais que compareci. É possível?

      • 36. apeoesp  |  07/02/2015 às 14:32

        Prezado professor Thiago,
        Sugiro que leia os boletins do sindicato, que reproduzo aqui no blog. Essa questão já foi levada ao Secretário por três vezes. Há anos temos a orientação para que os professores que realizam trabalho extraordinário ingressem com ações por meio da APEOESP. Procure a subsede.
        Bebel

  • 37. Roberto  |  30/01/2015 às 09:55

    Bom dia Bebel,

    Foi perguntado ao secretário sobre a gratificação de trabalho aos fins de semana dos Vice-diretores do Programa Escola da Família? Deixei esta pergunta em outro post antes da reunião com a SEE.
    Grato

    Responder
    • 38. apeoesp  |  31/01/2015 às 11:14

      Prezado professor Roberto,
      A questão das horas extraordinárias e gratificações por trabalho aos sábados foi colocada, mas não obtivemos resposta. A prioridade da reunião terminou por ser os problemas da atribuição de aulas. Vamos encaminhar novamente, como uma questão específica, por escrito, para tentarmos obter uma resposta também por escrito.
      Bebel

      Responder
  • 39. hugo  |  30/01/2015 às 17:38

    Boa tarde!
    Sou professor de educação física.
    Pelo fatos da limitações impostas, tive que pegar aulas em 3 escolas para completar 32 aulas.
    Quando poderei declinar e pegar as aulas de acd e as aulas do noturno que estão paradas nas minha escola?
    obrigado

    Responder
    • 40. apeoesp  |  31/01/2015 às 10:59

      Prezado professor Hugo,
      A SEE informou que este processo se dará em março, mas a APEOESP está reivindicando que seja antecipado o mais rápido possível.
      Bebel

      Responder
      • 41. Hugo  |  02/02/2015 às 23:00

        Obrigado pela atenção!
        E parabéns pela iniciativa desse canal é de muita importância nesse momento!

      • 42. apeoesp  |  07/02/2015 às 13:51

        Prezado professor Hugo,
        Obrigada. Boa sorte.
        Bebel

  • 43. Sílvia  |  30/01/2015 às 18:19

    Olá Bebel gostaria que você se posicionasse com relação ao calendário escolar. Que absurdo! Colocar dias de reuniões aos sábados e nem sequer contar como dia letivo? Isso é legal?
    Daqui a pouco teremos que trabalhar aos domingos também.
    Um abraço. Vamos à luta!

    Responder
    • 44. apeoesp  |  31/01/2015 às 10:58

      Prezada professora Silvia,
      Reproduzo trecho dos boletins Informa Urgente nºs 2 e 4 de 2015, publicados no portal da entidade (www.apeoesp.org.br) e reproduzidos aqui no blog:
      Informa Urgente nº 2:
      “A APEOESP chamou a atenção da Secretária Adjunta para o fato de estarem previstos no calendário escolar de 2015 três sábados não letivos (dias 11/04, 12/09 e 17/10), não havendo previsão de pagamento de serviço extraordinário. Além disso, a atividade prevista para o dia 17/10 prejudica os professores, face à proximidade com o Dia do Professor, na quinta imediatamente anterior.
      A APEOESP defende que o organismo competente para decidir o calendário escolar é o conselho de escola. Além disso, o Sindicato cobrou e continuará lutando pelo pagamento de serviço extraordinário nos sábados referidos e pela alteração da atividade agendada para 17/10.”
      Informa Urgente nº 4:
      “A APEOESP voltou a cobrar da SEE que institua o pagamento de serviço extraordinário nos três sábados não letivos previstos no calendário escolar de 2015, bem como que altere a atividade prevista para o dia 17/10, que prejudica os professores, face à proximidade com o Dia do Professor, na quinta imediatamente anterior.
      A Secretária Adjunta disse que este calendário ainda não é definitivo e será revisto de forma global, em conjunto com outras atividades da SEE”
      Bebel

      Responder
  • 45. PAULO  |  31/01/2015 às 20:04

    olá bebel
    A informação que a apeoesp perdeu a ação contra a duzentena procede? Não poderemos dar aula nem como professor eventual?Por favor me informe estou em desespero.

    Responder
    • 46. apeoesp  |  07/02/2015 às 14:25

      Prezado professor Paulo,
      A APEOESP não perdeu a ação. O juiz não deu a liminar e recusou recurso da APEOESP, mas ainda não há decisão final. Solicitou mais informações. Se desejar, deve entrar com ação individual. Procure a subsede da APEOESP na região.
      Bebel

      Responder
  • 47. Lais  |  01/02/2015 às 15:35

    Bebel, queria dizer que em muitas escolas houveram fechamenti de salas e por conta disso, Efetivos e F adidos, cat O e remanescentes sem poder escolher aulas. Sabemos que em Fevereiro acontece o bolão e pedimos ao sindicato que essas aulas sejam para uma nova atribuiçao continuando da lista de onde pararam. Nao utilizar estas para cadastro emergencial, sendo que há professores no aguardo. Peço para que o sindicato exige do edtado uma nova atribuiçao qdo for o período do bolao das aulas.
    Obrigada.

    Responder
    • 48. apeoesp  |  07/02/2015 às 14:20

      Prezada professora Lais,
      O cadastro emergencial já foi aberto. Vou considerar sua sugestão para conversar com a SEE.
      Bebel

      Responder
  • 49. Daniel Santos  |  01/02/2015 às 16:42

    Queridos amigos docentes, vamos analisar a situação, “a culpa de tudo não é somente” do SINDICATO, mas sim de todos aqueles PROFESSORES que reelegeram Geraldo Alckmin, a maioria reelegeu a BEBEL, muitos professores não votaram nas “eleições do sindicato”.
    No dia do “ato” 29 de Fevereiro, a subsede da minha região colocou uma van a disposição, apareceram “dois professores”, no ano passado muitos Professores categoria “O” não entraram em “greve”.
    Fico pensando que a culpa não é do sindicato, mas sim do individualismo de muitos colegas. As regras são estabelecidas pela SEE, se no ano do ano passado, e no dia 29 de Fevereiro tivessem 30 mil docentes ou mais, poderíamos mostrar “força” para a SEE, porém o número não chegou a 5 mil. Por favor, amigos docentes vamos fazer uma reflexão, se 60% dos docentes entrarem de greve podemos questionar o sindicato mostrando “forças”.
    Bebel sei que é complicado, porém a conscientização dos fatos cabe ao sindicato.

    Responder
    • 50. apeoesp  |  07/02/2015 às 14:19

      Prezado professor Daniel,
      Obrigada pelos seus esclarecimentos. O sindicato somos todos nós. O movimento somos todos nós. Sim, o sindicato precisa aperfeiçoar sua comunicação e buscamos fazê-lo, mas qualquer conquista só ocorre se houver mobilização e vontade por parte de todos. Continuaremos nossa luta, pois confiamos na categoria.
      Bebel

      Responder
  • 51. Andréia  |  02/02/2015 às 12:00

    Bom dia Bebel,
    Já há previsão da chamada do concurso PEB 1 do Estado?

    Responder
    • 52. apeoesp  |  07/02/2015 às 14:12

      Prezada professora Andreia,
      No primeiro semestre, para posse no segundo semestre.
      Bebel

      Responder
  • 53. TIAGO  |  02/02/2015 às 15:13

    olá
    sou categoria o meu contrato encerrou em dezembro e não recebi nada ainda.Tenho direito a rescisão e ferias pelo que li, porém ninguem sabe dizer o dia que receberei, será que é dia 20/02?Como faço para saber se terei que cumprir quarentena ou duzentena, nas escolas as secretarias nao sabem informar,o que faço ?

    Responder
    • 54. apeoesp  |  07/02/2015 às 14:07

      Prezado professor Tiago,
      Se foi seu primeiro contrato, já passou o período da quarentena e pode assinar novo contrato. Já havia usado a quarentena antes, deve agora cumprir 200 dias fora. Deve fazer sua inscrição no cadastro emergencial. Poderá receber verbas rescisórias em folha suplementar, em 20/02. Se não receber, procure o departamento jurídico na subsede.
      Bebel

      Responder
  • 55. Edna Santana  |  03/02/2015 às 21:15

    Olá Bebel, aconteceu um fato com uma colega, na atribuição na escola. Essa colega, professora de Geo, tinha sua sede em determinada escola, onde desde 2012 pega aulas de uma prof efetiva que pega licenças e nunca voltou. Essa professora teve alguns problemas com a coordenação da escola, coisas corriqueiras. Este ano, ela foi participar da atribuição na U.E. e a vice diretora a aconselhou para que não pegasse as aulas da prof., pois a mesma voltaria em fev., que era melhor ela ir para a DE. A professora foi, e só pegou 10 aulas em duas escolas e substituição ainda (com 20 anos de magistério). Essa semana, a professora, descobriu que a prof afastada NAO voltou, e suas aulas serão atribuídas para uma outra professora da mesma unidade escolar que sempre teve menos pontos do que ela! Ou seja, foi uma jogada para que a prof. saísse da escola, e deixasse as aulas para a outra professora, que estava de permanência.
    Ela já procurou os colegas da apeoesp daqui de Mauá, e nada foi feito. Ela já entrou em contato com diversos setores, e agora enviou a questão ao DRHU. A professora foi prejudicada, e induzida a sair de sua sede. Hoje, ela esteve na escola, e o próprio diretor falou para ela que ia atribuir aquelas aulas à professora de permanência, que agora era a 1ª (visto que ela já não é da UE!), e a mesma não ia pega tudo, e se ela quisesse, poderia pegar o “resto” lá na DE!
    Me diga Bebel, esse foi um procedimento transparente e legal? Fiquei indignada! Ela já marcou com o jurídico do sindiicato. Muito obrigada!

    Responder
    • 56. apeoesp  |  07/02/2015 às 13:08

      Prezada professora Edna,
      Não é. Foi um procedimento irregular e anti-ético. A saída, entretanto, se houver, é jurídica.
      Bebel

      Responder
  • 57. Jaqueline  |  03/02/2015 às 22:03

    Boa noite, fiquei adida e fui obrigada a pegar aulas em uma cidade a quase 50 km da minha, pedi o retorno “ex-officio”, nessa semana minha ex-sede desmembrou uma sala e peguei as aulas (6 aulas de matemática).
    Minha dúvida é se posso largar as aulas que fui obrigada a pegar, para compor jornada “reduzida” com as aulas livres de física que peguei na minha cidade.
    Sou concursada em matemática e gostaria de completar com as aulas de física da disciplina não específica.
    Obs: No dia da atribuição na DE isso aconteceu com outros colegas.

    Aguardo resposta.

    Obrigada.

    Responder
    • 58. apeoesp  |  07/02/2015 às 13:06

      Prezada professora Jaqueline,
      Lutamos pelo direito de escolha do professor, mas as regras da SEE não permitem que você deixe aulas. Por favor, ligue para 11.33506214 e veja se há algo que possa ser feito.
      Bebel

      Responder
  • 59. Patricia  |  04/02/2015 às 15:57

    Boa tarde senhora presidenta!!!

    Acompanhando várias denuncias de professores em relação a superlotação de alunos e um numero bem razoável de professores desempregados como eu né tenho a lhe dizer que diante dos fatos esse sindicato fez o que? Nada só vejo os informes de que os professores entram em greve no mês de março….mas vai acabar tudo em pizza….não vejo força nem do próprio sindicato quem dirá dos professores que já está cansado de tantas promessas falsas. Não estou aqui para agredir ninguém mas também não vou ficar quieta de ver tantas coisas errada e me calar.É desrespeito tanto do governo como do próprio sindicato em relação a nós professores dito isso percebo que todos nós educadores não somos nada diante da dessa sociedade de hipócrita que acha que já nasceu sabendo ler escrever.

    Responder
    • 60. apeoesp  |  07/02/2015 às 12:42

      Prezada professora Patrícia,
      Creio que você esteve entre os cinco mil professores que estiveram na Praça da República no dia 29 de janeiro, em plenas férias, lutando por esses pontos que você menciona, na manifestação convocada pela APEOESP, certo? Creio que esteve também na mesma Praça no dia 5 de dezembro, quando também realizamos ato público seguido de passeata, para lutar pelos mesmos pontos, não é verdade? Acho também que você deve estar informada sobre as duas ações judiciais que ingressamos no TJSP para derrubar a duzentena, uma delas em conjunto com a UBES, UPES e CRECE, em relação às quais a justiça negou liminar e que ainda tramitam, tendo o juiz da segunda delas oficiado à SEE em busca de mais informações. Acho também que você verifica no portal da APEOESP (www.apeoesp.org.br) toda a denúncia que fazemos do fechamento de classes e da superlotação das salas de aula e que, por causa do nosso ato de janeiro, o secretário determinou o desmembramento de classes, que já vem ocorrendo em algumas regiões.
      Se você sabe de tudo isso (ou não se preocupou em se informar, antes de fazer essa crítica tão descabido ao Sindicato?) por que diz que a APEOESP não está fazendo nada?!! E aqui não citei todas as nossas ações, mas apenas algumas delas.
      O que você precisa entender, professora, é que a APEOESP não é o Governo e não temos nenhuma responsabilidade pelos atos do Governador e de seus secretários. Nós lutamos contra esses atos e precisamos contar com o apoio de todos, pois são os professores que fazem o Sindicato ser forte. Omissão e críticas sem fundamento somente enfraquecem a nossa luta.
      Bebel

      Responder
  • 61. marcia  |  04/02/2015 às 19:41

    Boa Tarde! Bebel
    Gostaria de saber qual o limite de aulas que o professor pode dar no dia? Se existe diferença para a quantidade de aulas ex; O professor que tem 28 aulas semanais pode ter no dia 7 aulas e 1 ATPC enquanto que o professor com 32 aulas semanais pode ter 7 aulas e 2 ATPC no dia. Onde encontro as especificações para isso?
    Um abraço
    Márcia

    Responder
    • 62. apeoesp  |  07/02/2015 às 14:51

      Prezada professora Marcia,
      Não encontrei legislação específica. Por favor, ligue para 11.33506214 para melhor orientação.
      Obrigada.
      Bebel

      Responder
  • 63. Rogerio Garcia  |  05/02/2015 às 13:20

    O remanescente do concurso poderá abrir sede como categoria V ou deve aguardar alguma orientação?

    Responder
    • 64. apeoesp  |  07/02/2015 às 12:11

      Prezado professor Rogerio,
      Está havendo desmembramento de classes. Sugiro que aguarde mais alguns dias.
      Bebel

      Responder
  • 65. carlos  |  10/02/2015 às 18:25

    Sou Professor aprovado em 13º no concurso peb 2,e tenho contrato aberto, entretanto não estou trabalhando nem como efetivo e nem como categoria O,passei no concurso e não pego aulas de nenhum modo,aqui em Ourinhos não tem aula.

    Responder
    • 66. apeoesp  |  15/02/2015 às 09:56

      Prezado professor Carlos,
      Isto ocorre, em parte, pelo fechamento de classes e, por outro, pela não aplicação da jornada do piso. Mais dois motivos para uma forte greve em março.
      Bebel

      Responder
  • 67. Adriano Gallego Martins  |  31/03/2015 às 01:13

    Prezada Bebel,
    Sou da Categoria O, estou em duas escolas, em uma surgiu um numero maior de aulas, a pergunta é: posso deixar uma escola para ficar só em uma unidade escolar com um número maior de aulas?
    Atenciosamente,
    Adriano

    Responder
    • 68. apeoesp  |  05/04/2015 às 12:28

      Prezado professor Adriano,
      Não, você não pode deixar aulas atribuídas. Informe-se melhor pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,862,085 hits

Comentários

apeoesp em
apeoesp em Temer, inimigo da educação, ve…

%d blogueiros gostam disto: