Assembleia decidiu: professores estão em estado de greve.

09/04/2016 at 14:58 28 comentários

A assembleia desta sexta-feira decidiu: estamos em estado de greve. Reajuste zero, não dá! Vamos desenvolver um calendário de mobilizações até o dia 29 de abril, quando teremos nova assembleia ás 14 horas na Avenida Paulista. Todas as deliberações serão divulgadas no boletim Informa Urgente, na segunda-feira.

A assembleia foi marcada para o dia 29/04 para que possam se unificar os professores que receberão o bônus no dia 15/04 e aqueles que nada receberão. Não haverá após o dia 15/04 nenhuma razão para esta divisão que o Governo Estadual criou entre nós. Haverá tempo até lá para uma grande convocação nas escolas e nas regiões.

O sindicato, por meio de seus diretores, conselheiros, representantes e militantes vai estar presente nas macrorregiões em caravanas, agrupando todas as subsedes, para visitar as cidades, as escolas, realizando panfletagens e conversando com os professores, as comunidades escolares, a população sobre as razões da greve, para ampliar o apoio ao movimento.

Neste processo, como parte do calendário a ser desenvolvido, vamos realizar em data que iremos agendar atos em frente ao DPME e à Secretaria da Saúde para exigir a revogação da decisão do Governo de colocar como injustificadas faltas de professores e professoras doentes que aguardam perícia e publicação de suas licenças médicas. Não aceitamos este ataque desumano contra a nossa categoria.

No dia 27/04 estaremos em peso na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo para um audiência pública convocada pela Presidência da Casa, na qual vamos debater com o Secretário da Educação e com os deputados a situação da educação pública no estado, particularmente salários, condições de trabalho, fechamento de classes, desvios de recursos da educação, a questão da merenda e outras questões.

Também estamos organizando para o dia 16/04 um encontro estadual dos professores da categoria O, para debatermos o decreto que estenderá os direitos deste segmento ao longo do novo período de contratação (3 anos) e regularizará o direito a férias. O Governo diz que tem minuta pronta, mas o assunto não está tendo andamento no âmbito do Estado. Também debateremos a situação daqueles professores que estão sem aulas, mas não podem ser contratados, enquanto há falta de professores nas escolas.

Como disse, as deliberações completas serão publicadas no boletim Informa Urgente.

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

O RENASCIMENTO DA TFP

28 Comentários Add your own

  • 1. Wagner  |  09/04/2016 às 15:31

    Sou professor categoria O e faltei para acompanhar a paralização do dia 08/04/2016, entretanto a escola que trabalho esta sinalizando em dar falta injustificada, portanto cancelar meu contrato. Como posso me defender?

    Responder
    • 2. apeoesp  |  09/04/2016 às 15:38

      Prezado professor Wagner,
      Por favor, ligue para 11.33506214 e verifique como proceder.
      Bebel

      Responder
  • 3. Ana  |  09/04/2016 às 16:26

    Entao Sra. Presidenta, acho que chegou a hora de você deixar de lado esse governo e resolver brigar seriamente pelos professores, pois é a categoria que VOCÊ representa! Nós estamos perdendo nossos direitos a casa dia que passa! Não podemos ir ao médico e nem levar nossos filhos, não temos direito a licenças médicas, ou ficamos sem pagamento , aliás, isso um outro sindicato que é mais preocupado que essa Apeoesp ja esta tentando resolver! Coloque sua mão na consciência e trabalhe por quem te paga!

    Responder
    • 4. apeoesp  |  09/04/2016 às 16:38

      Prezada professora Ana,
      Tenho a impressão de que você sequer leu o texto que está comentando. As questões que você levanta estão lá. Leia e depois comente, mas, por favor, não coloque questões que não estão em pauta, porque não entendi nada do que você disse sobre “deixar de lado esse governo e resolver brigar seriamente pelos professores”. VOCÊ esteve na assembleia de ontem na Praça Roosevelt? Pois é, eu estive e espero que você tenha estado também, juntamente com outros milhares de professores que lá estavam. Se puder me comprovar que lá esteve, aí sim, nós duas estaremos brigando seriamente pelos professores, como você diz, porque eu estou.
      Bebel

      Responder
      • 5. Maria Emilia Alves Rangon de Lima  |  09/04/2016 às 17:08

        Como assim? A professora não pode questionar a forma como vc representa a luta da categoria?
        Primeiro tem que comprovar que esteve na assembleia para a partir daí ter o direito de opinar e criticar a maneira, equivocada, como o sindicato atua? Vale lembrar que o sindicato pertence a todos associados!
        Faça-me o favor, vivemos em um país democrático todos têm direito de se expressarem mesmo que contrário a sua forma de agir enquanto representante de uma categoria.
        E só para constar: eu estive presente e não concordo com a forma como os estudantes foram tratados e muito menos com a mistura de luta da classe educacional com o #naovaitergolpe.
        Sou contra o golpe.
        Mas, ontem a assembleia era de luta para a categoria e não palco para outras manifestações!!!
        Tenha mais discernimento e respeito pela categoria.

      • 6. apeoesp  |  09/04/2016 às 17:35

        Prezada professora Maria Emilia,
        Se alguém diz que não luta seriamente pela categoria, é preciso que esteja lutando igual ou melhor.
        Os estudantes disseram na assembleia que não deve existir sindicato. Você concorda com isso? Você concordaria se reuníssemos professores para ir bagunçar assembleia estudantil. Este é o seu critério de democracia?
        Bebel

      • 7. Ana  |  09/04/2016 às 18:34

        Outra coisa…vc esta lutando pela categoria…desde quando? Quantas greves vc terminou sendo que nos professores sem salários queríamos continuar? Sem conquistarmos nada, aliás, conseguindo somente o pagamento dos dias parados…E ainda gritando Vitória!!!!! Palhaçada!

      • 8. apeoesp  |  10/04/2016 às 14:22

        Prezada professora Ana,
        Quando ocorre uma vitória, dizemos que há uma vitória. Se o Estado desconta os dias da greve, vamos ao Supremo Tribunal Federal e seu presidente determina que os dias sejam pagos isto é o que? Derrota? Você preferia ficar sem o pagamento? Não lhe faz falta?
        Quando uma greve termina sem resultados salariais a culpa não é de quem lutou, professora, a culpa é do governo, que não negociou e de quem ficou de fora, pois quanto mais adesão a greve tiver, mais resultados alcança. Quem perde é o sindicato? Não. Quem perde é a categoria, inclusive a senhora.
        Bebel

    • 9. Ana  |  09/04/2016 às 18:27

      Estive la sim, não sou RE, minha escola não tem representante, faz anos que não temos visita do sindicato na escola, mas eu e meus colegas, nos reunimos, mesmo sendo contrários a direção do sindicato resolvemos paralisar e comparecer na Assembleia para saber da pauta! E sei muito bem do que estou falando, não adianta vim com sua política e querer desviar o assunto, como fez na Assembleia e ainda ignorou as pessoas que subiram no caminhão e criticaram o PT! Faz anos que estamos com este problema de faltas medicas, é até hoje este sindicato não fez nada! Agora que veio essa lei dasl icencas médicas, foi a Udemo que conseguiu a liminar…faça seu papel e lute pelos professores! Não faca acordos…não preciso provar que estava la, sou livre…mas fui como já disse e levei 80% dos professores para saber a pauta!

      Responder
      • 10. apeoesp  |  12/04/2016 às 21:25

        Prezada professora Ana,
        Por que diz que ignorei pessoas que subiram no caminhão e criticaram o PT? Tratei todos os oradores com a mesma educação. Não me lembro de ter desrespeitado alguém e não me lembro de ninguém ter feito alguma reclamação neste sentido.
        Lamento que sua escola não tenha representante. Creio que você poderia dar uma boa contribuição ao sindicato, à luta coletiva, tornando-se representante. Não é necessário concordar com a direção do sindicato para cumprir este papel.
        Quanto às licenças médicas, de onde você tirou que o sindicato não fez nada? Ingressamos com ação judicial antes da UDEMO. A juíza não nos concedeu liminar. Cabe à justiça explicar porque negou a nós e cedeu à UDEMO, não a mim. Nossa ação continua tramitando e podemos ter a sentença favorável. Não estamos alheios ao problema. Basta ler os materiais do sindicato para verificar isto.
        Bebel

  • 11. Lourdes Dalto  |  09/04/2016 às 16:41

    Muito bom receber esse boletim com noticias da APEOSP, mas e os professores aposentados, como ficam? somos esquecidos? Obrigada

    Responder
    • 12. apeoesp  |  09/04/2016 às 16:55

      Prezada professora Lourdes,
      Não esquecemos dos aposentados. A luta por reajuste salarial é para todos.
      Bebel

      Responder
      • 13. Mary Zaccarelli Zancheta  |  11/04/2016 às 13:46

        Bom Bebel já deu p senhora perceber que os professores estão muito descontentes com sua forma de conduzir as reivindicações para a Educação. Acho melhor Esquecer partido politico PT e focar mais nessa classe trabalhadora o qual o sindicato representa…que são os professores! Ouço por todos os cantos os descontentamento com sua gestão e defesa ao lado do Lula! Ora, nem todo professor é petista! Essas assembleias mais parecem comícios em prol Lula! Que vergonha! Um sindicato não deve se posiciar em defesa de um partido! Por isso lhe digo: Seu comando está péssimo e sujo perante os professores e muitos estão se desfiliando da Apeoesp por não concordar com sua luta ao lado de bandidos que você apóia! Esse sindicato não nos representa mais!

  • 14. Eduardo Costa  |  10/04/2016 às 17:11

    Boa tarde Bebel!!

    Olha é comum mesmo ocorrerem essa implicações vindas até mesmo da categoria que você está a frente mexer com o ” povo ” não é fácil. O que angustia é que quando se fala em greve ” meia dúzia ” realmente veste a camisa e vai a luta. Sou professor de outro estado o de MG e lá estamos ganhando por 20 aulas R$1970,00 isto, o professor em início de carreira sem contar que a cada ano que passa o professor evoluí na carreira de forma vertical mudando de categoria mas enfim o que quero dizer e alertar aos colegas de classe é a união que tem que existir se não há como ir contra ás imposições desse maldito Alckmin que já ficou provado é sem capacidade para gerir a pasta da Educação do nosso estado tem umas ideia absurdas que são jogadas de qualquer forma no estado e nós é que levamos uma vez que a vida dele de ser ótima. Em MG quando se fala em paralisação chega a 96% de adesão em todo o estado lógico tudo leva tempo mas é assim que funciona não teria como expandir a conscientização dos professores principalmente de regiões pequenas do interior? Acredito que é somente assim, que conseguiremos. Se ainda continuarem com medo das punições, sobre quem faz greve ficaremos sempre a mercê deste governo que é inútil mais uma vez trocou de secretário da educação pois, como é de costume quando a ” corda aperta” ele pendem para sair chamem o antigo secretário para conversar informalmente garanto que tem muito o que dizer sobre a maneira do maldito gerir a educação. Mas voltando ao assunto os gestores da Pasta Educação estão vendo que nós professores estamos como a razão sabemos pelo que brigamos e queremos o que é “nosso” nada mais e por isso caem fora quando não conseguem controlar a situação. Os outros estados estão de maneira lenta aos olhos de alguns evoluindo mas estão ! agora o nosso de SP cada vez mais decaindo daqui um tempo não existirá ninguém para trabalhar na educação. Aguardo ansioso meu segundo cargo que se Deus quiser virá pelo concurso de SP pois ” os desesperados esperam até o último muito por um milagre mas como anda acontecendo não creio muito que realmente virá não se resolve muito pelo contrário sempre está sendo adiando por um motivo ou outro. Sei muito bem que não culpa sua e a luta não é única exclusiva da APEOESP mas ainda sim me desculpe mas o sindicato deveria trabalhar com a questão de conscientização nas escolas principalmente do interior onde a adesão é tão pouco parece que estamos sempre deixados de lado. Que fique claro o estado é nosso a escola também e cabe a nós professores e servidores lutarmos para não deixar pior do que está se é para repor vamos repor deixem descontar minha gente quando quero ver qual juiz não irá dar razão para vários que estão no mesmo caso. Para meia dúzia até que sim. Se é um direito nosso? Assegurado pela CF greve pelos direitos públicos pelas condições de trabalho porque não levamos adiante juntos com poucos lá em luta pouco há de se conseguir nem parece que somos formadores de opinião.

    Responder
  • 15. Neide Sanz Ximenes  |  11/04/2016 às 01:28

    Estamos em um momento conturbado, e nada vamos vencer se ficarmos lutando um contra o outro.

    Penso que se a Categoria fosse Unida não precisaria ficar 89 dias em greve e voltarmos com as mãos abanando, a categoria somos nós e não apenas o Sindicato.

    Cada vez mais divididos em observar os próprios umbigos e esquecer que um dia estaremos todos muito pobres, cansados, doentes e humilhados… não dá para esquecer que a categoria fracionada é interesse exclusivo do Governador, e nós acabamos entrando no jogo dele e brigamos contra os colegas que lutam e se prejudicam pelos outros que nada fazem e ainda reclama de quem faz.
    Ora Professores a UNIÃO é a NOSSA FORÇA e , só assim que iremos

    Neide Subsede Santo André

    Responder
  • 16. João Carlos Peçanha da Silva Leme  |  11/04/2016 às 12:11

    Bom dia!

    Isto não precisa ser publicado, pois minha intenção não é prejudicar ninguém, apenas informá-la do ocorrido nesta sexta-feira, dia 08 de abril!

    Desde que soube da assembleia na Capital, decidi que iria participar! Para isso dei meu nome, e de minha esposa, que por problemas de saúde não pode ir!

    Na véspera, fui à sede da Apeoesp em Itapetininga, que inclusive fica ao lado, e confirmei meu compro-misso, e tomei nota do local onde iria passar o veículo que nos levariam até São Paulo.

    Acontece que, na data e horário, a tal “Van”, não chegava, fui novamente até a Apeoesp, e me disseram que o responsável havia me esquecido, e já estava longe!

    Como isso aconteceu é uma incógnita, que somente os representante da Apeoesp pode dizer! A situação já não está fácil, e ainda perdermos nosso tempo, ter de ficar perguntando onde está a “van”, para mim é um absurdo!

    Avisei minha escola, que iria faltar, portanto havia colega substituto programado para a ausência, e não seria justo, ético, honesto, etc. ir dar aulas para não se perder o dia!

    Felizmente, a sede da Apeoesp, “é logo ali!”, e dessa maneira fiquei sabendo do ocorrido, e se não fosse, imagino o transtorno gerado!

    Fiquei tão indignado, que peguei meu carro, e com o pouco de R$ que restou do pagamento das contas, fui para São Paulo! A sorte foi ter completado o tanque de combustível no dia anterior! Chegando fui procurar os colegas, ao qual os encontrei na Praça Roosevelt, mas o responsável pelos transtornos, não! Irei conversar com ele em outra oportunidade!

    E se não tivesse condições de ir até São Paulo, como iria ficar??? Abandonado pelo Sindicato???

    Grato!

    João Carlos Peçanha da Silva Leme.

    Responder
    • 17. apeoesp  |  12/04/2016 às 20:49

      Prezado professor João Carlos,
      É uma situação realmente inaceitável e você tem toda a razão de ficar indignado. Peço desculpas em nome do sindicato e de posse de suas informações, vou solicitar explicações junto à subsede para um pronunciamento formal.
      Bebel

      Responder
  • 18. HENRIQUE  |  11/04/2016 às 14:35

    RSRS

    Responder
  • 19. Eliezer Pereira Ferreira  |  11/04/2016 às 20:27

    Boa tarde Bebel

    Estou desempregado à sete meses.
    Caso apareça alguma vaga administrativa na Apeoesp Sede ou nas sub sedes da região oeste por favor indique. Estou aguardando cadastro emergencial. Grato. Eliezer

    Responder
  • 20. Carmen Silvia Moreira  |  11/04/2016 às 23:26

    Bem, depois de ler os comentários acima expostos e escutar você, Isabel, eu gostaria de lhe dar uma notícia: na manhã desta segunda-feira recebi um telefonema da EEJoão Octávio dos Santos em que a secretária me dizia que ficarei sem salário no mês de maio. Sabe por quê? Porque a minha reconsideração saiu negada da primeira vez e eu fiz outra ao Diretor. Como nada
    foi publicado, fico sem salário em maio. Não é legallllll\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\?????????? Estou doente, mas o que isso importa??????????

    Responder
    • 21. apeoesp  |  12/04/2016 às 20:28

      Prezada professora Carmen,
      Nossa ação judicial está aguardando sentença do juiz no TJSP. Você deve procurar de imediato a subsede da APEOESP na sua região e ajuizar mandado de segurança com pedido de liminar. Informa melhor pelo telefone 11.33506214.
      Bebel

      Responder
  • 22. hele  |  12/04/2016 às 00:28

    É triste de ver um Sindicato tão partidário, independente do partido.

    Responder
    • 23. apeoesp  |  12/04/2016 às 20:23

      Prezada professora Hele,
      Em que momento a APEOESP é partidária? Ser independente de partidos é concordar que alguns partidos se unam para retirar da Presidência da República uma pessoa eleita com 54 milhões de votos sem que nehum crime tenha sido demonstrado? E quanto à nossa assembleia? E sobre as deliberações que tomou para campanha salarial, você não tem nada a declarar?
      Bebel

      Responder
  • 24. Carlos roberto da Silva  |  12/04/2016 às 17:39

    muito bem.

    Responder
  • 25. Rodrigo  |  12/04/2016 às 20:05

    Aderi a greve no ano passado e não pude repor os dias, pois leciono em escola de ciclo I…para repor os dias de greve fui orientado (pelo sindicato) a trabalhar como professor eventual em outra escola…isso é uma vergonha!

    Responder
    • 26. apeoesp  |  12/04/2016 às 20:12

      Prezado professor Rodrigo,
      Professor, a opção entre repor ou não é do professor. Acredito que, tendo participado da greve, conheça o estilo autoritário deste governo. Para que fosse possível as múltiplas opções de reposição das faltas da greve, não bastou tomar cafezinho com o Secretário da Educação. Não existe um governo que não negocia salários e outros que negocia os dias parados e a reposição. É o mesmo governo, difícil e intransigente. Para recebermos o pagamento dos dias parado, tivemos que recorrer ao Presidente do Supremo Tribunal Federal!
      Creio que é preciso ver todas as coisas em sua perspectiva verdadeira. O Sindicato não pertence a outro mundo e não tem soluções mágicas para as situações. Se uma greve de 92 dias não fez o governo recuar, temos duas opções: nos conformar ou fazer um movimento ainda maior e mais forte. E são movimentos coletivos. O sindicato representa a categoria e negocia em nome dela, mas o sindicato não é uma estrutura capaz de substituir o movimento conjunto de milhares de professores. E contra governos autoritários e intransigentes, é este movimento que pode resolver as situações.
      Bebel

      Responder
  • 27. Rosivane de Abreu Santiago  |  12/04/2016 às 23:59

    Boa Noite Bebel!!
    Seria possível você me auxiliar em algumas informações??
    Gostaria de ver e ler Edital do concurso da disponibilidade de vagas antes do concurso ser realizado.( Não sei direito onde procurar)
    Pois eu realizei o concurso de 2013 e passei em 10º lugar para Educação especial (TGD). E quando fiz a minha inscrição não me atentei para os pequenos detalhes. Detalhes o quais estou necessitando muito. Muito Obrigada pela sua ajuda.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,911,904 hits

%d blogueiros gostam disto: