Sobre a recondução às salas de leitura

25/01/2018 at 13:17 9 comentários

Em resposta a questionamentos em relação à recondução para as salas de leitura, informo que consultei o Departamento Jurídico da APEOESP, o qual informou que professores e professoras têm direito de assumir a carga horária que desejarem na função, inclusive as 40 horas.

Se não for atribuída a carga horária de sua opção, deve recorrer por escrito, utilizando o modelo de recurso que reproduzo a seguir, bem como procurar o Departamento Jurídico na subsede da região para ajuizar Mandado de Segurança.

Professora Bebel – Presidenta da APEOESP

Anúncios

Entry filed under: Artigos.

Ampliação da mediação escolar e salas de leitura Em desagravo às professoras Samira Talira e Marinalva Oliveira

9 Comentários Add your own

  • 1. Camila  |  27/01/2018 às 14:55

    Bom dia Bebel,
    Sei que muitos vão criticar o que irei lhe propor, mas infelizmente com as atuais condições de trabalho e salário baixo isso seria viável para muitos professores que tem a jornada de 32 aulas e mesmo assim não consegue pagar suas contas. Gostaria de sua opinião Bebel, você não acha que poderíamos pleitear junto a SEE uma nova jornada de trabalho? Uma jornada de 40h semanais com alunos e assim o estado nos pagaria por ela 250h mensais. Vejo muitos professores meu caso que pega aula no estado e tem que sair procurando uma particular, acho que na atual situação que estamos essa nova jornada ajudaria.

    Responder
    • 2. apeoesp  |  28/01/2018 às 12:27

      Prezada professora Camila,
      Sempre lutamos pela jornada única de 40 horas, sendo 50% com estudantes e 50% com atividades extraclasse. No momento, lutamos pela aplicação da lei do piso, com 33% em jornadas extraclasse. Está na justiça. Não podemos propor ou aceitar nada que desvalorize a nossa categoria. Se o Estado pagasse salários justos, a maioria iria preferir dedicar-se somente à rede pública estadual, mas não é o que acontece. Nem sempre as 40 horas no Estado darão ao professor um salário adequado, mas se conseguirmos chegar a este salário, poderíamos ficar apenas no Estado.
      Bebel

      Responder
    • 3. Prof. Clóvis  |  28/01/2018 às 12:43

      A luta é por salário e não por mais aulas. Em 2015 o governo nos devia setenta e cinco por cento, agora já nos deve no mínimo 100. A meta 17 e a Lei do piso é a nossa luta.

      Responder
  • 4. Adriana  |  29/01/2018 às 12:42

    Prezada Bebel, somos mais de 20.000 professores categoria. O que não recebeu férias em janeiro como os demais professores da nossa categoria com contrato ativo. O sindicato é o nosso único meio de contato junto a SEE. Pora favor, peço encarecidamente para que a senhora entre em contato com o órgão responsável e nos de um posicionamento de quando iremos receber nossas férias, estaremos sem salário esse mês e precisamos desse dinheiro. Desde já, agradecemos o apoio.

    Responder
    • 5. apeoesp  |  04/02/2018 às 13:18

      Prezada professora Adriana,
      A SEE informou que encaminhou os dados para a Secretaria da Fazenda, para que faça o pagamento em fevereiro.
      Bebel

      Responder
  • 6. Prof. Cosmo  |  19/02/2018 às 13:14

    Prezada Bebel já estamos no dia 19/02/2018 e até o momento não temos nenhuma informação concreta sobre a rescisão / férias do contrato dos professores Categoria O 2014.
    Ao que consta, temos o direito de receber as ferias 2014,2015 e 2017, pois o que recebemos em 2017 nos meses de janeiro e julho foi referente ao ano 2016, correto?
    Nosso ultimo pagamento foi 08/01/2018.
    Por favor, nos posicione quando de fato vamos receber, temos contas para pagar, precisamos deste dinheiro.
    Desde já obrigado pela atenção.

    Responder
    • 7. apeoesp  |  25/02/2018 às 13:58

      Prezado professor Cosmo,
      Prezada professora Cláudia,
      A informação que temos é que na terça, 28, o governador autorizará o pagamento de férias de 2014-2015, que não foram pagas na ápoca.
      Bebel

      Responder
  • 8. Roseli dos Santos Alves  |  01/03/2018 às 04:35

    Bom dia, Bebel. Sai ontem a noite da escola extremamente arrasada, pois a GOE da minha escola disse-me que meu acumulo não será publicado legal, pois estou acumulando 40h como orientadora de escola e tenho jornafa basica de 24h. Estou nesse cargo desde de 2916 e até então os acumulos saíram favoráveis. Achei q não seria necessário reduzir a jornada haja visto que os horários não chocam. Minha indignação é maior ainda, pois se sabia disso porque não me alertou a esse fato no momento da nossa opção. Como irei fazer se dependo dos dois proventos??? Não posso me dar ao luxo de exonerar um 20 anos ou deixar um cargo q lutei tanto para conseguir. O que faço??? Qual orocedimento??? No aguardo de uma orientação. Roseli Alves SJC

    Responder
    • 9. apeoesp  |  04/03/2018 às 11:37

      Prezada professora Roseli,
      Você precisa procurar imediatamente o departamento jurídico na subsede da sua região.
      Bebel

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Mensagem da Presidenta da APEOESP às professoras

Clique no play para ouvir.

Blog Stats

  • 5.166.820 hits

%d blogueiros gostam disto: