Governador autoritário não respeita sindicato

15/03/2015 at 15:04 27 comentários

O Governador Geraldo Alckmin, do PSDB, mostra novamente sua face autoritária, muito semelhante ao seu antecessor, José Serra.

Ele chamou a decisão da assembleia dos professores realizada no dia 13 de março, deflagrando a greve da categoria, de “novela que acontece todos os anos” e disse que a APEOESP não tem legitimidade. Disse ainda que a greve não vai acontecer.

Não é o Governador que confere legitimidade ao nosso sindicato, mas a categoria, que elegeu livre e soberanamente a direção sindical. Se o próprio governador admite que os professores tem, todos os anos, motivos para realizar uma greve, está admitindo que seu governo não prioriza nem valoriza a educação e os professores. E é de fato o que ocorre.

Neste ano, ele extrapolou: fechou mais de 3.390 classes (levantamento parcial em 73 regiões) e superlotou salas de aula com até 60 alunos (ensino regular) e até 91 alunos (Educação de Jovens e Adultos). Ele cortou verbas das escolas, onde falta até papel higiênico. Reduziu o número de coordenadores pedagógicos, piorando a qualidade do ensino. Não há verba para manutenção das unidades escolares e em muitas delas os banheiros não podem ser usados por falta d´água. É uma vergonha!

Os professores querem condições de trabalho, querem o desmembramento das salas superlotadas, querem condições de ensino-aprendizagem para os estudantes. Querem respeito, querem dignidade e querem a equiparação salarial com os demais profissionais com formação de nível superior, como determina o Plano Nacional de Educação. Isto significa um plano para um aumento de 75,33%, que é o índice que permite esta equiparação.

O que o Governador oferece? Nada! Reajuste zero. Não aceitamos. Por todos esses motivos, estamos em greve.

O Governador diz que o piso de piso de São Paulo é 26% maior do que o piso nacional, mas de forma desonesta não diz que em 2009 o salário base dos professores da rede estadual de ensino era 59% maior que o piso nacional, o que demonstra a desvalorização dos nossos salários.

Nós, professores, estamos lutando pela valorização do nosso trabalho, por emprego, salário, condições de trabalho e água para todos. Lutamos, principalmente, pela melhoria da educação pública estadual e ficaremos em greve até o atendimento de nossas reivindicações. Não vamos nos intimidar. Se o Governador Alckmin quer pagar para ver,  como fez o ex-Governador Serra, verá.

A luta pela qualidade da educação interessa a toda a sociedade. Por isso, pedimos o apoio dos pais e solicitamos que não enviem seus filhos às escolas enquanto durar a nossa greve.

Maria Izabel Azevedo Noronha
Presidenta da APEOESP

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

Veja de que forma o Governador quer acabar com a greve dos professores

27 Comentários Add your own

  • 1. carlos Roberto da Silva  |  15/03/2015 às 17:16

    Bebel, estou com vcs, sou representante de escola da região de Casa Branca. Não pude ir ao ato do dia 13, mas estou ciente das deliberações que virão. Força e conte comigo companheira.

    Responder
    • 2. apeoesp  |  21/03/2015 às 16:44

      Prezado professor Carlos,
      Valeu. Contamos com você e demais colegas.
      Bebel

      Responder
  • 3. Luis Silva  |  15/03/2015 às 17:29

    Posso perguntar o porquê que o sindicato não faz campanha através de suas subsedes utilizando ferramentas como carros de som para conscientizar a população da greve….???

    Lá na minha escola a maioria disse que não vai parar pois não acredita no sindicato… Não seria a hora de reconquistar a confiança…???

    Eu penso que para o sucesso do movimento seja feita uma campanha em massa para mostrar para a sociedade que educação está ruim mesmo e que a greve é o resultado do descaso causado pelo governador. Por que não publicar vídeos que mostram a realidade da escola…??? Por que não contratar carros de som para saírem pelos bairros conscientizando a população que a greve é necessária e não é apenas por causa do salário…???

    Responder
    • 4. apeoesp  |  21/03/2015 às 16:41

      Prezado professor Luis,
      Em diversas regiões carros de som tem sido utilizados. Houve orientação da sede central para que isto seja feito, mas os comandos de greve regionais é que tomam as decisões no âmbito local.
      Temos feito inserções na mídia, em horário nobre, no Jornal Nacional. Creio, porém, que nada substitui a conversa entre os professores, nas escolas.
      Nossa greve está crescendo e se fortalecendo.
      Bebel

      Responder
  • 5. proeduc  |  15/03/2015 às 17:44

    concordo com texto acima, porem conhecendo a nossa classe, fragmentada pelas politicas do psdb ao longo de anos, não vão fazer essa greve decolar e para não repetir a ultima vez que tentamos e vc Bebel veio naquela tarde com a noticia que a greve estava terminada e nos, pouquíssimos voltamos para casa derrotados. Como tentar de novo se tudo indica que greve não é mais a melhor arma, não porque ela não é importante, mas porque ela nunca vem decolando com força e sempre acaba batendo nos muros da insensatez do governo Alkiman. Se não publicar até entendo, mas pense nisso você e todos dessa diretoria que se perpetua tal qual o governo .

    Responder
    • 6. apeoesp  |  21/03/2015 às 16:34

      Prezado professor proeduc,
      Em primeiro lugar, acho lamentável que se esconda atrás de um pseudônimo. Isto não transmite uma boa ideia sobre a sua pessoa.
      Penso que você se enganou. Nossa greve cresce a cada dia. Ao contrário do que você diz, nossa categoria é corajosa e enfrenta o governo Alckmin.
      Como você não apresentou antes (e nem agora) suas propostas alternativas à greve para conquistarmos nossas reivindicações, continuamos na luta pela melhoria da escola pública estadual. Sentimos a falta de muitos colegas nesta luta, não necessariamente a sua falta.
      Peço desculpas por não ser tão perspicaz e competente como você, mas dou o melhor de mim pela minha categoria e luto, sim. É muito fácil criticar no conforto de sua casa, digitando num teclado. Na vida real, na luta, no enfrentamento direto com o governo, tendo a responsabilidade do encaminhamento de questões que atingem milhares de professores, não é assim tão simples.
      Nossa diretoria continuará a dirigir este sindicato enquanto a base, que nos elege pelo voto livre e direto, assim o desejar.
      Sugiro que você, com toda a sua competência, lance uma chapa e se submeta ao escrutínio dos professores, embora você a tenha em tão baixo conceito.
      Bebel

      Responder
      • 7. proeduc  |  14/05/2015 às 22:49

        Não tenho intenções de me candidatar a cargo nenhum, tenha certeza disto apenas gosto de saber oque acontece no meu sindicato

  • 8. Thiago  |  15/03/2015 às 20:23

    Vou aderir à greve, mas como na minha escola poucos professores vão aderir eu gostaria de um modelo de documento para comunicar a minha adesão (sou efetivo) e ainda comunicar que a escola não pode colocar professores eventuais nas aulas em que eu faltar por motivo de greve.

    Responder
    • 9. apeoesp  |  21/03/2015 às 16:26

      Prezado professor Thiago,
      Os modelos estão disponíveis no site da APEOESP (www.apeoesp.org.br) nos boletins Informa Urgente.
      Bebel

      Responder
  • 10. André  |  15/03/2015 às 20:35

    Depois de desqualificar a expressividade de representação deste sindicato. ao dizer que não representa a maioria dos professores em exercício na rede, o que a SEE e o governador merecem é GREVE mesmo! De uns 60 dias, ainda, pelo menos… para aprender a ter respeito pela categoria e pela representatividade sindical da APEOESP, um dos maiores sindicatos da América Latina!

    Responder
    • 11. apeoesp  |  21/03/2015 às 16:24

      Prezado professor André,
      É isso mesmo. Todos juntos, vamos derrotá-los.
      Bebel

      Responder
  • 12. fabio  |  15/03/2015 às 22:56

    Vc marcou a greve para o mesmo dia que a Cut iria se manifestar seu apoio ao PT. A Cut vai fazer piquete nas escolas agora? Como fazer essa logística? 5200 escolas, Acha que greve ainda tem chances de dar certo com cada um olhando seu umbigo. Quem pegou 50 aulas esta feliz da vida. Quem ficou sem, azar o dele. Agora aguenta a cruz que foi atribuída, fazer greve com 50 aulas é bom da uma folga boa. Não seria melhor vc instruir o professor a pegar menos aulas, para o valor da hora aula subir ao inves de cair com excesso de mão de obra?

    Responder
    • 13. apeoesp  |  21/03/2015 às 16:23

      Prezado professor Fábio,
      Lamento que seja tão mal informado. Nossa assembleia foi agendada para a Avenida Paulista desde o dia 29 de janeiro, muito antes de qualquer outra manifestação no local.
      Discordo totalmente da sua opinião.
      Nossa categoria está em greve e minha prioridade agora é que o movimento conquiste as reivindicações.
      Bebel

      Responder
  • 14. Daniel Andreoti  |  16/03/2015 às 11:27

    Bebel estou desconsolado quero fazer greve e a maioria da minha escola não….
    As vezes penso que os professores merecem ter um governador tirano como este Alckmin pois não se unem….
    Por muitas vezes pensei em exonerar meu cargo pois vejo que muitos dos problemas vem da nossa própria classe que é contraditória e desunida mas amo vcs da apeoesp porque sempre lutam por causas do magistério…..
    Bebel vcs são a minha luz no fim do túnel…..

    Responder
    • 15. apeoesp  |  21/03/2015 às 16:17

      Prezado professor Daniel,
      Compreendo seu sentimento. É muito decepcionante ver que os colegas não compreendem o sentido da nossa luta e são individualistas. Penso mesmo que esses professores não tem mais o direito de emitir uma unica queixa sobre a sua situação, pois fizeram a escolha de calar e aceitar. Mas estamos na luta e a greve se fortalece.
      Sugiro que entre em contato com a subsede da região e peça que o comando de greve visite sua escola.
      Bebel

      Responder
  • 16. Marcio  |  16/03/2015 às 13:15

    Facil decretar greve, o governo vai descontar os dias parados já no próximo mês, vai faltar dinheiro para pagar nossas contas e ai???? Vejo que a formas mais inteligentes de protesto sem prejuízo financeiro para a categoria. Sei que esse governo é autoritário e estamos fazendo justamente o jogo dele. Não trabalho, não ganho, eventuais que estão precisando de dinheiro dão aulas e a vida segue e as despesas diminuem. O que conquistamos na última greve além de repor aulas no final do ano?? Diretoria infelizmente tenho que admitir que o governo tem razão todo ano a mesma novela….. Senhores vamos usar a cabeça e dar mais opção para os professores decidirem além da greve que tem adesão mínima da categoria…..

    Responder
    • 17. apeoesp  |  21/03/2015 às 16:11

      Prezado professor Marcio,
      Talvez se o senhor tivesse apresentado antes suas propostas eficazes para conquistarmos nossas reivindicações não precisássemos recorrer à greve. Como isto não ocorreu, estamos em luta, em greve, nas ruas, pressionando pela abertura de negociações. Agora nossa prioridade é conquistar as reivindicações. Em outro momento gostaria de ouvir suas ideias sobre como melhorar nossos salários, nossas condições de trabalho, a qualidade da escola estadual. Infelizmente estou muito ocupada com a greve para usar a cabeça com a mesma inteligência que o senhor.
      Bebel

      Responder
  • 18. Maria  |  16/03/2015 às 14:06

    Bebel, sr.Geraldo diz tudo isso porque percebeu a fraqueza de nossa categoria. Ele conseguiu separar os professores quando o partido dele criou as famosas categorias F, L, O, e outras, dando vantagens ( engano quem pensa) a elas. Quando ele diz ” novela que acontece todos os anos” tem razão, pois não somos unidos suficiente para aguentar até o fim as reivindicações.O que penso do sindicato? Faz sua parte, porém enfraquece sem união da categoria.

    Responder
    • 19. apeoesp  |  21/03/2015 às 16:08

      Prezada professora Maria,
      Nossa categoria está dando um exemplo de unidade e combatividade na greve, embora com dificuldades. Acompanhe em http://www.apeoesp.org.br.
      Bebel

      Responder
  • 20. Vinícius  |  17/03/2015 às 00:56

    Bebel sou professor em Embu das artes….adesão tem sido fraca…. Taboão da serra desconhece a greve….precisamos de uma força pra puxar estes prof. a esta greve se realmente vc tem interesse vamos enviar comando de greve mais eficaz a estes municípios….. escolas próximas…..gastar um tempo e fortalecer a greve ….

    Responder
    • 21. apeoesp  |  21/03/2015 às 15:41

      Prezado professor Vinicius,
      Você tem razão. O comando de greve é descentralizado. Por favor, entre em contato com a subsede de Taboão da Serra: Av. Jovina de Carvalho Dau, 125 – Taboão da Serra – Tel/Fax: 4701-5864.
      Bebel

      Responder
  • 22. Cláudia de Oliveira  |  22/03/2015 às 14:39

    Olá! Bebel
    Muitos professores que assumiram o concurso em 2013, estão com receio de fazer greve. Você poderia explicar sobre o probatório.
    Grata. Cláudia de Oliveira

    Responder
    • 23. apeoesp  |  22/03/2015 às 17:13

      Prezada professora Cláudia,
      Somos todos professores. Estamos lutando por todos ao mesmo tempo. Assim como vamos negociar os dias parados, a reposição e o pagamento desses dias; bem como que nenhum professor da categoria O seja demitido em razão da greve (o direito dos servidores públicos à greve está assegurado pelos artigos 9º e 37, VII da Constituição Federal e deverá ser exercido observando-se as disposições da Lei 7.783/1989, conforme decidiu o Supremo Tribunal Federal no Mandado de Injunção n.º 712-PA.) lutaremos também para que não haja nenhum prejuízo em relação ao estágio probatório. Juridicamente estamos amparados. Qualquer medida que o governo tome neste sentido será contestada judicialmente pela APEOESP.
      Bebel

      Responder
  • 24. Nilton Domingues  |  24/03/2015 às 00:58

    Vocês esqueceram de nós, os PAAS, por que ainda
    estamos fora? Vocês, como o governador, também, nos ignoram?

    Responder
    • 25. apeoesp  |  28/03/2015 às 10:20

      Prezado professor Nilton,
      Não entendi. Professor, estamos em greve contra todos esses desmandos. Como pode dizer que esquecemos e nos comparar ao governador?
      Bebel

      Responder
  • 26. Nilton Domingues  |  25/03/2015 às 11:25

    Gostaria de saber como fica a situação dos PAA, a Apeoesp, tal qual o governador, nada fizeram ainda,para a nossa categoria! Gostaria de um pronunciamento de vocês…..Grato, Prof. Nilton.

    Responder
    • 27. apeoesp  |  28/03/2015 às 10:29

      Prezado professor Nilton,
      Estamos em greve contra os desmandos do governo. Acha mesmo que somos iguais ao governador?
      Bebel

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,856,811 hits

Comentários

apeoesp em
apeoesp em

%d blogueiros gostam disto: