Política para que?

06/10/2016 at 16:36 2 comentários

O dia 5 de outubro trouxe uma triste e preocupante notícia para nós, brasileiros, sobretudo para quem atua na educação pública.
A decisão da Câmara dos Deputados, aprovando o fim da obrigatoriedade da participação da Petrobras na exploração do pré-sal abre para as multinacionais do setor a apropriação dos lucros desta grande riqueza nacional e afasta o sonho de que seus rendimentos sejam utilizados para melhorar a educação no nosso país, base para mais desenvolvimento sustentável, com inclusão e justiça social. votacao-pre-salOutra parte iria para a saúde pública.
Há quem publique comentários em minhas postagens
, “acusando-me” de fazer política. A decisão tomada ontem pelos deputados federais, eminentemente política e alinhada com os interesses dos que financiaram o golpe que cassou o mandato da Presidenta Dilma Rousseff, demonstra que agora, mais que nunca, temos que fazer política. Sim, para evitar que nosso país retroceda não apenas em relação a conquistas dos últimos 13 anos, mas em relação às ultimas décadas.
A reforma do ensino médio que está tramitando por meio de Medida Provisória em regime de urgência é um ataque gravíssimo contra a educação, assim como a PEC 241 (que congela investimentos do poder público por 20 anos) e o PLS 257 (que impede concursos, contratações, aumentos salariais para os servidores e investimentos na melhoria dos serviços públicos).
O fato de pertencermos ou dirigirmos um sindicato não nos tira a condição de cidadãos e cidadãs. Ao contrário, aumenta a nossa responsabilidade perante a nossa categoria profissional e a sociedade, principalmente no nosso caso, que atuamos na mais importante área social, que é a educação.
O estatuto da APEOESP, estabelece que o nosso sindicato tem as seguintes finalidades:
a) defender os interesses e direitos, individuais e coletivos da categoria profissional que representa, inclusive nas instâncias judiciais e administrativas competentes;
b) desenvolver e organizar encaminhamentos conjuntos visando à unidade e à unificação de todas as entidades representativas dos trabalhadores em Educação, no âmbito do Ensino Público;
c) lutar, juntamente com outros setores da população, pela melhoria do ensino, em particular pelo ensino público e gratuito, em todos os níveis;
d) manter intercâmbio e convênios com organizações de caráter sindical, educacional ou cultural, nacionais e estrangeiras, sobre assuntos de interesse da categoria;
e) lutar, ao lado de outros trabalhadores, por liberdade de organização, manifestação e expressão para todos os trabalhadores;
f) lutar pela proteção do patrimônio artístico, histórico e cultural em sua base de atuação territorial, inclusive quando esta ação for complementar às demais finalidades tratadas nas alíneas “a” até “e” do presente artigo.
Como cumprir essas finalidades sem atuar politicamente?
O momento é muito preocupante para todos nós. Não assistiremos passivamente o desmonte do Estado brasileiro, a precarização da profissão docente e o comprometimento da qualidade da educação pública.
Todos os membros da sociedade fazem política, de uma forma ou de outra. Omitir-se, sob o pretexto de suposta “neutralidade” é fazer política também e ser conivente com decisões e projetos que atentam contra a soberania e o futuro do nosso país.
Maria Izabel Azevedo Noronha – Presidenta da APEOESP

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

Atenção: conveniados UNIMED Governo Temer quer intervir nos sindicatos?

2 Comentários Add your own

  • 1. Vera Lúcia  |  07/10/2016 às 14:42

    Bom dia, Bebel,
    Desculpe estar usando espaço, más estou muito apreensiva pois estou com problemas de saúde e sempre quando preciso de licença, há piora, muito desgaste e estresse devido as decisões/perícias, sendo que já repus licenças anteriores, tenho 5 quinquênios e possuo tempo para aposentar.
    Já comentei em seu blog e enviei e-mails outras vezes e em setembro e outubro/2016 sobre mandado para aposentadoria especial, cujos documentos entreguei na Apeoesp central desde Março/2015.
    Em 23/09/2016, enviei mais detalhes a senhora informando da “decisão foi proferida” em agosto/2016, mas parece ser necessário providenciar algo mais por parte de vocês. Como não transferem ligação a advogada no setor Aposentadoria e não recebi posição dela pelo meu e-mail e tampouco informação que me ajude sobre o andamento do processo; gostaria de saber se a senhora conseguiu verificar junto a advogada que mencionei nos e-mails enviados a senhora no endereço presiden@apeoesp.org.br.
    Aguardo resposta.

    Responder
    • 2. apeoesp  |  08/10/2016 às 13:42

      Prezada professora Vera,
      Sua mensagem foi enviada ao departamento jurídico para obter as informações necessárias. Acredito que ainda não tenha obtido retorno. Na segunda-feira verificarei esta situação.
      Bebel

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 4,928,794 hits

%d blogueiros gostam disto: