13/05/2015 at 17:49 25 comentários

informa urgente 13052015

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

Reinaldo Azevedo ataca juíza que não faz o que ele quer APEOESP conquista no TJSP decisão pelo não desconto dos dias parados na greve

25 Comentários Add your own

  • 1. Evaneide  |  13/05/2015 às 18:44

    Olá Bebel, gostaria de saber se trataram sobre a reposição dos dias parados. Como ficará essa questão?
    Obrigada!

    Responder
    • 2. apeoesp  |  16/05/2015 às 18:04

      Prezada professora Evaneide,
      Temos liminar ganha no Tribunal de Justiça e uma outra ação no STF. Estamos cobrando do governo folha suplementar para estornar o que foi descontado.
      Bebel

      Responder
  • 3. miriam1207  |  13/05/2015 às 18:46

    Agradeço a todos os amigos professores e sindicato que estão lutando em prol da educação. É um trabalho árduo e pouco reconhecido pela sociedade.
    Além dos itens mencionados gostaria de saber quando será aplicada a lei de 2008 sobre 1/3 de atividades sem alunos? este também é um item muito importante, afinal é lei e deve ser cumprida. Porque até o momento o governo não aplicou a lei? o que falta para ser aplicada?
    Outro item importante é a falta de recursos que as escolas estão passando, onde está o dinheiro arrecadado com impostos? Por que os recursos não chegam à escola?
    Parabens pela luta e determinação!!

    Responder
    • 4. apeoesp  |  16/05/2015 às 18:01

      Prezada professora Miriam,
      Obrigada.
      O Governo Estadual não aplica a lei do piso, por isso ingressamos com ação judicial que está no momento no Supremo Tribunal Federal, onde estamos pressionando para que seja agendado o julgamento.
      Quanto aos recursos para as escolas, estamos cobrando, mas o Secretário diz que a situação está regularizada. Sabemos que isto não ocorre, por isso este é um dos pontos da pauta da greve.
      Bebel

      Responder
  • 5. Prof Clóvis  |  13/05/2015 às 19:32

    Mais do mesmo. Perpetuação do Categoria O, sem reajuste e aumento definido, sem Lei do Piso, sem pagamento dos dias parados, corte do ponto de grevista, escolas sem coordenação, vale coxinha igual… A GREVE CONTINUA

    Responder
    • 6. apeoesp  |  16/05/2015 às 17:59

      Prezado professor Clóvis,
      Sim, a greve continua.
      Bebel

      Responder
  • 7. FERNANDO ALVES DA SILVA  |  13/05/2015 às 19:50

    Olá Bebel, estamos avançando para vitória nas nossas pautas, a luta nunca é em vão. Só faltou noticias sobre os dias parados, como ficamos? abços

    Responder
    • 8. apeoesp  |  16/05/2015 às 17:58

      Prezado professor Fernando,
      Ganhamos ação na justiça pelo estorno do que já foi descontado e para que não haja mais descontos. Estamos cobrando do Estado que execute a sentença.
      Bebel

      Responder
  • 9. Maria Angelica Veloso Mendes  |  13/05/2015 às 21:29

    Olá Bebel, parabéns pela greve!

    Não vi nada sobre a jornada do piso, não foi discutido sobre este item? Das reivindicações da nossa pauta este é o ponto mais importante para melhoria da qualidade da educação publica.

    Responder
    • 10. apeoesp  |  16/05/2015 às 17:56

      Prezada professor Maria,
      Este é um ponto permanente de nossa pauta, abordado em todas as reuniões. Ocorre que o governo continua dizendo que já cumpre a lei e nós temos ação judicial no Supremo Tribunal Federal, onde estamos tentando apressar o julgamento.
      Bebel

      Responder
  • 11. MARCOS  |  13/05/2015 às 22:11

    Bebel ,e os outros pontos ,como por exemplo a Lei do Piso?

    Responder
    • 12. apeoesp  |  16/05/2015 às 17:54

      Prezado professor Marcos,
      É simples: o governo nada oferece em relação aos demais pontos. Em relação aos pontos que aborda, a assembleia considerou insuficientes e a greve continua.
      Bebel

      Responder
  • 13. Flavia  |  13/05/2015 às 22:43

    Não entendi?! Então no lugar da duzentena da CAT O vai haver 180 dias ??? Isso que foi mudado ???

    Responder
    • 14. apeoesp  |  16/05/2015 às 17:53

      Prezada professora Flávia,
      Nada foi mudado ainda. Não podemos impedir que o governo envie o projeto para a ALESP, mas não consideramos essa proposta suficiente. A assembleia a rejeitou e a greve continua.
      Bebel

      Responder
  • 15. catia  |  14/05/2015 às 00:09

    E quanto a jornada do piso por lei que deveria ser de 26 aulas, vai ser discutido tambem? Não li nada a respeito sobre essa proposta, que tanto dificulta o trabalho docente, enquanto nas escolas municipais os professores tem piso de 25 aulas semanais com alunos no estado temos 32.

    Responder
    • 16. apeoesp  |  16/05/2015 às 17:52

      Prezada professora Catia,
      Isto vem sendo discutido desde 2011. O governo se recusa a aplicar a jornada do piso e nossa ação judicial está em tramitação no Supremo Tribunal Federal, onde estamos buscando acelerar o julgamento. Em todas as reuniões com o secretário este é ponto permanente, mas nada muda, pois são intransigentes. Já estamos em greve e já acionamos a justiça. Se houver alguma outra proposta que possa fazer o governo cumprir a lei, aceito sugestões.
      Bebel

      Responder
  • 17. Fram  |  14/05/2015 às 00:49

    180 dias!!!!! Esta contratação para o categoria O é absurda. Terminaremos o ano com única certeza: que ao invés de ficarmos 200 dias desempregados só iremos ficar 180 dias. Devemos comemorar esta vitória da apeoesp????????

    Responder
    • 18. apeoesp  |  16/05/2015 às 17:49

      Prezada professora Fram,
      Não entendi a ironia do seu comentário. Por que fala em “vitória da APEOESP”?
      A proposta foi rejeitada e a greve continua.
      Bebel

      Responder
  • 19. Fram  |  14/05/2015 às 01:01

    Segundo o comentário que li a decisão do juiz Luis Felipe Ferrari Bedendi é esta: o Estado “está buscando a implementação da regra de necessidade de concurso público de ingresso para os cargos estatutários de professores, quebrando a perpetuação da situação provisória e precária de vínculo com profissionais temporários para atuarem como se efetivos fossem”. “É notória a precariedade da situação educacional no Estado, causada, dentre outros inúmeros fatores, pela falta de contratação de professores capacitados, que deem continuidade a um programa educacional satisfatório. Em incontáveis situações, os alunos da rede pública ficam sem aulas ou as tem de forma sofrível ante a ausência de bons profissionais que possam ministrar as aulas. Porém, a via adequada para se resolver esse grave problema é o concurso público, aliás, tal qual exige a Constituição Federal, e não a continuidade de contratações temporárias“, cita a decisão.
    Não somos capacitados??? Passei no concurso realizado em 2013, como muitos professores, porém não efetivei pois, não havia aulas… Agora deverei cumprir 180 dias porque não estou capacitada para lecionar… Os 180 dias serve para ficarmos em casa planejando nossas aulas para o próximo semestre. Possuo 3 licenciaturas e vários cursos ofertados pelo Estado. Fico envergonhada de dizer que sou professora.

    Responder
  • 20. Laura  |  14/05/2015 às 03:04

    OlÁ Bebel sou prof categoria O e estou de greve.
    Olha acho que a proposta feita para categoria O de ter contrato de 3 anos e depois ficar 180 dias ,absurda.Isso não pode ser aceito,ou seja,ficaremos na mesma,pois agora trabalha 2 e fica 200,DIMINUIR 20 dias?/?/Que proposta absurda,isso NÃO pode ser aprovado.E sim ao menos que seja contrato de 3 anos,com 40 dias de interrupção para CELEBRAR UM NOVO CONTRATO,já que segundo a lei deve haver uma interrupção,agora 180 dias,isso continua sendo absurdo,NÃO podemos aceitar!!!!E agora que o projeto irá para ALESP que temos que dizer nãooooo,180 dias não,é muito ainda!!!!

    Responder
    • 21. apeoesp  |  16/05/2015 às 17:46

      Prezada professora Laura,
      Parabéns.
      A proposta não foi aceita. A greve continua.
      Vamos continuar exigindo do governo alternativas que possam ser aceitas.
      Bebel

      Responder
  • 22. luciana  |  14/05/2015 às 13:46

    Como assim 180 afastados ?????

    Responder
    • 23. apeoesp  |  16/05/2015 às 17:45

      Prezada professora Luciana,
      Na proposta do governo, os professores da categoria O não ficariam mais afastados 40 dias ou 200 dias, como é agora, mas 180 dias ao final do contrato, que poderia durar 3 anos ou até quase 4 anos, pois é prorrogado até o final do ano letivo em que se encerra.
      Bebel

      Responder
  • 24. Domingues  |  14/05/2015 às 13:51

    Bom dia; É importante sabermos os índices para esses anos. Obrigado.

    Responder
    • 25. apeoesp  |  16/05/2015 às 17:44

      Prezado professor Domingues,
      Sim, por isso a assembleia rejeitou a proposta e decidiu manter a greve.
      Bebel

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,805,762 hits

%d blogueiros gostam disto: